Image
A corregedora Eliana Calmon: de olho no patrimônio e na renda de magistrados, para levantar possíveis irregularidades (Foto: Agência Brasil)

A ministra Eliana Calmon, corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), está reunida com o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Ivan Sartori. Segundo a ministra, a reunião já estava marcada e ela iria apresentar ao presidente da Corte um diagnóstico sobre a situação dos precatórios [dívidas dos governos em decorrência de decisões judiciais, sempre pagas com atraso, quando são pagas] em São Paulo, cuja investigação por parte do CNJ recomeçará esta semana.

Dias atrás, conforme reportagem da Agência Brasil, a ministra anunciou que reiniciaria com “mais desenvoltura” outro trabalho em SP — o de investigação nas folhas de pagamento do tribunal paulista e também sobre a evolução patrimonial dos magistrados. Segundo a ministra, a maioria dos membros da corte “espera de braços abertos pelo auxílio da corregedoria”.

O processo investigativo sobre movimentações financeiras em 22 tribunais, tanto da esfera federal quanto da estadual, tinha sido suspenso, em dezembro, por força de uma liminar do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Mas, no mês passado, a liminar foi parcialmente derrubada por outra decisão de outro ministro do Supremo, Luiz Fux, que autorizou a continuidade das investigações, vetando apenas o uso de informações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e do Banco Central.

“A grande maioria dos desembargadores de São Paulo quer , efetivamente, um diagnóstico real do que está acontecendo no tribunal, na folha de pagamentos”, disse a ministra (…).

Eliana Calmon informou que já existe um conjunto de dados sendo analisados por uma equipe técnica, mas que não há prazo para a conclusão das investigações, que buscam apurar irregularidades como enriquecimento ilícito e pagamentos indevidos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + 1 =

Nenhum comentário

oberdan da silveira barbosa em 03 de agosto de 2012

A Min. Eliane Calmon e sua equipe não estão de brincadeira não. Houve CORPORATIVISMO na Corregedoria Regional de Campinas, e ela determinou a reautuação dos magistrados e o MPT está prestes a revelar o relatório da investigação que, já tem 86 páginas e 2 anexos. Vejam no dossiê www.oberdanbarbosa.wordpress.com Oberdan

Jofre Brun em 28 de março de 2012

Estou acompanhado a sua luta e aplaudindo, mas por favor não faça como o Demóstenes.

relume romano em 26 de março de 2012

Na mira do chefe. Vê o que se consegue com sapiência e aplicação! um abacaxi.

Ricardo Desengrini em 25 de março de 2012

Me assusta a ideia de que uma mulher como esta é temporal, finita...merecia ser e deveria ser “imortal”. Aliás já deveria estar aqui a muito tempo, zelando por nós. O engraçado é que não necessariamente desejaríamos vela como Presidenta, por exemplo, pois percebe-se que ela está exatamente onde deveria estar: no lugar certo e na hora certa. Bravura e coragem desconcertantes. Espero que deixe muitas crias, pois precisaremos delas, para sempre.

Martha em 25 de março de 2012

É bom já ir providenciando proteção especial para essa Juíza. A propósito: li uma reportagem na Veja sobre o Des. Viana Santos; fiquei estarrecida. Que fragilidade, meu Deus !!!

Izael Vieira Tavares em 25 de março de 2012

Surgi uma luz no fim do túnel

Osvaldo Aires em 24 de março de 2012

Até onde você vai por justiça - OAB? http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2012/03/ordem-dos-advogados-do-brasil-seccional.html#!/2012/03/ordem-dos-advogados-do-brasil-seccional.html

Domingos J Arrais em 24 de março de 2012

E lamentavel!, que as vistas de muitos, outros, utilizam-se de seus cargos para com isto gamhar dinheiro fácil, fazendo assim com que perdamos toda a credibilidade na justiça brasileira, onde, ainda e a unica a quem recorremos quando nos sentimos roubados! O brasileiro também e responsavel, devemos ter mais coragem e responsabilidade e denunciar estes individuos, ja que os poderes constituidos nao faz. parabens ministra!

Tuco em 22 de março de 2012

. Diana - 21/03/2012 às 18:16 Se MPGM significar Ministério Público de MG e as coisas estiverem horrorosas nesse órgão, penso que o CNJ não tenha competência para apurar ou intervir. Compete ao CNMP. De toda sorte, se aí as coisas não estão tão corretas sob o bico dos tucanos, levante as mão para o céu: a senhora nem imagina como seria se os petistas estivessem no (des)governo do seu Estado... Um desavergonhamento sem limites. .

Diana em 21 de março de 2012

Ela deveria dar uma passadinha aqui em Minas Gerais para ver como está a corrupção do justiça aqui. O MPMG é uma vergonha e está totalmente cooptado pelo desgoverno tucano daqui. O MPMG só faz o que o governador daqui manda. UMA VERGONHA SEM LIMITES.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI