Em meados da década de 90 uma preocupação maior de muitos homens com tratamentos estéticos, bons modos e outras questões que os estereótipos sempre definiram como mais “femininas” era um dos assuntos em pauta.

Enquanto diretor da edição brasileira de PLAYBOY (1994-1999), acompanhei atento estas mudanças, tentando oferecer aos leitores pautas relacionadas a essas novas demanda.

Por estas e por outras, fui um dos jornalistas entrevistados pelo bom programa “Vitrine”, da TV Cultura – o outro foi Marco Antônio Rezende, então diretor da VIP – sobre o tema. A apresentação é de Maria Cristina Poli.

Esta é a íntegra da matéria, que é interessante e curtinha: 8 minutos e meio.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 4 =

TWITTER DO SETTI