Em fotos, o forte marketing de Obama como “um cara comum” e “um bom sujeito” — um dos fatores de sua vitória

Barack Obama nadando na Sandy Beach, praia em Honolulu, no Hawaí (Foto: Alex Brandon / AP Photo)

Barack Obama ainda candidato em 2008 nadando na Sandy Beach, praia em Honolulu, no Havaí, sua cidade natal (Foto: Alex Brandon / AP)

As razões especificamente políticas e relativas ao trato da economia para que o presidente Barack Obama tenha conseguido a reeleição foram e estão sendo analisadas por muita gente mais abalizada do que eu.

Neste post, gostaria de tocar rapidamente em outro ponto: a utilização intensa de marketing para transformar em valor político o fato de o presidente comportar-se, na medida do possível para quem desempenha seu cargo, como “um cara comum”, “um cara como você”, “um boa praça” — circunstância facilitada por características reais de Obama, que transmite a impressão de estar à vontade e de bom humor em qualquer lugar e situação.

As fotos deste post procuram mostrar como o “homem comum”, o good guy que sempre que pode se despe da solenidade imperial da Presidência inundou a imprensa — e, significativamente, várias delas são fotos produzidas pela Casa Branca.

O caráter easygoing de Obama, durante a campanha eleitoral, contrastou fortemente com a rigidez da linguagem corporal de seu adversário, Mitt Romney. (Quem acha que linguagem corporal não tem importância em política não conhece política.)

Romney, em ótima forma e bem apanhado para seus 65 anos de idade, exibiu no entanto uma visível dificuldade para gestos fundamentais a um político, como abraçar pessoas, trocar gentilezas com eleitores, festejar bebês. Seu caminhar robótico não ajudava e até a forma de segurar a mão de sua bela mulher, Ann, parecia estranho, desconfortável.

Vejam a seguir uma coleção de fotos “informais” de Obama, uma ou outra ainda de sua campanha eleitoral de 2008:

Na presença de Caroline Kennedy, Obama brinca de "procurar" Jonh-Jonh, uma alusão à famosa foto de 1963 (Foto: Pete Souza)

Na presença de Caroline Kennedy, filha do presidente assassinado, em pleno Salão Oval, Obama abaixa-se e brinca de “procurar” Jonh-Jonh Kennedy, uma alusão à famosa foto de 1963 (Foto: Pete Souza / The White House)

 

Obama ajuda o chef Bobby Flay em churrasco nos jardins da Casa branca

De avental e tudo, ajudando o chef Bobby Flay em churrasco nos jardins da Casa Branca (Foto: Pete Souza / The White House)

 

Em visita à capital nacional do sorvete, provando um de casquinha, em Le Mars, estado de Iowa (Foto: Charlie Neibergall / AP)

Le Mars, no Estado de Iowa, é considerada a “capital do sorvete” nos Estados Unidos. O “cara comum” não resistiu a uma casquinha (Foto: Charlie Neibergall / AP)

 

Obama batendo uma bolinha na cidade de Deus, no Rio de Janeiro, em março de 2011

“Boa praça” e acessível, batendo uma bolinha com a molecada na cidade de Deus, no Rio de Janeiro, em março de 2011

Obama brincando de Indiana Jones com chapéu que ganhou no Egito

Brincando de Indiana Jones com um chapéu que ganhou após visitar as pirâmides de Gizé, inclusive a Grande Pirâmide, no Egito (Foto: Pete Souza / The White House)

Passeando pela vizinhança, com a filha Sasha, no halloween, em Chicago (Emmanuel Dunand  / AFP)

No começo do primeiro governo, passeando com a filha caçula, Sasha, em Chicago, no Halloween (Emmanuel Dunand / AFP)

Obama corre com seu cachorrinho Bo

Despindo a majestada do cargo: numa das alas solenes da Casa Branca, correndo com o cachorro presidencial, Bo (Foto: Pete Souza / The White House)

Passeando de chinelos pela vizinha da casa da avó, em Honolulu, Hawaí (Foto: Hugh Gentry / Reuters)

“Cara comum”: passeando de chinelos nas vizinhanças da casa da avó materna, em Honolulu, Havaí (Foto: Hugh Gentry / Reuters)

Chorando ao falar da morte da avó, Madelyn Dunham, que morreu de cancer,  em Charlotte, Carolina do Norte (Foto: Jason Reed  / Reuters)

Lágrimas escorrendo dos olhos ao falar da morte da avó materna, Madelyn Dunham, que, com o avô, Stanley, foram responsáveis por sua criação. A avó branca do presidente negro morreu de câncer  em 2 novembro de 2008, em Charlotte, Carolina do Norte, dois dias antes de o neto ser eleito presidente (Foto: Jason Reed / Reuters)

Não esquece das filhas nem quando viaja a trabalho: desembarcado com abóbora para o Halloween, após viagem de campanha (Foto: Emmanuel Dunand / AFP)

O “cara comum” como um pai tal qual os demais: desembarcado com abóbora para o Halloween das filhas, após viagem de campanha, em 2008 (Foto: Emmanuel Dunand / AFP)

 –

Obama com bebezinha no hotel de Praga, em 2009 em recepção da embaixada

Facilidade em lidar com gente: brincando com uma bebezinha, que por sua vez mexe com seu rosto, numa recepção a funcionários da embaixada americana em Praga (Foto: Pete Souza / The White House)

Obama pescando em Montana

Fazendo o que milhões de americanos comuns fazem: pescando num rio (em Montana) (Foto: Pete Souza / The White House)

Obama torcendo para o time da filha Sasha

Torcendo para o time de futebol da filha Sasha (Foto: Pete Souza / The White House)

Obama brincando com assessor na Universidade do Texas

Brincalhão: na Universidade do Texas, em Austin, pisando na balança do assessor preocupado com o peso. Até os sempre sisudos fortões do Serviço Secreto riem (Foto: Pete Souza / The White House)

Obama brincando com a sobrinha Savila

O tio “comum”: brincando com a sobrinha Savila (Foto: Pete Souza / The White House)

Obama tomando uma cervejinha com Dakota Meyer, veterano condecorado no Afeganistão

Pausa para uma cervejinha com Dakota Meyer, veterano condecorado no Afeganistão (Foto: Pete Souza / The White House)

Obama com Nancy Reagan, sob o retrato dela

Convivendo com a diferença: com a ex-primeira-dama Nancy Reagan, viúva do conservador e republicano Ronald Reagan, sob o retrato dela na Casa Branca (Foto: Pete Souza / The White House)

Obama confraternizando com irlandeses em sua visita ao país, na cidade Moneygall, em maio de 2011

A linguagem corporal que fala por si mesmo: confraternizando com irlandeses em sua visita ao país, em Moneygall, em maio de 2011

Obama segurando guarda-chuva durante visita a área recuperada de New Orleans

Segurando guarda-chuva para ele e a mulher, Michelle, durante visita a área recuperada da Nova Orleans arrasada pelo furacão Katrina, em 2005 (Foto: Pete Souza / The White House)

Obama consola vítima do furacão Sandy em Nova Jersey

A linguagem corporal: diferentemente de Romney, Obama sabe abraçar com naturalidade: consolando vítima do furacão Sandy em Nova Jersey (Foto: Pete Souza / The White House)

 

LEIAM TAMBÉM:

FOTOS: Cenas que muito poucos vêem — a intimidade na Casa Branca

Fotos: imagens exclusivas da Casa Branca e do que nela ocorre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =

Nenhum comentário

  • PAULO BOCCATO

    FALTARAM AQUELA TRES SETTI ONDE ELE TROCA PNEU, FAZ CHURRASCO (O LULLA TEM UMA ASSIM DIANTE DE UMA GRELHA SOBRE TIJOLINHOS DE OBRA!!) E A MAIS FAMOSA ONDE ELE ESPIA ESCONDIDO DA PATROA SITES PORNOS NA INTERNET SOB O PSEUDONIMO DE “UOXÍNGTON ALEKIÇANDER”!
    …!

  • PAULO BOCCATO

    AH, E ESTA DA CRIANÇA NO COLO , EU JURO QUE NUNCA TINHA VISTO ANTES UM POLITIK POSAR…ESTOU ESTUPEFATO !

  • PAULO BOCCATO

    …NENHUM POLAROID DELE ANDANDO SOBRE AS AGUAS ?
    CHAMA O SEBASTIAO SALGADO !

  • PAULO BOCCATO

    NENHUMA DO ROMMEY BATENDO EM ESCOTEIROS OU ASSEDIANDO UMA VOVÓ CEGA NO SUPERMERCADO ?

  • AlexRio

    Muito bom isso. Sugeriria uma arranjo melhor na legenda da foto dos guarda-chuvas em Nova Orleans: “Segurando guarda-chuva para ele e a mulher, Michelle, durante visita a área recuperada da Nova Orleans arrasada pelo furacão Katrina, em 2005″

    Em 2005 ele ainda não era presidente e dá a impressão que a visita é nesse ano, e não é, fica estranho. Creio que melhoraria se fosse:”Segurando guarda-chuva para ele e a mulher, Michelle, durante visita em 2009 (ou 8, 10, 11 ou 12, vc deve ter a data no original) à área recuperada da Nova Orleans arrasada pelo furacão Katrina, em 2005.”

  • PAULO BOCCATO

    TEM ESTA AQUI DA SARAH PALIN MATANDO A MAE DO BAMBI !
    http://www.videolog.tv/video.php?id=710400

  • Edson

    Irâ, Russia, China, Afeganistão, Coreia do Norte, será que um “boa praça” como Obama é o homem indicado para o atual momento da humanidade.

    Parece que 70 milhões de americanos acharam isso…

  • Vera Scheidemann

    Evidentemente há muito marketing em todas essas
    fotos, mas, admitamos, Obama tem carisma e dá
    sempre a impressão que “really cares” e isso
    é muito bom. Ele mereceu esse segundo mandato.
    Que Deus o ajude !
    Vera

    Concordo. O cara é irresistível, um encantador de serpentes, como dizem. Todo mundo que o conhece acaba gostando.

    Abração, Vera.

  • Mara Gomes

    Agir com sinceridade, ter pureza de coração… as pessoas sabem…da pra perceber…da pra sentir, e isso pode fazer uma grande diferença no mundo…

  • sidney

    Setti
    ELE – OBAMA – eee e ; definitivamente – O CARA – !!!!!
    Tem muito a cumprir e ; precisa ser ajudado principalmente pelos – contrarios do seu imenso Pais.
    Vai conseguir simmmmmmm !!!!
    Torcemos para isso !!!!
    Obrigado pelas fotos especiais e marcantes.
    Baita abraco

  • Paulo Cesar Ferreira

    Um bom Canastrão… O país está virando Brasil… Ou como se diz aqui no Rio:”Virou Bangu”!

  • AlexRio

    PAULO BOCCATO – 07/11/2012 às 18:16 Tu é muito inconveniente com essas tuas msgs abobadas berrando em maiusculas, cara. Se toca.

  • Titus Petronius

    Populismo do século 21…

  • BSJ

    “O cara é irresistível, um encantador de serpentes, como dizem. Todo mundo que o conhece acaba gostando.”

    Se isso não é tietagem obamista, não sei o que é. Ah, Faltou aquela foto do “cara” ianque com a do nosso “cara” tupiniquin.
    Ok, entendo. Não pega bem um esquerdista chique falar bem de um esquerdista “nosso”, mas igualmente demagogo e apologista do Estado grande e paternalista.

  • João Leopold

    As fotos estão ótimas e só atingem porque quando o vemos ao vivo a imagem corresponde.

  • Zaratrusta

    Fatos são fatos. Mesmo considerando-se toda a força da propaganda midiática das imagens é impossível negar seu REAL carisma. A mídia é mister em explorar o aspecto que lhe interessa vender (seja o que for), e a evidente dimensão efetivamente HUMANA (e por conseguinte “próxima” de cada um de nós) explorada de OBAMA é que me traz uma tremanda preocupação…
    Tornaram-no DEMASIADAMENTE humano! Quem? Com qual propósito efetivo?
    Um país cuja força do complexo político-econômico e industrial-militar em sua atuação externa é determinante no direcionamento sendo dado ao mundo no processo de globalização, através de toda sorte de pressões político-econômicas e interferências militares diretas com um presidente com consagrada imagem humana e próxima como a que possui é, no mínimo alarmante.
    Uma vêz que reconheça-se que na realidade o cargo da presidência nos EUA seja cada vez mais apenas uma fachada, visto que na realidade o exército de “assessores” infiltrados no staff direto da White House pelos agentes financeiros internacionais sejam os reais responsáveis pelo encaminhamento das ações e medidas determinadas por seus “mentores”, a ascensão de um líder carismático de imagem DEMASIADAMENTE humana é de nos fazer colocar as “barbas de molho”. O que haverá realmente por trás dessa “humanidade” toda? Certamente uma proposta subliminar para o “desarmamento dos espíritos”, não lhes parece?
    É aí que começa a contradição que levanta minhas suspeitas,… Sabendo-se que nas leis de sobrevivência do mundo selvagem, os predadores se “especializaram” seja no mimetismo como no efeito surpresa como as formas de minimizarem quaisquer contra-ataques que lhes possam ser prejudiciais, passa a ser com extrema preocupação que um país que tem uma águia como símbolo (ave de rapina), possui o maior complexo industrial-militar do planeta, e cuja governança é orientada por um exército de “assessores” suportados pelo interesse investidor-financeiro-predatório-globalizador infiltrados no back-staff decisório, porque estaria escolhendo um indivíduo “demasiadamente humano” para “comandá-lo”?
    Enfim, prudência e sopa-de-galinha nunca fizeram maal a ninguém! Os detalhes históricos e conjunturais ATUAIS têm de nos servir para o desenvolvimento de uma visão holística com maior profundidade e perspectiva de possibilidades de desdobramentos, uma vêz que, principalmente em política, nada ocorre por acaso, e tudo é muito menos imprevisível do que o imaginado…

  • Mairalur

    Não nos é estranha essa campanha de marketing. Com todo o respeito.

  • Esron Vieira

    Mais uma vez gostei ve ver Obama eleito. Isto mostra que a America está se atualisando com a realidade do momento. A população cresceu e ficou menos conservadora, pois não é mais tão pura etinicamente falando.
    Todo carismatico tem o dom de aflorar explicitamente os sentimentos humanos com naturalidade. Difícil conseguir encontrar um republicano conservador com esse perfil arrebatador.
    Fico agora com uma dúvida; na América os brancos puros o tem como negro, na terra do pai dele, os negros puros o tem como branco?

    Não sei como o vêem na África, caro Esron. Mas nos Estados Unidos os próprios negros costumam dizer que, tendo uma gota de sangue negro, a pessoa é negra.

    Você sabia que a Mariah Carey se considera negra?

    O problema é que, por razões históricas, palavras como mulato nos EUA são consideradas pejorativas. Então, não há meio-tom.

  • Esron Vieira

    Isso mesmo. A Mariah já desabafou sobre este assunto. Ela encontrou aconchego na familia negra, pois o lado branco a via sempre com reservas. Daí o motivo da posição dela.

  • razumikhin

    “Forte marketing” de Hussein Obama, que foi integralmente replicado.
    Além da propaganda, há, de parte do jornalista Setti, a crença explicitada de que qualquer dúvida sobre nacionalidade de Hussein foi completamente eliminada: “Honolulu, no Havaí, sua cidade natal”.
    Interessante a colocação da frase, que deve ter sido vertida ao português do original, mas, de todo modo, não é verdade. A certidão apresentada por ele (Hussein) no site financiado por seus amigos – Fact Check – é, evidentemente, falsa. Foi confirmada como montagem em Photoshop ou equivalente que não deixa rastros, mas que não é imune à burrice de quem escolhe os itens da falsificação.
    Ok. Pode me chamar de doido varrido, mas se o assim fizer, posso retrucar a sua cegueira, intencional e ideológica, sobre esse assunto específico.
    Encerrando, envio minhas saudações. Não sou seu inimigo. Mas, Hussein Obama não é quem você pensa que seja – ou aquele que a imprensa brasileira acha que é.

  • Ailton

    “Temos que levar a GM/CHEVOLET á falencia a ponto deles abrirem concordata e assim, quitar as suas dividas” Disse Mitt Romney em campanha.

    Isso arrepiou até os cabelos do patriarca americano, o Abrahan Lincoln, imagina os efeitos que teve sobre os pobres trabalhadores da indústria automotiva americana.
    E ainda quer saber porque foi derrotado

  • Ailton

    As pérolas do Mitt Romney durante a campanha:

    Mitt Romney usa táticas suicidas do Serra e xinga as minorias, ofende milhões de latinos, discrimina racialnmente os imigrantes asiáticos, ofendeu moralmente 45 milhões de americanos natos, os “quatrocentões” de outrora, que foram jogados na mais absoluta miséria durante o governo do G.W.Bush Junior, como se fora eles, culpados por sua nova condição social, o Mitt chamara de toda essa ‘gente’ de vagabundos e sanguessugas, disse que não iria governar para uma gente que não paga um centavo de impostos.
    ora cara pálida, não pagam agora por perder seus empregos durante a era neoliberal do Bush, mas, no passado pagou e ajudou o país a ser o que era antes do W.Bush.
    É o Serra a fazer escola, a ensinar como ser derrotado por si proprio.

  • Isayas

    ESTADOS UNIDOS SOCIALISTAS DA AMÉRICA?
    Acho que os americanos preferiram o Aiatollah marxizado Obama – também bom ator como Lula – prá continuar governando os Estados Unidos (Socialistas?) da América, após mais 4 anos será um país tão diferente do anterior, derrotado pelo Marxismo Cultural que vem sendo implantado no país desde os hippies nos anos 80, seus primeiros doutrinandos a espalharem a ideologia e, com entrada do Aiatollah marxizado Obama, completará o serviço em prol desse novo país.
    Os americanos primeiros descendentes de ingleses e irlandeses doravante serão reféns do neo colonizadores dos EUA: latinos gerais, asiáticos, mulheres e jovens mesmo daqueles mas ideologizados no Marxismo cultural, todos reféns dos comunistas.
    Um “homem simples” como retratam as imagens, porém por detrás as garras afiadas de inimigo radical da Igreja católica, do cristianismo em geral mais próximo a ela e implantou o aborto, o gayzisno e anexos em cultura judaico-cristã, devendo transformar noutro país após mais 4 anos.
    Quando o chicote descer pesado no lombo dos eleitores não acusem a ninguém: a si mesmos de idiotas!
    Pior: jamais atribuirão qualquer culpa a si, creio…

  • Claudiney

    Brasileiro reelegeu Lula por se ignorante já lá nos EUA vai ser diferente, muitos “pseudointelectuais diziam”. Pois bem, não foi! E tinha muito, mas muito americano branco apoiando Obama. Como diz a lógica: minoria não derrota maioria. O fato é que o discurso de direita é uma retórica ultrapassada. Não sou Ptista, nem democrata, mas a “mesmisse” neoliberalista precisa ser revista. Medalhões como Serra e um republicano típico com cara de presidente de filme não vingam mais. O voto em Lula Haddad e Obama, configura mais rejeição ao mesmo do que apoio ao “novo”. Eles sabem que o Barack decepcionou, mas mesmo assim preferem rejeitar a volta do que também não estava funcionando.

  • Ailton

    Caro CaludineI (com I mesmo, a 9ª letra do nosso bom e velho Português)

    Ignorancia extrema seria eleger o Serra, ele sim, deixaria o país no mesmo nivel de miséria, pobreza e tragédia em que o FHC deixou!

  • Ailton

    Isaias

    Vejamos!!!

    O que leva você a pensar que só os “arianos” tem lugar no mundo? E que, e aos não arianos, às sobras e degredos??
    Adolf Heldlen(O Hitler) também pensou assim e deu no que deu!

    Creesca!!

  • Paulo Roberto Nogueira

    A reeleição de Obama nos Estados Unidos foi uma bênção. E vejo nas entrelinhas do ódio contra ele despejado nos comentários um indisfarçável RACISMO.
    Como, assim, “Hussein Obama”? É protestante, estudou em Harvard, tem uma vida limpa, foi eleito e reeleito pela maioria do eleitorado.
    Respeito pelo presidente dos Estados Unidos!

  • Ailton

    Engraçado Como o discurso desses recalcados e retógrados são sempre o mesmo, usam o memos tom no momento em se vêem ameaçados pelo crescimento economico dos menos favorescidos, essa “elite” tosca e burra, sempre surge a criar segregações sociais, segregações politicas e na pior hipótese RACIAIS, ao ver suas posições ameaçadas.
    Embora muitos desses que se dizem contrarios à ascenção dessas classes, em sua concepção tacanha e rude,por serem cidadãos de “segunda classe”. O mais engraçado disso tudo, é que, esses que se dizem contrários, também estão no mesmo nível sócial dos cidadãos de segunda classe, ou seja, servem apenas de “vaca de presépio” para as classes mais dominantes, uma vez que nem eles mesmos essas vacas de presépios pertencem a essas classes abastadas, são na sua maioria, cidadão de SEGUNDA CLASSE tal qual as pessoas que eles discriminam racialmente!!

    Puro racismo, o Obama ser considerado Ayatollah? será que consideram assim por ser negro? Então vejamos o grande Bill Clinton, ele teve as mesma convicções e os mesmos idéais politicas do Obama, ao deitar governo nos EUA, e nenhum retardado o chamou de comunista, de ayatollah marxista, seria por ser branco?.
    Racismo velado? Ora pois!!

  • Ailton

    Peço entneder ‘ASCENSÃO’ ao invés de “ascenção”, um lapso!!

  • J.Pereira

    ”…diferentemente de Romney,Obama sabe abraçar com naturalidade..’Hum…sabe representar melhor,isso sim!Podado os excessos,concordo com o Titus Petronius e o Paulo Boccato.