Image
A bela princesa Corinna zu Sayn-Wittgenstein, 46 anos: amizade perigosa para o Rei Juan Carlos (Foto: blick.ch)

Foram vários os sintomas de que pode ter havido algo mais do que uma viagem a Botswana, na África, para caçar elefantes — de si mesma um absurdo para o chefe de Estado de um país, como a Espanha, em brutal crise econômica e aperto de cintos, além de praticar uma generosa política de defesa do meio ambiente, da fauna e da flora — na grande mancada que obrigou o Rei Juan Carlos a pedir desculpas aos cidadãos.

O Rei, 74 anos, pediu desculpas ao país, num gesto elogiado quase unanimemente, mas, diante da fulgurante participação nos episódios da bela princesa alemã Corinna zu Sayn-Wittgenstein, 46 anos, parece que precisará também justificar-se ante a Rainha Sofia. Vejam os sintomas de que pode haver um caso real na história toda:

Primeiro sintoma: o chefe de governo, Mariano Rajoy, só ficou sabendo que o Rei estava em Botswana na madrugada da sexta-feira, 13, quando Juan Carlos sofreu a queda no bangalô em que se hospedava que lhe provocou fratura de fêmur. Mesmo sendo uma viagem privada, é um evidente absurdo que o chefe de governo não conhecesse o paradeiro do chefe de Estado e comandante supremo das Forças Armadas.

Segundo sintoma: usualmente caloroso e emotivo com os três filhos e oito netos, o Rei embarcou sigilosamente para Botwsana, num jato particular, a despeito da hospitalização do neto mais velho e favorito, Froilán, 13 anos, que, num acidente na fazenda do pai, Jaime de Marichalar, disparou uma pequena escopeta contra o próprio pé. (Marichalar e Elena, filha do rei, são divorciados).

Image
O Rei cumprimenta a princesa numa solenidade pública (Foto: rp-online.de)

Terceiro sintoma: a Casa Real não disse, antes ou depois do episódio, uma só palavra sobre quem acompanhava o Rei na viagem à África, que Juan Carlos na verdade fez a convite e às expensas do magnata hispano-saudita Mohamed Eyad Kayan, dono do jato e intermediador de negócios entre a Arábia Saudida e empresas espanholas. A presença da princesa Corinna, organizadora do safári, foi vazada por outros integrantes da comitiva.

Quarto sintoma: em viagem à Grécia para passar a Páscoa ortodoxa com os irmãos, a rainha Sofia só visitou o marido num hospital de Madri quatro dias depois do acidente, e a visita, significativamente, não chegou a durar meia hora.

Corinna, uma sueca naturalizada alemã que se divorciou do marido em 2005, mas manteve o título, conheceu o Rei em 2006, num jantar de homenagem ao monarca em Ditzingen, no sul da Alemanha. Tempos depois, mudou-se para Barcelona. Fã de safáris e regatas, costuma acompanhar o Rei em alguns desses eventos, sob o espesso silêncio da grande imprensa espanhola, que sempre se referia a ela, antes desses episódios, como “amiga próxima” de Juan Carlos.

Image
O magnata hispano-saudita Mohamed Eyad Kayali, também caçador de elefantes, foi quem convidou Juan Carlos e pagou sua viagem (Foto: Johan Calitz Safaris)

Mesmo agora, após o episódio, enquanto a imprensa de fofocas, sobretudo na web, publica um amontoado de informações sem fonte confiável e chegam a mencionar Corinna como “amante” do Rei — a revista Lecturas traz na capa uma chamada dizendo “A Rainha, mais solitária do que nunca” –, a grande imprensa trata o caso com luvas de pelica.

No principal jornal espanhol, El País, quem mais avançou o sinal foi a escritora e colunista Elvira Lindo. “O país mudou muito e exige algo de coerência moral a quem faz pregação, mas não com o exemplo”, escreveu ela, provavelmente recordando a mensagem de Natal em que o Rei, diante da crise, disse, a certa altura: “Todos, sobretudo as pessoas com responsabilidades públicas, temos o dever de observar um comportamento adequado, um comportamento exemplar”.

Elvira Lindo continuou comentando o papel da Rainha Sofia e referindo-se, sem entrar em detalhes, a “deslealdades permanentes no casamento”.

Image
A capa de “Lecturas”: no quadrinho menor, à esquerda, retrato de Sofia com a chamada: “A Rainha, mas solitária do que nunca”. A foto principal é de Froilán, o neto mais velho do Rei

No mais que centenário e conservador La Vanguardia, de Barcelona, seu subdiretor, Enric Juliana, acenou com algo num texto em que diz, a certa altura: “O balanço da monarquia constitucional é sólido, mas há notícias que — se reiteradas — poderiam provocar mais dano do que o estouro de uma manada de elefantes”.

Curiosamente, entre fontes com credibilidade, foi o ex-diretor do também mais que centenário jornal monarquista ABC José Antonio Zarzalejos quem concedeu entrevista a um site de celebridades dizendo que a “estreita e íntima relação” do Rei com a princesa “deixou de constituir um rumor para converter-se emuma certeza”. Ele assegura, também, que há documentação comprovatória de que Corinna vez por outra acompanha o Rei em viagens oficiais ao exterior.

Resta saber, depois de tudo isso, se a promessa de Juan Carlos de que “isso não vai se repetir nunca mais” vai influir em sua “amizade próxima” com a princesa .

Leia mais:

O erro brutal de ir caçar elefantes na África faz o Rei da Espanha atravessar inédita avalanche de críticas. Vai ser difícil recuperar sua imagem

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × quatro =

Nenhum comentário

Angelo em 02 de maio de 2012

Senhores,Srs.Ricardo Setti,Augusto Nunes e Reinaldo Azevedo fazem um time de primeira grandeza,para sorte nossa que podemos opinar a respeito de seus artigos,agradecemos.Quanto ao assunto do Rei,apenas uma palavra,"A carne é fraca",fazer o que? Mas quanto a matança desses animais é realmente de se lamentar que em pleno século XXI,continua a agressão.

Maria José Bezerra em 01 de maio de 2012

Figura decrépita e sordida,esse rei,junto com esses cumplíces da bárbarie contra os elefantes,é falta de caráter mesmo desses seres desprezíveis,ainda bem que ele despencou e se arrebentou,do contrário nunca iríamos tomar conhecimento dos atos insanos desse irresposável,bem feito,deveria ter se quebrado mais.

Jussara em 01 de maio de 2012

Falta de vergonha? Não, apenas a verdade vindo à tona. O cargo ou posição social exige um comportamento tal porém cedo ou tarde cada revela sua verdadeira faceta. Eis a do Rei Juan! Apenas mais uma farsa revelada.

LILIAN em 30 de abril de 2012

Bela bisca a tal princesa...Participar desta barbárie se locupletando das benesses deste sociopata chamado mohamed é o fim ...E o babaca do rei também. Vergonhoso.

LILIAN em 30 de abril de 2012

É lamentável ler coisas como esta em pleno século 21.Esta tal de Corinna devia se envergonhar e este Mohamed é um sociopata, desgraçado que devia usar seu dinheiro para preservar espécies e não afrontar-nos com esta barbárie.

Hevanir Gomez em 28 de abril de 2012

Triste, mas mais um símbolo de honradez se foi. O mundo precisa de pessoas honradas e honestas. Quem não se lembra: 'Porque não te calas"

Julio em 27 de abril de 2012

Esse Rei é que deveria ser cassado (demitido) seu país na bancarrota com a taxa de desemprego mais alta do mundo e ele matando os pobres animais que nada fazem de mal. È um assinte, cadê os ecologistas que não se manifestam contra essa barbarie.

Regina Julia Nouh em 27 de abril de 2012

Tenho fé que depois da gritaria contra esse episódio as demais casas reais pensem duas vezes antes de optarem pela infeliz ideia de caçar – matar – como lazer! E um grande impedimento à isso também é o próprio tranco econômico que a Europa está vivendo. Afinal, não fica nada bem o povo sair à caça de empregos, enquanto Sua Majestade à caça de elefantes. Há que se levar à sério. Guardadas as circunstâncias, foi exatamente uma vista grossa para cima do povo que fez com que, numa ‘primavera’, o clã dos Romanov fosse varrido do mapa. Aliás, a ‘primavera’ nunca floresceu tanto quanto atualmente. E povo revoltado é igual em qualquer parte do mundo e em qualquer tempo. Quanto à ligação amorosa entre o rei e a princesa, ironia do destino, de caçadores agora passam a ser presas. Dificilmente vão escapar do alvo da imprensa onde quer que estejam juntos. Se é que voltarão a se encontrar.

Pedro Luiz Moreira Lima em 25 de abril de 2012

Caro Setti: Dizem que tem um Barão Moreira Lima - me empolguei andei tomando na veia 3 dias por semana injeção de anilina azul para não perder a tonalidade real(a piada é do imortal Barão de Itararé.) Depois do reizinho matador de elefantes - prefiro meu sangue vermelhão. Quanto a opinião do Aristóteles Drumond não me surpreende,sua ideia de democracia sempre foi a democracia de uma única via. Dizer que o generalíssimo Franco um amante da liberdade - só Aristoteles Drumond mesmo. Grande abraço Pedro Luiz

nena em 25 de abril de 2012

Manoel carlos é um babaca...Toda ação tem uma reação..meus queridos elefantes com sua vibração de energia deram uma lição no rei..o ser humano está caçando a si mesmo...

OCTAVIO em 24 de abril de 2012

Em Tempo: de lamentar, somente a matança de elefantes. Esse é o único ato a ser reprovado.

OCTAVIO em 24 de abril de 2012

Estardalhaço desnecessário. Radicalmente objetivo digo: embora a função, é homem, é humano, portanto passível de qualquer ato que da gentalha ninguém cobra por ser banal. Digo mais, todos, eu disse TODOS os que estão malhando já fizeram, fazem e continuarão fazendo pior, mas, ausente o sangue azul, vão continuar no limbo, invisíveis, desimportantes.

rere em 24 de abril de 2012

Essa princesa aí é meio bofenta. Esse rei também é um sacripanta por caçar elefante na Africa. Espanhol adora matar bicho. Eta, povinho violento!

manoel carlos em 23 de abril de 2012

daqui a poco vai ser crime ate matar galinhas. viva o REi! sou a favor da caça.

Rodrigo em 23 de abril de 2012

Para que um Pais precisa de rei sendo que ja tem um primeiro ministro, só para manter estatus, em plena democracia monarquias ainda são bancadas com dinheiro do povo. Absurdo.

vera em 22 de abril de 2012

Que prazer pode ter um boçal ao caçar um pobre animal? por que a espécie humana não deixa as outras espécies em paz? O rei, esse empresário, essa inútil que organizou o safári, e outros que praticam a morte de animais por prazer, deveriam morrer sentindo a dor que causaram aos animais que mataram depois de longa agonia. Malditos.

ANTHONY KUDSI RODRIGUES em 22 de abril de 2012

Apesar de não "entender" porque ainda existem monarquias no mundo, pois eles não tem "sangue azul" coisa nenhuma,é claro, tem as mesmas necessidades fisiológicas de qualquer mortal, inclusive de dar "umas chineladas" de vez em quando.

veiaco em 22 de abril de 2012

Agora esta explicado. Entre perder a Rainha, preferiu perder o cavalo, digo elefante. O Rei volta a ter minhas considerações. A foto com o elefante foi só para enganar a torcida.

julio em 21 de abril de 2012

O Rei perdeu a coroa e ganhou a princesa.

aristoteles drummond em 21 de abril de 2012

obrigado pela atenção . Voce e meu caro Augusto Nunes, a quem devo a liberdade de escrever por dez anos na pag 2 do "Estadão" formam na linha de resistencia democratica da nossa imprensa . O talentoso Reinaldo por vezes se deixa levar pela fértil imaginação e certo emocionalismo , mas é outra presença de personalidade e muita cultura.Parabéns! Obrigado, Drummond. Durante os últimos dois anos do período em que o Augusto foi diretor de Redação do Estadão, eu era seu editor-chefe, e, entre minhas muitas tarefas, tinha a de editar a página 2. Artigos seus passavam rotineiramente por minhas mãos. Um grande abraço.

JOSÉ ALBERTO em 21 de abril de 2012

Deixem o Rei em paz. O AMOR É LINDO...

aristoteles drummond em 21 de abril de 2012

me fascina esta tribuna livre dos comentarios nos sites da midia em geral. Afinal o pluralismo no Brasil na área sempre foi escasso pelo império do "politicamente correto" criação maquiavélica das esquerdas . Mas acho que os comentarios devem ser assinados , como são no Facebook . Quem quiser dar sua opinião, participar de um debate, integrar ativamente o dialogo de leitores de um jornalista de renome , como é o caso dos de VEJA , deve mostrar a cara . Daria maior seriedade. Imagino o teor dos comentarios que não atendem as regras para aprovação aqui vigentes. Em outros sites é livre , sendo comum o uso de palavras chulas e conceitos desumanos , como, por exemplo, muitos que li em torno das enfermidades dos ex-presidentes Lula e Sarney , que se merecem criticas merecem respeito pelos cargos ocupados . O que acha disto? Acho que você tem absoluta razão. Para tanto, teríamos que começar de novo, impondo regras às quais muitíssimos internautas não estão acostumados. Para você ter uma ideia, caro Aristóteles, algo como 80% dos comentários que recebo são, visivelmente, de leitores que assumem uma identidade na Web que não é a sua. O correto seria fazer como você diz. E tenho pensado em levar este debate aqui na VEJA. O Augusto Nunes pensa parecido. Um grande abraço

aristoteles drummond em 21 de abril de 2012

a luta na frente russa não fi ao lado de Hitler , mas sim contra o comunismo . Garrote vil foi para assassinos teroristas , mesmo que se condene a pena de morte, ali era questão de combater o terorismo que matou inclusive um heroi nacional, o Almirante Carrero Blanco . Mão de ferro ? quem não estivesse satisfeito podia sair, nada parecido com Cuba . Nenhum bem foi confiscado , não existia baderna nas ruas,segurança publica total - na Italia e em Portugal idem - . Recebeu apoio de Hitler mas nã retribuiu e salvou dezenas de milhares de judeus , dando passaporte espanhol a quem nem sabia falar o idioma . Sejamos realistas-em termos historicos- e não passionais . A alternativa a Franco era o comunismo, pensava o grande Churchill.... os livros e documentos registram.... assim como a,ligação do regime com a Igreja, o General- o mais jovem da Europa - antes do Poder é claro - era homem de forte formação cristã. Caro Aristóteles, Respeito sua opinião, claro, tanto é que a publico. Mas fico com a minha. Um abraço -- e volte sempre ao blog.

carlos em 21 de abril de 2012

Este rei é uma anedota como pode um pais suportar um exemplar destes, desculpas da treta para enganar os pacovios, com tantas quedas so da prejuizo.

duduvieira10 em 21 de abril de 2012

Nossa!!! mas se eu fosse Rei também perderia a cabeça!! Mas morreria feliz!!

RONALDE em 21 de abril de 2012

Famílias reais têm que preservar a tradição de escândalos que se conhece lendo livros de história.Nada mudou nesses séculos passados, vide família real inglesa. Sem surpresas.

wilson em 21 de abril de 2012

Para cavalo velho capim novo.

Bruno Guerra em 21 de abril de 2012

Caro Setti, . 1. Sou um monarca convicto, das monarquias parlamentaristas do sec XXI que "competem" com outros sistemas de governação existentes. Sem entrar em muitos detalhes penso em países como a Holanda, a Suécia, Dinamarca, Japão, entre outros. . 2. Para aqueles que aprendem com a história poderemos hoje afirmar que ser politico é cuidar 90% da re-eleição. Ora, o que corrompe a politica de hoje mundo afora é isso mesmo. . 3. De um Rei ou Rainha não se esperam grandes medidas economicas ou sociais. Isso cabe ao executivo, coisa que os monarcas não são (hoje). Mas espera-se que eles, monarcas, sejam um espelho de valores continuos ou constantes que se espera ter na sociedade. Diria valores intemporais. Mas que sofrem um forte processo de erosão quando os mesmos estão dependentes dos politicos eleitos ou já profissionais de carreira (ou será de cachoeira ?). . 4. Sendo um monarca um exemplo para a sociedade, ele também é humano e erra. Mas por não ser eleito pode ter a humildade de se desculpar quando erra e com isso evitar repetir pois aprende. Quando o faz também está dando um exemplo para a sociedade: o erro » a admissão » o aprendizado. . 5. Os politicos nunca pedem desculpa. Sempre arrumam desculpa ou outros culpados. Eles nunca erram, pois isso coloca em risco o seu objectivo - a re-eleição. . 6. Juan Carlos errou e admitiu o erro. Que aprenda e não faça de novo. . 7. Juan Carlos sempre (dizem ... de muitos e longos anos) foi um ... verdadeiro D. Juan ! Não sei se esse valor - da fidelidade - é, no Sec. XXI, um daqueles valores intemporais que desejamos reflectir na sociedade. Sem duvida que a infidelidade nunca será uma qualidade. Outro Carlos, em Inglaterra, já tropeçou bastante nesse assunto... . 8. No que me toca, realmente Corinna é uma princesa :) dificil de resistir ! Mas eu posso... . 9. É tudo, sigamos agora para um bom banho de cachoeira, onde uma vez mais veremos expostos os verdadeiros valores que hoje em dia orientam a maior parte das sociedades mundo afora. Pois, na realidade, não se trata de um exclusivo Brasileiro. As proporções ou dimensões dependem de caso para caso, nada mais. . Abr, BR

Pedro Rian em 21 de abril de 2012

Que fofocão!!!!!!!!!!!!!!!!!!

carlos RJ em 21 de abril de 2012

Lá como cá, sempre tem um empresário envolvido, alguém que facilita a vida dos governantes, pra conseguir muito mais beneces para os seus negocios, ou seja lá tambem falta vergoha na cara

aristoteles drummond em 21 de abril de 2012

a midia espanhola dedicada a realeza, aos artistas e milionários é muito criativa. E o publico local adora esta futricaria toda . O Rei teve um papel importante na pacificação e consolidação democratica da Espanha . Foi muito bem orientado pelo General Franco, responsável pela unidade espanhola e pela democracia que ele preservou das investidas da União Soviética . O mundo seria outro se os comunistas, com forte apoio soviético, embora levando para Moscou as reservas de ouro do país , tivessem vencido a guerra civil. Esta onda toda especulativa parece passar dos limites do respeito a privacidade de um cidadão, muito mais de um monarca. A onda passará e os intrigantes e republicanos é que não passarão......... Franco preservou a democracia? Que piada sinistra! Comandando com mão de ferro uma ditadura fascista, que enviou tropas para lutar ao lado de Hitler na frente russa, fuzilando adversários, condenando oposicionistas à morte horrenda pelo garrote vil, governando sem Legislativo e com um Judiciário de capachos, com censura à imprensa, sindicatos proibidos, prisões e campos de trabalhos forçados recheados e centenas de milhares de espanhois no exílio? Ufa...

José Figueredo em 21 de abril de 2012

Safadinho o espanhol...sangue latino...um verdadeiro DON JUAN...hehehe!

Reynaldo-BH em 20 de abril de 2012

Dizem as más línguas que o Rei está se sentindo humilhado não pela ausência no momento que o país está em crise, nem pela viagem paga por terceiros ou ainda o abate covarde de elefantes. O que doí fundo n'alma real é que a fratura do quadril não se deu na caçada. Mas no quarto... Que desagradável!!!

Julio em 20 de abril de 2012

Ricardo, acho muito curiosa sua afirmação como “fiador da democracia” sobre o rei da Espanha. Pessoalmente, na história da qual sou testemunha e acho que somos contemporâneos, aprendi que o fiador único e insubstituível de qualquer regime é sempre “o povo”. Seja ele democrático como o espanhol, tirânico como o do Irã, monocrático como alguns árabes, ou até mesmo comunista como o da China ou Cuba, é sempre o povo o responsável por sua instauração assim como por sua manutenção e/ou derrocada. Até certo ponto, claro (o poder das armas é inibidor). No caso do Irã, por exemplo, se agora não vai mais de acordo com o que esperava o povo, ou o chinês, está claro que é uma questão de tempo e o povo muda o processo, ainda que sob o custo de muito sangue. Tancredo Neves, político de biografia não tão excepcional, mas de visão aguçada e perspicaz, talvez tenha enxergado essa condição quando proferiu o famoso : “Não nos dispersemos”. A Espanha saiu do período de Franco com apoio popular e a opção pela monarquia foi talvez uma forma de manter um ícone, uma espécie de símbolo a seguir como forma de se libertar de si mesma. Assim penso eu. Um abraço, Julio

Lctama em 20 de abril de 2012

Uma duvida, Sergio Cabral se inspirou no Rei Juan Carlos ou foi o contrário?

Julio em 20 de abril de 2012

Ricardo, permita-me um comentário sagaz. O rei está nu, mas em maravilhosa companhia. Hahahahah, muito boa... Mas o caso está arranhando a imagem até agora impecável do Rei como homem público e fiador da democracia na Espanha, justo num momento em que o país vive uma grave crise econômica, de confiança, de esperança. Reconheço, porém, que a piada é excelente. Abração e volte sempre!

Lecen em 20 de abril de 2012

Parece que o Rei foi caçar algo (alguém?) além mais dos elefantes... e caçou bem. Em tempos de "presidenta" grosseira e pouca atrativa, é bom ver algum Chefe de Estado alegrando o grande público (senta, Bellursconi, não estou falando de você).

Andrea em 20 de abril de 2012

desculpas não vão trazer de volta a vida dos animais mortos F.D.P!!! e essa wadyah que o acompanhou merecia também soco na cara.

Lenira29 em 20 de abril de 2012

o que faz a osteoporose numa 'pulada de cerca'...

silvia em 20 de abril de 2012

A casa real espanhola caiu ! tadinha da SOFIA.

Mari Labbate *44 Milhões* em 20 de abril de 2012

As Monarquias Espanhola e Britânica estão extinguindo-se, pois UM DIA O PALÁCIO CAI! O Século XXI não comporta mais reis e rainhas, consumindo dinheiro público e expondo suas imoralidades. SEM PERDÃO: JUAN CARLOS e ELIZABETH. Ambos contumazes e desnecessários caçadores!

Mané Fernandes em 20 de abril de 2012

Parece que não foi apenas o neto do Rei que deu um tiro no pé. Esses reis de hoje em dia, nem pontaria boa.

Marco em 20 de abril de 2012

Amigo Setti: Sem examinar a fundo isso, mas a respeito de bom gosto feminino, o Rei tá absolvido, tanto pela belíssima Rainha, como pelo o novo desejo. Abs.

Luiz Pereira em 20 de abril de 2012

Setti, boa tarde, Pelo visto, o Rei anda a caçar panteras, isso sim! E sua mira anda ótima! Abs

Mairalur em 20 de abril de 2012

Que fofoqueiros, esses espanhóis, hein? E a gente pensando que só nós o fôssemos! Só pelo "por qué no te callas" para Chávez, o rei danadinho merece uma segunda chance.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI