Image
Reunião da em geral moderada Confederação Nacional do Comércio: subindo o tom para criticar a política econômica do governo (Foto: CNC)

Críticas ao “Estado leviatã, burocrático e opressivo”, com “baixa eficiência na gestão administrativa”, à sua “excessiva dimensão”, com “inúmeras superposições administrativas distribuídas por 39 ministérios, 78 autarquias, inúmeros conselhos e fundações”, aos “danos causados” pela gestão do governo à Petrobras e à Eletrobrás e à excessiva carga tributária foram o resultado da reunião de hoje, no Rio, da normalmente moderada diretoria da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Nota publicada no site da entidade manifestou “grande preocupação com o atual cenário da economia brasileira e sua evolução a curto e médio prazos”.

O veterano presidente da CNC, Antonio Oliveira Santos, há 33 anos no comando da entidade e flexível o suficiente para manter bons relacionamentos com sucessivos governos de diferentes orientações, desta vez subiu o tom, lamentando o baixo crescimento da economia somado aos desequilíbrios em alguns setores — citou o permanente déficit fiscal e crescimento da dívida pública — e queixando-se da inflação, da estagnação industrial, da deficiente infraestrutura dos transportes e do desequilíbrio do balanço de pagamentos.

Tudo isso, afirmou, exige correções de rumo na administração pública, sob pena de prejuízos ainda maiores para o país.

— A nosso ver, todo esse conjunto de entraves resulta, basicamente, da excessiva dimensão a que chegou o Estado brasileiro, com inúmeras superposições administrativas distribuídas por 39 Ministérios, 78 autarquias, inúmeros conselhos e fundações — disse Santos. — Esse Estado leviatã, burocrático e opressivo, de baixa eficiência na gestão administrativa, representa, hoje, cerca de 40% do PIB nacional, absorvendo e comprometendo significativa parcela da poupança privada que deveria financiar os investimentos mais essenciais.

A nota oficial sobre a reunião salienta, a certa altura, que “na avaliação da Confederação, a excessiva carga tributária e a crescente burocracia oficial, assim como os desvios da administração pública na utilização e gestão dos recursos fiscais, acarretam a perda de dinamismo da economia nacional e promovem o agravamento das pressões inflacionárias”.

Quanto às duas maiores empresas nacionais, a Petrobras e a Eletrobras, “estão sendo sacrificadas em sua situação financeira e patrimonial, em função da política de combate à inflação”, disse Santos, lembrando o fato de que, em menos de dois anos, a Petrobras perdeu 43% de seu valor patrimonial e a Eletrobras 70%, em detrimento dos acionistas minoritários. “É fundamental restabelecer o sistema de preços que fornece sinais que levam à melhor alocação dos fatores de produção e reforçam a democracia”.

O presidente da CNC pediu que o governo reveja suas posturas, “a começar pela redução da excessiva carga tributária e da sufocante burocracia oficial, além do restabelecimento do clima de confiança do setor empresarial, fundado nos princípios de segurança jurídica que devem presidir a maior liberdade de funcionamento do mercado”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 18 =

Nenhum comentário

marize em 17 de março de 2014

Governo, que governo??? Isso é embromação, para não largar o osso.

geroldo zanon em 17 de março de 2014

Para gerir nossa economia tem que chamar o FHC e sua turma que implantaram o REAL do contrario vão acabando falir o BRASIL

Marcelo em 15 de março de 2014

Se história puder nos ajudar em alguma coisa, então vejamos: "O Orçamento Nacional deve ser equilibrado. As Dívidas Públicas devem ser reduzidas, a arrogância das autoridaes deve ser moderada e controlada. Os pagamentos a governos devem ser reduzidos, se a Nação não quiser ir à falência. As pessoas devem novamente aprender a trabalhar, em vez de viver por conta pública" MARCUS TULLIUS - ROMA, 55 a.C

Toninho Malvadeza em 14 de março de 2014

Seria esse o início do fim do PT ? Tomara...

DIZ em 14 de março de 2014

Será que ainda dá para consertar?????? Ou só Chapolin Colorado é que poderá nos salvar????

Vai prá Cuba, PT!!! em 14 de março de 2014

Essa postura revela que esse governo está desacreditado interna e externamente.

Roberto Silva 51 RJ em 14 de março de 2014

Demoraram 12 anos para manifestar preocupação com o destino do Brasil. Enquanto o governo favoreceu o segmento com seguidas medidas incentivadoras do consumo, ninguém se manifestou, embora todos soubessem o tamanho do abismo para o qual o país estava sendo conduzido pelos lulopetistas. Agora reclamam do desgoverno e das iniciativas totalmente equivocadas da máquina lulopetista. É lamentável que empresários somente se manifestem em situações em que suas empresas estejam sendo prejudicadas.

Server em 14 de março de 2014

Caro Setti , todos que conheço acreditam que para conseguir o que a CNC pede ao governo , só mais adiante , através do VOTO. Estou desconfiado demais , com medo de FRAUDE. Abaixo tem os coments Eleições 2014 , Vamos mudar etc. . Mas pergunto e se a empresa das URNAS for a DIEBOLD ?

Marcello Castellani em 14 de março de 2014

Acreditar que Dilma, a essa altura do campeonato, mudará o rumo do Titanic que ela criou tão diligentemente é acreditar que um dia nossas galinhas terão dentes. Essa criatura tôsca fará o mesmo que fez com sua lojinha de R$ 1,99 nos idos anos 80. Temo pelo futuro do país, de nossos filhos e netos, caso essa turma incompetente do pt continue no comando. Que dilema!

A.M.A em 14 de março de 2014

Eleições 2014! Vamos mudar o Brasil! **** Não podemos esquecer #SOSVENEZUELA - Atenção para figura criticando Dilma e demais presidentes da América do Sul: https://pbs.twimg.com/media/Biph2eLIQAAOcrh.jpg:large

MILTON SIMON PIRES em 14 de março de 2014

POR QUE NÃO SOU PETISTA Milton Pires Eu não sou petista por que acredito: 1. No Esforço; não na Inveja. 2. No Trabalhador; não no Sindicato. 3. Na Ciência; não no Aquecimento Global. 4. No Ser Humano; não na Cor da Pele. 5. Na Música; não na Obscenidade. 6. Na Literatura; não na Autoajuda. 7. Na Pintura; não na Esquizofrenia. 8. Na Mulher; não na “Diferença de Gênero” 9. Na Medicina; não nas Eleições. 10. Na Filosofia; não no Fanatismo. Eu não sou petista, porque acredito que toda Caridade se faz em silêncio...que a verdadeira Justiça não é desse Mundo, e que longe de Deus não há Salvação... Porto Alegre, 14 de março de 2014

Carlos em 14 de março de 2014

Ontem, no JN, o governo anunciou que vai cobrar mais impostos para cobrir o rombo da conta energia. E, no ano que vem, pagaremos de novo com aumento na fatura. E fica assim: descaradamente o governo anuncia que vai nos roubar mais com mais impostos e tudo bem. Daqui ha algum tempo, trabalharemos onze meses do ano só para pagar impostos. Ou, trabalharemos de graça num país comunista.

rodolfo em 14 de março de 2014

Ricardo, esse tweet levantou a bola pra ti: não estaria na hora de Lula falar? https://twitter.com/deboracruz/status/444263985349947392 Você tem toda razão. Vou tratar, sim, do assunto. Obrigado pela sugestão! Um abraço

Marcus Guedes em 14 de março de 2014

Setti, brilhante a sua repercussão quanto à reunião da Diretoria da CNC. Elevada e criminosa carga tributária; taxas de juros mundialmente campeãs; peso dos encargos trabalhistas sobre a folha de pagamento das empresas, que nos torna uma economia campeã dentre as principais economias industriais do planeta; burocracia enervante e ineficienta; macrocefalia estatal; inoperância e corrupção desenfreada; "trabalho semi-escravo" imposto a médicos cubanos, passível de rigorosa investigação por parte do Ministério Público do Trabalho (que tem de nos dar uma resposta); black blocs e rolezinhos; financiamento sem a devida publicidade pública à construção do Porto de Mariel, em Cuba; perda de valor das ações da Petrobrás na Bolsa de Valores; lucros estratosféricos dos conglomerados financeiros, fruto de elevadas taxas de juros cobradas sobre empréstimos; prestação de consultoria de ex-presidente da República a empresa(s) nacional(is) junto a governos ditatoriais na América Latina com o objetivo de receber pagamentos a elas devidos junto a outras economias regionais; defesa alienada de regimes ditatoriais em Cuba, Venezuela, Bolívia e similares. Tudo isso, dentre outras ações esquerdoPaTas, fazem do nosso atual moribundo governo um exemplo clássico de desrespeito à nossa democracia republicana. Basta!!! O povo brasileiro tem de dar um Basta nisso. O povo - que constitui esta Nação - não pode perder o seu poder de indignação com o que está acontecendo. É isso que está repercutindo nesse posicionamento da CNC. Parabéns aos empresários do segmento do comércio de bens, serviços e turismo, que estão a lançar este manifesto de insatisfação, de verdadeira indignação com o que está acontecendo com a Nação Brasileira!

Marco em 13 de março de 2014

D. Setti,nunca vi uma gestão pública tão absurda como essas do PT,excessos de desvairados companheiros, com levantes populistas e populachos. Um crime contra a estrutura econômica. E o mais grave é o colapso tributário como ato de terror contra iniciativa privada.Jamais vi tamanho prejuízo e violência publica contra a produção. Aqui, no RS para mim esta participação do estado já é acima de 60%. Abs.

Daniel de Alencar em 13 de março de 2014

Boa noite, Ricardo Setti. Sinto que os candidatos desta próxima eleição, não convergem a ideologia maciçamente conservadora da população. Dilma (Esquerdopata e apoia o Comunismo),Eduardo Campos(de Esquerda e procura mostrar para a população que segue os passos de Lula, outro lunático) e finalmente Aécio Neves (Que também parece seguir os caminhos do esquerdismo, mas que mantem alguma coisa que sobrou do Liberalismo no aspecto Econômico. Eu lhe pergunto: 1º Esta Eleição, está perdida? (ficamos à espera de um novo partido? 2º Como esta crise de identidade que sofre o povo Brasileiro, pode ser resolvida? 3º Em quem votar? 4º A que ponto a Mídia é controlada pelo Governo? 5º O que você pensa sobre uma possível intervenção, que os militares então consideram? Grande Abraço! Você faz perguntas difíceis, caro Daniel, e algumas afirmações com as quais não concordo. É, por exemplo, um total disparate -- você me perdoe a sinceridade -- achar que o senador Aécio Neves "parece seguir os caminhos do esquerdismo". Aécio é um democrata liberal com simpatia pelo capitalismo moderno e por um Estado enxuto e regulador, nos moldes do que pretendia o presidente Fernando Henrique. Mas vamos tentar responder a você, tarefa complicada e difícil: 1. Acho que a eleição não está ganha por Dilma, não. Como candidata, Dilma é confusa, atrapalhada, péssima oradora, sem carisma e dirige um governo confuso que pouco realizou e que está conduzindo o país a uma situação muito perigosa. É óbvio que isso será muito explorado na campanha eleitoral, que não vai ser fácil para a presidente. 2. Não sei responder. Presumo que uma liderança nova, com ideias avançadas, otimismo e um programa de governo que priorize de forma brutal a educação, tirando crianças e jovens do ócio e da rua e colocando em tempo integral na escola, com esporte, assistência médica, lazer, música etc -- é perfeitamente possível, temos recursos para isso -- pode começar a virar o baixo astral. 3. Não me cabe dizer em quem votar, pela própria natureza da função que exerço aqui no blog. Mas acho que, sim, existem opções a "isso que aí está". 4. O governo não "controla" a grande mídia, mas a influencia. No geral, acho que a grande mídia ainda mantém razoáveis de focos críticos ao governo. 5. Uma "possível intervenção militar" seria uma tragédia absoluta, faria o país regredir 50 anos na história e transformaria o Brasil num pária junto aos grandes países. Para mim, como para qualquer democrata, não existe essa possibilidade e é algo que nem deveria ser mencionado. Os militares têm que obedecer a governos eleitos pelo povo, conforme a Constituição e como ocorre em todos os países civilizados e decentes do mundo. Abraço

Meia Verdade em 13 de março de 2014

"Venderam a preços de banana as empresas brasileiras"...,......só quero saber quanto vale as empresas administradas por esse governo ?

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI