A serviço de Playboy, entrevistando a atriz Yoná Magalhães em seu auge, durante a novela “Roque Santeiro”, em 1986. Era minha primeira passagem pela revista que eu viria a dirigir mais de 10 anos depois. Gravamos seis horas de conversas em três sessões, em sua casa na Gávea, Rio, e onde é hoje o Projac.

Com isso, pude assistir às gravações das cenas finais da novela. Não me esqueço de José Wilker, o Roque Santeiro, chegando à sala dos atores numa confessada e tremenda ressaca e desabando, deitado, num sofá, até chegar a hora de se preparar para entrar em cena.

Naquele dia, entre outros, conheci um gentleman chamado Tarcisio Meira, pelo qual os colegas demonstravam algo próximo à veneração.

(Foto: Irineu Barreto Filho)

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + três =

1 comentário

rosa em 31 de dezembro de 2016

Kd a entrevista? Cara Rosa, desculpe a demora na resposta. Você visitou -- e agradeço por isso -- a área de fotos do site. Aqui, portanto, só há fotos. Mas, de fato, a entrevista de Yoná Magalhães deveria estar (e estará) disponível num link. O site, porém, ainda está em construção e não se pode considerar como pronto. Você há de compreender que, em 50 anos de jornalismo, acumulei um material muito grande. É preciso selecionar, escanear, subir para o site, fazer títulos etc etc. Talvez eu tenha cometido um erro já divulgando o link do site pelo Twitter, mas acredito que, com respostas como esta, os amigos visitantes compreendam. Avisarei pelo Twitter quando voltar a escrever no site, cuja home page será muito alterada, com o objetivo de agilizar a navegação. Um abraço

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI