Image
As quatro protagonistas de “Atlas de Geografia Humana”: filme espanhol que, para passar na Catalunha — onde todos falam espanhol –, foi dublado em catalão (Foto: filmin.es)

Amigos do blog, volta e meia tenho comentado os extremos de delírio a que chegam os nacionalismos de algumas regiões da Espanha, como o País Basco e a Catalunha.

Recentemente mencionei a delirante ideia de um governo provincial basco de extrema esquerda de realizar um censo para constatar quantos são os “bascos puros”, à moda da Alemanha nazista, como se isso fosse possível em se tratando da raça humana.

De outra feita, mencionei como, na Catalunha, a questão linguística é levada a extremos, não raro ridículos, como o ocorrido em 2010 quando da visita de uma delegação de parlamentares da Nicarágua ao Parlamento catalão.

Os deputados catalães, todos, é claro, absolutamente fluentes em espanhol desde o nascimento— com frequência, mais fluentes em espanhol do que em catalão –, exigiram, para conversar com os nicaraguenses, a contratação (com dinheiro público) de especialistas em tradução simultânea do espanhol para o catalão, como se os nicaraguenses fossem turcos, iranianos ou uzbeques, e não produtos da colonização hispânica das Américas.

Image
O cartaz do filme baseado no livro de Almudena Grandes

Pois bem, esta semana resolvi assistir a um filme baseado no romance Atlas de Geografia Humana, de Almudena Grandes, uma das mais bem sucedidas escritoras da Espanha. Havia lido o livro — quatro mulheres que trabalham juntas, numa editora, cada uma em uma função, na confecção de um guia com esse conteúdo e cuja história acaba sendo, também, uma excursão pela geografia humana de cada uma delas.

Fiquei curioso por ver o filme, que passava na TV3, emissora estatal da Catalunha, a região mais rica e desenvolvida da Espanha.

Pois bem, amigos, pasmem: a emissora estatal, com dinheiro público (naturalmente), fez com que o filme – falado em espanhol, idioma que todos os 7,5 milhões de habitantes da Catalunha dominam perfeitamente – fosse dublado em catalão!

Sem mais comentários, a não ser o fato de que, aos trancos e barrancos, consegui assistir e entender boa parte dos diálogos.

E de que, para variar, o filme não chega aos pés do livro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + dezoito =

Nenhum comentário

Ricardo ( Highlander) em 12 de junho de 2012

Kaixo..!! By the Way, I Don´t Care about spaniard , spanish or etc. Euskara Uber Alles..!! GORA EUSKAL HERRIA ASKATUTA..!! FREE CATALUNYA..!! FREE GALIZA CELTA..!! Agur..!!

Ricardo ( Highlander) em 12 de junho de 2012

Kaixo..!! Ahahaheuahahaheua , Basque Country´s Not spain(or even france): check it in your``conscience´´mr. GORA EUSKAL HERRIA ASKATUTA..!! FREE CATALU NYA..!! FREE GALIZA CELTA..!! Agur..!!

Ricardo ( Highlander) em 12 de junho de 2012

Kaixo..!! Aye Sir , in english..!! And,if you wish,no problem, I can write in Many other Languages ,except in spaniard. GORA EUSKAL HERRIA ASKATUTA..!! AURRERA EUSKADI..!! FREE CATALUNYA..!! FREE GALIZIA CELTA..!! FREE NORTHERN IRELAND..!! FREE TIBET..!! FREE PALESTINE..!! FREE UYGHUR..!! AGUR..!! Hahahahaha, "spaniard" is not a language, hahahahaha... Check it in a dicionary.

Ricardo ( Highlander) em 09 de junho de 2012

Kaixo..!! GORA EUSKAL HERRIA ASKATUTA..!! AURRERA EUSKADI..!! NATIVISMO & AUTO DETERMINAÇÃO DOS POVOS SEMPRE..!! DEFESA DO IDIOMA NATIVO & BOICOTE A LÍNGUA DO INIMIGO INVASOR..!! FREE CATALUNYA..!! FREE GALIZA CELTA..!! FREE NORTHERN IRELAND..!! Agur..!! Catalunya, Galiza etc... em inglês?

Ricardo ( Highlander) em 09 de junho de 2012

Kaixo..!! Ez Dut Ulertzen espaniako..!! Aurrera Euskadi..!! Gora Euskal Herria Askatuta..!! Free Catalunya..!! Free Galiza Celta..!! Agur..!!

carlos nascimento em 27 de maio de 2012

Ricardo, Se possível me confirme, por aqui estão anunciando a venda das operações do Santander ao Bradesco, e por ai o que está rolando ? O Santander é o maior banco da Espanha e, em todo o sistema bancário espanhol, é o que está em melhores condições, ainda que tenha tido sua nota rebaixada recentemente pelas agências de classificação de risco, como vários outros. Tem recursos próprios para fazer frente aos problemas detectados.

joão batista de souza em 26 de maio de 2012

Esses arroubos nacionalistas beirando a xenofobia proporcionam essas situações grotescas, no curso da história, como todos sabem, muitas linguas desapareceram, foram incorporadas por outras, são situações decorrentes de fatores como o comércio, principalmente, as guerras, os romanos impuseram a sua língua, ela ficou como raiz para as outras, inclusive a nossa, os russos não conseguiram impor a sua durante a cortina de ferro, os espanhois durante a colonização tiveram sucesso, tal qual os portugueses, de modos que assim, existe no nosso país uma facilidade de comunicação que é o ponto central da questão. Imagine-se a confusão, por exemplo, o filme Tropa de Elite sendo traduzido para a língua geral nativa do brasil, seria só um exagero.

Pedro Luiz Moreira Lima em 22 de maio de 2012

Amigo Setti: Obrigado pela informação,tnha lido que a língua da catalunha corria risco de desparecer,dái minha colocação. Meu abraço Pedro Luiz Caro Pedro Luiz, o idioma que corre o risco de desaparecer na Catalunha, com sucessivos governos nacionalistas, é o espanhol (ao qual só se refere aqui como "castelhano", diferentemente do que ocorre no mundo inteiro). Todo o ensino público e boa parte do privado na Catalunha é oferecido em catalão. Os garotos da escola pública só têm DUAS HORAS por semana de espanhol, e os nacionalistas mais radicais lutaram com todas as suas armas quando o governo anterior quis, modestamente, subir para TRÊS horas. Uma vez mais vi gente que se diz "progressista" defendendo MENOS CONHECIMENTO aos jovens. Já há jovens catalães que escrevem mal em espanhol, e, portanto, perdem competitividade em empregos e bolsas de estudos DENTRO DA PRÓPRIA ESPANHA. Veja o absurdo. Fatos assim foram a razão de um polêmico manifesto em defesa do idioma espanhol lançado há ano e pouco por um grande número de intelectuais, tendo a frente o escritor Mario Vargas Llosa, que, além de peruano, tem a nacionalidade espanhola. Um abração

carlos nascimento em 21 de maio de 2012

Ricardo, Aproveitando que vc encontra-se na Espanha, veja se pode nos auxiliar com informações críveis a respeito das agressões morais que os turistas brasileiros estão tendo de enfrentar quando de seus desembarques em solo espanhol. O JN em sua edição de hoje, veiculou matéria sobre o assunto, tendo apresentado o caso vivenciado por um Artista Plástico da Bahia, que sofreu as piores humilhações, ao final de 36 horas recolhido em cativeiro privado, sob condições insalubres, foi deportado, pior ainda, foi embarcado sob forte escolta policial,causando traumas, revolta, indignação, apesar do cidadão ter apresentado todos os documentos necessários. Será que a democracia Espanhola está enferma, ou talvez seja o desespero da crise. Abraços Carlos Nascimento. Caro Carlos, esses casos infelizmente ocorrem de fato. A esmagadora maioria dos brasileiros não tem problemas para entrar no país, mas, em geral por puro preconceito, policiais e outras autoridades espanholas cometem essas arbitrariedade. Não foi por outra razão que o Itamaraty resolveu aplicar o princípio da reciprocidade em relação aos cidadãos espanhois que viajam para o Brasil, que agora, teoricamente, devem apresentar documentos, ter bagagem revistada etc. Não acredito que a democracia espanhola esteja enferma nem que seja decorrência da crise. Ocorre que a Espanha é um dos países mais vulneráveis da União Europeia à imigração clandestina -- sobretudo por ter duas cidades-enclaves no Marrocos, do outro lado do Mediterrâneo, mas não apenas por isso --, e essa circunstância torna alguns policiais e agentes alfandegários mais realistas do que o rei. O Itamaraty deveria protestar a cada caso, até que se tomem providências contra funcionários que cometem abusos, o que até agora não tenho visto registrado pela mídia daqui. Um abraço

Pedro Luiz Moreira Lima em 21 de maio de 2012

Amigo Setti: A língua da catalunha é praticamnte uma lingua desaparecido,assim como irlandes arcaico e ainda falado,na China em certos lugares,no Brasil as linguas dos índios. Pergunto: 1- Na China,o governo chinês,incentiva a pratica desses idiomas alfabetizando as populações em seus idiomas e mandarin. 2 - na Funai o mesmo projeto - o não desaparecimento de dialetos e linguas. Ao invés do nacionalismo extremado - a preservação de uma lingua para o não desaparecimento,se for considero um projeto de extrema importancia. Abraços Pedro Luiz Caro Pedro, não sei responder sobre a China. Na Funai, sei que há a preocupação de não deixar desaparecer idiomas indígenas. Mas na Catalunha não existe nada parecido com língua desaparecida, pelo contrário. Há 30 anos existe aqui algo que se denomina "imersão linguística". Todo o ensino nas escolas públicas é em catalão, e o ensino do espanhol está reduzido a duas horas semanais, o que vem criando distorções, protestos e problemas. O catalão é hoje um idioma forte, falado por dez milhões de pessoas (na Catalunha, em Andorra, em áreas do sul da França etc), com uma literatura rica e um movimento editorial muito grande. Dois dos principais jornais da Espanha têm edições em catalão (o veterano "La Vanguardia" e "El Periódico", fora os jornais exclusivamente em catalão que circulam no território, como "El Punt Avui" e "Ara". Sem contar a dezena e meia de emissoras de rádio e canais de TV exclusivamente em catalão. Um abraço

wilson em 21 de maio de 2012

Setti realmente una payasada, No Reino Unido tem O Gaelico,o Dórico e não tem este tipo de coisa. Mas sabe é Espanha não precisa explicar.

Valeria em 21 de maio de 2012

Os maiores problemas da Espanha sao: as comunidades autônomas(com todos os cargos políticos relacionados e claro corrupçao) e o nefasto nacionalismo, sem eles seguramente a econmia espanhola ñ estaría tao mal.

Ailton em 20 de maio de 2012

Seu comentário generaliza ao depreciar os habitantes de um país, tem um tom racista e portanto não posso admiti-lo aqui.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI