Image
Depois do suicídio da mulher que ia ser despejada, um grande protesto em Barakaldo, no País Basco: 10% da população na rua contra o drama social (Foto: elmundo.es)

Quando chegaram os oficiais de Justiça e alguns policiais para comunicar que, por falta de pagamento da hipoteca de seu apartamento, ela seria desalojada de seu imóvel, Amaia Egoña, 53 anos de idade, chefe de recursos humanos de uma empresa de transportes em Barakaldo, no País Basco, e ex-vereadora socialista, subiu a uma cadeira e se atirou pela janela do quarto andar.

Em duas semanas, a tragédia das mais de 400 mil famílias que perderam sua casa por falta de pagamento na Espanha desde 2006 abrangia o segundo suícídio — o outro foi o de um homem em Granada, na Andaluzia, que se enforcou –, sem contar uma tentativa frustrada de outro homem em Valência.

Imersa em brutal crise econômica desde 2008, às voltas agora com uma crise institucional — o governo nacionalista da Catalunha caminha para as eleições regionais do próximo dia 25 com  o firme propósito de declarar a independência –, a Espanha vive sobretudo uma crise social cuja face mais dramática, mais ainda do que o desemprego, que atinge um em cada quatro trabalhadores, é o das famílias que perdem suas casas.

Esse quadro levou à reunião que devem realizar nesta segunda, 12, dirigentes do Partido Popular, do governo, e do Partido Socialista Operário Espanhol, o principal da oposição, na busca de uma solução legal de emergência que preveja, pelo menos, uma moratória nas imissões de posse dos imóveis pelos bancos credores.

Image
Moradores tentam resistir à polícia em El Coronil, na Andaluzia: há casos de policiais que não querem participar de tais ações (Foto: elcorreodeandaluzia.com)

Uma nova lei deverá prever a “dação em pagamento” (a devolução do imóvel quita a dívida) mas, segundo a Constituição, não poderá retroagir para alterar contratos já em curso — e este é um enorme obstáculo à solução do drama que afeta a classe média baixa e a vasta classe média espanhola.

A situação é tal, são tantos os protestos de associações de moradores, a que se juntam vários outros setores, que associações de magistrados estão ameaçando parar por conta própria os processos de retomada dos imóveis, sem contar os policiais que, cada vaez mais, se recusam a participar do que na Espanha se denomina desahucios. Não raro, vizinhos e outros moradores resistem às autoridades em solidariedade aos atingidos, tentando evitar ou adiar o cumprimento da ordem judicial.

Desde 2008, 350 mil famílias viram evaporar-se o sonho da casa própria. Para o ano que vem, prevêem-se mais 250 mil desalojadas. Atualmente, são 523 retomadas de imóveis por dia, baseados numa lei espantosamente dura segundo a qual, diferentemente do que ocorre na maior parte dos países, a entrega da habitação financiada ao banco não liquida a dívida: as pessoas ficam sem teto e continuam com dívidas impagáveis.

(A União Europeia examina a lei, e porta-vozes, numa avaliação preliminar, consideram-na “abusiva”.) Nesta madrugada, um programa de TV trazia um caso típico: um casal com renda de 496 euros mensais (algo como 1.300 reais), três filhos e um imóvel adquirido por meio de um financiamento de 90 mil euros (238 mil reais) há cinco anos.

Sem condições de continuar pagando as prestações, eles perderão a casa e ficarão devendo não os 90 mil euros iniciais, mas, devido a juros, atualizações, impostos e outros encargos, 120 mil euros (318 mil reais), que não conseguirão quitar até o fim de suas vidas.

Não por acaso, os funerais de Amaia Egoña, neste final de semana, foram acompanhados por 10 mil pessoas — 10% da população inteira de Barakaldo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − dois =

Nenhum comentário

Pedro Luiz Moreira Lima em 20 de janeiro de 2013

Setti: Crises e todas de origem financeira e corrupção, as causas da liberação total dos mercados. Faz-se críticas com razão ou não a um Estado que intervenha na Economia, e de outro lado normal e as soluções sempre na defesa das Instituições Financeiras aplaudidas como únicas soluções. EUA e Europa em crises suas decisões anterioriores e atuais não merecem nem ao um menos - Acertaram no passado e ainda acertam no presente? Posso estar enganado mas me parece uma imprensa de somente aplauso a um lado e "pau puro" do outro - uma imprensa de pensamento unico. Abraços Pedro Luiz

moacir em 18 de janeiro de 2013

Setti, Da última vez que li alguma coisa sobre o assunto a Sáenz e a Valenciano estavam tentando cgegar a um acordo sobre os desahucios. A tal lei hipotecária data do princípio do século XX e literalmente diz que os inadimplentes devem ser jogados na rua.E mesmo que todo mundo concorde,mesmo os juízes,que a lei é obsoleta e que absurdamente proteje os bancos em prejuízi dos cidadãos,não se pode faze nada,já que como a nossa,na Constituição da Espanha a Lei não retroage. Em Portugal,parece-me que com a retomada do imóvel a dívida fica quase quitada,como propõe aí,Rafael Mayoral. Eu gostaria de poder acompanhar as notícias sobre este assunto,mas não tenho lido nada ultimamente.

Walter Santos em 18 de janeiro de 2013

Quando em nosso Brasil um trabalhador q ganhe 1500 reais consegue finaciar um imóvel de 230 mil reais, nunca , nunquinha, no maximo um apertamento de 50 mil reais.

Hugo Guiot em 17 de janeiro de 2013

bom texto.

Len em 19 de novembro de 2012

Aqui nossas casas são roubadas, levam tudo e nós também estamos sendo desalojados, muitas pessoas mudam com medo, outras convivem com o medo, outras trancafiam-se em casa.Nós também estamos com gravíssimos problemas.

Pedro Luiz Moreira Lima em 18 de novembro de 2012

Setti: Quanto a mim estou calmo - são as notícias que aqui chegam - se diz que tudo está a mil maravilhas,nada a comentar. Grande e carinhoso abraço Pedro Luiz

Pedro Luiz Moreira Lima em 18 de novembro de 2012

Amigo Setti: Pulo fora do Franquismo!!! - do Fascismo Franquista!!!Achava que o grito era "Abaixo a Inteligência,Viva a Morte!" Achava que o "ARRIBA" fosse um VAMOS,AVANTE e nunca uma saudação Franquista. Obrigado pela chamada de atenção. QAbração Pedro Luiz

Pedro Luiz Moreira Lima em 18 de novembro de 2012

Amigo Setti: Bem, as notícias que temos aqui - Globo e TVs fechada e aberta,Estadão,Folha,TV Bandeirante,Record,STB,TV BRASIL,TV CULTURA fora rádios e blogues limpos e sujos - estão fazendo uma cobertura mentirosa e falsa,aqui as manifestações de ruas na Espanha,Grécia,Portugal e França se estendo por toda Europa - mostra os choques cada vez mais violentos contra a "ORDEM" dos respectivos governos. Culpa a Imprensa por apresentar esta realidade a nós Tupiniquins no Brasil. Ao Luiz Pereira: Lamento não ter entendido,tentarei melhorar na próxima vez. Abraços aos dois Pedro Luiz Calma, Pedro. Uma água com açúcar vai bem... Manifestações de protesto, democráticas, são rotina em países democráticos. Não há um "processo revolucionário" em marcha por causa disso, como imaginou você. Há protestos massivos em vários países, e isso é normal e saudável. Abraço

Luiz Pereira em 18 de novembro de 2012

Pedro Luiz Moreira Lima, Sinceramente, não entendi nada... abs

Pedro Luiz Moreira Lima em 18 de novembro de 2012

Luiz Pereira: Não fui claro em minnhas observação,perdoe. Duas maneiras: 1 - Existe um processo rvolucionário na Espanha - POVO ESPANHOL na derrubada de um governo oprimindo seu próprio povo economicamente e com repressão policial violenta.Esta política a serviço da Banca Financeira Internacional. 2 - Esperança que as manifestaços do POVO consiga derrubar um governo, NÃO da ESPANHA, mais de GERENTES ESPANHÓIS a SERVIÇOS DE INTERESSE EXTERNO. Esperança que este justo movimento do POVO ESPANHOL as FORÇAS ARMADAS JAMAIS ATAQUEM UM POVO DESARMADO - A FORÇA SOMENTE PODE SER UTLIZADA A SERVIÇO DO DIREITO. Termino com minha total solidariedade ao POVO ESPANHOL - ARRIBA ESPANHA LIVRE E SOLIDÁRIA! Abraços do amigo Pedro Luiz Caro Pedro, "Arriba España!" é o grito de guerra tradicional dos fascistas espanhois desde a Guerra Civil. Cuidado! E, se há um "processo revolucionário" em marcha na Espanha, seria bom avisar os espanhois, porque eu vivo aqui e não vejo nada disso, nem eles. Abraços

Luiz Pereira em 17 de novembro de 2012

Pedro Luiz Moreira Lima, td bom? Quem oprime o povo espanhol? abs

Pedro Luiz Moreira Lima em 15 de novembro de 2012

Luiz Pereira: Duas maneiras: 1 - O Povo Espanhol manda para a rua quem os oprime. 2 - Os dominadores e criminosos montam uma repressão dos tempos do Generalíssimo Franco. Nas duas os criminosos e opressores serão derrotados - torcer para que seja pela primeira, sem sangue,morte e dor. Abraços Pedro Luiz

Luiz Pereira em 15 de novembro de 2012

Setti, bom dia, Em sua opinião, como é que se enrosco vai acabar se resolvendo? abs

Pedro Luiz Moreira Lima em 14 de novembro de 2012

Greve na Espanha - panfletos distribuídos nas ruas: "Hoy, 14 de noviembre, 00.00h: Empieza la huelga general en España. Los motivos? Son 5 millones sin trabajo, 500 desahucios (despejo) por día...y ninguna perspectiva de mejoría en los próximos años. La clase media española se depara con la pobreza eminente, los pobres con la miseria y los miserables? Pues no sé lo que les espera... Hoy estarán todos ellos juntos protestando en las principales calles de la ciudad, exigiendo entre otras medidas, la demisión del gobierno actual. Si miramos hacia atrás, los españoles tienen un histórico de luchas políticas: expulsaron los moros de Andalucía; lucharon contra la dictadura de Franco, avanzaron en las reformas sociales en los últimos años. Y hoy, 14 de noviembre de 2012, tienen la difícil tarea de cambiar el rumbo de la política económica actual, dictada por un país que empieza por la letra A. Pedro Luiz

Leonardo Saade em 13 de novembro de 2012

Caro Pedro Luiz, agora eu só concordo com você: não há ideologia nem idéias que fiquem acima do respeito e da cordialidade. Obrigado pelas palavras!

AlexRio em 13 de novembro de 2012

ricardo - 12/11/2012 às 19:43 Me desminta se puder.

Pedro Luiz Moreira Lima em 13 de novembro de 2012

Meu amigo de concordâncias e discordâncias Leonardo Saad: Primeiro um prazer ler o que escreveu - Idéias + Ideias e mais Idéias. Não vou responder e nem sei se minhas respostas serão merecedoras do seu texto. O que me deixa feliz e com esperança que podemos discordar sem nos agredir,ódios sem sentidos. Sabe duma coisa - não vou responder - concordo e discordo de suas colocações e daí? o que ficou foi meu RESPEITO a você como Ser Humano e Cidadão. Ao se despedir me mandou um Abraço Pedro e quanto a mim: Um GRANDE ABRAÇO e ADMIRAÇÃO Pedro Luiz

Leonardo Saade em 13 de novembro de 2012

Caro Pedro Luiz Lima, em relação ao seu comentário à respeito dos economistas,concordo em parte. O grande Roberto Campos dizia: "Há três maneiras de o homem conhecer a ruína: a mais rápida é pelo jogo; a mais agradável é com as mulheres; a mais segura é seguindo os conselhos de um economista." Ele próprio economista, criticava a própria profissão que erroneamente é considerada por muitos como sendo uma função de ideólogos de direita. Na Espanha, por exemplo, no governo do socialista José Luis Zapatero, foram aprovadas vária medidas que aumentaram os benefícios dos funcionários públicos como diminuição da carga horária e até a possibilidade de trabalharem em casa, aumentando os gastos públicos gradativamente. Tais medidas foram atestadas por vários economistas espanhois e até pela agência Mood's, que acreditavam que o crescimento do Estado espanhol comportaria os gastos. O tempo mostrou que o crescimento espanhol era uma bolha iniciada com a febre imobiliária espanhola, e que o déficit público espanhol era impagável. No Brasil, o governo FHC tentou aprovar a Reforma da Previdência, que foi duramente combatida pelo PT e por Lula, que alegavam que os tucanos queriam acabar com um direito sagrado do povo brasileiro. Ao assumirem o poder em 2002, os petistas perceberam(ou já sabiam!)que seu discurso de oposição era muito bonito na teoria, mas que na prática levaria o país a quebradeira, e que seria impossível governar com o déficit previdenciário crescendo em progressão geométrica. A Reforma da Previdência foi aprovada com apoio inclusive da oposição tucana. Os petistas Heloisa Helena, Babá, Luciana Genro e outros que acreditavam realmente que o Estado poderia pagar os gastos crescentes foram expulsos do PT e foram fundar o P-SOL. Concordo com você quando diz que o povo é a maioria, e minha maior crítica ao PT e a Lula especialmente é de discurssar uma coisa para o povo e agir de outra forma de acordo com a situação.A Reforma da Previdência era um mal necessário e eu dou os parebéns a Lula por ter combatido a ideologia de boa pater de seu partido ao aprova-la. Mas se fosse no governo FHC, Lula com certeza iria crucificar FHC para o povo. Mas não me entenda mal, não quero de maneira nenhuma diminuir a importância do funcionário público, que são necessários em qualquer lugar no mundo. Oque não se pode é aumentar o tamanho do Estado esperando que as contas públicas vão se pagar sozinhas. Que se faça então como foi feito no estado de Minas Gerais, onde os benefícios ao funcionarismo público são dados de acordo com a produção. Até agora foram mostrados resultados satisfatórios, já que Minas atingiu o primeiro lugar no indice de educação básica(Idep) de acordo com o MEC. Um abraço Pedro!

eduardo em 12 de novembro de 2012

e por aqui, nesse paizeco cercado por outros paizecos neo-bolivarianos, estão vendendo apartamentos por 1 MILHÃO como se fosse picolé... e a classe média vai comprando porque cada dia alongam ainda mais o credito !!! Se na espanha, em plena europa, essa situação explodiu, imaginem nesse paizeco de mensaleiros !!!!

Zaratrusta em 12 de novembro de 2012

Prezados, na realidade todos aqui têm razão. Não importa qual ideologia esteja no poder. É exatamente a "ciclicidade" de ideologias no poder que a democracia garante, que faz com que os regentes do sistema financeiro garantam o BOMBEAMENTO da riqueza para os cofres do Sistema Financeiro Internacional. Observem que: um governante fomenta o endividamento e a seguir o próximo extorque os endividados, e,... nesse cíclo contínuo (quando não fomentam guerras, que sào muito mais lucrativas), vão empobrecendo os cidadãos do mundo e concentrando a riqueza cada vêz mais nas mãos de poucos. É a galinha-dos-ovos de ouro! Não se iludam: Uma das reais e mais fortes razões econômicas da pressão exercida a todos os governos de países que não são "democraticos"(ou seja, submetidos a um banco central cujas regras são ditadas pelos senhores do SFI) é exatamente essa. Governos ditatoriais não se submetem ou ao menos opõem resistencia aos ditames do SFI. Dessa forma são escrachados pela mídia de massas na formação da opinião corrente com acusações de "anti-democráticos", como se os regimes democráticos oferecessem melhores condições de vida do que as ditaduras de alguns países. Não sou absolutamente defensor de ditaduras, entretanto "democracias" que são financeiramente "absolutamente cruéis" com seus cidadão como deveriam ser chamadas? DEMOCRADURAS? Parece que temos um exemplo forte ocorrendo na ESPANHA e outro na GRÉCIA. Que ONU é essa que em defesa de "direitos-humanos" permitem que se ataque um país (rico em petróleo diga-se de passagem) para impor uma "democracia" para depois miserabilizar sua população instalando corruptos testas-de-ferro dos interesses do SFI em todos os cargos decisórios da "nova democracia" instituida? Que LIBERDADE é essa? Temos uma tentativa recente de DEMOCRADURA que tentou recentemente se estabelecer por aqui... É tudo uma grande farsa! Antenem-se! O Lula foi criação da direita para impedir que o país mergulhasse no comunismo e isso é comprovado pelo tremendo faturamento dos Bancos que ocorreu também no governo FHC e continua no governo Dilma... é tudo uma grandissíssima farsa,... tem muito mais por trás disso tudo,... mas infelizmente esse aqui não é o FORUM para discutir isso! Um abraço!

ricardo em 12 de novembro de 2012

hi, AlexRio, nao vem com essa...a direita entrou no poder da Espanha no ano passado...todas essas dividas e situação caótica foram gestadas nos governos socialistas do queridinho da mídia, o Zapatero...vá la cobrar dele a herança maldita...

ricardo em 12 de novembro de 2012

como que um casal com renda inferior a 500 euros conseguiu ter aprovado um financiamento de um imóvel de 90 mil euros?????

Zaratrusta em 12 de novembro de 2012

Caro Setti, Como devo entender que por duas vezes meu último comentário em resposta ao seu aparte não tenha sido postado, e nem qualquer justificativa tenha sido apresentada? Falta de argumentos para rebater? Quem cala consente? Situação muito interessante e, quiçá constrangedora para vc.... que intrinsecamente, posso entende-la até reveladora? Reafirmo novamente que não eram essas as minhas intenções. Mas há de concorar que, como humanista e libertário, parte de minhas "asperas" colocações naquela oportunidade, a bem da verdade, podem não ter sido tão inverossímeis como supunhamos... Mas não vou mais importuná-lo. . Entendi o "recado",... esse seu blog não se propõe a ser um forum para a proposição ou a discussão de nada muito profundamente. Está inserido no meesmo contexto da mídia televisiva, (da qual fujo). Pensei que encontraria um ambiente para desenvolvimento de discussões mais profundas aqui,... me enganei! Hoje identifico seu blog como mais um "pourpouri" de noticias com o prpósito apenas de saciar a curiosidade e possibilitar também certa catarse sobre temas atuais, e que definitivamente não se propõe a discussões mais profundas... Sucesso e tudo de bom. Um abraço. PS. Só agora lí seu histórico no Wikipedia, e realmente como havia respondido anteriormente, é altamente respeitável. Congratulações pelo belíssimo currículo que honra, entretanto criou-me uma tremenda curiosidade saber se também seja integrante da maçonaria, pois minha leitura atual indica que sim. Adeus! Não sou maçom, não, mas muito menos antissemita. E é uma piada alguém considerar que FHC seja supostamente "maçom". Adeus, boa sorte.

ZE BOQUINHA em 12 de novembro de 2012

Uma coisa é certa. Os paises europeus que se meteram com a tal esquerda ou o chamado socialismo democratico deram com os burros n água.´O euro, criou entre os paises pobres da europa, a sensação de riqueza, gastaram o que não tinham, agora a conta chegou. A Europa Ocidental não cobra visto de entrada de americanos e tem reciprocidade de tratamento. Porem, não se tem noticias de que algum americano tenha sido impedido de entrar na Espanha, pais que mais impos medidas de humilhações aos brasileiros. Embora o foco do assunto seja outro, não ha como deixar de fazer um parâmetro entre a arrogancia espanhola e a penúria a que estão submetidos. Os espanhois e portugueses, que sempre trataram com descriminação os brasileiros, e digo isso porque senti na própria pele, estes fatos esm Por- tugal, poderiam agora apelar aos seu amigos ricos da America do Norte. Pela minha vontade, todos os ibericos seriam descriminados tambem aqui no Brasil.

Pedro Luiz Moreira Lima em 12 de novembro de 2012

E a Grécia? "não existe almoço de graça" esta frase liberal continuará? Apesar das genialidades dos economicistas - lembrar que o POVO É A MAIORIA! Pedro Luiz

Gilberto Campos em 12 de novembro de 2012

Se tivessem um governo do PT e com um Lula à frente, isto não estaria acontecendo...

Zaratrusta em 12 de novembro de 2012

Caro Setti, Perseguindo meu objetivo de “agregar valor” e esclarecimentos que possam auxiliar no equacionamento dos “problemas dos nossos tempos”, como também seguindo a máxima do “quem procura acha”, assim como a do gênio do Renascimento Leonardo da Vinci que diz que “A Informação é a única coisa que a mente nunca se cansa, nunca se arrepende e nunca tem medo”, e fazendo uso dos revolucionários recursos cibernéticos hoje disponíveis , acho que algumas respostas para esse estado de coisas inaceitáveis começa a se revelar através de artigos fundamentados em fatos históricos, e que nos apresentam concatenações tanto importantes como impressionantes. Sugiro que leia(m) o artigo “A Maior Fraude da História” do Dr. Nehemias Gueiros publicado no site “Jusvigilantibus” em Out/2008, em plena crise das famigeradas “Subprimes” (que ora uma análoga se repete na economia espanhola) como consequência de “outros agentes” tais como o financiamento irresponsável das políticas sociais-democráticas europeias sem as necessária preocupação e garantia de lastro através dos correspondentes crescimentos de seu PIB. Construíram exatamente o mesmo “castelo de cartas” ao criar um virtuosismo de crescimento de habitações para atender a demanda reprimida existente de imóveis através de um modelo de financiamento imobiliário análogo ao que havia sido feito pelo sistema de financiamento imobiliário americano sem a correspondente contrapartida indispensável de crescimento do PIB que garantisse o equilíbrio monetário que lhe desse suporte, numa evidente “engenharia financeira” perversa e orquestrada pelos agentes financeiros e por uma evidente inoperância do estado (por motivos que precisam ser verificados e responsabilisados) em sua missão fiscalizatória. Não é humanamente cabível que essa conta seja paga exclusivamente pelos mutuários, sendo requerido que algo seja feito pelo estado em socorro às vítimas de sua incompetência ou quiçá, conivência! Urge que um novo tipo de “leitura” dos acontecimentos seja desenvolvido pela mídia, na qual seja possível elevar-se o nível de consciência geral, e como consequência e a longo prazo, à ruptura das amarras que garantem a continuidade e a impunidade do descalabro que se atingiu nesse “estado de coisas”. Afinal. As informações estão aí para quem quiser consulta-las, bastando para tanto se dar ao trabalho de busca-las... É um artigo longo , em duas páginas que podem ser acessadas através dos Links: http://jusvi.com/artigos/36376/1 e http://jusvi.com/artigos/36376/2 Com esses artigos é lançada luz apenas no rastilho que leva ao “estado de coisas” que vivenciamos e é noticiado diariamente. Mas certamente muito mais deve existir nos bastidores e que não é revelado. Recomendo enfaticamente sua leitura, caso ainda não seja de seu conhecimento. Um abraço. Meu caro, boa parte desses financiamentos absurdos foram feitos por bancos públicos, a maior parte deles "caixas econômicas" ligadas às comunidades autônomas (equivalentes aos Estados americanos). E lá vem você de novo buscar culpas ancestrais em banqueiros judeus...

ramflabr em 12 de novembro de 2012

Ridiculo e absurdo que os bancos tenham recebido centenas de bilhoes de euros em auxilio,mas as pessoas ainda assim tem que perder suas casas. Ora, que os banqueiros tambem sejam postos na rua, e cometam suicidio por sua incompetencia.

murilo em 12 de novembro de 2012

Conheço bem a Espanha pois morei lá, típico caso de pobre metido a rico, deu no que deu. Qualquer semelhança não é mera coincidência ...

Chicão da Serra em 11 de novembro de 2012

O que está acontecendo na Espanha é o reflexo da incompetência de vários governos seguidos socialistas. Nada acontece de repente, ainda mais quando se trata de uma nação. Esse negócio de distribuir benesses, sem a contrapartida da produção, conduz ao desastre. E não é só a Espanha. A Itália, Portugal e a Inglaterra estão na mesma situação. Países com populações envelhecidas, com muitas benesses sociais, sem produção. A magra população jovem não dá conta de sustentar tanta gente. Já estão desembarcando por aqui os jovens europeus que temem por seu futuro. Calma, Chicão. Quem começou o boom imobiliário que sugou os investimentos do país na especulação foi o ilustríssimo senhor José María Aznar, do conservador Partido Popular, com uma legislação que estimulou brutalmente a expansão da construção civil e criou o terreno fértil para a explosão que se daria depois -- e que, sim, o governo socialista de José Luis Rodríguez Zapatero não só não enxergou como, quando constatou, não soube administrar. Não existem culpados isolados no caso espanhol. Zapatero fracassou rotundamente, sem que nem de longe se possam comparar seus oito anos de governo com os quatro mandatos consecutivos conseguidos nas urnas pelo socialista Felipe González -- o único estadista vivo que a Espanha tem --, que levaram o país a um extraordinário surto de progresso em todas as áreas.

carlos nascimento em 11 de novembro de 2012

Ricardo, Isso ocorrendo logo na Espanha, como é possível esse absurdo, afinal de contas num País em que os orçamentos do Barça + Real Madrid são quase um bilhão de dólares , acho isso IMORAL, a concentração de riqueza em detrimento do social não é justo, seja na ditadura, pior na democracia. Como chegaram ao esse nível ?

Pedro Luiz Moreira Lima em 11 de novembro de 2012

Quando os gênios economicistas acabarem com suas respectivas populações e ao acordar,abrindo as janelas um silêncio absoluto dirá:"Finalmente o povo entendeu meu plano econômico." Existe uma frase fantasticamente desumana e cínica-"não existe almoço de graça" e com esta frase desumana,cínica liquidaram com um Estado Social para um Estado Financista - mas cuidado o POVO é a MAIORIA! Pedro Luiz

Alan em 11 de novembro de 2012

Medidas ultraconservadoras que ignoram ou discriminam a parte mais vulnerável da sociedade dá nisso aI. Só lunáticos e desequilibrados moralmente adotam ou defendem medidas desse gênero.

Zaratrusta em 11 de novembro de 2012

Impressionantemente desumano o que legisladores, eleitos pela própria população que os elegeu, são capazes de promover contra essas. Como é possível que estejam amparados em "leis" locais tais abusos do poder econômico, que acabem criando um descalabro social de tal ordem, cujos reflexos exijam que orgão(s) externo(s) interfiram para tentar retorná-los à uma justa medida? Alguém saberia a resposta? Seria esse "um fenômeno" legislativo isolado? Em suma, urge que sejam feitas "novas perguntas" para que surjam possibilidades de efetivas respostas que equacionem esse estado abominável de extorção e indução de desesperança social.

AlexRio em 11 de novembro de 2012

Se isso acontecesse no Equador ou na Venezuela, já tinha virado manchete garrafal em jornal por dias seguidos e estava em todas as capas de revista, com marchas patrioticas pelas ruas devidamente cobertas ao vivo pela Globo. Como é na Espanha, um pais governado pela direita, vai ficar em blog e em pé de página. E viva a imprensa independente e isenta! Parabén ao Setti pelo post.

Irineu em 11 de novembro de 2012

Concentração de renda é um problema grave em todo o planeta. O capitalismo tem dado sinais de fadiga e quão devastadores são estes sinais.

marcia fernandes em 11 de novembro de 2012

Eles sao nós amanha quando a bolha estourar!!!Quem tenha olhos que os veja quem tenha ouvidos que os ouça!!!

Noiado em 11 de novembro de 2012

Parabens à civilizadissima Espanha com essa legalização do roubo.

Tucson58SP em 11 de novembro de 2012

corrigido APROVEITAR LIÇÕES Nós, humanos, e do lado de cá, cristão, temos uma responsabilidade congênita: Tirar das maiores dificuldades o aprendizado para galgar alguns degraus no nosso desenvolvimento, humano. Independente das cores da pátria, do idioma, da cor da pele, somos todas criaturas que cá estamos sem sabermos ao certo o que fazer e como fazer. Alguns escolhem o caminho curto da opressão, somam riquezas e levam uma vida fausta. Outros ponderam suas atitudes com os conselhos cristãos. O importante de tudo isso, é tirarmos desses acontecimentos as lições necessárias para não repetirmos nos erros. Apesar da lei e da ordem, não é possível sobreviver e evoluir sem a razão. Tirar o teto de uma família e deixá-lo vazio não é postura adequada nem para o maior racionalista e capitalista que possa existir no mundo. São nesses momentos que deve haver a reflexão que conduz à compreensão e ao senso de que somos criaturas vivendo num mesmo momento de evolução, cujo período não dura muito mais que sessenta anos.... Ai então partimos e deixamos tudo aqui, inclusive nosso amor, nossa compreensão ou nossa arrogância e egoísmo.

Therezinha Cesari em 11 de novembro de 2012

Que tragédia impressionante! Um país até outro dia próspero e feliz, a Espanha que conheci e que visitei duas ou três vezes... Que pena!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI