Por Daniel Setti
 
Na semana em que os atentados de 11 de Setembro completam 10 anos, o Música no Blog não passa ileso à data, trazendo a este espaço alguns dos momentos em que a tragédia de Nova York esbarrou no mundo da música. A relação completa você pode conferir a partir de sexta-feira no blog Lá Vem o Mala da Lista
 
Em 27 de outubro de 2011, apenas um mês e meio após os ataques de 11 de Setembro, o Madison Square Garden, gigantesca arena esportivo-cultural que sedia os maiores shows da cidade, voltou a receber apresentações de bandas.

O jejum foi quebrado pelo U2 que, em um ponto alto do espetáculo, tocou “Where the Streets Have No Name”, sucesso de 1987 cuja letra homenageia Nova York (“Onde as Ruas Não Têm Nome”, é a tradução do título). O programa contou também com a divulgação dos nomes das vítimas no telão durante a execução da canção “Walk On”, de 2000, com direito a presença no palco de bombeiros sobreviventes do fatídico dia. Conta Bono Vox, vocalista do grupo irlandês, que os 20 mil espectadores presentes choraram.

A catarse o inspirou a colocar nova letra sobre uma melodia que então já marcava presença nos ensaios do U2. O resultado é “City of Blinding Lights” (“Cidade das Luzes que Cegam”), interpretada pelo quarteto aos pés da ponte do Brooklyn no vídeo abaixo, de 2004. Basicamente, os versos lamentam a mudança no comportamento das pessoas pós-atentados (“Já vi você caminhar destemida”, diz um trecho), mas também celebram a recuperação e a sensação de ver Nova York pela primeira vez (“o tempo não arrancará o garoto de dentro deste homem”). “Esta música é sobre inocência e ingenuidade”, diz Bono no vídeo.

“City of Blinding Lights” Ganhou Grammy de melhor Canção de Rock em 2005.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + três =

7 Comentários

Kitty em 12 de setembro de 2011

Bom dia Daniel, Peço desculpas pelo(ssssss), foi apenas um teste. Pelo vídeo dá para perceber que o momento em que a banda começou tocar a emoção ficou evidente em todas as pessoas presentes.Meus olhos também marejaram...Uma justa e merecida homenagem às vítimas dos atentados terroristas ao World Trade Center,cujo impacto profundo tornou um novo marco na vida de todos ao ponto que mudou o mundo em" antes e depois de 11 de Setembro" Enquanto U2 voltou inspiradissímo e emocionou!!!! Parabéns pelo texto e pela música escolhida que a data merecia. Um abraço/Kitty----( e um abraço para o pai coruja, também)

Kitty em 12 de setembro de 2011

ssssssssss

Reynaldo-BH em 08 de setembro de 2011

Daniel, abusando de sua paciência. Mais uma do U2. Eles (e o Bono) sempre foram mais engajados que a maioria das bandas. Esta Sunday Bloody Sunday sobre o massacre em Derry, na Irlanda do Norte. Hoje, cá nas terras brasilis, tivemos um "Holiday Happy Holiday"! Alguma coisa começou a mudar! E na passeata (o mais velho disparado era eu, um entre mil, hehehe...) lembrei-me do trecho que diz "por quanto tempo teremos que cantar estas canções?" por estar cantando "o povo unido", etc. Assim aí vai para vc, o link. Abraços! http://www.youtube.com/watch?v=B4ZOaELWMqY&feature=related Caro Reynaldo, deixe para lá esta história de "abusar da paciência", por favor. Obrigado por mais esta sugestão, esta canção do U2 é mesmo excelente, bem como o filme homônimo sobre o mesmo massacre. Abraço Daniel

Carnicero em 08 de setembro de 2011

....nem um, nem outro?

Carnicero em 08 de setembro de 2011

Me corrijam se estiver errado, mas tenho uma vaga lembrança de logo após os atentados de onze de setembro a classe artística americana se comprometendo a não fazer filmes - e outras produções - para não se promoverem em cima da desgraça. Ouvi ou entendi mal? Ou, nem um nem outro? Pode ter sido que muitos tenham adotado esta posição, Carnicero. Mas jamais ouvi falar de algum tipo de pacto ou contrato sobre o tema. E não creio que contar histórias sobre a tragédia seja sempre, necessariamente, se promover em cima da desgraça. Abraço Daniel

Reynaldo-BH em 07 de setembro de 2011

Daniel, você não é só músico e jornalista (mesmo que, pelo que parece, bisexto! Mas desconfio que não irá mais sair desta praia!,, Hehehe...). Também um cara de uma sensibilidade extrema. Esta música do U2 (que por dois anos foi o toque de meu BlackBerry (ou Crackberry) antes de mudar para o igualmente vicioso Iphone!) é a imagem de NY pós 09/11! Definitiva! Parabéns por trazer, pela música, uma outra visão/emoção nestes dez anos da barbárie. Se existem lugares no mundo para se conhecer "antes de morrer", além de algumas dezenas no Brasil, conheça algumas fora dele, onde sempre que posso retorno. E que minha filha, Graças a Deus, aprendeu a amar: Lisboa, Paris, Barcelona, New Orleans (mesmo pós Katrina, o jazz deo French Quarter resiste e os cemitérios continuam a ser visitados.. hehehe), Carcasone e NEW YORK! Valeu a lembranças e abraços! Reynaldo. PS: De saída para acompanhar minha baixinha na Manifestação dos Caras Pintadas contra a Corrupção, ás 12 horas na Pça. da Liberdade, em BH! TODOS LÁ! Ou em algum local no Brasil onde a indignação ainda se manifeste! Caro Reynaldo, que ótima conexão esta, via toque de seu celular! Demais. Também gostaria de elogiar seu roteiro de lugares a serem visitados nesta vida. Irretocável. Abraço Daniel

Marco em 07 de setembro de 2011

Amigo Setti: Daniel, nenhum preconceito contra o ocidente vai derrubar a nossa história em favor da vida ! Abs.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI