Alguns leitores podem estranhar o fato de eu não entrar na polêmica causada pelas declarações racistas (confira no vídeo abaixo), complementadas por outras homofóbicas, como de hábito, do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) .

De fato, não vou entrar na polêmica nem publicar nada mais além deste post.

Bolsonaro é um inimigo notório da democracia e dos direitos humanos, um golpista profissional cuja infeliz carreira parlamentar é pontuada por boçalidades que só a infinita tolerância de seus colegas deputados ainda não considerou antiéticas o suficiente para cassar seu mandato.

Quanto mais se discute o que ele vomita da tribuna, mais se faz o que ele quer: estar no centro das atenções.

Paro, então, por aqui.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 4 =

Nenhum comentário

Caroline em 05 de maio de 2014

Com todo o respeito, essa sua tentativa de desqualificar o Dep. Bolsonaro é, no mínimo, antidemocrática. Ninguém chega onde ele chegou sendo boçal. Apesar de não concordar com todos os pontos de vista do deputado, respeito sua posição, porque é democrático que assim seja. Não se faz democracia com politicamente correto, não se faz democracia com pensamentos iguais e doutrinas. O que se faz com isso são ditaduras. De repente, é isso que a mídia quer e não admite - uma ditadura - porque ninguém pode ter uma posição diferente que já é logo rechaçado. Pensar diferente é democrático, só na democracia politicamente correta do Brasil é que todo o mundo tem de pensar igual. E liberdade de expressão ou pensamento, cadê?

Osvaldo Aires em 18 de junho de 2012

Setti, Bolsanaro Para Presidente!!! srsrsrrs Será que é seis por meia duzia comparado com o Lulismo? Abraço a Todos Osvaldo Aires Obs: Setti, sou ainda um "menino" comparado contigo, mas o Bolsonaro não me parece pior que a quadrilha do Lulla. Prefiro um preconceituoso inteiro do que um meio ladrão do Lullismo.

Paulo Bento Bandarra em 19 de abril de 2011

Sabe o que me deixou preocupado. Foi o seu silêncio com o essencial. Eu também não gostaria que um filho meu namorasse a Preta Gil. Ninguém é obrigado a gostar ou deixar de gostar o quer que seja. Ninguém tem o direito de interferir na forma que um pai educa os seus filhos. . Postado por Políbio Braga às 08:48 0 comentários domingo, 17 de abril de 2011 . Senadora do PT avisa: “Não pode ser crime criticar o homossexualismo” . A senadora Gleisi Hoffmann, PT, Paraná, mulher do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, desmente na entrevista a seguir o senso comum de que não existe neurônio no outro lado do rio. Leia esta entrevista que ela concedeu ao portal iG: . iG – Senadora, estas últimas semanas foram marcadas pelas declarações consideradas preconceituosas do deputado Jair Bolsonaro ( PP-RJ) a um programa de TV. Aqui no Senado existe um projeto da senadora Marta Suplicy (PT-SP) contra a homofobia. Qual a opinião da senhora sobre o projeto? . GH – É um projeto muito polêmico. Do jeito que está não será aprovado e requer alterações. Eu sou a favor de combater a homofobia. Não podemos ter tolerância com preconceito e discriminação. Mas ele é um projeto que está jogando para um extremo. Então, o projeto considera crime, por exemplo, o posicionamento de pastores e padres dentro das missas. Precisamos compreender que a sociedade é estruturada em determinados valores e não vamos mudar isso de uma hora para a outra. Precisamos respeitar a opinião de todos – desde que esta opinião não cause nenhuma violência. Não dá para gente sair e achar que um pastor que tem por valores religiosos posição contrária à questão da homossexualidade seja considerado criminoso. É colocar no mesmo balaio situações diferentes e deixar de ter foco naquelas pessoas que realmente demonstram intolerância nas ruas como fez o Bolsonaro. ” . A senadora está errada. Todos são iguais perante a lei e tanto o cidadão como os padres e pastores tem seus direitos embasado na constituição. Muito mais ainda um deputado que possui um mandato justamente para expressar as idéias e as opiniões dos seus eleitores. Cabe a eles cassarem o voto se considerarem que ele não mais os representam. Infelizmente a OAB virou uma órgão fascista que prega a criação de leis para retroagirem, renega a luta pela anistia que defendeu, e ainda persegue a limitação do direito de pensamento, a liberdade de manifestação e de expressão em nome do que ele considera “blasfêmias” no estado laico. Tudo aquilo que se conquistou na Revolução Americana, Inglesa e Francesa e que inspiraram a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, do dia 26 de agosto de 1789, e a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948. Hoje defendem as causas “certas e sagradas” pela qual as blasfêmias atuais podem e devem ser punidas, pelas supostas "boas razões". . Não foram idéias de Bolsonaro que "semeou o caldo cultural que permitiu o espetáculo de horrores visto nos campos de Treblink, Dachau, Auschwitz e Sobibor. Mais tarde os “killing fields” e a prisão S-21 do Khmer Vermelho no Cambodja." Estas foram justamente as idéias nacional socialista e internacional socialista de partidos de trabalhadores. Não pelo mal que elas podiam ser, mas pelas "boas razões de Estado"! Nunca ocorreu na ditadura a idéia de invadir casa por casa a busca de armas como defende o Ministro Luiz Fux!!! . Nunca no Brasil foi proibido defender o homossexualismo, o aborto, o fim do casamento, o amor livre, a liberação de drogas, os bandidos como "vítimas da sociedade", condenar as mães pelos traumas dos filhos e pela origem dos crimes que praticaram. Agora se quer criar palavras e assuntos tabus e puni-las como se blasfêmias laicas fossem.

Jefff em 07 de abril de 2011

Seria muito mas muito interessantes mesmo saber em quem os homofobicos, grupos neonazistas e outros grupos votaram na ultima eleição. Tenho um palpite!

Jefff em 07 de abril de 2011

Olha só Caro Setti quem o Bolsonaro apoiou na ultima eleição. Serra presidente. http://www.youtube.com/watch?v=U3VLE_PAlyA Se ele acha que todo mundo é comunista, iria apoiar a presidente Dilma? Além do mais, o que é que eu tenho com isso, com quem ele apoiou ou deixou de apoiar?

marcia costa em 05 de abril de 2011

Ricardo, se vc puder me dizer o que esse deputado fez contra a democracia e os direitos humanos por favor o faça. Apesar de ser do RJ, não sou sua eleitora e nem nunca soube de nada que o desabonasse, não considerando suas idéias já que se trata de concordar ou não. Por isso, não vejo tanto drama nesse episódio. Acho o jeito dele de propor ou desenvolver um debate muito fraca e atrapalhada. Para mim, ele atira no que vê mas acerta no que não vê. Concordo com ele quanto a desnecessidade de uma lei homofóbica, em particular a que tramita atualmente que se aprovada estará ferindo a CF muito mais que suas injurias contra a cantora ou bravatas a favor da moralidade; concordo também que é um absurdo a criação ou manutenção de cotas para negros nas universidades e/ou no funcionalismo público, hoje no jornal já se fala até de cota em estágios para estudantes; concordo em parte quanto ao período do governo militar, não que eu aprove golpes ou ditaduras, mas por achar que a esquerda grita muito e oferece pouco e por achar que ditadura pior era aquela que os terroristas "defensores da democracia" tanto defendiam; discordo que a união civil entre homoafetivos afetem a instituição familiar, pois ao contrário só a fortalece; discordo também que casais homoafetivos não devem adotar crianças, já que o papel de mãe e pai nem sempre são exercidos, até nos casais heteros, pelos respectivos sexos. Quanto a crítica ao homossexualismo (e não a um homossexual específico), ao meu ver, não fere nenhum cânone humanitário ou constitucional pois não haveria problema se fosse ao contrário, ou seja, se alguém passar a defender com veemencia que ser hetero vai contra à moralidade ou a alguma religião seria, no máximo, considerado extravagante. E idéias extravagantes não causam perdas de mandato e nem são crimes. Assim, como 85% dos votantes do Estadão não concordo que ele seja cassado por isso. Se a Preta Gil se sentiu ofendida, requisito para uma ação criminal de injúria (se eu fosse ela ficaria ao ser chamada de promíscua)deve acionar. O resto é forçação de barra. A não ser que haja mais coisa contra ele que eu não saiba e por isso te peço esse esclarecimento. Grande abraço e feliz pelo Edu de hoje. Me desculpe, Marcia, mas as posições fascistas do deputado são notórias. Não pretendo gastar meu tempo com ele. Abraços

Karla em 03 de abril de 2011

Há que ter muito cuidado com esse andor. Expressar livremente opiniões, por exemplo, de justificação do holocausto, pode? A banalização da liberdade de expressão deve, sim, ter limites? Quando um cidadão, isolado, só, na condição de indivíduo, faz uma afirmação dessa natureza com tal conteúdo, pouco se me dá levá-lo em consideração ou não. Mas como representante parlamentar, como um dos 532 eleitos do povo, isso, de jeito nenhum. No mínimo, há que levá-lo ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, embora tal Conselho não seja digno do nome. O que se lhe deve dar é o direito de defesa, que como ensinava Sobral Pinto, era devido até o mais selvagem dos animais. Bolsonaro é aquele que disse que Fernando Henrique deveria estar diante de um pelotão de fuzilamento no "paredon". Imagine alguém, por exemplo, um cambojano, enaltecer o regime do Khmer Vermelho de Pol Pot, no uso do seu direito de expressão conferido pelo Estado de Direito. Como cidadão, pouco se me dá se o tal cambojano delirante o faça. Mas se, algum parlamentar brasileiro, repercutisse tal declaração, aí sim, não há como deixar de levá-lo ao foro competente. O caso de Bolsonaro é para ser levado à Comissão de Ética e, além disso, submetido aos cuidados prestimosos do Ministério Público Federal. Fazer uso da imunidade parlamentar para chocar os ovos da serpente tão bem reproduzidos na estética de Bergman, não cabe no Estado Democrático de Direito. Qual a semelhança entre a filha de Roriz e Bolsonaro? Ambos fazem mal à democracia. Qual a diferença? Bolsonaro faz muito pior, porque a sua "rationalle" semeou o caldo cultural que permitiu o espetáculo de horrores visto nos campos de Treblink, Dachau, Auschwitz e Sobibor. Mais tarde os "killing fields" e a prisão S-21 do Khmer Vermelho no Cambodja.

Ptsauro em 03 de abril de 2011

Ricardo, Meu muito obrigado as suas respostas aos meus comentários neste post. Acredito na democracia e na liberdade de expressão, mesmo qdo. o exprimido não coaduna com meus valores. Abraço, Ptsauro Não precisa agradecer, meu caro. É minha obrigação. Abraço

Mauro Pereira em 03 de abril de 2011

Caro Ricardo Setti, boa noite. Talvez este post tenha sido um dos mais debatidos e que suscitou comentários dos mais divergentes. Pelo memos desde quando eu comecei a acompanhá-lo. Nessa discussão que se estabeleceu aqui na sua Coluna, fiquei muito feliz em poder perceber que, apesar do contraditório, prevaleceu o cuidado dos seus comentaristas na defesa do direito de expressão. Só isso já valeu a pena. Quero deixar claro que como cidadão não concordo com as palavras do deputado Bolsanaro. Mas quero deixar claro também, que, como brasileiro indignado, repudio com veemência as declarações da então ministra da Igualdade Racial Matilde Ribeiro, publicadas em 2007, ocasião em que, na condição de representante do governo, afirmou: “Não é racismo quando um negro se insurge contra um branco. Racismo é quando uma maioria econômica, política ou numérica coíbe ou veta direitos de outros. A reação de um negro de não querer conviver com um branco, ou não gostar de um branco, eu acho uma reação natural". Repudio, com a mesma veemência a declaração da atual ministra, Luíza Bairro - cujo ministério é racista desde a sua nomenclatura, pois oficializa que no Brasil existe mais que uma raça além da humana -, ao afirmar que “Isso [ocupação de espaço pelos negros] provoca reação. Para muitas pessoas, parece perda de espaço. Isso demonstra como ser branco, na sociedade brasileira, implica em determinados privilégios em detrimento dos direitos dos negros em geral”. Mais do que racistas, ofensivas e irresponsáveis, pois na condição de ministras elas falaram em nome do governo, as mensagens trazem embutidas nas entrelinhas a nítida intenção de propagar o rancor e a discórdia entre os brasileiros. É o retrato (em preto e branco), descorado pela incompetência e pela corrupção, de um governo fraco e refém de acordos políticos inconfessáveis para manter-se no poder. É o flerte irresponsável e criminoso com a desordem social! De acordo com as afirmações da atual ministra e de sua antecessora, podemos deduzir que esse ministério, racista na filosofia e segregacionista na ação, é liderado por pessoas movidas pelo ódio e foi criado para viabilizar a vingança dos negros "em geral", estabelecendo, dessa forma, o início oficial da temporada de caça ao “ser branco”. Injustiça se enfrenta com a valorização da cidadania e não com a disseminação da violência e se extingue naturalmente à medida em que prevalece a justiça social e solidifica-se o desenvolvimento educacional de um povo. A principal missão de qualquer governo comprometido com a seriedade é a busca incessante da consolidação de uma sociedade justa e igual e na perenização dos princípios democráticos que a embasa. O resto é só politicagem barata, recheada de interesses pessoais e eleitorais. Nada mais. Jair Bolsanaro é de uma irrelevância gigantesca se comparado a essas duas senhoras, que, como o deputado carioca, deveriam ser responsabilizadas criminalmente pela prática indecorosa de racismo explícito. Elas merecem mais do que o silêncio. Elas merecem o desprezo dos cidadãos de bem. É lamentável, também, que fora a Veja e, dissimuladamente a Folha on line, a imprensa e a OAB permaneceram absolutamente caladas nos dois episódios. Está difícil de saber o que ainda é confiável nesse imenso bordel em que foi transformada a República Federativa do Brasil! Caro Mauro, Infelizmente o lulalato introduziu o errôneo e disruptivo conceito de "raça" no Brasil com as políticas de quotas, que deixam de lado a meritocracia e fizeram com que os brasileiros passassem a se considerar a si mesmos como pertencentes à "raça" tal e qual, e não apenas à raça humana, como diz você. O resto é consequência. Um abraço pra você.

Paulo Bento Bandarra em 02 de abril de 2011

Eu acho que o banimento de liberdade de expressão é tão ou mais lesa humanidade do que a tortura. Por sinal são dois valores que o PT e o lulismo não se importam que ele exista na Venezuela, em Cuba, na Coréia do Norte ou no Irã. E aqui, nas tentativas de "controlar a mídia" mais uma vez proposto, e o explicitado no 3° PNDH, o Plano Nacional Socialista de Direitos Humanos, está desenhado este objetivo claramente. Justamente por esta turma que quer calar Bolsonaro por blasfêmia, por pensar diferente, contra a sua liberdade de pensamento, de expressão, de forma de ser.

Ptsauro em 02 de abril de 2011

Complementando minha última tentativa de comentar: "Aqui neste blog você tem e terá todo o espaço que quiser para exprimir suas opiniões." É verdade o enunciado acima, ou é peça de ficção? Como você pode verificar, e como milhares de leitores têm verificado desde que iniciei o blog, em setembro do ano passado, é verdade.

Ptsauro em 02 de abril de 2011

Ricardo, Tive comentários censurados/deletados neste post, já questionei aqui na área de comentários deste post e também via Twitter e vc não me respondeu. O que vc escreveu em comentário de leitor do blog, mais abaixo " é válido ou é peça de ficção? Como já lhe disse antes, já lhe ocorreu a possibilidade, simplíssima, de o blogueiro não ter tido tempo de responder por alguma razão? A primeira hipótese que lhe vem à mente já é "censura"?

Caio Frascino Cassaro em 02 de abril de 2011

Prezado Ricardo: Há coisas cujo princípio é tão cristalino que fico surprêso ao ver as pessoas se envolverem nesse tipo de discussão. É só lembrar de Voltaire “Não concordo com nada do que dizes, porém defenderei até a morte o direito que tendes de dizê-lo.” Precisa falar mais? Querem combater um suposto crime com outro maior. Se o deputado queria holofotes, os babacas deram a ele de graça. E não adianta espernear: A Constituição assegura o direito a liberdade de expressão. Se alguém se sentiu ofendido pelo deputado, que o processe. Estão dando importância demais para esse assunto e o que de melhor fariam seria deixar o idiota para lá. Quanto mais derem atenção a ele, melhor para o proselitismo racista e homofóbico que ele abraça. Não se esqueçam que os partidos com tendencias fascitas já chegam a empolgar cerca de 20% do eleitorado em alguns países europeus, eleitorado esse que é extremamente bem informado e politizado. Esse linchamento moral a que vêm submetendo deputado Bolsonaro vai acabar conseguindo transformar um parlamentar inexpressivo em um verdadeiro Geert Wilders (lider da extrema direita holandesa), cujo discurso empolga muita gente no velho continente. Finalizando, gostaria de lembrar que a democracia existe exatamente para defender as idéias daqueles que pensam diferente da maioria ou da nossa própria opinião. Defender as idéias a a liberdade de opinar daqueles com quem concordamos é muito fácil. A presença do contraditório, mesmo que na forma odiosa expressa por Bolsonaro, deve ser sempre preservada, sob risco de fixarmos um limite àquilo que pode ou não pode ser dito. E isso tem um nome: chama-se CENSURA. Não contem comigo para abraçar essa causa. Um abraço

Vinícius Couto em 02 de abril de 2011

A despeito da onda do "políticamente correto sob a ótica petista" que grassa pelo Brasil como uma praga, não tenho medo de dizer que, tendo nascido em uma família CONSERVADORA DE DIREITA, vou apoiar o nobre deputado JAIR BOLSONARO até o fim!!!! Lamento muito não ter tido a honra de votar nele(uma vez que não moro no RJ) mas sei mesmo assim que ele é o ÚNICO deputado DECENTE naquele PROSTÍBULO ao qual deram o nome de Câmara Federal!!!! E fiquem sabendo que muitos pensam como eu!!!!!

Claudio em 02 de abril de 2011

Quanto às ofensas proferidas por ele não vou comentar, ofensas são ofensas, mas, os militares também cassavam opiniões sob o pretexto de manter a ordem e os bons costumes. Qual é o próximo passo da "democracia", sr. Setti? Mandar os contrários à ordem e os bons costumes pra cadeia? E depois pro paredón? E, chamá-lo de "inimigo notório da democracia e dos direitos humanos" e "golpista profissional" faz do sr. também uma pessoa não muito educada, sr. Setti. Vou escrever aqui uma provocação: "SOU HETERO COM ORGULHO" e "SOU BRANCO COM ORGULHO". Agora podem me chamar de homofóbico e racista, mas antes abandonem as frases: "SOU GAY COM ORGULHO" e "SOU NEGRO COM ORGULHO". Se não abandonarem essas palavras de ordem não cobrem nada de ninguém , hipócritas!

jo lima em 02 de abril de 2011

Para combater o que pensa Bolsonoro, o melhor é fazer com que ele exponha de forma mais minuciosa o que pensa. Se eu mandasse no jornalismo de uma tv cultura, por exemplo, formaria uma bancada bem bacana de jornalistas e especialistas e convidaria Bolsonoro pra fazer uma entrevista em que se evitaria o máximo que entrasse emoção. Que se tentasse dissecar sua visão de mundo e, como Sócrates fazia, mostrar as contradições de seu interlocutor. E acho que isso naturalmente iria expô-lo ao ridículo, mostraria o bufão de quinta categoria que ele é. Lembro que no filme Milk, há um momento em que o deputado Milk e o seu adversário [ que queria proibir os professores gays de darem aula nas escolas públicas ] discutiram abertamente as suas posições. E em dois momentos = um em que o auditório eram composto pelos favoráveis a Milk e o outro momento num auditório favorável ao adversário de Milk. Creio que a pior tática é querer tirar o mandato de Bolsonaro. É o que ele quer = se passar de vítima, aquele que não tem direito de expor o que pensa. Óbvio que ele quer ser o centro das atenções. Então use esse seu desejo para colocá-lo no palco e deixar que ele mesmo se enforque com sua visão boçal do ser humano.

Carlo Germani em 01 de abril de 2011

Caro Setti, Como dizia o velho e saudoso guerreiro,Chacrinha: "quem não se comunica se trunbica".É o caso da incompetência expressiva de Bolsonaro.Agora o tema homofobia,gaysismo,amplamente defendidos por esses sociopatas do movimento revolucionário do PT/Lula/Dilma e todos os comunistas que os cercam, pretendem descaracterizar a família brasileira. A pretensa meta de que os "gays" devem ser uma "classe especial",extrapola o absurdo.Há muita farsa,fraude e engodos,como a PLC 122. O tema merece a denúncia,o questionamento e a reprovação da sociedade lúcida e pró-família. Ex:Há mais de 60 mil assassinatos/ano no país.Quantos desses assassinados são gays? 50,100, 200?Logo,a fraude de que há uma homofobia na sociedade brasileira,não se comprova. Ps2-Sugiro um post sobre os criminosos planos PLC 122 e PNDH-3.

Roberto P. Pedroso em 01 de abril de 2011

Caro Ricardo, Desculpe, pois o link que estou te enviando não nada com o tema - mas eu achei muito interessante, não sei se você teve oportunidade de ver: http://blogs.estadao.com.br/crimes-no-brasil/

Karla em 01 de abril de 2011

Se gente como Bolsonaro - que fala por uma boa parte da caserna - atua desse jeito à luz do meio- dia da democracia, do que não seriam capazes no escuro da meia-noite da ditadura? E ainda querem deixar no fundo do poço a verdade sobre a barbárie que presidiu a vida nacional entre Castelo Branco e João Figueiredo! Viva a Argentina que a cada dia enjaula os facínoras que mataram tantos Rubens Paiva! Por que não realizar uma enquete? O que fazer com o deputado? Sim, com o deputado! Isso porque pouco interessa o que pensa essa criatura humana dotada dos direitos do cidadão, mas interessa a todos o que faz da representação popular tendo jurado a Constituição do país!

Paulo Bento Bandarra em 01 de abril de 2011

Eu estou com problemas no Reinaldo. Só consigo que o comentário entre do notebook. Nos demais blogs da VEJA não. Caro Paulo, acabei de fazer um teste aqui e está funcionando normalmente. Abraços e bom final de semana!

Paulo Bento Bandarra em 01 de abril de 2011

UÉ! Meus comentários sumiram aqui também? Caro Paulo, desculpe o atraso na moderação de seu comentário. Gosto de fazer pessoalmente, e às vezes, quando se acumulam comentários, deixo os mais longos para ler com calma. Aqui neste blog você tem e terá todo o espaço que quiser para exprimir suas opiniões. Abraços

Corinthians em 01 de abril de 2011

Vou me juntar aqui ao que o Reinaldo Azevedo tem dito em sue próprio blog. Vejo aqui várias manifestações pedindo punição. Querem mesmo punir alguém por dizer o que pensa ? Mesmo estando certo ou errado, louvável ou desprezível, a liberdade de expressão tem que ser respeitada. A democracia não é o governo da vontade das maiorias. A ditadura que é. A democracia é um governo livre baseado na liberdade de expressão, de ir e vir. Punir alguém por dizer o que pensa é ridículo, e para mim desequilibrado é quem sugere este tipo de coisa. Quanto ao comentário de Edurado Leão - 01/04/2011 às 0:36 - não vale dizer que ele não é de direita, mas vale apontar que ele é aliado do governo, base de apoio, vota em conjunto.

Ptsauro em 01 de abril de 2011

Refaço meu comentário e espero que agora seja publicado: Noves fora o histrionismo e diatribes, Bolsonaro expressou suas idéias, por mais detestáveis que p/alguns, muitos ou a maioria as sejam. Agora, dizer dele que é "um golpista profissional"? Desde quando? De que "golpes" ele participou? Desconheço! Amigos "notórios" da democracia e direitos humanos devem ser os esquerdistas Marco Aurélio "top,top" Garcia, Frei Betto e Zé Dirceu (este sim golpeou n/democracia através do mensalão"), que são conhecidos adoradores do Fidel Castro e do "paraíso" cubano. Meu amigo, já liberei seu comentário e já respondi a ele. Um abraço

Ptsauro em 01 de abril de 2011

Ricardo, Meu comentário neste post foi bloqueado/censurado. Posso saber por que? How have I offended you, my Lord? Grato! P.S: Fiz um questionamento importante sobre "um golpista profissional" Caro Ptsauro, às vezes precisa passar pela cabeça dos amigos do blog que o blogueiro não teve tempo suficiente para responder a todos os comentários que desejava, sem mais teorias conspiratórias, não é mesmo? Já publiquei dois comentários seus a respeito, tendo respondido ao mais recente. Abraço

Rosa Maria Pacini em 01 de abril de 2011

É evidente que se trata de um desequilibrado. É só olhar as fotos dele! Penso que ele deva, sim, ter o mandato cassado. Agora, o que me assusta, Setti, são as diversas manifestações de intolerância que estão se disseminando pelo país, em diferentes áreas. Deixar que esse tipo de manifestação permaneça impune é gravíssimo.

Paulo Bento Bandarra em 01 de abril de 2011

Se Bossonaro representa uma minoria tem tanto direito de se manifestar como as outras minorias. Se ele representa uma maioria, muito menos tem sentido calar o pensamento da maioria. Seja como for, democracia é isto mesmo. A presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, deputada Manuela d'Ávila (PCdoB-RS) , o deputado Luiz Alberto (PT-BA), Ivan Valente (PSOL-SP) ,o deputado Emiliano José (PT-BA) são alguns que você diria que são viceralmente democratas que querem caçar a palavra de um parlamentar por não concordarem com eles. Imagina esta gente com de minoria de votos, com a maioria!!!

Marco Antonio (Curitiba - PR) em 01 de abril de 2011

Esse caso tem menos a dizer sobre Bolsonaro, velha e patética figurinha, do que sobre seus lapidadores. Marta Suplicy, que se fez em cima do sobrenome do ex-marido e de seu apoio à causa homossexual (eu disse à causa e não ao homossexual), veiculou em 2008 propaganda política paga com o nosso dinheiro a seguinte pergunta: "Kassab é casado? Tem filhos?" Agora vem exigir os limites que sua turma nunca teve e jamais terá - aquele irmão de José Genoíno que o diga. Da mesma maneira que Ricupero, mas não execrado como ele, Lula foi flagrado por câmeras em 2000. Disse o "filho do Brasil" que Pelotas era um "pólo exportador de viados(sic)". Vacarezza quer cassar Bolsonaro por suas tolices politicamente incorretas (que não são crime em nenhum país decente) mas quer reerguer Delúbio ao arrepio dos seus crimes (em países decentes, Delúbio e muitos de seus companheiros de partido estariam engaiolados). As falas de Boçalnaro revelam, por contraste, as boçalidades de quem não conhece democracia nem estado de direito. O capítulo "A Nossa Moral e A Deles" do livro "Moral e Revolução", de Trotski, tomografa à perfeição o caráter desse pessoal.

Antonio Antunes Rodrigues Junior em 01 de abril de 2011

Caro Ricardo, Acho que você deve deixar bem clara a sua opinião em contraposição a esses comentários absurdos e não deixar esse debate apenas para os oportunistas de plantão. Marta Suplicy, por exemplo, que insinuou em campanha que Kassabi era homossexual, hoje condena os comentários homofóbicos de Bolsonaro. Vaccarezza, O mesmo que expressou publicamente seu desagravo contra a "condenação" de companheiros como Delúbio Soares, alegando que o mesmo "já pagou por seus erros" e deveria ser reintegrado ao partido, também execra agora o discurso homofóbico e pede a cassação de Bolsonaro. Enquanto isso, outros defensores da "moral" e dos "direitos humanos" impõe seus ideais através de doutrinação das crianças nas escolas. Com a desculpa de lutar contra o preconceito, estamos aceitando que material panfletário faça parte do currículo escolar, assumindo assim um paternalismo do Estado embasado em outro preconceito, o de que a família brasileira não pode arcar com a educação moral de seus filhos. Além disso, defender que alguém tenha o direito de expressar-se, mesmo quando absolutamente não concordamos com seus argumentos é o desafio da democracia. Mais uma vez o verdadeiro debate é colocado em segundo plano, pela ignorância e preconceito de um lado e pela má-fé de outro. A homofobia deve ser combatida mas não ao custo de aceitarmos que a escola passe a ser um centro de doutrina ideológica. E a democracia e a liberdade de expressão devem ser defendidas mesmo quando idiotas como Bolsonaro usam o espaço público para disseminar opiniões ridículas e indefensáveis. Não fuja desse debate, ele é mais importante que a possível publicidade dada a Jair Bolsonaro. Um abraço Antunes

Esron Vieira em 01 de abril de 2011

Sem comentários.

Valdivino Alves em 01 de abril de 2011

Amigo Setti, voc~e tem toda razão, na minha opinião este deputado não merecia ter sido eleito já que zomba da democracia e preconceituoso. Acesse minha coluna sobre: A Homofobia na Política Brsileira http://www.visaoobservatoria.com.br/coluna5.valdivinoalves.htm

Jefff em 01 de abril de 2011

Não vai entrar na polemica e nem pode entrar na polemica. Grande parte dos leitores do blog e da Veja dão aval as opiniões do Bolsonaro. Ele é um heroi pra muita gente.

claudio em 01 de abril de 2011

fora; manda esse cara para a usina do japão

Marco em 01 de abril de 2011

Caro R. Setti: Acho q o deputado sempre tem sido infeliz, mas neste caso acho importante discutir algumas coisas. O homosexualismo é natural ? O hétero é anti-natural ? O Estado tem q instruir sexualidade, como vitoriosos e dignos d representantes da civilização da vida privada e pública, como uma civilização autêntica? Ou ser a favor com a indiferença a ausência de estilo e abuso de sucesso na mistura caótica de todos os estilos? Abs.

Luiz Pradines em 01 de abril de 2011

Setti, Não concordo que o Bolsonaro seja um "inimigo da democracia". Ele foi eleito com o voto de muita gente que pensa como ele. Respeita as regras do jogo democrático. Não concordo com as suas posições homofóbicas, mas ele tem todo o direito de achar e falar o que pensa sobre o homossexualismo. Seu mandato lhe permite isso. É anti-ético alguém achar que deve haver pena de morte para bandidos perigosos? Que se deve torturar para ajudar em investigações? Que gays não devem adotar crianças? Acho que estas opiniões são imorais, mas não anti-éticas. Não se justifica a cassação de mandato por não ser "progressista". Ele já disse que se confundiu na resposta à pergunta da Preta Gil. Não acredito em crime de racismo. Você é vivido, mas ainda não entendeu o que significa democracia. Obrigado por me ensinar lição de democracia, caro Luiz. Se você acompanhasse melhor os discursos do mencionado parlamentar entenderia melhor o que afirmei. E cada um é livre para gostar do deputado que quiser, não é mesmo?

Seilon em 31 de março de 2011

As boçalidades do Bolsonaro só contribuem para que as pessoas,que são contra cotas raciais e a PL/122,sejam demonizadas por esquerdistas oportunistas e desonestos. Espero que,no caso da legalização do aborto,se for contra,ele não fale sobre o tema,pois,se bobear,diante das barbaridades que ele dirá pra criticar a legalização,tenho medo de que até o Papa mande a bíblia às favas e passe a defendê-la.Agora,se for a favor,peço que ele exponha os seus "argumentos",hehe. Ah!E isso vale para o caso das privatizações também,hein!Se for a favor,fique quieto;se for contra,que ele argumente com aquela retórica elegante. Quem sabe,se falando contra elas,ele consiga fazer o que os tucanos,por covardia,nunca tentaram:popularizá-las... Assim,o PT vai ficar sem ter o que fazer nas próximas eleições e,talvez,eles saiam do Palácio do Planalto.

Zóio em 31 de março de 2011

Quando ele fala da Dilma e quando ele falou do Genoíno e do Luiz Eduardo Greenhalgh (vídeos disponíveis no youtube) ele estava coberto de razão. Agora ele foi só grosseiro.

Ptsauro em 31 de março de 2011

Ricardo, Longe de querer defender o Bolsonaro e suas diatribes, até pq ele é grandinho o suficiente p/se defender sozinho, mas "golpista profissional" da onde? De que golpes ele participou? Nunca ouvi falar. No mais,"amigos" da democracia e direitos humanos devem ser o top, top Garcia, Frei Betto, Chico Buarque de Havana, José Dirceu (esse sim praticou golpe contra a democracia) e outros esquerdopatas do mesmo naipe que idolatram Fidel Castro e o "paraíso" cubano. Abç! Caro Ptsauro, o mencionado deputado já mais de uma vez se manifestou favorável a um regime militar que rompesse a Constituição e proclamou seu desprezo pelas instituições. Seu comentário não foi publicado antes porque estive assoberbado e não pude responder a todos os amigos do blog aos quais eu devia uma resposta. Nada aqui é censurado que não contenha palavrões, ameaças, incitação à ilegalidade ou coisa semelhante. Amigos da democracia são todos os que defendem a Constituição e os valores nela contidos. Eu me considero um deles. E vejo amigos da democracia em vários dos partidos políticos, sem contar em entidades como a OAB e tantas outras. Quem idolatra o ditador Fidel Castro, para mim, não é amigo da democracia, muito pelo contrário. Abraço

Altamiro Martins em 31 de março de 2011

Em tempos idos, a vizinhança chamaria a carrocinha. Hoje, creio que a função é do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses). De qualquer modo, um cachorro louco deve ser laçado e isolado, antes que morda a todos em volta. Bolsonaro é uma espécie de cão hidrófobo.

Paulo Bento Bandarra em 31 de março de 2011

Eu discordo da sua posição previsível. Esta turma pensa que imunidade parlamentar é para proteger deputado roubando. Não é não. É para garantir a liberdade de expressão, de pensamento, de manifestação do deputado no livre execício do seu mandato de representante eleito. Esta turma pensa que a liberdade só é para quem tem o pensamento único. Para concordar ou discutir apenas troca de casa de botão. Não é não. A liberdade é para garantir que pessoas que pensem diferente de nós possam se expressar. Que minorias tenha vozes. Se nem um deputado poder exercer este direito constitucional, quem estará livre para tal? A quem não será permitido calar e silenciar, como somos? . Declaração Universal dos Direitos Humanos Artigo 19 Todo o homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios, independentemente de fronteiras. . Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las. Voltaire . . E quem mais do que um deputado tem este direito e dever? Se a turba fascista cassa a palavra de um deputado, de quem mais não se atreverá a cassar? O discurso do ex-deputado e jornalista Márcio Moreira Alves, levou ao AI 5 por esta mesma lógica, só que você estava do outro lado. Se eles podem calar para o que você ou a maioria pensa que seja o bem, também podem cassar na mesma razão o contrário, a minoria certa. Isto que é democracia. Não a maioria calar os que estão errados (Se isto simplesmente existisse). O deputado tem outro direito sagrado é o de educar a sua família com liberdade. Ninguém tem que se meter na forma como ele age, a não ser seus membros. Seja com os filhos, ou com as amantes que políticos cultivam por aí, e dizem que nada as pessoa tem com isto. O caso do Palocci que ia para a casa de farra da "República de Ribeirão Preto"! Imagine se você, como católico ou seja lá o que for, não poder educar seu filho no que você acha certo!!!! O Estado vai mandar dentro da sua casa também.

Pedro Luiz em 31 de março de 2011

As reportagens do SBT em seu jornal da noite 20:00hs sobre o golpe de 64,a reportagem apresentada ontem pelo excelente reporter Cabrini sobre a Tortura no Brasil,a novela do SBT “Amor e Revolução” é a entrada da verdeira imprensa na busca dos fatos e a verdade. Impossível as demais redes inclusive a Globo não correrem atrás da verdade,inclusive reconhecimento pela omissão.A busca da verdade será obrigatória se não correrá o mesmo erro da omissão das Diretas Já e o lastimavel caso Proconsult da eleição de Brizola. A Globo e as demais redes ainda faturarão com seus Big Brothers mas faturarão ainda mais se correrem atrás da verdade escondida nos porões de todas as ditaduras no Brasil,credibilidade facilita o lucro. Quanto aos que elogiam a repressaõ e seus personagens bárbaros,nada a fazer apenas a dizer a VERDADE será o julgamento deles.

Eraldo em 31 de março de 2011

Prefiro não comentar.Pois preconceito é a voz dos idiotas."Gabriel Filipe"

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI