Image
Djalma Santos com a camisa da Seleção em 1957: maior lateral-direito de todos os tempos (Foto: Popperfoto/Getty Images)

Para as gerações posteriores ao encerramento da carreira de Djalma Santos, em 1972 defendendo o Atlético Paranaense (quando já tinha 42 anos), é difícil ter uma ideia de quanta bola ele jogou.

Mas não foi a toa que o craque paulistano, falecido nesta terça-feira em Uberaba (MG) aos 84 anos, em decorrência de insuficiência respiratória e pneumonia, sempre figurou nas listas sérias de grandes jogadores como o maior lateral-direito da história.

Bicampeão mundial pela Seleção Brasileira na Suécia em 1958 e no Chile em 1962, presente em outros dois mundiais (1954 na Suíça e 1966 na Inglaterra) e ídolo da Portuguesa, do Palmeiras e do Furacão, Santos era a elegância e a eficiência personificados em um atleta.

Em tempos nos quais os laterais se concentravam no papel defensivo, exercia esta função com enorme tranquilidade e precisão, mas também era capaz de milimétricos lançamentos, se apresentava para tabelas e raramente errava um passe. Foi também um pioneiro em algo que hoje é obrigatório para jogadores da posição — ir à linha de fundo e cruzar bolas certeiras para a área.

Como testemunha de sua classe em campo, poderia escrever muitos outros posts a respeito do “Homem de Aço”, mas um vídeo que circula no YouTube resume basicamente tudo.

A edição não creditada – embora apareça em canal do usuário “ogbvideos” – traz mais de 8 minutos de jogadas envolvendo Dejalma dos Santos (este era seu nome de batismo, com “e”) durante a final da Copa de 1958, quando o Brasil goleou a anfitriã Suécia por 5 a 2.

Era a primeira partida do jogador naquele Mundial. Entrou substituindo o são-paulino De Sordi e atuação lhe bastou para que fosse eleito o melhor do torneio na posição.

Reparem na sua calma, visão de jogo e habilidade. No tempo 5’22”, por exemplo, ele recebe toque de calcanhar – aparentemente dado por Garrincha – e retribui com um lençol sobre o oponente escandinavo. Um autêntico mestre.

Criança e, depois, adolescente, tive a sorte de vê-lo jogar — pela Portuguesa, pelo Palmeiras e pela hoje inexistente Seleção Paulista. Chamava a atenção, também, pelo cavalheirismo com os adversários.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + quatro =

19 Comentários

Gustavo em 30 de janeiro de 2014

Claro! Meu nome é Gustavo Barcellos e o link da minha página do YouTube é: http://www.youtube.com/user/ogbvideos Beleza! Guardei os dados e oportunamente publicarei, sempre citando a fonte. Muito obrigado!

Gustavo em 29 de janeiro de 2014

Olá, Setti! Sou o autor do vídeo, conforme conversamos ano passado. Sei que passou um bom tempo desde a publicação, mais seguem alguns outros vídeos de craques do passado para você apreciar e, se achar conveniente, publicar no Blog: Garrincha: http://www.youtube.com/watch?v=gbJCzUY0pYw Tostão: http://www.youtube.com/watch?v=4_h1vSjcAMo Gérson: http://www.youtube.com/watch?v=5OlQGeXKe04 Falcão: http://www.youtube.com/watch?v=1XGFOn3M4MA Maravilha, caro Gustavo! Muito obrigado pelas dicas. E, por gentileza, quando puder me diga seu nome por extenso e algum link para o qual possa enviar os leitores, caso vc tenha site ou blog. Abração

Pedro Luiz Moreira Lima em 27 de julho de 2013

Jornalista Ricardo Setti: Assim como você, vi jogar o grande Djalma Santos e assim como o grande Leandro lateral do Flamengo e da seleção brasileira - não é nenhuma piada a comparação entre os dois - dois gênios do futebol brasileiro. Quem seria o titular no meu time ou na minha seleção? OS DOIS! gênio joga em qualquer posição. Abraços cordiais Pedro Luiz

Renato Carvalho em 27 de julho de 2013

Grande jogador, mas quanto a ser o melhor lateral-direito da história, há controvérsias. Eu, por exemplo, votei no Leandro, do Flamengo, perfeito no combate e no ataque com cruzamentos milimétricos e aparecendo como elemento surpresa numa diagonal da ponta ao meio que muitas vezes terminava em gols, e gols importantes. Era difícil de ser batido e podia ser letal na frente. Mais completo. Vi o Leandro jogar inúmeras vezes, e inclusive cobri, para VEJA, a Copa do Mundo de 1982, durante a qual ele foi titular. É piada achar que ele foi melhor do que Djalma Santos, caro Renato. Tenho idade suficiente para ter visto também, ao vivo, o Djalma, que era uma espécie de Nilton Santos da lateral direita. Mas, claro, você tem absoluto direito de ter suas preferências. Abraço

Berlatto em 25 de julho de 2013

Olá Setti, como ex-jogador do nosso querido Atlético Paranaense, sinto orgulho por ter vestido a camisa rubro-negra qual Dejalma Santos. Fui lateral tal como ele, embora eu também atuasse em outras posições. Veja que coisa interessante - descobri, vendo uma matéria sobre ele na ESPN, que era nascido no mesmo dia que eu, 27 de fevereiro. Nunca o vi jogar ao vivo, quando jogou no Atlético eu morava no interior e, ainda era um adolescente. Mas, vendo algumas jogadas em filmes antigos e agora nesse do Gustavo, penso que eu tinha o mesmo estilo de jogo dele - mais técnica que força. Parabéns ao Gustavo pelo vídeo postado - justa homenagem a um grande jogador e excelente caráter. Abs.

Gustavo em 24 de julho de 2013

Olá, Setti! Sou o autor do vídeo, responsável pelo canal 'ogbvideos'. Apesar de ter 24 anos, possuo uma imensa admiração pelos craques do passado, e com o Djalma não seria diferente. Sobre esse jogo específico, ouvi uma frase que ficou marcada (até uma das causas da minha edição desse jogo específico) e até uso na descrição: Uma Lenda em 90 minutos, visto que foi a única partida que disputou naquela copa, mesmo assim sendo eleito o melhor. Obrigado pela divulgação, é sempre bom quando temos imagens daqueles que marcaram o nosso futebol. Abs Sou eu quem agradece seu belo trabalho, caro Gustavo, que vários leitores curtiram e que mais de 3 mil acessaram! Quando tiver mais coisas, mande pra mim como se fosse um comentário, neste espaço, que eu publico. Um grande abraço

Pedro Luiz Moreira Lima em 24 de julho de 2013

Caro JT: Esqueci de um importante detalhe - Djalma Santos saiu de sua área fazendo embaixadas até chegar a área do Flamengo, dali da linha de fundo cruzou - UFA! por pouco sai o empate. Grande abraço Pedro Luiz

Pedro Luiz Moreira Lima em 24 de julho de 2013

JT: Obrigado pela informação - sempre acompanhei o grande Djalma Santos e como carioca sempre o vi jogando com a camisa da Portuguesa de Desportos,num jogo aqui no Maracanã,quarta feira a noite,inverno e a noite - Flamengo X Portuguesa,acho que torneio Rio - S.Paulo. Flamengo 2 a 1,a Portuguesa era e sempre foi uma parada dura pro meu Mengão - Djalma Santos com 30 e muitos,sai de sua área até chegar na do Flamengo sem receber marcação de ninguém (respeito) e a torcida do Flamengo em pé berrando Djalma!!!Djalma!!! Um dos momentos mais bonito que vi em futebol. Para mim era o maior lateral direito do futebol brasileiro até a chegada de outro mágico da bola Leandro do Flamengo. Qual o melhor?vou lá eu me meter com mágicos? Obrigado e abraços Pedro Luiz PS- me lembro ainda jogando com mais de 40 anos no Atlético Paranaense. Com saudades do Velho e Jovem Djalma Santos - minha homenagem, a mesma da quarta feira a noite - Djalma!Djalma!!Djalma!!!

Marco Balbi em 24 de julho de 2013

Setti! Perdermos no mesmo dia Djalma Santos e Dominguinhos é muita notícia ruim para um dia só! Vou te mandar um link de um amigo Furacão doente que mantém um blog e fala da morte do Djalma Santos! http://blogdoivanoatleticano.blogspot.com.br/2013/07/craque-da-camisa-dois.html?spref=fb

weliton em 24 de julho de 2013

É não jogar mas como gostaria de ver aquele time jogar com esses monstros do futebol

Geraldo em 24 de julho de 2013

Sempre leio que a turma de 58,62 e 70 não jogariam nos dias de hoje. Concordo plenamente pois naqueles tempos a bola era redonda. Obrigado Djalma pelas alegrias que nos proporcionaram. Descanse em paz

bereta em 24 de julho de 2013

Caro Setti.... por coincidência, meu pai, descendente de italianos, torceu pelo Palestra, que veio a ser o atual Palmeiras. Eu tinha apenas sete anos quando o Corinthians sagrou-se Campeão Paulista no ano do quarto centenário da cidade de São Paulo. Aquilo ficou na memória, tanto que me tornei corintiano. Mas a figura de Djalma Santos já estava lá. Balas Equipe, Balas Federação, que faziam a alegria da meninada traziam estampadas as fotos dos craques. Manga, Cabeção, Gilmar, Tremembé, Luizinho, Esquerdinha, Poy, Djalma Santos e muitos outros. Aprendi que podemos ser simpatizantes de uma equipe sem desmerecer as qualidades de outras. E Djalma Santos, por mais corintiano que eu fosse, confirmava esse aprendizado. Leal, combatente, decisivo, levou as cores do Palmeiras, do Brasil, da Portuguesa e do Atlético Paranaense sem jamais enlameá-las. Que Deus o tenha no pódio dos vencedores.

João Augusto em 24 de julho de 2013

Dois registros a acrescentar ao teu brilhante comentário sobre o Mestre Djalma.Só jogou uma partida (a final contra a Suécia) na Copa de 1958, entretanto, foi considerado o melhor lateral daquela copa. Além disso, foi o precursor na arte de fazer de um simples lateral um arremesso para dentro da área.Além de vê-lo em ação, tive a honra de conhece-lo pessoalmente, na cidade de Uberaba-MG em jantar com amigos comum. Um jantar inesquecível! Saudades.

JT em 24 de julho de 2013

Caro Pedro Luiz, O Djalma Santos começou a carreira na Portuguesa, mas foi no Palmeiras que ganhou seus principais títulos, além do bi-campeonato com a seleção brasileira. Ele encerrou a jornada no Atlético Paranaense. Se tivesse nascido uns 40 anos depois, e com o talento e a saúde de ferro que possuía, seria hoje um multi-milionário com passagens por grandes times da Europa.

Pedro Luiz Moreira lima em 24 de julho de 2013

Caro JT: Gostaria que me tirasse uma duvida - sempre achei que o Velho e Eterno Djalma Santos tenha começado e terminado sua carreira na Portuguesa de Desportos,tira minha duvida por favor. Abraços Pedro Luiz

Rodrigo Leal em 24 de julho de 2013

não poderia deixar de citar que ele nunca foi expulso de campo!

JT em 24 de julho de 2013

Acabo de entrar no site do Palmeiras e tive a triste constatação, já prevista, da falta de respeito de um clube com um de seus principais ídolos. A notícia sobre o falecimento do Djalma santos é apenas uma entre as DEZ chamadas rotativas da primeira página. Deram o mesmo destaque para outra nota tãi importante como "Palmeiras treina e nutricionista comanda trabalho de hidratação". Não é por acaso que o Palmeiras está na segunda divisão. Nota ZERO para para esta tremenda falta de respeito. No mínimo o editor do site do Palmeiras deveria colocar uma página só de agradecimento ao jogador, antes do internauta visitar o site propriamente dito, mas parece que vender camisa é mais importante hoje em dia. VALEU, DJALMA SANTOS! Pelo menos a torcida palmeirense lhe será eternamente grata. Assino embaixo, caro Jean. O Palmeiras era o time de meu inesquecível Pai e, mesmo sendo corintiano, tenho grande respeito pelo clube e gostaria de vê-lo de novo do tamanho que merece. Isso inclui cultuar e respeitar os ídolos do passado. Abração

sidney em 24 de julho de 2013

Grande Setti Obrigado pelo presente apesar da - triste news - !! Ele o Digalmao ; marcou como muitos a sua - EPOCA - e ; mostrou a que veio ao contrariu ( se me permites ) , de muitos que ai estao por ai encastelados e podemos considera-los todos como e infelizmente os - AMADORES DE PLANTAO - !!! Um baita abraco

Marco em 24 de julho de 2013

D. Setti, parabéns por achar esse vídeo e mais uma justíssima homenagem do Blog, a extraordinários jogadores de futebol. Depois das imagens dizer o "q", tvz ligação direta, mas se na época era assim. Realmente ,na posição dele acho difícil aparecer outro igual. Muito legal o vídeo! Abs.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI