Image
Felipão nunca deixou claro se convocaria Diego Costa ou não — e nem as razões que, finalmente, fizeram com que o jogador optasse por atuar pela Espanha. Acho que Felipão tinha suas (boas) razões (Fotos: Reuters :: Getty Images)

Vocês notaram a cena ocorrida alguns minutos depois do golaço de cabeça feito por Robin van Persie ontem, contra a Espanha — o gol que decretou o empate de 1 a 1 antes da Holanda partir para a goleada?

Viram a cabeçada desleal que o brasileiro também com nacionalidade espanhola Diego Costa aplicou, fora de qualquer jogada, no defensor holandês Bruno Martins Indi?

Pois é. Acho que foi por esse tipo de coisa que Felipão, que é adepto de formar “famílias” nos times que dirige mas é um ferrenho adepto da disciplina, acabou não garantindo ao jogador sua convocação para a Seleção, o que fez com que ele optasse por defender as cores da Espanha e não o time canarinho.

O prontuário oficial de Diego Costa não é ruim, não, em matéria disciplinar. Desde 2006 na Europa, onde já gramou em seis times modestos antes de finalmente fincar raízes no Atlético de Madrid, campeão espanhol deste ano e finalista da Liga dos Campeões da Europa, ele obteve 56 cartões amarelos em sua carreira e apenas um vermelho.

De todo modo, como vivo parte do tempo na Espanha há anos por razões familiares e acompanho de perto o futebol espanhol (como mero torcedor), já vi várias vezes Diego Costa ter esse mesmo tipo de atitude em relação a Bruno Martins Indi contra outros adversários, longe das vistas do juiz.

Eu o considero um jogador desleal e encrenqueiro. Podendo, dá um pisão a mais em um adversário caído, deixa escorregar um cotovelo no rosto do marcador, e por aí vai.

Por leitura labial, consegui distinguir claramente, em mais de uma partida de seu Atlético de Madrid contra o Real Madrid, por exemplo, ele provocar com xingamentos pesados, em português, a Cristiano Ronaldo, tentando desconcentrar o craque e fazê-lo perder a cabeça. Xingamentos baixos, humilhantes, desses que é muito difícil levar para casa.

Tudo somado, e considerando que em meu modesto entender a Seleção está bem servida de atacantes “de referência” ou não, acabo por concordar com Felipão. Decididamente, não gosto de Diego Costa.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 1 =

Nenhum comentário

Na Planície em 19 de junho de 2014

O treinador do Brasil é ferrenho adepto da disciplina que é peculiar à ele e não da disciplina do jogo limpo que deve nortear as partidas de futebol. Se o juiz apitar uma infração desfavorável ao time dele, o juiz é acusado por ele de estar com parcialidade, se o juiz apitar a favor dele, aí o juiz está correto. Ademais, quem não se lembra que durante o campeonato paulista ele exortava seus comandados do Palmeiras, no vestiário, a parar a ofensiva do Corinthians com faltas ? E depois, já na Europa, como treinador da seleção portuguesa, agrediu o jogador Ivica Dragutinovic da seleção sérvia com um soco, o que lhe rendeu suspensão por 4 jogos e multa de 12 mil euros pela UEFA. Então disciplinador ele não é, ele tem é uma disciplina peculiar, a qual não reputo como disciplina que sirva de modelo para um grupo. Disciplinador era mestre Telê Santana, que também era defensor do futebol bem jogado, sem artimanhas. Decididamente, não tenho simpatia por Felipão, cuja arrogância e grosseria sempre vêm à tona, é só observar.

Herick Rangel do Nascimento em 18 de junho de 2014

Ricardo Setti sua opinião sobre o Diego Costa vai mudar quando ele for o artilheiro e melhor jogador da Copa com a campeã seleção espanhola da Copa 2014.. Então depois vc e milhões de pessoas que o criticaram pela opção de jogar pela Espanha.. Aguardem!

jose alberto em 17 de junho de 2014

Caro Ricardo - a não convocação de Diego Costa foi um erro imperdoável de Felipão. Mesmo na reserva, ele é de uma qualidade técnica muito superior ao Jo. No primeiro jogo contra a Croácia, Fred não jogou nada.Em uma copa do mundo,tem-se que escolher os melhores.Na hora H, eles fazem a diferença.

Alexandre de Jesus Veiga Lopes em 17 de junho de 2014

O Diego Costa é desleal, quem não viu ele brigando com os zagueiros do Real Madrid na final da Champions, se bem que S. Ramos e Pepe não são flor que se cheire. Eu acho que pela qualidade técnica ele seria titular da seleção brasileira, mas se essa for a justificativa de Felipão, eu estou de acordo. Só de brasileiro desleal (ou pelo menos que nasceu no Brasil), o futebol mundial está abonado, são eles: Pepe, Felipe Melo, Kleber, Luis Fabiano, Dagoberto... Os reis das cutuveladas

P Faustini em 17 de junho de 2014

Brasileiro da Espanha tem atitude desleal, brasileiro de Portugal idem , e tem gente que ainda defende a "malandragem" do jogador brasileiro, sem contar a deslealdade de fingir contusões penaltis etc

Antonio Henrique em 17 de junho de 2014

Se fosse por falta de espírito esportivo nem o Neymar seria relacionado por Felipão. Ou será que o Sr. não viu a cotovelada que Neymar acertou no croata.

Corinthians em 17 de junho de 2014

Setti, Neste caso discordo. Felipão não é conhecido como um fomentador do "jogo limpo". Pelo contrário, é fácil ouvir ele pedindo que o meio-campista faça falta e utilize o método - que não deixa de ser violência - como tática. Talvez sim, pela falta de confiança de que seria capaz de controlar o temperamento do jogador... mas nada além disso. Só vi um técnico pedindo para o jogador defender mas "na bola" e "sem falta". Tite. Este sim faz falta ao Corinthians... #VoltaTite

Cronos em 17 de junho de 2014

Diego Costa:página virada.

Márcio em 16 de junho de 2014

Acho que ele o convocaria para tirá-lo da Espanha; mas o manteria no banco da seleção brasileira só para desfalcar a Fúria...

Ramos em 16 de junho de 2014

Concordo com você Maurilio. O maior desejo de todo jogador e jogar a Copa do Mundo. Ele não seria convocado, foi baixaria que fizeram, além do mais, esta atitude do Felipao, fez a família dele, mãe e pai, ser ofendidos no estádio.

carlos nascimento em 16 de junho de 2014

Grande RS, Perdoe-me pelo sacrilégio, foi apenas uma "brincadeira", talvez tenha sido de péssimo gosto, ando um pouco sem paciência, o episódio do "ultrajano" me deixou irritado, pois descubro que talvez o Juca tenha endossado às críticas ao nosso amigo AN, isso é inaceitável. Alias, gostaria de ler sua posição sobre esse triste episódio. Vc diz que Messi gosta de mandar, então se confirma o que todo mundo anda dizendo, que a queda de produção do Barcelona, além da fadiga de material, tem um pouco de ciumeira com a chegada do Neymar, o brilho do garoto ofuscou o ego do argentino. Faço uma aposta com vc, a Argentina não será finalista, o jogo de ontem me deu essa certeza, a zaga dos hermanos é uma tragédia anunciada, como frisei em post anterior, não acredito que time de anões superem no jogo aéreo os fortes concorrentes. O Uruguai que vc apostava,creio que já dançou, Portugal com a sua joia não tão rara - CR7 - idem, a Espanha pode virar o jogo, ainda aposto minhas fichas neles, agora, Alemanha e a velha senhora - Itália - vão chegar, com toda certeza. abração. Concordo com você em relação à Argentina, à Espanha, à Alemanha e à Itália. Em relação ao episódio que você menciona, acho espantoso responsabilizarem jornalistas pela reação espontânea -- cujo conteúdo, aliás, eu condenei -- de multidões que xingam a presidente.

Maurilio em 16 de junho de 2014

Felipão de fato jamais cogitou a sério a convocação de Diego Costa. O centro-avante dele sempre foi o Fred. Tentou um estratagema que impossibilitaria a convocação do jogador pela seleção espanhola; visava na verdade desfalcar o possível e ainda perigoso adversário. Não pegou bem aquele papo dele sobre patriotismo, tentando desqualificar o jogador.

Alan XY em 16 de junho de 2014

Nossa seleção não precisa do D Costa. Mas e a Alemanha! Redescobriu o Brasil em Cabrália e meteu uma goleada sobre Portugal. Se depender de mim mudamos nossa língua oficial para alemão. rarararararara

Moacir em 16 de junho de 2014

Caro Ricardo, acho que há um errinho de português no título do "post". O certo seria "nunca explicou por que". Obrigado.

carlos nascimento em 16 de junho de 2014

Ricardo, Me desculpe, vejo contradições em suas análises, explico: - Vc ficou chateado com o treinador da Argentina por não ter convocado o ex.ídolo do Corinthians e seu também - Carlitos Tevez - para o mundial 2014. As razões são idênticas, o jogador pode ser craque, mas é desagregador, quer dizer, hoje descobri que o seu coração é verdadeiramente "apaixonado" pelo Corinthians, somente isso para turvar sua análise. Cuidado, vc acaba virando "petralha", que tem a filosofia de para os seus tudo pode, para os outros.....é errado. Está perdoado. abração. No dia em que eu me transformar no que você teme, meu amigo Carlos, pode saber que o mundo estará acabando... Na verdade, não é o Tevez que é desagregador. O Messi é que manda nos times de que participa -- tenha ou não razão para suas implicâncias. Isso não impede que eu o considere um fabuloso jogador de futebol, dos melhores da história.

Luiz em 16 de junho de 2014

Caro RICARDO, acredito que vc esteja equivocado, jogador bonzinho nao existe, quase que a total maioria faz o que ele faz, preste atencao em DAVI LUIZ, toda bola entra destemperado e na maioria das vezes com maldade, para pegar o jogador em vez da bola. Ninguem fala nada, e ainda dizem que e o melhor zagueiro do mundo, o qual discordo.

Paulo Marcelo Farias Moreira em 16 de junho de 2014

Esse cara só teria vez aqui no meu tricolor, Fortaleza Esporte Clube, mas somente enquanto estivermos na série C. Acho que o Felipão apenas deu corda para os espanhóis.

claudio em 16 de junho de 2014

Baseado neste criterio, nao deveria levar Marcelo e Neymar. O primeiro é esquentado e pode ser expulso ao ser provocado e o segundo adora dar com a "mao na cara" dos adversários. Apenas como exemplo os jogos contra a Sérvia e Croácia.

marcior.g.cortes em 16 de junho de 2014

Caro Ricardo, Muito feliz, soube, hoje, que o grande heptacampeao, Michael Schumacher saiu do coma. Forca schummi.

Marco Antonio - Curitiba (PR) em 16 de junho de 2014

Atitude sensata de Felipao. Levar outro Felipe Melo pra Copa seria o sonho dos nossos adversários.

pierre em 16 de junho de 2014

Nos também,não gostamos desse jogador! Mas, registre-se, pior que elle, foi a estupidez do brasileiro Pepe,pela seleção de Portugal contra a Alemanha! Portugal foi humilhada, graças à burrice de um nacionalizado que não sabe o "fair play"! Será que faltou Educação para esses jogadores agressores?

Bajulador em 16 de junho de 2014

Igual esse cara tem uns 1.000 no Brasil.

Cidadão Quem em 16 de junho de 2014

Diego e o restante da seleção espanhola são, por assim dizer, superestimados. Jogam bola. Jogam bem. Mas, ainda assim, são superestimados. Beneficiam-se do grande intercâmbio com alguns dos melhores jogadores de outros países, além, obviamente, de "trabalharem" no cenário europeu, reconhecidamente um dos melhores teatros futebolísticos do mundo. Por tudo, principalmente pelas altas somas investidas no esporte e nos jogadores, a Espanha não teria como ser medíocre. Agora, vai uma longa distância querer que essa seleção, uma potência regional, se torne referência para o futebol no mundo. Diego Costa não faz falta à seleção brasileira. Como ele, temos uns três ou quatro bons atacantes, além dos que já estão na seleção.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI