Image
Marie Trintignant: assassinada a socos e pontapés pelo namorado Cantat

Nada mais justo. A prefeitura de Barcelona, na Espanha, acaba de desconvidar o cantor francês Bertrand Cantat para participar de um dos maiores festivais de música e dança do verão europeu – o Grec, que transcorre num magnífico anfiteatro ao ar livre e em diversos outras casas es espetáculo.

Image
Cantat: condenado a 8 anos de cadeia, e livre 4 anos depois por “bom comportamento”

Cantat, ex-líder do grupo de rock Noir Désir, foi o brutamontes que em 2003 massacrou a socos e pontapés sua namorada de então, a atriz também francesa Marie Trintignant, num quarto de hotel em Vilnius, na Lituânia, onde ela filmava.

A bela e talentosa filha de Jean-Louis Trintignant – legenda do cinema francês –, foi encontrada pela polícia em coma profundo, e, mesmo submetida a duas cirurgias no cérebro e levada pelos pais a um dos melhores hospitais de Paris, morreu sem nunca haver recobrado a consciência. Tinha fraturas no crânio e na face, e o rosto desfigurado pela violência do criminoso.

Respeito pelas vítimas

O cantor foi condenado a 8 anos de cadeia na Lituânia, transferido depois para a França mas – lá também tem disso –, apesar da brutalidade do crime, saiu 4 anos depois por “bom comportamento”.

O desconvite para o Festival Grec 2011 partiu do secretário da Cultura de Barcelona, Jordi Martí. “Sob o ponto de vista do Estado de Direito, é claro que Cantat cumpriu sua pena e está no direito de exercer sua profissão”, explicou ele. “Mas não se pode deixar de lado a sensibilidade das vítimas. Devemos ter em relação a elas uma atitude de respeito, ainda mais em uma obra que fala das mulheres”.

Por ironia, o assassino participaria do espetáculo Des Femmes (“Mulheres”), sob a direção do diretor libanês-canadense Wajdi Mouawad, com base em obras de Sófocles.

“Num programa público como o Grec não se pode ceder o cenário a alguém como Cantat, condenado pelo assassinato de sua mulher, porque isto pode ser visto como uma provocação por parte das vítimas de um dos tipos mais bestiais de crime”, disse Martí.

Em se tratando da Espanha, naturalmente, não se chegou a essa decisão sem grande discussão política sobre se o cantor teria ou não direito à “reinserção social” depois de cumprir apenas quatro anos de cadeia por matar a namorada a pancadas, ou se era justo “condená-lo ao silêncio”.

O fato é que, em abril passado, depois de protesto, absolutamente compreensível, do pai de Marie, o festival de Avignon, na França, excluiu o cantor de sua programação, e ele próprio desistiu de um evento no Canadá francês por temor de não receber  visto de entrada do governo.

O corpo de Marie Joséphine Innocente Trintignant repousa no Cemitério de Paire Lachaise, em Paris.

Image
 Marie Trintignant: 11/01/1962 –  01/08/2003

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − quatro =

13 Comentários

carolina em 12 de maio de 2011

pelo jeito lá é a mesma m#

Alcides em 12 de maio de 2011

Nossa leniência penal encontra raizes na França

Jeremias-no-deserto em 11 de maio de 2011

O que surpreende nesse crime abominável e´a pena tão suave imposta ao assassino, que acabou também com a carreira do grande ator Jean Trintignant, pai de Marie que não mais se recuperou da perda da filha.

veiaco em 11 de maio de 2011

Nada mais justo e coerente. Aqui para provocar estão concedendo medalhas a quem não merece.

João Lavador. em 11 de maio de 2011

No meu entendimento: Complementando 19:11: Dai a importancia do´s dispositivos legais que decretam o raios de distancia física entre a vítima potencial e o agressor potencial.

João Lavador. em 11 de maio de 2011

No meu entendimento:Esse caso tem tudo pra ter sido a combinação de uma paixão extrema que beirava a adoração combinada com desquilíbrio Psíquico-emocional( por motivos genéticos ou adquirido através stress superintenso e/ou consumo de drogas).Neste caso nem adiantaria ter ciencia de que o homicídio resultaria numa prisão perpétua sem direito a liberdade condicional. Lamentável,pois,quem perdeu tudo inclusive toda uma vida pela frente foi tão somente a vítima.

Vera Scheidemann em 11 de maio de 2011

Bela decisão da Prefeitura de Barcelona. Merece aplausos ! Vera

Wes em 11 de maio de 2011

Será que na França não aparecerá ninguém com coragem para fazer justiça e mandar esse filho do capeta, que comprou o tribunal da Lituânia, para o beleléu?

aninha em 11 de maio de 2011

Parabéns aos organizadores de ambos os festivais, parabéns mesmo. Muito obrigada pela divulgação, Ricardo!

wilson em 10 de maio de 2011

Tem oab na frança? acho que sim, este indivíduo tem que se inserir na sociedade? claro dos vermes.

Altamiro Martins em 10 de maio de 2011

Deus do Cèu! Como Pode? Não sabia disso... Essa criatura abominável deveria merecer, no mínimo, prisão perpétua. E veja, Setti, a brandura da pena e o privilégio de redução por "bom comportamento"... Não é só no Brasil que essas excrescências jurídicas acontecem.

Sergio em 10 de maio de 2011

Filhos duma égua covardes. Não sei o que aconteceu para que o idiota tenha tido esse acesso de violência, mas nada, nada justifica agredir uma pessoa desta forma, principalmente uma mulher fisicamente mais fraca. Queria ver a coragem deste idiota na frente de um homem. Uma pessoa dessas deveria ficar a vida inteira atrás das grades. É um absurdo que uma pessoa dessas passe apenas 4 anos presa, tamanha a devastação que causou na vida da moça e dos familiares. Um ser que não tem autocontrole como ele deve ser afastada do convívio em sociedade, definitivamente.

JCB/RJ em 10 de maio de 2011

Olá Ricardo, ela era linda. Já esse cantor de rock francês (pardone-moi, existe rock francês?)é uma porcaria só. Fica talvez o mau consolo de que dar mole a criminosos celebridades não é exclusividade de Banânia. Señor Martí fez muito bem em desconvidá-lo.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI