FORÇAS ARMADAS: Depoimentos dramáticos de militares mostram as razões de frustração com a carreira

 

Quartel-General do Exército, em Brasília (Foto: Arquivo do Exército)

Quartel-General do Exército, em Brasília: são muitas as queixas em relação à Força, como também à Marinha e à Aeronáutica (Foto: Arquivo do Exército)

Teve grande repercussão Post do Leitor com texto do coronel reformado do Exército Marco Antonio Esteves Balbi apontando as possíveis razões pelas quais centenas de oficiais pedem demissão das Forças Armadas anualmente: em três dias, mais de 40 mil acessos — e as visitas ao post continuam.

Campeões de audiênciaO post provocou também muitos comentários de militares ou ex-militares das três Armas e de diferentes graduações, explicitando, na maior parte, as razões de seu desencanto com a carreira militar.

Acho que o blog presta um serviço aos responsáveis ao registrar aqui algumas das opiniões, não raro dramáticas ou muito críticas, desses integrantes ou ex-integrantes das Forças Armadas. Opiniões como essas deveriam, no mínimo, provocar reflexões do Ministério da Defesa, dos comandantes militares e do governo.

Não identifiquei os autores por razões óbvias.

Confiram:

De um engenheiro militar

“Sou engenheiro militar, formado pelo Instituto Militar de Engenharia (IME).

Atualmente, mais de 50% da minha turma já saiu do Exército, e outros tantos estudam para concurso público. O salário, abaixo das expectativas e muito aquém daqueles percebidos por peritos da Polícia Federal, engenheiros do Senado, fiscais do dos tribunais de contas municipais, do Tribunal de Contas da União, fiscais de impostos etc, faz com que o engenheiro militar (que é um camarada inteligente) pense em sair.

Aliado a isso estão a falta de recursos para pesquisa e desenvolvimento, o sucateamento dos materiais, a burocracia exagerada (engessamento pela Lei nº 8.666, de 1993), a falta de visão de futuro por parte do alto escalão (falta de uma política de continuidade das pesquisas e do orçamento) e a estruturação da carreira.

Inconcebível [para as Forças Armadas] achar que vão conseguir permanecer com engenheiros de alto nível (formados pelo IME ou pelo Instituto Tecnológico da Aeronáutica, ITA) pagando 5.500 reais (líquidos) por mês, com dedicação exclusiva (sem poder trabalhar em outra coisa), sem horários (regime integral), tirando serviço de 32 horas (24h + 8h de expediente), fazendo mudança com sua família a cada 3 anos, sem incentivo para fazer um mestrado ou doutorado (mestrado bruto sobre salario – 8% e doutorado – 5%).

Nem ao menos os direitos trabalhistas concebidos pela CLT nos são aplicados (FGTS, hora extra, etc…).

Vivemos no século XXI — mas com condições de trabalho, rituais e mentalidade praticados no século XIX. A única coisa que evoluiu foi o desprestígio”.

 

O desfile militar de 7 de setembro do ano passado, em Brasília: integrantes das três Forças Armadas têm críticas e exprimem frustração com a carreira (Foto: Agência Brasil)

Do militar que não identifica Arma e posto Eder

“Acredito que vai melhorar!! É notável a desvalorização social e a inferioridade salarial dos militares em relação ao funcionalismo público federal, do qual fazemos parte.

É duro saber tal realidade e conviver com ela.

Tiraram quase tudo de nós: licença-prêmio, posto acima após ida para reserva remunerada, etc etc…

Mas vai melhorar”.

 

Do ex-capitão do Exército Kleber

“Passei em concurso para auditor fiscal do trabalho em 2007 e deixei o Exército no posto de capitão. Meu subsídio atualmente é de 20 mil, bem superior ao de major, posto que estaria ocupando atualmente.

Deixei o Exército pensando em ganhar mais, mas depois percebi que deveria ter saído antes, mesmo que para ganhar menos”.

“Passei quase 10 anos da minha vida dentro das Forças Armadas, na maior parte do tempo, sob o julgo de pessoas despreparadas, autoritárias e sem muito comprometimento.

 

Do sargento da Marinha S. M.

“Não somos valorizados, somos menosprezados e desprezados, mas quando a polícia não dá conta…. ‘Chamem os militares’.

Quando há tragédias…

‘Chamem os militares’.

Epidemia de dengue e outras mais… ‘Chamem os militares’.

E por aí vai!”

Do ex-marinheiro e ex-praça do Exército Leonardo

“Depois de 3 anos ‘descascando batata no porão’ na Marinha e 5 anos e meio como’soldadinho de chumbo’ no Exército, saí para a Polícia Rodoviária Federal e pude perceber quão inútil eu era para a Nação brasileira.

Inútil não por vontade própria, mas o sistema faz todos serem inúteis. Fora a disciplina e a preparação física, nada mais se aproveita na rotina do militar. As praças trabalham para satisfazer o ego do oficialato, que na maioria das vezes, utiliza-se de regulamentos desatualizados e inconstitucionais para valer sua tirania.

Enfim, depois de 5 anos olho ora trás e vejo que, se houvesse vontade, muita coisa boa poderia ser feito para resgatar o orgulho militar, mas o que vejo é apenas que o sistema continua burro e opressor”.

 

Exercícios da Academia Militar das Agulhas Negras, AMAN (Foto: Arquivo do Exército)

Exercícios da Academia Militar das Agulhas Negras, AMAN (Foto: Arquivo do Exército)

 

Do ex-suboficial da Força Aérea Brasileira Jorge 

“Deixei a FAB com 23 anos de serviço — já era suboficial — e para ganhar um pouco menos no início, mas hoje ganho quase 5 vezes mais como servidor público civil.

Não saí só por causa de salário, mas por não ver nenhuma perspectiva de futuro, a não ser marchar, marchar e marchar para um monte de inúteis ficarem olhando.

Estava me sentindo como se fosse invisível, ninguém dá valor. Não me arrependi nem um pouco, e hoje tenho certeza de que não morrerei frustrado, e tudo porque parti para uma vida diferente e muito melhor.

Também não desprezo a Força, que me deu muitas alegrias no início da carreira, deixei muitos amigos lá, mas tudo tem seu tempo.

Hoje meus filhos estão bem encaminhados, a ainda bem que não escolheram seguir esse caminho”.

 

 Do ex-soldado do Exército Helton

“Servi como soldado em 2002 no 31º Batalhão de Infantaria Motorizada (31 BIMTz) , sediado em Campina Grande (PB), fiz concurso para a Escola de Sargento de Armas (ESA) e infelizmente não passei, mas continuo a tentar: as Forças Armadas dão estabilidade.

Sei que há muito o que melhorar e que estão perdendo muita gente inteligente , mas ainda é uma das melhores carreiras”.

 

Do militar que não identifica Arma e posto Eustáquio

“Não passamos 24 horas por dia à disposição de organizações militares; passamos a vida toda à disposição da Nação”.

 

Do militar do Exército Lamarca

“O Exército infelizmente está no gelo, vejo isso pelas escalas de serviço que são penosas e sugadas!

O recruta, o soldado antigo, o cabo, seja cabo da guarda ou motorista, as missões que nos dão e tudo isso nos impede de termos uma vida familiar nos fins de semana (…).

Tudo isso ocorre por que temos poucos homens e, com poucos homens, não tem quem colocar nas escalas de serviço para ficarem largas e assim termos folgas (…).

Se o Exercito não tem gente para fazer seus próprios serviços, imagine pra uma guerra?! Quem nos salvará?”

 

Do sargento do Exército O. J. 

“Sou sargento do Exército e estou aguardando minha nomeação para dar baixa; não é só o salário baixo, são também a mentalidade atrasada, as constantes movimentações, as falcatruas nas licitações.

Uma coisa irracional é um sargento com mais de dez anos de serviço, experiência na Amazônia, que já serviu em mais de seis Estados da federação ser subordinado a um oficial temporário, sempre ‘filhinho de papai’, que não tem conhecimento profissional, apenas é peixe de ‘alguém’ que conseguiu colocá-lo num CPOR [Centro de Preparação de Oficiais da Reserva] da vida.

É humilhante ter como superior um cara que você tem que dizer a ele o que tem que ser feito e se você não o faz sempre aparece alguém para te cobrar.

É obrigação do sargento de carreira orientar o oficial temporário para que ele não cometa erros. Só no Exército isso ocorre: o subordinado ter que ensinar ao superior a trabalhar, mesmo ganhando metade do salário. O Exército inverte a lógica, o que é simplesmente imoral”.

 

 

Instalações do Instituto Tecnológico de Aeronáutica, em São José dos Campos (SP), um dos grandes centros de excelência do país (Foto: defesanet.com.br)

Do ex-oficial engenheiro da FAB Leonardo

“Eu fui oficial engenheiro da FAB por 5 anos, trabalhava com manutenção de aeronaves e dificilmente via faltar dinheiro para os reparos necessários.

No entanto, o que vi bastante (e isso foi um dos motivos principais para minha saída) foi desorganização estrutural, ineficiência administrativa, falta de competência em gestão dos oficiais superiores e dos oficiais generais, aliadas a uma boa dose de excesso de ego, que os fazia tomar todo tipo de decisões arbitrárias, sem precisar dar satisfação sobre o dinheiro público gasto de maneira ineficaz.

É certo que existe um grande problema macro, porém creio também que as FFAA já tinham que ter começado a rever seus problemas internos antes de saírem jogando toda a culpa na ‘falta de apoio’ do governo”.

 

Do militar do Exército Mário

“Sou militar da ativa logo passarei para a reserva, se Deus permitir. Vibro muito em ser militar do EXÉRCITO, mas hoje vejo que perdi muito tempo tendo esperança de que um dia a minha carreira iria melhorar.

O resultado é que me arrependo muito de ter ficado no Exército, com uma carreira muito frustante e miserável. Olhando para tropas de outros países, são vergonhosos os nossos equipamentos, muito ultrapassados.

Do jeito que se segue é melhor fechar as portas”.

 

Do militar do Exército Bernardino

“Os praças sim, especialmente os sargentos do quadro especial (Sgt QE), cabos e soldados, vivem em extrema dificuldade financeira.

Além do salário ser o menor de todos, não têm nem uma ajuda adicional, como por exemplo uma transferência de sede a cada dois ou três anos, que na minha opinião deveria ocorrer, e outras coisas mais, pois é essa turma que realmente carrega a base da Força nas costas, como por exemplo; motoristas de carreta de tanques, motoristas de viaturas de todos os tipos, mecânicos, eletricistas, cozinheiro, pedreiros, pintores e ocupantes de outras funções, além do o próprio combatente de fogo”.

 

Do sargento da FAB Alexandre

“Sou graduado (sargento especialista) da FAB e posso assegurar que o número de baixas entre os sargentos é muito maior que a dos oficiais, por ganharem menos ainda, terem uma escala de serviço apertada e uma pouca valorização no seu plano de carreira em relação aos oficiais e mesmo aos taifeiros, que são equiparados aos sargentos, sem nenhum concurso”.

 

De um sargento do Exército

“Estou na ativa e tenho a plena convicção de que as Forças Armadas estão totalmente falidas. Nós, praças, sargentos e familiares a cada dia somos mais humilhados , desvalorizados e nos sentimos envergonhados de vestir essa ilusão que se chama Forças Desarmadas.

O que ainda deixa essa farsa de pé é o inconstitucional Regulamento Disciplinar que subjuga e rebaixa profissionais (pais de família) a situações desumanas”.

 

Do ex-militar da Marinha “Feliz da Vida”

“Saí da Marinha em 2006, na época para ganhar metade do que ganhava na Força.

Não me arrependi em nenhum momento.

Militar não tem gestão de recursos humanos, não sabe o significado de capital humano. Lá existe a Divisão de Pessoal.

Saí como segundo-tenente intendente, 2 anos depois passei em um bom concurso e hoje ganho quase o dobro dos capitães da minha turma.

Posso pagar colégio pro meu filho e vê-lo crescer…

Jovem oficial saia das Forças Armadas e vá ser feliz!”

 

A sede do Instituto Militar de Engenharia, subordinado ao Exército, no bairro da Urca, no Rio de Janeiro — outro reconhecido centro de excelência (Foto: IME)

Da militar que não identifica Arma ou posto Maria

“A falta de materiais e seus desgastes tanto nos campos, armas e aviões/carros são conhecidos por toda família militar. Conviver com tais precariedades faz questionar que tipo de proteção podemos dar ao país!

O salário baixo pesa, o fim de semana trabalhando em prol da pátria agride, a falta de estrutura coloca em risco a própria vida, o sonho de um dia ter participado das Forças Armadas e ter orgulho em vestir a farda está acabando com uma juventude que QUERIA PROTEGER O PAÍS, queria… pq não se tem condições com o que é oferecido pelos governantes…

Os militares estão tão desprotegidos quanto o restante do povo…. a única diferença é q estão fardados!”

 

2ª Brigada de Infantaria de Selva (Foto: S Ten Brandi)

Soldados da 2ª Brigada de Infantaria de Selva, sediada em São Gabriel da Cachoeira (AM) (Foto: S Ten Brandi)

 

 Do militar que não identifica Arma ou posto Flavio

“Não podemos colocar a culpa somente no governo, nós (das Forças Armadas) sabemos que nossos superiores não estão preocupados com a atual situação dos milicos, principalmente dos praças”.

 

Do militar que não identifica Arma ou posto Morfeu

“A situação atual dos oficiais não é nem de longe a situação lamentável e deprimente em que vivem os praças e seus familiares.

A vaidade, incompetência, falta de coragem e o egoísmo dos oficiais superiores, aliados à falta de perspectiva na carreira, são fatores que inicialmente podem explicar essa vergonhosa situação”.

 

Do 3º sargento do Exército Vitor

“A situação tem se agravado e não há expectativa para mudanças positivas. Hoje, o 3º Sargento no Exército Brasileiro é considerado peça de luxo, pois a procura pelo concurso (ESA) para ingresso tem diminuído a cada ano e os que estão dentro lutam incessantemente para sair. O objetivo é aprovação num concurso que até ofereça menor salário que as Forças Armadas, em algumas situações, mas que dê, na maioria das vezes, melhores expectativas que a carreira militar. As Forças Armadas são uma fortaleza em decadência no Brasil” (Vitor)

 

 

Papel importante na selva brasileira (Foto: Arquivo do Exército)

As Forças Armadas desempenham, como se sabe, papel importante nas vastas regiões de selva do país (Foto: Arquivo do Exército)

 Do militar que não identifica Arma ou posto Navy Seal

“Os próprios líderes — generais, brigadeiros e almirantes — parecem não estar preocupados com a motivação da tropa… isto sem contar que os mais antigos vão para a reserva e voltam contratados para fazer muito pouco, prejudicando a renovação das lideranças dentro das Forças Armadas”.

 

De um capitão engenheiro militar do Exército

“Sou filho e irmão de oficiais militares do Exército, atualmente capitão engenheiro militar, com quase 17 anos de serviço, bacharel em Ciências Militares formado pela Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e engenheiro formado Instituto Militar de Engenharia (IME).

Falo 2 idiomas — inglês e alemão –, tenho 3 pós-graduações concluídas e estou finalizando uma terceira graduação em Engenharia Civil ano que vem.

Estou me despedindo em breve do Exército para investir na carreira empresarial (…) Vou correr atrás de meus sonhos e realizações profissionais.

Não cuspo na prato em que comi, agradeço muito ao Exército por tudo que tenho e aprendi nesses anos, mas o que o Exército tem a me oferecer nos meus próximos anos de serviço em termos de carreira, financeiros e profissionais não me interessam”.

 

LEIAM TAMBÉM:

Forças Armadas: 249 oficiais se demitiram no ano passado. Neste ano, até julho, foram 162. O que é que está acontecendo?

Baixos salários fazem o Exército perder oficiais — inclusive majores e capitães

JORNADA DA JUVENTUDE: Participação das Forças Armadas na segurança do evento é difícil e arriscada — um desafio para a instituição

Roubalheira até no quartel, general?

Eis a primeira mulher a chegar a almirante no Brasil

As mulheres no Exército receberão treinamento para entrar em combate. Vocês sabiam?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

694 Comentários

  • Rodrigo

    Quero dar-lhe os parabéns, Setti, por ser o ÚNICO jornalista, dentre os que eu leio, e não são poucos, a escrever regularmente sobre a difícil situação das Forças Armadas brasileiras. País que pleiteia ser grande e ter personalidade do mundo tem de ter Forças Armadas fortes, bem remuneradas, bem equipadas. No Brasil de hoje, os partidos simplesmente viraram as costas para a defesa. Mas você sempre levanta o assunto.

    Obrigado, caro Rodrigo.
    Estou querendo provocar o debate sobre a situação das FFAA.
    Se você puder divulgar o link deste post entre conhecidos que se interessam pelo tema, ou blogs especializados que o queiram reproduzir, agradeço muito.
    Um abração!

  • Luiz C.

    O Exército Brasileiro está tal qual o Elefante do Circo; não sabe a força que tem, e por isso aceita ser humilhado…

  • Rodrigo

    Vou divulgar esse link, prezado Setti. O ideal, no plano político, é que esse debate chegasse aos partidos e às eleições. Vi num programa de tevê uma pergunta dirigida pelo diplomata e ex-ministro Marcílio Marques Moreira ao então candidato a presidente Geraldo Alckmin sobre a situação das Forças Armadas, em 2006. A resposta de Alckmin foi trivial. De lá para cá, não vi mais nada.

    Obrigado, meu caro. A questão de fato é muito pouco discutida.
    E é um absurdo que seja assim.
    Abração

  • Danilo Campos

    A Forças Armadas no Brasil não passam de instituiçãoes de ensino. E como educadores, são os melhores que o país possui. Como carreira não preciso dizer nada, os comentários falam por si. Cursei o NPOR durante meu serviço militar obrigatório e me formei Aspirante. Desde o início do curso era um dos únicos que afirmava a todos que meu interesse não era a carreira. Estava ali pela formação. A remuneração inicial da carreira é atrativa, tanto que atraiu todos os meus colegas que se formaram comigo, mas eu sabia das limitações e levei em conta. O oficial da reserva só pode ficar 7 anos na ativa e depois tchau. Depois seria obrigado a começar do zero no mundo real. Preferi não arriscar atrasar a minha carreira, mesmo tendo que iniciar com remuneração bem abaixo que o exército me ofereceria.
    Hoje, com os problemas educacionais que o Brasil enfrenta, acredito que as OM são as melhores instiruições de ensino do país. As únicas que estão ainda não estão dominadas pelas ideologias de esquerda. Se todas as escolas públicas fossem militares com certeza estaríamos bem melhores nos índices educacionais.

  • Xavier

    Sou militar , da ativa, e oficial. Muitos comentários que li são de indivíduos extremamente revoltados e recalcados, como do ex soldado e marinheiro, que ficou quase 10 anos nas FFAA e falou mal de todo mundo. Se era tão ruim assim, pq não saiu? Muitos outros reclamam dos superiores, mas te digo, a maioria é fruustrada, e muito ruim, mas bota a culpa no sistema. A propósito, o praça (ST e Sgt) necessita apenas do 2º grau para se formar. Quer ganhar quanto? Pq não entrou pra AMAN em vez da ESA? Então não se comparem com os oficiais em termo de salário. A proposito, estes tb ganham muito mal pra responsabilidade de comandar 800 militares, vivem no fim de mundo e não ter alimentação, munição , combustível no seu quartel. Mas a maior culpa da penúria na qual nos encontramos não é da Dilma , do PT ou do LULA, mas sim dos nossos “grandes” chefes militares, alguns há 10 anos no poder sem largar o osso….

  • Cidadã Consciente

    Caro Setti, parabéns por abordar esse assunto!
    O que o Lullodilmopetismo estacfazendo com as forcas armadas e um verdadeiro crime de lesa-patria! O sucateamento, a desmoralização, o achincalhe, o abastardamento a que foram reduzidas as FFAA, e deveras preocupante.
    Isto parece um plano de vingança contra quem os impediu de implantar a ditadura, no Pais!
    O pior e que nao sao somente as forcas militares que estao sofrendo esse desmantelamento, o mesmo esta ocorrendo com a Policia Federal, como voce ja destacou em outras postagens.

    Veja o depoimento de um servidor publico da Policia Federal, sobre o que esta acontecendo lá dentro, e que esta dando causa a varias manifestacoes grevistas, pelo Pais:

    http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/112271/Policiais-federais-d%C3%A3o-prazo-para-serem-atendidos.htm

    Enviado via iPadAssim como todos o demais órgãos públicos, com maior enfase a POLÍCIA FEDERAL, o serviço público federal está abandonado pela administração do PT. O governo, desde o final do governo Lula, intensificou o APARELHAMENTO de todos os órgãos de fiscalização e/ou controle. A POLÍCIA FEDERAL está vivenciando o seu ocaso funcional/institucional pois aceitou a peia do governo, capitaneada pelo Ministro da Justiça, quem tem por missão principal CONTROLAR fortemente a atuação da PF, tirando-lhe atribuições, verbas e autonomia. Nada e nem ninguém pode investigado sem que o DG informe ao Ministro e dele obtenha autorização para fazer ou deixar de fazer algo que possa resvalar no governo e nos seus aliados. Para se ter uma pálida idéia do controle, nenhum grupo de policiais federais, em número superior a 10, vou repetir, 10(dez), podem cumprir ordem de missão policial sem que haja expressa autorização do referido ministro. O comando da PF, desde o deletério Luis Fernando Correia, está sob as rédeas curtas do governo federal e nada e nem ninguém do governo poderá ser alvo de investigação e os senhores delegados de polícia aceitaram e esse acordo para alcançarem seus objetivos e em consequência entregaram suas consciências ao governo para verem materializadas suas pretensões de total e eterno poder dentro do órgão. O movimentos dos policiais federais tem a intenção de chamar a atenção da sociedade brasileira para os desmandos e desvios de conduta, pessoais e do comando da PF, pois estão prevaricando ante ao desabrido comando de corrupção que assola o governo federal. Quem um dia acreditou que a PF poderia se constituir num celeiro de bravos destemidos homens que lutam para ajudar a acabar com a corrupção, ficará assombrado ao constatar que, hoje, a PF trabalha para o GOVERNO e não para o ESTADO. Ouçam o grito de alerta que aqui fazemos, pois a PF dá escancarada proteção aos ladrões do dinheiro público e detentores do poder. É preciso que a sociedade exija que a verdadeira POLÍCIA FEDERAL saia das mãos criminosas daqueles que a querem destruir e torná-la num aparelho de repressão do governo de plantão. Queremos a reestruturação do órgão para depurá-lo, antes que seja tarde demais…”

    Ao que parece, o lullodilmopetismo esta firmemente determinado a minar todas as instituicoes, rumo a implantação do comunismo em terras brasileiras, conforme o modelo das republiquetas bolivarianas.
    Isso e muito grave e precisamos ficar alertas!
    Grande abraço.

  • anselmo

    Todos são livres para ir e vir.
    Não discuto salário. Se profissão a ou b paga pouco é só trocar, se achar necessário.
    É fato que as forças armadas estão falidas.
    Assim como a profissão de educadores públicos, médicos públicos…

  • Maurício Goldberg Neto

    Prezado Ricardo,

    Não sei não, mas algo me diz que o enfraquecimento dos militares faz parte da estratégia do PT para se consolidar como força hegemônica no poder, sem qualquer possibilidade de serem apeados de lá! Como o exército é o último bastião na defesa da constituição e do estado democrático de direito, seu enfraquecimento é estratégico para que se possa, tão logo este se encontre incapaz de reagir, violar a constituição e finalmente instaurar uma ditadura comunista no país.

  • nei Brasil da paz

    Já entendi, a moleza acabou! Tem que trabalhar!
    Ok, desocupa a moita e dá lugar pra outro!
    Quem mandou votar no PT!
    Militar fá fodido e mal pago!
    Isso é carma depois que f… o país!
    Votem melhor próxima vez!
    Façam meditação e yoga para melhorar a vida…
    Tem mais general em Brasília do que na fronteira!
    Ficaram 30 anos discutindo se a dominação dos morros era grave perturbação da ordem ou não!

  • Trovão

    Ricardo
    Esses depoimentos só fazem enriquecer aquilo que já sabemos sobre as forças armadas, sempre censuradas pelos generais, impedidas de dar depoimentos, etc.
    Acredito que os militares, professores, médicos, educadores, cientistas, etc., servem muito mais para o país do que a classe política, que dispensa comentários.
    Será que não é hora perguntarmos, através de voces da imprensa, para a própria classe política, recheada de inúteis, de corruptos, de falsários, de condenados,
    o que elles estão fazendo com o país? Por quê esses inúteis ganham, sem trabalhar, sem produzir nada para o país, esses salários exorbitantes? Para que serve um congresso que é reprovado por quase 90% do povo?
    Se temos um país assolado pela corrupção, com a economia em frangalhos, com um conjunto de leis que beneficiam os bandidos de colarinho branco, alguma coisa tem que ser feita, e acredito, que deva começar pelas eleições de 2014, com o povo boicotando as eleições.

  • pampeano

    Caro Ricardo, eu já considerava vocês aí da VEJA, a nossa última trincheira, mas depois dessa reportagem os considero meus verdadeiros heróis que, embora sofram diariamente todo o tipo de ameaças e intimidações dessa corja lesa-pátria, não se arredam um milímetro sequer da verdade.
    Parabéns, do fundo do meu coração e que Deus o ilumine sempre.

  • Leonardo

    Às vezes fico me perguntando que tipo de profissão vale a pena seguir nesse país. Os jovens professores querem todos largar a profissão, eu mesmo só continuo nesse trabalho ingrato porque dar aulas é a única coisa que sei fazer e vai ser difícil me recolocar profissionalmente perto dos 30 anos. A molecada que se forma em engenharia está penando para conseguir emprego, a despeito da suposta falta de engenheiros. Os oficias querem das forças armadas. Gente que tem negócio próprio também reclama. Esse país é ingrato demais com quem estuda e se esforça!

  • Leonardo

    correção: Os oficias querem sair das forças armadas.

  • Luiz

    Agora é só rezar e torcer para que o Brasil não tenha qualquer conflito militar. Caso contrário, é melhoar assinar a rendição antes da tragédia.
    Depois da excelente matéria jornalística do grande Setti, espero que nossas autoridades políticas que ganham muito e produzem pouco, tomem providências.

  • Fernando Barone

    Me fica uma pergunta martelando… A tropa deveria confiar nos seus oficiais superiores, mas estes senhores estão de joelhos e calados para um grupelho de bandidos que achacam o erário com força descomunal e nada fazem para que essa tropa tenha uma vida digna e condições de trabalho mínimas, então aqui vai: Onde está o comando da tropa???

  • AlexRio

    Setti, seria interessante vc postar aí o salario dos militares, por patente, pra se ter ideia da coisa.

  • Bruno Sampaio

    Que post aterrorizante. De qualquer maneira, não podemos enfiar a cebeça na terra e fingir que nada está acontecendo, como um avestruz de desenho animado.

  • Cida Menezes

    Seu comentário continha uma insinuação de quebra da legalidade constitucional, e isso eu não publico de jeito algum, cara Cida.

  • Waldemiro

    Prezado Ricardo Setti, obrigado por abordar este tema com muita clareza e sensatez de quem é imparcial e isento. Sou militar da ativa um Subtenente do EB com 26 anos de serviço. ganho hoje menos do que um soldado da PM-DF em início de carreira o que é uma vergonha para nós militares federais. Fora isso os hospitais militares estão sucateados e faltam médicos para atenderem a família militar, tudo isso por causa da evasão desses militares da força. Os nossos soldos estão achatados hoje ganho o mesmo núneros de salários mínimos de quando entrei como 3º sargento; Acredito que somente a verdadeira imprensa pode nos ajudar neste momento de dificuldades do qual passamos. Grato!!!

    Caro Waldemiro, nâo precisa agradecer, não faço mais do que minha obrigação.
    Sugiro que divulgue o link do material entre seus colegas, porque quero estimular mais discussão sobre a situação das Forças Armadas.
    Um abração

  • aspirante de intendência que vazou no primeiro dia de tropa

    Lamento não publicar seu desabafo, pois não estava vazado em termos minimamente aceitáveis. Se quiser repetir o comentário de forma mais adequada, publicarei.
    Abraço

  • wilson

    Setti a Nasa pôs a venda três plataformas de lançamento até a Nigéria esta na parada.
    Enquanto aqui é o sucateamento das forças armadas.

  • Marcello Castellani

    Meu caro Setti, infelizmente nos tornamos um país mequetrefe. Não cuidamos direito de, absolutamente, nada. Nossas escolas são chinfrins, nossa saúde, deficiente, a segurança pública é patética, somos o único país do planeta que tem deputado presidiário, ou presidiário deputado, e nossas forças armadas vivem como os mendigos nas praças e sinais das grandes cidades: ao Deus dará. Em um confronto militar, as nossas armas tem balas para menos de uma hora de tiro. Os FAL ainda são da década de 60. Até mesmo os aviões que protegem a capital, que estão aposentados, não conseguem proteger nada! Essa Dilma é uma triste piada de mal gosto como governante. É patética. É medíocre. É o retrato do petismo. O pior é que vejo que nosso povo, muito certamente, dará vitória a esta Louca nas próximas eleições. Dá vontade de chorar.

  • Tenente

    Sou tenente do EB e concordo com quase tudo que foi dito pelos militares e ex-militares…Porém, temos que saber falar o que é verdade e deixar velhas rixas e recalques de lado,….Alguns praças ficam somente apontando o dedo para os Oficiais para os problemas da Força…não vou negar que existem oficiais muito ruins que não tem condições nenhuma de comandar tropas, mas por outro lado existem praças tão ruins quanto, onde muitos sequer tem o 2° Grau…é a mesma coisa que eu como tenente de carreira querer ganhar a mesma coisa que um tenente formado pelo IME e com pós graduação e mestrado…apesar de ganhar a mesma coisa está errado, pois ele é muito mais especializado do que eu e deveria ganhar muito mais…e ainda, o mais importante de tud é FAZERMOS A NOSSA PARTE PARA TERMOS CONDIÇÕES DE COBRAR ALGO DE ALGUÉM, porque senão, apontar a culpa dos outros é fácil…

  • Kelma Costa

    Kelma Costa Presidente das Esposas de Militares de Minas Gerais DILMA…DILMA… ESCUTE ISSO…..16 CENTAVOS O SALARIO FAMILIA DE UM MILITAR? O DESABAFO !!!” http://www.youtube.com/watch?v=sTmwsL97FPs&feature=youtu.be

  • Joao

    Gostaria de questionar o Tenente, voce acha certo um Subtenente ganhar menos que um Tenente de CPOR?? Outro comentário, sou QAO, a vida toda praça e agora estou vendo como é bom ser Oficial é só mandar Tenente…. tenta trabalhar um dia sem teus Sgt ai você vai aprender a dar valor para teus graduados e ver que ganham muito mal. Tenta viver um mês com o salário de 3 Sgt.

  • Cláudio

    Para o governo a solução é simples: lançar o programa Mais-Militares. Aí, é só esperar as tropas cubanas desembarcarem no Brasil e estaremos protegidos…

  • Brunno Blatt

    Setti, é triste ver um ascensorista do senado ganhar mais do que um piloto de caça da FAB. É triste trabalhar ver um 1º Sgt da PM/MS ganhar mais que um 2º Ten do EB. É triste de ver recrutas serem dispensados do expediente porque não há comida para eles permanecerem no quartel. Infelizmente a
    revanche de Dilma atinge os militares atuais que nada tiveram a ver com a sua aventura marxista do passado. Se o PT e os partidos aliados continuarem no poder com certeza não poderemos mais vislumbrar as nossas forças armadas a altura do nosso país.

  • Leon

    Forcas Armadas Brasileiras presisao enorme reformas urgente de cabo ao generais..Brasil nunca esta envolvido en nen uma guera no proximos 200 anos , temos exelente relacao com todos paises na america do sul . Forcas Marilha , Aeronautica FAB ,e Excercito ten chefes generais tenente coronel coronel demais e poucos profisional bem treinados soldados ..Presisamos demenuir severamente as Forcas Armadas !!!!!!!!!!!! Futura Guera Desconfiansa com Argentina ja foi terminada pra sempre con a eleicao do Papa Francisco ..Que pesisamos uma pequena bem treinada equipada forca de servir nas Nacoes Unidas e guardar nosas fronteiras con os ilegal contrabandistas …Guera de hoje e CIBERNETICA …No Brasil NAO ai nem um Commando das Forcas Armadas na Protecao Brasileira Cibernetica en Brasilia ???????????? Isto e nossa enorme fraquesa nao estamos investindo na protecao nacional cibernetica ..Estamos en breve de teren breve submarinos nucleares e avioes supersonicos qual nao presisamos , gastando enome dinheiro do povo $$$$$$$$$$$$$$$$ ???

  • João

    Passei oito anos no EB, conheci muitas pessoas, fiz fortes amizades, vi grandes lideres e também vi egoísmo, egocentrismo. Mas o que quero registrar com todos aqui é que, se eu não estivesse passado pelo Exército, sinceramente eu acho que não alcancaria meus objetivos, ou eu não teria esse sentimento de vencer, estudar. Hoje sou funcionário público estadual do RS, e fiquei surpreso em Saber que meu salário e praticamente superior ao de um oficial. Sempre admirei o exército, mas desde 1995 que é a mesma inércia, o governo deu um pequeno aumento para contentar os Generais e mandou tropas para o Haiti. Tenho muitos amigos que não estão satisfeitos com a situação precária de trabalho e material.

  • pampeano

    O Congresso Nacional brasileiro, o segundo mais caro do mundo, lugar onde se concentra as maiores mordomias e safadezas do planeta Terra, não está nem aí para o grave problema da defesa do nosso território. O Executivo, então, nem se fala. Ricardo, você sabe melhor do que ninguém que o nosso país não tem as mínimas condições de reagir a uma agressão externa, por mais fraca que seja. Nosso material bélico é obsoleto e dependente de tecnologia estrangeira, devido ao abandono que as nossas FFAA vêm sofrendo por sucessivos governos, sabe por quê? Porque não dá voto, e a maioria dos políticos atuais só pensam neles, não no Brasil.

  • Manoel Gil Costa Soares

    Prezado Setti,
    Muito boa a reportagem sobre a situação lamentável que passa as Forças Armadas, devido aos baixos salários,descaso quanto a direitos(pagamento da diferença dos 28,86% que até o momento nada foi pago) e isonomia com outras careiras do funcionalismo público. Existe a lei de remuneração dos militares que excluiu vários beneficios como: a promoção para um posto acima quando fosse para a reserva,direito a licença prêmio, contagem do tempo de serviço para fins monetários etc.A situação atual dos militares é que são muito exigidos e pouco recompensados . A maior parte dos militares estão com seus salários comprometidos com empréstimos consignáveis para manutenção mínima da família.Muitos militares moram na favela, principalmente no Rio de Janeiro.

    Atenciosamente,

    Manoel

  • Prentice Franco

    Você sabe o que é serviço um por um, assemelha a trabalho escravo, o que era recorrente no serviço de um soldado antigo virou prática corriqueira na Vila Militar, Pesquise sobre o serviço um por um nas forças armadas e como é submetido o soldado brasileiro as regras disciplinares para sustentar uma carga de trabalho equiparado a escravidão.

  • ademar filho

    Vejo nossos vizinhos desenvolvidos (EUA) reverenciando suas forças armadas e os próprios militares com orgulho de usar a farda. Fui a um Show Internacional da Construção Civil em Las Vegas no ano de 2.011 e quando fomos alugar um veículo, a atendente nos pediu desculpas e passou o militar na nossa frente. Ninguém na fila reclamou. São reconhecidos. Não são mais importantes que as outras atividades, no entanto, são reconhecidos. Idem no Canadá. No Brasil a inversão de valores (em várias áreas) é total. Os generais romanos diziam: se quer a paz, se prepare para a guerra. Infelizmente somos um país de frouxos, onde condenados pelo mais alto tribunal brasileiro, legislam soltos e tentam reverter a condenação com influência política. Talvez tenhamos que passar por uma grande belicosidade para entender e criar valores permanentes. Muito boa reportagem que deveria provocar muito debate e barulho, fundamental para mudança desta situação.

  • Emerson

    É EVIDENTE que o atual governo faz isto de propósito. Para quê? Tirem suas próprias conclusões, apesar de a conclusão ser óbvia.

  • Paulo Carvalho

    7 de setembro! Todos em apoio aos militares!

  • Hida Telles Correa

    Não publico elogios à ditadura militar, sob qualquer forma.

  • Alexandre Camargo

    É triste e revoltante saber que as nossas Forças Armadas se encontram em tal situação, elas que são responsáveis pela defesa da soberania de nosso país!

  • Cadê os 3 Patetas?

    O Velho Ulisses Guimaraes estava certo quando se referiu aos 3 então Ministros Militares, chamando-os de 3 Patetas. Isso porque muitas coisas aconteciam para atingirem os militares e eles não falavam nada. Será Por que? Hoje, perderam o Cargo de Ministro de Estado e são apenas Comandantes de suas Forças. Aliás, eles devem estar muito alegres e contentes pois, estão no Comando e seus salários não são mexidos, talvez, em quase nada. Trabalhei por muito tempo no gabinete de um Almirante e, pasmem os leigos no assunto, seu pagamento quase não eram mexidos. Por que? Ele tinha 3 motoristas, onde dois ficavam com ele e o terceiro ficava com a madame, um cozinheiro e sua residência, um cabo que dava expediente na sua segunda casa para cuidar do cachorro, já a bordo, tinha tambem seu cozinheiro, seu taifeiro e outros subalternos a serviço do rei. E isso não era exclusividade dele. Todos tinham (ou ainda têm)o seu staf. Quando acabaram com a tabela de escalonamento dos soldos dos militares, quem saiu no prejuizo foram os menos graduados. Essa tabela continha o valor do soldo de um Almirante-de-Esquadra e abaixo o percentual desse soldo que ganharia cada militar, do Vice-Almirante ao Recruta. Afinal, preocupar com a tropa para que? Eles têm o seu “cala a boca”. Vamos continuar elegendo os ex-bandidos caçados pelos militares nas revoluções. Assim, vamos continuar com os nossos salarios e dignidade abaixo de qualquer expectativa. Vamos continuar com a aminésia (que é própria dos brasileiros) e votar nesses candidatos que não gostam dos militares e muito menos do nosso País.

  • schäfer - 1º Ten QAO Adm G

    A anos falam que nós militares somos privilegiados, mas a anos estamos passando por dificultadas de ordem financeira e operacionais, quando sai da escola de sargento das armas em 1985 ganhava como 3º Sgt 15 salários mínimos, hoje não ganho líquido isso como 1º Ten com 32 anos de serviço, não recebemos FGTS, hora extra, periculosidade, insalubridade, perdemos licença especial, trabalhamos quando estamos de serviço 32 horas, 24 h no dia de serviço e mais 8 quando saímos e permanecemos no expediente, um posto acima quando passamos para reserva, não temos direito a greve, mas temos que substituir todos os tipos de grevistas, a única coisa é que mantemos nosso salário da ativa quando passamos para reserva, mas isso porque continuamos a contribuir com 7,5% mesmo na reserva e mesmo quando falecemos a contribuição continua para a pensão da viúva. Não temos plano de carreira. devemos ter exclusividade de trabalho com a Força. Isso só vai melhorar quando os nossos chefes começarem a se preocupar com os subordinados e os Generais deixarem de se preocupar somente em manter seus cargos e deixarem de aceitar de boca calada e cabeça baixa os desmandos dos políticos e do PODER EXECUTIVO em desmoralizar, desprestigiar, sucatear e sufocar os integrantes das Forças Armadas com os mais baixos salários dos Três Poderes, dando migalhas de reposição salarial, e mantendo a insatisfação dos militares sobre controle através do regulamento disciplinar.

  • Ary Magalhães

    O esvaziamento das forças armadas não se dá apenas por baixo soldo. A auto estima também conta e muito. As campanhas de difamação produzidas pelo próprio governo, como a comissão da verdade que só levanta dados contrários aos militares é apenas uma delas. E o desprestígio é plantado na cabeça dos jovens à exaustão. Tudo por medo que 64 se repita.

  • joao oliveira

    Para o ex-militar feliz da vida (Marinha). O sujeito entra na Marinha sabendo muito pouco, aprende muito sobre sua profissão e experiência de vida, como segundo tenente intendente, faz concurso público , passa e depois esquece que tudo que aprendeu e lhe conduziu a um bom emprego, foi através dos ensinamentos a prendidos na instituição. Seja feliz, más não cuspa no prato que comeu ! Não induza seus ex colegas de profissão a deixarem a Marinha, nem todos terão sua sorte .

  • Frederico

    Muitos dos depoimentos parecem de pessoas que tiveram experiencias pessoais terríveis, ou de frustrados ou de insufladores do caos. Que não está boa a situação, ok, mas denegrir as Forças assim não concordo.

  • Ricardo

    Eu avisei, o Olavo de Carvalho avisou falta de aviso não foi.

  • Regina

    Prezado Ricardo: foi com muita tristeza que li a sua coluna. Sou filha de militar e servi um ano como médica em Hospital Militar em 1999. Confesso que não segui a carreira por vislumbrar lá atrás que os médicos colegas de carreira tinham o horário muito engessado e muitas vezes eram deslocados para funções administrativas que nada tinham a ver com Saúde e atendimento ao paciente. O que está ocorrendo hoje com os militares é o que também ocorre com os médicos:de repente, somos culpados. Culpados pelo governo pagar nossos salários, culpados pelos índices de reprovação. E culpados devem ser punidos e obrigados a ganhar um salário baixo sem reclamar, trabalhar sem recursos mínimos, etc. A carreira militar parece caminhar para o fundo do poço mas acho que o governo prefere entupir a Fundação Casa com menores infratores a olhar para o contigente das forças Armadas e valorizar essa instituição que deu a muitos jovens pobres(meu pai entre eles) a oportunidade de ter uma profissão, de levar a vida com dignidade. Meu pai , que já é falecido, certamente ficaria muito triste com o rumo que as coisa têm tomado. Esse é o governo do PT! Acredito

  • José Maria da Costa

    É muito triste saber que uma Instituição Impar que oferece os melhores cursos de excelência no País como o Exército Brasileiro e demais forças sejam alvos da Politica de revanche do Governo Brasileiro desde quando assumiu o Ex-Presidente Exmo Sr.Fernando Henrique, a quem tenho grande respeito; as Forças Armadas entram em um declínio absurdo em todas as suas áreas (pessoal, material, etc). Conclusão estamos perdendo os melhores cérebros brasileiros, podem ter certeza!

  • junior

    Na verdade eu me sinto um escravo na Marinha.sou um soldado fuzileiro naval e cada dia que se passa eu tenho uma vontade de sair, o mais rápido possível, vejo meus amigos de farda reclamando com razão até porque soldado só é lembrado nos momentos mais difíceis, ou coisas erradas pra fazer a bordo. As autoridades deveriam ter consciência q nós não somos qualquer objeto , as autoridades deveria saber que nós temos família e, é por isso que eu estou já de saída pra qualquer concurso. Autoridades acorde se não não haverá mais soldados pra servir a Pátria.

  • paulo

    Sou Oficial do exército formado na AMAN (Academia Militar das Agulhas Negras) e não quero me identificar. Estou em processo para sair do Exército, em partes pelo baixo salário, mas o escopo é a falta de prestígio e inutilidade das atividades. Os treinamentos são ridículos, tudo é obsoleto, tudo é fantasia, nada funciona nem ao menos faz sentido. um curso como o guerra na selva, que é famoso pelo brasil, nada mais é q uma ralação excessiva e sem finalidade, onde o militar nao aprende nada e é humilhado e até torturado.
    No dia a dia em nossos quartéis, o soldado só faz faxina e desfila, além de ser punido por qualquer besteira, como um corte de cabelo, um coturno nao engraxado ou uma continencia mal feita.
    Na Academia Militar das Agulhas Negras nada se aprende, tudo é repressão e nada faz sentido, não deveria nem ser reconhecido pelo MEC. chega ao ponto de professor jogar o sapato em aluno, é ridiculo.
    Nos acampamentos, nada se aprende, o soldado somente é levado a exaustão e praticamente humilhado. realiza atividades como cavar buraco, camara de gas lacrimogeneo dentre diversas outras coisas absurdas.
    Na rotina de um batalhao há apenas burocracia e nada é feito, valoriza se coisas idiotas e risiveis, sem contar que há muito desvio de dinheiro público, ainda mais nas obras de estradas feitas pelo exercito brasileiro. Por esses motivos e tantos outros é que almejo sair da força, afinal o profissional deve sentir-se útil para desempenhar bem suas funções.

  • Fabiano Azevêdo

    Caro Jornalista, como vai? O problema pode ser resumido assim: Há pouquíssimas políticas para estimular os recursos humanos, há castas em todos os setores originadas desse baixo estímulo, nossos vencimentos são péssimos e indignos em todos os postos e graduações, as legislações que deveriam ser infraconstitucionais ainda são praticadas como supra e, acima de tudo, somos alvo de uma maldita vingança promovida pelos bolcheviques do orçamento público que estão por ai espalhados em todos os setores da intelectualidade, da vida política e das artes. É uma pena… Parabéns pela reportagem intensamente inclusiva e patriótica. Viva as Forças Armadas! Viva a liberdade! Viva o Brasil!

  • Santana*100

    Lendo alguns comentários fiquei impressionado com o que está acontecendo com a nossa Forças Armadas!
    Se não houver uma tomada de posição com urgência por parte dos oficiais generais tudo vai por água a baixo! – Se é que não já foi.

  • IMIS ROSA UCHOA CORREIA

    Embora concorde com aspectos de seu diagnóstico sobre o que vivemos, deletei seu comentário porque não publico uma palavra sequer em defesa de ruptura da lei e da ordem constitucional.

  • Moacir

    Cheios de bla bla bla, todos sempre tem solução , usufruem das regalias e quando elas não lhe convem largam fora, ser militar e como professor hoje, tem que ter Dom, talento, coração e não pensar como no passado que era puro gozo, muitas coisas mudaram , entende o que todos dizem, tem razão até certo ponto, mas assim váriadas profissões hoje tem o outro lado da moeda, a ssim digo hoje, meu caro amigo militar insatisfeito, ( cursou, teve treinamento, aprendeu , enquanto era novo de deslumbrou) passa tua vaga pra mim aqui , pois para mim indiferente de quanto receber nas forças armadas gostaria de servir novamente, pois acredito no furor de honrar a farda, tenho meu negócio desde que sai do EB, duas filhas e sou bem casado , mas assim entenda se me convocares agora largo tudo e vou, A Farda na real é para poucos, bem como poucos são para a farda, e esse negocio de politicagem FHC, pt , grandes merda, respeitar fazer o que votou errado já era, guenta ou chama a mâe, aprende a votar, ensina o pr´ximo e deixa de fazer alegorias, sou voluntário desde sempre , e para quem sabe ai vai (51/73) 19 BIMTz ( Pronto Emprego) e feliz dia 25 de agosto dia do soldado..

  • Jorge Silva

    Impressionante como me identifiquei com alguns dos depoimentos acima, sendo que saí da marinha há 15 anos, e nesse tempo, nada mudou.
    Me formei na Escola Naval e anos depois passei num concurso público cujo salário era quase o triplo do que recebia como 1º tenente. Mas não foi o salário que me fez buscar outros ares, mas sim a decepção com o dia-a-dia de um oficial.
    Depois de um ensino de excelência na Escola Naval, tinha que me preocupar com coisas fúteis no navio, como a limpeza das instalações e uma burocracia inútil. Mas a salvação está nas mãos das próprias FFAA, elas têm que se modernizar, não apenas em equipamentos, mas em comportamento.

  • Sgt CTA

    Sou sgt Controlador de Tráfego Aereo na FAB. Trabalho num dos aeroportos mais movimentados do país com as vidas de milhares de pessoas sob nossa responsabilidade todos os dias. Mas no 07/09 teremos que trabalhar com a equipe reduzida, encarando cansaço desnecessário e aumento o risco a todos porque uma coronel quer que todas as mulheres do efetivo desfilem no 07/09. Nada contra o desfile, ao contrário tenho orgulho de ir, mas capricho de oficial criar excesso de carga-horária numa funçao como a nossa. Pátria Amada Braziu iu iu!!!

  • roberto

    Como venho lembrando incansavelmente para os amigos do blog, as regras para publicação de comentários — que têm chamada permanente na home page para que possam ser consultadas — vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas.
    Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm
    Conto com sua cooperação da próxima vez.
    Obrigado desde já

  • cesar alencar

    Sou marinheiro e graças a deus no fim desse ano estou indo embora dessa instituição falida e ultrapassada!!!!

  • Duarte

    O militar da ativa esta vivendo de forma miserável e indigna, assim como escreveu Victor Hugo com o clássico “Os miseráveis”. A vida do militar do exército brasileiro nao e diferente disso, em especial dos praças. São eles, afinal, que formam os soldados , que cumprem e faz cumprir os regulamentos e sao os menos desvalorizados. As causas são varias: baixos salários, estresse profissional e ameaça constante ( a qualquer momento podemos ser pressos se um superior achar por bem necessário). Necessitamos de uma reforma regulamentar, quebrar velhos paradigmas e reescrever um novo regulamento que valorize os competentes e que punam os vagabundos com todo rigor necessário. Somos coagidos a compactuar com esquemas fraudulentos e imorais , os quais nossos superiores encabeçam na esperança de , a qualquer momento, assumirem um cargo público, longe da farda.

  • Henrique

    Infelizmente, tudo isso acontece porque não temos chefes corajosos, que não tenham medo de perder a boquinha, que não tratem o cargo de comando como cargo político. Nós estamos sendo humilhados diariamente de todas as formas e nossos chefes, ao primeiro grito da cidadã que está em BSB, metem o rabo no meio das pernas e vão chorar no canto. Hoje eu me sinto um perseguido político e pior, por algo que não fiz. Em 64 não era nascido e quando entrei para a MB faltavam 3 anos para o fim do governo militar. A perseguição política que sofro é pelo corte dos salários fazendo a qualidade de vida despencar, corte de material e toda forma de humilhação possível. Infelizmente, os chefes militares se venderam ao brilho efêmero dos políticos profissionais.

  • Sgt Anonimus

    Sou Sgt do EB com mais de 10 anos de serviço e sou apenas mais um que estou totalmente desmotivado. Porém não adianta ficar reclamando pelos alojamentos, tem que fazer algo, papirar até a morte,cada minuto é um estudo, só o papiro liberta. Parem de reclamar, as FA não vão melhorar, é papirar, se especializar, fazer a facú quem não tem ainda e passar em outra coisa. Quando eu fiz a prova da EsSa tinham 113 mil canditados no Brasil inteiro, ano passado eu fui fiscal da prova e tinham, sem sacanagem, 14 mil inscritos em todo o país, e isso porque prorrogaram as inscrições. O último a sair apague a luz!!!

  • Eraldo

    Sou Sargento do Exército da turma de 2005. De 25 formados no meu quadro naquele ano, 14 já deixaram a Força e outros 5 aguardam nomeação em outros concursos ainda esse ano. Ou seja, 75% de evasão.

  • Leandro

    sou militar da ativa com curso operacional e 9 anos de serviço este ano vou embora para poder estudar e tentar recuperar o tempo perdido em uma pseudo esperança de melhoras. o salário é um dos fatores mas as condições de trabalho pesaram na decisão. um dos fatores é carga horária onde ja se viu trabalhar 24h seguidas e e continuar trabalhando durante o expediente. essa semana comecei a trabalhar no DOMINGO 07:30 e so sai as 18h de segunda, na TERÇA trabalhei das 07:30 até as 17:30 na QUARTA de novo das 07:30 ate as 17H de QUINTA hoje na SEXTA FEIRA trabalhei ate 12:00 mas a noite tenho que participar de culto religioso OBRIGATÓRIO e pra finalizar a semana vou trabalhar das 06:30 de SÁBADO ate as 10H de DOMINGO e na SEGUNDA vamos nós de novo fazer uma atividade de campo que vai acabar na QUINTA e SEXTA tem expediente se eu tiver sorte folgo no outro final de semana. Sem ganhar um centavo a mais!!!!! e minha família quase não dou atenção pois cansado vou pra casa pra dormir pois “a preparação do serviço começa no dia anterior”

  • EG

    Sou 2sgt do EB e em breve estarei saindo para assumir um cargo em concurso público. Gosto muito dos meus amigos de caserna mas realmente do jeito que tá não dá. Triste é saber que ainda tem oficial que viaja na maionese: “Vc tem certeza que quer sair do Exército Brasileiro?”…rsrs Em 10 anos meu salário(no novo cargo) praticamente vai duplicar. No EB, no mesmo período, mais uns 500 para ficar “motivado”. Um 3º Sgt entra ganhando aproximadamente 2800(líquido) depois de quase 30 anos de serviço fica em torno de uns 4500(Atualmente os ST ganham ainda os resquícios do Tempo de sv o atual 3º SGT não irá ter). Um “cara chacha” do senado vai ganhar inicial 14000…tá de brincadeira… e ainda querem motivação!!! Vou sair mas continuarei torcendo para valorização que o nosso exército merece, aprendi muito e vou levar muitas coisas boas, mas dessa forma não dá.. eu tenho que pensar em dar uma qualidade de vida melhor para minha família. Que Deus nos abençoe!!

  • Cristiano

    Todos os dias o serviço no CIAA ( marinha) localizado na Av. brasil tem que ficar disputando cama, o absurdo é que não tem cama para todos e em alguns alojamentos os militares de mesma patente mas curso diferente são impedidos de entrar. Imagine o militar saindo da guarita 00 h e ficando até 01h da manhã para procurar CAMA e ainda por ca ter que acordar as 5 para faxina. isto é real. E o mais absurdo que quando ligam para o Oficial de Serviço do dia (aconteceu esta terça mesmo) ele diz que nada pode fazer. depois não sabem porque TODOS querem sair.

  • Conrado

    XAVIER:

    O Sgt de carreira necessita SIM apenas do ensino médio para se formar, ou melhor dizendo, necessita apenas do ensino médio para prestar o concurso da EsSA, assim COMO VOCÊ, que para prestar a porcaria da EsPCEx, precisou do ensino médio – e quem duvida – incompleto ainda por cima. E todos sabemos também que, depois que aprovar nas provas para a gloriosa AMAN, qualquer vaca disfarçada de cone sai OFICIAL. Então, não venha comparar escolaridade, porque AMBOS os concursos EXIGEM praticamente A MESMA escolaridade mínima atualmente. A diferença é ficar 1 ano e meio ou CINCO anos para sair formado, e fingir que ganha diploma de ciências militares, quando tem cidadão que mau sabe abrir a boca para dar um comando decente a sua tropa. Isso tudo depois de CINCO anos na escola cor de rosa da tia tetéca. Grato.

  • Jorge Silva

    Quando cheguei num navio, 2º tenente oriundo da Escola Naval, e percebi que a minha vida profissional se resumiria em inspecionar banheiro e cozinha pra ver se estavam limpos, pesar batata e tomate que chegava, fazer balanço da frigorífica e cuidar de uma burocracia totalmente inútil e sem objetivo; decidi em 6 meses que sairia daquilo. Foi o tempo que tive pra me decepcionar com a carreira.

    Eu tinha até vergonha de dizer em casa como havia sido o meu dia. Por isso vejo com tristeza que nada mudou desde quando saí, há 15 anos; por outro lado vejo que fiz a coisa certa.

    Tenho esperança de que as novas gerações de oficiais mudem as FFAA, que parecem ter parado no tempo. O salário por si só não é o grande culpado pela evasão, basta comparar os salários dos praças com os de profissionais civis de nível médio, e os dos oficiais com profissionais civis de nível superior, que verão que militar está ganhando até bem.

    No dia em que os militares resolverem melhorar as condições de trabalho haverá um estímulo natural à carreira. O militar brasileiro tem que lembrar que sua função fim é a guerra e não limpeza, coquetel e outras futilidades.

    No dia em que ocuparem seu tempo se preparando para guerra, seja em exercícios reais ou simulados, haverá novamente orgulho e vibração da tropa.

  • Carla

    Nunca imaginei que as Forças Armadas estivessem nessa situação. Se algum país resolver tomar nosso território, estamos lascados, principalmente se souberem como estão nossas Forças Armadas. Que tristeza! Tomara que nossos governantes melhorem as condições de trabalho dos militares, à fim de que não exista tanto abandono para outras carreiras e o orgulho de ser militar e defender a Pátria renasça.

  • joao oliveira

    É Jorge Silva, você passou 4 anos na escola naval, aprendendo, se adestrando em navios, vendo como era a vida a bordo, sabendo qual seria sua função como oficial recém formado, viajou em navio escola, conheceu vários países, ganhou seu salário em dólares e só depois de meses formado é que vem se decepcionar ? Você queria SEM EXPERIÊNCIA NENHUMA, assumir uma DIRETORIA ? Se você não fizesse esse serviço tão insignificante para sua competência, quem faria ? Se você não sabia o que lhe esperava depois de formado, Você é realmente muito ingênuo, e fez muito bem em ter saído, para ser da Marinha precisa ser mais esperto, e isso você não é. Agradeça a Instituição os conhecimentos que lhe foram ensinados, e não denigra que lhe acolheu, o educou, más mesmo assim não foi reconhecida !

  • Ten sau

    Os comentarios abaixo estão ainda mais dramáticos. infelizmente, pra qualquer cabeca mais crítica, eh fácil ver quer os superiores confundem a tal disciplina e hierarquia com subjugacao. eh triste ver no site da transparência pública o que está lá:dedicação exclusiva. já não bastam as rotinas extenuantes vc eh escalado a qq hora pras missões menos importantes. As tais representações.dane-se sua vida particular(q vida?). Todos os setores, qualquer trabalho vc veria a cor do dinheiro por isso. precise da pf em missão da amazônia p ver se vão sem as diárias terem saído… Enquanto vc tá acomodado igual bicho recebendo 2% dia e Deus sabe quando irá receber. onde sirvo mandam militares p aciso em outra cidade, em outro estado-pb, fazer curso em fortaleza e NÃO PAGAM os 2%. Inadmissível comandantes nem o direito de suas tropas fazer valer. Argumentar eh difícil. não por falta de capacidade. mas Pq o seu superior pode ficar de marcação em você. já vi até dizerem q fulano eh difícil sendo o tal um ótimo profissional. chegam até ameaçar c transferência. Amanh tem plantao de 24h. sem receber a mais nada! Segunda emendarei com o expediente. sorte q n tem escala p ver fulano receber diploma sem importância na câmara, chá de alguma esposa de cmt …

  • cristina carvalho

    Infelizmente essa situação vem corroborar as minhas suspeitas que algo muito estranho está acontecendo nesse país.Emburreceram as crianças,estão acabando com religião,esfacelaram casamentos,detonaram as forças armadas,desviaram recursos naturais,incentivo maciço á promiscuidade,e por aí vai.Parece ser o intuito da poderosa Nova Ordem Mundial.

  • Pedro

    Instituição de fracassados. Quem fica na força, sabe que é um fracassado. Pelo que os militares fazem, o salário está é muito alto.

  • IVAN

    é um grande descaso o que esta sendo feito com os militares, se não somos bem cuidados, como poderemos cuidar do país, servindo a patria, como teremos cabeça para o trabalho se nao temos uma remuneração justa, com problemas que vem a tona o tempo todo, trabalho em um navio ha 3 anos seguidos, ja pedi pelo amor de Deus para sair do mesmo, pedi que haja uma rotatividade, após 8 anos na marinha, pretendo prestar um concurso e deixar a mesma, tenho ate vergonha de contar a minha família o que faço!!!para que é civil e tem curiosidade para saber o que se faz la, o trabalho se resume a preparar comida, servi-la fazer limpeza para oficial ver se ta limpo que por sua vez recebe visitinha de um comandante inútil desses da vida, tudo isso sendo maltratado por pessoas autoritárias que ate são inteligentes, mas esse trabalho medíocre já atrofiou seus cérebros, isso sem contar a jornada de trabalho que nao raramente as vezes chega a ser de 20h diarias em viagens, durante 5 a 30 dias seguidos, onde seu corpo pede inconscientemente um descanso, mas tem medo da repressão de seus superiores!!!bo0 se tinham curiosidade de saber como é a vida militar, assim ela é, quando entrei via aqueles comerciais na tv, e tinha uma ideia que seria uma carreira impressionante, hj tenho total desapontamento e não recomendo a ninguem, esse castigo nao desejo nem ao meus inimigos!!!

  • sargento da fab

    As maiores vantagens do militarismo são para os oficiais e eles estão saindo, imagina o sargento que ganha muito menos, trabalha mais, tira muito serviço e ainda faz suas refeições diarias em ranchos sem estruturas e muitas vezes com o cardapio diferenciado dos oficiais. Quando viaja e vai ficar em hoteis de transito,por exemplo, os hoteis dos oficiais parecem palacetes enquanto os dos graduados se tiver um ar condicionado é sorte. próxima viagem a brasilia ou recife ou qualquer outra base aerea do brasil vou postar as fotos para vcs verem a diferença gritante. So dou um conselho a vcs pais não coloquem seus filhos nas forças armadas,pois a humilhação é muito grande.

  • Marcos

    Sou militar da ativa (sgt), e não vejo a hora de largar esta instituição. O engraçado é que as matérias de evasão sempre falam de oficiais, no dia que falarem de evasão de sargentos, vcs irão ver o que é evasão de verdade. Tenho colegas que saíram para ganhar até menos, porque cansaram de se sentir inúteis, desvalorizados. Tenho 12 anos de serviço e tenho que ensinar um merda de NPOR de 18 anos que formou em seis meses de meio expediente a trabalhar e que ganha o dobro meu salário. O pior é ser comandado por uns coronéis semianalfabetos e que se acham a última cocada do tacho.Para mim, o EB é um navio afundando e sem volta!!

  • Luiz Felipe

    Mais um felizardo que conseguiu ser aprovado em concurso público.
    Sai como 1ten da marinha, oriundo de escola naval,este ano.
    Minha vida pessoal deu uma guinada de 180•… E como disse um amigo que tb ja passara:” agora vc tirou as correntes que te prendiam e nao deixavam vc crescer.
    Amigos, se vc tem vontade de vencer na vida, bao pense 2 vezes: ESTUDE!
    nao culpe ninguém: nem o seu navio, nem seu imediato ou comandante: vc pode e deve melhorar de vida!
    Fiquem com Deus!

  • Soares

    E a máquina de fazer dinheiro chamada DECEA- Departamento de controle do espaço aereo, seus CINDACTA’s e DTCEA’s onde alguns comandantes são investigados pelo MP com desvios de verba principalmente area do SIPAM/SIVAM, na area do DECEA onde controladores de voo, meteorologista e Informações Aeronáuticas e operadores de estação rádio recebem a metade pelo mesmo serviço se prestado pela INFRAERO e sem contar que esses serviços na INFRAERO tem hora extras e outros auxílios, quer exemplo: em Natal-RN, estão construindo um novo aeroporto que teria controladores de voo civis, mas como o salário é muito alto, irão chamar a mão de obra barata e qualificada que são os graduados especialistas da FAB.E ainda tem os Graduados da FAB fazem o trabalho da dos fiscais da ANAC através de sistema chamado DCERTA

  • Raimundo Fernandes de Sousa Filho

    sou vitima do sistema sou sargento da marinha quando iniciei a carreira como marinheiro ganhava 10 salarios minimos hoje nao ganho quatro como sargento nunca tive condiçao de pagar uma faculdade pra minha filha e por ai vai…etc…

  • Brunno Blatt

    Setti, vejo muitos comentários sendo deletados por que insinua algo sobre ruptura constitucional. As pessoas evocam isso porque não vê mais esperanças nas instituições democráticas como o congresso e os nossos comandantes caro amigo. É muito triste mandar e-mails para estes senadores e deputados como nós já o fizemos e não dar em nada. É muito triste as nossas esposas fazerem protestos e panelaços e não dar em nada. Ate marcha virtual no senado com 500 mil e-mails já fizemos e não deu em nada. É muito triste buscarmos mecanismos democráticos para conseguirmos que algumas das nossas reivindicações sejam atendidas e não dar em nada como tem ocorrido. A família militar está cansada e desesperançosa com esse governo que só vem com enrolações e protelações por cima da gente. Só para se ter uma ideia a diferença dos 28,86% de 1993 foi pacificada pelo STF em 2010 e até o presente momento o governo só enrola e não nos
    paga. Diante de tantas indiferenças e subterfúgios do governo somada com descrença da família militar há essa evocação equivocada de se romper com a nossa constituição. Isso é desespero meu caro Ricardo Setti. Um abraço!!!

  • Rômulo

    Esse cara aí só falou besteira sobre taifeiro, procura se informar direitinho pq taifeiro não brota do chão e se você soubesse o que o mesmo passa recolheria sua ignorância e ficaria calado quem vê de fora acha que tudo é as mil maravilhas.

  • carlos henrique

    quando fiz concurso para a marinha em 1981 fui motivado pela chamada”seja oficial trabalhando na sua profissão”. Após conquistar a única vaga para todo o Brasil comecei a perceber que tudo não passava de propaganda enganosa. Terminado o curso de oficialato fui jogado num porão de navio para ser auxiliar de chefe de máquinas. Lutei durante 6 meses para ir para a área de pesquisa até que ouvi de um almirante: Para a marinha o senhor é apenas um oficial. Esqueça o profissional, pois ele ficou lá fora!”. Desde aquele momento fiz de tudo para sair, mesmo sabendo que iria ser execrado pela família, mas decidi ir em busca da minha felicidade e não queria passar o resto de minha vida numa rotina absurdamente previsível e me sentindo desvalorizado, frustrado. Essa realidade de as forças armadas não valorizarem o potencial humano que possuem é muito antiga. Mais de 60% da minha turma abandonou ao final de 3 anos.

  • conceição de maria silva santos

    Lamento muito de ver meus três filhos nas Forças Armadas, e vê-los fazendo vários emprestimos, nos seus contra-cheques, para poder sobreviver,,,,,,

  • Jacinto Guedes de Oliveira

    Tenho 23 anos de serviço e estou na graduação de 3º Sargento QE, “quadro esquecido”, não possuo direito a transferência remunerada, nem acesso a algum curso de especialização ou ao menos um estágio, tudo o que aprendi e sei vem de meu esforço pessoal e por meios próprios, o Exército não me proporcionou quase nada.Somos usados e menosprezados, embora a maioria de militares do QE sejam de alto nível profissional e bastante dedicados não existe nenhum plano do comando do Exército para melhorarem nossa situação profissional, não quero esmola, quero respeito e o mínimo de consideração, sabem apenas exigirem de nós mas não se preocupam nenhum pouco em nos valorizarem ou nos motivarem. Tudo se resume hoje simplesmente a sacrifício que é convertido ao prestigio dos nossos incompetentes comandantes.

  • Verdade

    Existe muito mais coisa que não foi falado acima. Sai da minha Força Armada em 2008 não só com o descontentamento da carreira, mas com a corrupção presente em Ordenamento de Despesas, no Abuso Moral dos superiores, e no abafamento dos diferentes escândalos que ocorriam na Força! Isso que está aí em cima não representa nem 1/1000 do que acontece lá dentro, que é muito pior. As FFAA não tem capacidade e competência nenhuma de defender o Brasil, apenas desfilar perante a nação.

  • Sgt ativa

    Não publico comentários com ofensas e xingamentos. Modere sua linguagem e volte a este espaço que será bem recebido.

  • vincente valentine

    O pior de tudo nas forças armadas é quando você é soldado e é descriminado pelo superior seja qual graduação ele for ou posto sendo assim o soldado pede ajuda para o superior mas ele não tá nem ai para sua carreira no caso não temos estudos na força ,não incentiva a ter aulas de materiais para o soldado a ter aulas durante o expediente sendo que o militar tem que correr atras e batalhar sozinho para subir de graduação , o soldado da forças a anos sofrem no serviço 24 horas sendo que esse paramento não mudar pois o soldado só serve para tirar serviço e nada mas , em vez de aproveita o soldado para tais lugares como seções e tal ou melhorar o condicionamento do batalhão de infantaria que esta um lixo ,eu sendo soldado observo como esta o quartel para o lado da infantaria do batalhão ,para os superiores nos somos nadas , nos somos cobrados 24 horas sendo que eles os superiores apresentam falhas e jogar a culpa pra cima do pequeno que esta começando a carreira militar .os soldados acima de tudo tem que atura cada coisa que passam sendo que os que tem estabilidade rir da cara , pois não tem o comprometimento com a força sendo que recebem um salario bom , o soldado que recebe no minimo 2 mil ou mil e alguma coisa sofre com isso e sofre com o cansaço de tirar o serviço no um por um dois por um sendo que sofre 24 horas sabendo que não tem tempo para estudar e subir de graduação ou posto pois é apenas um soldado que para eles é o bizonho o mostro e etc . isso nunca vai mudar … ser um dia mudar acho que vai ter conflitos , o que é lamentável..=/

  • Josias

    Passei 30 anos dentro de um regime que limita as potencialidades e é impregnado de inveja, perseguição , frustração e acomodação. Muitos colegas estão doentes emocionalmente e isso é muito triste, pois estamos perdendo grandes cérebros que poderiam estar colaborando para um real desenvolvimento da nossa nação. Fiz um curso superior que me permitiu autonomia financeira , trabalhando nos horários de folga,mas a um custo muito alto. Estive recentemente no Canadá e pude conhecer uma das sete nações que dominam o mundo e entender , um pouco , os reais interesse na pulverização do material humano das Forças Armadas, que sem dúvida , é a sua riqueza. Torço para que os colegas, que lá deixei , possam lutar para tornar suas vidas relevantes e menos vazias.

  • yuri de carmo

    A unica coisa que acontece com o soldado nas forças principalmente a força aerea é ficar sentado ou em pé no sentido ou descansar sendo que fica no partiu coberto tem instrução mas é o minimo do minimo pois não temos instrução para subir de graduação no caso (matematica , português e etc ) não temos esses tipo de materia para o soldado que esta no expediente sem fazer nada sendo que tem soldado com ensino médio , superior e até aqueles que não tem ensino no meio , por isso causa a grande desmotivação entre os soldados .Os superiores não tem qualquer comprometimento com os praças por isso a tropa vai de mal a pior e quando esta bom é passageiro ..por que nunca estão bom para eles ..sendo o soldado visto como um nada .

  • SG MB Sonhador

    vcs poderiam fazer uma reportagem sobre as condições precárias q vivem os praças das forças armadas, buscar as informações de baixas dos praças, uma vez que em Diário Oficial só é publicado a baixa de oficiais, procurar o digníssimo MD Celson Amorim pra dar explicações e também os inúteis e corrompidos comandantes das 3 forças. aí sim vcs veriam como o descaso, a falta de comprometimento e de proteção com o material humano fardado que sem tem… As praças não tem mais um salário, elas tem uma ajuda pra não passar fome…

  • Sebastião Vicente

    Eu, agora Subtenente do Exército,fui incompetente e não tive coragem de sair. Também não me esforcei muito para isso. Sempre fui um bom militar, cumpridor de ordens e dedicado ao serviço. Tentei lutar pelas categorias mais baixas e lutei a vida toda contra as injustiças da caserna. Hoje me arrependo em parte por ter ficado muito tempo, mas por outro lado, não teria visto as coisas que vi para contar. Alguém precisava contar a história por dentro da máquina enferrujada e hoje eu sei que esta missão cabe a mim. Dentro de pouco tempo, estarei contando o que vi, as injustiças, o despreparo, a ilusão de um breve e uma movimentação, uma promoção às custas de muita covardia e o suor dos milhares de brasileiros que todos os anos são recrutados para o famigerado serviço militar obrigatório, para fazer segurança 24 horas por 24 horas, comida mal feita, faxina e pouca honradez. É assim que o sistema funciona. Para os oficiais que ficam é bom, pois querendo ou não, vão aposentar com salario de Coronel, abaixo da média do Brasil, mas fixo todo mês e pelo que fazem, é muito, transferências gordas, e outros benefícios que só os oficiais conhecem. Alguns sargentos, se iludem por conseguirem uma nomeação aqui e ali, um curso e um pouco de dinheiro, aí se iludindo que são os maiorais, quando na verdade não lutam pela categoria e recebem na verdade migalhas.
    As Forças Armadas são boas, no papel, o problema, são os velhos, arcaicos, bitolados e comprados com regalias e cargos bem remunerados na reserva, que administram a máquina.

  • Kleber Petrecca Martins

    Acredito que a intensão do PT é acabar com as forças armadas para poder implantar o comunismo ou socialismo no Brasil.
    Da minha turma de 1982 que tinha 320 militares, somente uns 80 foram para a reserva remunerada.
    Destes que estão entrando mais de 90% não vão seguir carreira.
    Há 30 anos estou ouvindo dizer que vai melhorar e só piorou.
    O efetivo da PM de São Paulo é de 140.000 homens o da aeronáutica é de 70.000. Como o Estado pode pagar um salário para a PM maior que a aeronáutoca que é pago pela União para o dobro de homens?

  • joaquim rodrigues da costa

    Tá difícil vivo dependurado nos empréstimos pra compra alimentos pra minha família , 70% do meu salário fica no empréstimo isso é vida, na reserva já desde de 1994 , cade nosso chefe com os 28,86% que não sai .

  • militar da ativa

    Sou militar a 5 anos fui marinheiro fui cabo sou sargento no exercito a um ano, felizmente ou infelizmente cada vez mais o militarismo é para quem gosta do que faz e mesmo assim as vezes é difícil você vai para um exercício para adestrar seu soldados e não tem meios e temos de tirar do nosso bolso para montar uma instrução é dura a realidade, mas eu ainda acredito em possíveis melhoras. Cade vez mais tem sido necessário o uso das forças armadas.

  • Vinícius

    Sou sgt do Exército, é triste ver a força do jeito que esta, material sucateado, sargentos e oficiais, alimentando o ego dos oficiais superiores e genereais, sendo estes mesmo com uma mentalidade de séculos atrás, é triste você ver militares de forças auxiliares como o soldade da PMDF ganhando 5000 reais e eu terceiro-sargento do exército ganhando 2700 reais, recebemos um aumento inútil, peço ao ministro da defesa, a presidenta Dilma que reveja nossa situação, TA DIFÍCIL.

  • jose maria de andrade

    bem pessoal eu estou aqui a ler esta materia, e um dia tentei ser militar e que o concurso não era moleza, 500000 canditatos para 500 vasgas para sargento da fab, mas acho que esse achatamento de salario e outros problemas veio com plano color
    e muitos bem muito sabe usavam a farda como tranpulin, como o caso do ita e do ime que não é obrigatorio que vc siga a carreira militar a não ser enguanto estuda, e alguns a procuravam porque dava mais sustabilidade do que o ensino aqui fora
    .A desistencia das forças armadas não é de hoje muitos ja entraram e sairam para outras carreiras
    e se for leva-la em consideraçao fazer concurso para forças armadas e bem menos doloroso do que pra a policia, que tem viver na paz como em tempos de guerra, e por mais que muitos giem ainda é ela valorizada, imagine voce sendo abordado pela policia militar na rua,e não é só o problema das forças armadas que o governo tem que resolver tem muito problemas, na minha humilde opinião seria
    por semplo enviavel o brasil despendiar uma enorme montate de por exemplo comprar caças importados, endo que ja se houve no passado com ozires ótimos caças. O caso da embraer que sem sua abertura de
    capital talvez estivesse no lixo como a engesa, que jjunto ao irque foi pro espaço,e depois não se pode compara o brasil com outros paise que sempre ou quase sempre estão em compate e não fazendo treinamento dentro de academia, e também quanto a descriminação ela existe dentro ou fora da forças armadas, porque existe uma autarquia, antes os chefes depois os subordinados, um cabo não passar a frente de umsargento assim como um soldado não pode passar afrente de um cabo, bom pessoal me descuilpé talvez esteje escrevendo asneiras sem pensar, mas ainda tem aquele ditado quem ta dentro quer sair, quem ta fora quer entrar

  • marinheiro = frustrado

    Sou marinheiro, dedico minha vida a soberania da minha nação. Mas a minha própria nação me esquece nas sombras das forças armadas. Não há valorização salaria, não há liberdade de opinião, não JUSTIÇA neste sistema. Nos tornamos mão de obra barata para satisfazer o governo. Sem falar que a Oficialidade menospreza e humilha nosso círculo hierárquico. Utilizam sua tirania, e prejudicam nossas carreiras e nossas vidas seculares com efeitos devastadores. Estou frustrado, e decepcionado desde o dia que ingressei nas forças. Só sirvo de enfeite para alegrar alcoólatras e “loucos” e para fazer a limpeza das OMS. EU QUERIA SER MILITAR, mas ai, sou apenas faxineiro. Pesquisem isto afundo e verão o que realmente se passa atrás da bela pintura dos prédios e navios da marinha.

  • Carvalho

    Caro , infelizmente precisei deletar seu comentário. Compreendo sua irritação, mas seu comentário continha acusações graves contra pessoas públicas, sobre as quais não há condenação judicial nem prova.
    Nâo posso publicar material assim por uma questão de ética e também porque traria consequência judiciais para você, para mim e para a Editora Abril.
    Se quiser, reenvie seu comentário com as mesmas críticas que fez, mas sem envolver pessoalmente ninguém contra quem não haja provas.
    Conto com sua colaboração.
    Consulte , se quiser, as regras para publicação de comentários no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • carlos

    Como venho lembrando incansavelmente para os amigos do blog, as regras para publicação de comentários — que têm chamada permanente na home page para que possam ser consultadas — vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas.
    Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm
    Conto com sua cooperação da próxima vez.
    Obrigado desde já

  • Leo Cientista

    Um monte de besteiras escritas aqui, qdo não escritas erradamente. E ainda vêm – os indignados – reclamarem melhores salários, condições de trabalho, blá, blá. Deveriam, sim, instruir-se melhor para depois reivindicarem alguma coisa. Bom, o retrato da situação (em termos de remuneração) é o seguinte: a carreira militar para praças inexiste. Os graduados ganham mal, submetem-se a escrachos continuamente e, no final da carreira, aqueles q chegam a capitães, ganham alguma coisa entre 8 mil e 9 mil reais (sem considerar os 20% de aumento até 2015). O fato é q os filhos adolescentes necessitam de recursos, melhores escolas, livros etc., e com o salário de sargento o praça fica “no sal”, como dizemos. O oficial, por sua vez, só consegue respirar qdo chega a major, recebendo entre 11.500 e 12 mil reais (tb, sem considerar os 20% de aumentos até 2015). O prob é q parou por aí né. De major a coronel o aumento salarial é de míseros 800 reais a mais no contracheque. Ademais, como oficial superior, a situação do oficial fica mais cômoda, digamos, por isso a tranquilidade de muitos qdo chegam ao oficialato superior. Esta, portanto, é a situação. Os praças estão cada vez mais “mal pagos”; os oficiais, no entanto, só “respiram” qdo chegam a major. Neste contexto, mts saem por não suportarem a pseudocarreira (praças), eqto outros evadem por não aguentarem esperar a promoção a major (oficiais). Os q saem já majores, mts das vezes o fazem por entrar na “pilha” de outros, fica o registro. Nota: sou major do QCO, oriundo da carreira de sargento. Gde abs a todos.

  • Renata

    REALMENTE desanimador tudo q. foi lido… o q. consola é qdo leio sobre a qualidade do ensino nas Forças Armadas… meu filho quer fazer o Colégio Naval… tenho ouvido muitas coisas boas, mas em vários momentos fico insegura. Parabéns ao sr.colunista Ricardo Setti!!!!

  • Alex Souza

    Srs Oficiais e Praças da Ativa e da Reserva, Civis,e demais interessados:
    A situação atual requer uma reflexão por parte do alto escalão sobre o futuro que desejam para si, para os seus subordinados, e para as FA.
    Atualmente está ocorrendo uma maior necessidade de divulgação de nossos concursos, uma vez que o interesse por parte dos candidatos em ter uma carreira nas FA é decrescente, o que faz com que muitas vezes o nível de escolaridade dos candidatos seja extremamente baixo, forçando inclusive um “gatilho” para que os mesmos sejam aprovados.Entenda-se como gatilho uma redução das notas mínimas que os candidatos necessitam alcançar, fazendo com que engenheiros dentre outros, sejam aprovados tirando menos de 4 nas provas. Os civis que tentam um concurso para as FA o fazem apenas como um “trampulim”, ou seja, ficam enquanto não passam em outro concurso, mesmo para ganhar menos.Tal fato gera desgaste e desmotivação, pois é realizado todo um investimento no militar, e no momente em que ele começará a gerar frutos, pede baixa.
    Um ano muito negativo para os militares foi em 2000,muitos de seus direitos foram extintos, o que majorou ainda mais o desejo em conseguir algo melhor para si e seus familiares fora do ambiente militar.
    O problema financeiro é grave, mas, não é o unico, como:
    1)o fato dos mesmos só terem horário para chegar, trabalhando as vezes 12 horas por dia sem receber um único centavo a mais por isso;
    2)tiram serviço a bordo 24 horas por dia e quando passam o serviço assumem as suas funções normalmente as 0800 h como se o cansaço do dia anterior não fosse atrapalhar o seu desempenho no dia subsequente (outras categorias após um serviço de 24 h chegam a ficar 72 h em casa);
    3)em cada Organização que trabalham (quando movimentados) realizam funções diferentes e nem sempre de acordo o que aprenderam em seus cursos, tendo necessidade de constantes adaptações;
    4) as baixas remunerações forçam os militares a morarem em areas de risco, próximo a favelas , principalmente no RJ após o “bum” imobiliário que ocorreu nos últimos 2 anos, fazendo com que corram risco de vida. A fim de evitar esta situação o militar opta por morar em locais longincuos (até 4 h distante do seu trabalho); e outros inúmeros fatores que poderia citar.
    Entendo que uma medida a ser tomada a médio e longo prazo seria uma maior participação dos militares na política de nosso pais, fazendo com que tenhamos força frente as decisoes que envolvam a nação. Não podemos ficar alheios a tudo o que ocorre, até porque a nossa omissão fará com que tenhamos um futuro ainda mais incerto, pois direitos já conquistados poderão ser questionados e extintos.
    Não tenho a capacidade de prever o futuro, mas, ao continuarem os constantes “assaltos” aos cofres do país, com desvios bilionários, possivelmente obriguem o Governo a rever nossa aposentadoria integral e o tempo de serviço de 30 anos. Cabe ressaltar que se somarmos as horas extras aos longos destes 30 anos (tempo após o horário normal de serviço + serviço na sala de Estado(24 h) + viagens embarcados, etc) veremos que já trabalhamos 35 anos ou mais.
    FA vamos nos unir e aumentar a nossa representatividade no Congresso Nacional, não podemos permitir que pessoas alheias ao nosso meio decidam por nós.
    A hierarquia e a disciplina são os plilares das FA, mas estes constantes episódios que envolvem a nossa Nação podem fazer com que não fiquemos tão disciplinados. Atenção senhores Governantes, estamos com baixos salários, estamos desmotivados, mas, não somos cegos, mudos e surdos.

  • Bruno

    Vejo hoje as Forças Armadas , em sua pior fase ; sou atirador do tg 02-010 , as condições são precárias .
    O armamento é o mesmo que á 30 anos .
    Sinto uma pena , pois , estou estudando para ingressar na ESA .
    Acredito eu que entre 10~15 anos isso irá mudar , é uma pena ver vários depoimentos de oficias saindo ,tinha que ser bem remunerados para não perder esses grandes praças .

  • Paulo Augusto Affonso Leone

    em 1984 – após 10 anos seguindo o sonho de ser oficial da Marinha de Guerra brasileira
    eu pedi demissão
    foi uma das decisões mais difíceis da minha vida: eu só tinha 24 anos e saía para o nada de estabilidade… nada de amigos de escola …tudo ia ficar para trás . . . passei a noite sem conseguir . . .
    cheguei na minha OM e fui direto à sala do comandante cumprir o ritual …
    pedi permissão para falar e comuniquei que ia apresentar meu requerimento de demissão…
    em 1984 isso não era nada normal
    eu tinha um convite para trabalhar numa empresa de economia mista na área de projetos urbanos e isso me consolava pois me fazia sentir mais útil…
    A questão é e sempre foi a droga da política…
    conheci na Escola Naval e no Colégio Naval pessoas inteligentíssimas; de ótima índole; todas dispostas a literalmente “morrer pela Pátria” sem pestanejar se fosse preciso …
    Mas já naquela época eu me perguntava: mas que Pátria … que povo seria esse pelo qual eu não me importava em dar a vida ?
    As Forças Armadas – ao contrário do que tenta estigmatizar certos políticos – está cheia de bons brasileiros; idealistas; com grande capacidade de dedicação e sacrifício, e sem dúvida todas as 3 forças são responsáveis por enorme quantidade de jovens, que entram sem uma visão clara de futuro e se descobrem a medida, que desenvolvem seus talentos no ambiente militar . . .
    mas será que o Brasil está preparado para esses talentos e essa capacidade de dedicação . . . ou nossa sociedade está cada vez mais em crise de valores e valorizando muito mais os espertos e oportunistas, … será que a omissão diante do cinismo não é o fator, que desmotiva as pessoas do Bem, que estariam dispostas a prestar grandes serviços . . . ???

  • Nelson

    Oi Major Leo Cientista, eu não ia comentar nada até ver sua escrita e não concordo com o início, onde v.sa diz que tem um monte de besteira e escritas erradas e vi que v.sa eh do quadro complementar de oficiais do exercito brasileiro. O problema de falta de espectativas começou no governo Collor de Mello, quando este com os oficiais generais das 3 forças fizeram um nova Lei de Remuneraçao dos Militares, exemplo eu recruta ganhava um percentual do soldo do general do exercito e hoje eu subtenente ganho um percentual do soldo do coronel e foi imposto isso para todos que nao sao oficiais generais. Nesse ano quem divulgou a tabela dos militares foi o Congresso Nacional, antigamente era Tabela de Escalonamento Vertical e tinha o indice de juros em cada soldo, nessa tabela atual começa de coronel ateh recruta e foi excluida dessa tabela os oficiais generais porque esses agora ganham como se fossem do poder judiciario. Aí pergunto para essa inteligencia de major: oficial general é militar ou não é mais militar????????????????????

  • J.J

    Há dois problemas: A desvalorização por parte dos poderes públicos e a cultura interna, arcaica imbecil… Com isso temos a desvalorização total de boa parte dos militares… N podemos deixar de lado, que os problemas são reais, mas dividem-se entre o poder interno e o poder dos governantes… Vamos protestar, mas sem hipocrisia…

  • Analista

    E agora com o 7 de setembro, na FAB em São Paulo usam mais uma vez os Regulamentos desatualizados para exercer sua tirania, escalando toda tropa para o desfile. Já q

  • Roger

    Ministro da Defesa foi VAIADO dentro da AMAN … http://youtu.be/9YPiGJM2sOU

  • Sgt do EB

    Sou militar de carreira do exército (antes não fosse), já vi muitas coisas nesses pouco mais de 5 anos de serviço. Posso afirmar q o jogo de interesses entre os comandantes está atravessando as fronteiras do nosso país. No Batalhão Brasileiro no Haiti, haviam pouco mais de 30 ambulâncias doadas pelo governo brasileiro àquele país, que estavam PARADAS,o q seria de grande valia para o povo, pelo menos pra amenizar o sofrimento daquela gente. As ambulâncias só foram entregues quando a “presidenta” visitou o Haiti, um absurdo… Já no âmbito Cia, o Cap segurava a maioria das cestas básicas de doação e entregava somente quando o coronel inpecionava as aciso’s e sem falar q o batalhão lá do Haiti tá se transformando BFax, lamentável

  • Sgt Infante

    Fico triste com a realidade do milico. Pelo fato do dever de sermos APOLÍTICOS, somos carentes de representantes neste mundo político. O que me racha a cara de raiva é escutar discursos de generais que estão em busca do reaparelhamento da Força mas não conseguem ao menos construir um PNR para os Sgt’s. Só falam em gestão logística e esquecem de investir no homem. Quanto aos soldos, considero uma mixaria o que um Gen ganha pela responsabilidade e dedicação x tp sv. Imagina a praça!! Pior ainda está o Sgt que, quando transferido, não consegue nem levar o cachorro com a indenização. Ledo engano quem afirma transferência ser bizu!!!! Desestrutura toda a família, a esposa sai do emprego (uma renda a menos), o filho muda de escola (zero vida social) e ainda tem que pagar aluguel no destinho (PNR?? rsrs). Plano de carreira só serve para calar os ST que estão na espreita de serem promovidos a oficial. Alem do mais, nao desejo ser mais um ST jogado no alojamento porque o Exército o transferiu sem lhe dar estrutura nenhuma, obrigando com que a família permaneça na cidade de origem por motivos óbvios (estrutura familiar, pagando imovel, etc). Graças à DEUS consegui estudar apesar de todos os contratempos!!! Conclui minha pós e vou pedir baixa no início do ano que vem!! Fico triste e feliz ao mesmo tempo!! Triste pela saudade da caserna, apesar de tudo, e feliz por saber que meu trabalho será recompensado proporcionalmente ao meu esforço e competência!!!NO FIM, SEMPRE SEREI UM NOBRE INFANTE!!! BRASIL ACIMA DE TUDO!!!!

  • Analista

    E o pior que no 7 de setembro, querem desgastar toda tropa, escalando todos, para demonstrar o que ? Só na FAB mesmo.

  • Oficial do EB

    Ricardo, o grande número de acessos aos seus textos que tratam da difícil vida dos militares se faz pela carência que nossa classe hoje tem. Nenhum meio de comunicação fala da dificuldade dos militares das forças armadas e nós mesmo, devido aos regulamentos que seguimos e à impetuosa formação que passamos, não conseguimos nos manifestar, seria esse um ato de extrema coragem beirando a loucura. Vejo, nesses dias, as pessoas saindo pra rua, reclamando seus direito e fico em casa, com tanta inveja e sedento por lá estar também, mas não consigo, algo me impede. É um medo ditatorial e me parece que estamos perdendo isso aos poucos. Espero que mais colegas seus possam ver a dificuldade que vivemos e mostrem pra nossa sociedade as dificuldades que passamos, precisamos disso urgentemente.

  • waldo

    A evasão este ano vai ser assustadora no que se refere a sargentos, pois na minha OM dos 40 sargentos, 30 estão fazendo preparatórios para a PRF e outros concursos. Conversando com colegas que servem em outros rincões do país ideia é a mesma todo mundo estudando para cair fora das forças
    desarmadas. A situação é desalentadora para a nossa carreira, pois os soldos são baixos, jornada de trabalho exaustiva que chega a 72 h/semana, os interstícios para promoção são longos, os aluguéis são caríssimos nas grandes cidades e a atenção à
    saúde a família militar é péssima (faltam médicos. Tudo isso desmotiva quem está na ativa e não vê uma solução à vista.

  • O PROBLEMA É MAIOR DO QUE SE PENSA! (SGT FORÇAS ARMADAS)

    LEIA ESTE ARTIGO. VALE A PENA!

    Há 5 anos atrás fui envolvido pela maior ilusão de minha vida ao achar que por ter sido aprovado na Escola de Sargentos das Armas daria um novo rumo à minha história, porém, ao adentrar nos portões das Forças Armadas e, desta forma, presenciar e viver a realidade descobri que na verdade tudo não passa de uma farsa.
    As Forças Armadas do Brasil estão FALIDAS, o Exército está inundado de militares desmotivados a maioria absoluta carrega este sentimento de derrota, principalmente quando se trata de SARGENTOS, Cabos e Soldados.
    Se não bastasse essa remuneração ridícula, vivemos trancafiados numa ditadura interna que pendura até hoje. Estou certo em dizer que se a instituição fosse regida aos moldes de uma empresa convencional e dependesse de cotas de produção para se manter viva estaria falida a tempos. Com raríssimas exceções, temos no comando de nossa instituição, bem como à frente das Organizações Militares CHEFES que pensam somente em seus caprichos e estão pouco se lixando para a “massa” muitos deles insistem em fazer seus falsos discursos tentando exaltar uma instituição que esta jogada às traças.
    Leitores, perguntem a qualquer Sargento de carreira sobre o que eles acham de seus Chefes: os Oficiais.
    É incrível, pois se não bastasse um governo que rema contra a instituição, temos ainda que levar nos ombros uma quantidade imensa de Oficiais INCOMPETENTES, boçais e que estão ali simplesmente aguardando suas PROMOÇÕES RÁPIDAS e certas. Muitos militares são humilhados todos os anos quando nos deparamos com ações corruptas no processo administrativo interno (Feijoadas, Festas, Bailes) eventos que contam com a mão de obra NÃO PREVISTA de 100% dos militares da OM, que geram lucros imensos que se dissipam sem ninguém saber para onde vão.
    Aos Oficiais, protagonistas da matéria sobre as inúmeras desistências, estou falando de vocês Senhores:
    • Que contam com rápida promoção e consequente aumento salarial (para aqueles que não sabem uma Aspirante à Oficial em 6 anos é promovido por 3 vezes, uma única promoção de um Sargento recém egresso da EsSA demora 8 anos);
    • Que possuem PNR garantido em qualquer região deste pais;
    • Que possuem, conforme o regulamento do Exército, série de atribuições e que insistem em repassá-las para seus Sargentos, Cabos e Soldados a fim de que estes possam cumpri-las sem para que vocês não precisem fazer o trabalho que lhes cabe
    • Que quase sempre visualizam os seus subordinados como golpistas, muitas vezes necessitamos de ajuda e não de questionamentos sobre seus olhares repletos de desconfiança;
    • Que ficam quase sempre atrás de pranchetas avaliando e cobrando dos homens e mulheres que comandam atributos que muitos dos senhores nunca terão;
    • Que criaram um sistema de conceito para tentar a todo custo “amarrar” seus subordinados para que não possam sair das trilhas que satisfazem suas vontades, conheço muitos avaliadores que deveriam ter suas fichas de conceitos rasgadas pois não tem condições ou mínimos atributos para serem avaliados;
    • Estou falando com vocês idealizadores de verdadeiros CASTIGOS FÍSICOS cobertos por um nome atraente, o que falar do Exercício de Desenvolvimento de Liderança (EDL) uma verdadeira palhaçada, se realmente funciona, convido a vocês a participarem juntos da atividade;
    • Estou falando com vocês Oficiais, que numa transferência ganham uma ajuda de custo para que transportem suas mudanças, veículos e família imensamente maior do que a de Sargentos, garanto a todos que para nós este serviço tem o mesmo custo. Porque até hoje não mudaram esta sistemática, talvez seja porque não os interessa confere? Pensamento perfeito, já que a dificuldade não bate à porta de suas famílias, para que se preocupar.
    Esta é nossa triste realidade, e repito se a situação esta desesperadora para os Oficiais quem dirá para nós Sargentos, Cabos e Soldados.
    Enfim, temos apenas uma direção à trilhar e ela, sem dúvida, é o contra-azimute dos portões que cercam à caserna. Hoje falo com autoridade: nossa maior vitória não foi ter entrado nas Forças Armadas, será sair dela. Que Deus nos ajude!

  • Miltar da MB, frustrado

    Estou cansado, desmotivado, frustrado, decepcionado. sou da Marinha (de carreira) e saibam que vivemos apenas um teatro naval dentro de nossas organizações militares. Somos explorados pela carga horária a que nos submetemos diariamente. Direitos trabalhistas fundamentais nos são ignorados. Somos humilhados pela fantasiosa hierarquia e disciplina. E nem pensar podemos. Estou cansado de ver o que vejo, de viver o que vivo. O meu sonho de ser Militar se tornou em pesadelo. 4 anos vivendo à sombra de líderes opressores, que se valem do poder hierárquico. POR FAVOR, façam matérias onde a realidade é mostrada e nos ajudem. Nem greves podemos fazer, porque se fizermos somos presos e condenados por crime militar.
    Sei o que estou dizendo, e no meu círculo de praças a insatisfação é a maior possível. Em porcetagem, pelo que observo, 90% dos meus irmãos de armas querem sair das forças. Infelizmente, muitos não tem profissões que possam ser aproveitadas lá fora. E precisam sustentar suas famílias.
    É isso e muito mais que tenho a dizer, e estou a disposição para ser perguntado para eventuais matérias!!

  • SG Indignado

    A principal desmotivação do militar das Forças Armadas é rotina de trabalho, a arrogância de superiores e um regime totalmente arcaico que massacra os praças e alguns oficiais de baixo escalão com uma rotina de serviço desgastante. A segunda preocupação são os salários defasados. Ainda tem oficiais superiores nas forças armadas que tem o descaramento de dizer publicamente que a desmotivação é por causa da necessidade de reaparelhamento. São um bando de brincantes. Não basta só o governo federal reconhecer um salário digno para os militares, as próprias forças tem que valorizar seus militares mudando sua rotina e seus costumes.

  • cb Eercito

    Não publico incentivos à violação da lei.

  • Leo Cientista

    Prezado ST Nelson, opiniões são bem vindas, mesmo q sejam descabidas e desproporcionais. Ora bolas, eu não disse nenhuma incoerência qdo afirmei sobre as besteiras crassas escritas nos mais variados depoimentos aqui. Como vocês podem desejar mudar, exigir alguma coisa se não estão em pé de igualdade para exigirem tal mudança. E não fui eu quem disse isso não, frise-se. Quer culpar a alguém, culpe Rui Barbosa q sempre defendeu q as letras superam os fuzis. Bom, discordâncias a parte, quero lhe dizer q não concordo com a famigerada MP q alterou nossa remuneração, retirando-nos diversas vantagens q, no pau da goiaba, compensavam as agruras pelas quais passamos na caserna. O q discordo é q se está ruim, prestem concurso e saiam. Não querem sair, prestem concurso e alcancem o oficialato de forma inteligente, sem necessitar de CHQAO ou de choradeiras. O q não cabe – e fica até feio para o paisano q vem aqui ler as lamúrias – é um monte de besteiras escritas, pois, para quem lê, a razão não vai estar do lado dos reclamantes, entendeu???

  • Marinheiro da Turma Delta ! Bombéia

    Infelizmente oque vejo na marinha é um total descaso com os praças. No quartel onde eu sirvo somos obrigados a colocar o bilhete único enquanto é gasto 32 mil em um coquetel do almirantado (CIAA). É lamentável ver oficiais(RM2)que tem uma formação militar de 45 dias humilhando um sg de 20 anos de serviço e muita das vezes até prejudicando sua carreira !

    Vejo muitos campanhas de turma comentando em sair da marinha e a cada dia que passa essa minha vontade de sair também aumenta !

    SABE POR QUE ?
    vejo um monte de sg da FAB e EB reclamando da escala de serviço apertada, mas garanto que NENHUM deles NUNCAAAAA deu um 3×1 igual muitos sg da MB.

    sou marinheiro e a escala mais larga que já dei foi um 4×1, atualmente minha escala é 2×1 cumprindo expediente de segunda a sexta, e detalhe, sendo escalado pra eventos, formaturas e serviço de boy( pra que não sabe o serviço de boy é um serviço no qual marinheiros são escalados para receber o almirante na entrada e na saída e o almirante nem pra sua cara olha), já passei por uma situação na qual estava de serviço de boy na quarta-feira o almirante saiu de bordo 22:00 hrs da noite e tive que ficar la esperando ele sair até essa hora estando de serviço no dia seguinte (quinta-feira).

    sabe oque acaba com MB e esta fazendo todo mundo querer sair ? AS TRADIÇÕES NAVAIS !

  • Armando

    Sou 3Sgt do Exército. Para o início de carreira e para alguém solteiro, o salário de Sargento não é ruim. O problema é o plano de carreira e o salário ao longo dela: De 3Sgt para 2Sgt são mais ou menos 8 anos para a promoção e ter um aumento de cerca de 500 reais. Em quanto isso, a gente forma família, tem filhos, nossos gastos aumentam, somos transferidos, pagamos aluguel (Nao exite PNR para todos os Sgt trasnferidos, em algumas guarnições chegamos esperar 4 anos na fila), somos engulidos pela inflação e nosso salário permanece congelado. Quando vem um reajuste nesse período temos que considerar o desconto da inflação, aumento do imposto de renda, desconto da pensão militar e outros… Pois bem, não sou de ficar reclamando da Força ou do governo, estou expondo a realidade. Agora eu e a maioria dos meus companheiro de fardas, estamos nos dedicando outras tarefas fora da força, como por exemplo faculdade, outros concursos públicos para sair da força e conseguir um salário maior ou mais tempo com a família. Acredito firmemente que se tivéssemos um salário maior e um plano de carreira que pelo menos nos desse uma folga para com a inflação, poderíamos dedicar nosso tempo integralmente para a Força afim de fazer cursos dentro ou fora da Força para nos especializarmos em benefício da própria. Podem fazer uma pesquisa sobre a quantidade de 3 sargentos de carreira que tem motivação para chegar a Sub Tenente ou até mesmo esperar para ser Oficial QAO, garanto que 90% de nós ou até mais, não temos motivação nenhuma de chegar ao posto máximo que nossa carreira nos permite. Acho meio triste isso. Eu pelo menos gosto muito do Exército, mas as atuais condição me obrigam a aproveitar meu tempo de descanso estudando para sair da Força. Quero da uma vida melhor para minha família é só isso.

  • Sgt Aeronautica

    Entrei pelo militarismo, por acreditar que faria a diferença pra Nação. Mas depois de 12 anos me vi servindo a Oficiais que não tem o que fazer e ficam dando ordens e satisfazendo seus próprios egos. Como disse alguém, marchar, marchar e marchar…pra que? O roubo com as licitações são absurdas e a burocracia facilita a corrupção. Eles não querem mudar, muitos mal sabem comandar! Não querem militares operacionais, que resolvam o problemas mas apenas querem quem cumpre ordens sem questionar. A frustração foi tão grande que acabei ficando depressivo, desanimado e cheguei ao meu limite. Resultado disso, é que com 3 meses de tratamento me reformaram.

  • Marco

    Já estive no meio militar, conheço as dificuldades da carreira, mas entendo que se trata de uma escolha fundamentalmente vocacional. Não preciso me alongar. As palavras de João Roberto Albim Gobert Damasceno, nos comentários sobre esta reportagem, são muito apropriadas: http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/politica-cia/baixos-salarios-fazem-o-exercito-perder-oficiais-inclusive-majores-e-capitaes/

    “A dignidade de uma carreira é consequência da atitude dos homens e mulheres que a abraçam. O militar dignifica a farda que usa, não o contrário.”

  • Jorge Medeiros

    Como descendente de familia de militares, fiquei horrorizado com os depoimentos que li aqui.
    Pobre Brasil.

  • Claudio

    Amigos infelizmente não adianta reclamar se na hora das eleições não elegemos um representante pra brigar por nós, por pura mesquinharia. Tem sempre aquele que diz “Vou votar no cara pra ele se dar bem, eu não to fora”. Sem representante no congresso nada vai mudar. Pensem bem , somos mais de um milhão entre ativa e reserva e mal temos um militar em Brasilia, que sozinho não vai fazer nada. Reavaliem suas posições. Se em cada estado firmamos voto em um candidato com certeza teremos força pra mudar. Abraço a todos, até 2014.

  • Tamyris- ex sargento da aeronautica

    Bom dia! Falo por conhecimento próprio! Pedi baixa ha exatos 42 dias e nao me arrependo nem por um minuto!
    As forcas armadas estão repletas de alienação e estão sobrevivendo embaixo de uma tenda, cheia de números de circo!
    É impressionante o quão alucinados os oficiais, cheios de luxo, achando que sao autoridades, com sua lindas damas mandando em todo mundo, inclusive nos aviões da forca!
    Sem falar na falta de respeito e consideração pelos praças e graduados, que sao a escoria das forcas… Um exemplo disso foi com meu pai, militar da aeronautica, infantaria, por 35 anos, morreu em servico, na ultima missão antes da reserva, ele foi para a missão pois nao queria desapontar o superior dele, mesmo com um dos filhos no hospital em estado grave, com risco de perder os movimentos… Pois bem, ao chegar a noticia da morte, solicitamos as honras militares para o militar Infantaria, o excelentíssimo chefe do Estado Maior disse que era inviável! Pois a FAB estava sem dinheiro?! Oi????? Uma pessoa como essa que sua mulher toma de conta dos aviões e traçava as rotas das ordens de missão???? Como assim???? Pois bem, essa é uma de minhas revoltas e motivo pelo qual nao quis morrer ali dentro!!!
    Meu pesar a quem fica, vcs nao passam de números!

  • Marcelo Bruno da Silva Maceno

    Bom fui Marinheiro Recruta no CIAB-DF e logo após um ano de servili obrigatório passei no concurso para Fuzileiro Naval. Apesar do baixo salário e do excesso de trabalho não posso reclamar. Aprendi muito e fiz boas amizades. Hoje dou valor a coisas pequenas e sei o significado de amor a Pátria. Tive a sorte de servir na SECIRM/PROANTAR e pude conhecer a Antártica e embarcar no Navio Ary rongel na Operação Antártica XVII. Valeu sim.

  • schäfer - 1º Ten QAO Adm G

    Há anos falam que nós militares somos privilegiados, mas há anos estamos passando por dificultadas de ordem financeira e operacionais, quando sai da Escola de Sargento das Armas em 1985; ganhava como 3º Sgt 15 salários mínimos, hoje não ganho isso como 1º Ten com 32 anos de serviço, não recebemos FGTS, hora extra, periculosidade, insalubridade, perdemos licença especial, trabalhamos quando estamos de serviço 32 horas, 24 h no dia de serviço e mais 8 quando saímos e permanecemos no expediente, perdemos um posto acima quando passamos para reserva, não temos direito a greve, MAS temos que substituir todos os tipos de grevistas, a única coisa é que mantemos nosso salário da ativa, quando passamos para reserva, mas isso porque continuamos a contribuir com 7,5% mesmo na reserva e quando falecemos a contribuição continua sendo descontada para a pensão da viúva. Não temos plano de carreira. devemos ter EXCLUSIVIDADE de trabalho com a Força. Isso só vai melhorar quando os nossos CHEFES começarem a se preocupar com os subordinados e os GENERAIS deixarem de se preocupar somente em manter seus cargos, deixarem de aceitar de boca calada e cabeça baixa os desmandos dos políticos e do PODER EXECUTIVO em desmoralizar, desprestigiar, sucatear e sufocar os integrantes das Forças Armadas com os mais baixos salários dos Três Poderes, dando migalhas de reposição salarial, e mantendo a insatisfação dos militares sob controle através do regulamento disciplinar. ZONOLEI JOEL SCHÄFER. – 1º Ten QAO Adm G. AMO MINHA PROFISSÃO, MAS, TUDO TEM LIMITES.
    5

  • OTAVIO RENATO MARTIN VIDARTE

    triste! porém, certamente merecemos pela omissão de nossos coronéis, generais, almirantes ….. que são autoridades somente dentro das paredes dos quartéis. Somos subordinados a um governo de Comunistas que sucatearam as Forças Armadas (agora desarmadas) e o País. Sendo militar (1º Ten QAO R1) me sinto um derrotado pelos petralhas e frustado com a cúpula militar ……

  • Reforma nas Forças Armadas JÁ!

    Como a repercussão deste artigo esta sendo grade, existe a possibilidade das autoridades incompetentes que temos se pronunciarem a fim de justificar esta matéria. Talvez digam que se trata de uma minoria, um bando de arruaceiros reclamando sem razão. (Imprensa), a verdade esta na (Pesquisa de Campo), para tanto busque conversar sobre o assunto reservadamente com militares das Forças Armadas de preferência com (Praças), ou seja, (Sgt, Cb e Sd) não tenho dúvidas que vocês sairão desta conversa com a plena certeza que a insatisfação destes militares é real e esta chegando a um ponto crítico.
    Governo, Ministro da Defesa, Oficiais de alta patente, os militares da Instituição principalmente Sargentos:
    – Querem melhores salários
    – Os sargentos necessitam e querem interstícios de promoções menores, pois é claramente desmotivante aguardar 8 anos para ganhar uma promoção
    – Querem o adicional de tempo de serviço
    – Querem PNR à curto prazo em todas as OMs
    – Querem folga da escala de serviço condizente com a capacidade física e mental de um ser humano, ou seja, queremos vida pós quartel. E caso digam que isso, não seja possível, tudo bem, porém não há motivo para que se cumpra expediente no dia pós serviço, isso é um absurdo.
    – Querem, quando ocorrem missões de grande vulto, com a presença da Polícia Federal, Força Nacional, entre outros, todos eles recebem (Diárias) antes mesmo de partirem para a missão, e os militares das Forças Armadas, mesmo estando no mesmo ambiente operacional recebem (Representação), na maioria das vezes com grande atraso. Os integrantes das FA querem diárias como todas as outras instituições recebem, valorizem nosso serviço!
    – Querem respeito e verdadeiro companheirismo dentro dos quartéis, pois todos os atributos de camaradagem que a instituição prega não passa de hipocrisia
    – Querem instalações e equipamentos em condições, pois atualmente vivem em meio de escombros e sucatas
    Autoridades, são tantos os motivos que poderia ficar aqui por horas preenchendo tópicos.
    Solicito aos senhores que acordem para a realidade, dentre outras são essas as melhorias que necessitamos usufruir, nossas famílias estão desamparada, portanto, por favor, parem de discutir nas reuniões de alto comando se é viável ou não o militar usar guarda-chuvas e (façam alguma coisa por seus militares), pois garanto à vocês, que a motivação que eles carregam hoje não sustenta de forma alguma o seus ímpetos em defender o país muito pelo contrário.

    – Queremos promoções

  • sgt do eb ms

    as forças armadas estão falidas, as carreira dos sargentos parecem mais rastejo baixo, onde esperamos 10 anos pra sermos promovidos pra termos um aumento de 200 reias no salário já irrisório e engolido pela inflação, senhores estamos falando de pessoas que fizeram concurso,e ficaram em formação durante 1 ano e meio em regime de internato, sofrendo todo o tipo de castigo físico em prol da “boa formação”. sofremos hoje as consequências da ditadura, sem ao menos ter participado de qualquer farra no poder,onde os dirigentes atuais do país cobram dos militares da ativa o que militares que estão na reserva se vangloriando de seus atos fizera.os militares da ativa são o ” saco de pancada” do governo, é so comparar a carreira do funcionário público com a dos militares. e muitos podem perguntar pq não sai da força? a maioria esta tentando, demora devido ao tempo que se perde tirando serviço e indo para as missões de “pow-pow”,sem fundamento. são enormes os motivos. ” Não entre nessa instituição onde a ditadura praticada pelos oficiais humilha os praças ( sd,cb,sgt,s ten e sub oficiais) .

  • pedro ruan

    Sou sgt do exército brasileiro ,não cuspo no prato que comi ,mas estamos morrendo aos pouco eo pior nossos comandantes não fazem nada ,ficam omissos ,nossos generais são uma vergonha só estão esperando uma vaguinha no supremo tribunal militar ou alguma aditância ,porque vão brigar pelos praças ,na verdade estamos abandonados a muito tempo e tendência é só piorar ,ou vão achar que a nossa ilustre presidenta vai nos ajudar,ainda mais ela falando em comissão da verdade,ela teria que ser a primeira a ser investigada uma vergonha o que estamos passando com nossas famílias tenho 25 anos de quartel ganho hoje liquido 2700 reais isso sem nenhum empréstimo liquido,graças a Deus faltam apenas 4 anos para ir para a reserva,e torcer que Deus nos ajude a nós e nossas famílias.

  • kaos

    O que tem que mudar no militarismo é a lei que é infeliz com os próprios militares .. essa lei acaba com qualquer um , e ainda tem militar que fala que o soldado e o cabo andam testando o sistema.. é um verdadeiro miseravel..

  • cristiano rebelo

    as forças armadadas.! isso antigamente todos queriam servir, agora viro lixo, uma piada, da qual fiz parte em 2000 nao era aquilo que esperava e vejo q esta piorando. culpa de quem? do nosso proprio governo.

  • Waldemiro

    A evasão vergonhosa que vem ocorrendo nas 3 forças com certeza provoca muito prejuízo para a União, pois custa muito caro para formar um oficial ou um sargento. No exército levam 5 anos para formar um oficial na AMAN; para formar um sargento leva 2 anos na ESA; tudo isso é custo para a União, pois a cada 2 anos estamos perdendo uma turma correspondente da AMAN se for levar em conta a evasão das 3 forças. Fora isso há um prejuízo enorme nos quadros, pois os melhores militares estão saindo e consequentemente diminui a qualidade dos novos formandos. Infelizmente a nossa defesa hoje não possui uma agenda objetiva para a forças armadas. O ex-presidente Lula lançou no seu governo a tal Estratégia Nacional Defesa que nada mais é que um protocolo de intenções sem objetividade
    alguma, sem previsão de alguma coisa,sem prazos, sem orçamento enfim um blá blá de um governo populista. Ainda há o uso político das forças armadas que chega a dar nojo sucateando tudo o que há ainda em funcionamento nas FA. Nós militares da ativa não podemos fazer nada dentro do prescreve a normalidade legal das coisas; não podemos fazer greves, não podemos se manifestar politicamente e ainda tem a imprensa que nos achincalha covarde implacavelmente por questões ideológicas. Vai ser muito difícil um governante de verdade se sensibilizar de fato com as nossas causas.

  • Jorge

    Bom, tenho visto muitas reclamações aqui que contam só metade da história, e mesmo assim com certo exagero.

    Os militares podem ter perdido alguns direitos (ou regalias?), mas ainda possuem muitos outros. Os militares foram a única categoria do executivo que ficou de fora da última reforma da previdência e assim continuam com aposentadoria integral, também são os únicos que se aposentam apenas com tempo de serviço (que é muito curto!) e assim se aposentam muito novos com menos de 50 anos, e muitos ainda voltam a trabalhar na caserna ganhando um salario extra, coisa que inexiste no meio civil.

    Possuem alimentação gratuita no trabalho, se é boa ou não é outra questão, mas é gratuita. Moradia com desconto muito abaixo do valor de mercado de aluguéis, até concordo c/ essas moradias pra quem está na fronteira, mas em capitais e outras cidades, já vira um benefício sem sentido que nenhum outro func. público tem.

    Isso tudo sem falar que o salário está acima da média para as praças (profissionais de nível médio) e na média para os oficiais (nível superior), comparando-se com a iniciativa privada e com demais cargos do executivo; o problema é que comparam sempre com as classes mais bem remuneradas. Se tirarem a média de vencimentos dos últimos 24 ou 36 meses, vocês verão que, juntando as transferências e comissões no exterior, muitos militares, não todos, mas muitos, ficam com os vencimentos inflados consideravelmente, isto é um fator que deve ser considerado (mas não é) em sua questão salarial. E, por último, a pensão vitalícia das filhas, que só acabou pra quem entrou a partir de 2000.
    Lembrando que tudo isto tem um custo enorme para o país.

    Portanto, considero que, apesar de terem perdido por um lado, por outro os militares ainda têm suas vantagens em relação a outras categorias, talvez já não seja mais tão atraente por causa das condições de trabalho, e isso depende só dos próprios militares pra mudar, mas não por questões salariais ou financeiras.
    Sei que muitos irão ficar chateados (muito chateados) comigo, mas não foi esta a minha intenção, mas sim apenas mostrar que está havendo um certo exagero, que até reconheço como natural em qualquer categoria que luta por seus direitos. Reflitam sobre tudo o que escrevi e verão que em algumas questões vcs podem estar fazendo tempestade em copo d’água.
    Paz a todos nós, civis e militares!

  • schäfer - 1º Ten QAO Adm G

    Como venho lembrando incansavelmente para os amigos do blog, as regras para publicação de comentários — que têm chamada permanente na home page para que possam ser consultadas — vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas.
    Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm
    Conto com sua cooperação da próxima vez.
    Obrigado desde já

  • Capistrnao Junior

    Amigos das Forças Armadas sou Sargento da Reserva da Marinha, o que estamos passando hoje, como dificuldades Financeiras, Humilhações por parte dos Governantes e outras situações etc, os culpados foram e são os antigos Ministros das Forças Armadas que nada faziam só baixavam a cabeça para o seu superior (Presidente da Republica da época)e nada mudou só muita conversa e nada de concreto.

  • Fuz. Nav.

    Na MB o Fuzileiro Naval é o “cocô do cavalo do bandido que não vai entrar em cena”, e os oficiais FN conseguem piorar mais ainda a coisa, por incrível que pareça.
    Os direitos, das praças, são vilipendiados diariamente por oficiais hipócritas e carreiristas de plantão. Entendo que oficiais tenham uma “dedicação exclusiva”, como disse um General em uma reportagem, mas confundem a “dedicação exclusiva” com babação de ovo e viverem de satisfazer vontades superiores para ficarem bem na foto.
    Dentre os direitos negados, na maior cara de pau, está a questão do Porte de Arma de Fogo Particular(PAFP), para praças. Cumprindo os requisitos estabelecidos na Portaria que regulamenta a questão (Portaria Nº2 da DGMM – Aprova as Normas para aquisição, registro e porte de armas de fogo na Marinha do Brasil), aí começa a “novela mexicana”. Primeiro a resistência passiva da “autoridade” competente que engaveta o requerimento por tempo excessivo. Mesmo que justifiquem que o “processo de verificação” específico seja demorado, não passa de mentira pois essa resposta é rápida. Pura leniência. O que era para ser despachado entre 15 a 30 dias, no absurdo do máximo, a coisa fica parada por muito mais de seis meses em quase a ,totalidade dos casos.
    Quanto a praça FN, especificamente, que tem o tiro como “requisito de carreira” e não pode ser reprovado, nas condições atuais, onde o soldado para prosseguir na “carreira” tem de ser um “perito atirador” devido as pontuações, a questão do PAFP chega a ser hilário, para não dizer vergonhoso, pois a grande maioria dos requerimento são “indeferidos”. Pois é!(?) O FN pode portar armas para adestramentos, pode portar armas para serviço, pode portar armas para enfrentar a criminalidade no Rio de Janeiro, pode portar armas para enfrentar o tráfico na região norte do país, pode portar armas para fazer segurança presidencial, pode portar armas para fazer segurança das “autoridades” da MB, pode portar armas para fazer segurança de “dignitários” mas não pode portar armas PARA SUA SEGURANÇA PESSOAL E DE SEUS FAMILIARES E DE SEU PATRIMÔNIO, mesmo após todo o tipo de “exposição” descrita anteriormente com ênfase no combate a criminalidade. A “concessão” para o PAFP fica a critério da subjetividade do entendimento da “autoridade competente” mediante a exposição, da “justificativa da efetiva necessidade”(!?), no requerimento enviado. Que justificativa seria maior que a apresentada no cotidiano? O atestado de óbito? O maior absurdo é que atrás desta “subjetividade” algumas “autoridades”, COVARDES E HIPÓCRITAS, negam a solicitação do PAFP. Uma atitude inconsequente, irracional e leviana pois estão interferindo na vida pessoal do militar, que antes disso é um cidadão, expondo-os a toda sorte de azar. Expõem seus homens, seus comandados, “defensores da nação” que em juramento a Bandeira Nacional colocaram sua vida “a disposição” da mesma, a não exercerem o “direito a legítima defesa”, quando necessário se fizer, pois equiparam estes militares a qualquer cidadão sem capacidade, lembrando que há muitos cidadãos que praticam o tiro e tem uma capacidade incomparável no uso de uma arma de fogo mas, “politicamente correto” falando, há aqueles que abominam a arma de fogo como se esse “objeto” fosse causa e não meio. Triste vivenciar que “autoridades militares”, rezam na cartilha do politicamente correto e desqualificam aqueles que preparados estão.
    Isso é uma vergonha!

  • schiaf

    Servico de 24h? E os meios exped das sextas feiras, os meios q comecam em dezembro e acabam so em fev, trabalhando 25 horas semanais nesses 3 meses? A educacao fisica de 2 horas diarias (futrbolzinho, caminhada) todo dia? As transferencias bem pagas ($40.000, 00) em media para quem quer. Almoco, cafe e janta todos os dias, gratis. Tempestade em copo dagua. Estao descontentes, vao procurar algo melhor.

  • Sgt Exército

    O pior de tudo não é salários defasados, o pior é a escala horrível e ver e participar de absurdos q comandantes de quartéis fazem, por exemplo quase todo final de semana uma missão imbecil, para o Cel se promover na cidade, como por exemplo colocar sargento e soldados para balizar uma corrida de Moto cross, ou corrida rústica na cidade. absurdo!

  • EG

    Caro Jorge,
    Até realizar uma pesquisa mais apurada, pensava em parte como você. Mas depois que fiz algumas comparações com cargos similares do poder executivo(exemplo:Sgt x Um Tec Servidor público), percebi que não tinha vantagens significativas para continuar no exército. Aposentadoria integral eu ainda serei beneficiado como servidor público, pois entrei antes da lei que a aboliu no serviço público, e mesmo que não fizesse jus ao valor não sendo integral, ainda sim seria maior, no momento da aposentadoria, caso continuasse no EB”. A questão dos 30 anos de serviço, se você analisar a longo prazo, ganhando pouco, e com todas particularidades inerentes aos militares, o militar acaba que por pagar por esse anos a menos de serviço,baixos salários, muito estresse “em muitas vezes desnecessários”, serviço de 32h, não ser dono de si, etc.. Quanto a “alimentação gratuita”: Os servidores públicos recebem auxílio alimentação, os militares não recebem este auxílio, por ter “alimentação gratuita” em seus ranchos, para lhe informar, alguns servidores recebem auxílio alimentação de até R$ 740,00. Aí eu te pergunto: vc trocaria ou não seu almoço do rancho por esse valor? Quanto ao salário acima da média.. quero lhe informar que os militares são sim o menor salário do executivo. Verifiquei em um edital de concurso público para o cargo de técnico(ensino médio) vinculado ao poder executivo. O inicial era de 3500, logo verifiquei o plano de carreira desse mesmo cargo e o resultado foi que em apenas 10 anos seu salário já estaria em torno de 6700, isso vencimento básico!!! Um militar(3Sgt) entra ganhando em torno de 2800(líquidos) depois de trinta anos de serviço 4500(líquido) para se aposentar. Esse valor, o qual esse 3º Sgt “hoje” mas amanhã ST(sem 1% de tempo sv) irá se aposentar, é menor valor que do outro servidor irá ganhar, quando este se aposentar, Lembrando:”sem aposentadoria integral”. Quanto a PNR(moradia) com 11 anos de serviço no EB nunca consegui morar em um, as cidades as quais passei, o tempo mínimo era de aproximadamente 7 anos para consegui ocupar um, nesse período morri no aluguel que ficava em torno de R$ 800,00. Meu amigo, todos os que aqui desabafaram estão indignados, e com razão!! Pesquise antes!! Aqui é um ambiente que tanto militares e civis acessam, ou seja, uma excelente porta de saída para expor essas péssimas condições que a família militar passa, e quem sabe, ajudar a melhorar a qualidade de vida dos merecidos militares!!

  • Duncan Sgt PE

    O maior problema são os oficias Generais que pra conseguirem alguma vantagem após irem pra reserva se vendem aos políticos puxando o saco e fazendo acordos que prejudicam a força e o restante do oficialato só dizendo amém afinal é tudo farinha do mesmo saco. Inumeros oficias despreparados tanto na parte administrativa quanto na operacional e são esses que vem te cobrar, tudo isso junte a escalas de serviço de 24h e ainda ter que cumprir expediente no outro dia! ai eles falam que os oficiais também tiram…ah é verdade mas por apenas seis anos que ao sair Capitão já tira Superior d dia que é sobre aviso mole né? já os praças tiram toda vida do QE ao Capitão QAO ah sem contar o Subão que não tira serviço mas ganha uma sub tenencia é muita emoção pra um final de carreira….

  • Lanzelloti - CB

    Em primeiro lugar, gostaria de parabenizar aos colaboradores desta matéria, pois não omitiram informações nem mesmo da classe dos desfavorecidos, que são os de praças, soldados e cabos.
    Quando jovem sonhava em entrar para Força Aérea, e particular com Aviação Militar, pois de certa forma a realizei, pertencendo a um grupo de resgate aéreo, SAR, no entanto, por falta de investimentos ou mudanças de velhos conceitos internos,também não posso deixar de citar se não o pior é o pessoal interno, em particular Oficiais Generais.Os quartéis estão cheios de Sanguessugas perpétuos que já deveriam estar curtindo suas aposentadorias milionárias e quem sofre com isso é toda Força, pois como já disse anteriormente, permanecem com suas ideologias ultrapassadas e o que é pior tomando a vaga de outros que lá poderiam mudar estas ideologias. O fato pessoal, que devido a isso e outras coisas impede a evolução nas carreiras que não existem para soldado ou cabos, alias, estes são os mais hostilizados e fazem os piores serviços e sem um futuro para aqueles que pretendem seguir carreira. Enfim nota-se um impedimento real para aqueles que almejam ser oficiais, vindo dos quadrados baixos. Também gostaria de deixar registrado que o numero de militares reformados por doença adquirida nos quartéis estão alarmantes, e a razão disto é os excessos de serviços, má remuneração e abusos de poder nos quartéis. Se forem investigar a fundo verão que estes militares doentes tiveram seus pareceres médicos adulterados propositalmente. Bem, pessoal, às vezes, me arrependo, pois no fim dos anos que se vão o que acaba fazendo a diferença é a possibilidade de dar melhores condições a sua família, isso inclui moradia, saúde e educação. Este posto ascendeu-me a coragem novamente e o fiz descrevendo-o. Felicidades a Família Castrense.

  • Henrique Vasconcellos

    É o governo federal sucateando o nosso exercito, retirando recursos do exercito para suprir a ganancia financeira da casa, assim sem um exercito forte, não vamos conseguir valer os direitos do povo e a constituição, e o povo sera cada ves mais oprimido, até quando??

  • Brasil acima de Tudo

    Rebatendo algumas críticas dos colegas comentaristas:
    1. Aposentadoria integral: sim, a aposentadoria do militar é integral. Mas o que ninguém torna público, é que, por essa aposentadoria, chamada pensão militar, os militares pagam 7,5% do salário bruto para o resto da vida, mesmo na Reserva (e não “aposentados”), ao contrário dos civis que cessam o pagamento ao aposentarem.
    2. Exercícios físicos: é de um desconhecimento grotesco afirmar que militares vivem de futebol e caminhada. Durante três vezes por ano há testes físicos com índices elevadíssimos para os padrões normais. A preparação para estes testes impõe treinamentos desgastantes, como pistas de pentatlo, corridas, natação e outros. Esses treinamentos militares exigem elevado preparo físico, o que causa acentuados desgastes fisiológicos e risco de vida.
    3. Alimentação: sim é de graça. A alimentação nos quartéis e a alimentação de campanha. E deve ser assim, pois os intendentes adestram-se no suprimento diário das refeições. Ou na guerra vamos chamar um restaurante para vender self-service no front? A alimentação não é boa. Não pelos nossos militares, que fazem milagres de multiplicação de pães e outros alimentos. Mas pela falta de recursos. Os meios expedientes nas sextas visam evitar que falte alimentos até para as necessidades mais básicas de alimentação da tropa.
    4. Moradia: não é verdade que existam fartas moradias para militares. Nos grandes centros,o alto valor dos aluguéis empurram o militar para a periferia, mais longe dos quartéis (normalmente localizados em bairros centrais e nobres), onde se leva horas para se chegar ao trabalho pontualmente. Em muitas capitais (RJ, SP, POA,…) os aluguéis consomem metade da renda dos militares de patente mais baixa.
    5. Salários: as FFAA, como quase toda estrutura, possui organização piramidal. O topo pode até ganhar bem para os padrões brasileiros, mas a base, composta de soldados, sargentos e oficiais de baixa patente, não recebem proporcionalmente ao que se exige deles. Preparo físico de atleta, conhecimentos de professor, disciplina como robô, paciência de jó, criatividade de Dr Pardal e jogo de cintura de mulata globeleza. Daí o foco das evasões se concentrar nesse público. No quartel em que sirvo trabalham alguns funcionários públicos vinculados ao exército. Todos recebem duas vezes mais do que o próprio comandante. Onde que um subordinado de nível médio recebe o dobro que o chefe com quase 30 anos de carreira e com várias habilitações?
    Por fim, conclamo aos nobres comentaristas desse nobre espaço democrático, que antes de tecer criticas é interessante saber um pouco mais da realidade do criticado.
    Brasil acima de tudo!!!

  • Sargento

    O que mais entristece é saber que quem deveria estar brigando por nós… (Generais, Brigadeiros e Almirantes) nada fazem para não perder suas regalias…. afinal, além do salário, não pagam moradia, transporte, usam os taifeiros como empregadas domésticas… e vivem ganhando indenizações de viagens de inspeção. Estão vendidos, e ainda querem cobrar lealdade… Sofrível.

  • Militar da Aeronáutica

    Infelizmente as FFAA estão sendo muito mal administrada e os superiores acham que os militares não devem ter consciência política! Enquanto isso, todos os confortos e louros vão para eles! Realmente, a carreira perdeu o prestígio devido aos próprios militares, pois são profissionais que possuem uma pseudo-coragem. Na verdade, são um bando de covardes que usam da boa política para conseguir meia dúzia de elogios e medalhas, mas não possuem a coragem de chegar perante a um superior, principalmente a um 4 estrelas, e dizer: Senhor, nossa unidade está passando por tal dificuldade! Escondem os problemas para debaixo do tapete e jogam os problemas e as faltas de recursos em cima dos praças!! Estamos mal administrados por gestores incompetentes.

  • adriano

    Sou 2 sargento do exército, sou formado em Administração e tenho duas especializações,já passei em três concursos públicos, aos quais estou esperando ser chamado. Tudo que falaram acima, tudo, absolutamente, tudo é mais plena verdade. Procuro sempre dar força aos amigos para que estudem e procurem algo melhor.

  • Guaco

    Um amigo me disse certa vez que existem 4 tipos de militares: os bitolados, os carreiristas, os que estão pela estabilidade e segurança, e os vacacionados. Os bitolados não enxergam a verdade a um palmo do nariz, são teimosos, ignorantes ou colados, um típico “bem forte, bem burro”, o que é ótimo para a instituição, que não quer massa pensante. Os carreiristas se dizem amigos de todos, são bem vistos pelo comando e parecem baluartes de virtude, mas não medem esforços, pisam sobre tudo e todos para alcançar seus objetivos egoístas e, não incomum, são traiçoeiros. Os que estão pela segurança são a maioria, que vai desde os que tentam fazer o que está previsto até os que nem o mínimo são capazes de fazer, mas que se acostumaram com a situção. Os vocacionados são uma minoria, normalmente dá para contar nas mãos.
    Destes quatro, o pior tipo é o carreirista… e normalmente é o seu chefe.

  • Vagner

    Servi a Marinha por quase 11 anos e o que eu vi por lá foi um monte de militares insatisfeitos com a carreira, inclusive eu. Serviço com hora para chegar, porém sem hora para sair, isso quando não tem que regressar finais de semana para fazer faxinas, só para receber um oficial general, ou melhor esconder a realidade do alto escalão. Porque é isso que acontece, os problemas estão por toda parte, e quando eles vem, o que se faz é camuflar, já que não é liberado as verbas. Hoje estou feliz, porque tenho algo que não tinha no militarismo: Tempo. Tenho tempo para a família, tenho tempo para estudar e já não vou ficar pulando de galho em galho. Chega por aqui, porque nos que servimos sabemos o bastante o que passamos por lá.

  • MILITAR EXERCITO

    São quase 20 amos de Sv, cortaram o nosso adicional tempo de sv sv, so recebo 6 por cento, salario familia 0,16 centavos por dependente, escala de serviço que quando sai do mesmo emenda no expediente, são 32 hs mais a semana toda de expediente, comida tem sim feijao com pedra, arroz duro e frango seg, terça, quarta,quinta…o famoso cha de gandola (muitos irão rir disso) é o f

  • MILITAR EXERCITO

    Seu comentário está aguardando moderação

    São quase 20 amos de Sv, cortaram o nosso adicional tempo de sv sv, so recebo 6 por cento, salario familia 0,16 centavos por dependente, escala de serviço que quando sai do mesmo emenda no expediente, são 32 hs mais a semana toda de expediente, comida tem sim feijao com pedra, arroz duro e frango seg, terça, quarta,quinta…o famoso cha de gandola (muitos irão rir disso) é o famoso cha de guarana, morando em favela, acordando 4 hs da manha para chegar no expediente as 8 hs, aluguel consome quase metade do salario, é brabo vou parar por aqui, ha so pra não deixar de expor, a partir do dia 15 do mes, comida é so o GIRRASSOL (OVO FRITO)…Parabens pelo nossso DiA. SOMOS VERDADEIROS HEROIS, NÃO ROUBAMOS , NAO TEMOS OUTRO EMPREGO (PROIBIDO)É SRS …SÓ NOS SABEMOS…

  • RONALD MASCARENHAS

    Como venho lembrando incansavelmente para os amigos do blog, as regras para publicação de comentários vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas.
    Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm
    Conto com sua cooperação da próxima vez.
    Obrigado desde já

  • PAULO CEZAR DE FARIAS BOMFIM

    Como venho lembrando incansavelmente para os amigos do blog, as regras para publicação de comentários vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas.
    Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm
    Conto com sua cooperação da próxima vez.
    Obrigado desde já

  • José Wilmar de Sousa

    Militar reformado do exército com mais de trinta anos de serviço prestado, profissão peculiar de dedicação exclusiva, fator que contribui para as ponderações relativo a vencimentos defasados. A legislação não permite ao militar da ativa exercer outra atividade remuneratória, considerando que assemelhados dispõe de melhores avaliações salariais a exemplo dos militares da Polícia do Distrito Federal em todos os postos e graduações sem exceção, como força auxiliar prevista na Constituição Federal ainda em vigor. Outros fatores como às transferências a qualquer tempo interferindo nos estudos dos filhos e do próprio militar para Unidades fronteiriças e insalubres que não oferecem as mesmas condições das grandes e médias cidades, mas que são prontamente atendidas pelo militar em prol do dever e da Instituição. Por esses fatos narrados e outros motivos considero justo às revindicações explicitadas em parte nos comentários, sem esquecer de exaltar a figura do maior soldado do Brasil, nesta data 25 de agosto dia do Soldado.

  • Jorge

    Caros ex-colegas de profissão,
    Quero ajudá-los a melhorar a situação, já que meus 11 anos de marinha, 1º ten formado pela Escola Naval, me permitem. Tudo depende só de vcs, esqueçam os políticos, a Dilma e o Amorim; são mudanças simples que resultarão em melhor ambiente de trabalho e menos despesa à União, que resultará em mais verba pra pagar um salário melhor. Vamos lá:

    1) Esqueçam as tradições, a sociedade é dinâmica e a era da informática não permite se prender ao passado. Que sejam abolidos apitos, cerimoniais desnecessários, “boys” perfilados pra qualquer visita, etc.
    2) Mania doentia de limpeza, fazendo com que a faxina vire a atividade fim dentro de uma organização militar (OM), deve ser abolida. Um lugar com vários homens trabalhando e transitando sujará naturalmente, mas, ao final do dia, uma limpeza rápida e leve resolve, sem necessidade de se deixar brilhando e de passar inspeção, afinal ninguém entra nas FFAA pra ser um profissional da limpeza, seja como executor ou supervisor dela.
    3) Que sejam proibidos, por decreto, os coquetéis. FFAA não são buffet, coquetel não faz parte da atividade fim, e nem da meio, das FFAA, por mais que já esteja arraigado nas suas tradições. Pode até abrir exceção para as cerimônias de assunção de comando, SÓ, MAIS NADA. Em 15 anos no meu cargo civil nunca vi um coquetel, e mesmo as 5 ou 6 comemorações de aniversários foram feitas com vaquinha de 10 reais de cada um pra compra de refrigerante e salgadinhos, nunca vi cerveja e whisky por conta do erário público na repartição.
    4) Futebol é outra coisa que deve ser abolida. Esse negócio de toda OM ter 2 ou 3 campos/quadra é esquisito; e pega muitíssimo mal o paisano passar em frente ao quartel ou em cima da ponte Rio-Niterói e ver a turma batendo bola. Deixa isso pro fim de semana de folga.
    5) Quem pega serviço tem que folgar no dia seguinte, afinal, não estamos em guerra e mesmo se estivéssemos, nenhuma guerra dura décadas pra se ficar fazendo isso durante quase toda a vida do militar.
    6) A burocracia militar, sem fim algum, tb deve ser abolida. O tempo deve ser ocupado com adestramento, real ou virtual/simulado, e não com “burrocracia”, coquetéis e outras atividades que em nada ajudam na formação militar.
    7) Menos burocracia significa menos gente necessária, portanto, será possível diminuir o contingente. Menos servidor pra se pagar, mais dinheiro que sobra para um aumento de salário.
    8) Faz sentido uma nação sem nenhuma tradição bélica ter mais oficiais generais que os EUA? Claro que não, portanto, tem que se diminuir o nº de oficiais generais.
    9) As OMs não operativas devem ser cortadas pela metade. Ficam apenas a OMs realmente operativas e as necessárias à sua operação, principalmente as de fronteira. O dinheiro arrecadado com a venda dessas OMs pode ir para um fundo a ser aplicado em melhorias das próprias FFAA.
    10) As comissões no exterior (muitas de necessidade duvidosa) tb podem ser drasticamente reduzidas, é muita gente ganhando vencimento extra, o que só prejudica um aumento salarial geral. O mesmo raciocínio vale para as indenizações de transferências, não faz sentido os altos valores pagos, e menos sentido ainda esses valores serem escalonados por posto, sendo que o custo da mudança independe disso. Um bom salário compensa os dois.
    11) Assim como já foi extinta a pensão vitalícia das filhas, a própria aposentadoria militar deve ser repensada, mais uns 5 ou 8 anos de serviço. Está aí uma coisa que é certa de ocorrer, acho que é só uma questão de tempo.
    12) Militar embarcado (navio realmente no mar) ou no meio do mato tem que ter um adicional elevado, que realmente compense a evidente insalubridade.

    Ficam as sugestões, algumas delas depende só de vcs mesmos, outras podem ocorrer por iniciativa externa, e aí pode ser pior.
    Paz a todos, civis e militares!

  • leia tudo, precisamos de vc.

    Alguns criticam as insatisfações postas, todavia só nós que vivemos nossas duras rotinas militares sabemos o que estamos falando. É com propriedade o que é dito por parte de cada militar neste fórum.
    Você não sabe o que é viajar em um navio sucateado, dormindo apenas umas 4h por dia devido aos serviços , inspeções navais e demais fainas. Não sabe o que é comer aquele picado péssimo dado na maioria das OM’s. Não sabe o que é 2×1 ou mesmo 1×1. Não sabe o que é pagar caros aluguéis ou morar nas periferias correndo risco de vida se for descoberto por ser militar. Não sabe o que é não saber p/ onde vai ser transferido com antecipação, destruindo suas raízes familiares, e muitos entram para vícios alcoólicos para suportar a solidão e isolamento. Vocês sem dúvida alguma não sabem a indignação que nos dá ser humilhados, esculachados, e não podermos nem ponderar claramente.
    Meus amigos, NÓS MILITARES PERDEMOS MUITO MAIS DO QUE AQUILO QUE GANHAMOS. Mal temos vida social. É triste, e muito, os nossos dias e rotinas. Quero sair da força, mas e ai, o que fazer lá fora já que a minha profissão não se aproveita no meio civil? Como fica minha família?
    Não há tempestades em “copo com água”. O que há é uma crescente revolta com o desgaste físico e psicológico no nosso meio. O que há é uma perda inreparável para nossas vidas.
    Conheça melhor a nossa vida e depois nos julguem.
    Porque na hora da aflição somos os seus heróis. E estou aqui para isto mesmo, para vos defender e defender a soberania da nossa nação. Mas ai, estamos feridos e não podemos combater com eficácia. Precisamos e estamos pedindo ajuda. Nos ajudem, para que possamos ajudá-los cada vez mais e sempre.

  • daniel sargento do EB

    Sou militar do Exército e estou esperando a nomeação em um concurso público em que fui aprovado. O problema das FA é um só: falta de comando. nós temos maus gestores de recursos públicos, muitas unidades militares sem necessidade que poderiam ser extintas, muitos cargos para Oficiais Generais sem necessidade. Nos muitos quartéis que não são operacionais, a vida se resume a faxina, educação física, formatura, serviço e reuniões – estas são as coisas que mais consomem tempo. Os comandantes de OM são figuras políticas em que seus comandos (ou melhor carreiras) dependem muito de disciplina de sua tropa e política social com as altas autoridades. A tropa vive na disciplina dos regulamentos, medo de transferência e esperança de que os panelaços anuais de suas esposas possam resultar em aumento de salário. Dentro do Exército pelo menos, pelo que eu sei, só escapam os quartéis operacionais de verdade, como Bda paraquedista, Batalhão de forças especiais, e outros que estão no mesmo patamar destes. . Enfim, gostei das FA no começo, mas infelizmente, não vi nenhum benefício se acrescentar à minha carreira em 14 anos e creio que é o momento de sair.

  • 1SG SABOIA

    Como venho lembrando incansavelmente para os amigos do blog, as regras para publicação de comentários vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas.
    Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm
    Conto com sua cooperação da próxima vez.
    Obrigado desde já

  • Nelson Gurria

    Agora com os cubanos chegando e pegando os armamentos essas forcas armadas brasileiras sao mesmo inuteis. Com a milicia cubana o PT vai ficar no poder para sempre.

  • Resposta à publicação (Brasil acima de Tudo)

    “Brasil acima de Tudo”, as críticas aqui postadas são todas reais não há como rebatê-las como você se propôs a fazer, pare de tentar procurar artifícios para disfarçar a realidade dos fatos. Se sua situação profissional esta em perfeitas condições você é uma exceção na massa, portanto deixe de ser covarde e olhe para baixo, garanto que irá ver claramente quase todos os seus “homens” afundados na lama, pessoas que você deveria estar preocupando-se em ajudar.
    Seu comentário mostra um perfil característico das autoridades em função de comando, estamos fartos de chefes como você, portanto de sua opinião aos militares do seu quilate, pois a nós ele não interessa, queremos líderes e maus profissionais como você, que remam contra, queremos distância. Seu desunido! Vamos vencer, aguarde!

    Rebatendo algumas críticas dos colegas comentaristas:

  • Sugestão à REVISTA VEJA

    VEJA solte uma publicação especial sobre este assunto na REVISTA, garanto que será uma matéria de grande repercussão. Agora sugiro, para que a realidade seja exposta busquem as informações de militares com baixas graduações, eles irão dizer a realidade. Profissionais de impressa, por gentileza, leiam o que esta escrito nos depoimentos abaixo e percebam que a questão vai muito além da retaliação do governo, as Forças Armadas vivem um caos interno, uma vez que as autoridades militares – aquelas que poderiam fazer alguma coisa em prol da instituição – não fazem qualquer esforço, vivem num mundo de ilusão até mesmo porque isso não lhes interessa, pois eles possuem todos os luxos para satisfazer suas necessidades. Portanto o primeiro passo a ser dado é buscar meios para que ocorra uma mudança completa na instituição, pois o uso da hierarquia esta totalmente distorcido. Caros profissionais da mídia, vão em busca de informações, irão encontrar em grande quantidade depoimentos repetidos e inacreditáveis.

  • Cassius

    Não publico incentivos de qualquer espécie à violação da normalidade constitucional.

  • edson

    Fui soldado da Aeronáutica e Sgt de carreira do Exército. Hoje sou técnico do judiciário (segurança). Quando foi sair. alguns colegas falaram: “cara, tu vai se arrepender”. Na verdade me arrependi de ter entrado na fria de ser militar. Eram diversas escalas de guardas (quartel, hospital, paiol e companhia) entravamos às 7:00 e só saímas as 18:00 do outro dia se o comandante quisesse. Muitas vezes simplesmente esquecia de tocar a “ordem”. Hoje trabalho metade do tempo que trabalhava lá e ganho quase o dobro. Resumindo: desse jeito ganho 4 vezes. Vou trabalhar até os 60 anos de idade, mas quando chegar lá estarei bem mais jovem do que se tivesse ficado para me aposentar no exército com 49 anos. Peço aos colegas que ainda estão por lá que estudem, pois aqui fora você tem mais valor.

  • Elenilton

    Sou ex-Sargento de Engenharia da turma de 2004, da Escola de Sargento das Armas.

    Quando somos jovens ouvimos falar das Forças Armadas, principalmente do EB. Nós imaginamos fazendo parte daquele sonho, sonho de jovem, porém quando entramos, especialmente no EB, nos frustramos e acho que pra sempre. Foi o que aconteceu comigo, entrei no EB em 2004, fui para a tropa vibrando, porém em pouco menos de 3 anos comecei a me decepcionar com a instituição, por vários motivos, dentre eles a incompetência, arrogância dos oficiais, os baixos salário e a droga das promoções que demoram uma eternidade. Em fim, eu me sentia um inútil no EB e vi que o sistema não iria mudar por minha causa e meu sonho acabou virando um pesadelo, foi então que resolvi estudar pra meter o pé, graças a Deus que consegui e hoje estou bem melhor, ganhando 2 vezes mais e bem mais tranquilo. Aquele sonho de jovem ficou todo para trás e hoje não aconselho ninguém entrar para as Foças armadas.

  • josé mecanico

    sou praça e mecanico do EB…Não ha perspectivas de melhora nem agora nem nunca….quem esta na Força é pq precisa ou ate fazer um outro concurso para pode sair e melhorar a vida da sua familia…Não ha interesse dos nossos politicos de melhorar as FA,Não somos prioridade, as praças vivem sob pressão 24 horas por dia e os oficiais( de tenente a capitão) estudando para concursos…sem falar nos desmandos e atitudes impensaveis de comandantes que ACHAM que sabem comandar… desvalorização dos profissionais e etc…
    Já ouvi de politicos influentes em brasilia ( que logico nao vou divulgar o nome por razoes obvias) que nao ha interesse em renovar ou profissionalizar as forças…aumento de salario nem pensar…É com muito pesar que nao vejo luz no fim do tunel, infelizmente, as familias penam e os militares mais ainda…

  • militar

    Não são só os políticos que roubam nesse país. Os comandantes e seus intendentes também metem a mão no dinheiro público. Visitem o CINDACTA III. Sai comandante, entra comandante e as obras não param. Há pouco tempo houve o escândalo das diárias fantasmas mas só foram prejudicados os graduados que serviram de laranja. O responsável, um coronel da reserva contratado que é o responsável, esse ninguém encosta nele pois atrás dele deve ter algum brigadeiro levando também. Depois botam a SEFA para auditar as contas. Só que a SEFA é da FAB. Tinham que pegar a polícia federal e receita federal para investigar esses canalhas. Como pode um coronel ter uma cobertura na avenida Boa Viagem em Recife. Só pode estar roubando.

  • manoel antonio da silva

    Meu comentário é simples: Ela tem costa quente! Vai ter medo de frente fria??????

  • Julio

    Após o STF dar ganho de causa em relação aos 28% da diferença, o EB continua a ignorar o Fato. Descaso á total com seus integrantes, principalmente com suas praçãs. Isto por que os Oficiais superiores já receberam o aumento de 28% e os Oficiais Generais tem toda a mordomia e depois vão para a Reserva já o um emprego garantido. INFELIZMENTE JÁ NÃO TEM MAIS OFICIAIS GENERAIS LIDERES, TODOS MERCENARIOS

  • Fernando X

    Quando terminei o Colégio Militar queria ir para a Marinha, mas meu pai me convenceu a não seguir carreira.
    Foi ótimo! Um belo salário, e finalmente veio a aposentadoria.
    Uma aposentadoria de merda que me faz continuar a trabalhar. Não reclamo do trabalho, mas estou em desvantagem em relação a quem seguiu a carreiar militar.

  • Sgt Gilmar EB

    Outro dia fiquei esperançoso ao ver colegas meus mandando e-mails para outros colegas que servem em OM de outros estados fazendo tipo uma campanha virtual contra a reeleição de Dilma. A grande maioria ficou insatisfeita com o reajuste conta gota da presidente Dilma 30% em 3 anos e nem um sinal para o pagamento da diferença dos 28,86% de 20 anos atrás já ganho e pacificado pelo STF em 2010. Acredito que é uma boa iniciativa fazermos uma campanha virtual contra o PT, pois esse partido é a nossa desgraça. A família militar possui um patrimônio de de 4 a 5 milhões de eleitores que pode fazer diferença numa eleição apertada. Nós militares não podemos mais deixar de exercer a política em nosso favor, pois só assim poderemos ter alguma perspectiva para as nossas causas. FORA PT FORA DILMA!!!

  • Elenilton

    Dou um conselho a todos os meus ex-amigos de farda, estudem, estudem muito, usem essa energia negativa e a transformem em uma barril de energia positiva, não para ficar nas FA, mas sim para estudar. Um dia a hora de sair chegará, persistam e vão em frente nos seu sonhos. A coisa que eu mais tinha medo era de me imaginar feliz somente na reserva. Hoje vejo que tem como o cara ser feliz na ativa, mas bem longe das Forças Armadas!!! boa sorte meus amigos e fé na missão. Ah, deu baixa no ano passado, graças a Deus.

  • Leo Cientista

    Engraçadas as comparações entre salários aqui. Um técnico judiciário ganha inicialmente R$ 3.900,00 brutos – vide os recentes editais. Um 3º Sgt ganha R$ 3.300,00 brutos nos valores atuais. Portanto, considerar, como o sujeito abaixo falou, q ele como técnico ganha 4 vezes mais q um sargento, trata-se de uma falácia tremenda, né não?? Q a carreira de sargento inexiste, q ela é desmotivante, td bem, concordo mesmo, pois já fui sargento de carreira, mas sejamos coerentes com relação a valores, pq senão a impressão q passa é q de q somos frustrados conosco mesmos…

  • Renato Tempesta

    Incorporei no Exército Brasileiro em 15 de janeiro de 1969 como Recruta na Escola de Sargentos das Armas. Fiquei no EB e em 1970 fiz o Curso de Formação de Cabos no 10 RI – JF. Fiz o concurso para a EsSA e passei em terceiro lugar, porém em 1971 o CFS foi para as Unidades Escolas. No meu caso fui para o antigo REsI. Formei 3 Sgt em 1971, e fui classificado no 11 RI – Regimento Tiradentes em S. J. Del Rei, MG. Quando me apresentei no 11 RI com mais 3 colegas, fomos recebidos pelo Comandante da Unidade que nos informou o seguinte: “AQUI SARGENTO NÃO ESTUDA, POIS DEVE DEDICAR INTEIRAMENTE AO SERVIÇO DA PÁTRIA”. Assim eu passei 29 anos esperando a oportunidade de ir para a reserva e poder arrumar a minha vida, pois dentro do Exército era impossível. Com muito sacrifício consegui fazer o Curso de Tec. em Agrimensura, uma vez que sempre fui fascinado por TOPOGRAFIA. Completei o meu tempo e fui para a reserva remunerada em 1998, com 47 anos de idade e no posto de 2 Tenente, recebendo proventos de 1 Tenente, e, alguns colegas tentaram fazer com que eu desistisse, mas eu precisava fazer algo mais da minha vida e fui trabalhar como Agrimensor. Trabalhei bastante e em 2006 entrei na faculdade de engenharia e em 2010 me formei Engenheiro pleno. Já conclui pós graduação e sugiro a todos que façam o mesmo, estudem, pois essa é a única maneira de vencer. Hoje o Exército facilita ao militar frequentar uma faculdade, então não perca tempo, estude. Eu só não me arrependo do 29 anos que passei no Exército por um único motivo: “SERVI A MINHA PÁTRIA OFERECENDO TUDO QUE ERA CAPAZ DE PRODUZIR SEM NUNCA PERGUNTAR O QUE A PÁTRIA PODEIRA FAZER POR MIM, E SIM, O QUE EU PDOERIA FAZER POR ELA”. Hoje estou trabalhando na minha profissão de Engenharia Civil / Geomensor atuando como Perito judicial. Carreira Militar é só sacrifício, veja o juramento que fizeste….

  • PAULO BOCCATO

    “Parabens” ao General de 72 anos de idade, Enzo Peri, por ter transformado os soldados e oficiais do Exército Brasileiro em vigias de portão e suas instalações em carceragem de luxo de Fidel Castro ao abrigar cubanos escravizados em regime de liberdade restrita !!
    Sob seu comando, nunca antes na história do Exército Brasileiro este desceu tão baixo !
    Merece uma medalha…quem sabe a do “Valor Marxista Herói de Cuba” ?

  • Paulor

    Sou contribuinte de um famigerado Plano de Saúde chamado FUSEX, desconto todos os meses e ainda pago 20% de todas as despesas. Se quiser fazer uma Ultrasonografia no HCE, preciso chegar de madrugada no mesmo para tentar conseguir uma senha. As policlínicas estão carentes de médicos, remarcações em cima de remarcações. Ora bolas se nossos Generais não se preocupam com a saúde dos seus homens, vão se preocupar com o que? Estamos abandonados pelos nossos chefes. Farinha pouca. Meu pirão primeiro. Dane-se a tropa.

  • Guerreiro

    Jorge vc não deve falar daquilo que vc não conhece. Perdeu a oportunidade de ouvir e aprender sobre uma classe que há décadas vem sendo oprimida em silêncio. Não fale daquilo que vc não sabe, OK? Brasil!!!

  • Antônio Pinheiro

    Dos meus 20 e 10 meses anos de farda (exército),11 anos foram na amazônia,(só quem viveu lá sabe como é). dos 20 anos,à 12 anos vivo com sequelas de um acidente em serviço,”afastado de algumas atividades militares” por uma “perícia” médica, era apto para o serviço com recomendações. Por fim,e ainda trabalhando, a pesar de tudo, resolveram me julgar incapaz para o serviço do exército,mesmo trabalhando. Hoje, já à quase 4 anos em casa,produzindo.Aguardo uma decisão definitiva de minha “reforma”. Nunca quis sair da ativa mas, contra a vontade, querem me mandar. Lamento também pelas perdas que me causaram como: Promoção na ativa,mas como “peça de manejo” sou dispensável. Enquanto aguardo em casa e ativo, me viro como posso para aumentar minha renda familiar, que perdi ao ser afastado do serviço ativo. Não sou incapaz de trabalhar como dizem eles, só não realizo algumas atividades físicas que são inerentes à profissão militar. Que pena não poder contribuir mais com meu trabalho.

  • B.S.L - sargento de infantaria

    A cada dia que passa, está mais difícil de levantar e ir trabalhar. É um tal de formatura todo dia, para ego de comandante. Não aguento mais tirar serviço, para variar, toda semana estou de serviço, sendo este na CIA, ou guarda do quartel, que até pouco tempo era um sgt, e não satisfeitos… colocaram mais um sgt, só para fazer guarda em forma para os OF.

    Só vejo no batalhão onde trabalho, militar insatisfeitos, desde os praças até os oficiais.

    Alguns dos nossos direitos não fazem valer. por exemplo: temos direito a PNR, um tipo de moradia para militares, entre tanto, nunca que conseguimos morar num destes PNR. Outra coisa é que o nosso vale transporte não fazemos jus se por eventualidade utilizamos meios próprios.

    As nossas instruções estão totalmente desatualizadas, quando trabalhamos com outras forças como policia civil ou mesmo a militar, ao invés deles pegarem os “os bizus” com agente das FA,pelo contrário, somos nos que temos que procurar orientações com eles. Em outras palavras, só servimos para desfiles militares, apoio à defesa civil e a dengue.

  • B.S.L - sargento de infantaria

    Deus nos livre e nos guarde,mas, se o Brasil entar em guerra a história vai voltar a se repetir, como a guerra do Paraguai e a Guerra Mundial. As FA terão que tentar se equipar, oficiais irão desertar e para variar, a missão novamente ficará na mão dos praças. Dessa forma,fica difícil de acreditar no progresso do país, pois a primeira necessidade do ser humano, depois da saúde, é a segurança. E isso está ficando no final da fila.

  • carlos cesar

    Sou terceiro sargento do exercito! O q vejo e que nossa carreira e muito desvalorizada, ganhamos pouco, e o que mais me revolta é sermos obrigados a iludir jovens rapazes a servi essa droga a troco de uma remuneração menor q o salario mínimo e revoltante, nos quarteis de engenharia os recrutas vão oro trecho, são destacamentos onde são obrigados a trabalhar de segunda a sábado de 5 da manha até as 20 horas podendo trabalhar no domingo se a obra atrasar! É triste parece trabalho escravo. Subtenente com 25 anos de serviço tendo que obedecer e levar grito de oficial temporário que tem idade pra ser filho oficial esse que não tem metade do conhecimento e que pede instrução oro subordinado, isso é ridículo! Se eu continuar falando acho que consigo fazer uma revista inteira!

  • A culpa é nossa!!!!

    Quantas vezes trabalhamos com computador particular
    Quantas vezes usamos equipamentos particulares em uma instrução ou exposição no shopping pq o material é precário.
    Quantas vezes “forçamos” o recruta a comprar materiais que deveriam ser fornecidos.
    Quantas vezes vimos generais ganhando presentes caros.
    Quantas vezes gastamos credito do celular no plano de chamada.
    Quantas vezes andamos em viaturas indisponíveis arriscando a vida.
    Quantas vezes vimos soldados carregando mudança de comandantes.
    Quantas vezes vimos soldados sendo usados como empregados em confraternizações.
    Quantas vezes dormimos no chão pq o cmt fez um pernoite obrigatório pra ninguém se atrasar pra formatura.
    Quantas vezes realizamos tarefas não previstas pq alguém quis assim .
    Quantas vezes trabalhamos a noite toda em eventos e ninguém sabe o que fizeram com o dinheiro arrecadado.
    Quantas vezes ficamos sem receber representações ou diárias mesmo tendo direito.
    Quantas vezes cumprimos ordens absurdas.

  • agnaldo teixeira

    Pessoas aqui fora pensam que ser militar é uma maravilha,enganam-se,perdi sim toda minha mocidade lá dentro ,em 1981,ganhava 14 (QUATORZE SALÁRIOS MÍNIMOS),hoje como terceiro sargento,não ganho 7 salários ,sem contar que assim como eu varios de nós foram roubados ,pois em 32 anos de serviço no PASEP,so tinham depositado miseros 760,oo reais,sim o nome disso é ROUBO,pois não temos aquem reclamar ,porque o nome do patrão chama-se GOVERNO FEDERAL,gostaria que alguem do SUPERIOR TRIBUNAL FEDERAL le-se essa materia,muito obrigado por deixar aqui revelar minha insatisfação.

  • agnaldo teixeira

    Gostaria que alguem capaz e competente do SUPERIOR TRIBUNAL FEDERAL,le-se esse desabafo:Depois de trinta anos de serviço dei entrada no PASEP,pensando que tinha direito a alguma coisa ,constatei que não tenho direiro a quem reclamar,pois receber menos que 800,oo reais depois de 30 anos de serviço,deve ser uma pela recompensa,ao SR,RICARDO SETTI,espero uma ajuda,se for possivel uma resposta,agardeço sua atenção.ass:mais um desiludido.

  • Marinho

    Devemos antes de tudo agradecer ao governo atual,composto pela escória antes combatida pelas forças armadas.Enquanto não forem encarcerados para pagar seus “mal feitos”, este país continuará sendo um lugar onde todos os marginais serão bem vindos.

  • Milico

    Sou Sargento do exército, apesar de todos os colegas já citarem diversos problemas, tenho que complementar que ainda que não respeitam a nossa formação e “pedem” para você realizar atividades que não é da sua área, contrário do que ocorre nas outras forças que o sargento realiza a atividade para que ele foi formado, tornando o sargento do Exército um verdadeiro SEVERINO, QUEBRA GALHO, isso é muito frustrante.
    Para completar existem projetos de mudança da visão social do exército nos quais todos devem se mostrar satisfeitos e muito felizes com a profissão que escolheram, sendo que não passa de um teatro.

  • Carlos Ribeiro Gonçalves

    Caros amigos da caserna,sou suboficial da reserva da FAB. Tenho um filho de 12 anos e farei de tudo para que ele não siga o mesmo caminho que eu.

  • raimundo nonato

    Como venho lembrando incansavelmente para os amigos do blog, as regras para publicação de comentários vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas.
    Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm
    Conto com sua cooperação da próxima vez.
    Obrigado desde já

  • José Adolfo de Farias

    Infelizmente é assim, marchando para um bando de inúteis, eles os oficiais Superiores acham que são um Deus, porém na realidade são apenas uns despreparados. Vejo ainda os ex Cabos da Aeronáutica, anistiados e depois desanistiados, coisa mesmo de um Brasil de atrasados.

  • PAULO ROBERTO ALVES QUIRINO

    Como venho lembrando incansavelmente para os amigos do blog, as regras para publicação de comentários vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas.
    Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm
    Conto com sua cooperação da próxima vez.
    Obrigado desde já

  • Cb da MB

    Há mais ou menos um mês comecei a sentir fortes dores nas costas e procurei atendimento do meu plano de saúde particular, pois não queria esperar por horas e horas sentado num banco, tomei essa atitude por respeito a minha própria saúde. O médico me recomendou repouso de alguns dias além de remédios. Ao apresentar o atestado na minha OM fui duramente repreendido, ouvi que atestado de paisano não vale de nada, o que vale é somente da MB. Desde então estou sendo perseguido por superiores do meu setor, me enchem de trabalho com prazos estourando e cobram que eu produza mais, enquanto isso tem cb temporário que faz praticamente nada e é intocável pq busca comida do rancho pro suboficial e corja de sargentos que o acompanham. O primeiro pensamento do encarregado é pensar que se apresenta atestado é pra não trabalhar e não pq há algo de errado com a nossa saúde e é nesse tipo de ambiente que somos obrigados a trabalhar, sob forte stress, mta cobrança, aturando ego de mais antigo frustrado q desconta em quem tá chegando agora.

  • Sd b

    Sou soldado da ativa do Exercito e estou por dentro de muitas denuncias de insatisfação que vem sendo divulgada por militares e ex militares. já vi de tudo dentro da minha OM (Organização Militar) de até militares Oficiais chegar a pegar o soldado pelo seu fardamento e perguntar se tem algum problema, a fim de intimida-lo e o soldado com medo de sofrer perseguição não fazer nada. E sem contar que dessa Situação tinha um Capitão presenciando todo o feito do oficial (Tenente) e não fazer nada com o constrangimento em que soldado estava passando na frente de seus pares. Vejo também como se comporta nossa tropa que nem sempre tem uma preparação necessária para as funções ao qual está sendo designada. Sem contar do salário que é desprezível. O Governo vem trazer migalhas dizendo que é salário. Nosso serviço é desgastante em todos os aspectos e funções e não existe ninguém que chegue para mudar. Termo este que uso como Merda de planejamento, porque se fosse bem planejado não estaria gastando meu tempo dando comentários aqui. Gostaria de dizer que as nossas estalações são de péssima qualidade, nossos alojamentos são de uma infraestrutura de conforto zero, moveis, beliches e assentos de um século passado, ventiladores queimados e quando solicitamos junto ao chefe da quarta seção é de uma burocracia que ate chegamos a desistir do mesmo. Nossas refeições é uma vergonha que quando chegamos para comer ate desistimos e vamos para uma lanchonete e gastamos dinheiro de onde deveríamos está tendo uma boa refeição, refição esta que está sendo descontada em nossos contra cheques. Sirvo no Exercito ainda não porque acho bonito ser militar, mais sim porque gosto de servir minha nação, gosto do que faço e das minhas obrigações, é lá que estou todos os dias cumprindo as missões que me são passadas no dia a dia. Mas acho que um bom gerenciamento resolveria os nossos problemas, problemas este que nem a nossa Presidenta Dilma vem acompanhar e sim cada vez mais abaixar nossas condições financeiras. Mais quando tem nomeação gosta de desfiles militares, quando vai se deslocar gosta de uma escolta armada, isso tudo e mais algumas coisas ela gosta, agora bem remunerar a quem a protege isso ela não faz.

  • José Silva

    Sou Sub Ten do Exército e que eu vejo no dia a dia da caserna é que não há preocupação dos chefes militares com os subordinados, principalmente os cabos e soldados que estão na ponta da linha ou na base da pirâmide. Segundo Sun Tzu, a dedicação guerreira não pode estar dissociada da conduta ética, ou seja, nossos superiores deveriam conduzir suas ações perante o subordinado com justiça e moderação, e não com arrogância e humilhação. O Gen chinês Cheng Yi, que viveu nos tempos de Sun Tzu, naqueles tempos já falava que elementos mesquinhos não são recomendados para as grandes batalhas; mesmo que eles consigam atingir certos objetivos, pois não são pessoas de bem. Um Exército só pode ser forte, combater e vencer com homens de caráter. A integridade moral é um critério de avaliação necessário.

  • Eduardo Rodrigues Silva

    Fui soldado da FAB por 4 anos em Guarulhos. Aprendi muito na Gloriosa Força Aérea Brasileira, tanto que o que me da esteio em minha carreira hoje, foi o militarismo, não me arrependo de ter servido a Pátria e a FAB, mas que os comandantes estão despreparados e defasados estão, e o governo é o maior culpado, o soldado está dentro da caserna para ser treinado e servir a Pátria, e não ficar fazendo faxina incesantemente, para satisfazer o ego de Sargentos Tenente, e oficiais superiores, onde já se viu tirar serviço 24 horas no protão principal da unidade, e ficar fazendo faxina e encerando chão com 9 mm na cintura e HK nas costas, por que o sargento ou o tenente,quer a guarda limpa, e o pior é ouvir que faxina no quartel é a obrigaçãoo do soldado, e os graduados e superiores em sua maioria, são muito vaidosos, principalmente oficiais.

  • paulino

    sou ex militar do exercito servi durante 2 anos, E muita humilhação sabe os superiores heraquicos sempre querem te humilhar,salario muito baixo muita ralação ganhei 2% ao dia para arriscar minha vida no complexo do alemão,trabalho constante dia a pós dia pedir para ir embora pois queria muito fazer a prova da PM,e mais arriscado sim mais vou ganhar muito mais e ficar mais tempo em casa exercito nunca mais isso não e vida para ninguém comida horrível,os cozinhas cheias de baratas e ratos por todos os lado,não aconselho isso para ninguém muito obrigado ass Paulino Santos..

  • carlos henrique

    Sou militar a 27anos,e nesses anos todos acho que não só a minha opinião como da maioria dos militares principalmente da ativa,o que desmotivou completamente a carreira do militar foi o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que prometeu um plano de carreira principalmente aqueles que ele proibiu de fazerem prova para sargento pois havia um plano de promoção que não foi comprido.com isso muitos esperam até hoje por uma promoção que em muitos casos por causa de dias vai pra reserva depois de 30 anos sem um bônus sequer. Presidenta Dilma olhe os militares com atenção.

  • Stileto

    no que se refere a excesso de ego…podemos citar por exemplo o VII COMAR, em Manaus, onde laudos médicos atestados por junta regular de saúde são ignorados arbitrariamente…militares inaptos por motivo de saúde com diversos problemas cervicais, lombares, lesões em joelhos, etc…são obrigados a participarem de formatura em um grupamento isolado…mesmo contra a recomendação médica imposta…tudo na base do “RQUERO”…

  • elielson

    é lamentável o que se ver nos 29 viaturas para apenas 9 motoristas viaturas essa todas são novas,vtr essas que poderiam ser colocadas para apoiar na seca do nordeste,na operação pipa mais não o governo paga a caminhões civis não da para entender ai ficam as vtr se acabando nas garagens dos quarteis do nordeste.

  • luis

    Sou militar da saúde da MB, trabalho no HNMD e o que vejo são coisas como uma praça vai tentar marcar uma consulta ou exames e marcam para muito longe ou não tem vaga, enquanto que existe uma sala VIP (gabinete) só para fazer agendamento para procedimentos de oficiais generais (dependentes e muitas vezes parentes que nem dependentes nem NIP tem) para o mesmo dia, quando não é possível somos ameaçados pela frase que o Diretor(Almirante) diz que os almirantes não podem esperar. Acho que Ministério Público deveria fazer uma investigação.

  • Humberto

    O que falta às Forças Armadas atual, são oficiais generais de brio e patriotismo. Os que ora ocupam esses postos estão interessados em seus bolsos e os benefícios que recebem (casa, carro para eles e seus cônjuges, combustível, empregados, impostos e taxas, viagens ao exterior e diárias). Hotéis de trânsito nos melhores pontos turísticos do país a preços irrisórios, enquanto que as praças tem que arcar os custos de uma viagem com o seu parco soldo, em hotéis particulares e caros. Enquanto veem seu salário sendo engolido pela inflação (a menor reposição salarial do governo Dilma, a única abaixo da inflação “três parcelas de 10% por seis anos, o que corresponde a menos de 5% ao ano). Resta aqueles que ainda possuem alguma força, estudar e escolher outra carreira.

  • Marinheiro

    A julgar pela medida adotada pelo governo, que penaliza a classe médica e consequentemente, a população, ao “alugar” médicos de outros países, o PT tem a mesma intenção para com as Forças Armadas: primeiro exterminá-la (provocando o êxodo de militares para outras áreas em busca de condições de trabalho e melhor remuneração) e quando necessário, contrataria os militares cubanos. Qualquer semelhança, não é mera coincidência. Acorda BRASIL!

  • Antonio Marcos chagas

    Ola!! Sou Dentista especialista, ja fui sgt inf. formado pelaESsA. Pensei que Iria me dar bem e ter uma carreira,, que idiota eu fui, ate acordar e cursar uma faculdade e sair dessa merrrrrrrda chamada EB. Que nojo deixar 15 anos da minha Vidal naquele coviu de lobos. Que Vergonha ter servido em uma instituicao que so defendiia os Oficiais e a sargentada só toma a no lugar onde esta imaginando. Pernoite, sobreaviso, marcha, formatura e muitos outras inuteis. Que Vergonha meu deus do ceuuuuuuuuu. Oficiais inconpentes que nāo aceitavam que sargentos estudassem e que rim que nós permanecêssemos burros e simplesmente pés de poeira. Que todos vāo pro inferno por que he sou especialista, aula em faculdade e cadaver vez melhorando mais e mais. Saiam do quartel porque isso nāo é vida nem pra porco..

  • Leonardo

    Sou Tenente, formado no ITA. 5 anos de sólida formação para passar 90% do tempo fazendo documentos inúteis e fazendo trabalho de secretária junto a empresas contratadas. Por falta de pessoal de intendência faço trabalho de administrador. SOU ENGENHEIRO!!! Estou estudando para concurso e independente de passar ou não vou sair no final do ano. Não aguento mais tanta merda.

  • Átila

    Sou formado, também no ITA Leonardo, e passo pelas mesmas coisas. É um absurdo o que passamos. Só fiscalização e documentos. Somos escravos de empresas. Como você levantou temos que passar 90% tratando de contratos e não exercemos engenharia. Sou formado em 2009 e somente alguns dos formados comigo ainda permanece. Devido a um problema familiar retomei os estudos para sair dessa vergonha somente esse ano. Espero sair o quanto antes.

  • Vera Cruz

    Especificamente a marinha, vive no sec xix, presa a tradicoes que nao acrescentao em nada na atual sintuacao que vive seu maior patrimonio: o seu pessoal. Para um oficial ascender dentro da forca, e necessario que faca uma politica suja, onde tenha que fechar os olhos para os problemas que sua tropa enfrenta para fazer o gosto de um oficial mais antigo, este que ira avalia-lo pela sua postura perante ao mais antigo e nao perante ao seu comando na tropa. Historicamente a marinha ficou atras das atitutudes tomada pelo exercito, ou seja, se omitindo , visto que a vida de todos os militares da forca depende exclusivamente um comandande. Acho que nao preciso mencionar os problemas quanto a baixa reracao, porque isso, a propria populacao esta abismanda quando compara os salario dos militares com o restantes dos funcionarios publicos, levando em consideracao o grau de intelectualidase, e principalmente, a exclusividade do militar , onde muitas ves, supera a carga horaria de um trabalhador civil em apenas dois dias da semana. Em fim, nao quero fazer comparacoes porque podem ser injistas em alguns casos, mas desafio voces, jornalistas a entenderem a fundo os reais motivos de toda essa desmotivacao. Aposto que voces irao ficas abismados e entenderem que nao fizemos parte da ditadura, que somos pessoas que apenas queremos ser reconhecidos pelo que fazemos e que o governo se preocupe com rumo que isso ta levando.

  • sou homem, não bicho!

    se vcs reclamam do oficialato, imagina o que acontece com nós praças, uma verdadeira humilhação, os praças são tratados como porcos e não como gente, principalmente nessa instituição chamada MARINHA DO BRASIL,praça ñ recebe salario e sim ”ajuda de custo” e vcs oficiais são os maiores responsaveis dessa humilhação, vcs oficiais são uma vergonha!!!!!!!!!!!

  • Carlos Galrão

    Os militares ganham pouco ou os peritos da Polícia Federal, engenheiros do Senado, fiscais do dos tribunais de contas municipais, do Tribunal de Contas da União, fiscais de impostos etc, ganham muito para alem do salário minímo nacional. O que sei é que um coronel aposentado que eu conheço quando foi as manifestações de há 2 anos para aumentos de salários dos militares, esse mesmo coronel sem manifestar sem fazer nada pela ação dos outros recebeu aumento de + de 2.000 reais. Outra pergunta serve a quê tanto homem nas forças armadas profissionais ?

  • HUMBERTO ZENOBIO PICOLINI

    O governo nos humilha sim e por conseguinte a sociedade, mas nós não nos damos valor. AS FFAA estão doentes. A FAB tem 92 generais e a USAF 33. Eles tomam conta do planeta e nós, ou do universo ou somos no mínimo tres vezes mais incompetentes. Temos que ter FFAA altamente enxutas, operacionais , com atividade fim e não meio em excesso, treinadas e bem administradas, profissionalizadas e então poderemos reinvindicar a nossa posição na sociedade. Até lá, LAMENTAVELMENTE, seremos sempre pano de fundo.Sou HZP Maj Av R1 e não me escondo no anonimato.

    • Evandro F Gonçalves

      Parabéns Major pelo comentário!! Sub Ten Exercito R/1 Gonçalves.

  • Pati

    Baseado no que estamos vendo, parece que há uma ideia de enfraquecer as instituições guardiãs da sociedade e asseguradoras da soberania do país: Exército, Polícia Federal, Polícia Militar. É muita coincidência as três polícias que se tem encontrarem-se sucateadas e desprezadas como se encontram.

  • 1º Sgt VANDERLEI

    Não publico comentários em favor da quebra da legalidade constitucional.

  • Dani C

    Todos sabemos que as Forças Armadas têm problemas que dependem do Governo. Mas possuem muitos outros que são internos. Tenho muitos familiares e amigos que são militares e só alguns reconhecem esses problemas. A maioria prefere dizer “que não é bem assim”. Acham mais cômodo viver na FARSA, infelizmente.

  • Machado

    Acho extremamente ultrapassado que em pleno Sec 21, numa nação democrática, ainda tenha-mos que conviver com a “ditadura militar” dentro dos quartéis, onde se é obrigado a quase tudo, com direito a quase nada. Entre tantas irracionalidades a que mais me intriga, é a necessidade (totalmente desnecessária do ponto de vista extratégico) que se tem de transferir obrigatóriamente os militares a cada três anos. Para quem não quer ser transferido, isso significa uma vida instável em todos os sentidos, sem uma casa própria para nela sempre morar e criar seus filhos seguindo as tradições de sua cultura e da sua família, sem uma esposa que possa ter o orgulho de uma longa carreira brilhante e de sucesso, sem filhos que possam dar continuidade a sua infância com os mesmos amigos, sem o direito a uma vida familiar planejada, considerando a importância da continuidade dos estudos nas mesmas escolas. Pra onde foi a racionalidade, quando se gasta milhões de reais com movimentações obrigatórias e traumáticas, que irá prejudicar de forma irretratável, o destino de uma “FAMILIA MILITAR”?

  • rott

    Sou 3S da fab,tenho quase 5 anos de serviço.Desde o curso de formação já percebi que o militarismo(ao menos no BR)não passa de um mundo de faz-de-conta,onde se finge estar motivado,finge-se que há camaradagem e disciplina(Um regulamento defasado,que só fala de obrigações e possiveis punições caso você as descumpra)e finge-se que somos importantes para a sociedade.No curso de formação incentiva-se a delação,o puxa-saquismo em detrimento da coletividade.Aqueles que entregam seus pares pra ganhar média com os superiores são premiados.Achei que depois do curso as coisas iriam melhorar,mas é so uma versão “light” das babaquices das escolas de formação.Quando você pensa em expor sua indignação,já começam com “Se ta insatisfeito pede baixa,ninguem te obrigou a entrar”.Esse pensamento ultrapassado é que permite que as injustiças que todos nós sofremos diariamente sejam perpetuadas.Os que pensam diferente e tentam mudar algo la dentro,acabam censurados e desmotivados,ou pulam fora cedo ou acabam amargurando 30 anos acumulando falta de reconhecimento,prestigio,salários ruins,etc.Preciso nem comentar da relação oficiais x praças,seria chover no molhado,mas vou citar alguns fatos,como os refeitórios separados,banheiros privativos,vagas próprias para oficiais,oficiais superiores e chefes de divisão,que geralmente ficam ociosas,pois quem rala 24h por dia nas escalas operacionais são os praças.Vamos citar também os circulos militares,que proibem a associação de praças,mas um civil amiguinho do oficial que nunca prestou serviço algum pra força pode entrar tranquilamente.Sem contar o desincentivo ao desenvolvimento pessoal,já chegaram a falar na cara dura que não querem que os graduados tenham faculdade,geralmente inventam palestras inuteis todo ano onde falam as mesmas coisas pra obrigar o militar no seu pouco tempo livre a ficar no quartel,formaturas imbecis com “treinamentos”,reuniões onde apenas os oficiais falam e enfiam ordens e metas ilógicas aos subordinados,visitas de autoridades civis onde ficam babando ovo e trocando medalhas,fazem mutirões para inglês ver,só faltam obrigar os soldados a sorrir,pro cara achar que tudo está bem.Criam-se inúmeros postos de serviço,muitos inúteis onde o cara fica numa guarita esperando o tempo passar.Os argumentos das autoridades para todos esses absurdos??”Sentimento de dever cumprido”,”dedicação à patria”(uma patria que trata seus filhos como vira-latas pulguentos).Enfim poderia ficar o dia inteiro falando,mas vou parar por aqui.Nas forças armadas você tem dois dias felizes:O dia que você entra e o que você sai.

  • Sd (FAB)

    Sou soldado da FAB, e desde muito cedo invisto em minha formação profissional. Falo inglês e espanhol fluentemente, estudo na melhor faculdade de administração da minha cidade, afora outros cursos agregados a meu currículum. Todavia, jamais poderei participar de alguma reunião de gestão ou auditoria, jamais pedirão minha opinião sobre as estruturas dos sistemas administrativos justamente por ser o que sou: soldado. Deixemos assuntos complexos para os oficiais (independente de sua formação acadêmica e experiência profissional).

  • mario

    sou militar do EB a 25 anos , a cada segundo q passa vejo que a força nao pensa em mudança pra melhorar a vida profissional e muito menos pessoal e familiar .hoje com o que aprendo dentro da força eu passo pra sociedade , é ser arrogante ,prepotente, grosso,e outras classificaçoes. mas acho que se a força passa-se coisas boas pra nos subordinados nos concertesa estariamos passando uma bela imagem dos nosso trabalhos pra sociedade(me sinto numa ditadura velada sobre pressao dos omissos e dos coniventes com os erros dos outros ) quando será que vai voltar a boa epoca do BOM EXERCITO Verde ? saudades……….

  • Evandro mulatinho

    Tenho 70 anos de idade, feito agora em Junho passado e 3º SG do quadro especial de sargentos, criado pela benevolência do competente Ministro Alte. Maximiliano da Fonseca, na função de Ministro da Marinha! Sou egresso da Escola de Aprendizes Marinheiros de Vitória/ES, turma Bravo(segunda turma desde a criação da EAMES. Comecei o curso em 30 de Setembro DE 1961, onde nos foi ensinado de como seria o seguimento da carreira naval, desde que cumprindo todo imenso regulamento, entre o o fato que assim que formado em Marinheiro, á época, Grumete e depois seria por um interstício de um ano, viriam as promoções de 2ª Classe, 1ª Classe(no meu caso SM,Serviço de Máquinas), cursando uma especialidade escolhida, que no meu caso, foi Eletricidade(EL) no ano de 1967, no CIAW(Centro de Instrução Almirante Wandecolk). Depois de cumprir um interstício, viria a promoção a Cabo(CB), o que aconteceu comigo no ano de 1970. Fiquei com a graduação de Cabo até 0 ano de 1988, quando pela criação do “Quadro Especial de Sargentos”, com 18 anos de na graduação de Cabo, fui incluso nesse curso na graduação de Terceiro Sargento, onde permaneço até hoje, já na Reforma Remunerada desde 1999, após 10 anos na Reserva, 1989, quando pedi, com 28 anos de serviço, por não ter optado em gosar às licenças-prémio dos 10 e 20 anos de serviço ativo. Hoje próximo de completar 52 anos de entrada na Marinha(30/09/13), continuo com essa graduação humilhante, perante toda minha turma(BRAVO 61/63), que com colega chegado ao posto de CMG. Me sinto enganado, pelo que foi ensinado em aulas de “Instrução Militar Naval”, pelo então 1º SG-MR- Severino, instrutor desse assunto. Ele, em aula, nos dizia: O Aprendiz, após jurar a Bandeira Nacional(ato de conclusão do curso de AM), se seguisse o Regulamento Disciplinar da Marinha(RDM) à risca, chegaria até à graduação de Sub-Oficial, podendo também galgar ao Posto de CMG(Capitão de Mar e Guerra)Auxiliar, desde que quando na graduação de 3º SG, fizesse o concurso para o “Quadro de Oficiais Auxiliares da Marinha). Fui enganado no meio da carreira, indo de encontro ao que foi nos ensinado na devida Escola. Faço preces ao competente Alte. Maximiliano, por sua condolência com os “Cabos Velhos” como eu à época. Meu comportamento sempre foi exemplar, com conceito 5, muitos elogios com louvor, Citações Meritórias de meus comandantes ao passarem o comando. Servi muito tempo embarcado, longe da família, conquistando a medalha de duas âncoras, por milhas navegadas. Fiz parte das guarnições dos Navios Escola “Custódio de Melo” em 1970, como Cabo e do “NE Brasil” em 1989, já como “terceiro sargentinho enganado” em viagem transcontinental, dos Guardas-Marinha, turma 1989. Essas viagens demonstraram minha competência e cumprimento do dever e dedicação com um “Espírito de Navio”. Depois que foi criada a “Escola de Sargentos” e o corpo feminino, tudo ficou claro para os não enganados como eu e muitos de minha turma! Eu me arrependi de ter ingressado na Marinha, já que à época, eu já estava alistado no Exército, pelo cumprimento da idade, mas fui(infelizmente)convidado a prestar concurso para a Escola de Aprendizes Marinheiros de Vitória/ES, que estava recém inaugurada com a turma ALFA. Tudo foi um “doce engano” e tenho que “amargar” até morrer, infelizmente!

  • Marcos

    Passei três anos servido no 1º Batalhão de engenharia e construção gostei e sai com muitas amizades de lá, porém me causava revolta a desvalorização do militar das forças armadas não só na questão salarial que é a principal causa da saída dos militares, mas também o sucateamento dos seus meios por ser um batalhão de engenharia teve um certo investimento, mas na questão de equipamento individual do soldado, fuzil antigo e até algumas armas usadas literalmente na segunda guerra mundial cheguei a conclusão que não temos a capacidade de defender o país só atuamos como polícia e em situações de desastre, agora meios para cumprir a função constitucional de defesa da soberania todos sabem que as forças armadas, na atual situação que se encontra, não tem capacidade par cumprir esse dever. Lamentável essa situação que, infelizmente, a maioria da população e os políticos não compreendem.

  • SEBASTIAO DINIZ

    Hoje, na reserva remunerada exerço a atividade de advocacia para complementar meus ganhos, pois, o sonho militar desabou numa descrença tamanha.
    Vejamos que somos uma categoria a margem da Constituição Federal,sem a mínima representatividade de classe, daí sofrermos com o tratamento desigual.
    É tanta as insatisfações manifestadas por colegas de farda que dá vontade de partir para a violência contra o sistema que nós torna marginais em relação aos demais irmãos brasileiros.
    Sempre haverá esperança de que um dia haverá reação maciça contra aqueles que gozam com descrença militar.

  • y

    Não publico nada que estimule a quebra da legalidade.

  • Valmir

    Não há o que falar…
    A insatisfação é geral…
    Só não vê quem não quer…
    O duro é que só ficamos nas promessas do Governo…
    Espero que façam algo, pois isso não pode acabar em pizza.

  • Claudio Oliverira

    Militar está chorando de barriga cheia. Duvido que um militar inexperiente recem saído de uma escola sem intelecto como a Aman, ganhe mais de cinco mil liquidos no meio civil. Os milicos se aposentam com trinta anos, ganham uma grana preta por cada transferência, fazem uma porção de cursos de especialização e até missões no exterior. Um coronel quer ganhar 20 mil???? Fala sério, isso é piada né? Carreira que se chega a coronel por tempo e não por mérito. Tá insatisfeito? Largue a farda e vem matar um Leão por dia aqui fora, vem estudar e se preparar sem estar escorado no quartel.

  • SEBASTIÃO DINIZ

    Os militares perderam a chance de sair as ruas para solidarizar contra as algemas posta no sargento que manifestou sua insatisfação na ponte no RIO DE JANEIRO.
    Pois,não se tratava de greve, ou manifestação por melhores salários, e sim para mostrar a força da solidariedade a um colega de farda.
    Agora qualquer pretexto a policia poderá por algemas em militar das Forças Armadas, pois, são, tremendamente, pacatos.
    E, nossa dignidade aonde foi parar?
    Ademais, perdemos uma ocasião de mostrar força, mostrar união, exigir nossos direitos.
    Até quando seremos camelões da camada do PT, que massacra a nossa dignidade.

  • jonathan

    Como venho lembrando incansavelmente aos amigos do blog, as regras para publicação de comentários, em nome da boa legibilidade e da atenção para com os demais leitores, vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas.
    Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm
    Conto com sua cooperação da próxima vez.
    Obrigado desde já

  • João

    É nítida a covardia, a omissão e o descaso dos próprios militares em relação a eles mesmos. Ficam reclamando soluções na esperança de outros tomem as ações necessárias e se escondem usando a desculpa do “Patriotismo e da disciplina”. Uma classe que não se reconhece não merece reconhecimento nem valorização por parte da sociedade. Querem mudanças, ajam e parem de reclamar pelos cantos escuros.

  • Aurélio França

    A carreira militar tem sido vista como um trampolim. Em regra, um jovem entre 16 e 20 anos ingressa, por exemplo, em uma escola de formação de sargentos e, em 6 meses ou 2 anos, estará formado. O salário inicial de pouco mais de 2 mil é suficiente para manter uma faculdade que o credenciará para outros concursos e opções na vida civil. Assim, as Forças Armadas são utilizadas como um trampolim. É nesse ponto que a coisa fica crítica. Valores como patriotismo, lealdade, comprometimento, perseverança, e mesmo hierarquia e disciplina, vão ficando em segundo plano. Ao longo das décadas, certamente verificaremos o quanto de mal isso fará. Quando precisarmos manter a ordem e a lei e não tivermos tropa disposta e sem perfil para honrar o compromisso com a pátria, será tarde demais. Infelizmente, estão sucateando as forças armadas e permitindo o descrédito de todos os valores que deveriam nortear a carreira dos militares. E valores se perdem rápido, mas não se constroem da noite para o dia, levam décadas, quiçá, séculos. É uma pena para os militares, será uma PERDA IRREPARÁVEL PARA A PÁTRIA!

  • acs

    Realmente é lastimável a situação social e principalmente financeira dos militares das três força; enquanto senadores,deputados,governadores e toda raça de políticos estão com salários muito além da conta, os militares e o povo vive com esmolas dadas pelos mesmos,isso é o BRASIL meu povo

  • vanderley gomes valente

    Turma Sierra 1971,somos militares que unidos chegamos,servimos a Pátria amada ó Brasil,Demos nosso sangue cumprimos com o nosso compromisso e a marinha correspondeu não resta dúvidas,somos felizes juntamente com nossos familiares e hoje posso falar em nome de todos que participam do grupo fechado no face TURMA SIERRA 1971 ,de uma turma de 420 formados em 1972 existem perto de 300 reformados que se encontram anualmente em diversas localidades do País para comemorar a indissolubilidade coesa até mesmo entre nossos familiares quando um de nós vamos á óbito os laços de amizade e confraternização se estendem aos familiares tornando assim amenas as dores da ausência do ante-querido,conversas através das redes sociais,trocas de fotografias,papos em dia ,relembrando viagens,namoradas nos tempos de escola tudo isso é resgatado por nós e revivido , ser lapidado desta maneira nosso égo se transforma ostensivo a gratidão de um viver eterno suave e valorizado.E a Marinha onde esta onde entra em tudo isso nos esqueceu nos abandonou vivemos igual a um cão sem dono ,sem destino da casa que é sua , ninguém te espulsa mas também ninguem te procura ,isso para mim é descaso,quando voçê erra és cobrado e punido ,não vou culpar ninguem pelo descaso mas pela oportunidade que me é dado peço clemência ao descaso,pois reservista e reformado não é bicho mas sim alguém que serviu , e serviu com carinho,amor e dedicação.

  • SEBASTIÃO DINIZ

    Reclamar, nada adianta. Talvez, um desabafo faça bem a saúde. Não sei. Na minha vã reflexão, não entendo porque a classe militar tem que se sujeitar a tantas humilhações, tantas vergonhas, tantas miserabilidades.
    Para todos os brasileiros a Constituição Federal trouxe vantagens e reconhecimentos. Será que o trabalho prestado pelos militares em geral prejudicam os interesses dos brasileiros? Será que somos os marginais? A pergunta é os congressistas não são representantes de todos os brasileiros?
    Ora, se não são nossos representantes porque votamos? Desde a promulgação da Constituição Federal nada foi feito em prol dos militares.
    Mas, por outros lados tiraram muitos direitos.Não preciso mencionar, pois, é de conhecimento de todos.
    Dizem que os militares são classe especial. Especial de que? Lixo….,seria o melhor qualificativo. Será que devemos partir para uma luta fora dos padrões regulamentares para sermos reconhecidos com brasileiros? Deixo a reflexão para todos que tomarem conhecimentos desta mensagem.
    LIXO ????????????

  • Nelson Cirtoli

    As Forças Armadas do Brasil estão se deixando desmoralizar. Essa obediência cega a Presidente, não tem fundamentos. Isso não é disciplina, é capachismo. Salário está defasado, façam um movimento. Estudem uma maneira de fazer esse movimento dentro da Lei.
    Ao que me parece a Constituição Brasileira tem sido ultrajada.
    Não dá para aceitar que os Militares fiquem de braços cruzados, sob o argumento que a sociedade os desrespeitou e desrespeita após a abertura.
    A disciplina maior é com a nação, com a CF de 1988 e o resto é conversa.

  • vanusa socorro da cunha peixoto

    Sou esposa de militar, meu esposo Sargento QE (Quadro Especial), posso dizer que os militares estão passando por um momento de humilhação, desprezo, desvalorização, faltam até palavras pra descrever o que esta acontecendo, enquanto isso os Ministros e Deputados já estão preocupados com aumento deles pra 2014. Vejam bem 30% dividido em 3 anos é isso mesmo gente 30% em 3 anos, onde vamos chegar?

  • 3SG-AV-VN Lucas Araújo

    Temos sim muito do que reclamar, tivemos vários direitos tomados na mão grande pela MP 2215/01. Medida Provisória com mais de 12 anos sem ser votada, já é absurdo, se tratando de matéria referente a remuneração dos militares federais, é o espelho do revanchismo.
    Mas cá entre nós, só reclamar não vai levar a nada.
    Somos a categoria profissional mais numerosa do País, mas a nossa representatividade política é a cara da tradição do militar apolítico que vigora nos dias de hoje. Temos número para elegermos, no mínimo, 60 deputados federais, isso considerando os militares ativos e inativos das FFAA, PM, e BM. Agora somando todos os dependentes e demais civis que simpatizam que o estilo disciplinado e eficiente que os políticos militares apresentaram e apresentam, teríamos uma representação capaz de nos tirar dessa calamidade.
    Paralelo a isso vejo pouquíssimas pessoas se mobilizando.
    Há uma tentativa interessante de organizarmos essa grande massa desunida que somos, para aumentar a força da nossa voz no cenário político: O Partido Militar Brasileiro.
    Mas a maioria dos colegas com quem eu falo do PMB nunca ouviu falar, ou tem medo de apoiar a sua formação, sem nem saber por que tem medo.
    Não fique de braços cruzados, se você não se acha informado ou influente o suficiente para fazer alguma coisa, com certeza você conhece alguém na sua unidade que está se mobilizando, procure conversar com essas pessoas e você perceberá que há muito em que ajudar, sem necessariamente se expor.
    “Aquele que se assemelha a um verme não pode reclamar de ser pisoteado”
    Kant

    É duro, mas acho que, no momento em que estamos, essa frase dá a tônica da meditação da sua noite hoje, antes de fazer a sua prece a Deus e dormir.

  • Ex-Cabo Deivison

    Sempre amei ser militar e usar a farda do Exercito Brasileiro, mas infelizmente tive que sair no começo do ano -depois de cinco anos de serviço -, apesar de agora estar desempregado, não me arrependo, pois sei que foi preciso sair de onde minha juventude estava sendo sugada pra nada, agora estou tendo mais oportunidades de estudar e crescer profissionalmente. Nunca irei esquecer os momentos ruins que passei com os camaradas, agora lembro como se fossem bons momentos de marchas, formaturas, serviços, missões, cursos de formação…etc.
    Estou muito feliz agora, pois lá dendro me sentia como numa prisão, submetido há falta de pessoal, material e mudanças na organização.
    Não cuspo nesse prato, pois me ajudou muito a ser forte, entrei sem nada e sai com uma casa própria de onde agora tiro alguma renda com aluguel, mais dei meu sangue pra conseguir, o exército serviu como uma base, que vou levar pra vida toda, SELVA!!(individual)

  • cassio

    entrei para o exercito em 198 como Soldado,eu queria seguir carreira como oficial,mas no final do ano como Soldado numa manobra eu fui atacado pelo um boi vindo sofrer um acidente,e fui prejudicado naõ podente mais seguir carreira militar, hoje sou reformado como Soldado engajado,com salario baixo.gostaria que fosse diferente.gosto muito do exercito brasileiro vestiria a farda de novo com muito orgulho mas o salario dos militares estaõ muito baixo,porque naõ melhore o salarios dos militares.

  • Waldir

    Eu descordo do sargento ALEXANDRE da Fab,o seu comentário sobre os taifeiros foi muito infeliz, nós entramos através de concurso e para voce que não sabe existe Lei 3.953/61,e nela dizia que tinhamos um plano de carreira, as promoções chegando até Soboficiais na ativa, lei essa que só a marinha do Brasil seguiu a risco, a Aeronáutica enganou os taifeiros até hoje…e se for pensar temos direito até a retroativos que muitos taifeiros ganharam na justiça, porque se depender de nossos superiores nada disso acontece. Com a nova lei chegamos ao ao posto de Sobofial apenas na reserva. Então fique sabendo que fomos roubados.

  • LCMarins

    Sargento do EB preso na ponte Rio/Niterói e algemado, por um policial da Policia Rodoviaria Federal. Fez um protesto solitário sabendo que só ele seria sancionado por tal ato. Não usava nenhum tipo de armas nem estava alterado. Não matou não roubou não fez desvio de valores do dinheiro do povo. Não vi ninguém sair em ajuda ao jovem Sgt, onde estão o MP, OAB, Direitos Humanos. Falar em seus chefes é malhar em ferro frio, pois deve estar respondendo a sindicância, IPM e talvez já tenha sido punido severamente a luz do RDE. Será que o STF não podia ajudá-lo, talvea não não é mensaleiro. Sinto a maior vergonha do fato acontecido na ponte. Brasil.

  • Sargento da Marinha J.R.

    Servi quase 30 anos na Marinha, trabalhando na área administrativa e o que se faz diariamente nas seções e departamentos é a confecção de documentos daqui pra lá e de lá pra cá, uma rotina que consome milhões de reais com materiais de escritório. Faltam pessoal qualificado em gestão pública, gestão de pessoal e plano de carreira e salarial compatíveis com os militares das Forças Armadas, sem falar no autoritarismo da maioria dos oficiais para com as praças. Já os oficiais generais não assumem a postura de defender a tropa e de questionar a presidência da república, o congresso nacional, na busca de melhores investimentos e renovação dos meios das forças armadas que ainda é o orgulho do povo brasileiro. Este mesmo povo que clama nas ruas por um Brasil grande comprometido com o desenvolvimento, com a segurança pública e contra a corrupção. As forças armadas poderia ser mais útil na vigilância das fronteiras, nos portos e nos aeroportos. Esta é responsabilidade que nossos oficiais generais poderia assumir diante da população e do mundo globalizado.

  • José

    É lamentável, após mais de 25 anos de serviços, prestados ao Exército, assisto com tristeza o rumo das Forças Armadas no Brasil: Falta de estrutura em todas as areas, falta de pessoal qualificado, baixos salários, desmotivação em todos os postos e graduações, exceto a dos Generais, que motivados por diversas regalias, não querem se “queimar” e covardemente fazem vistas grossas a situação financeira da tropa. Estamos sem Comandante, qdo digo comandante, é aquele que esta sempre preocupado com a tropa, independente se o governo vai gostar ou não.Quando chega a compulsórias ou expulsória, os mesmos perdendo as diversas vantagens, se escondem no Clube Militar e começam a falar mal do Governo. Pergunto: Pq não criticavam qdo estavam na ativa? Me respondam. O q se vê é uma total falta de comandante nas 3 forças, e com isso perdemos nossos melhores oficiais e praças, que buscando melhores condições de trabalho e salários abandonam a força.

  • DUARTE

    É inaceitável a situação humilhante que os militares do Brasil estão passando,devido a um revanchismo sem fim.Sou militar da ativa e tenho 14 anos de caserna,atualmente 40% do meu salário é destinado a empréstimos consignados e me considero um cara de sorte, pois a maioria dos meus amigos possuem um comprometimento de 60 a 70% com tais empréstimos.Os sargentos de hoje tem que “mendigar” em filas de espera por assistente social em busca de cesta básica.

  • Sagento Reformado - Wallace Anderson

    Sou militar ( Marinha) reformado a 07 anos, por motivos de ordem psiquiátrica. servi 19 anos na ativa e estava a 06 anos pela junta militar, fazendo tratamento pela clinica da UISM (hospital psiquiátrico). em 2007, fui considerado inapto definitivamente sendo portador de TRANSTORNO DEPRESSIVO( somente este CID entrou no meu laudo de reforma), TRANSTORNO BIPOLAR, E FAZENDO USO DE TAIS MEDICAMENTOS: RIVOTRIL 02ML, FLOUXETINA 20ML TEGRETOL 400ML DIÁRIA. fui reformado “ não podendo prover e sem relação de causas e efeitos.” Como que poderia ser reformado com um laudo desses tendo em vista que eu entrei para a marinha sem problema algum? senhores ! se a intenção da Marinha foi de ajudar-me, eu acho que ela não teve sucesso pq meu soldo foi reduzido a cerca de 56% do meu salário integral.. gerando muitos outros problemas em minha vida social,..psicológica e psiquiátrica. estou pior dq estava!! depressão piorou e estou morrendo aos pouco a cada dia! devido a minha deficiência financeira atual.DEVERIAM TER MAIS COERÊNCIA NA REFORMA DE UM MILITAR QUE APÓS TER PASSADO PRATICAMENTE BOA PARTE DE SUA VIDA SE DEDICANDO INTEGRALMENTE A FORÇA ARMADA, E AO APRESENTA PROBLEMA DE SAÚDE, SOFRE TAMANHO DESRESPEITO. SOFRI TB TORTURA PSICOLÓGIA E MORAL DE VIDO O ESTADO DE MINHA DOENÇA NÃO TER SIDO RESPEITADA. AGUARDO NA JUSTIÇA COMUM A DECISÃO JUDICIAL.

  • Sagento Reformado - Wallace Anderson

    Parabéns à revista Veja por essa oportunidade. Meu esposo foi covardemente reformado após 19 anos de dedicação e sem respeito algum pelo atual estado de saúde, nunca teve problema algum de saúde antes de ser militar. Ele foi torturado nos quarteis da marinha e temos provas documentadas para expor à imprensa e ao Ministério Público. Parabéns à Veja que, como toda revista séria, está prestando este bom serviço ao povo brasileiro e aos militares sofridos do Brasil.

  • 2ºSG (Fuzileiro)

    O que meus companheiros falam e a pura realidade, estamos tapando buracos nas FFAA. Escala apertada, autoritarismo, dezenas de exercícios mensais (manobras). 40% do meu salário é descontado nos empréstimos pra pagar dívidas. Estou totalmente desmotivado… e isso já atinge os escalões superiores… As vezes estranho atitudes de oficiais. Vejo os SD e CB querendo ir embora em vez de querer ficar, isentivo meus subordinados estudarem e saírem o quanto antes. Como me arrependo não ter feito a prova para PM.

  • Alvaro

    Álvaro, não publicamos absolutamente nada que sugira a quebra da legalidade constitucional. Abraços

  • Isaias

    São profissionais e investimentos que estão sendo desperdiçados pela visão turva do governo do PT. Não têm bancada no congresso nem fazem lobby… têm a hierarquia e seu código de honra. Os cerca de 25 mil comissionados do governo federal, ministro Celso Amorim, não podem preencher esta lacuna. Aja, ministro, em favor da defesa nacional, caso a humilhação pelos cães farejadores bolivarianos não lhe tenha afetado o discernimento e a sua honra.

  • Marília

    Prezada Marília, não publico em hipótese alguma textos que elogiem ou justifiquem a ditadura militar ou de alguma forma flertem com a quebra da legalidade constitucional.

  • Ronaldo Barra

    É na verdade uma tragédia que atinge as forças armadas do Brasil.A falta de apoio aos seus integrantes e o desaparelhamento assustam a todos os brasileiros. Se aparecer um louco em qualquer dos países vizinhos, querendo tomar parte do nosso território seremos humilhados, pois que nossas forças armadas não estão a altura de rechaçar um invasor. Estamos, na verdade, completamente vulneráveis. Parabéns, Ricardo Setti pela iniciativa.

  • MARA

    Mara, não publicamos, de forma nenhum, comentários que possam aludir à quebra da legalidade constitucional. Abraços

  • abel

    Não publico comentários que, direta ou indiretamente, defendam a quebra da legalidade constitucional.

  • abel

    Olha só esse vídeo, o exemplo que devemos seguir…https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Ezpd8JY3M9Q#t=25

  • Desiludido com o Brasil

    Ser praça, em especial Sargento nas Forças Armadas, é sofrer as maiores iniquidades. Ganha-se mal, submetemo-nos a uma grande maioria de oficiais despreparados (ficam na ativa, apenas os incompetentes para o mercado civil). Não há uma carreira coerente, vive-se o caos operacional. Qual a razão de ali ficar? A maioria dos Sargentos novos, só fica o tempo obrigatório. A rotatividade causa graves problemas, em especial no sistema de Controle de Vôo, que é militariazado e operado por Sargentos. Vide acidente o Gol X Legacy.

  • Itiel Monteiro de Lucena

    O pior de tudo é saber que esta situação só tende a agravar-se, pelo revanchismo descabido e inconcebível de um governo,irresponsável, imoral e incompetente. Um governo que não presa por cumprir sua carta magna, que não tem compromisso com as instituições de caráter permanente com é o caso das Forças Armadas e que devido a ocorrências do passado resolve ir as forras de modo vil e impiedoso, sobre pessoas que não tiveram nenhuma participação em fatos ocorridos outrora.

  • Brasilino Brasa

    Nivela-se para baixo, assim com se faz com as polícias estaduais, tirando é claro a super policia do DF. Que nada mais representa que uma força auxiliar que ganha mais do que a força regular. Tirando a proteção dos bairros das autoridades, não existe qualquer justificativa para que exista esta distinção, até muito pelo contrário. Nas FA existem profissionais de altíssimo nível técnico, como engenheiros, médicos, advogados, pilotos de caça, comandantes de belonaves, entre outros. Mas como a regra aqui é valorizar o interesse DAS AUTORIDADES, jamais aos interesses verdadeiros e genuínos da nação, assim que “PRECISAREM”, correm atrás do problema.

  • Vera Scheidemann

    Confesso que fiquei bastante surpresa com todos
    esses depoimentos. Não podia imaginar que o
    grau de insatisfação chegasse a um nível
    tão elevado. Que coisa !
    Vera

  • Luiz C.

    As coisas estão assim, porque o Exército é como o Elefante do Circo: Não sabe a força que tem, por isso é submisso!!!

  • AMK

    Pergunto!A quem interessa a insatisfação e o sucateamento do nosso Exército ? Vamos cair na realidade e colocar a cabeça pra funcionar.As eleições estão aí.

  • Leo

    Servi o exército Brasileiro em 1980, na época meu sonho era ir para a ESA. Na primeira semana de incorporação, não via a hora de dar baixa. Pelo que percebo, a mentalidade das forças armadas são as mesmas de 33 anos atrás. A única coisa que soldado do exército faz é: ordem unida e faxina, não tem nenhum preparo militar.

  • Ricardo P.C. P. Fernandes

    Sou um civil pai de um aluno do CPOR. Observo aqui “de fora” que a caserna propicia uma experiência que faz aperfeiçoar as qualidades natas dos alunos (disciplina,companheirismo,tenacidade, retidão, entre outras). No entanto é visível a falta de orçamento e organização. O aluno ter que comprar “kit manutenção de armamento”, “kit de sobrevivência”, etc, acho lamentável! Também é triste quebrar a expectativa de uma viagem de treinamento dessa moçada, na véspera, por falta de verba (e organização). Não quero satanizar os oficiais dirigentes, pois tenho certeza que muitos estão desconfortáveis com tal situação, mas é preciso encarar o problema e reduzir o efetivo em prol de melhores condições de infraestrutura, de ensino e de salário. É preciso melhor gestão e orçamento adequado para as forças armadas se não o Brasil parecerá uma palhoça com uma bandeira esgarçada tremulando na cumeeira.

  • jfaraujo

    Isso tudo é muito triste. As escolas militares são as melhores do país. Há disciplina e não se vê nenhum lixo, nenhum papel no chão. São exatamente tudo que as outras escolas brasileiras deveriam ser.

  • Nilva Maltezo

    Estou desenvolvendo um trabalho para comprovar que o serviço prestado as forças armadas é digno de ser reconhecido como serviço de risco, que poderá trazer o benefício da aposentadoria especial, mas preciso de casos em que o oficial tenha ficado exposto ao perigo, desde de exposição a armas, doenças,etc.Tudo que possa fundamentar essa tese, o que será muito lucrativo para quem está nas forças armadas.

  • ROBSON

    Do praça em equilíbrio.
    Aos revoltados recalcados
    Todos esses desabafos são desequilibrados, pois extrapolam a realidade.
    Primeiramente para entendermos a situação, primeiramente precisamos nos aprofundar no conhecimento de onde viemos, de onde estamos e para onde iremos.
    1º) Vivemos em um planeta divididos em tribos, ainda não estamos evoluídos, ou seja, a tribo dos brasileiros, dos americanos, dos japoneses, dos argentinos, etc. Cada tribo vendo seus próprios interesses.
    2º) O ideal seria que não existisse Forças Armadas, não existisse grades nas janelas, alarme, blindagem nos carros, policia, etc. Porém é utopia, o nosso planeta vive conflituosamente em todos os cantos.
    3º) Não existe igualdade, geograficamente o nosso planeta é desigual. Se todo brasileiro quisesse 300m² à beira mar, não há praia para todos, então a idéia de que todos merecem um lugar ao Sol é utopia.
    4º) Imagine de John Lennon é utopia.
    5º) Com isso vemos que o ser humano na realidade está na Luta pela Sobrevivência, ocasionando os conflitos e discordâncias, cada qual vendo seu próprio interesse.
    6º) Chegamos então às seguintes conclusões:
    a) O País ainda necessita de Força Armada, podendo até ser mudado o nome ou forma de como obtela, mas necessita. É questão de sobrevivência fazendo frente às demais tribos, que também a possuem.
    b) Socialismo é utopia e mentirosa, pois sempre haverá uma classe dominante e o capitalismo é cruel, no entanto o capitalismo premia ao mais esforçado e menos preguiçoso. Cabe aí, talvez, um capitalismo com feições socialistas em busca do tal sonhado equilíbrio de idéias em prol da justiça.
    7º) As Forças Armadas no Brasil (na visão caseira) estão sendo o bode expiatório do socialismo que não emplacou no mundo e na América latina, pelas conclusões acima citadas e também o bode expiatório da esquerda brasileira que quer caminhar no sentido inverso do mundo no tocante à forma de governo, na sua incompetência em governar para si próprio.

    8º) E cá estamos nós o triangulo, em um vértice os revoltados e recalcados que conseguiram sair das Forças Armadas não pela coragem e sim por terem alcançado uma zona de conforto jogando “merda no ventilador”, no segundo vértice os que ainda não tiveram a coragem de sair por não terem conseguido dar o ponto com nó alcançando também a tão sonhada zona de conforto, e por ultimo o terceiro vértice, apesar de parecer cabeça de bacalhal, mas que não estão buscando zona de conforto, que realmente são vocacionados e que esperam também ter um salário mais digno, no entanto não cospem no prato que comem.
    9º) NA GUERRA EXISTEM OS QUE ENCHEM O PEITO DE CORAGEM E AVANÇAM, OS QUE DESERTAM POR NÃO SUPORTAR A DOR, DEVEMOS RESPAITAR AMBOS, POIS SÃO SERES HUMANOS DESIGUAIS POR NATUREZA, SOMENTE À SEMELHANÇA UM DO OUTRO, MAS NÃO SÃO IGUAIS.
    INFANTARIA!!!!!!!!!!!

  • assunção

    Tudo isto é porque não temos mais:brigadeiro Eduardo Gomes – General Lott – General Juarez Távora = General Castelo Branco: Eles sim, davam testa com os governos CORRUPTOS e os que não valorizavam as FORÇAS ARMADAS..é só fazer vistas ao passado.

  • fpenin

    É um desestímulo total, a vida militar. Os profissionais de saúde, médicos e dentistas, que deveriam estar no batente, são escalados para representações, sem nenhum respeito ao paciente, que marcou data para atendimento. Na hora H, o infeliz é informado de que o “doc” que o iria atender está em outra missão (sagrada), uma passagem de comando ou uma palestra proferida por gente que não teria público nem em escola primária de periferia. Quando não, um dentista ou médico, tão necessário em sua atividade específica vai comandar uma seção de pessoal ou cuidar do material de rancho. Ao fim do dia, o profissional ocupou-se dos talheres e das escalas de serviço,mas não examinou um doente sequer. Para os militares de alto escalão, principalmente oficiais-generais, há um tratamento diferenciado e os “doutores” são mandados à casa da “autoridade”, até para atender empregados domésticos. Ao fim de cada mês, o contracheque traz o desconto obrigatório para custear a “saúde”, em valor mais elevado do que muito plano de saúde bom. O usuário quer médicos , dentistas, fonoaudiólogos, psicólogos, etc, que atendam ao seu sofrimento; não lhe interessa saber se o “doc” sabe marchar ou prestar continência de maneira impecável. Salário baixo e carreira amputada (atraso em datas de promoções,etc) são fatores que mais contribuem para o desalento que toma conta da classe como um todo. Os planos habitacionais não contemplam os militares, principalmente oficiais, nem um simples “Minha casa, minha vida” . Que me desculpe o Robson, mas o seu ufanismo é surreal: antes de tudo, o militar é um profissional, portanto, merece contrapartida ao seu trabalho. Até as prostitutas regulam seus ganhos. Entonces…

  • ROBSON

    Reitero que: A maioria dos Militares são vocacionados esperam também ter um salário mais digno, no entanto não cospem no prato que comem.

  • marcos

    militarismo esta por fora se for estudar estude para uma coisa melhor para nao se arrepender quando estiver la dentro ja tenho 8 anos de quartel e estar uma merda desde quando eu entrei.

  • Marcelo

    Quando entram ja sabem quanto vão ganhar… depois que entra é bobagem chorar.

  • ATMR

    Eles só esquece de comentar a aposentadoria integral.

  • Ivan Moura

    Nasci em 1982 e tinha como sonho ser militar. E após ser aprovado, larguei a faculdade de engenharia civil. Essa aprovação veio em 2002 e em 2003 ingressei na Escola de Sargento das Armas e sai este ano, após 10 anos de caserna. Fiquei satisfeito por algum tempo, mas após transferência para outra unidade, meu pensamento mudou. Encontrei alguns colegas de farda que já tinham saído, cito os cargos, analista do MPU, auditor fiscal do trabalho, escrivão de policia do DF, etc. Todos foram unânimes em confirmar o que eu tinha detectado na nova unidade, o EB era uma porcaria para trabalhar, desorganizado, sem estrutura, sem armamento em condições suficientes de uso, sem superior capacitado para o cargo, e soldado em sua maioria analfabetos funcionais, sem o mínimo de conhecimento na área penal, condição importantíssima para quem trabalha com armas, etc. Resolvi mudar, sai para ganhar a metade do que ganhava no calabouço (EB) e agora vejo muito promissor o meu futuro, coisa inimaginável no Exército. Trabalho numa instituição que ainda não remunera bem, mas dá melhores condições para o trabalho. Aqui no Ministério Público o Promotor sana suas dúvidas na hora, dá orgulho trabalhar com um profissional altamente capacitado em determinar alguma tarefa, pois sempre o faz embasado legalmente, não há arbitrariedades; no Exército, se vc pergunta algo, ele te manda pesquisar porque nem ele sabe o q faz ou lhe pergunta o que tem de fazer. A pergunta a seguir é típica de superior despreparado: onde está escrito? Isso ocorre quando vc vem com a resposta, é desmotivador trabalhar com pessoas que, por regulamento devem ter conhecimento, mas preferem fazer uso da arrogância e da tirania no desempenho funcional. Hoje verifico que, ao sair do EB, tomei a decisão mais racional possível, sem qualquer espécie de arrependimento; pena que demorei um pouco a perceber isso. Agora estudo tranquilo em busca de novas conquistas.

    Mensagem: “se vc tem dúvida no que falei, venha conferir pessoalmente. Garanto que não vai se arrepender porque o servidor civil tem um mínimo de respeito, coisa rara no Exército”

  • ROBSON

    Todas as profissões são dignas.
    Parabéns para quem é Promotor, Auditor e o que quiserem ser.
    Mas me desculpem sou Militar, pobre e Feliz! Faço TFM todos os dias.

  • ROBSON

    Feliz de quem encontrou sua vocação e saiu das FFAA.
    O importante é ser Feliz, aproveite pois uma coisa acontece com todos, em todas as profissões, a velhice e as doenças. Aproveite e seja Feliz.
    Parabéns!!

  • ROBSON

    Aliás, diga isso tudo que dizem sobre conhecimentos penais, inteligências, etc, a quem está julgando o mensalão e outras causas, envergue com vibração sua farda ou toga, pelo ao menos desta vez. Faça um favor! O importante é a vibração no que realiza na vida. Se és lixeiro seja o melhor lixeira e sua vida fará sentido.
    Obrigado

  • daurides dantas rodrigues

    Qual é o perfil do militar das forças armadas do Brasil ? 90% ou mais são pobres e sem orientação dos pais. Digo isso, porque quando o jovem tem apoio e orientação dos pais, com certeza não vai “seguir carreira” nas forças armadas. Os pais esclarecidos irão orientar os filhos a fazerem um bom cursinho e, de preferência cursar uma boa faculdade para ter uma profissão cuja remuneração dê condições para o sustento da sua família. No início da carreira militar tudo é lindo… os acampamentos, as formaturas, as vindas dos generais nos quartéis, os eventos… etc . Depois de alguns anos, vem a primeira promoção… Aí as esperanças são renovadas devido ao “aumento” no soldo… Os anos vão passando… o jovem ainda tem perspectivas de melhora na “carreira”… vai melhorar, ele pensa!!! Mas o tempo passa, e o que parecia uma profissão promissora, passa a ser o grande erro da vida deste jovem. Aí ele pensa: meu Deus, porque eu não saí quando eu ainda era jovem? Porque eu não lutei, estudei, ou me preparei para ingressar em outra carreira? Só que aí, para a maioria, é tarde demais !!!
    SER MILITAR É SOFRER NO INFERNO . Sofrer para sustentar a família com o salário de fome que recebem, “tirar serviços” sem receber nada a mais por isso, sofrer por ter seus benefícios sendo tirados um a um sem nada poder fazer, SOFRER CALADO , pois não tem o direito de se manifestar, SOFRER POR NÃO TER APOIO DA MÍDIA, sofrer por estar pagando e pagará ainda por muitos anos pelos atos dos militares na época da ditadura. SOFRER por saber que nada será feito – talvez daqui há muitos anos, quando outros governantes que não vivenciaram a tão falada ditadura entrarem no governo… Aí, até lá, os militares de hoje já não estarão neste plano.
    Não sou militar… sou apenas a esposa de um . Mas posso dizer por experiência própria que não vale a pena esta carreira. Meu marido seguiu esta carreira por ilusão, por orgulho de ser militar, por amor ao Brasil… Mas como todos os militares deste País, não foi e não é valorizado, infelizmente !!! e o famoso BRASIL !!! QUE GOSTAM DE FALAR ÀS VEZES AO SE CUMPRIMENTAREM, já não tem mais a mesma vibração de outrora !!!! Pena.

  • Sargento da ativa do Exército

    Existem profissões que remuneram melhor que a militar. Ótimo, então que se estude e vá para lá. Mas lembremos que muitos brasileiros gostariam de estar na profissão militar e não conseguiram. Não adiante viver da lembrança do passado, em que os militares estavam no poder e, por isso, tinham mais facilidade de conseguir aumento de salário. Os tempos mudaram. Há que se aprender a viver com o que se ganha. O problema é que muitos ganham “x” e querem viver com “2x”. O militar é a reserva moral deste país! O quartel é como um centro de ensino em que todos os anos recebe uma nova turma de jovens (os recrutas) e lhes ensina valores que a sociedade (família, televisão…) não tem condições nem interesse de ensinar (e cobrar). Valores como disciplina, responsabilidade, lealdade, companheirismo, coragem, determinação, amor à verdade, etc. Basta ver como os jovens entram no início do ano e como saem transformados para melhor no final do ano. São valores que levarão para o resto de suas vidas. Enfim, serão brasileiros, pais, filhos, cidadãos muito melhores. É claro que já pensei em sair do Exército, pois sei que tenho condições. Mas não acho que vale à pena. Muitas das coisas ruins do Exército descobri já no primeiro mês. Se continuei por tantos anos foi porque quis. Nunca me enganaram. A questão é aprender a viver com o que se ganha. Economizar pra não ter que pegar empréstimos bancários, nos “imprevistos” que a vida apresenta. Resumindo, se acha que o salário está baixos (e realmente está) então estude e mude de profissão. Mas não concordo com a choradeira que ouço quase que diariamente e nem com aqueles que se limitam a culpar os outros, os superiores, a presidenta, etc, sem fazer nada de efetivo para melhorar sua própria vida.

  • Ex-Segundo Sgt. Agora Servidor Civil

    Utilizando este espaço para parabenizar todos os servidores civis desta nação, inluindo os ex-súditos do Exército pela data alusiva ao seu dia. 28 de outubro, dia do servidor público valorizado. HE HE HE, ABRAÇOS. Aos que seguem a carreira das marchas, digo carregadores de pedra, digo escalas full time, parabéns também, continuem aí, a nação também precisa de vocês, afinal são inúmeras pedras para carregarem. FUI…abraços

  • DAVID

    até quando viveremos à penúria em que nos é imposta pela administração pública; até quando viveremos nos vermelhos nos bancos, financeiras, agiotas e outros oportunistas da vida nos afundando cada vez mais, enquanto isto, temos que nos contentar com nossas famílias passando necessidades, nossos filhos sem uma educação adequeada, com os péssimos atendimentos nas unidades hospitarales das ffaa que também sofrem com a falta de recursos e de profissionais, temos militares e civis com sérios problemas de saúde emocional, psicológico e cardiáco, por conta desse notável revanchismo do atual governo e dos que lhes antecederam, de onde começaram o enfraquecimento das ffaa, não se sabe a interesse de quem, sabemos sim que temos um país com dimensões continentais e que somos detentores de uma riqueza incalculável que desperta a cobiça internacional, porém, a nossa segurança nacional, bem como da nossa população, está cada vez mais vulneráveis, enquanto isto, ficaremos aguardando uma posição do governo e de nossos oficiais generais que aparentemente foram amordaçados e suprimido toda a sua sensibilidade em relação as tropas, deixando-os cair no esquecimento, infelizmente tem crianças pagando caro por isto e militares e pensionistas que morreram e não tiveram seus sonhos realizados, lamentável.

  • nilson sachmeisck

    Servi ao Exército, em 1979, no serviço militar obrigatório. Dei baixa em 1980, como cabo. Em 1982, fiz concurso para a EsSA, passei e fui fazer o Curso. Fiz o curso de Engenharia. fui servir, em Alegrete, RS. Servi lá por três anos no 12° BTL ENG CMB. em 1987, fui transferido para Boa Vista, RR,. servi durante o ano de 1987 no 6° BTL ENG CNST, e dei baixa em 31 de dezembro de 1987. Fiquei até 1995, trabalhando em diversos setores informais. Em agosto de 1995, ingressei no TJSP, como Agente de Fiscalização Judiciária, onde trabalho até hoje. Eu nunca me queixei da vida militar… Eu gostava, vibrava, e me empenhava em dar o melhor que podia. Hoje Eu vejo a situação dos Militares Brasileiros, e me envergonho… Todos os Militares Brasileiros, sem distinção de graduação ou posto, estão à margem de uma vida descabida e sem reconhecimento, por parte das Autoridades. É uma vergonha, o que estão fazendo com as nossas Forças Armadas… sucateadas, sem prestígio, em sem o merecido e devido valor. Vamos torcer, para que alguém enxergue o que está acontecendo com os nossos”Valorosos Soldados”, antes que seja tarde… E tenho dito.

  • Anderson

    Reafirmando o que disse ,mostrem um contracheque de um tenente reformado com 30 anos de serviço para que o povo Brasileiro veja tão mal remunerado são os militares Brasileiros (PS contra cheque não soldo)obs: alguns descontos no contra cheque são opcional e em beneficio próprio ou querem que até seguro de vida a nação pague!

  • Tiago

    SOU sargento do exército e não estou muito satisfeito com que me espera na carreira..
    ..não tenho expectativa alguma de carreira, superiores hierárquicos são na verdade tiranos que usam o nosso trabalho para ganhar méritos.
    Somos humilhados dentro dos quarteis por oficiais que não reconhecem o nosso trabalho, não temos direito algum de reivindicar nada, somos tratados como verdadeiros cães de guarda…vibro com a força, tinha um sonho construido em cima da força e fui frustrado com esse sistema desleal e opressor..com certeza não continuarei no exército.

  • jadson

    Eu tinha 16 anos quando fiquei com vontade de entrar na EsPCEx ou na AMAN, fiz a provas de 2005 e de 2006, não passei, dai fiz faculdade mas queria muito entrar no Exercito, fiz ESA em 2009 e pedi baixa,foi uma frustração no começo, mas hoje vejo que fiz a melhor opção. Sou cadete do 3º ano da PM do Amapá e recebo liquido R$3734,36 e de lá pra cá só ouço lamentações de quem esta nas FFAA, gnt que se arrepende de ter entrado e me dizem que eu fiz a melhor opção da minha vida, tento imaginar como seria minha vida com uma família prejudicada por causa das movimentações no território, escalas de serviço absurdas, abandonado pelo Governo Federal com vários direitos cortados.

  • Anderson

    As movimentações(transferência ) a que se refere o cadete Jadson são muito bem remuneradas e disputado os melhores lugares pelos militares obs: quanto mais longe maior e o valor que se recebe digamos o salario liquido de um ano do cadete Jadson!

  • Tolerância Zero

    Quando o Brasil for invadido por Potências Poderosas seremos defendidos pelos Trios Elétricos, como tem sido em nossa guerrilha interna.
    Viva o País do Carnaval!

  • Meia Verdade

    E uma vergonha o que fazem com as forcas armadas do Brasil. …

  • Tomás de Aquino

    Não publico nada que se refira à quebra da legalidade constitucional.

  • A VERDADE DÓI!!!!!!!!!!!!!

    Caro Paulo, este espaço é destinado exclusivamente à opinião dos leitores, e não à republicação de textos ou à reprodução de e-mails alheios.

  • A VERDADE DÓI!!!!!!!!!!!!!

    Caro Paulo, este espaço é destinado exclusivamente à opinião dos leitores. Não postamos material já publicado em outro veículo.
    A propósito de seu comentário inicial, que deletei junto com o texto, o ex-presidente Juscelino Kubitschek morreu proprietário de pouquíssimos bens. Jamais se provou corrupção da parte dele, mesmo submetido aos ilegais e truculentos inquéritos policiais-militares da ditadura.

  • Maria Cristina SP

    Esvaziando as funções do exército é o caminho certo para o comunismo. O que esse governo está fazendo com as três forças do país é algo descarado. Ninguém reage, a alta cúpula “comprada” as polícias sendo alvos de uma campanha de desmoralização. Tudo no script…só não enxerga quem nção quer. Brasil, ladeira abaixo em todos os sentidos, defesa, ética e moral!

  • Ricardo

    Bom.., quando todos saírem,os comunas que comandam o país chamam os militares cubanos pra nos defender.Absurdo!Claro que não!Vivemos numa republiqueta,esqueceram?

  • Mario

    Só para dirimir dúvidas. Sou subtenente do Exército com 26 anos de serviço, tenho o meu contracheque integral, sem nenhum desconto não obrigatório, graças a outras fontes de renda da família. Ganho 4300 reais líquidos. Um mau salário? Não. Mas quando entrei ganhava o dobro como sargento recém-formado. Afora isso, perdi algumas regalias salariais e sociais. A principal, não poder ir para a reserva com um posto acima, o que significaria ganhar como major (2.000 reais a mais que capitão) aos 35 anos de serviço. Perdemos o 1% que ganhávamos por ano trabalhado, a licença especial (6 meses a cada 10 anos) e por aí vai. Também perdemos prestígio… muuuito. E estamos perdendo muitos colegas, que reclamam de várias coisas, mas no fundo, tudo está relacionado a dinheiro…

  • Rogério

    Caro Anderson,
    Os recursos alocados pela Força para custear a transferência, SÃO EFETIVAMENTE empregados, pois caso o militar não aplique naquele momento, aplicará tão logo inicie a pagar o aluguel:

    Ex.: Militar transferido (dependendo do círculo hierárquico e distância) recebe em média R$30.000,00. Entre passagem e transporte dos pertences, seus e de sua família, aplica aproximadamente R$19.000,00, depois de muita choradeira.

    Sobraram R$11.000,00. que será aplicados provavelmente nas medidas de fixação na nova localidade. Mesmo que alguns falem: desembolsou R$11.000,00, certo? Negativo, pois para onde ele vai, ao longo de aproximadamente 5(CINCO) anos, ele pagará aluguel que nunca será inferior a R$600,00.
    Multiplicando 5x12x600,00 teremos R$36.000,00, ou seja considerando os R$11.000,00 que ele tenha “desembolsado”, ele pagará R$25.000,00 de seu próprio bolso.

    Em relação ao seguro:

    Caso haja algum ACIDENTE COM UM CIVIL fora do horário de seu trabalho, ele terá aposentadoria por invalidez integral, além de receber SEU FGST.

    Para o militar, caso ocorra acidente fora de atividade militar, ele receberá reforma proporcional, ou seja, militar sofre acidente de carro, fica paralítico, tem 11 anos de serviço. Vai para a reforma com 36% (TRINTA E SEIS POR CENTO) do que recebe na ativa e SEM FGTS.

    Meu jovem pare de achar que o quintal do vizinho é mais verde que o seu.

  • Julio

    O “brasiu” em si é um “licho”. To tentando procurar sede da otan pra entregar esse terreno “baudio”.

  • Claudio

    Pessoal do IME e ITA, façam um grande favor para voces e para o país: caiam fora dessa furada de FFAA!

  • Andre M. Andrade Jr

    É triste saber que nossas forças armadas estão no vinagre.A culpa é do governo do PT que tem horror à ordem e progresso.São pessoas como a Dilma e o Lula que só pensam em poder político e se esquecem do Brasil.Infelizmente esse grupo do poder veio para rebaixar as forças armadas.Vejam quem a Dilma colocou como Min.da Defesa-um pulha.O Exercito não tem nem condições de depor esses comunas do governo que é o que melhor serviria ao Brasil.

  • Por que as despesas do Ministério da Defesa é 59 bi? Muito maior do que o dos outros ministérios finalísticos (saude, cidades, integração, educação, transporte, etc)? E eles não podem melhorar a situação do pessoal? Será que emprestaremos o exército de Cuba quando o nosso acabar?

  • Anderson

    Agradecimento pelas colocações do senhor Rogério!´
    só que ficaram algumas duvidas.
    1 pelo que entendi se o militar não for transferido ele não terá gasto com aluguel?
    2 o militar não tem direito a (PNR) Próprios Nacionais Residenciais. Agora uma duvida o auxilio moradia só recebe o militar reformado? obs: mesmo ganhando R$ 2.196,00 o meu quintal está verde e florido! SENHOR!!!!!!!!!!!

  • Val

    Quem não está satisfeito, vá embora! O Exército é grande, atua em várias áreas do conhecimento. Ninguém pode falar que o conhece, pois ele é imenso. Esta instituição precisa de pessoas vocacionadas. É como um sacerdócio. Está reclamando do salário, olhe para o do professor, do enfermeiro, etc.

  • A. Soares

    Antes de ser militar fui informado sobre a profissão: (http://www.eb.mil.br/caracteristicas-da-profissão-militar.)
    a. Risco de vida.
    b. Sujeição a preceitos rígidos de disciplina e hierarquia.
    c. Dedicação exclusiva.
    d. Disponibilidade permanente.
    e. Mobilidade geográfica.
    f. Vigor físico.
    g. Formação específica e aperfeiçoamento constante.
    h. Proibição de participar de atividades políticas.
    i. Proibição de sindicalizar-se e de participação em greves ou em qualquer movimento reivindicatório.
    j. Restrições a direitos trabalhistas.
    k. Vínculo com a profissão.
    l. Consequências para a família.
    Passei trinta anos com altos e baixos, mas o chefe ia-se e a Instituição permanecia firme e forte.
    Hoje estou aposentado aos 50 anos com salário integral e FELIZ DA VIDA!!!

  • carlos fernando leme franco

    Militar está em situação desfavorável a outras carreiras, pelo motivo que o militar é próprio responsável por esta situação. Nossos representantes não se preocupam com os praças, só pensam em seus umbigos e o resto FDS.

  • unaldo cesar

    Se o objetivo do governo da presidente Dilma é acabar com as forças Armadas, pare por favor. A senhora já conseguiu, precisa agora com urgência ENTERRAR.

  • nv:qmrsv

    waldir .01/10;2013 -12:01 apoio comenterios sob à lei 3953/61

  • João Reis

    Estão enfraquecendo as Forças Armadas, Forças Auxiliares e Policias Federais. DEVEM TER UM “BOM MOTIVO”. Assim como a Educação e a Saúde. Em breve teremos um Povo DOMINADO.

  • A. J. Sousa

    Li alguns comentários e confesso que fiquei surpreendido. Apesar de todos os contras, que não são muitos, ainda há pessoas que acham que estão bem na carreira militar. Imagino que possa decorrer da inoportunidade de conhecer outras carreiras. Chegaram a comparar com os professores. Que absurdo. Não sabem o quanto é gratificante o reconhecimento da sua própria sabedoria em outra pessoa. Claro que não estou mencionando a questão salarial, pois a do professor, na maioria dos casos, é sim pior. Mas o salário é só um ponto. Por essas ideologias e outros conceitos absurdos que tenho a convicção que perdi boa parte da minha vida nessa carreira. Que bom que acordei e estou indo embora para uma carreira muito melhor. Caríssimos amigos militares, nunca é tarde. Estudem e procurem novos horizontes. Vos garanto, o militarismo, hoje, não vale a pena.

  • A. J. Sousa

    Onde se lê: “todos os contras, que não são muitos…”
    Leia-se: “todos os contras, que não são poucos…”

  • eudes

    fui militar de carreira, 2º Sargento com CAS, dei baixa e hoje ganho salário melhor e trabalho numa jornada de apenas 6 horas…há vida fora do EB e vida boa, não adianta reclamar, eu fiz isto por 17 anos…quando resolvi estudar as coisas mudaram. Eu resumo tudo nesta frase: O Pessimista reclama do vento, o otimista espera que ele mude de direção, mas o realista ajusta a vela!!!É isto mesmo amigos, o negócio é estudar e sair, se o EB não deu valor o problema é deles, sempre haverá voluntários para ganhar um salário ruim, porém eu questiono a capacidade destas pessoas…Os oficiais até que estão bem…seus salários estão defasados também, mas vejam a quantidade de transferências e de cursos de banquinho que dão uma bolada…( é um meio de camuflar os ganhos e dizer que estão na mesma situação) eu mesmo vi isto, oficiais que foram transferidos para a mesma guarnição especial consecutivamente (contrariando a legislação) enquanto que para mim regional, eles com moradia onde quer que vão e praças? aluguel…quando entra na casa está na hora de transferência para outra “boca podre”, perto (pouca indenização)e por ai vai…Acredito que o grande problema está na COMPRA DOS GENERAIS PELO PT, que venderam a tropa, basta ver o destino de cada um depois que segue a cartinha da dona, é Petrobrás, etç, farinha pouca meu pirão primeiro…

  • Malba Tahan

    Sou bombeiro militar há 20 anos no Ceará e por aqui a coisa não é diferente. Os comandantes tratam a instituição, pública, como se fosse privada. Teve um aqui que em 19 vagas para o curso de habilitação de oficiais, colocou 16 amigos seus (praças), amigos não, digo, seus pintores, mecânicos, eletricistas, enfim, capachos. Fora isso, os oficiais, digo, pseudo-deuses, são são os que menos trabalham e os que mais cobram das praças. Somando-se a esse desmando e prepotência, ainda tem o salário, muito baixo. Enfim, só fica na carreira militar quem precisa mesmo!

  • MARCO PAULO

    O Governo trata os militares de forma muito desrespeitosa. Estou indo para reserva. Nasci em 1964 e entrei para o Exército, por concurso público, em 1986, depois do fim do Regime(ditadura). Pergunto ao GOVERNO PETISTA:1) Qual foi a minha participação em 1964? ( eu era um menino de meses);Será que somos marcados para sempre? Vou para Reserva sem ter feito nada que eu tenha vergonha ou que seja caso de polícia. O Governo precisa da expressão ” mais “. Mais Médicos,Mais investimentos, MAIS REVANCHISMO e menos cuidado com a DEFESA DO BRASIL.

  • MARA DUTRA

    Não desanimem valorosos soldados das FORÇAS ARMADAS.”Não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se acabe”. Esse governo passara, mas as FORÇAS ARMADAS são permanentes na NAÇÃO BRASILEIRA.
    O BRASIL PRECISA DE VCS, QUE SÃO OS GUARDIÕES DA NAÇÃO. O Brasil é maior que tudo isso.
    MARA DUTRA.

  • Santana*100

    Setti, Esta matéria foi e voltou várias vezes!
    – Será por quê?

    Não, eu apenas a republiquei uma só vez. Pelo alto grau de interesse que despertou.
    Abrs

  • Hermes fernandes de oliveira

    Com a Dilma no governo, será sempre pior, um pais ´só é soberano de verdade , com forças armadas forte ; exemplos , o Iran Israel e a Coreia sempre foram odiados mais nunca tentaram invadir e oprimir, vejam o exemplo dos fracos , Iraque, Libia e a vizinha Argentina, expulsa das Malvinas no quintal de casa , pela Inglaterra que esta a mais de 10 mil quilômetros.

  • Carlos

    Parabéns Dilma !!! Por acabar com as forças Armadas…VC é Uma VERGONHA para o BRASIL !!! Além de financiar a ditadura de Cuba ,destrói o próprio pais…

  • Sociedade

    A sociedade paga impostos altíssimos para que oficiais generais usem soldados e taifeiros como secretarias do lar para dar conforto a suas esposas. Enquanto a lei dos militares não forem atualizadas viveremos militares de baixa graduação sempre serão utilizados (pagos com dineiro público) como fantoches para aumentar ainda mais o ego de generais.

  • Domingos Teixeira

    Sou Sgt.RR Quando a FAB criou o quadro feminino admitiu varias mulheres na graduação de Cabo,após alguns meses alegando não haver instalações adequadas para mulheres nesta graduação criou uma lei que as promoveu a Sgt. passando as na frente de vários Cabos homens que já estavam na carreira quebrando os princípios de hierarquia,hoje todas elas são Suboficiais e como consolo criou para os Cabos homens O QESA nos promovendo a Sgt. e nos deixando estagnados neste posto,e agora desengavetaram uma lei que promove os Taifeiros ao posto de Suboficial ao passarem para reserva o que eu acho merecido pois depois de passarem mais de 30 anos servindo a Força pelo menos um salario um pouco melhor eles merecem e nos também. Ainda tem os direitos que nos tiraram por conta de uma lei crida no Governo FHC que acabou com o posto acima quando da passagem para a reserva,nos tirou o Anuênio , Licença especial e o salario Família. Isto tudo faz com que eu e meus pares nos sintamos desprestigiados pela Força Aérea tão desumana com seus servidores militares.Já passou da hora de se corrigir isto,Srs. Comandante aproveitem a criação do Ministério da Defesa e Estabeleçam a Hierarquia em quanto há tempo.Igualdade na 3 Forças e o que nos militares queremos.Domingos Sávio Vígil Teixeira Sgt. R/R FAB

  • EX MILITAR

    Caro, seu comentário está todo escrito em maiúsculas, o que não é admitido pelas regras do blog para publicação da opinião dos leitores.
    Se quiser, leia as regras no link http://goo.gl/u3JHm

  • ANTONIO CORREA

    Nós militares do invencível Exército de Caxias , andamos mendigando a atenção do Executivo.Nós militares das Forças Armadas e Auxiliares e familiares, representamos mais de 5 milhões de votos , 2014 está aí , façamos como eles, vamos barganhar ….

  • EDSON

    Pior é a situação dos Engenheiros Militares que ganha MUITO menos que os engenheiros civis que trabalham nos Centros de pesquisas das forças Armadas e alguns casos menos que os níveis médios.

  • Anderson

    Informação para que o povo saiba tão mal remunerado são os militares Brasileiro!
    Vamos pegar como base o Sargento ok!
    os militares reclamam que trabalham muito e ganham pouco demais e falam muito do soldo ( todas as gratificações são calculadas pelo soldo aumentando o soldo se aumenta tudo no salario militar)outro detalhe não falam em salario bruto só no liquido.
    falam no salario inicial de carreira mas não falam que com 30 anos de carreira aposentando como tenente seu salário integral fica de R$10MIL A R$12 MIL REAIS variando pelos cursos que tenha o militar , podendo ainda aposentar como capitão que daria uma diferença maior .Realmente como dizem os militares Brasileiros estão mendigando!!!!! Toda unanimidade é burra!

  • Manoel

    Prezado Setti,
    Como tantas opiniões e um assunto relevante para a sociedade e o país,seria interessante que a revista Veja fizesse uma matéria.

    Sim, vou sugeri-la à redação da revista.
    Obrigado, caro Manoel.
    Um abraço

  • Isaac Barbosa de Sousa

    faz parte da agenda governamental este sucateamento das forças armadas como temos visto (A População já foi desarmada)… estamos perto de um golpe do governo para nos transformar numa “democracia” bolivariana… a pergunta é… QUEM PODERÁ NOS DEFENDER????

  • Sebastião

    Anderson, acho que você está confundindo a PM do DF com as FFAA. Lá na PM do DF um tenente se aposenta com 10.000 ou 12.000 de salário, mas nas FFAA não passa de 6.000 brutos e olhe lá.

  • Márcio

    Meu caro Anderson…

    Não sei em quais Forças Armadas ou em qual País, um militar(Sargento) ao se aposentar após 30 anos de serviço ganha entre R$ 10.000,00 e R$ 12.000,00??? só se for no seu País!

    Vamos pegar como base o Sgt ok?
    Hoje sou 2º Sgt do Exército, com 16 anos de serviço( 02 pela Força Aérea e 14 pelo Exército) tive minha formação pelo Exército como 3º Sgt na área Adm e Logística, tenho curso de Aperfeiçoamento também na mesma área.
    Hoje 14 anos de Exército, tive apenas 01 promoção, e meu salário corresponde a 05 salários mínimos, enquanto que em 2000 (qdo me formei 3º Sgt ) recebia o equivalente a 07 salários mínimos.
    Isto se chama defasagem no seu País? no meu sim! Isso se chama desvalorização e desprestígio no seu País? no meu sim!

    Escolhi a carreira militar por vocação na época, e confesso que meu desapontamento hoje com nossa carreira é grande! Tenho esposa, 02 filhos… e se não tivesse uma renda extra, nossa situação estaria um pouco complicada.
    É claro que existem pessoas que ganham menos e muito menos por aí e sobrevivem… mas a questão em debate não é essa, e sim o desprestígio e defasagem do nosso salário.
    Estudei muito na época do concurso para Sgt do Exército o qual era concorridíssimo, passei em 2º lugar da minha região, em um concurso nacional em torno de 130 mil candidatos. O concurso para a Escola de Sgt de 2012 por exemplo teve apenas 9 mil inscritos!
    Será que isto mostra alguma coisa???

    E estou vendo muitos, mas muitos colegas de farda, profissionais altamente competentes, pulando fora. Estudando para outros concurso públicos, em busca de um melhor salário e reconhecimento profissional.

    E só para concluir sua informação: Um Sgt do Exército, ao se aposentar como oficial (tenente) com mais de 30 anos de serviço, vai para a reserva ganhando em torno de R$ 6.000,00.

  • Hélio Carlos Corrêa

    Fui Fuzileiro Naval, nunca vi tanto oficial (de carreira, leia Escola Naval) arrogante e prepotente junto, burros, mal intencionados e, acima de tudo, COVARDES. EU VI, ninguém me contou, eu estive lá. Ficam aí roncando grosso e arrotando patriotada e não têm nem comida para a tropa, nem munição e nem combustível. Meu filho serviu ao Exército em 2012, muitas vezes levantava cinco horas da manhã para ir ao quartel e voltava 11:30 dizendo que tinham mandado embora mais cedo para poupar comida; no treinamento básico deu 5 (isso aí, CINCO) tiros com munição real e foi considerado apto como atirador… NUNCA foi para uma manobra, só lavava banheiro, cortava grama, pintava o quartel e tirava serviço (uma vez a cada quatro dias); os tais Leopard que o Exército ronca grosso dizendo que é o poderoso e coisa e tal é pura ferrugem e sucata que os alemães não queriam mais. Não há condição nenhuma para “defender” a pátria (???). O governo já desarmou os cidadãos, agora está desmantelando as FFAA para dar o golpe e fazer o brasil virar uma venezuela misturada com cuba, basta ver os planos de poder, NÃO DE GOVERNO, dos petralhas. Oficiais burros e mal formados, sem comida e munição… OS oficiais generais não estão nem aí para a situação. A FAB têm os melhores pilotos do mundo… para transportar as “otoridade”. Quando eu estava no Fuzileiros Navais (na época do Itamar) li um estudo interno da força que dizia -naquela época- que só os aviões de combate de UM ÚNICO porta aviões americano dão conta de TODA a FAB, então imaginem o resto. Quando eles quiserem o petróleo de pré sal virão buscar e pronto… fim de papo.

  • Hélio Carlos Corrêa

    A arma que eu usava em serviço, uma pistola Beretta 9 mm tinha o cano solto, frouxo; em vário adestramentos a que fui, como Guarda Marinha, tinha de “dar o tiro” com a boca, bang, bang ou ratátátátátátá… parece piada, mas NÃO É, nem festim havia, muitas vezes, para poder simular um combate.

  • Anderson

    Caro senhor Marcio!
    Agradeço o seu comentário só que como falei, volto a afirmar que o militar do meu Pais (Brasil)no caso entrando como sargento e aposentando após
    30 anos de serviço como primeiro tenente recebe o que disse anteriormente. Senhor tenho um conhecido que é primeiro tenente das forças armadas do (Brasil) com quase 30 anos de serviço e próximo a se aposentar o mesmo me mostrou seu contra cheque (que por sinal gosta de exibi-lo aos quatro cantos) com salario bruto de mais de R$ 10.500,00 pelo que entendi se ele se aposentar ele vai ganhar R$ 6.000,00, o quanto a ter passado por mérito na prova de sargento lhe dou os parabéns e digo que é de louvar seu feito.
    Senhor pode até parece mais o povo não é burro!
    Portal da transparência

  • Almeida

    sargento do Exército O. J. Rsrs

    Nao sou filho de militar e ninguem importante, fui aluno cpor, fui engajado nas forças armadas, meu 1 ano como 2 tenente, e eu vejo que meu modo de liderança em campo esta boa, poucas vezes necessito de um sargento para me auxiliar no que fazer, tomo minhas decissoes e meu sargento comunica, nao sou grosso, nao sou estupido, trato meu pessoal com respeito, mais existe a maioria dos cpor que n prestam e nao sabem desmontar sua propria pistola..

    Se eu entrei como cpor e fui engajado para servir mais alguns anos foi por merecimento e pq lutei, ninguem me ajudou, nenhum oficial, ninguem…

    Sobre o resto da materia, n opinarei, apenas achei uma m… isso que esse sgt disse, nao quer receber ordens? Vire oficial, e msm assim recebera ordens de superiores, e inves de criticar o oficial temporario, ajude seu irmao de arma, vcs estao no mesmo time.

    Abraços. 2 Tenente Almeida

  • 2 tenente elder

    sou ex militar do exercito e passei por dois batalhoes o ultimo em salvador na bahia o 19bc e afirmo com toda certeza que as forças armadas sao hoje uma instituiçao falida . nao me arrependo teter dado baixa em 2006 para abrir meu propio negoçio tenho certeza que se la eu estivesse estaria marcando passos . e para que .para simplesmente massificar toda essa mistica aparencia para a visao de comandantes e oficiais do alto escalao hoje estou afirmado no ramo de imoveis e meu soldo garanto esta bem açima dos de ofiçiais generais

  • Manoel

    Prezado Setti,

    A revista Veja pretende fazer uma matéria sobre as Forças Armadas?

    Um abraço,
    Manoel

    Eu sugeri o tema ao diretor de Redação. Espero que, sim, que seja feita.
    Abraço

  • Sérgio

    Primeiramente gostaria de lhe agradecer e parabenizar pela matéria! Como muitos aqui também sou ex militar do exercito e mediante as inúmeras atrocidades dos últimos governos, abandonei minha carreira no ano de 2009 para ingressar em uma universidade e tentar uma nova vida! o grande problema é que até hoje pagamos uma conta de um revanchismo do regime militar! Somos tratados como escória da sociedade. Temo mais a cada dia o futuro das forças armadas, assim como o de nosso país! Isso me doí muito ainda, pois tenho um enorme orgulho de ter feito parte desta instituição do qual fui por diversas circunstâncias ter de abandoná-la.

  • WBL - Exercito

    A realidade do EB é que além de não conseguirmos dar assistência a nossas famílias em sentido geral, 24 horas tendo que estar a disposição da força, não reconhecimento do trabalho.. é a desvalorização da pessoa. Nós do Exército (Forças Armadas, em geral) não recebemos salários, recebemos um soldo ultrapassado que não dá pra passar fome, mas você não consegue comer, morar ou se quer ter um lazer digno pra você e sua família. O Exército é COMPLETAMENTE DESVALORIZADO E DESRESPEITADO. Temos que baixar a cabeça e dizer sim pra tudo que os “oficiais” dizem, e pronto. Nós “praças”, não temos se quer o direito de sermos felizes, pois se alguém ver, é capaz de fazer de tudo pra nos derrubarmos.

  • Rocio Macedo Pinto

    Outro motivo de decepções com a caserna é a desobediência à legalidade de atos administrativos. Exemplo próprio e de que ingressando em 1980 na FAB, sofri em 1992 acidente em serviço que me incapacitou definitivamente para o serviço militar. Aguardei até 1994 pela reforma como previsto no art. 106 da L.6.880/80. Fui licenciado em 1995 incapacitado e até a presente data aguardo por resposta aos requerimentos administrativos que possam reconhecer este direito a cidadão que confia, ainda, na Instituição. Ministério da Defesa, aguardo por este direito!!!

  • Rocio Macedo Pinto

    Prezado(a),

    Saudações.

    Sugestão de reportagem recorrendo a este meio de comunicação nacional pois acredito que, mais uma vez, é por meio da imprensa nacional que chega-se as soluções clamadas pela voz da população:

    Peço à vossa senhoria que, se possível, fizessem uma reportagem investigativa sobre algo que acontece anualmente com os brasileiros que prestam a constitucional obrigação militar quando, após cumprir o período obrigatório do serviço militar, são licenciados com diversos problemas de saúde (mental e física) para compor a reserva das forças armadas mesmo na condição de incapacitados ou inválidos.

    Vê-se que legalmente (Lei do Serviço Militar, Regulamento da Lei do Serviço Militar e Estatuto dos Militares) estes jovens nunca poderiam ser licenciados enquanto perdurasse a doença, no entanto, as forças armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica) tem “fechado os olhos”, burlando a norma castrense quando licencia o militar doente (incapaz/inválido).

    A correta atitude normativa castrense mencionada obriga que este jovem permaneça na condição de adido/agregado até o completo restabelecimento, no entanto, as forças armadas só tem reconhecido esta condição por meio de ordem judicial federal/estadual.

    Em outros casos, mais severos, as forças armadas não tem reconhecido ao pagamento da pensão militar, à familiares, quando o ex-militar vem a óbito durante a prestação do serviço militar.

    Várias famílias tem padecido em receber seus filhos mutilados, decorrentes de acidentes em serviço quando da prestação do serviço militar, sem direito algum.

    São diversas as familias brasileiras que sofrem, onde a única fonte de renda não pode ser mais um ex-militar mutilado, que não tendo a quem recorrer, por motivos sócio-econômicos, tem tido seus requerimentos administrativos, com pedido de reintegração para tratamento médico do filho doente, indeferido/negados pelas forças armadas.

    Prezado(a), tais demandas judiciais (Justiça Estadual, Tribunais Estaduais, Justiça Federal, Tribunais Federais, STJ e STF) tem levado muitos anos e, ainda, sem a vítima (ex-militar) ter acesso a qualquer e legal tratamento médico-medicamentoso fazendo com que a doença seja irreversível ao longo dos anos tornando-o inválido.

    A solução seria as forças armadas, por meio do Ministério da Defesa (Poder Executivo) obedecessem ex-offício os próprios regulamentos referentes ao reconhecimento da adição/agregação de militar doente até o completo restabelecimento e é, por este motivo, que me socorro a este consagrado meio de comunicação para que este vergonhoso assunto seja exposto nacionalmente e, decorrente, sejam tomadas as corretas e devidas providencias pelo Poder Executivo Federal (Forças Armadas), Estadual (Policia Militar) e pelo Ministério da Defesa.

    Em contra partida, a esta omissão das forças armadas, é o Estado que paga em triplo quando a ação judicial é deferida em favor do ex-militar que pede pela reintegração, como adido/agregado, para obtenção do tratamento médico-medicamentoso até o completo restabelecimento, pois, em diversos casos a decorrente ação por perdas de danos morais e materiais chega a valores pecuniários superiores aos valores do tratamento necessário ministrado por conta da União Federal.

    As Defensorias Públicas e mesmo o Ministério Público não tem tido capacidade, estrutura e mesmo condições para fazer frente a grande número de demandas de mesma natureza e, decorrente a esta situação, vários jovens tem sido devolvidos aos seus familires em condições de saúde desfavoráveis e sem condições de econômicas para a obtenção de tratamento médico.

    Caso vossa senhoria acolha por esta sugestão de reportagem estarei à vossa completa disposição para o fornecimentos de leis castrenses e dados referentes para comprovar esta vergonhosa situação.

    Lembro, ainda, que quando trata-se de militar de carreira (mais de 10 anos de serviço) as forças armadas tem obedecido, na maioria dos casos, a legislação castrense, no entanto, quando trata-se de militar temporário (recruta ou quem esteja com menos de 10 anos) esta mesmas forças armadas tem licenciado ilegalmente este cidadão brasileiro com problemas de saúde.

    Espero ter sido claro nesta exposição, pois este assunto me tem tirado o sono uma vez que meu filho, após a obrigação militar, foi-me devolvido manco de uma das pernas, vítima de acidente em serviço, mesmo recorrendo administrativamente à Base Aérea de Campo Grande/MS (Comando da Aeronáutica) para que ele fosse reintegrado na condição de adido e agregado e, assim, obter o tratamento cirurgico necessário ao seu completo restabelecimento.

    Em uma época em que as Forças Armadas estão no Haiti para prestar ajuda humanitária em um país estrageiro; que presta, tambem, serviços de saúde a várias comunidade brasileiras por meio de mutirões de saúde; fica estranha que estas mesmas Forças Armadas deixem de assistir seus soldados com problemas e saúde e, ainda, ilegalmente o licenciem sem direito a nada até mesmo direito à Dignidade da Pessoa Humana.

  • Luceny (esposa de sargento)

    Parabéns pela publicação…emocionante os depoimentos ou posso dizer os desabafos desses militares. Meu esposo é 2º sargento do exército (17 anos de serviço prestados), militar exemplar, competente em tudo que realizava, não falo isso por mim e sim pelo reconhecimento dos companheiros.Com muito esforço estudou engenharia elétrica por conta própria, mesmo não recebendo qualquer incentivo dos seus superiores…praça não é pago para pensar, diziam! Atualmente está fora da Força…o Exército prefere realizar seleção de civis (de nível superior) para compor seu quadro ao promover um militar que buscou formação e muitas vezes já realiza o trabalho dentro da Força. Enfim, sei e conheço militares muito competentes e que a Força não valoriza…é fato!!

  • Sergio Mello - MB

    É triste ver o caos em que nos encontramos. As três forças estão sucateadas, tanto pessoal quanto material. Achatamento salarial é nítido, fui pra reserva este ano e recebi menos que o porteiro de meu prédio, para se ter uma ideia só de FGTS ele tem quase 25mil, jogaram aquela esmola de acerto de contas no meu BP, e o leão mordeu 3mil Reais. As forças armadas não estão renovando, os baixos salários não atrai os jovens para carreira militar, para suprir esta deficiência estão contratando os militares da reserva com (TTC)Tarefa por Tempo Certo pagando 1/3 do que ganhava na ativa, isso é uma vergonha um Subtentente continua executando a mesma da ativa e ganhando com Marinheiro 1ªclasse, esta situação é muito cômoda para o Comando, que não se interessa em brigar por melhorias salariais. VIDE NOSSO 28%, E FAMIGERADA LEI DE REMUNERAÇÃO QUE JOGARAM NOSSO DIREITO ADQUIRIDO NO LIXO. É MUITO TRISTE.

  • Borba

    Servi como soldado dois anos na artilharia divisionária, BC AD/6 em São Leopoldo que fica nas instalações do 16°GAC AP,não tenho duvidas de que a força esta falida o grupo usa fuzis enferrujados e equipamentos sucateados,os obuseiros que dizem ser os mais poderosos do EB são da guerra do Golfo de 1990.
    Em 2004 no campo da Artilharia dos 10 carros de combate somente dois estavam em condições de fazer o exercicio sendo que o que atirava não andava e o que andava não atirava,presenciei inumeras situações de humilhação para com os praças cabos,sargentos,inclusive eu tive que baixar a cabeça varias vezes.
    Como eu era temporario não pensei duas vezes para pedir baixa e me profissionalisar no mercado de trabalho,tenho muito orgulho de ter servido na Artilharia mas a condição atual da força me decepsiona,esta na hora de mudar.

  • Emerson

    Se uma familia, está com o seu orçamento comprometido todos os meses, algo acontece, ou seja, aparece uma gravidez não programada, a situação vai piorar. É o que está acontecendo com a nossa Força Armada. O Governo, na atual conjuntura, não consegue manter o que tem. O Ministério da Defesa, quer aumentar o seu efetivo até o ano 2025. Ou seja, o governo quer ter mais alguns filhos nas forças armadas, onde, na atualidade não consegue nem sustentar o que tem dentro de casa. Em 1994,participei, de uma palestra de um Brigadeiro, sobre o tal projeto FX, não foi na época do FHC, e sim, na presidência do ITAMAR FRANCO, já se comentava, na aquisições de certas aeronves para a FAB. Já se passaram quatro presidentes no Brasil e no próxima ano, vai completar 20 anos sem a tal aquisição. E hoje os Generais, em palestras, falam em remodernização das forças armadas até o ano 2025. Vou dar a minha opinião, sem demagogia, a tal remodernização vai até 2035, se não houver cortes no orçamento (impossivel). Vou parar por aqui, por que eu tenho muito o que falar, principalmente, nos PNR (PROPRIOS NACIONAL RESIDENCIAL), instalações para alojamentos, etc…

  • Rômulo

    Não publico insultos ou xingamentos. Critique civilizadamente, por favor.

  • Marcos

    A situação é muito mais séria do que se pensa. As forças armadas, se hoje fossem obrigadas a guerrear contra as polícias militares, não aguentariam o tranco. É um pilar quebrado nas bases o ordenamento jurídico brasileiro. Sua lei de remuneração já sofreu mais de 600 emendas(fonte:http://www.militar.com.br/blog13251-LEI-DE-REMUNERA%C3%87%C3%83O-DOS-MILITARES#.UpYpQieBGCk). Disparado, é a profissão que deveria ter a melhor remuneração no serviço público, pela sua função constitucional.

  • Jose Andre

    É uma pena isto que acontece com as Forças.
    Eu, hoje, infelizmente, dou Graças a Deus de não ter entrado. Tentei passar para a Marinha e o Exercito mas não consegui por causa da idade na epoca. Hoje olhando conhecidos de farda vejo que nada é por acaso…que Deus sabia o que era melhor desde o principio. Baixos salarios, trabalhando com gente despreparada acima e abaixo de você e por ai vai… Realmente … melhor abrir um negocio ou fazer um outro concurso.

  • joão batista

    sou primeiro sg da reserva da marinha, o que ocorre e que nos dias atuais não se valoriza os militares das forças e amadas armas, em defesa do nosso glorioso pais chamado Brasil varonil, o quem dera as autoridades saberem o real valor destas forças, porque quando não se fala em guerra e sinal que tem paz e isso e o que todo ser humano quer a tão sonhada paz, e nisso quero dizer que nos militares queremos que o Brasil nos ame pelo menos a metade do que amamos esta pátria mãe gentil, sem querer falar demais, espero que tudo que falei expresse a nossa indignação pelos nossos comandantes e autoridades, quero so dizer acorda todas as autoridades, para não chorar depois, pois os países externos estão se armando a cada dia e falta recursos naturais na humanidade e precisamos fortalecer as forças armadas, obrigado meus irmãos de armas e brasileiros de toda mistura de raça, batalhadores pela vida.

  • André Teixeira

    Isso só prova, que nós brasileiros, não sabemos votar e nem protestar, pois existem problemas hoje tão ou mais graves que esse, que arriscam nossa soberania, um exemplo é a compra de votos dos nossos políticos, como o mensalão foi feito por pessoas que vivem aqui, poderia ter sido feito por estrangeiros com interesses aqui, se isso já não estiver acontecendo.

  • sd do exercito JB

    o exercito é para oficial nao e para os praças.

  • Joselito

    Existe muitas coisas erradas nas Forças Armadas e aqui vou falar do Exército porque nela passei mais tempo. Antes do Exército fui da Aeronáutica e a corrupção existe e muitos militares são encobertos nesses casos. Atualmente a oferta para concursos e melhor do que há vinte anos atrás eem 2010 passei num concurso que me dava mais condições de crescimento do o Exército. Infelizmente a corrupção tomou conta demais desta instituição.

  • luiz

    Luiz STen do Exercito
    Com mais de 30 anos de serviço me sinto desvalorizado, desmotivado, pelo descaso com as promoções, fazem o que querem, inclusive promover a oficial do QAO um militar que trabalha nos tapetes perfumados de Brasilia com duas prisões e dois detimentos e o mais revoltante, punições sem condições de cancelamento, instituição com integrantes preocupados somente com pontuação, pontuação que cresce mais a cada QA, o que gera muita injustiça, instituição que não valoriza quem tem mais tempo de serviço, um dos pilares está sendo abalado ¨Hierarquia¨

  • joão rosendo da silva

    Qualquer militar das Forças Armadas que votar na Dilma é porque realmente gosta de sofrer. Foi o pior governo de todos os tempos para os militares. No Ceará, um soldado da Polícia Militar ganha quase igual a um sargento das Forças Armadas, o que é um absurdo. Durante seus três anos de enganação o único reajuste que tivemos foi de aproximadamente 10% e nenhum aumento. Digam não para os governantes do PT e parabéns para o Ministro JOAQUIM BARBOSA, se não fosse ele os cuequeiros, (dólar nas cueca, mensaleiros e os marginais da cachoeira estariam todos livres.

  • gelson alex dos santos lucrecio

    sou um ex-militar das forças armada servi durante 8 anos e 11 meses. um certo dia cheguei na enfermaria da minha om para me tratar de uma apendisciti suporada. o medico que estava de plantão naquele dia me falou que aquilo não era nada me mandou para minha casa nem se quer me medicou e mais falou que era uma simples intoxicação alimentar. resumindo a convença passei por 8 cirurgia ficando internado por 7 meses em um hospital.depois disto me desencorporarão alegando que eu não estaria mais apto para o serviço militar. sai sem direito a nada. os mesmo alegam que durante esses meses que eu fiquei adido, o exercito ja teria me pago por todo o tempo de serviço que eu prestei as forças armada. hoje não posso trabalhar em serviço que exija muito esforço fisico pois fiquei impossibilitado de erguer muito peso. é meus amigo foi isto que aconteceu comigo durante a minha prestação de serviço militar, e de 285 soldados que incorporam em 2001 eu fui o terceiro soldado daquele ano a engajar na minha frente somente um motorista e um soldador.fui um militar exemplar por este motivo fui por 3 vezes o melhor soldado da minha OM.

  • Marujo

    Senhores leitores. Antes de refletir sobre nossos baixos rendimentos, que realmente é uma vergonha, gostaria de chamar a atenção da nossa jornada de trabalho. Quero dizer… nós temos jornada de trabalho??? Nós trabalhamos de segunda a sexta e ainda concorremos a uma escala de serviço desumana. Em dois dias de serviço já somamos 48 horas de trabalho… e continuamos trabalhando a semana toda.

  • Sgt EB

    Engraçado é ver um General a poucos dias, falando no Batalhão que eles sabem da situação mas não podem fazer nada. Claro que podem, diminuam interstício, auxilio moradia, 20% para quem morar em capitais, ao invés de construir Campos de Parada como foram construidos em Curitiba, construção de PNR para praças. Afinal gastar 6 milhoes em um Campo de paradam um Elefante Branco, é sacanagem!

  • Sgt raso

    A verdade é que as FA estão a mingua. Os políticos nada fazem, porque não interessa e os militares de alta patente não se preocupam, porque não querem se “queimar” e perderem alguma boquinha ao passarem para a reserva. Sou Sgt do EB e vejo isso bem nítido.

  • Militia

    Sou militar do Exército, vou completar 27 anos no ano que vem. E o que vejo são oficiais brincando de serem oficiais, graduados desmotivados e sem perspectiva, material sucateado, instalações nos quartéis caindo, falta de munição e alimentos.
    dou como exemplo, meu quartel, onde o comandante está mais preocupado em passar o comando do que comandar, um comandante que utiliza o “poder discricionário” dele para adiantar o início do expediente e atrasar o seu término.
    Um comandante que vê o telhado de uma companhia estar cheio de goteiras e quase caindo em cima de seus homens, mas que prefere fazer palanque, ou então trocar janela do rancho, detalhe as janelas antigas tinham sido trocadas a menos de 4 anos.
    Mas essa é a máxima, eles, oficiais superiores, vivem em outro mundo, diferentemente do restante da tropa, mas o importante é saber e difundir, que eles estão preocupados com o que acontece na caserna. Afinal eles figem que comandam e nós fingimos que somos comandados.

  • SANDRO

    Só há uma solução para o Exército…
    Sair dele!
    É uma instituição hipócrita que esta aí simplesmente para satisfazer os caprichos pessoais de Oficiais. Quem esta dentro do sistema sabe disso, os Oficiais, principalmente aqueles do alto escalão estão pouco se lixando para a sociedade e muito menos para os integrantes da força. Operação FORA DO EXÉRCITO desencadeada. Em breve terei a honra de queimar essa farda que tanto nos explora.

  • Lauro Portela

    Deixe de ser paranoico. Não publicarei seu comentário, é ofensivo.

  • ANTONIO BARATA

    O militar é o único servidor público, que jura defender a nação com o sacrifício da própria vida. O militar é o único servidor público que não se aposenta, é transferido para a Reserva Remunerada, ou seja, pode rá ser chamado, ou, convocado a qualquer tempo e, ainda é regulado pelos Regulamentos Disciplinares, pode ainda ser punido.

  • Sgt Pedroso

    Guerra é Guerra.

  • sebastiao diniz

    Os militares foram enterrados vivos por eles próprios. Dizer que a Constituição de 88 trouxe azares a classe é afastar o desprezo que devem merecer os militares de comando de outrora.
    Eles deixaram pela humildade o destino da categoria militar nas mãos dos inimigos, pois, desde então a dignidade militar vem caminhando muito abaixo da critica.
    Nós militares somos tapados, não exergamos um milímetros a frente de nossos narizes, não percebemos a maldade produzida pelos petistas que tornaram a profissão militar um lixo.
    Observem que as forças armadass tornaram-se um lixão irreparável, sem solução.
    O valor do homem militar, então, despedaçou numa avalanche de ódio.
    Ressalta que o amor a profissão se tornou uma insatisfação permanente, mesmo renovada toda a estrutura hierárquica através dos anos, não conseguiu eliminar o estigma do ódio petista.
    A própria Constituição Federal de 88 criou duas categorias de brasileiros > cidadãos e semi-cidações, estes últimos trata-se da categoria dos militares. Pois, não podem arguir seus direitos, tampouco reinvidicar.

    O DESTINO DOS MILITARES, DAQUI, PARA FRENTE, É APENAS SO
    FRER, DEVIDO SUAS PROPRIAS INCOMPETENCIAS E BAIXO QI.

  • SG David

    Os militares da Marinha vivem como em uma SOCIEDADE DE CASTAS da índia: Os oficiais agem como se fossem “Brâmanes” e tratam os praças como se estes fossem “Dálits”. Na praça d’armas (refeitório dos oficiais), por exemplo, nós praças (dálits) só podemos entrar para limpar.
    Os oficiais da Marinha são conhecidos, até pelos oficiais do EB e FAB, como “os príncipes”. O que nos leva a comparar a Marinha como sendo uma MONARQUIA, os praças, claro, são os plebeus. Os almirantes são os “reis”. Tudo que eles dizem ou mandam é cumprido sem questionamento. Isso seria bom se não houvesse tantas ordem absurdas.
    A “Tradição Naval” só serve para manter os privilégios dos oficiais. Cada oficial em um cargo de comando médio tem a sua disposição um “staf” (motorista, cozinheiro, arrumador, escrevente), um carro oficial, mesmo que sua casa fique a poucos quilômetros do quartel. Tudo pago com dinheiro público.
    Os oficiais RM2 são a mais nova fonte de descontentamento entre os praças. A maioria dos oficiais RM2 são parentes de outros oficiais (filhos, esposas etc.). NEPOTISMO PURO e de fácil comprovação. Eles são geralmente péssimos como profissionais e piores ainda como militares.
    As movimentação entre estados do país é um grande ralo para o dinheiro público. Os oficias (brâmanes, príncipes) enchem o bolso a cada dois anos. Um oficial superior não ganha menos que 50 mil reais por movimentação e aonde chega tem PNR (imóvel). Imagina isso multiplicado por milhares de oficias que se movimentam todo ano, pra lá e pra cá. Nós praças, só de 5 em 5 anos e olhe lá.
    Juntem tudo isso e imaginem o grau de insatisfação das praças da nossa querida Marinha.

  • 3º Sgt Art Cleber

    “…ser audaz, ser vibrador, ai que coisa linda, todos têm que dar valor!” – parte de uma canção [hipócrita] de TFM.

    Aqui não falo em nome da força nem uso qualquer outra forma de pronunciamento além do que me garantem a CF88 e/ou Código Civil. Bem, papire, não perca tempo. Vamos procurar uma forma de termos tempo, remuneração e carreira.

  • CC Carlos Cintra

    Eu quando capitão-de-corveta fiz um concurso publico e passei para ganhar, inicialmente,no Judiciário, 3 vezes do que ganhava.
    Uma idéia: se o governo cortasse os três exércitos de filhas de militares que recebem pensão, dava para pelos menos dobrar a remuneração.Como não dá para cortar simplesmente (direito adquirido) bastava aumentar o imposto de renda incidente sobre as pensões das filhas e, por favor, acabar já como esse desconto de 1,5% para o futuro.
    Impedindo novas “pensionistas/filhas” da para fazer uma boa economia anual e escalonar um aumento de pelos 5% ao ano até chegar a 100%. Simples.

    O então presidente Fernando Henrique Cardoso, já em seu primeiro mandato, teve a coragem de enviar projeto de lei ao Congresso e defendê-lo — foi aprovado e virou lei — acabando com essa barbaridade que nem sequer países 20 vezes mais ricos do que o Brasil podem se dar ao luxo de manter.
    Mas, como bem diz você, ainda há muitos milhares de casos de pessoas com direito adquirido em relação às quais nada se pode fazer. Creio que até mesmo a providência com respeito ao I. R. que você menciona poderia ser adotada, por configurar, aos olhos da nossa infinitamente generosa legislação, “discriminação” em relação a essas pessoas.
    O Tesouro só vai ficar liberado desse gasto imoral quando a última das filhas teoricamente “solteiras” de militares beneficiadas morrer, sabe Deus quando.

  • marechal rondon

    Seu comentário era desrespeitoso com a pessoa da presidente da República e por isso não será publicado. Criticar é uma coisa. Depreciar, ofender e insultar, outra — bem diferente.

  • Fiel

    Então o elemento batalha num concurso público disputadíssimo e entra para uma das três únicas Forças Armadas do Brasil. Assim como leu a matéria da prova, deve ter lido o Edital e se informado sobre a profissão. Mesmo assim, depois que está dentro começa a reclamar. Dos horários das movimentações, da dedicação exclusiva, da hierarquia e da disciplina, dos regulamentos e por aí vai. Chamam os seus chefas de autoritários e incompetentes da mesma forma que jovens acham seus pais uns tacanhos ultrapassados. Renegam a experiência. Não reclamam do que tem de bom como a a estabilidade e ter assistência médica integral garantida para si e para seus dependentes a preço de custo só do material e ainda assim subsidiado, muito melhor do encontraria no SUS e muito mais barato do que pagaria num plano de saúde particular. Diferenças entre os diversos níveis hierárquicos existem mesmo, mas não é nem de longe exclusividade das Forças Armadas. Cite ao menos um exemplo de organização de grande porte em que subalternos tem as mesmas regalias que os executivos, sejam eles encarregados, gerentes, diretores, vice-presidentes ou presidentes. A Praça d’Armas, assim como os chamados “Cassinos dos Oficiais” no Exército e na Aeronáutica, é privativa dos oficiais, mas cada círculo hierárquico também dispões de salas de recreio e refeitórios adequados. Este espaço jornalístico acaba sendo mau utilizado por pessoas que apenas querem reclamar, mas ao invés de reclamarem do que realmente está errado reclamam do que elas pessoalmente não gostam. Se não gostam saiam e busquem ser felizes onde preferirem. Entretanto, há muitas coisas erradas sim. E este espaço pode ser muito bem aproveitado se o moderador e o leitor souberem dar o justo valor a cada opinião. Quem nasceu na década de 60 passada e entrou para um Força Armada viu e viveu um processo de decadência militar iniciado com a passagem da faixa Presidencial ao Senhor José Sarney. Desde então os orçamentos destinados as três forças só foram reduzidos. Congelaram o aumento de efetivo das forças e foi iniciado um processo de depreciação da carreira militar. Como os militares passaram pelo poder sem pretenderem se eternizar na política, não deixaram representantes de sua categoria infiltrados em nenhum dos três poderes ou em partidos políticos para interferirem na política como seria compreensível e acontece naturalmente em vários outros países democráticos de verdade. O processo político e econômico que se seguiu rendeu aos militares isso que se vê. Salários baixos, desprestígio e tudo que se refere a militar tratado como coisa ruim para a sociedade civil. Sociedade esta que continuou e continua fornecendo a mão de obra para as carreiras militares. Ora, então quem nasceu em 1960 e entrou para uma das três Forças Armadas tem hoje 40 anos de serviço e exerce um cargo de alto escalão (se for oficial). Não participou de nada relativo ao período sob governo de militares, mas carrega e suporta o peso da revanche assistida pacificamente pela sociedade civil. Revanche desencadeada por todos os meios por aqueles que viram frustrados seus interesses de grupo menor. Curiosamente o país que teve um brilhante desenvolvimento econômico após a década de 90 continua vendo os recursos auferidos por este desenvolvimento serem tão mal administrados que não chegam onde a população mais precisa, que seria a educação e a saúde para comentar o mínimo. Na educação procura-se gerar e manter números que expressem alguma evolução e atendam requisitos que não garantem o aprendizado dos alunos. Querem apenas seres humanos de barriga cheia e que frequentem as salas de aula. Pouco importa o quanto ou o que aprendem. Escolas que eram locais de formação viraram “creches” onde se come e tem professores atuando mais como cuidadores que como professores de verdade. Aprovação por mérito e reprovação garantida para quem não estuda passou a ser visto como discriminatório. Na saúde passamos atestado de incompetência completa agora ao iniciarmos o program Mais Médicos. Não determinamos necessidades corretamente, não investimos onde era necessário e agora trazemos médicos estrangeiros para atuar em hospitais e postos de saúde caindo aos pedaços. Será que isso foi culpa dos governos militares? Trinta anos depois de iniciado o governo civil não foi possível formar médicos e construir hospitais? Vejo o caso da mesma forma em relação às estradas. Incompetente para mantê-las o Estado promove a privatização por meio de concessões e cobrança de pedágio, mas continuamos batendo recordes em arrecadação de impostos que agora ao invés de custear prioritariamente serviços básicos da população alimentam a máquina política que busca se perpetuar no poder por meio de intensa propaganda e programas assistencialistas. Realmente, com o dinheiro público sendo tão mal empregado, desviado, emprestado e doado ao estrangeiro não sobra para investir em estradas e muito menos em Forças Armadas. Porque alimentar um grupo que produz seres pensantes, unidos e que colocam o interesse da nação, do qual o povo faz parte, acima dos seus interesses pessoais. Apresentem Generais, Almirantes ou Brigadeiros que enriqueceram a custa de seus cargos. Qual ex-Presidente militar fez fortuna pessoal? Casos menores de desvios, nem por isso menos graves, possivelmente acontecem assim como infelizmente vemos em qualquer área da sociedade brasileira. Mas, considerando as oportunidades, são quase desprezíveis. Quase porque se apura e pune aquilo que se descobre, muito mais rápido e exemplarmente do que se vê na sociedade civil. A carreira militar e as Forças Armadas estão sucateadas, mal aparelhadas e desprestigiadas por má administração continuada dos governantes e por interesses políticos execráveis. Talvez os Chefes Militares pudessem ter feito algo diferente ou mais incisivo, mas como isso viria a ser passado para a sociedade? Será que o resultado de ações mais incisivas seria mesmo o resultado pretendido ou só se alimentaria ainda mais o monstro do revanchismo? A gestão de pessoal é mesmo muito ruim, trata-se a todos da mesma maneira. Um engenheiro competentíssimo ganha o mesmo que um engenheiro incompetente e o mesmo que um médico ou oficial de carreira. Neste ponto identifico uma grande prova de que regimes que pregam a igualdade plena são mesmo utópicos. Ninguém fica satisfeito quando percebe que trabalha mais para ganhar o mesmo que quem nem trabalha de verdade. Como já disse, quem não estiver satisfeito vá em frente e busque seus sonhos. Cabe às Forças Armadas melhorarem sim para atrair e manter ótimos profissionais, mas cabe ao Governo Federal a gestão adequada dos recursos que permitam o cumprimento das suas destinações constitucionais. Não adianta caçar fantasmas no passado e deixar o futuro desprotegido. Existe uma frase pregada numa escola militar que diz “Lembrai-vos da Guerra”. As ameaças hoje não estão sendo sentidas e isto em parte é fruto do bom trabalho dos militares ao longo do tempo, apesar de tudo que se queixem. Mas as consequências de deixar as portas abertas e sem proteção são irreparáveis. Ninguém que não tenha condição de manter suas conquistas pode esperar conserva-las indefinidamente. É para isso que servem o militares, para proteger o país, as conquistas dos brasileiros, sendo os primeiros a sacrificarem suas vidas, coisa que muitos outros civis vão sacrificar logo em seguida aqueles que não forem capazes de constituir e manter militares a altura das necessidade do País. Paguem mal aos professores, vocês terão professores ruins e formarão seres humanos deficientes. Paguem mal aos médicos e terão a sua saúde tão ruim quanto os salários deles. Paguem mal aos militares ou aos seus correlatos, policiais e bombeiros, e terão a segurança que merecem. Gastem bastante com festas e decoração, enquanto as favelas se expandem e as necessidades do povo são cada vez menos atendidas de verdade. Que futuro nos espera? Podemos hoje garantir que não haverá conflito armado no futuro? Não se faz um militar profissional da noite para o dia, e então quando for preciso iniciaremos o programa “Mais Militares” para defender o País usando armas ultrapassadas e munição fora da validade. Isso é muito mais sério do que parece.

  • SG David

    Concordo com o comentário de “FIEL”: As Forças Armadas têm sim bons benefícios, como muito bem ele citou. Mas dizer que quem não estiver satisfeito saia não é o certo e lembra àquela velha frase: “Brasil, ame-o ou deixe-o”. Somos militares, somos doutrinados a lutar e não desistir. Temos amor pela carreira que abraçamos, por isso pedimos melhorias. Além do mais, muito se poderia melhorar, mesmo que não haja aumento salarial, diminuindo assim a insatisfação destacada na excelente matéria ora comentada. Eis algumas propostas:
    1 – Atualização dos Regulamentos Disciplinares, para que não haja respeito à nova ordem constitucional brasileira. Na Marinha, por exemplo, um militar pode ser punido, por uma contravenção leve, tanto com um repreensão quanto com 30 dias de prisão rigorosa. Não precisa ser advogado para perceber que isso dá margem à toda sorte de injustiça e perseguições.
    2 – Melhoria das escalas de serviço. Novamente exemplifico o que acontece na MB: As escalas são muito apertadas, 2×1 ou 3×1. E quando embarcam mais militares as escalar não melhoram, pois tudo é feito para que as escalas continuem apertadas, criam-se novos postos, dobram o número de militares em determinados postos.
    3 – Aumento das vagas nos concursos internos para o oficialato. Há uma carência de oficiais, mas ao invés de aproveitar as praças de carreira, que já têm experiência militar e também formação acadêmica, prefere-se contratar oficiais RM2, sem concurso, apenas por seleção simplificada, o que dá margem para nepotismo.
    4 – Utilização dos orçamentos das Forças Armadas para para a atividade fim, sem gastos com regalias e luxos para os oficiais comandantes, por exemplo, prefere-se adquirir uma viatura nova para o comandante e deixar as viaturas de serviço e patrulha quebradas ou obsoletas. Uísque e vinho importado para uns e macarrão com salsicha para outros.
    Todo que falo aqui é do conhecimento de todos e de fácil comprovação. Mas reafirmo o amor pela farda e a esperança de ver as nossas Forças Armadas modernas, bem aparelhadas e com militares satisfeitos, principalmente no que se refere ao reconhecimento profissional (se é que nossos chefes sabem o que isso significa).

  • leandro

    Esse assunto deveria repercutir nos principais telejornais para ganhar volume na sociedade brasileira, que acha que estamos super bem, e não sabem que nem direitos básicos como FGTS E SEGURO DESEMPREGO temos direitos… que a promoção dos Sargentos da Aeronáutica são de 7 em 7 anos pra ganharem no máximo R$300,00 a mais em cada ascensão profissional… Que os poucos benefícios que a carreira trazia o Sr. Fernando Henrique Cardoso tirou como anuênio, Posto Acima e etc… enfim…pagamos pelos Militares da Ditadura, que roubaram o Brasil, sacrificaram a sociedade e deixaram este legado triste para toda a história das Forças Armadas…triste!

  • Ex-2º Sargento

    Não se iludam pois, infelizmente, a situação não vai mudar… a partir do momento em que os generais descobriram que não tinham mais nenhuma influência sobre a política envolvendo os próprios militares, trataram de resolver a parte deles… hoje se preocupam em tirar proveito do cargo para angariar vantagens financeiras, entre outras… depois que os generais descobriram o fantástico mundo das licitações, não existe quartel sem obra (sempre realizada por firmas contratadas – até pra pintar paredes tem que ter licitação!!)… as máfias estão presentes em todas as organizações militares!! aquela história de que o militar tal é um bom militar e vai ser nomeado cmt é balela… hoje somente ocupa cargo de comando quem rouba ou deixa roubar (é claro, com honrosas exceções!!). o mesmo vale para cargos como tesoureiro, aprovisionador (que geralmente é aquele 2º Ten temporário que não vai falar nada…), chefe da 4ª seção, etc… aí o cara é Tem Cel e está enchendo os burros de dinheiro de firmas, passa algum pro ChEM, pro Cmt Bda, etc… e assim vão descendo os níveis, inclusive aos sgts…
    Faça a seguinte enquete (se você é do RJ): oficial hoje só tem dinheiro pra morar no máximo no Valqueire… Se morar em Copacabana, Barra, etc, das duas, uma… ou tem berço (se é que o pai coronel também não meteu a mão) ou é ladrão!!!
    SIMPLES ASSIM!!

  • Ex-2º Sargento

    Ah, e respondendo ao companheiro que postou lá embaixo, que disse que em todos os órgãos e empresas há regalias para os que estão acima na pirâmide:
    Hoje sou Auditor Fiscal, e te digo: na minha instituição não há regalias… se há um ar condicionado, ele gela pro Inspetor tal como pra estagiária… o café, se o Inspetor quiser beber, ele levanta a bunda da cadeira e vai buscar, tal como a estagiária… impressora, a mesma coisa… a mesa do Inspetor é a mesma da estagiária, sem mais nada… se faltar caneta, falta para todos, não fica somente para o Inspetor… no coquetel, participam o Inspetor e a estagiária!!! a diferença é somente salarial e de atribuições, mas você nunca vai ver o Inspetor “montando” em qualquer outro servidor, como cansamos de ver nas FA…
    Ah, só pra constar: tenho dois anos como Auditor e 33 anos de idade, e meu sálario está equiparado, hoje, entre o de Gen de Divisão e de Exército (estes com mil anos de sv)…

  • Ex-2º Sargento

    Bizarrices do exército (em pleno século XXI):
    – cartão de cabelo;
    – guarda em forma;
    – parada diária;
    – toque de corneta;
    – 4 formaturas diárias;
    – treinamento de uma semana para formaturas;
    – furriel;
    – apronto operacional;
    – sentinela das armas;

  • Quase ex-Sargento do EB

    Tô saindo…PF lá vou eu!!! Papirem senhores que vale a pena!!!

  • reserva

    Acabou,estou na reserva,não. Acredito em jogador que beija camisa e muito menos em oficial que grita Brasil acima de tudo,$$$$$$$ acredito na vibração e patriotismo de um recruta,que começa a ser iludido na sala de sua casa,e os generais,os fazem pelos subordinados,naaada,vivem caçando diárias que eu sou contra esta existência,não. Acredito neles,tudo é Teatro e demagogia

  • joão batista

    meus queridos, sou da reserva da marinha e passei muitos momentos da minha vida dentro desta força e observei que se o nosso pais valorizasse a nossa classe o quanto no valorizamos o nosso pais, seria muito bom, mas acontece o contrario, mando este recado as autoridades deste pais que muitas nações estão se armando, e nos o que estamos fazendo para garantir a segurança do nosso povo, e o pior os baixos salários que e vergonhoso, vejo um revanchismo deste governo que ai esta,seria bom que o governo acordasse, para ver estes problemas internos das forças armadas, antes que apareça algum aventureiro, obrigado leitores.

  • André

    Realmente lamentável… Sou SG da MB, com nível superior e aguardando portaria de desligamento, cansei de ser humilhado por Oficiais filhinhos de papai, que entram sem nenhum tipo de concurso e que se sentem Reis. Já corrigi várias besteiras que esses vulgos oficiais praticam a cada dia. Cansei de acreditar em melhorias. Espero que os governantes acordem antes que seja tarde demais, aos amigos de farda que ficam, meus sinceros sentimentos.

  • daniel

    sempre sonhei com estabilidade de cabos e soldados;e tenho fé que a nossa situação vai melhorar…mas creio que se depender dos oficiais de carreira já era…MC CAE CAE

  • Anderson

    gosto de sempre dar uma passadinha neste link para ver o que está acontecendo , interessante agora é ver os praças, sgt ,st, se supervalorizando e metendo o pau nos of, engraçado eles pelo que me lembro bem são outros parasitas incapazes de jogar um papel amassado numa lata de lixo a 3m de distancia se bem me lembro era assim sodado pega este papel da mesa e joga nesse lixo ai pra mim… se pudessem ate sua limpeza pessoal botava a gente pra fazer… preguiçosos que não fazem nada a não ser chorar…falam em acampamento que passam 15 dias fora de casa longe da família mas não falam da semana de dispensa que ganham quando voltam. A pior coisa que aconteceu para os militares foi a inclusão digital ,pois muito que serviram ao exercito hoje estão aqui fora e se lembra do que acontece lá dentro ( ou seja nada , bate papo e mais bate papo o dia inteiro )acabou a conversa de que o que acontece na caserna fica na caserna!

  • Samuel

    Gostaria de saber mas o menos quantos Guarda Marinha récem formados pedem baixa da Marinha técnicamente os Oficias da Marinha !

  • SG David

    O Sr. Anderson leu, mas não conseguiu sintetizar as questões postas aqui. É uma pena. Seu posto só demonstra revanchismo. Sua frase: “A pior coisa que aconteceu para os militares foi a inclusão digital.” expõe um desejo de calar nossa voz. Há de chegar o dia em que a democracia inundará nossos quartéis e varrerá para longe as injustiças cometidas e escondidas na caserna. Nesse dia, não precisaremos mais nos esconder atrás de apelidos. Pois ela, a democracia, nos garantirá os direitos que hoje nos são negados.

  • caiosilva

    bem pelo o que vemos não so os militares mais tambem outras categorias como os pcs estão com a razão afinal cada dia mais fica difiçil sairem dessa triste sina bem mais as forcas armadas cairam em descredito por causa dos anos de chumbo o que prescisa ser feito e uma reforma geral não so no sentido de melhora-las mas tambem colocar novos despositivos de aprendisado nas agulhas negras modernizar o aparato belico militar tecnologico e aumento dos soldos do pessoal da taverna e tambem da fab e da mb

  • Flavio

    Tenho certeza que nada irá mudar, muda ministro da defesa entra ministro e nada muda, somos filhos sem pai e sem mãe. iremos a caminho da ganhar menos que os guardas municipais.
    Viva aos comandos que nada fazem.

  • miguel

    tenho um filho no exercito hj é cabo.motorista só anda viajando o exercito nao dá sequer comida nas estradas,ele almoça uma distancia de 480km onde há uma base militar,nao ganha diaria,e nao tem horario de descanso.esses dia respondeu uma sindicancia por ter obedecido ordem do terceiro sargento da guarda artigo 210 sistema de rodizio,agora vai mandar ele embora apenas por isso,abuso de autoridade porém ele quer continuar,será que cabe um mandato de segurança.se alguém souber me respondam,quero mostrar para esses superior que eles yem que ter respeito pelos subordinados.

  • jose rubens silveira machado

    porque nao publicaram meu comentario

    Olhando aqui no sistema, não encontrei nenhum comentário seu, por favor, poste de novo.

  • sd recruta

    Eu sou recruta e quero sair logo, fui impedido de continuar meu curso de engenharia por causa do serviço militar.Mas por causa dessa porcaria de Copa, estão querendo segurar a gente ate julho de 2014. fui atras de uns concursos publicos municipais e estaduais(considerados faceis) para poder ser licenciado, aguardando resultados. É uma vergonha vc estudar, planejar uma vida tranquila e entrar nessa m… de exercito pra fica sentando e levantando, quicando, marcha do patinho, canguru e etc que todo mundo conhece, guarda 24/24/24/24/24…/24 e sendo humilhado por cabos, sargentos e oficiais vagabudnos, pq existem principalmente, cabos, vagabundos dentro das OM. É tanta babaquice dentro das OM, que a gente fala e o povo nao acredita. A teoria dos forças armadas sao boas mas a pratica e realidade é bem diferente.

  • sd recruta

    esqueci da faxina milagrosa, sem vassoura, sem rodo sem sabao, mas tudo tem que esta limpo
    e cortar e juntar mato, mas sem enchada foisse facao, tudo na mao mesmo.

  • Soldado Fuzileiro Naval

    Todos visam o dinheiro, é uma pena que não irão levar o dinheiro pro tumulo. Somos militares por que tivemos este sonho! Dinheiro vem naturalmente! E se não existisse os militares? Ham?

  • Félix Patrício Pereira

    Não só foi o acidente em serviço, pois acidente é acidente e nesse caso, ninguem teria culpa. Dai quem sabe talvez as seguelas não seriam tão graves se não estivesse existido a omissão de socorro, imagine se no tempo Eu estivesse sido levado para o hospital e recebido os devidos cuidados sendo avaliado pelo medico recebido o tratamento devido. Foi muito mais que isso, obrigado aos transtornos, forçado, Humilhado, Desrespeitado e condenado aos esforços fisicos e além do acidente onde descolou a patela, ainda depois de muitos meses de instrução, apois varias ordens no decorrer de varios meses comandado por varios superiores Militares hierarquicos, inclusive em varios serviços de guarda diurno e noturno, onde ocorreram varias vezes reclamações de desconforto na dor frequente.
    LEI Nº 4.375, DE 17 DE AGOSTO DE 1964
    Félix Patricio Pereira PAGINA 01 – (Pagina 01, paragrafo 01) Prova que – Dia 31/05/1996 Foi Incorporado nas fileiras da força armada do Exercito Brasileiro, IDENT funcional militar numero 21041243674-8 com validade até o dia 31/05/1997 o senhor Félix patrício pereira que após cumprir todas as formalidades, Educação física, Instrução de ordem unida, Pista de corda, instrução de maneabilidade de grupo, Campo Básico diurno e noturno. REGULAMENTO INTERNO DOS SERVIÇOS GERAIS (RISG) N°: Art.96 – Diz que durante o período de treinamento se acidentou e após o acidente sempre levou ao conhecimento do oficial responsável das instruções (onde não lhe faltam testemunhas do ocorrido do acidente, que presenciavam, sempre o problema que era da patela da perna (E) do referido militar sair do lugar, com os constantes esforços obrigados e direcionados que necessitavam muito de esforço físico para realizar as tarefas dos treinamentos.

    DECRETO-LEI Nº 3.864-41- Presidência da República
    – Seja temporário ou de carreira, o militar que contrai doença durante o … dos benefícios a que teriam direito na condição de agregado/adido, …da Administração para prorrogar ou não o tempo de serviço do militar.
    Paginas 02,32,37,29,18,02,86,83,84,69,05,04,06. – Dia 03/07/1997 Após o SD Patrício passar um ano e um mes e tres dias de efetivo serviço militar obrigatório, (Pagina 02, paragrafo 02) prova que Quando foi baixar no HGER atual HGEmar sua identidade militar de (EV) estava vencida. O Ten Halley Bezerra Dantas – 1° Ten de infantaria Cmt da 3 Cia Fzo no dia 06/06/1997 digitou uma declaração assinada e carimbada por ele dando autorização para que fosse baixado no HGER como adido ao batalhão, (pagina 32, Paragrafo 62) Prova que) que no caso deveria ter sido integrado como soldado engajado, pois existe uma portaria para esta situação do soldado quando não engajado se tornar (EB) durante o período em que se encontrar hospitalizado.

    Veremos o que prescreve nos altos – (Pagina 37 paragrafo 84) Prova que Não deveria ter sido desincorporado, mais sim ter sido mantido como adido até sua posterior reforma, nos termos do artigo 140/2° do decreto N° 57654/66 que nos termos dos artigos 104, 106, 108 e 109 do estatuto dos militares lei N° 6880/80 o autor tem direito a reforma, dada ocorrencia do acidente, quando em serviço no quartel, (Pagina 29)Prova que O debilitou morbidamente incapacitando-o e o debilitando morbidamente, incapacitando-o definitivamente para o exercício de atividade militar. correspondente há esse período, tem direito de receber os atrasados como adido SD (EB) (REFERENTE A LEI NUMERO 6880/80). (Pagina18,Paragrafo31) Prova que já que sua posterior reforma conta a partir da data do acidente quando em serviço no quartel, Logo já era pra estar engajado quando foi hospitalizado, tendo em vista que o acidente ocorreu na data de 20/06/1996, deveriam ter contado o tempo de adido ao batalhão (Pagina 02) Prova que no dia 06/06/1997 em sua baixa hospitalar até á data da suposta desencorporação, (Pagina 86) Prova que na data 07 de abril de 1998. ( Dez meses sem engajar e se tornar soldado EB). O parecer anterior do doutor lari do hospital da aeronaltica, dizia que para ter um bom desempenho nas cirurgias, teria que as fazer, em parte, de tres em tres meses e com muita fisioterapia durante este periodo para ter uma boa recuperação e fortalecer os musculos, resta comprovado nos períodos que o desenrolar dessa história não se deu assim.

    A ficha de alterações (Pagina 83) Prova que só começa contar todas as alterações do mes de abril de 1997 da (pagina 84) em diante, com as devidas alterações existentes. durante o serviço obrigatório Militar o comportamento exemplar conta? (UM ANO DE EFETIVO SERVIÇO). foi um ano de efetivo serviço sem alterações no serviço obrigatório militar, Depois, quando começou perceber que queriam excluir-lhe sem lhe garantirem a total responsabilidade do Exercito Brasileiro de assumir o tratamento medico hospitalar.

    Afirma que desta data em diante começou uma perseguição contra sua pessoa e para conseguir fazer valer seus direitos, lutou muito contra seus superiores hieraquicos, onde diz ter sofrido o pão que o diabo amassou. Tento varias vezes ficado prezo (Pagina 84 Paragrafo 176) Prova que a contar da data de Abril de 1997 inclusive alguns meses, após cirurgia, ainda em fase de recuperação do trauma sofrido, com as moletas as quais sem elas, não conseguiria ficar se que de pé, e que foram essas mesmas moletas após a visita do tenente coronel do batalhão Fernando José de Matos Oliveira Cmt do 14° BIMTZ INFOR ao xadres onde se encontrava preso Art. 232 , da Lei 8069 /90 (“submeter criança ou adolescentesob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou constrangimento ilegal”), essas informações não se encontra nos autos. (Pagina 85 Paragrafo184) Prova que esse fato se deu no dia 24/12/1997 e que a prova esta no parecer da (pagina 05), e na parte de traz da (pagina 04 e da pag 06) prova que A ditadura militar e o CRIME DE MAUS TRATOS esta presente e existente, POIS O REFERIDO MILITAR, FICOU PRESO AINDA SENTINDO MUITA DOR NO JOELHO E QUE QUANDO LEVADO PARA (SSU) DO BATALHÃO O REMEDIO FOI ASPIRINA INFANTIL . Com consciência e vontade o Coronel fez a punição com a prisão. Foi nesse dia que o Sd: Patrício usou as supostas moletas, para estourar as lampadas e tentar contra sua própria vida tentando suicido, depois da má fé do coronel em dizer dentro da sela, que o SD 807 Patrício era um fraco e que não iria lhe dar o direito de abrir o inquérito sanitário de origem, nem por estar baixado ao hospital e esta adido ao batalhão e que de forma nenhuma o sd 807 Patrício teria como provar onde se deu o devido acidente.

    Pagina 85 e Paragrafos 184 seguido paginas 04,05,06. – Dia 24/12/1997 Este Natal, foi o pior de sua vida, baixou na 5° enfermaria psiquiátrica do HGE após ter atentado contra sua própria vida e cortar o pulso pois não aguentava mas a perseguição E A DOR DE SUA PERNA ESTANDO SE RECUPERANDO DO TRAUMA E JÁ SE ENCONTRAVA PRESO, foi levado a enfermaria psicatrica, medicado com alucinógenos e em seguida dormiu.

    Pagina 08,17,26,28,03,82.- (Pagina 08 Paragrafo 09) Prova que – Dia 21/01/1998 Seu pai senhor Francisco Patrício Pereira deu entrada em um requerimento com o objetivo de conseguir abrir o inquérito sanitário de origem (ISO), direcionado ao sr ten cel Marco Arthur da Silva Mack comandante da 10° BDA INF Motorizado, que resultou na (Pagina 15 Paragrafo 25) Prova que na abertura forçada na (pagina 17 paragrafo 29) no dia 11/02/1998 do então inquérito sanitário de origem.

    (Pagina 26 Paragrafo 47,48,49,50,51,52)Prova que (Ditadura Militar) Na apuração deu parecer favorável e afirmou salvo melhor juízo houve transgressão grave da disciplina militar por parte do ten José Alexandre Nunes Pereira ao impedi o acesso do SD 807 Patrício ao pronto atendimento médico hospitalar por ocasião do acidente na sub-unidade que em meu ponto de vista é OMISSÃO DE SOCORRO É CRIME ART.135.. depreende-se também que o ten Nunes, sistematicamente impedia a visita ao médico da sessão do serviço de saúde da unidade em todas as oportunidades em que lhe era solicitado pelo seu subordinado. por outro lado, nunca levou ao conhecimento do seu comandante de CIA a situação do estado de saúde de seu soldado, dando mostras inconteste de sua insensibilidade para com o integrante do seu pelotão.

    (Pagina 28 Paragrafo 55) Prova que Deixa de punir o 1° Ten José Alexandre Nunes Pereira por ter o mesmo sido licenciado do serviço ativo conforme boletim reservado especial Nr 05, de 20 de outubro de 1997, da 10° BDA INF MTZ. (Pagina 03 Paragrafo 03) Prova que na 4° parte Justiça e Disciplina onde foi licenciado o oficial temporario do serviço ativo do Exercito Brasileiro por (Determinação) Por falta-lhe conduta de militar inconpativel com oficialato, Haver, em várias oportunidades adotado comportamentos que ferem os preceitos da ética e pundonor militares e o decoro da classe. Art. 209 do Código Penal Militar – Decreto Lei 1001/69 ISSO LHE TIRA O DOLO DA CULPA? E dosMaus Tratos?

    pagina 83,77,81,37. – (Pagina 83 Paragrafo 171) Dia de acordo com PBIM/COTER/96 DI da 10° BDA INF MTZ, Programa de padrão de instrução e DI Nr 008-S3 DE 08 JUL 96, Foi qualificado como CB Aux da 1° Esq do 1° Pel Fzo.

    (Pagina 77 Paragrafo 150) prova que De acordo com a qualificação versa o presente expediente sobre adicional de habilitação militar. portaria n° 181 de 26 de mar de 1999, O militar que tenha concluido curso de formação ou quando soldado qualificado na data de seu engajamento (Pagina 81 Paragrafo 161) faz juz ao adcional de habilitação.QUE PRECEITUA A OP 025106 – CMDO 7° RM?

    (Agora talvez entenda o porque não fui engajado).(Pagina 37 Paragrafo 84,85,88) Prova que Existe uma portaria que por determinação de baixa hospitalar os militares que sofrerem acidente em serviço militar e o período de hospitalização passar do período da posterior desincorporação será engajado quando adido ao batalhão, necessitar de cuidados permanentes de hospitalização, no entanto O Sr Félix Patrício Pereira já estava baixado no hospital, HGER ADIDO AO BATALÃO. Então porque não foi engajado após o tempo de serviço obrigatório, HOJE ESTA REFORMADO E O SEU ATUAL SOLDO É DE SOLDADO ENGAJADO DO EXERCITO BRASILEIRO E NO SEU CONTRA-CHEQUE É CLASSIFICADO COMO SOLDADO NÃO ENGAJADO. PORQUE ATÉ A PRESENTE DATA NÃO RECEBE O ADCIONAL DE HABILITAÇÃO E NÃO FOI PRA RESERVA NUM GRAU HIERARQUICO SUPERIOR?

    Pagina 32,34,34,35. – (Pagina 32 Paragrafo 61) – EMENTA ADMINISTRATIVO MILITAR. ACIDENTE OCORRIDO NO EXERCÍCIO DE FUNÇÃO MILITAR. NEGLIGENCIA DO SUPERIOR HIERÁRQUICO. IMPEDINDO AO ATENDIMENTO NA ENFERMARIA. AGRAVAMENTO DA LESÃO. PARALISIA IRREVERSÍVEL DO MEMBRO INFERIOR. INCAPACIDADE DEFINITIVA PARA O SERVIÇO MILITAR. RELAÇÃO DE CAUSA E EFEITO. REFORMA. ADICIONAL DE INVALIDEZ. INDENIZAÇÃO MATERIAL, DANOS MORAIS.

    Pagina 34 – (Pagina 34 Paragrafo 72) – Pugnou ainda, pelo pagamento das vantagens vencidas e vincedas, inclusive auxílio invalidez, retroativo a licença, mais o pagamento de uma indenização pelos danos morais sofridos.

    NÃO TEVE DIREITO AOS DANOS MATERIAIS, POIS NÃO RESTARAM COMPROVADOS O QUE O AUTOR DEIXOU DE GANHAR EM TEMPOS CONCRETOS, EM DECORRENCIA DO ACIDENTE SOFRIDO .
    HOJE A LEI EXISTE ATÉ PARA DANO ESTETICO.
    Pagina 34 – (Pagina 34 paragrafo 74) – Determinou, ainda pagamento do adcional de invalidez,retroativo a licença indevida e das prestações vencidas acrecidas da correção monetária e dos juros de mora (0,5% ao mes) Desde a citação. Fixou a quantia de 20,000,00 (Vinte mil reais)? Grande punição então eu posso desfazer do estado físico de uma pessoa deixar debilitado e pagar uma indenização de 20.000,00 reais, (Absurdo). atualizadas até a data de pagamento, como indenização pelos danos morais sofridos. submeteu a decisão ao duplo grau obrigatório.

    Pagina 35 – (Pagina 35 Paragrafo 76) – Insurge-se igualmente contra a determinação de reforma em grau hierárquico superior, dado que não restou provada a invalidez do autor ou sua impossibilidade total permanente para qualquer trabalho. FOI ACIDENTE DE SERVIÇO EM CUMPRINDO DE ORDENS DE UM SUPERIOR HIERARQUICO ONDE O ESTATUTO MILITAR LHE GARANTE A MELHORIA DE REFORMA EM GRAU HIERARQUICO SUPERIOR.

    Vamos as datas dos acontecimentos ( Do período que o Exercito o desincorporou até a posterior reforma ).

    Pagina 13 (pagina 13 paragrafo 22) – Dia 04/02/1998 foi dado um parecer da fisioterapelta Cíntia Maria Vieira De Andrade, onde quis continuar com o tratamento melhorado. O paciente Félix Patrício Pereira, portador de reconstrução do (LCA) e miniscectomia em joelho (E), Obteve pouca evolução com o tratamento fisioterapico convencional, sem conseguir retirar as moletas em tempo Hábil. queixa-se de muita dor ao fazer carga total e nos exercícios ativos livres. diante do quadro apresentado, o melhor caminho é a hidroterápia onde a carga é reduzida e o tratamento nesse caso mais eficaz.
    (RECEBI ALTA HOSPITALAR SEM O FIM DO DEVIDO TRATAMENTO FISIOTERAPCO E HIDROTERAPICO).

    Pagina 23 (pagina 23 Paragrafo 44) – Dia 12/02/1998 parecer Dr João Ricardo Pontes Perruci – sem condições de exercer atividades militares em carater definitivo Não é passível de nova correção cirúrgica – O carater da lesão é definitivo. Não é considerado invalido pode prover os meios de sub-existencia. Onde esta o tratamento de hidroterapia e da continuação da fisioterapia (pagina 13 paragrafo 22), Estavam realmente preocupados com a melhora do paciente? Caracterizando dessa forma (abandono de incapaz).
    Só me tirem uma duvida á mais, Como pode Não: é passível de nova correção cirúrgica – O carater da lesão é definitivo. Não é considerado invalido pode prover os meios de sub-existencia.

    Pagina 24 (pagina 24 Paragrafo 45) – Dia 13/02/1998 ( por não necessitar mais de hospitalização inalterado com incapacidade fisíca definitiva encaminho o paciente a junta medica do HGER Recife sessão 019).

    Pagina 29 (Pagima 29 Paragrafo 56,57,58). – Dia 01/04/1998 Pós-operatório tardio de reconstrução de ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo. DE QUEM É A CULPA? (incapaz definitivamente para o serviço do Exercito). Pode prover os meios de sub-existencia. Não equipara-se a paralisia irreversivel e incapacitante. Observação SID 10 recurso. Of numero 029-E1.3,de 20 mar 98/ CMNE. Não é passível de correção cirurgica.

    Pagina 31 (Pagina 31 Paragrafo 60) – Dia 30/04/1998 (Certificado de isenção). Foi desincorporado do Exercito Brasileiro o SD 807 Félix Patrício Pereira. insuficiencia física para o serviço militar não é incapacidade física e Poder exercer atividades civis não é poder prover os meios de sub-existencia. Certificado de isenção não se configura parecer medico. (E o comandante neste caso não, poderia atestar o motivo pelo qual se dá a saída do militar do batalhão, sem seguir o parecer médico).

    Pagina 46 (Pagina 46 Paragrafo 120) – Dia 30/06/1998 Para não me sentir mais uma vez humilhado me sentindo um total fracasso, fui fazer o que o Certificado de isenção me atribuia, (pode exercer atividades civis). Dai mesmo machucado fui fazer um exame admissional no centro medico Octávio De Freitas. Parecer da Doutora Eliane Matos Lacerda atesta apto a função de (estafeta)

    Pagina 47 (Pagina 47 paragrafo 121) – Dia 01/08/1998 começa trabalhar na via express – coletas e entregas LTDA Av Conselhero Aguiar numero 1687 apt° 03 função (estafeta).

    (Vamos prestar atenção nas datas).

    Pagina 49 (Pagina 49 paragrafo 123) – Dia 24/08/1998 Hora 15 e 30 em boa viagem, Após alguns dias de efetivo serviço, descendo uma escadaria. pisou de mau jeito e em consequencia do problema já pré-existente de um acidente sofrido em função militar, deslocou o joelho e assim não suportando o peso do corpo caiu sobre a perna esquerda.

    Pagina 50 (Pagina 50 paragrafo 124) – Dia 26/08/1998 no hospital geral João XXIII lTDA.

    Resultado após exame (entorse) Complicação de cirurgia dos minisco e ligamento do joelho (E) O joelho correu o risco de Trombose no Joelho por ter ficado do tamano de uma bola de futebol de salão, não tomou anestesia por conta da inflamação, em seguida empurraram uma agulha no joelho e retiraram quase meio litro de água com sangue, botaram uma tela e mandaram o paciente para casa.

    Pagina 51 e 52 (Pagina 51 paragrafo 125, pagina 52 paragrafo 126) – Encaminhado a uni-tomo tomografia computadorizados, axiais com 5 mm de espessura, sem administração venosa de meio de contraste iodado. mostrou, parafusos e placas metálicas na projeção do condilo femural lateral e zona metafisiaria praximal da tibia homo lateral pelo presente exame não nos é possível identificar lesão ligamentar do joelho esquerdo.

    A critério clínico indico ressonancia nuclear magnética. Não pude pagar o exame nuclear magnetico nem o tratamento. Sabem quanto custa um exame desses? E a responsabilidade total era do exercito Brasileiro ao qual não me deu suporte e guarita.

    Pagina 55 ( Pagina 55) – Dia 31/08/1998 Salário da empresa (Via expressa).

    Pagina 56 (Pagina56) – Dia 07/09/1998 Primeira entrada na secretaria de saúde do estado (SUS). Obrigado ao Exercito Brasileiro por me prestarem atendimento médico hospitalar.

    Pagina 57 (Paragrafo 127) – Dia 10/09/1998 Ao Dr augusto – ortopedista solicita-se o laudo médico do paciente Félix Patrício Pereira atendido no dia 26/08/98 Para fins de entrada no beneficio do INSS. Estava realmente apto para o trabalho civil?

    Deste período o Exercito não lembra, porque o Sd 807 Patrício foi posto pra fora da instituição do Exercito Brasileiro sem direito nenhum.

    Pagina 51 (Pagina 51paragrafo 125) – Dia 26/08/1998 a 10/09/1998 Hospital João XXIII pediram um exame, tomografia computadorizada do joelho (E). Observação a guia não cobre despesas com contrastes utilizados, ou outros materiais adcionais não previstos, tais como filmes e etc.

    Pagina 58 (Pagina 58 Paragrafo 128) – Dia 14/09/1998 Mandado para o beneficio Protocolo 109.943.172-4 faixa – 0010 dados do benificio 01 concessor 15.7.01.015 especie 91 der 14/09/1998 bph 14/09/1998 dados do segurado nome Félix Patrício pereira ctps 00046055 serie 00000039 data de emissão 26/08/1991 UF/PE orgão emissor 01

    Pagina 59 (Pagina 59 Paragrafo 129) – Dia 15/09/1998 mandado para o SUS. Onde esta o compromisso do Exercito Brasileiro com assistencia Hospitalar? motivo consulta (requisição de parecer exame e tratamento). Entorse joelho esquerdo em 24/08/98 cirurgia anterior no mesmo local,parecer ortopedico.

    Pagina 60 (Pagina 60 Paragrafo 130) – Dia 18/09/1998 Hospital João XXlll solicitação para fisioterapia do joelho esquerdo (prova que não deveria ter sido desencorporado do Exercito Brasileiro, Tinha que ter seguido o parecer fisioterapico da fisioterapelta Cintia e ter me mandado para a hidroterapia). Conclusão entorse com lesão, encaminho o parecer para o INSS.

    Pagina 61 (Pagina 61) – Cartão de exame.

    Pagina 63 (Pagina 63 paragrafo 133) – Dia 18/11/1998 Pericia, medica. Conclusão tipo (4) Existe incapacidade para o trabalho. A data da realização do próximo exame será comunicada ao segurado por ocasião do pagamento do beneficio.

    Pagina 64 (Pagina 64 paragrafo 134) – Dia 08/06/1999 Exame de segurado da previdencia parecer ortopedico, cicatriz cirurgica do joelho (E). Atrofia na coxa, limitatação funcional lesão ligamentar do joelho redução de estabilidade funcional, lesão grave do ponto de vista funcional.

    Agravamento por atrofia estabilidade atina incapacidade permanente parcial da função do joelho (E). 30% de perda funcional teve evolução com agravamento por artrose visto tendo retirado os meniscos.

    Pagina 68 (Pagina 68 paragrafo 138) – Dia 22/07/1999 diagnostico principal, seguela de lesão ligamentar do joelho E, Entorse. Paciente Jovem com seguela de acidente no trabalho que o considera invalido pela pericia médica do Exercito.

    Pagina 69 (Pagina 69 Paragrafo 139) – Dia 22/10/1999 Declaração da empresa Via expressa Declaro para os devidos fins que o senhor Félix Patrício Pereira, de carteira profissional numero 460.550.003-9 é funcionário dessa empresa, com início dos seus serviços no dia 01 de agosto de 1998 apresentando atestado admissional do centro médico octávio de freitas dando-lhe o parecer final apto a função de estafeta onde na data de 24/08/1998 sofreu acidente de trabalho, sendo encaminhado para o INSS de areias para dar entrada no benefício, onde a conclusão médica e do (Tipo 4) Existencia de incapacidade para o trabalho.

    Descaracteriza-do por completo o certificado isenção. Em anexo a essa declaração encaminho cópias de documentos atestando capacidade física para área particular não para área militar, onde o mesmo teria sofrido danos físicos no quartel 14° BIMTZ (Décimo quarto batalhão de infantaria motorizado), Na data de 20/06/1996 Onde foi dispensado do quartel como apto aos serviços civis no dia 16/04/1998. – Xerox das copias dos laudos do INSS prova que o paciente tentou trabalhar, mas não obteve exito provando sua incapacidade física.

    Pagina 70 (Pagina 70 Paragrafo 140) – Dia 29/11/1999 Unidade de reabilitação profissional do INSS-PE av. Mário Melo, N° 343, St° Amaro – recife Laudo médico do segurado o senhor Félix Patrício Pereira é portador de lesão dos ligamentos joelho e com instabilidade grave, exercia a função de estafeta (vinculado) Sem condições de voltar a mesma atividade laborativa ou outras que exijam permanecer em pé ou deambulando. encontra-se realizando programa de reabilitação profissional. Alguns dias depois suspenderam o pagamento do beneficio. alegando que a relação de causa e efeito entre o acidente ocorrido era de total responsabilidade do Exercito Brasileiro e que o INSS estava totalmente resquício de responsabilidade e obrigações com o beneficiado, onde resta como prova, minha carteira profissional que continua assinada até hoje onde não consta nos autos. O período de 30/04/1998 data da saída irregular, pois era para te-lo reformado ou mantido o referido Sd 807 Patrício adido ao batalhão até 01/06/2003 data de sua posterior reforma.

    (Pagina 70, Paginas 62,65,66,67 pagina 71,72,73 )- Desta maneira ( Félix Patrício Pereira, pede para que seja reavaliado o processo) devido as condições que foi julgado sem as devidas provas no tempo, precisa juntar aos autos (Pagina 70) Prova que o parecer do INSS na data de 29/11/1999 existencia de incapacidade fisica. (Pagina 62,65,66,67) Prova que inspeção de saúde P/Fim de controle de inquerito sanitario de origem. Após 1 ano e 1 mes e a posterior (Pagina71,72, 73) da junta militar a qual foi julgado na data 08/07/1999. (Para fim de controle de inquérito sanitário de origem) e do parecer avaliado no dia 16/08/2000 para (fim de minha posterior reforma) Que diz incapaz definitivamente para o serviço do Exercito. (invalido). necessita de cuidados permanentes de enfermagem ou hospitalização. A invalidez decorre da lesão grave do ligamento cruzado anterior esquerdo. (equipara-se a paralisia irreversível e incapacitante). Há relação de causa e efeito entre o acidente sofrido e as condições mórbidas atuais. O inquérito sanitário de origem preenche todas as formalidades legais exigidas nas IRDSO. Ao mesmo tempo em seguida outros pareceres do INSS que não determinaram mudança de parecer dos mesmos médicos ortopedistas militar provam que o senhor Félix Patrício pereira não podia exercer trabalhos civis. Na compreenção do certificado de isenção esta comprovado insuficiência física (podendo exercer atividades civis) resta prova constante de eros no tempo dos autos, Na presença de mas uma prova de falta de conduta amigavel do Exercito Brasileiro em reformar o referido Militar.

    No certificado de isenção esta a assinatura do coronel comandante Fernando José De Matos Oliveira do14° BIMTZ Atestando um parecer contrario ao qual se deu o verdadeiro motivo da desincorporação. ( incapaz definitivamente para o serviço do Exercito). Podendo prover meios de sub-existência. necessita de cuidados permanentes de enfermagem ou hospitalização. A invalidez decorre da lesão grave do ligamento cruzado anterior esquerdo. (Equipara-se a paralisia irreversível e incapacitante). Há relação de causa e efeito entre o acidente sofrido e as condições mórbidas atuais. o inquérito sanitário de origem preenche todas as formalidades legais exigidas nas IRDSO. RECIFE 16/08/2000.

    (Pagina 32,33,34,83) – Nesta presente data resta comprovado com provas incontestáveis a invalidez e o autor requer que seja reaberto o processo e reavaliado o parecer da EX.Desembargadora Margarida Cantareli e que seja dada entrada na reservista militar já que o certificado de inserção só é dado ao militar que tem insuficiencia fisica comprovada antes do serviço obrigatório militar, o Sd Patrício serviu as forças armadas do Exercito Brasileiro, foi julgado incapaz e não deveriam ter-lo licenciado após ter-lhe sido julgado na junta medica Militar. neste acaso resta provado que tentam com a insenção militar provar que o Sd de uma certa forma não serviu ao Exercito Brasileiro. Logo então suba os autos para que por fim podermos cruzar os valores do pagamento e reavaliar as contas pagas com vantagens vencidas e vincendas e do dano material e moral que no tempo foi dado com parcial provimento, pois não restava comprovada a incapacidade física definitiva e (invalides). (Pagina 39 Paragrafo 94,95,96,97). (Pagina 75 Paragrafo 145,146,147,148). Prova que – Não deram o direito de receber a indenização por danos material e já que agora resta comprovado a incapacidade física sem poder prover meios de trabalho civil (invalido) faz ele jus a reavaliação. (Pagina 38, Paragrafo 90) mostra que Não tem direito a melhoria de reforma ao grau superior hierárquico posto que não a grau de invalides, Nas (paginas do histórico do dia 30/04/1998 em diante configura-se uma informalidade entre insuficiencia fisica e incapacidade fisica e prover meios de sub-existencia e exercer atividades civis, dentre outras o parecer datado em 07/07/1999 publicado, que diz que sua doença de incapacidade se equipara a paralisia irreversivel do membro inferior esquerdo (INVÁLIDO).

    (pag)-45,49,50,51,52,56,57,58,59,60,61,62,63,64,65,66,67,68,69,70,71,72,73) Onde também resta comprovado nas pareceres (Pagina 77,Paragrafo 150 e Pagina 81 paragrafo 160,161) prova que Tem direito de receber também ao adicional de habilitação já que a Qm do soldado é 07- 01 Infante Combatente – existe qualificação profissional militar como SD qualificado.

    Reavaliação do salário família, alem dos proventos que não foram calculados do tempo em que ficou sem receber que não foram pagos da data na (Pagina 30 até a pagina 87) Prova que não deveria ter sido computado como Sd (EV) desde 16/04/1998 minha posterior reforma e sim da data de adido ao batalhão onde conta de 31/05/1997 DA VALIDADE DE MINHA CARTEIRA MILITAR EM DIANTE, tendo em vista a proibição do socorro imediato do acidentado a enfermaria na data do acidente ocorrido no dia 20/06/1996 até sua posterior reforma no dia 01/06/2003.
    Para os delinqüentes, Art. 240. A prisão deve ser em local limpo e arejado, onde o detento possa repousar durante a noite, sendo proibido o seu recolhimento a masmorra, solitária ou cela onde não penetre a luz do dia.
    O regime de prisão solitária a que se encontra confinado constitui uma clara violação da Convenção das Nações Unidas contra a Tortura. – Pacto de São José da Costa Rica. Então porque eu Félix Patrício Pereira, fiquei 16 dias na solitária, dos quais só 3 dias fiquei nú e trancafiado, sem direito se quer ao colchão pra dormir, sendo obrigado dormir no chão.
    E ainda também fiquei preso na sela da cadeia do Exército Brasileiro, ainda me recuperando da cirurgia que fizeram no HGMAR, no dia 24 de Desembro de 1997 no 14º BIMtz. Este é o verdadeiro valor que tem um soldado do Exército Brasileiro!!! Cadê o Indulto de natal: Decreto nº 7.873/12 – Quero fazer uma pergunta ao senhor comandante no tempo o Coronel: Fernando José de Matos Oliveira Ex. Ten Cel Inf Cmt do 14º BIMtz, O Militar julgado por uma junta hospitalar Militar, Incapaz definitivamente para o serviço do Exercito que significa um estado no qual se limita legal ou judicialmente o exercicio da vida civil a um individuo, Pode ficar preso depois de ter sido julado? O certificado de isenção ao qual recebi de suas mãos senhor Coronel do Exercito Brasileiro, foi de insuficiencia fisica, Cujo significado no Dicionario Potugues, é: medilcridade, pequenez, inaptdão, inconveniência, inoperancia. Sim, também só pra lembrar, existe um parecer datado no dia 02/02/1998 se referindo a continuidade do tratamento, onde está escrito, paciente, portador de reconstrução de ligamento cruzado anterior e meniscectomia em joelho (E), INDICAÇÃO, CONTINUAÇÃO DO TRATAMENTO -FISIOTERAPIA E INICIAR A HIDROTERAPIA. e nessa data caro comandante, se o senhor bem lembra, mas uma vez fui mandado para prisão, para cumprir os dias restantes de xadrez e depois ser posto pra fora da instituição Militar.
    Aguardo uma resposta – Exército Brasileiro (Oficial), Tribunal de Contas da União – TCU (Oficial), Supremo Tribunal Federal, Direitos Humanos Brasil,Ministério Público Federal, Ministerio publico do trabalho, Presidente do Brasil.

    A diferença entre incapacidade fisica, podendo prover os meios de sub-existencia e insuficiencia fisica, podendo exercer atividades civis é o resultado final, EQUIPARAÇÃO DE PARALISIA INRREVERSIVEL DO MEMBRO. – § 1º Aplica-se o disposto neste artigo aos casos previstos nos itens III, IV e V do artigo 108, quando, verificada a incapacidade definitiva, for o militar considerado inválido, isto é, impossibilitado total e permanentemente para qualquer trabalho. NESTE CASO SERÁ REFORMADO COM O SOLDO CORRESPONDENTE AO DE TERCEIRO SARGENTO.

    Art. 106. A lei aplica-se a ato ou fato pretérito: II – tratando-se de ato não definitivamente julgado: Art. 108. A incapacidade definitiva pode sobrevir em conseqüência de: III – acidente em serviço; Art. 109. O militar da ativa julgado incapaz definitivamente por um dos motivos constantes dos itens I, II, III, IV e V do artigo anterior será reformado com qualquer tempo de serviço. Art. 110. O militar da ativa ou da reserva remunerada, julgado incapaz definitivamente por um dos motivos constantes dos incisos I e II do art. 108, será reformado com a remuneração calculada com base no soldo correspondente ao grau hierárquico imediato ao que possuir ou que possuía na ativa, respectivamente. (Redação dada pela Lei nº 7.580, de 1986) § 2º Considera-se, para efeito deste artigo, grau hierárquico imediato: Legislação direta
    Parágrafo 1 Artigo 37 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Art. 37. Os graduados auxiliam ou complementam as atividades dos oficiais, quer no adestramento e no emprego de meios, quer na instrução e na administração.
    Parágrafo único. No exercício das atividades mencionadas neste artigo e no comando de elementos subordinados, os suboficiais, os subtenentes e os sargentos deverão impor-se pela lealdade, pelo exemplo e pela capacidade profissional e técnica, incumbindo-lhes assegurar a observância minuciosa e ininterrupta das ordens, das regras do serviço e das normas operativas pelas praças que lhes estiverem diretamente subordinadas e a manutenção da coesão e do moral das mesmas praças em todas as circunstâncias.
    Legislação direta
    Inciso III do Artigo 108 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Art. 108. A incapacidade definitiva pode sobrevir em conseqüência de:

    III – acidente em serviço;
    Inciso IV do Artigo 108 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Art. 108. A incapacidade definitiva pode sobrevir em conseqüência de:

    IV – doença, moléstia ou enfermidade adquirida em tempo de paz, com relação de causa e efeito a condições inerentes ao serviço;
    Inciso V do Artigo 108 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Art. 108. A incapacidade definitiva pode sobrevir em conseqüência de:

    V – tuberculose ativa, alienação mental, neoplasia maligna, cegueira, lepra, paralisia irreversível e incapacitante, cardiopatia grave, mal de Parkinson, pênfigo, espondiloartrose anquilosante, nefropatia grave e outras moléstias que a lei indicar com base nas conclusões da medicina especializada; e

    V – tuberculose ativa, alienação mental, esclerose múltipla, neoplasia maligna, cegueira, lepra, PARALISIA IRREVERSÍVEL E INCAPACITANTE, cardiopatia grave, mal de Parkinson, pênfigo, espondiloartrose anquilosante, nefropatia grave e outras moléstias que a lei indicar com base nas conclusões da medicina especializada; e (Redação dada pela Lei nº 12.670, de 2012)

    NTPMEx- 8ª Região Militar – Exército Brasileirowww.8rm8de.eb.mil.br/userfiles/file/NTPMEx.pdf
    http://www.8rm8de.eb.mil.br/userfiles/file/NTPMEx.pdf

    Dr: Lary, Hospital da aeronaltica Parecer: Cirurgia de ligamento cruzado arterior e minisectomia do joelho (E) – 1º Ten:Dr. Danton Martins Filho. em 13/02/1998 Moléstia M 23.8 – observação 1 33. Hospital Geral João XXlll ltda. Traumato-Ortopedia, Dr. Augusto Neto de Mendonça Júnior, Traumato-Ortopedia HD: entorse com lesão de ligamento cruzado anterior do joelho E. Dr. Yvon W. V. Mendonça MC/Ortopedista/INSS, CID T93.3 – Dia 07/07/1999 Parecer do Dr: João Ricardo Pontes Perruce, Sem condições de exercer atividades Militares definitivamente. ( Sua doença se equipara a paralisia irreversivel do menbro inferior esquerdo). Dr: Fernando S.Carneiro Leão Médico do INSS parecer: paciente considerado invalido pela pericia Médica do Exercito Brasileiro. Dr: Marcantônio M.C. Cavalcante Parecer: Portador de lesão dos ligamentos do joelho (E). Elson Miranda Ortopedista dia 24/09/2013 portador de CID M 23.6 -DR.Dilamar M.Pinto Cirurgião do Joelho e Ombro, Parecer: HD-ARTROSE, CID-M170 Lesão do LCA esq. s/ indicação de ser reoperado – CID-M255. Atual situação, Aguardando Parecer do Dr: Carlos Henrique do HMAR, para comprovar a junta Militar do Exercito, a existência e transtornos do trauma.

    Processo Nº 260276/PE (2001.05.00.029249-2), AGUARDO RESPOSTA. Ministério Publico da União, Ministério Público do Trabalho, Ministério da Defesa, Ministério do Exército, Ministério Público Federal, Supremo Tribunal Federal, Supremo Superior Tribunal de Justiça (STJ), Supremo Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5, Supremo Tribunal de Contas da União – TCU (Oficial), Exército Brasileiro (Oficial), Hospital Militar do Exercito – HMAR, Direitos Humanos Brasil, Isso é Brasil, Jornal Nacional, Bom Dia Brasil, Prova Final, Polícia DO Exército Confraria, 14º BIMtz “Regimento Guararapes”_OFICIAL, Presidente do Brasil. http://prova-final.blogspot.com.br/
    http://www.youtube.com/watch?v=Ov-1_n-7okw&feature=share
    http://www.youtube.com/watch?v=cUAwHTHvzks&feature=share
    http://www.youtube.com/watch?v=wRM9X9nj4sU&feature=share
    http://www.youtube.com/watch?v=30MdW6CbYmo&feature=share
    http://www.youtube.com/watch?v=dv72WoXTyB8&feature=share
    http://www.youtube.com/watch?v=RTbQRG0rOS4&feature=share
    http://www.youtube.com/watch?v=r-_jpfdjyTI&feature=share
    http://www.youtube.com/watch?v=BmN2tJjE9dk&feature=share
    http://www.youtube.com/watch?v=eQLc3rjZqP8&feature=share
    – Apelação Civil Nº 260276/PE Constituição Federal de 1988
    Artigo 37 da Constituição Federal de 1988 Artigo 5 da Constituição Federal de 1988
    Parágrafo 6 Artigo 37 da Constituição Federal de 1988
    Inciso V do Artigo 5 da Constituição Federal de 1988
    Lei nº 5.869 de 11 de Janeiro de 1973
    Artigo 110 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Artigo 109 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Inciso V do Artigo 108 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Inciso IV do Artigo 108 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Inciso III do Artigo 108 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Inciso II do Artigo 108 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Inciso I do Artigo 108 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Artigo 108 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Artigo 104 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980
    Inciso II do Artigo 69 da Lei nº 8.237 de 30 de Setembro de 1991
    Inciso I do Artigo 69 da Lei nº 8.237 de 30 de Setembro de 1991
    Artigo 69 da Lei nº 8.237 de 30 de Setembro de 1991
    Lei nº 8.237 de 30 de Setembro de 1991
    Artigo 126 da Lei nº 5.787 de 27 de Junho de 1972
    Lei nº 5.787 de 27 de Junho de 1972
    Artigo 1 do Decreto nº 57.272 de 16 de Novembro de 1965
    Decreto nº 57.272 de 16 de Novembro de 1965
    Parágrafo 2 Artigo 140 do Decreto nº 57.654 de 20 de Janeiro de 1966
    Artigo 140 do Decreto nº 57.654 de 20 de Janeiro de 1966
    Artigo 138 do Decreto nº 57.654 de 20 de Janeiro de 1966
    Decreto nº 57.654 de 20 de Janeiro de 1966
    — em 14º BIMtz “Regimento Guararapes”_OFICIAL

    • Félix Patricio Pereira trf-5.jusbrasil.com.br/…/apelacao-civel-ac-260276-pe-20010500029249…
    Processo: AC 260276 PE 2001.05.00.029249-2. Relator(a): Desembargadora Federal Margarida Cantarelli. Julgamento: 13/03/2002. Órgão Julgador: Primeira …
    Jurisprudência – JusBrasil
    http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca?q=PARALISIA…DO...
    TRF-5 – Apelação Civel AC 260276 PE 2001.05.00.029249-2 (TRF-5) … INAPLICÁVEL O ARTIGO 126 DA LEI Nº 5787 /72, RELATIVO AO AUXÍLIO-INVALIDEZ, …
    LESÃO SOFRIDA NO QUARTEL | Jurisprudência | Busca JusBrasil
    http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca?q=LESÃO+SOFRIDA...
    TRF-5 – Apelação Civel AC 260276 PE 2001.05.00.029249-2 (TRF-5) … INAPLICÁVEL O ARTIGO 126 DA LEI Nº 5787 /72, RELATIVO AO AUXÍLIO-INVALIDEZ, …
    Jurisprudência – JusBrasil
    http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca?q=NEGLIGÊNCIA+DO...
    TRF-5 – Apelação Civel AC 260276 PE 2001.05.00.029249-2 (TRF-5) … INAPLICÁVEL O ARTIGO 126 DA LEI Nº 5787 /72, RELATIVO AO … A teor do que prescreve o artigo 131 do Código de Processo Civil , o Juiz apreciará livremente as …
    Art. 140 da Lei 5787/72 | Busca JusBrasil
    http://www.jusbrasil.com.br/busca?q=Art.+140+da+Lei+5787%2F72...
    Legislação direta. Artigo 140 da Lei nº 5.787 de 27 de Junho de 1972. Art 140. … TRF-5 – Apelação Civel AC 260276 PE 2001.05.00.029249-2 (TRF-5). Data de …
    NEGLIGÊNCIA DO SUPERIOR HIERÁRQUICO | Busca JusBrasil
    ://www.jusbrasil.com.br/…
    TRF-5 – Apelação Civel AC 260276 PE 2001.05.00.029249-2 (TRF-5) … REFORMA, NOS TERMOS DO ARTIGO 140 , PARÁGRAFO 2º DO DECRETO Nº 57654 /66. … A teor do que prescreve o artigo 131 do Código de Processo Civil , o Juiz …
    Art. 91 do Decreto 57654/66 | Busca JusBrasil
    http://www.jusbrasil.com.br/busca?q=Art.+91+do+Decreto…c=1
    Artigo 91 do Decreto nº 57.654 de 20 de Janeiro de 1966 … que responder a inquérito policial militar ou a processo no Foro Militar, enquanto durar essa situação. … TRF-5 – Apelação Civel AC 260276 PE 2001.05.00.029249-2 (TRF-5).
    Paralisia Irreversível do Membro Inferior – JusBrasil
    ://www.jusbrasil.com.br/……
    TRF-5 – Apelação Civel AC 260276 PE 2001.05.00.029249-2 (TRF-5) … INAPLICÁVEL O ARTIGO 126 DA LEI Nº 5787 /72, RELATIVO AO AUXÍLIO-INVALIDEZ, …
    Jurisprudência – JusBrasil
    http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca?q=Art.+104+do...
    Artigo 104 da Lei nº 6.880 de 09 de Dezembro de 1980 …. 7580 ANO-1986 CPC-73 CPC -73 Código de Processo Civil LEG-FED LEI- 5869 ANO-1973 ART- 846 ART- … TRF-5 – Apelação Civel AC 260276 PE 2001.05.00.029249-2 (TRF-5).
    Jurisprudência – JusBrasil
    http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca?q=GARANTIA...
    TRF-5 – Apelação Civel AC 260276 PE 2001.05.00.029249-2 (TRF-5) … NOS TERMOS DO ARTIGO 140 , PARÁGRAFO 2º DO DECRETO Nº 57654 /66.

  • Ruy Carlos Barreto Ribeiro

    Qualquer categoria dentro do serviço publico não fica rico,exeto os com desvio de conduta.
    Os ‘MILITARES’ eram mais respeitados no regime ‘MONÁRQUICO’.
    É de extrema importância a ‘PROFISSIONALIZAÇÃO’,sem vínculo empregatício,mas pagar muito bem a todas as parentes.
    Tudo terá de mudar dentro da área militar,até o relacionamento com fncionários ‘CIVIS’,

  • Ruy Carlos Barreto Ribeiro

    Erro na escrita:patente e não( parente).

  • Triste filha

    Sou filha de militar e garanto que não é só pelo dinheiro. Os oficiais ditos de “carreira” são ultrapassados e autoritários em demasia. Os comandantes das OM’s utilizam viaturas do Batalhão para fazer mudança. Utilizam os cabos motoristas em finais de semana para benefício próprio(desvio de função que eu sei). Capitães que moram em PNR’s que só porque são OFICIAIS acham que podem pisar em todos e fazerem o que bem entendem. Sem falar no Sr. Enzo, que já está pra lá de ultrapassado e não se aposenta de jeito maneira. Triste é pouco.

  • jose rubens silveira machado

    vou repetir meu comemtario apos 3 ano e 6 meses imternado hos/ hce no rio de janeiro fui julgado invalido p/ o serviço militar. apos 36 anos de ref/ por inv/ cortaram o auxi/ que era de 1580/ osoldo de 1080,do qual deconto en folha 758 me sobrou 200reais deste 200 a cip vai descomtar 104 reais mesobra apenas 96 reais foi o que cometei e pedi quem pudece me ajudar com 5 reais para pagar minhas taixas. voi o que falei .

  • Gilberto

    Se você quiser saber porque seu texto foi deletado, por favor consulte as regras para publicação de comentários no blog no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado.

  • soldado fuzileiro naval da divanf

    sou solado fuzileiro naval , passo por coisas que contando que parecem mentiras , mas o que mais dói é não ser respeitado e não ser dignamente salariado pois faço manobras , UANF , missões ainda dou serviço 2×1 igual a um lixo para umas coisas que quem esta de fora não vê que é um absurdo quero passar para qualquer concurso publico

  • ricardo cooper

    Do ex-marinheiro e ex-praça do Exército Leonardo

    este post deve ser fake pois não ha como depois de ser marinheiro 3 anos, aos 21/22 anos tornar-se soldado do exercito. pois no exercito , como soldado so se entra pelo serviço militar inicial, ou seja aos 18 anos de idade
    ASSIM CONCLUO QUE PELO TEOR DESABONADOR AS FFAA SO PODE SER COISA DE UM NOVO “BARBA 2013”

  • ROBERTO LIMA

    Sou militar da ativa e já estou próximo de ir para a reserva, eu teria muitas coisas a dizer a respeito do militarismo e do descaso dos nossos políticos para com as forças armadas, mais só quero deixar aqui relatado a minha indignação a respeito dos coronéis e oficiais generais q só se expõe a falar dos problemas da caserna quando vão para a reserva, por que que não expõe para a imprensa os problemas quando eles estão na ativa? Espero que um dia os problemas relacionados ao militarismo venha ser resolvido pelos nossos políticos.

  • SG David

    Falando nisso, quando é que esses comandantes atuais das 3 forças vão se aposentar (largar o osso)? 70 anos não era o limite de idade?

  • KIRA DIAS

    Meu filho serviu o Exército por muitos anos, era atleta do pentato, era tudo maravilhoso.até ficar com hérnias por exesso de força,saindo do grupo por esses motivos,foi renegado e tratado com indiferença, praticamente obrigado a assinar papéis de baixa do exército.até hoje tem as hérnias pois fez uma cirurgia, e nem a tela colocaram, entrou na justiça, onde até hoje espera solução. entreguei um atleta, me devolveram um jovem frustrado e doente, um sonho que virou pesadelo. eu adorava ir ver ele no quartel, nas festas, desfiles etc… hoje; não gosto nem de falar e nem ver.

  • manoel pimentel gomes netp

    sou militar do exercito, e vivo bem desconfortável por esta na fronteira em uma guarnição especial na amazônia, cumpro com minhas obrigações do dia a dia, mas não aceito a diferença entre as guarnições especiais de fronteira do exercito, como por exemplo, em tabatinga existem pelotões especiais de fronteira com o ganho e 2 ( dois por cento)ao dia e ja não entendo a grande diferença dos PEFs (pelotões especiais de fronteira)que localizam-se na de São Gabriel da Cachoeira, que tem por algum motivo que “não se sabe” quais, não ganham essa representação, julgo que os são os mais precário se tratando de logicística e acesso. por isso mina indignação, mas trabalho aqui como se estivesse trabalhando em qualquer outra empresa, faço oque é de minha responsabilidade, entretanto, estou papirando como nos mesmo falamos,minha meta é meter o pé logo, em breve, e o ministério da defesa querer eu ainda espero a sensibilidade para pagarmos oque é de direito de cada um…

  • do ex soldado de 1 classe que nao identifica o posto

    fui s1 e agora sou gm em são Paulo ganho quase igual a um capitão
    forças armadas tao falidas

  • JOÃO ROSENDO DA SILVA

    Atenção militares das Forças Armadas, digam não para o governo do PT, a não ser que queiram continuar no sofrimento. As FA juntamente com seus familiares, parentes e amigos poderão fazer a diferença em 2014.
    Um soldado da PM do DF, deve ganhar quase igual a um oficial iniciante das FA.

  • Alexandre

    Sou suboficial da aeronáutica e, faltando 2 anos para me aposentar, não vejo luz no fim do túnel. Pedi transferência para Brasilia e estou me preparando para prestar concurso público. Não aguento mais a humilhação de após 28 anos de serviço ganhar menos que qualquer concursado distrital.

  • SG David

    Concordo que a gente deve dizer não ao governo do PT. Mas não devemos esquecer que se o PT não ganhar, quem ganha é o PSDB. E foi no governo do PSDB que começou o nosso suplício financeiro. Fernando Henrique Cardoso cortou vários benefícios, como a LESM (Licença Especial de Seis Meses); criou o tal do “soldão”, que acabou com muitas gratificações que tínhamos. Além do mais, no governo do PSDB não tivemos nenhum aumento. Foi Lula que nos deu as “reposições”. Ou seja, se correr o bicho pega, se ficar…

  • Newton

    Se você quiser saber porque seu texto foi deletado, por favor consulte as regras para publicação de comentários no blog no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado.

  • antonio carlos r. anoel

    eu sou militar do exercito e o meu salario sor da para dar a comida dois meu cachorrinho.isso e uma vergonho dilma e de seus subordinados.

  • francisco

    As Forças Armadas vai de mal a pior e uma grande parcela de culpa é dos comandantes que não fazem nada. É preciso levar os problemas para a Presidenta e cobrar solução rápida.

  • Jorge Gomes

    A culpa das Forças Armadas estarem na penúria começou com o governo. E o desastre total aumentou porque os militares, sargentos e oficiais, de cérebros diferenciados, pularam fora ao perceberem que ali era um barco furado. Tá faltando comando.

  • davi

    Se as Forças Armadas estão ruins para uns, estão perfeitas para outros. Atualmente é o melhor celeiro para incompetentes, pucha-sacos e outras espécies de Oficiais idiotas, emfim atingirem o Generalato. A receita é simples: Usar o Regulamento Disciplinar contra os subordinados mais visionários (e por isso perigosos questionadores), esperar a desistência dos mais preparados e em seguida…. O velho “saco” de político como corrimão da escada do sucesso.

  • Ex Of Mara

    Para o que fazem ganham muito bem. É o dia inteiro preocupados com a limpeza dos quartéis, lustrando os dourados, varrendo pátio, aparando grama, corridinha matinal, pelada e parada (uma reunião de pé completamente inútil e ridícula).
    Depois é só burocracia interna que não serve pra absolutamente nada. O salário é até demais.
    Palavra de um ex-primeiro-tenente, hoje auditor fiscal.

  • Jonas

    Sobre o comentário do “Ex Of Mara”, tenho a dizer que concordo, mas não podemos ser injustos com o pessoal que serve embarcado no navios; com o pessoal da hidrografia, que sinaliza nossa costa; com as capitanias dos portos, que fiscalizam os aquaviários; com os hospitais navais, que cuidam da nossa saúde; com os centros de formação em geral; dentre outros que prestam um grande serviço à nação. Embora saiba eu que tudo que ele falou pode acontecer mesmo nos locais que citei.
    Parabéns ao “davi”, pois o comentário dele resume bem uma das mazelas da nossa querida MB.

  • The Wall

    Sucateamento programado. Por motivos óbvios!

  • Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na "Socialização" - Estou entre os 80 milhões

    Entenda Como Atuam Os Comunistas – Pt E Afins O Método Socialista Para Desestabilizar Uma Nação
    http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2013/12/entenda-como-atuam-os-comunistas-pt-e.html

  • roberto habenschuss

    Ricardo
    Antigamente tinhamos nas forças armadas como a reserva moral do nosso país.
    Não que estas forças tenham se deteriorado, pois nunca se soube de nada pertubador.
    Ela não perdeu a reserva masvesta adormecida e ajuda o poder atual a fazer estas barbaridades que acompanhamos pelos jornais.

  • Luiz

    Parte dos problemas é que os comandantes mais antigos são saudosistas da época da ditadura e destroem qualquer jovem militar com pensamento mas progressista. Os atuais comandantes estão mais preocupados em defender os torturadores do que com a qualidade das forças armadas.

  • lizandro tramonte

    estamos trilhando um caminho que não temos noção onde vai desaguar.

  • Claudio

    Alguém consegue explicar, por exemplo, que na Aeronáutica, onde existem diversos quadros ( administradores, médicos, economistas, engenheiros, etc.), apenas os oficiais aviadores (aqueles que pilotam os aviões) atinjam os mais altos escalões da instituição, ou seja, apenas os aviadores chegam a brigadeiros 4 estrela? Sem falar que são apenas esses oficiais que podem ser indicados depois para serem Ministros do STM (Supremo Tribunal Militar).
    Daria para entender uma “empresa” que apenas os motoristas pudessem chegar aos cargos de diretores e de presidente? Creio que não, mas lá na Aeronáutica é assim e todos pensam que é normal.

  • FORÇAS ESPECIAIS

    O Exército pode ter seus defeitos, mas ainda é uma Instituição de nobres soldados. Sempre darei minha vida, se preciso for, para honrar as Forças Armadas. Sou Comandos, Paraquedista e Forças Especiais e levo comigo a seguinte frase: ” UM HOMEM QUE TEM UM PREÇO, NAO TEM VALOR “. COMANDOS !!!!!!!!!!!!!!

  • aldo soares

    “Pensei que era moleza mas foi pura ilusão conhecer o mundo inteiro sem gastar nem um tostão…[herbert viana]. As F.Armadas, o Jornalismo, a Religião católica estas são ,ainda,prestigiadas pela sociedade com um alto grau de credibilidade pois, defendem com a verdade um todo, não uma parte.Em via contrária estão nossos congressistas;[há exceções]atuam em bases,onde há o retorno,o voto. Ninguém entra no serviço público pensando em ficar rico.Mas…muitos políticos em poucos anos de mandato amealham fortunas totalmente incompatíveis a seus vencimentos, ostentam acintosamente e quase não são incomodados pelo MP,TSE,PF,etc.É a imunidade a que tem direito, acima da lei do cidadão comum. Esbarram no STF e raríssimas vezes perdem o mandato.Pilham,galhofam,humilham,no intento de ofuscar os brios,o moral a dignidade das F.Armadas descumprindo o decreto 24/667/69 onde diz que as Forças auxiliares não podem ter seus salários superiores à F.Federal [Pm do DF]. Os Soldados chegaram primeiro, depois os políticos.A Democracia é feita para civis e cerceada a Militares; muitos direitos nos são vedados {pensão vitalícia a filhas;errado]em se tratando de nos dar o que temos direito nos desvinculam dos direitos dos cidadãos civis.Autos concluso,parabenizo o nobre Jornalista R.SETTI por ter trazido o dilema do pessoal das Forças a público coisa que parece não interessar a outros jornalistas com o temor de ficar com a pecha de defensor dos Militares. Já que nos proíbem o manifesto público o faça por nós.

  • Guilherme Coutinho

    Caro Ricardo Setti, sua coluna vai muito bem durante esta sua merecida ausência de férias, o que me fez reler vários outros textos de sua lavra e chegado até este atual da insatisfação dos militares.Insatisfação pertinente,tanto que me fez pensar sobre a nossa figura maior do nosso império, o D. Pedro II. Coisa interessante me vi incorporado nesta régia personagem e assim passo a contar…
    ….Um pequeno arrepio passou pelo meu corpo, não estava com frio, meus olhos fitaram naquele instante algo que não sabia ao certo o que era… uma lembrança… um desejo… sim … havia a algum tempo adquirido o Les Propheties de Miquèl de Nostradama, lia as belas quadras em latim, ansiei que o meu pajem não o tivesse colocado entre os outros pertences da minha bagagem que jazia no porão e, sim naquelas da cabine do Parayba. Porque fui assaltado por tais pensamentos. Havia um sonho em andamento, irreal talvez, busquei meu relógio pela sua corrente presa ao colete, a tampa sob um comando instintivo dos meus dedos, de tantas vezes abriu-se, há quatro horas atrás estava sendo acordado pelo Ten Cel. Mallet. Agora, após este lapso me via observando a costa, a cidade, meu império, de uma tenda improvisada, sob a chuva daquele dia de domingo, 17 de novembro de 1889, no tombadilho do Parayba. Meus olhos novamente voltaram a lembrança daquelas quadras como alguém procurando um caminho sob a névoa descortinada. A chuva dançava a minha frente, figuras desconhecidas apresentavam-se. Meu passado ficava sem sentido, como que muito longínquo como aquelas constelações que observava nos instrumentos do meu observatório. Sei que aspirei uma pátria melhor, meu passado é a melhor prova, a melhor fundação daquela fortificação que chamo de Brasil. Meus pensamentos navegavam aos saltos, luze-luze como aquelas observadas na abóboda celeste. O que passou foi como diversas imagens do meu DAGUERREÓTIPO, folheadas rapidamente. Tive a abstração destes acontecimentos tal como Miquèl. Em minhas quadras mentais estavam a existência, pós império, para a nascedoura república, mas ainda a mesma pátria dos meus sonhos, para os seus próximos 123 anos da República no Brasil, haveriam : 2 golpes de estado e 15 militares no comando, 27 civis no poder central, uma revolução social; 7 presidentes empossados sem voto algum, 4 deposições presidenciais, 9 eleições indiretas, 20 eleições diretas, 6 chefes da nação assassinados, três renúncias presidenciais.
    Voltei, o conde Mota Maia, meu médico particular, com uma expressão de condescendência pesarosa me chamava para a cabine, estávamos de partida para o Alagoa, fundeado em Angra dos reis, e daí para o exílio. Num último suspiro desejei, ardentemente, uma boa sorte ao meu Brasil, afinal minhas aflições eram apenas nos meus sonhos maus.

  • Sir ney Brasil de paz...

    Militarismo não é pra frouxo! Vai procurar tua turma! Pede pra sair!

  • golias

    Se as Forças Armadas estão ruins para uns, estão perfeitas para outros. Atualmente é o melhor celeiro para incompetentes, pucha-sacos e outras espécies de Oficiais idiotas, emfim atingirem o Generalato. A receita é simples: Usar o Regulamento Disciplinar contra os subordinados mais visionários (e por isso perigosos questionadores), esperar a desistência dos mais preparados e em seguida…. O velho “saco” de político como corrimão da escada do sucesso.

  • j r c f

    discordo de todos,pois sabiam antes de entrar que a carreira militar não faz ninguém irriquecer.todos os militares são de classe media baixa e jamais serão ricos.agora ,entram em escolas publicas militares de alto nível de ensino,gastam o dinheiro publico em suas academias e depois dao uma banana para o povo que pagou seus estudos.deveriam sim, criar leis que obriguem a pagar os gastos com a academia se abandonarem a carreira antes do tempo previsto em lei.mais uma vez digo,todos entraram sabendo que iam ganhar um salario médio e nunca fortunas,portanto se querem se dar bem na vida financeiramente procurem a iniciativa privada ou a vida politica.vao todos chorar na cama que e lugar quente.

  • Ricardo Vieira

    Lembrem-se de 1889. A insatisfação dos homens de farda foi a principal pre-condição da queda da monarquia.
    Não e uma questão de enricar, mas uma questão de valores. Qual a importância e relevância de um praça, de um cabo, sargento, tenente, coronel, e general em tempos de guerra? Crítica, fundamental, ou não? E em tempos de paz? Igualmente critica e fundamental. Questiona-se a necessidade de um juiz? Mesmo as nações que desejam não guerrear possuem armas e muito bem estruturadas em termos de arsenal e tropa. Então, resumo que nosso pais não pode continuar esta trajetoria (premeditada pelas esquerdas de doutrina Gramsciana) de desconstrução das armas. Não se iludam comunas, nossos militares com palitos de dentes são mais mortais do que vocês armados ate os dentes.

  • Ricardo Vieira

    Ao Claudio – 28/12/2013 às 9:55: um pouquinho de camões para afundar o vosso argumento…

    …A disciplina militar prestante,
    não se aprende, Senhor, na fantasia
    Sonhando, imaginando ou estudando,
    Se não vendo, tratando e pelejando.

    Por isso os aviadores tornam-se brigadeiros.

  • Se raramente, rara é petista

    Já sabemos então que Bolsonaro nada fez pelo exército. Prefere brigar com Jean Wyllys

  • Adilson

    Servi o Exercito de 92 a 98 como Cabo, foram 6 anos perdidos profissionalmente, felizmente dei baixa e recomecei minha vida civil, atualmente estou vivendo no estrangeiro, na profissao de Barbeiro, o meu salario atual em Reais e de aproximadamente 15.000,00, tenho vontade de rir que o que ganho hoje e praticamente de um GENERAL de DIVISAO. Em conversa com um amigo de turma da epoca, hoje 3o Sargento a dizer que tem dificuldades mensalmente com um salario de fome de 2.400,00. A unica coisa que ganhei no Exercito foi me tornar mais corajoso nas decisoes da vida. em contra-partida, e uma Instituicao de Regulamentos antigos inadequados aos tempos atuais, sucateada em termos belicos, esfarrapadas em termos de logistica e o dia a dia da profissao e sem mais aproveitamento nenhum ou seja ZERO. De qualquer forma Brasil acima de Tudo!!! fiquem bem amigos de armas!!!

  • Guilherme Coutinho

    Voltei, a viagem continua….
    24 de novembro de 1889;
    Abandonei minha leitura do Miquèl de Nostradama, gosto de responsabilizar o fato ao mar que ficou mais agitado lá pelas costas Baihanas, e não ao curioso sentimento similar do nasciturno liberal que habitava n’alma régia em banida fuga, decretada em primeira mão pelo balaio de gatos antes mesmo de formalizar-se República . O Riachuelo, nossa escolta, nos abandonou, como nós (ainda me pego neste tratamento imperial eu e o Imperador… uma mesma dupla pessoa…) fizéramos ao Les Propheties.
    No Alagoas, o início de viagem foi relativamente calmo. Em minhas conversas com José Maria Pessoa, comandante do navio, eu tentava reconhecer os pontos da costa, para nada me referir, mesmo em pensamentos, à Proclamação da República.
    Ao passarmos ao largo da Ilha de Fernando de Noronha, o último pedaço de terra brasileira a ser avistada por todos no Alagoas , meu querido D. Pedro de Alcântara, o príncipe do Grão-Pará, de 14 anos, teve uma idéia. “Vamos soltar um pombo!”, proclamou. Todos assentiram neste delicioso prazer. Adiantando-me peguei um papel, e deitei as palavras “Saudades do Brasil”, todos assinaram embaixo, e a mensagem foi amarrada num pombo para que ele a levasse até Fernando de Noronha. Vim a saber, pelo moço do convés, que muito acanhadamente me informou, depois, de que todas as aves levadas a bordo para serem servidas nas refeições, tinham suas asas cortadas. O pobre pombo foi impelido por uma rajada de vento, mas logo caiu no mar, afogando-se com a mensagem “Saudades do Brasil” ante os nossos olhos consternados. Minha chegada à Europa tornou-se um objetivo de imperial urgência, dado a falta de notícias do balaio de gatos que havia deixado junto com a Capital, às escuras.

  • lourenço

    bom depois de ler os comentários e fatos relatados aqui não poderia ficar de braços cruzados e boca fechada então servi o quartel da aeronáutica durante 4 anos sempre me dediquei a minha missão mas não fui reconhecido pois queria muito um apoio e estrutura para uma carreira militar espero que nossos governantes acordão e vejam que estamos perdendo verdadeiros guerreiros por falta de estruturas cursos e um bom salario melhor ainda se estivesse estabilidade dês de soldado como fui e me orgulho apesar de muitos molambos ter ficado na carreira só por causa de provas e não de comportamento e disciplina militares como eu hoje sou reservista de 1 categoria sucesso brasil.

  • Jefferson Silva Filho

    Um país que não valoriza suas Forças Armadas não valoriza sua segurança e soberania.

  • Armando

    Enquanto estiver oficiais superiores apoiando guerrilheiros, é disso para pior. Só não entendo porque as forças armadas estão com o rabo no meio das pernas, subjulgados por uma merreca de ex baderneiros e deflagram a bandeira branca em rendição. Não esperem estes colegas, que o PT vai deixar as Forças Armadas serem realmente fortes. Guerrilheiros e baderneiros não gostam da disciplina e da ordem, tão pouco das Forças Armadas. Para piorar, as Policias Militares, continuam encolhendo com medidas e ordens de Não Façam, Não hajam, Não reprimam, Não socorram, Não percorram mais de 40 km por turno, (quer dizer, não persigam bandidos). Para piorar, alguns oportunistas e até reportes que deveriam ser inteligentes, vivem alardeando os “maus tratos e truculência da policia”. Continuem tratando meliantes como se cidadãos fossem e vão ver onde este Pais vai chegar. Espero que o Povo Idiota se mecha e interrompa esta escalada de proteção a vagabundo, e ajude a restaurar as autoridades das Forças Armadas como era na década de 1970. Vamos engraxar os Coturnos, moçada. Aos amigos que estão na ativa, ao invés de jogar a toalha, briguem pela restauração das Instituições e Armas.

  • Paulo Sérgio

    Sou Sargento da Força Aérea, a 27 anos, sei que poderia ter um futuro brilhante na vida civil, as vezes questiono a vida militar, mas quando presencio a liberdade de expressão e atuação do ser humano na vida civil, notamos que deve ser controlada, devido a possibilidade do mesmo se auto destruir. As forças armadas fazem seu papel fundamental junto à sociedade, por mais que seja repassada a sociedade o verdadeiro papel, a intenção do mal intencionado é distorcer. Os que lá passaram, sentem-se saudades e falam muito bem desta amada instituição, criam grupos de amizades e vínculos sociais, com certeza os que a criticam, nunca esteve em quartel, não sabe de nossa atuação/rotina, do que fazemos jus, se merecemos ou não. Por outro lado, sim, me preocupo com o futuro das forças e do Brasil. A propósito, em momento algum vi algo sobre patriotismo.

  • José Tadeu

    Sou Soldado e sofro constantemente com a escala de serviço do quartel , chegou ao ponto de que eu tive que triplicar o serviço ficando dias 30/31/1 de serviço seguido e sem descanso , eu nem sei se isso é possível segundo as leis militares e gostaria de saber se alguém que tenha conhecimento sobre o RISG poderia me responder .

    Realmente é lamentável a situação que as pessoas passam no exército , tenho um amigo que serve na Vila Militar RJ e a escala de serviço do sujeito fico durante 6 meses 1 por 1 .

  • José Tadeu

    Sou Soldado e sofro constantemente com a escala de serviço do quartel , chegou ao ponto de que eu tive que triplicar o serviço ficando dias 30/31/1 de serviço seguido e sem descanso , eu nem sei se isso é possível segundo as leis militares e gostaria de saber se alguém que tenha conhecimento sobre o RISG poderia me responder .

    Realmente é lamentável a situação que as pessoas passam no exército , tenho um amigo que serve na Vila Militar RJ e a escala de serviço do sujeito fico durante 6 meses 1 por 1 .

  • sargento da marinha

    as forças armadas “sobrevivem” porque ainda existem brasileiros, verdadeiramente, comprometidos com a farda que vestem, por amor à pátria e a soberania da nação. Pois temos milhares de militares com nível superior que poderiam abandonar a sua “missão” e se entregar como derrotado….POIS O BRASIL NECESSITA DAS FORÇAS ARMADAS E NÃO QUER RECONHECER TAL FATO….”O BRASIL ESPERA QUE CADA UM CUMPRA COM O SEU DEVER” GOVERNANTES…CUMPREM COM OS SEUS.

  • sg Reformado da MB

    Fiquei 13 anos na ativa da MB, sofri um acidente de serviço e fui reformado, posso dizer que mesmo com uma pequena deficiência no pé agora estou muito mais feliz, todo dia vejo meus filho, trabalho por conta própria, ganho muito mais do que uma Almirante, fora O PG de Sg. Qto mais trabalho mais ganho o diferente das MB qto mais trabalha mais serviço aparece, pois quem é bom so ganha imput.Ou seja, ja vi SO dando 2 por 1, o cara com quase 30 anos de casa e dando 2 por um…. lamentável….

  • CB Marinha do Brasil

    Dia 19 de janeiro vou fazer 10 ano de Marinha, sou praça e graduado em enfermagem e não vejo expectativa de crescer com minha graduação dentro da Marinha, muito pelo contrário a maioria dos oficias da MB não gostam que a praça estude, muito menos que chegue ao oficialato, eu para poder ser um oficial tenho que prestar um concurso a nível nacional onde a proporção candidato/vaga é mais de 1000 (mil). Sendo que os civis tem muito mais tempo para estudar, pois como foi supracitado temos 36 horas de serviço! O que é mais desanimador é que NINGUÉM OLHA POR NÓS a não ser DEUS!

  • Leo Cientista

    O q ocorre de fato aqui é o seguinte: choradeiras de sargentos, q passam 10, 20, 30 anos e ñ veem perspectivas profissionais e salariais na carreira e vêm meter o pau na instituição. Outra situação são os q saíram das FFAA e ingressaram em algum cargo público e vêm apresentar salários irreais q superam os salários de fome dos militares. Então, para esclarecimento dos verborrágicos sem freio, meu salário de major está, sem os 20% nos próximos 2 anos, é de 11.600,00. Isso porque ñ sou paraquedista nem aeronavegante. Portanto, se querem triar onda, q o faça com os praças, pois com os oficiais superiores ñ dão conta ñ. Outra coisa: eu conheço efetivamente qto os órgãos pagam para os demais servidores. Então, um auditor-fiscal recebe acima de mim, assim como um auditor do TCU entre outros cargos TOP. Agora, servidor do Judiciário, se ñ for magistrado meu caro, venha tirar onda com o seu salário de 7.000 (NS) ou 4.500 ( NM) com os praças, q, no pau da goiaba, para o cargo de NM q o cargo de sargento exige, está praticamente paralelo. E qdo venho aqui, o faço com propriedade, pois tenho amigos do QCO q saíram para certos órgãos, pilhados por alguns, e se arrependeram. Cm exceção daqueles q são de cargo TOP (TCU, RFB, Perito/Delegado PF), todos se arrependeram. Detalhe: daqui a 6 anos vou para a reserva como coronel – com 30 anos de serviço e ñ preciso ficar escravo para trab 35 anos ou mais -, vou advogar aí fora, pois vou embora mt jovem, e ñ preciso ficar chorando igual um monte de recalcados aqui. Conselho: estudem como eu e parem de choramingar, pois se eu agisse como a maioria aqui, seria mais um subtenente frustrado e desesperançoso.

  • ELIEZER

    É com imenso desprazer ao falar de nossos proventos, pois, ao saber que esse governo cria Força Nacional, oferecendo diárias e ganhos, esquecendo de militares capacitados para qualquer situação, seja à guerra até ao GLO, não podemos nem se inscrever para tal Força. Ficamos esuqecidos, por uma pessoa que tem em seu passado uma ficha criminal.

  • COMANDOS !!!!

    As Forças Armadas são uma instituição feita para homens e não para recalcados que apenas sabem lamentar. Sinto pena desses fracos praças ( soldados, cabos, subtenentes/sargentos) que não sabem dar o valor devido ao Exército. Muitos praças estariam, numa hora dessas, morrendo de fome se o Exército não tivesse lhes dado essa oportunidade. Ao invés de cuspirem no prato que comem, deveriam era trabalhar para engrandecer o nome das Forças Armadas. COMANDOS/BRASILLLL !!!!

  • pedro silva

    ao COMANDOS das 05/01/2014 às 11:34
    as FFAA estão nesta situação por causa de militares da sua estirpe que tem apenas um olho…. nesta reportagem vários oficiais (de arma, engenheiros e médicos) criticam o sistema e vc vem falar dos praças! Vc é o legítimo militar que se esconde em baixo das estrelas levando tirania nos quartéis do Brasil a fora. Num combate Real tu és um grande candidato de levar uma bala nas costas…por causa de atitudes como esta… Te cuida.

  • jose weliton f. de souza

    concordo plenamente com os comentarios de frustaçoes dos militares das forças armadas. graças a DEUS sou civil, porem tenho varios amigos que já desistiram de seguir nas forças armadas, pela inversão de valores, ou seja não são reconhecidos na pratica pelo que eles representam, desde o soldado ao oficial. E- vergonhoso se comparar o salario, por exemplo de um major com o salario de um promotor de justiça. Não que o promotor ganhe muito mas é uma vergonha o que ganha um oficial de uma instituição tão importante como as forças armadas. Isto é uma vergonha.

  • Pazzini

    Infelizmente anualmente ingressam nas FFAA centenas de cidadãos sem o mínimo do perfil para essa profissão, estão tão somente em busca de um emprego. Isso é fatal. Nessa área, sem vocação a vida o indivídio se torna um inferno. Para esses disciplina intelectual não significa absolutamente nada, lamento pelos comentários equivocados.

  • adrino pereira

    Não publico incitações a greve nem abaixo-assinados, seja qual for a causa.

  • adrino pereira

    A mídia está enganando o país com pão e circo da copa. GLOBO + RECORD + BAND = PT

  • adrino pereira

    Não publico comentários que incentivem o descumprimento da lei.

  • adrino pereira

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • CLOVIS AMARAL

    Está ruim e ficará muito pior. Não temos representante. Os três comandantes não representam ninguém só eles próprios. Pergunto quando nesses 12 anos de PT os comandantes militares foram recebidos pelo presidente? Sou sargento e estou muito bem de vida porque depois que fui para reserva em pouco tempo ganhei dinheiro e honestamente, mas fora do quartel. Fico triste ao ver um militar em fim de carreira sem ter casa própria e nem um carro para se locomover. Tem muitos nessa situação. Eu sei como melhorar e acabar com essa pouca vergonha é só me dar o comando de toda a vila militar no RJ por uma semana. Todos quarteis sob meu comando.

  • Almiro Rogério Ferreira

    É a mais pura realidade tudo o que foi escrito e opinado aqui pelos companheiros militares, que a verdade seja dita, tem que ser falado mesmo porque é uma coisa que todo mundo está vendo, seria maravilhoso se tudo o que foi escrito aqui chegasse ao conhecimento das nossas autoridades, nossas forças armadas na verdade caminha no caminho do “DESPRESTÍGIO” (como foi citado acima, aos voluntários para servir a caserna, deixo aqui minha opinião de mais de 20 anos de bons serviços prestados: “forças armada, só se for por amor a pátria, porque como meio de vida, não dá…”

  • IVANILDO VANDERLEI DE LIMA Vanderlei-

    Servi a Força Aérea por mais de 33 anos, cheguei ao posto de capitão, apos ter realizado concurso interno, pois se não fosse isso teria ido para reserva remunerada como sub-oficial. Como oficial assumir muitas funções e muitas responsabilidades, pois fui comandante de três destacamentos na região amazônicas, onde comandei diversos graduados e praças, além de gerenciar um patrimônio de dezenas de milhões de dólares.Pensei que pelo menos tivesse uma homenagem, após todo esse tempo de serviço,mas nem mesmo um muito obrigado do escalão superior. Hoje me pergunto, será que valeu a pena eu ter me dedicado tanto assim ? o que recebo hoje de aposentadoria mal cobre minhas despesas mensais com alimentação e saúde de minha família. Portanto, perguntamos aos nossos comandantes militares, será que vale a pena servir ao nosso pais como militar ? Se eles forem honestos certamente vão dizer que não !

  • victor gabriel

    o exercito,em geral ja acabou a muito tempo,principalmente com esses tais direitos humanos onde enfraqueceu muito mais a forças armadas.Quem ja foi ou quem ta dentro sabe que tudo isso é ilusão(forças armadas) e que la dentro não é lugar para preocurar felicidade.
    Então deixo meu conselho,seja feliz no seu mundo paisano.

  • tamires mendes

    minha duvida e quem tem parente lá dentro do exercito pode envia carta conversa por carta

  • Sargento da Marinha Rodrigues

    Iniciando 2014 …dentre todas as retiradas que nos estão proporcionando no contra-cheque eis que agora o mais absurdo tão nos tirando as movimentações e pior perceberam o quanto o militar sofre longe dos parentes que pleiteião deixar a movimentação só pra quem tem interesse de se movimentar sem receber um tostão e não é só isso temos que nos virar pra achar um companheiro que queira trocar pois a movimentação será na base de troca e ainda teremos que esperar a boa vontade do sistema mesmo não sendo indenizados. As foças Armadas esta a um passo de fechar as portas!!!!!

  • JEFFERSON

    Cinco coisas que realmente importam nas Forças Armadas:
    1-Armamento; 2-Munição; 3-Onde está a chave?; 4-Quem deu a ordem?; 5- Onde está escrito? ; e…
    Cinco coisas que eu não acredito nas Forças Armadas:
    1-Lealdade; 2-Família Militar; 3-Conceito; 4-Promoção; 5-Transferência.

    (Quem é militar entende.)

  • alvaro jose teles pacheco

    Acho que os brasileiros querem, assim como o Governo, acabar com as FFAA. Então acabem logo com isso e assumam as consequências no futuro. Aliás, as FFAA já acabaram e não sabem, como o povo tembém.

  • Evaristo

    Caro Evaristo, as regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Também não sou bobo para você tentar me enganar, enviando duas vezes o mesmo comentário sob nomes diferentes.
    Obrigado

  • SÍLVIO JOSÉ

    Saiam logo, procurem fazer concurso público principalmente quem é engenheiro do IME. Saiam ligeiro!!!!!!!!!

  • Marco Balbi

    Oi Setti! Como rende o assunto?! Vou ver se consigo os números finais do ano de 2013! Abração!

    Muito obrigado, caro Balbi. Acho importante continuar a debater o tema e a expor os problemas.
    Um grande abraço

  • Amâncio

    É uma vergonha a fumaça preta saindo de um veiculo, no desfile militar.
    Continua a vergonha, o exército continuar a usar o mesmo fuzil, que usavamos em 1971, o FAL já era velho e dava trabalho para ajustar a mira.

  • ney Brasil de paz...

    Quem mandou votar no PT?

  • ney Brasil de paz...

    O dia que eu ver um filho de General cumprindo o serviço militar, ai…melhora!

  • sergio roberto masucci

    Não publico comentários, conclamações, apoios ou quaisquer manifestações simpáticas à quebra da ordem constitucional.

  • não erro uma

    Além de ser quase incompreensível, por mal escrito, seu comentário envereda por defender a ruptura da ordem constitucional — e isto eu não publico aqui de modo algum.

  • não erro uma

    ” … .sergio roberto masucci
    – 16/01/2014 às 16:47

    Não publico comentários, conclamações, apoios ou quaisquer manifestações simpáticas à quebra da ordem constitucional. . ”

    meus parabéns! BASTA DE VIOLÊNCIA…… correto, até porqeu já tem muita gente fazendo isso…. 2014 será longo, pelo qeu podemos sentir, infelizmente…..

  • MJ Leal

    Entrei para a FAB aos 18 anos atravéz da EEAR e quando cheguei a 1º SGT – Especialista, fiz o CFOE e fui promovido a 2º Ten (aos 33 anos) Entre uma coisa e outra, formei-me em engenharia mecânica (curso noturno) e fiz um mestrado em engenharia automotiva. Tive a chance de ser contratado por uma montadora mas escolhi continuar na Aeronáutica. Hoje, aos 48 anos, sou major da reserva e estou empregado como professor em uma universidade. Antes disso, dei aulas em cursos preparatórios e colégio técnico. Não me arrependo de nada, e não tenho do que reclamar da FAB.
    Tenho casa própria, apartamento na praia e dois bons carros na garage.
    Não me casei cedo como a maioria dos militares, e por isso, quando formei família, tinha condições de lhes dar conforto. Meus filhos estudam em ótimo colégio particular, e duas vezes por anos levo a família em viagens pelo Brasil e às vezes ao exterior.
    Dentre os colegas de minha turma na EEAR, a maioria se contentou com o curso ali ministrado, e nunca subiu de posto além de suboficial.
    ser militar requer, assim como qualquer outra profissão, vocação. Quem não nasceu para isso, quem não está feliz, ou quem não tem como progredir (poucos passam para o CFOE) deve realmente procurar outro caminho.
    Há, de fato, muitas carreiras que pagam mais, e se ese é o objetivo (ganhar muito dinheiro) as FFAA não são o melhor emprego.
    Como dizia minha avó: os insatisfeitos que se mudem.

  • Toninho Malvadeza

    Os componentes todos das forças armadas do Brasil,esperarem coisas boas de um governo comunista,é ser muito,muito ingênuos.

  • Padre Antony

    Antes de seguir carreia eclesiástica, servi na 23 brigada de infantaria de selva no Pará.Roçava mato todo o dia com foice e facão, muita fazia e pouquíssimo aprendizado. Perda de tempo pra que é inteligente..

  • fernando

    Não publico comentários que de alguma forma exaltem o golpe militar de 1964 e/ou a ditadura que se lhe seguiu.

  • Weber

    Sei que muitos discordarão de meu posicionamento, mas o problema da baixa auto estima e evasão que existe dentro das forças armadas hoje, deve-se exclusivamente ao fato das policias militarizadas estaduais ofuscarem o brilho dos militares das forças armadas cujo único dever é dar a vida pela nação, que é muito diferente de policiar o cidadão.

  • 2ºSG da Marinha

    É incrível o que vivemos hoje! Há uma grande evasão de militares, que as 3 Forças não sabem lidar com isso. Usam do desespero e enxertar seus quadros com militares temporários, que têm tempo de formação menor, em pelo menos 6 meses em relação a um militar de carreira. A grande decepção dos militares, sobretudo praças, se deve à desvalorização remuneratória, à falta de equipamentos atualizados e operacionais, à falta de superiores pró-ativos (só tem puxa-saco), são inúmeras. O governo nos trata com descaso, a nossa imagem é severamente massacrada pela sociedade que vão pelos discursos enfadonhos dos políticos que ressuscita o fantasma da ditadura.A Presidenta “passa a mão na nossa bunda” e nós somos obrigados a ficar calados. Nossos comandantes são absurdamente omissos, frouxos e corruptos.Estamos hoje entrando em colapso. Enquanto as cinco maiores economias do mundo lançam mísseis, em seus exercícios, como se estivessem jogando arroz em recém-casados, aqui mal temos simuladores, quando há lançamentos é uma vergonha.São muitos os motivos de descontentamento.MAS SE PELO MENOS TIVÉSSEMOS NOSSOS SALÁRIOS MAIS DIGNOS, ESTARÍAMOS UM POUCO MAIS CONTENTES. Enquanto um Soldado da PMDF, em formação, em seu primeiro ano de serviço, ganha R$ 3300,00, eu 2ºSG com 16 anos de casa, ganho a mesma coisa. É ou não é uma vergonha?

  • Lili

    Por coincidência, os dois comentários abaixo, favoráveis ao “status quo”, eram de militares com patentes superiores a capitão, por que $erá?

  • 2ºSG da Marinha

    É incrível o que vivemos hoje! Há uma grande evasão de militares, que as 3 Forças não sabem lidar . Usam do desespero e enxertam seus quadros com militares temporários, que têm tempo de formação menor, em pelo menos 6 meses em relação a um militar de carreira. A grande decepção dos militares, sobretudo praças, se deve à desvalorização remuneratória, à falta de equipamentos atualizados e operacionais, à falta de superiores pró-ativos. O governo nos trata com descaso, a nossa imagem é severamente massacrada pela sociedade que vai pelos discursos enfadonhos dos políticos, que ressuscitam o fantasma da ditadura.A Presidenta “passa a mão na nossa bunda” e nós somos obrigados a ficar calados. Nossos comandantes são absurdamente omissos, frouxos e corruptos.Estamos hoje entrando em colapso. Enquanto as cinco maiores economias do mundo lançam mísseis, em seus exercícios, como se estivessem jogando arroz em recém-casados, aqui mal temos simuladores, quando há lançamentos é uma vergonha.São muitos os motivos de descontentamento.MAS SE PELO MENOS TIVÉSSEMOS NOSSOS SALÁRIOS MAIS DIGNOS, ESTARÍAMOS UM POUCO MAIS CONTENTES. Enquanto um Soldado da PMDF, em formação, em seu primeiro ano de serviço, ganha R$ 3300,00, eu 2ºSG com 16 anos de casa, ganho a mesma coisa. É ou não é uma vergonha?

  • COMANDOS !!!!

    As Forças Armadas sempre irão existir, e, independente de comportamentos individuais e mesquinhos, que apenas visam interesses particulares, elas sempre cumprirão o seu mirter, que é defender com o sacrifício da própria vida essa nação (juramento que fizemos ), se um dia preciso for. Se alguém se acha injustiçado pela Força, eu tenho uma frase para tal situação : ” A porta da rua é a serventia da casa “. E tenho outra frase que levo comigo : ” Um homem que tem um preço, não tem valor “. FORÇAS ESPECIAIS !!!!!

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Amigo Setti:
    O excelente e fantástico artigo do Luiz Claudio qu te enviei,seria mais um Post para reflexão dos papel institucional das Forças Armadas.
    Grnde abrço
    Pedro Luiz

    Concordo inteiramente com meu amigo Luiz Cláudio, que me havia, já, enviado o texto tão logo o produziu.
    Só não o publiquei pela extensão.
    Abraço

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Caro Weber:
    Toda a razão em seu comentário,as Forças Armadas são para proteção do povo -“O Povo desarmado merece o respeito das Forças Armadas…”
    Acabou felizmnte a lei de segurança nacional – nunca mais o tal do Inimigo Interno!
    Viva a democracia e a legalidade.
    Grande abrço
    Pedro Luiz

  • Santana*100

    Pedro Luiz Moreira Lima – 18/01/2014 às 12:59
    ” Acabou felizmnte a lei de segurança nacional – nunca mais o tal do Inimigo Interno”

    #######
    Caro senhor, inimigo interno sempre existiu e sempre existirá, independente de país ou forma de governo.

  • Alvaro

    Caro Setti!
    aproveito teu post Gostaria de sugerir alguns tópicos se no caso vier a ser feito uma nova reportagem sobre as forças armadas.
    Transparências nas provas de concursos e nas contratações das forças armadas do (Brasil).
    Motivos
    1) qual o critério para ser oficial das forças armadas, pois pelo que me consta o militar é um funcionário publico federal e a prova seletiva é dada por militares ou seja são os pais ministrando provas de um concurso publico federal para seus filhos. (interessante)!
    2) quanto a escola de sargento a mesma coisa acontece, pois existe no país cidades com aquartelamento e de pequena população que tem o maior índice de aprovação no curso de sargentos que é um concurso de nível nacional, (novamente os militares é que ficam na sala aplicando as provas) e nas salas de provas do país vão haver candidatos civis e candidatos que servem no mesmo quartel dos aplicadores da prova(novamente interessante).
    3) hoje o ingresso nas forças armadas como os próprios militares dizem é por peixada pois o salário de um soldado engajado que é o posto mais simples de um quartel fica em torno de R$ 1.200,00 o tempo de serviço é de 8 anos.
    O salário de cabo é de R $ 2.170,00 e o tempo de serviço é o mesmo.
    No caso hoje os quartéis são sistemas familiares, pois sãos os filhos, sobrinhos, primos afilhados de militares que ingressam todo ano nas forças armadas .
    4)Concursos de OTT e STT, também existem nos quartéis dependendo das necessidades. Concorrentes para OFICIAIS TECNICOS TEMPORARIOS E DE SARGENTOS TECNICOS TEMPORARIOS, muitos fazem fila para inscrição só que a seleção dos mesmos e feitos dentro dos aquartelamentos e mais uma vez será selecionados os peixadas, ou seja, esposas, irmãos, noivas, primos, primas, etc…
    Se houvesse uma guerra contra o Brasil teríamos uma grande probabilidade de termos famílias extintas .

    Caro Álvaro, obrigado por seu interesse pelo blog e por suas sugestões.
    Um grande abraço.

  • andre santana

    senhores,sou ex soldado do exercito brasileiro,incorporei no 38 batalhao de infantaria no estado do espirito santo em 2010 e fui licenciado em marco de 2012 por imcapacidade fisica.no ano de 2010 me tornei o soldado de melhor apitidao fisica da 1 cia de fuzileiros,fui designado a competicao de melhor do batalhao,durante a compaticao,estava liderando,ate que por causa do grande esforco fisico sem descanco,lesionei meu ombro esquerdo,mesmo machucado com meu ombro saindo do lugar continuei nas atividades do batalhao,1 ano depois fizeram minha cirurgia,onde fixaram 4 parafusos depois de 6 meses me dispensaram,e nao quizeram me reformar,hoje em dia sofro mto com dores no ombro,mesmo com tudo isso ainda tento voltar pela essa.

  • José Fernando

    Quando fui militar, isto em 1978, as forças armada já estavam sucateadas.
    Imagine agora, concordo em gênero número e grau, com tudo falado acima, nosso pais, está mal em todos os setores.
    Não falta dinheiro, falta gerenciamento desse dinheiro.
    Quanto a parte de amor a pátria, nossos líderes conseguem tirar de nosso povo.
    Vou parodiar um provérbio Árabe:
    “Olho homens são ratos, vejo seus olhos são desprovidos de honra”.

  • Pedro

    Sou 1º Sargento Especialista formado pela EEAR. No ano de 2014 estarei prestando a prova para o EAOF, onde, se aprovado, alçarei ao oficialato.
    Li com atenção todos os comentários, muitos de civis que desconhecem a realidade e de alguns militares (praças )recalcados. notem, por favor que também sou praça.

    No concurso que prestei a relação candidato vaga era superior ao mais concorrido curso da Vunesp, o que demonstra que o interesse pela carreira militar, ao contrário do que dizem, ainda é muito grande.

    E, vejam que, no meu caso, no mesmo ano fui aprovado no vestibular para engenharia na Unesp, assim como outros colegas de turma que também aprovados em vestivulares importantes, optaram pela carreira na FAB.

    Gostaria, então de rebater, respeitosamente, alguns comentários feitos abaixo:

    Lili escreveu: “Por coincidência, os dois comentários abaixo, favoráveis ao “status quo”, eram de militares com patentes superiores a capitão, por que $erá?”
    Não tenho procuração para falar em nome de nenhum dos oficiais (majores), mas pelo que o Mj. Leal escreveu, ele começou como praça, e, se ascendeu ao oficialato (como pretendo), o fez por meio de muito estudo, logo, teve méritos.

    Alvaro em seu texto sugere que há apadrinhamento nos concursos. posso falar por mim. Não tenho nenhum parente militar, não conhecia, antes de entrar para a FAB, nenhum militar, e obtive êxito no concurso após estudar muito.
    Quanto a militares aplicarem provas para candidatos à militar, não é diferente de juízes que aplicam provas em candidatos a juiz, o mesmo ocorrendo no ministério público (este, órgão fiscalizador da leis). sei disso porque meu tio é promotor.
    Pergunto: quem é mais capacitado para analisar candidatos à determinado cargo do que aqueles que já o exercem e sabem quais os requisitos necessários para a função?

    Quanto aos militares que estão insatisfeitos com seus soldos, pergunto? Porque ainda estão nas FFAA?
    Só há duas respostas possíveis à meu ver: 1) não conseguem se colocar no mercado e; 2) não têm capacidade para evoluir na carreira.

    O 2º SG Marinha reclamou por salários mais dignos. Justíssimo, mas o que fez para melhorar dentro da própria instituição? Eu já fiz uma faculdade e uma especialização (engenharia automotiva – FEI).

    Se tudo der certo, logo serei oficial. Se não, continuarei estudando e tentarei novamente. Gosto do que faço (eletromecânica), acho a FAB uma ótima casa e sou feliz aqui.

    Críticas são sempre bem vindas, principalmente com conhecimento de causa (o que parece faltar a alguns civis) e bom senso.

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Grande Setti:
    É realmente longo mas uma aula de história.
    Aos interessados no artigo do Luiz Claudio Cunha – publicado na revista Brasileiros numero 78,janeiro de 2014 – http://www.brasileiros.com.br
    Abraços a todos
    Pedro Luiz

  • Thiago Brandão

    Muito choro para pouca causa. Todos que visão ingressar as forças armadas já sabem oque irão encontrar. Da mesma forma que: já ciente das dificuldades da carreira de sargento do EB e mesmo após ler esse post, sigo com meu sonho de me formar na EsSa.

    Trata-se de um sonho. Entendam isso. Não e questão de salario ou condições trabalhistas…

    Gosto do serviço da guarda, gosto dos acampamentos, gosto do TFM, Gosto da vibração da tropa em plena ordem unida, Gosto da emoção que sinto ao ouvir a banda da PE tocar o ino nacional. Gosto de apreciar a bandeira do brasil tremulando no topo do mastro, soberana.

  • Roque

    Sou Sgt QE R1 estou preocupado meu garoto ja se alistou, mas não desejaria para ele o que eu passei na caserna, 30 anos de sv e agora preciso fazer bico para me manter na cidade grande, fiz vários cursos homologados pela policia federal para trabalhar na área de segurança tudo por razão do salário,eu tenho vergonha de dizer que sou militar da res,o civil vive bem é claro eu tenho alguns amigos honestos e alguns é claro deixa duvidas. Eu esperava o meu provento um posto acima para conseguir respirar mas segundos alguns colegas falam que foi alguns irmãos da farda que baixaram uma portaria cancelando esse direito e agora esta para voltar e nós como ficamos no intervalo do direito ?

  • Ademir

    Pedro: Abra a sua mente para as criticas ao envés de ficar procurando justificativas. É, também, por isso que os problemas não são resolvidos.

  • CB-FN

    SOCORRO!!! Não sei oque esta acontecendo sou militar da marinha CB-FN, as F.A. estão defasada somos mal pago,atualmente recebo menos que um guarda municipal,conheço amigos que foram ser gari isso msm GARI,nossos militares estão desenludido com a profissão,não somos reconhecidos,foram nos tirados todos beneficios.
    Atualmente pago 650 reais de aluguel em uma quitinete no morro do dende no rj, vivo me escondendo com muito medo de represarias por parte de traficantes.sinceramente as vzs até choro de tristeza em saber que minha profição que tanto gosto e que msm assim não saio dela porque acredito na missão se encontra nessas situasões.
    Mas acredito que tudo isso seja como forma de nos punir por uma ditadura ao qual muitos de nós nem era-mos nascido.
    Senhores Comandantes voces não veem tudo isso ou fingem estarem cegos,agora o sistema não atinge só os praças e sim vcs tambm.

  • paulo lagoa

    Servi a Marinha com dedicacao extrema por 30 anos. Tudo que possuo e aprendi devo a ela. Mas hoje, infelizmente, esta secular instituição esta em franco declínio. Não ha motivação para prosseguir na carreira. As razões para tanto já foram expostas em vários outros comentários e reportagens. Hoje estou na iniciativa privada, muito feliz, e julgo que se medidas para reverter este quadro não forem tomadas com urgência, a tendência e o êxodo e a desmotivação aumentar.

  • amaral

    sou militar da reserva vocês sabiam se tiver uma querra nós não temos munições para ha força:nós estamos vivendo uma falsa paz(nos paizes de 1 mundo não tem a contidade de comida que o brasil tem.

  • Pedro

    Ademir,

    Leia o texto do amaral e você vai entender o que eu quis dizer (… se TIVER uma guerra …não temos munição para HA força … PAIZES … CONTIDADE).
    E nem vou comentar outros textos com erros que não são apenas de digitação.
    Sim, as Forças Armadas têm problemas de sucateamento de materias e prédios, fruto do descaso do governo com os militares, num revanchismo idiota que compromete o próprio país.
    Mas temos também centros de excelência: ITA, IME, e, porque não, a EEAR(considerada a melhor escola preparatória de técnicos em aeronáutia do mundo – e não sou eu quem diz, são os americanos, isso mesmo, eles nos dão valor quando merecemos)
    É possível, sim, construir uma carreira bem sucedida nas Forças Armadas (dentro dos limites que nos é imposto, claro), desde que o militar tenha o estudo como meta.
    A desvalorização pelo comando em relação aos praças (repito: eu sou praça, ainda)dá-se principalmente em função dos despreparados que, mesmo diante das possibiidades abertas, preferem continuar sendo ignorantes.
    Nisso, o mundo militar não é diferente do mundo civil. Quer ser valorizado, valorize-se com preparo e estudo.
    Uma das coisas que defendo para o militarismo brasileiro é a profissionalização: chega de serviço militar obrigatório. criação de leis que permitam o ingresso (inclusive para soldados) atravé de concurso público (pagando bem mais do que hoje, óbvio), com plano de carreira e possibilidade de ascenção (condicionada ao grau de instrução que o militar obtenha)etc.
    Os soldados que entram para o serviço militar, hje, não passam de mão-de-obra barata: vigiam (mal) as OM’s, varrem pátios, trabalham como pedreiros, pintores e, em troca ganham um soldo merreca e alguma instrução miitar (digo alguma, porque nenhum desse garotos de 19 anos que saem dos quartéis têm condições de entrar em um combate real).
    Tenho orgulho do que consegui até agor: meu pai era um simples motorista e minha mãe dona de pensão, mesmo assim criaram três filho que obtiveram diplomas superiores (eu, engenheiro; minha irmã arquiteta, e o caçula acaba de concluir direito).
    Insisto: o estudo é a única via de progresso honesto.

  • Rodrigo Ribeiro

    Os melhores salários atraem as melhores mentes no mundo inteiro, e isso causa distorções especialmente nos países onde o contraste de salários são absurdas como no Brasil! Muitas carreiras no Brasil são ponte , ou seja, momento de espera enquanto se espera entrar em outros concursos.

  • Maj Leonardo

    Pensei q eu fosse o único “diferente” qdo digo q há mt choradeira e pouca efetividade para esses militares (totalidade de praças). Li o depoimento de um major da reserva da FAB e um 1º Sgt, tb da FAB, q está seguindo o mesmo caminho de sucesso. Ambos tinham td para ficar chorando como a maioria dos praças q vejo aqui reclamar, e não o fizeram. Assim como eles, fui Sgt de carreira e, aos 30 anos – a despeito de estar na tropa sofrendo as vicissitudes q ela impõe a todos nós – já estava matriculado no CFO (EsAEx). Aos 45 fui promovido a major e, restando 6 anos para a reserva, serei promovido a TCel. Se desejasse esperar mais, poderia aguardar e ser promovido a Cel. Mas, como estou concluindo Direito, pretendo advogar qdo for aos 51 anos para a reserva. O EB me deu tudo o q tenho: casa própria em Natal, 2 carros (meu e da minha esposa), filhos estudando em CM, vida tranq e confortável. Alguma mágica? Nenhuma! Resultado de esforço e determinação. Preferi fazer a chorar, talvez por isso eu não consiga entender tanta murmuração e reclamação. Ainda bem q há pessoas iguais a mim…

  • SEBASTIAO DINIZ

    Sou oficial- Maj.- da R/R da FAB, atualmente, advogado ativo.
    É muito deprimente saber que os militares das Forças Armadas Brasileira busquem na área civil a plena cidadania.
    Inegável o constrangimento sentido por todos os pelos militares, inclusive das Policias Estaduais,
    por ser meio cidadão! Desde a promulgação da CF/88 que os militares estão discriminados, humilhados, hipertensos, desanimados por pertencerem a classe de meia cidadania. SER MEIO CIDADÃO NUMA SOCIEDADE ATUAL É SENTIR-SE DE VOLTA A IDADE DA PUBERDADE COM LIBERDADE RELATIVA.
    Pois, se não podem sindicalizar, nem pertencer a partidos políticos, muito menos defender seus interesses.
    É isso, que gera a desconfiança em seus representantes: Congresso Nacional e Executivo.
    Soma-se ao relato acima que nossos generais, escolhidos a dedo para assumirem o posto máximo, os quais demonstram temor de defenderem seus direitos e interesse de seus subordinados.

    Conclusão: Se forem devolvida a plena cidadania aos militares, as demissões desaparecerão, OU, que seja dada uma compensação pela cidadania plena interposta. TORTURA JAMAIS! DEVE VALER TAMBÉM AOS MILITARES DEPENDENTES DA BOA VONTADE DA MÃE NAÇÃO PARA SOBREVIREM.

  • Rosana

    Pedro (1º SGT),
    As FFAA merecem e precisam de praças como você, e de oficiais como os majores Leonardo e Leal.
    Sou capitã oriunda dos quadros de sargentos da EEAR (especialidade Meteorologia) e conheço muitas histórias como a sua (como a minha também, pois sou de familia humilde do interior de Goiás) mas, infelizmente, sou obrigada a reconhecer que os Henriques, Eraldos, Leandros são maioria, sem esquecer os Amarais, que também não são poucos.
    Assino embaixo o que você diz sobre o estudo.
    Ser militar não é uma profissão como as outras, exige mais dedicação e menos cobiça financeira. Estamos falando de dedicação a um ideal, não de galgar postos numa empresa privada, onde, diga-se de passagem, esses que só sabem reclamar já estariam na rua. Mas nas Forças Armadas, continuam recebendo seus soldos.
    Desejo a você sucesso no EAOF e no restante de sua carreira. Não disse sorte porque, segundo um filósofo grego, “sorte é o encontro entre o estar preparado e a oportunidade”, e você com certezatem os dois requisitos.
    Espero um dia nos conhecermos pessoalmente, ppois é um orgulho saber que ainda existem praças (e futuro oficial) como você.
    Aos civis, nem perco tempo de responder, são meros palpiteiros falando do que não sabem e seguindo a fala de um monte de Amaral (desculpe, Amaral, mas você mereceu).

  • Maj Leonardo

    Rosana, parabéns pelo seu texto – mt bem escrito, por sinal. Mais ainda, parabéns por sua história de vida, denotando a pessoa vitoriosa q vc é. Espero, sinceramente, q tenhamos mais “Rosanas”, “Leais” e
    “Pedros” para q possamos mudar a situação atual de nossas carreiras para aqueles q permanecerão. Faltam-me 6 anos para a reserva e, da mesma forma q fiz durante a carreira, estou planejando minha nova fase de vida pós-reserva. Ainda q esteja na vida civil como TCel da reserva, advogando, ainda assim me disporei sempre a ajudar a todos q queiram ascender na carreira, pois é possível. Gde abs, Rosana, e parabéns mais uma vez.

  • Rodrigues

    Caro Ricardo Setti,
    Depois de ler todos os comentários (todos mesmo), vejo-me forçado a manifestar-me como subtenente da reserva do Exército (arma de Comunicações)que sou (Praça, portanto, e com muito orgulho).
    De início (e por favor não se ofenda) acho que o título acima deveria ser mudado: ao invéz de “Depoimentos dramáticos de militares” deveria ser “Depoimentos de militares dramáticos”.
    Explico: os oficiais (aos quais respeitosamente presto continência) Mj. Leal, Mj. Leonardo, Cap. Rosana, e o 1º SGT Pedro estão cobertos de razão (além de outros que abaixo se manifestaram em apoio às instituições militares).
    Minha carreira, de 3º Sgt à suboficial, durou 29 anos, e fui à reserva com soldo de 2º tenente, como permitia a legislação anterior à 2000, da qual me aproveitei por estar recolhendo um posto acima. Veja que não fui promovido um posto acima como no regime legal anterior, mas tive direito adquirido de receber vendicmentos de um posto acima.
    Esclareci esse ponto para que pudesse explicar que sempre fui bom gerente de meu dinheiro, é dizer, nunca gastei mais do que ganhava, logo, ainda que pouco, sobrava-me alguns cobres ao final de cada mês. recebo hoje na reserva, líquidos R$ 7 mil, fruto dos inúmeros cursos feitos (inclusive Paraquedista, mas principalmente os voltados à minha área)
    No texto do Mj. Leal há um comentário que poucos, talvez ninguém tenha notado como relevante, mas que é um fator de dificuldade para o militar em início de carreira (como de resto em qualquer profissão): casar cedo. O sujeito ganha o suficiente para cobrir seus gastos pessoais, mas logo arranja mulher e filhos para sustentar (isso quando não deixa uma fila de filhos por todos os lugares que passa Brasil afora), e aí o dinheiro falta e a culpa é da instituição.
    Outro fator é que os praças acham que saber ordem unida, limpar fuziz e engraxar botas é o suficiente. Foi-se o tempo.
    Hoje há que se investir na formação intelectual.
    Eu não fiz faculdade, mas formei-me técnico em Telecomunicações por uma das melhores instituições de ensino do pais, o CEFET-RJ. além disso, sou fluente em espanhol e tenho inglês em nível avançado.
    Tais qualificações me valeram a aprovação na seleção para auxiliar do Adido Militar do Brasil na Espanha alguns anos antes do fim de meu tempo, o que me garantiu, no retorno comprar minha casa na Praia (Ubatuba)- meu segundo imóvel – para onde vou me mudar logo que meu filho se formar técnico em eletrônica no Colégio Técnico de Guaratinguetá (Unesp). Ele quer seguir carreira militar e não o desencorajo, muito pelo contrário.
    Faço minhas (com a devida vênia) as palavras da Capitã Rosana: “Ser militar não é uma profissão como as outras, exige mais dedicação e menos cobiça financeira. Estamos falando de dedicação a um ideal, não de galgar postos numa empresa privada, onde, diga-se de passagem, esses que só sabem reclamar já estariam na rua. Mas nas Forças Armadas, continuam recebendo seus soldos.”
    Abraços àqueles que honram e honraram suas fardas.

  • josefino

    so li a primeira frase do engenheiro e parei. “o salario abaixo da expectativa”. todos sabem como eh o salario e a carreira antes de entrar.

  • Ex S.Ten feliz

    Aos que estão indignados(praças e demais). Façam como eu, estudem e caiam fora. Não vai mudar e a tendência é até ficar pior. Até os ‘pseudo-oficiais de 2ª linha’ que entraram pela porta dos fundos vieram aqui querer tampar incentivar a saída. Saiam porque a única coisa que me fez falta foram as amizades. De resto nada.

  • Maj Leonardo

    Ao amigo “Ex S.Ten feliz”, permita-me tecer algumas observações.
    1- Parabéns por – se assim realmente aconteceu – ter estudado e “caído fora”. Muitos desejam, poucos conseguem;

    2- Não concordo com a tendência de as FFAA não mudarem. Mesmo q haja uma conjuntura latino-americana contrária à importância da carreira militar, penso q as coisas deverão melhorar, sim. Talvez tal pensamento seja decorrente de minha postura positiva , não sei. Mas prefiro acreditar ainda.

    3- Se pseudo-oficiais recebem a mesma remuneração dos demais oficiais; se são promovidos com a mesma política de promoção dos demais, obedecendo-se aos 3 períodos anuais de promoção (minha turma, particularmente até se beneficiou em relação aos demais oficiais de outras Armas, pois fomos promovidos a major com tempo menor q eles); se são destacados para assessorarem oficiais-generais e, assim, são prestigiados; se usufruem das oportunidades oferecidas aos demais oficiais (passei 2 anos em Washington, em missão no exterior); enfim, se isso é ser pseudo-oficial, prefiro sê-lo a ser despeitado e ter de sair das FFAA, frustrado por nunca ter sido aprovado para a ESAEx e sair como ST.

    Resumindo, sou feliz com a minha escolha e espero q vc seja feliz com a sua – se realmente é o q diz ser.

    PS: ao se utilizar do prefixo “ex”, necessariamente vc deverá grifar o hífen em sequência. Após o pronome relativo “que”, a vírgula é obrigatória porque se trata de uma oração subordinada adjetiva explicativa. Ademais, a informação pretende trazer uma característica própria de ‘pseudo-oficiais’, corroborando minha observação.

    Sem mais.

    Seja feliz!

  • Norad

    Maj Leonardo, vc com certeza é uma pessoa intrigante… se diz altamente realizado nas Forças Armadas e assume que vai para reserva como TC… Tem algo errado…. Bom, porém o que eu quero falar é que nas Forças Armadas, em especial o EB, estamos diante de uma instituição feudal, onde vc tem que subestimar sua inteligência para poder sobreviver… Militares do baixo clero são usados como ferramentas para a vaidade daqueles que os comandam… Dinheiro público é jogado fora em quartéis, em festinhas de General, deslocamentos desnecessários para formaturas que visam “adorar” essas pessoas. Vi quartéis serem pintados de uma cor e quando passou o comando o outro cmt logo em seguida pintar de outra, gastando milhares de Reais… Vi Comandantes usarem militares e material do Exército para serviços particulares ou “favores” para Prefeituras em troca de pedidos pessoais… Vi sindicâncias serem arranjadas quando o sindicados eram oficiais enquanto isso, militares de baixo clero eram punidos com FATD, que é uma forma arbitrária e ilegal de se aplicar uma punição. Resumindo, o ambiente do quartel é tão imundo quanto o ambiente político, até mesmo nas apurações dos fatos. Porém, o milico ainda fica por aí dizendo que o ambiente militar é o último refúgio da honestidade, MENTIRA! Acho que se houvesse uma guerra hoje, pode ter certeza que muitos desses chefes seriam mortos nas mãos de seus próprios subordinados, pois não sabem respeitá-los nem em tempo de paz.

  • Haroldo Júnior

    Norad, não sei exatamente se você é civil ou militar. De qualquer forma te peço desculpas pela minha ousadia/audácia e permita-me parabenizá-lo pelo seu texto, bem como o de alguns outros REALISTAS, que explicitaram aqui a triste, porém real situação instalada dentro do Exército Brasileiro, e acredito que também na FAB e MB.

    Diversos fatos que acontecem, diariamente, dentro das Organizações Militares espalhadas pelo país deixam qualquer PROFISSIONAL desanimado, desmotivado, e em alguns casos, não raros, se sentindo humilhado.
    Elencar apenas ALGUNS verídicos ”detalhes” de descaso é tarefa extremamente simples: Regulamentos retrógrados, material bélico antiquado, discursos hipócritas, arbitrariedade plena por parte de MUITOS oficiais (generalizar seria injusto), plano de carreira dos (P)raças jogado as (T)raças.
    É pouquíssimo provável que o EB ofereça SIGNIFICATIVOS benefícios/avanços, particularmente para as praças (St, Sgt, Cb e Sd) que são o que necessitam com urgência, pois estão a um passo do colapso.
    Falo com propriedade pois era praça de carreira (bem classificado na minha turma) do EB até pouco tempo(sgt comunicaçoes/telegrafista), e decidi largar (por vontade própria) a carreira por não conseguir visualizar melhorias. Vi, antes da minha saída, e continuo vendo, diversos colegas de turma (e de outras turmas anteriores e posteriores a minha), metaforicamente, ”pulando do barco” na tentativa de se salvar do naufrágio da instituição. Excelente militares, que saem por terem sido aprovados em concursos (não necessariamente por questão salarial, aliás alguns agora ganham menos, mas tem uma qualidade de vida bem melhor), outros para se formar e entrar para o mercado de trabalho, e outros para trabalhar em negócios da própria família.
    Hoje de volta a minha terra (Natal-RN) estou extremamente feliz ao lado da minha família (que é a base de tudo), traçando novos caminhos, atingindo novas metas, conquistando novas batalhas. O mundo está cheio de oportunidades, e se temos capacidade/coragem de enfrentá-lo, não devemos perder tempo.
    Finalizando gostaria de deixar uma frase para reflexão:
    Você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas se você não fizer nada, não existirão resultados.
    Mahatma Ghandi

    Um grande abraço, e que Deus abençoe todos nós.

  • jose weliton f. de souza

    infelizmente, diante dos comentários expostos, só tenho que dar GLORIAS a DEUS, por ter cumprido apenas com a minha obrigação de cidadão em ter servido as forças armadas quando completei 18 anos. nos primeiros meses já tinha perdido o encanto pela carreira militar que eu tanto admiro, porem totalmente jogada ao descaso. De que adianta ter determinada patente e não ter um salario compativel? vejam quanto ganha um vereador, deputado… um acessor de um politico. como se explica. A quem interessar possa, veja o que fazer para mudar essa realidade. Quanto sera o salario de um soldado das forças armadas dos Estados Unidos?

  • 3º Sgt Engenharia

    Esse MAJ Leonardo só pode está vivendo um conto de fadas!O Exército está falido! os oficiais tratam os praças como seus empregados e o pior é que não respeitam a pessoa humana! Estou na ativa e meu tempo de serviço já está contado, passando pra outro concurso ou não…vou sair do mesmo jeito, quero um emprego onde eu seja tratado com respeito e principalmente possa “viver”.

  • milico

    é uma covardia sem tamanho. Em Lagoa santa, Minas Gerais, de forma desumana, os militares da FAB são obrigados a ficarem servindo no PAMALS por vários anos. Enquanto isso, o orgão responsável pelas movimentações, manda militares mais modernos para as localidades que se deveriam ir os que se humilham e não conseguem.

  • Rodrigues

    Interessante como escolheram o Mj. Leonardo para bater (talvez por ele haver se mostrado um tanto arrogante), mas ninguém rebateu os argumentos da Capitã Rosana ou mesmo do 1º SGT Pedro.
    Para os que estão com preguiça de ler todos os posts, ou para aqueles que fingiram não ter lido, eu os repito, dando-lhes nova chance de contrarrazoar:

    1) Ser militar não é uma profissão como as outras, exige mais dedicação e menos cobiça financeira. Estamos falando de dedicação a um ideal, não de galgar postos numa empresa privada, onde, diga-se de passagem, esses que só sabem reclamar já estariam na rua. Mas nas Forças Armadas, continuam recebendo seus soldos (Cap. Rosana);

    2) A desvalorização pelo comando em relação aos praças (repito: eu sou praça, ainda) dá-se principalmente em função dos despreparados que, mesmo diante das possibiidades abertas, preferem continuar sendo ignorantes. (1º SGT Pedro)

    Talvez o silêncio seja porque vocês (insatisfeitos) reconheçam que a desvalorizaçõs dos praças deva ser em função da quantidade de amaraias que sabe-se lá como ainda permeiam as fileiras. Só pra lembrar o nível, releiam as pérolas: “sou militar da reserva vocês sabiam se TIVER uma querra nós não temos munições para Ha força: nós estamos vivendo uma falsa paz(nos paiZes de 1 mundo não tem a CONTIDADE de comida que o brasil (notem o b minúsculo) tem”.

    Fecho com a frase do Mj. Leal: “Há, de fato, muitas carreiras que pagam mais, e se esse é o objetivo (ganhar muito dinheiro) as FFAA não são o melhor emprego.
    Como dizia minha avó: os insatisfeitos que se mudem.”

    Assino embaixo do que eles disseram. E, só para lembrar os que esqueceram, e para os que não querem ler todos os posts – o meu está ai embaixo – também sou praça.

  • Raimunda Cândido Alves

    É lamentável essa grande insatisfação dos militares que apresentam razões concretas para pedirem baixa.Mas o nosso Brasil é democrático, e deve dá aos militares o direito de revindicar por melhorias de salários, condições de trabalho melhores. Lutem por isso, afinal militar são seres humanos com direitos e deveres iguais aos civis. Super homens só existe nos filmes e histórias de quadrinhos.Lutem, gritem se for preciso e vocês venceram essa guerra.

  • Abeu

    As FFAA não é o melhor lugar, mas também está longe de ser um das piores financeiramente. A maior prova disso são os milhares de candidatos que se escrevem anualmente nos processos seletivos para oficialato especializado (não-combatente: administração, direito, contabilidade, magistério etc). Vejam a relação candidato x vaga e comprovem. Enquanto na iniciativa privada (e também no serviço público, onde a média salarial é de R$ 1.500,00) os salários beiram o piso das categorias (Advogado, algo em torno de R$ 1.600,00), nas FFAA o salário inicial para este mesmo profissional, ainda que recém-formado, inexperiente, é de R$ 5.000,00. Ou seja, para estes profissionais as FFAA ainda é um porto seguro, com estabilidade, jornada de trabalho inferior a 44 horas semanais, refeições fornecidas, e, por vezes, transporte e até moradia. Quanto aos demais profissionais das FFAA: oficias e praças combatentes, a comparação com a iniciativa privada é impossível e com o serviço público um tanto quanto difícil, pois não há correlação com outras atividades existentes nestas. Então, comparar o que se paga no Senado Federal e nos altos cargos do Judiciário com a remuneração das FFAA torna-se deveras desonesto intelectualmente, pois essas amostragens tanto do Legislativo quanto do Judiciário são baseadas em cargos isolados, que não refletem a realidade remuneratória no serviço público brasileiro, que é de R$ 1.500,00, como dito e comprovado pelo MPOG (Confiram no “site do servidor”). A insatisfação sempre é geral. É fácil encontraram delegados, peritos, juízes, diplomatas, engenheiros etc insatisfeitos com seus salários. O céu será sempre o limite. Contudo, isso não é motivo para acomodamento, mas tenhamos o bom senso de que a realidade financeiras dos membros das FFAA ainda está muito distante da péssima remuneração do assalariado brasileiro, que, digamos, em termo de escolaridade, não é tão distante dos militares.

  • Marcos Antonnio da Silva

    Sou militar da Força Aérea, e só o que tenho a dizer é que as forças armadas estão sendo dizimadas por um motivo bem simples… não ter condições de se manifestar contra o governo. Quando ao alto comando, por que os generais, brigadeiros e almirantes voltam da reserva e estão no comando, simples… dinheiro. Eles se venderam.

  • Maj Leonardo

    Ñ sei ainda a razão de vir aqui rebater falácias de certas pessoas, mas confesso q esgotei minha paciência. Ñ me reporttarei mais a estas pessoas, pois, sinceramente, ñ me darei mais o direito de perder meu tempo com elas. Estas são minhas últimas respostas:
    1- Ao Norad: eu sairei TCel, assim como sairei, se assim desejar, Cel. Há um BE deste ano q estabelece para os oficiais de carreira – exceção aos QAOs, pois ñ o são – o período de promoção. Portanto, sei exatamente o ano no qual serei promovido a TCel e Cel, assim como todos os demais oficiais das Armas, Quadros e Serviços. Errado deve estar seu juízo, penso.

    2- Ao 3.Sgt Eng.: devi viver mesmo um conto de fadas, deve ser. Trabalho em um ambiente climatizado, respeitado pelos meus superiores, com missão no exterior, recebendo, a partir de abril/2014, R$ 12.800,00. Pois é, o conto de fadas q vivo foi fruto de decisão minha, pois se assim ñ fosse, estaria na tropa até hj como ST.

    Por fim, reitero aqui o q penso: sargento é cargo de NM. Em face das vicissitudes q a carreira impõe, reforço, deveríamos ter melhores remunerações, mas, agora, reclamar o q ganha pelo pouco esforço q fez para estar onde se encontra, sinceramente, hipocrisia demais.

    Sem mais!

  • Leo Cientista

    Ñ entendo a razão de tanta gente criticr as FFAA. Façam como os mais inteligentes fizeram: estudem! Estudem ara sair ou estudem para ascender dentro da carreira, assim como mts fizeram, entre les eu, ou para lcançarem cargos civis. Estudem e parem de chorar!

  • Sub Antonio

    Pelo teor dos comentários feitos por militares – desculpem-me os civis, mas como bem colocou a Capitã Rosana : “são meros palpiteiros falando do que não sabem” – podemos verificar que há, basicamente, dois tipos: os satisfeitos e os insatisfeitos.
    E antes que alguém comente “Ah é, é!… grande conclusão”, explico:
    Os satisfeitos são aqueles que investiram na própria carreira, estudando, fazendo cursos propiciados pelas próprias FFAA ou fora delas, gostam do que fazem e conseguem viver dignamente com os soldos que recebem.
    Esses satisfeitos estão cientes de que a carreira militar não permite ficar rico e que há empresas civis ou órgãos públicos que pagam mais, porém, são fieis ao seu ideal de vida.
    Já os insatisfeitos, parece-me, subdividem-se em dois grupos: 1) os que, como disse o Sub Rodrigues, limitaram-se àquele papel de milico sem graduação (escolar, não militar) que sabe ordem unida, limpar fuzil e engraxar botas , e, de outra forma; 2) os que são sim qualificados intelectualmente, mas não se conformam com seus ganhos nas FFAA, crendo que mereciam mais (o que não discuto).
    Enquadro-me no primeiro grupo (satisfeitos). Sou suboficial oriundo da EEAR (especialidade BEI – Elétrica e Instrumentos de Aeronaves) e fiz muitos cursos pela FAB ( Aeronaves T-27, T-25 e C-95; Sistemas elétricos e instrumentos UH-50/55; Sistemas elétricos e instrumentos VU-93; Sistemas elétricos e instrumentos A1; Básico de Corrosão e Elevação de nível mantenedor, entre outros), sou fluente em inglês (diploma do Boston English School), técnico em eletrônica pela Escola Técnica Visconde de Mauá-RJ, e tecnólogo em Processamento de Dados pela UNIFIAN.
    Meu soldo, líquido, está hoje em 6,3 mil, longe de ser uma maravilha, mas como moro numa cidade do interior, é o bastante para uma vida segura, além disso, consigo complementá-lo dando aulas em um curso noturno.
    Costumo dizer, quando me perguntam sobre meu soldo, que ganho menos do que mereço, mas sou feliz, pois faço o que gosto e sei administrar meu dinheiro (nunca fiquei no vermelho nem precisei de empréstimos em bancos).
    Já tive, e ainda tenho ofertas para ir trabalhar em companhias aéreas privadas, ganhando o dobro, e recusei. Motivo? Simples. Quando for para a reserva levarei meu soldo integral, com direito à posto acima, vez que entrei na FAB antes que o Fernando Henrique Cardoso alterasse a legislação em 2000. Se for para a iniciativa privada na aposentadoria ficarei no teto do INSS (com o maldito fator previdenciário a diminuir ainda mais os valores), e isso ninguém merece.
    E ainda tenho até os 48 anos para decidir se quero fazer o EAOF, que poderá me levar até o posto de Capitão.
    Aos que estão insatisfeitos, digo para saírem para a vida civil, e serem felizes, afinal, é isso que interessa.
    Por fim, concordo com o 1° SGT Pedro: a melhor coisa é profissionalizar a carreira militar, acabando com o alistamento obrigatório, além de se criar uma lei que obrigue os que abandonarem a farda, após formados em instituições superiores militares, a pagar, compulsoriamente, pelos estudos que receberam.

  • Jonas

    Queria fala para “Rodrigues” que resumir todas as questões discutidas aqui em uma frase: “os insatisfeitos que se mudem” é uma tentativa de desacreditar os que reclamam, muitas vezes com razão, e de desestimular aqueles militares que amam sua vocação, mas que lutam para mudarem o que acham que está errado. Seguindo esse seu conselho, simplista, “os insatisfeitos que se mudem”, nada teria mudado. Na Marinha, por exemplo, ainda teríamos os castigos com chibatas. Se é que você me entende.

  • Rodrigues

    Caro Jonas,
    A frase que você atribui a mim foi na verdade escrita pelo Mj. Leal, eu apenas a repeti no contexto do meu último comentário , mas concordo com ela, por isso agora te respondo.
    É interessante que, de tudo o que escrevi (ou melhor, reeditei de comentários de outros), a única coisa que você tenha redarguido seja essa frase. Isso me leva a crer que o restante é correto. O comentário do SUb Antonio, logo abaixo, esclarece tudo o que eu gostaria de ter escrito ( e o parabenizo pelo texto claro e objetivo – tão bom quanto o da Capitã Rosana). Leia-o, por favor, e ao dela também, pois a mim, humildemente, admito que faltou a eloquência de ambos.

  • ''Aspira'' do EB

    O salario nao é o pior de tudo. Alem de cumprir expedientes de 32 horas(24 horas de servico mais 8 do expediente do dia seguinte) temos que dar instrução pro recruta, fazer sindicancia, exame de pagamento, exame da ficha individual, relatorio do ”padrinho”, campos e mais campos, e quando chega no fim de semana, hora do descanso? que nada… tem mais um torneio de polo ou temporada hipica pra trabalhar…

  • Francisco Xavier de Medeiros

    É uma vergonha o que os militares estão passando, pois são obrigados a recorrerem a empréstimos consignados para irem sobrevivendo. Quando ficam comprometidos com dívidas, buscam a mesma solução, então o órgão a que está vinculado reduz a margem consignada, frustrando um possível novo empréstimo. A POUPEX a campeã em consignados, só que para renovação, o militar necessita de uma margem positiva. A aeronáutica reduziu a margem de 70% para 50%, então o militar fica desiludido, sem perspectiva de solução. Quando o militar está na ativa, que é observado pelo comando que há uma insatisfação generalizada, então criam planos de reuniões, marchas no mato, formaturas e outras atividades militares para ocuparem os milicos, então não sobra tempo para insatisfação, apenas correspondências de cobrança em suas residências.

  • Francisco Xavier de Medeiros

    O militar é um herói, passa sua vida planejando transferência e ao receber tem um prêmio de consolação de uma declaração de bagagem para pagar suas dívidas contraídas, e quando soluciona parcialmente, surge mais inesperados, além do mais fica distante das suas raízes familiares sem moradia, isto quando vai para a reserva. A reserva, somente trás um amontoado de dívidas, muitos vão até vender côco, como um renda extra para suprir as necessidades da família, outros a busca da tão famosa TTC, ainda encontra críticos que o chamam de marajá.

  • Carolíngeo

    Diante das carências generalizadas das Forças Armadas, será que foi acertado gastar tanto dinheiro só com a renovação da frota de caças supersônicos da FAB?

  • Jonas

    Caro Rodrigo, acredito que este espaço não está sendo disponibilizado para embates pessoais, mas sim embates de ideias. Ninguém está totalmente certo ou totalmente equivocado em suas falas. Cabe aos que leem extrair o sentido de cada reclamação. Só critiquei a frase em questão (“os insatisfeitos que se mudem”) por ela ter um viés censurador e nos remete aos tempos em que diziam: “Brasil, amo-o ou deixe-o”. Não se deixe usar pela ideologia dominante nas FFAA. Você quer ser oficial, mas ainda é praça. Não critique seus pares. Sou praça e não tenho a intenção de ser oficial. Apesar de ser bacharel em direito, aprovado no exame da OAB, amo minha instituição, mas odeio suas mazelas e vou lutar até o fim para que elas acabem e tudo melhore para todos, oficias e praças.

  • Patrycia

    Filha e irmã de militares concordo que há tiranias dentro deste ou de qualquer outro ambiente de trabalho porém, acredito que o país inteiro apresenta milhões de mazelas de toda a ordem e que NOSSOS POLÍTICOS SÃO OS CULPADOS. E como já sabemos disto ou lutemos diretamente contra isso ou nos apropriemos das ferramentas que as brechas do sistema dispõem para realizarmos nossos sonhos, o que não significa que será fácil. Tal qual já mencionado, o serviço é VOCACIONAL. Então fostes motivado pelo salário e agora rejeita-o? Fácil rejeitar quando já foi saciado e agora quer mais. Antes até mesmo este salário ruim era a melhor coisa do mundo! Invista mais: Especialização, Mestrado, Doutorado, Phd. Faça como eu, uma CIVIL, que SEM INCENTIVO DO GOVERNO CONCORRI COM MILHÕES DE CANDIDATOS E INGRESSEI SOMENTE EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS(Conceito máximo no CNPQ e no Mec)PARA CONQUISTAR MINHAS TITULAÇÕES mas como o serviço é vocacional os tais títulos não geraram renda gigantesca, ao menos NO MEU SERVIÇO, eu consegui ser mais respeitada pela chefia superior, que hoje me fala “com carinho” antes de me solicitar para qualquer coisa. COMO EM QUALQUER OUTRO AMBIENTE DE TRABALHO QUALQUER UM PODE SER VÍTIMA DE UMA TIRANO OU DE VÁRIOS TIRANOS PORÉM O QUE EU ACHO RUIM NAS FORÇAS ARMADAS É NÃO PODER SE REVOLTAR,SE REBELAR POR CUSA DE SALÁRIOS TAL QUAL UM CIVIL PODE! Eu continuo estudando para prestar novo concurso e CONQUISTAR MELHOR SALÁRIO do que ganho mas CONTINUO ADMIRANDO OS MILITARES E O QUE REPRESENTAM – ainda que sucateados – PARA A NAÇÃO E O MUNDO porque TODOS OS VALORES MORAIS E ÉTICOS QUE CARREGO: TER RAÇA, GANA, FORÇA PARA VENCER OS OBSTÁCULOS, SUPERAR A DOR, A PERDA e a HUMILHAÇÃO,SER FIEL E LEAL, SER RESPONSÁVEL, TER SÓ A “PONTA DA CORDA” E GARANTIR O TODO, VIERAM DOS CONCEITOS DE UM MILITAR EXEMPLAR QUE CONHECI O MEU PAI que hoje é seguido pelos meus irmãos. ENTÃO JAMAIS FALTAREI COM O RESPEITO PARA COM AS FORÇAS ARMADAS E ADMITO ISSO É PRA QUEM TEM VOCAÇÃO, NÃO É PRA QUALQUER UM NÃO, TEM QUE SER ESPECIAL OU VAI ROER A CORDA!!!! Muita gente hoje quer moleza. Eu entendi que no mundo as chefias “podem”, então estou estudando para ser chefia, mas NÃO SEREI TRUCULENTA COMO OS VELHOS SARGENTOS IGNORANTES E SEM INSTRUÇÃO POIS NÃO VOU DAR MOLE PARA SER DESQUALIFICADA PELOS “JOVENS OFICIAIS” QUE ESTARÃO SOB MINHA CHEFIA.

  • Patrycia

    Agradeço o espaço e despeço-me com todo respeito aos leitores e editores da revista.

  • Patrycia

    Está ruim pra todo mundo: NÃO SE CONSEGUE SER médico, advogado, juiz ou militar SEM PASSAR POR UM PROFESSOR e no entanto esta é a CATEGORIA MAIS HUMILHADA no país! Não há salários dignos nem há respeito. Um depoente afirmou ter colocado seus filhos num ótimo colégio mas pergunte o salário do professor que dá aula pros filhos dele? Esse professor ´é que dá condições paras os filhos dos “militares insatisfeitos” serem mais bem sucedidos na vida que seus pais. Mas a sociedade respeita este professor? O apoia nas reivindicações? É bem capaz de chamarem o Exército para bater no professor quando a polícia ” não der conta do serviço’, parafraseando um militar aqui. Capazes até de acharem-se mais importantes na sociedade do que um professor! VAMOS FAZER DESABAFOS MAS MANTER A COERÊNCIA! Agradeço aos editores pelo espaço e aos leitores a atenção. Um abraço!

    Os professores são a categoria mais absurdamente injustiçada do país, cara Patrycia. Não haverá esperança alguma de o Brasil se tornar um país digno, decente, minimamente justo e efetivamente desenvolvido sem uma brutal mudança de ênfase em prol da educação — caso em que os professores deveriam estar no centro das preocupações, com planos de carreira estimulantes, atualização permanente de conhecimentos, cursos para especialização, avaliação periódica de desempenho e prêmios pelo bom desempenho.
    Para mim, professor está entre a meia dúzia de profissões mais nobres que existem.
    Abraço

  • Leo Cientista

    Parabéns, Patrycia, pelo belo depoimento. Fico impressionado – para não dizer indignado – com os paladinos da ‘injustiça’ q vêm aqui reclamar e assumem um cargo de NM e acham piamente q deveriam receber rios de dinheiro. Como se eles não tivessem irmãos, primos, amigos etc., q se viram como podem recebendo bem menos do q eles na iniciativa privada, exercendo funções intelectuais até mesmo superiores a eles, como os professores, por exemplo. Já cantei a pedra: solução há, desde q estude e batalhe para tal. Parabenizo o Maj Leonardo, Maj Leal, Capitão Rosana, 1º Sgt Pedro, 1º Jonas e tantos outros q sabem resolver as coisas da forma certa.

  • Manoel

    Prezado Ricardo Setti,

    São vários depoimentos dos militares , expressando a desmotivação na sua maioria , por falta de uma condição financeira digna e de investimento nas Forças Armadas.A revista Veja tem bastante material para fazer uma boa reportagem, e mostrar para o país como está a situação dos militares e as Forças Armadas. Fica a sugestão.

    Atenciosamente,

    Manoel

  • Rosana

    Permitam-me novo aparte.
    Meu pai foi caminhoneiro, e meu irmão seguiu a mesma trilha, porém, antes de se decidir pela estrada havia se formado técnico em informática. Pode-se indagar: para que um caminhoneiro precisa disso? A empresa de transporte e logística em que ele trabalha possui frota de última geração, oferece ótimo salário (muito acima da média da categoria), mas faltam motoristas capacitados para os veículos, que estão recheados de tecnologia que poucos dominam: comandos eletrônicos gerenciados por computador, rastreador por satélite, GPS que memoriza as características de cada rodovia etc. (muita coisa em inglês). O mano “pilota” um bruto desses e o mostrou para o pai, que assim resumiu: “Meu tempo passou”.
    A modernidade é um processo lento (para os que anseiam por ela) e doloroso (para os que não a acompanham).
    Na EEAR, em décadas atrás, era exigido apenas o Ensino Fundamental completo para o acesso. Vários garotos de 16 anos saíram de lá com o curso Básico em alguma especialidade e, muitos, contentaram-se com isso, tecendo sua carreira até completarem o tempo de serviço como suboficial. Era outra época.
    Dentre aqueles que cursaram faculdade, uma minoria pôde ascender ao oficialato através do EAOF ou do CFOE. A seleção é rigorosa (não tem Q.I. ou apadrinhamento).
    Hoje é exigido o Ensino Médio para a admissão na EEAR, mas muitos candidatos já chegam com curso superior (eu mesma: matemática). O corpo docente da EEAR está repleto de mestres e doutores, superando em nível a EPCAR, que também exige Ensino Médio (dados da própria FAB).
    Desconheço a realidade da EsSA ou de seu similar na Marinha, mas diante do quadro da EEAR, é normal que seus Graduados queiram soldos condizentes com o nível de excelência que apresentam. Entretanto, há fatores que impedem essa melhoria. Dois deles: o enorme (e desnecessário) contingente militar existente nas FFAA; e, o gasto (inútil) com soldados convocados no alistamento obrigatório. A mentalidade, ainda, é de que a soberania do país depende do número de militares na ativa. Errado! Em caso de guerra (Deus nos livre), vence quem tiver maior aparato tecnológico, não o maior número de soldados dispostos a lutar (e morrer).
    É só lembrar da 1ª Guerra do Golfo (1991): Sadam Hussein prometeu a “Mãe de Todas as Batalhas” com seus 500 mil soldados. Mas o que se viu foram os EUA (com 1/5 da força) provocar a “Mãe de Todas as Retiradas”. Tecnologia vence guerras, não soldados.
    Precisamos profissionalizar as FFAA, e aí teremos um contingente menor, mas mais qualificado (e melhor remunerado), o que, por consectário lógico, nos levará a um aprimoramento tecnológico que, levado à efeito nos armamentos e sistemas de defesa, garantirão nossa soberania.
    Imaginem se, hoje, um motorista de muriçoca (gíria para caminhão aspirado, lento: tipo o velho 1113 do pai) chegar na empresa onde meu irmão trabalha e for fazer um teste. Alguém acha que ele conseguirá dirigir (quiçá ligar) o novo Volvo FH16 750 com caixa de câmbio eletrônica I-Shift? Vocês o contratariam só porque a CTPS dele diz que é caminhoneiro com vinte anos de prática?
    Sou forçada a lembrar do Amaral (quem não leu, procure abaixo): quem dentre os senhores Praças, cuja formação seja técnica ou superior, aceita de bom grado ganhar o mesmo soldo que um militar que escreve ‘paiZes’ e ‘Contidade’?
    Quando comentei esse assunto no Rancho, um Taifeiro indagou se o que eu propunha não seria “limpeza étnica” (forçou); respondi que era “limpeza técnica”.
    A profissionalização das FFAA é exigência para um Brasil que almeja ter cadeira no Conselho de Segurança da ONU.
    O tempo do Amaral passou, mas se profissionalização não vier, ele e seus iguais vão continuar atrasando nossas fileiras, assim como os muriçocas que atrapalham o trânsito em nossas rodovias (quem já não ficou atrás deles numa via de mão dupla, engolindo fumaça?). Chega de militares que SÓ sabem ordem unida, limpar fuzis e engraxar botas (como colocado em outros comentários) e que solapam o vernáculo quando “tentam” se comunicar.
    Ah! Minha mãe é professora da rede pública. Assino embaixo o que disse a Patrycia. Sem professores, não haveria qualquer outra profissão.

  • mauro

    Só me resta dizer, estamos F….

  • Diego

    tenho o sonho de ser oficial do exército, vou prestar o concurso esse ano, não me importo com altos salários, só quero ser militar, tem muito oficial que se forma e depois pede baixa, acho isso um desperdício. enquanto tem muito oficial que estão abandonando a carreira, eu faria qualquer coisa pra ser oficial e viver pelo exército.

  • José Marinho

    Se somos considerados classe de funcionário público Federal, porque não temos os mesmos direitos quanto a remuneração de outros da mesma, ou seja adicional noturno, hora extra e no meu caso me mandaram para reserva com 48 anos de idade e logo depois viram o erro dessa lei ou portaria acabaram reconhecendo, só que quem entrou nessa não teve retorno ou mesmo a consideração desse deslize dessa tal portaria, tendo em vista que um oficial superior chega permanecer até os 60 de idade na ativa.Obs:Eu fiz um curso de formação que me dava direito a ´promoção até o posto de Capitão e nem assim quiseram saber, desconsideram esse direito adquirido por lei se limitaram a me pagar apenas um adicional por esse curso, o que não é justo e o pior acharam um meio de me tirar esse direito que ao meu ver uma portaria não pode substituir uma lei,mas, infelizmente estou sofrendo consequências em razão disso.

  • COMANDOS !!!!

    Seria bom deixar bem claro que a FORÇA está acima de qualquer interesse individual ou particular. Somos homens forjados para superar todas as adversidades na qual vivemos, e somos constantemente submetidos a todas as intempéries que existem na carreira. Portanto, deixemos de lado egoísmos e sentimentos excêntricos, para elevarmos o nome da Instituição no Brasil e no mundo. Termino com essa frase : ” A Pátria tudo se dá, nada se pede, nem mesmo a compreensão”. COMANDOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Inácio

    Boa noite a todos,
    Após saber deste post, vim ler e não posso deixar de me manifestar.
    Sou Capitão Especialista oriundo da EEAR (Material Bélico). De início, cumprimento a Rosana pelos dois textos, excelentes tanto no conteúdo quanto na forma. Pelo que percebi, os militares formados pela EEAR são, percentualmente, os mais satisfeitos (eu incluso).
    Isso, por si só, não mereceria uma reportagem da VEJA, SETTI? Afinal, uma instituição que é capaz de destoar nesse mar de reclamações, tem que ter algo notável.
    Dentre os pontos abordados pela Rosana (aos que me acham muito intimista no trato com ela, aviso: somos da mesma turma, tanto na EEAR quanto no CFOE – reservo-lhe o tratamento formal apenas na OM) , dois são motivos de muita discussão por militares de carreira.
    O primeiro é o alistamento militar obrigatório.
    Os que são a favor, socorrem-se na necessidade de treinar soldados para eventual situação de guerra.
    Besteira. Quando mandamos militares pra Missões de Paz, quem vai são os pára-quedistas, fuzileiros navais e guerrilheiros de selva. Todos com muitos anos de treino, não esses pivetes de 19 anos que mal aprendem a atirar.
    Ai rebatem: “Mas é entre eles que se garimpam soldados de verdade, que então recebem treinamento para atuar nessas corporações.”
    Ótimo, façamos então concursos para admissão, e ao invés de procurarmos agulhas em palheiro, selecionamos de cara os melhores, e lhes dando condições de progresso na carreira (com soldos dignos).
    E vem resposta: mas falta dinheiro para tanto graduado com cursos de aprimoramento.
    É onde entra o segundo ponto: o número excessivo de militares nas FFAA.
    Os que são à favor de números alegam ser para impressionar os vizinhos.
    Bobagem: vejam os números das FFAA de Israel, ínfimo ante o nosso. Mas alguém acha que, numa hipotética guerra com eles (sem intervenção dos EUA ou de qualquer outro país) venceríamos fácil?
    Estou (estamos, pois somos muitos) à favor da profissionalização das FFAA. Melhor para nós militares, melhor para o Brasil.
    Quanto ao questionamento do José Marinho, abaixo, respondo:
    Não meu amigo, nós não somos como os funcionários público federais. Temos Estatuto Próprio, lembra? E na própria Constituição, nosso papel é definido com especial atenção. É incontestável que a intenção do legislador, nos incisos VI e VII do artigo 37 da Constituição de 1988, ao se referir ao servidor público como detentor dos direitos de associação sindical e de greve, excluiu taxativamente o militar. O preceito constitucional, pois, reconhece a diferença entre as duas classes, distinguindo suas funções e atividades profissionais. O texto constitucional, de forma explícita, previne as práticas discriminatórias contra os trabalhadores, mas em nenhum momento equipara os servidores civis aos militares.
    Quanto a você ter ido para a reserva com 48 anos, lembre-se:
    A passagem do militar para a inatividade pode ser feita segundo dois critérios principais:
    – por contar, no mínimo, 30 (trinta) anos de serviço (nesse caso é voluntária); e/ou
    – atingir a idade-limite prevista para o posto ou graduação (seria esse o seu caso?).
    A preservação de tais princípios é fundamental para assegurar-se o indispensável rejuvenescimento dos quadros e a manutenção de níveis adequados de competência profissional.

  • maicon

    Infelizmente os militares estão jogados às traças, ninguém se importa, nem mesmo alguns militares conformistas, que além de reinvindicar uma qualidade de vida melhor, prefere falar um monte de asneiras, dizendo que somos militares e o interesse da força está acima de tudo.Esses militares que concordam com isso são medrosos ou eles estão ganhando muito dinheiro de forma ilícita para se conformar com esse absurdo que é a depreciação e desvalorização das forças armadas.

  • maicon

    como é fácil manipular os conformistas… O governo agradece.comandos!!!!!!!!!

  • PAULO TERCIO

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • PAULO TERCIO

    As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo?
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • Maj Leonardo

    Prezados Inácio e Rosana, parabéns pelos textos. A trajetória de vcs denotam exatamente o q sempre falei aqui: quem se destaca, alcança. Ambos, assim como eu, q tb fui praça, demonstram q há uma corrente mais lúcida dentro das FFAA. Reforço mais uma vez: se não somos melhor remunerados é porque temos um efetivo inchado. Para resolver a questão, defendo tb a profissionalização dos militares e o escalonamento de aumento por mérito. Aumentos maiores para quem se dedicou mais. Da mesma forma, defendo que haja maiores oportunidades para aqueles praças q se disponham a se dedicar. Seleções internas para aproveitá-los. O q não compreendo e assimilo é o cara ocupar cargo de NM e vir reivindicar salários igualitários aos de cargos TOP do governo, se nem mesmo sabem escrever corretamente, tampouco expor suas ideias de forma lógica e coerente. Aí, meus caros, é tirar leite de pedra.

  • Pedro

    Boa noite,
    Dei um tempo nos estudos para reler os comentários.
    Adorei o texto da Cap. Rosana traçando paralelos entre caminhoneiros e militares (embora creia que foi por demais inteligente para o operador lógico discursivo de muitos). Também agradaram os textos do Cap. Inácio (estranho que um dito militar como José Marinho desconheça as normas que regem sua profissão)e este último do Maj. Leonardo.
    Interessante notar que ninguém veio a este espaço para rebater especialmente a Cap. Rosana (com o devido respeito aos outros dois militares – ela sintetizou tudo o que foi debatido aqui nesse espaço em dois textos dignos de irem para as mesas dos Comandantes das Forças e da Presidente Dilma). Seja porque os argumentos por ela traçados sejam de tal clareza e inteligência que falte elementos cognitivos suficientes para redargui-los, ou porque contra a verdade não há argumentos.

  • Sargento Ilario

    Sou 1°SG da Reserva Mau Remunerada da Marinha e após 30 anos de sacrifício, consegui sobreviver, mas não tenho do que me orgulhar. Não indicaria as Forças Armadas, hoje, nem para meu pior inimigo. Os 30 anos roubados pela Marinha do Brasil, tento hoje compensar com a minha família que em muitos momentos especiais não pude estar com eles para cumprir o Juramento Ridículo que fiz ao ingressar e não ser, no mínimo bem remunerado, já que direitos nunca os foram dados.

  • Mariano

    Sou Capitão-de-Fragata oriundo do Quadro Auxiliar de Praças, na reserva há 5 anos.
    Comecei após aprovado em concurso de nível Médio (técnico em Edificações), incorporei como Grumete e tendo realizado o Curso de Formação da Cabos. Após 6 anos, tendo feito cursos de especialização e qualificação técnica, fui aprovado no Curso de Habilitação à Sargento, e, aprovado, promovido à 3º SGT.
    Como 3º SGT, aproveitei o aumento no soldo para cursar faculdade (Engenharia Civil, curso noturno) e ao final de meu interstício de 6 anos, antes de ser promovido a 2º SGT, fui aprovado no concurso para ingresso no quadro de Oficiais.
    Daí em diante fui promovido sequencialmente a cada interstício : 2º ten., 1º ten., Cap. e, Capitão-de-Corveta, e Capitão-de-Fragata , graduação na qual completei 32 anos de serviço (poderia ira até Capitão-de-Mar-e-Guerra, mas aos 52 anos, já estava mais é querendo ir surfar).
    Somente me casei aos 37 anos, já 1º Tenente, e com meu primeiro apartamento (financiado pela CEF) com 10 anos de prestações pagas e com um carro quitado na garage.
    Vi, durante esses anos, muitos praças que preferiram casar cedo e ter dois ou três filhos, ao invés de estudar e crescer na Marinha. Muitos se divorciaram e casaram de novo, e tem duas famílias para sustentar. Como resultado, não tiveram tempo e dinheiro para investir em suas carreiras.
    O pior é que, enquanto eu ascendia, tive que ouvir bobagens de todo tipo, desde que eu era um filhinho-de-papai (infelizmente o meu morreu quanto eu tinha 12 anos), peixinho do comandante (mesmo tendo sido punido diversas vezes por dormir no posto pelo cansaço de trabalhar de dia e estudar à noite), babaca e anti-social (por não sair com a turma para noitadas) e até que eu não gostava de mulheres (porque fugia de compromissos sérios).
    Minha única filha está cursando Medicina (UFF) e pretende ser Médica na FFAA, e eu a encorajo a ir para o Exército, onde há a possibilidade de manter um segundo emprego fora da corporação.
    Apoio integralmente as palavras da Capitã Rosana, Capitão Inácio, Major Leonardo, Major Leal, Sub Antonio e 1º SGT Pedro., e consigno que, assim como na FAB, através da EEAR, na Marinha, através do Corpo de Praças, também é possível um Praça crescer, desde que tenha vontade e determinação.
    Se o Ilário (aqui embaixo), com praticamente o mesmo tempo de casa que eu, não conseguiu passar de 1º SGT, só lamento. Mas de quem foi a culpa? Da Marinha é que não.

  • amaral

    tá tudo errado ,depois que essa turma assumiu o Brasil ficou tudo ruim

  • Ricardo F. P. Oliveira

    Sou Sargento de Força que no meu ponto de vista não tem preparo algum para suportar uma GUERRA, pois não há investimentos e reconhecimento produtivo e profissional!!!
    Afinal de contas, é para essa finalidade que existem os “milicos” servir e proteger a nação defendendo com o sacrifício da própria vida.
    Mas a questão aqui não é essa, é claro que é louvável alguém conseguir ascensão na carreira, deixar o militarismo um pouco de lado, e usar a força como “trampolim”, isso é bem interessante. Mas é preciso reconhecer tais situações e intercorrências da vida. Essas coisas acontecem!
    cada um tem uma vida diferente da outra ok?!
    Bom, no meu ponto de vista os militares das FFAA são completamente menosprezados, deixados a merces de um segundo plano do governo, pois não somos valorizados como deveríamos ser, valorizados em todos os aspectos, profissional, militar e FINANCEIRO.
    Como vou pagar uma boa escola para meu filho, um curso de línguas ou uma atividade esportiva com um soldo VERGONHOSO?
    Falando em dinheiro, só um exemplo que vem ocorrendo com frequência na instituição a qual sirvo é a evasão de pessoal (recrutas, soldados, cabos e até sargentos) para servir forças auxiliares como policia militar e corpo de bombeiros, que por sinal, são profissões MUITO DIGNAS!! e não menos importantes que a carreira militar (MB, EB e FAB), no qual também merecem até ganhar muito bem pelo que fazem.
    Mas quais o motivos que os