Image
Em 21 de dezembro de 1970, o presidente americano Richard Nixon recebeu uma visita em seu gabinete: o músico Elvis Presley (Foto: Arquivo Nacional dos Estados Unidos)

No colossal Arquivo Nacional dos Estados Unidos, um dos maiores do planeta, podem-se encontrar milhões de fotos e bilhões — sim, é isto mesmo, bilhões — de documentos impagáveis que registram eventos históricos desde a Guerra Civil americana (1861-1865) até o tráfico de escravos, passando por eventos cruciais do século XX, como a II Guerra Mundial.

Apesar da variedade e da raridade de milhares de itens, o mais requisitado ao órgão é esta foto que vocês veem acima: o registro do encontro entre o presidente Richard Nixon (1969-1974) e o Rei do Rock, Elvis Presley, que aconteceu em 1970 no Salão Oval da Casa Branca.

Ao que indicam as anotações oficiais sobre o evento, não foi uma situação exatamente normal. Logo de cara o cantor decidiu mostrar ao presidente sua coleção de distintivos policiais de vários Estados americanos. Em seguida, a conversa voltou-se para a música: Nixon falou sobre a influência que Elvis tinha sobre os jovens, e ressaltou que era importante que sua credibilidade fosse mantida.

Vai ver que preocupado com a concorrência, Elvis mencionou de forma desfavorável os Beatles — de quem se tornaria, depois, amigo, porque os Fab Four o idolatravam –, ao afirmar que a banda inglesa instigara o sentimento de antiamericanismo ao ir para os Estados Unidos, ganhar dinheiro e voltar para o Reino Unido para cantar músicas que promoviam, aqui e ali, hábitos a que os americanos se opunham. Nesse momento, Nixon mencionou que usuários de drogas eram contra os Estados Unidos — o que não deixa de ser irônico, considerando a quantidade industrial de drogas que o Rei já consumia, àquela altura.

Elvis emendou dizendo ao presidente que ele poderia influenciar “o movimento hippie” contra o uso de drogas e, suprema ironia, pediu para tornar-se um agente simbólico do Federal Bureau of Narcotics, então a agência norte-americana de combate às drogas. (Seria extinto e substituído, posteriormente, pela atual Drug Enforcement Agency, a DEA). Ele acabou recebendo, depois, como presente, um distintivo do organismo feito sob encomenda.

O encontro entre um roqueiro drogadaço dizendo ser contra as drogas e um presidente que renunciaria quatro anos depois no seio do maior escândalo político da história dos Estados Unidos — Watergate — decorreu de uma carta que Elvis enviou à Casa Branca, como se fosse um cidadão anônimo.

“Caro sr. Presidente”, escreveu ele, “em primeiro lugar eu gostaria de me apresentar. Eu sou Elvis Presley, admiro o senhor e tenho grande respeito por seu cargo…”. Adiante, o Rei expressa sua preocupação com o que chamou de “a Cultura da Droga, os Elementos Hippies, os Panteras Negras, etc”. Foi imediatamente convidado por Nixon para uma reunião no Gabinete Oval.

O tema drogas, porém, não foi o principal da conversa. Um memorando-resumo sobre o encontro liberado pela Biblioteca Presidencial Richard Nixon para o Arquivo Nacional diz que Elvis Presley “passou a maior parte do restante do encontro dizendo ao sr. Nixon que desejava emprestar seu nome para a campanha de lei e ordem do governo”, e também “para restaurar algum respeito pela bandeira” dos Estados Unidos, que, na época, era queimada em muitas das manifestações contra a Guerra do Vietnã.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − um =

11 Comentários

Adalberto da Silva Duarte em 29 de janeiro de 2015

Prezados jornalista RICARDO SETTI, seus parentes e amigos leitores e democratas de vocação. . A eleição para Governador de Minas Gerais é tida como a principal razão da perda de Aécio Neves (PSDB) para a presidenta Dilma Rousseff (PT); pois seus marqueteiros sob explorar de maneira magnífica o refrão usado até nos intervalos dos debates: Quem conhece Aécio Neves não vota; Sendo que este refrão ou frase estancada em toda a campanha não teve nenhuma ofensiva da parte de seus marqueteiros, ficando a verdade prejudicada pelo enfoque dado de maneira inverídica; pois quando foi escolhido o candidato Pimenta da Veiga tanto Aécio Neves quanto Anastasia sabiam que estavam escolhendo o anti candidato, tal como fizera o prefeito municipal de Uberlândia Odelmo Leão ao fazer o lançamento do anti candidato Luiz Humberto Carneiro (PSDB), que sofreu a maior e mais vexatória derrota majoritária de Uberlândia/Minas Gerais; Pergunta-se o seguinte evocando estas decisões: Por que Aécio Neves e Anastasia; bem como Odelmo Leão fizeram isso com seu Estado Minas Gerais e com sua Cidade Uberlândia; respectivamente, podemos então responder sem sombra de dúvida e inquestionavelmente, o seguinte: "Fernando Pimentel é do PT, mas não deixou de ser pupilo de Aécio Neves tal como fora nas disputas de 2004 e 2008 pela prefeitura de Belo Horizonte!.Tal como Odelmo Leão (PP) preparou o terreno o da eleição municipal para Gilmar Machado (PT), fazendo com que desse a nítida impressão além de fatos concretos que não queria fazer seu sucessor em Uberlândia; A resposta a estes questionamentos está na bela votação de Odelmo Leão sem a concorrência de seu principal adversário nas urnas e amigo de pretensões; pois nunca se enfrentarão numa disputa para prefeito de nossa cidade, tal como ocorreu com Renato de Freitas (PSD/ARENA/PMDB) e Virgílio Galassi (UDN/ARENA I, PDS/PP); Não é possível e nem se acredita que os marqueteiros de Aécio Neves (PSDB) não tenham percebido que a desmoralização de sua campanha em Minas Gerais repercutiu em Estados onde ele teria muito mais votos como em Pernambuco, onde a votação expressiva do 1º turno com apoio da Marina e os parentes de Eduardo Campos migraram quase na sua totalidade para Dilma Rousseff (PT)! Somente o tempo poderá dar a resposta que comprovará esta minha análise e tese bem um pouco absurda me aguardem! Ouçam este pedido de desesperado de SOS/SOCORRO URGENTE/HELP de um cidadão inocente que foi e continua sendo vítima de promotores nazistas e de bandidos de toga do judiciário!

Dante em 29 de janeiro de 2015

Caro Setti, Elvis não era nenhum "drogadaço", mas sim um dependente de medicamentos em virtude de diversos e sérios problemas médicos. Sugiro que preocupe-se em fazer uma análise mais aprofundada quando resolver afirmar coisas desse tipo sobre qualquer pessoa. A mídia e os críticos costumam puxar o saco de artistas politicamente engajados e alinhados com a agenda da esquerda (esses sim, em sua maioria, "drogadaços"). Elvis, q apesar de ter feito uma revolução musical e de comportamento, era conservador e Cristão, é constantemente difamado, caluniado e ridicularizado por vocês a despeito de ter sido talvez o maior cantor de todos os tempos. abraços

Kleber em 27 de janeiro de 2015

Irônico....mesmo. Leitor Paulo Roberto, talvez seja tudo isso que tenha dito, talvez tenha tido esse bate papo na Casa Branca conforme a reportagem, e apesar de tudo Elvis era um drogadaço como você bem repetiu redundantemente, inconsistentemente e inutilmente. Por favor Paulo Roberto, não culpe o médico de Elvis, pois um homem que segundo tomava mais de 50 comprimidos por dia, não tem o menor pretexto a culpar o médico. Onde estava a coerência e o bom senso de Elvis, em não se atentar a prescrição médica de mais de 50 comprimidos ao dia? Por muito menos questionamos alguns profissionais médicos em receitar pouco mais de 5 comprimidos por dia....quem dera 50. Irônico.....mesmo

anamaria em 27 de janeiro de 2015

Achei pesado a referência à Elvis Presley como "drogadaço". E não acho que foi tão incoerente assim ele se dispor a combater as drogas pesadas da época, como LSD, cocaína, maconha, mesmo porque ele não fazia uso delas. Quem me vêm à mente quando se fala em drogadaço seria, por exemplo, Keith Richards,(está na cara), a turma do The Who, Eric Clapton, JImmy Hendrix, enfim os componentes das bandas dos anos 60, 70 e seguintes.

J.B.CRUZ em 25 de janeiro de 2015

CARO SETTI: Drogadaço ????...O REI DO ROCK, não merecia isso, principalmente dito por você; um GENTLEMAN do jornalismo.. Mas, como somos imperfeitos,,,,,, Santo Deus, mas ele ERA assim. Gosto muito do Elvis e lamente muito sua morte, mas um conhecimento elementar de sua biografia mostrará que ele, nos anos finais, tomava 50 diferentes pílulas por dia -- para acordar, para poder ir ao banheiro, para manter-se desperto, para dormir... Seu médico particular teve sérios problemas com a Justiça por contribuir para a intoxicação de drogas que o levou à morte ultra-prematura, aos 42 anos, apenas.

Paulo Roberto em 24 de janeiro de 2015

Sr Ricardo Setti , O seu artigo contém de erros . O senhor está equivocado !! Não !! Elvis não estava preocupado com a concorrência com os Beatles. Nesta época , 1970 , eles já estavam separados e havia muitas outras bandas com muito mais influência na américa e na europa naquele momento. Também está errada a sua afirmação de que Elvis , o "drogadaço" e os Beatles se se tornaram amigos anos mais tarde. Eles apenas tiveram um encontro em 1965 , nada mais que isso. O "drogadaço" jamais fez apologia ao uso de drogas ílicitas como a maconha , cocaína e LSD. E era justamente contra os que defendiam o uso destas drogas que o "drogadaço" se referia. Elvis , o "drogadaço" que você fala , se viciou em remédios por conta de seu médico particular e depois passou se medicar por conta própria ,fazendo uso excessivo de comprimidos para combater problemas no colon , dores, obesidade , ansiedade e depressão e mais ainda estimulantes para poder aguentar a maratona de shows que realizava. Embora a saúde e a vida particular do "drogadaço" não estivessem bem , publicamente o "drogadaço" sempre procurou manter um boa imagem em respeito ao seu público. Por isso era bastante comum o "drogadaço" estar sempre acompanhado de seu pai , de sua filha , de sua namorada e de seu médico quando aparecia em público. Quando tiver oportunidade de rever algum show do "drogadaço" , poderá observar que no seu repertório sempre havia espaço para a gospel music. Era comum o "drogadaço" interromper o seu show por alguns instantes e pedir à platéia que orassem junto com ele por amigos que estivessem doentes ou qualquer outra situação. Também poderá notar que ao final de seus shows , o "drogadaço" se despedia de sua platéia com muito respeito e simpatia , pedindo que Deus os abençoasse e ainda que tivessem bastante cuidado ao voltar para suas casas.

João (O Menos Instruído) em 24 de janeiro de 2015

LISTA DOS MELHORES CANTORES DO MUNDO MÚSICOS AMERICANOS E INGLÊSES ESTÃO MUITO À FRENTE DOS NOSSOS Como a revista Rolling Stone americana e as inglesas Q, Mojo e New Musical Express fazem suas listas, achei-me no direito de também fazer a minha de melhores cantores do mundo… E tenha certeza que por aí tem muita gente como eu que nunca estudou música, mas anda opinando e fazendo listas em blogs, comunidades e outros meios de mídia. É o dito palpiteiro. Acho que por esse mundo tenha muita gente que nunca estudou música, mas tem um bom conhecimento do assunto. De vez em quando leio em algum lugar que fulano de tal é autodidata em música. No meu caso eu tou mais prá palpiteiro… E na minha lista tupiniquim vai contar um pouco com meu gosto pessoal, isto é normal em qualquer lista de maiores e melhores feitas por qualquer pessoa ou órgão da imprensa. A VANTAGEM DA MINHA LISTA É QUE NELA INCLUO MÚSICOS BRASILEIROS, pois em nenhuma lista feita pelos gringos são incluídos músicos do Brasil. . 1º Lugar: Elvis Presley – 2º Frank Sinatra 3º Mick Jagger - 4º Robert Plant – 5º Ozzy Osbourne 6º Ian Gillan - 7º Alice Cooper – 8º Michael Jackson 9º David Bowie - 10º Paul McCartney – 11º Elton John 12º John Lennon - 13º Freddie Mercury – 14º Bob Dylan 15º Jim Morrison - 16º Rob Halford 17º Ronnie James Dio - 18º Bruce Dickinson 19º Paul Di’Anno – 20º Chuck Berry - 21º Muddy Waters 22º Howlin’ Wolf – 23º Tom Jones - 24º Luciano Pavarotti 25º James Brown - 26º David Coverdale 27º Roger Daltrey – 28º Bob Marley - 29º Eric Clapton 30º Louis Armstrong – 31º Bill Haley 32º Little Richard – 33º George Michael 34º W. Axl Rose - 35º Klaus Maine – 36º Roy Orbison 37º David Lee Roth - 38º Ray Charles 39º Jerry Lee Lewis - 40º Marilyn Manson 41º Bon Scott 42º B.B. King – 43º Bo Didley - 44º Buddy Holly 45º Chubby Checker - 46º Jackie Wilson 47º Johnny Winter – 48º Rod Stewart - 49º Bono Vox 50º Kurt Cobain – 51º Jimi Hendrix - 52º Brian Johnson 53º Stevie Wonder – 54º Paul Anka - 55º Eric Burdon 56º Roberto Carlos - 57º Bruce Springsteen 58º Joe Cocker – 59º Rory Gallagher – 60º Phil Collins 61º Lemmy – 62º Al Green - 63º Lionel Ritchie 64º Peter Gabriel – 65º Iggy Pop – 66º Marvin Gaye 67º Eminem – 68º Peter Tosh - 69º Carl Perkins 70º Prince - 71º George Harrison – 72º Lou Reed 73º David Gilmour - 74º John Fogerty - 75º Paul Stanley 76º Mark Knopfler - 77º Ian Anderson – 78º Art Garfunkel 79º Bon Jovi - 80º Geddy Lee - 81º Brian Wilson 82º Morten Harket - 83º Neil Young – 84º Tony Bennett 85º Dave Mustaine - 86º John Lee Hooker – 87º Billy Idol 88º Joey Ramone - 89º Otis Redding – 90º Nat King Cole 91º Johnny Rotten - 92º Sammy Hagar – 93º Steven Tyler 94º Peter Frampton - 95º Jimmy Cliff – 96º Paul Simon 97º Al Jarreau - 98º Mike Shinoda – 99º Anthony Kieds 100º George Benson - 101º Morrissey – 102º Willie Nelson 103º Van Morrison - 104º Sam Cooke – 105º Sam Moore 106º Steve Perry - 107º Steve Winwood - 108º Tom Waits 109º Wilson Pickett - 110º James Hatfield 111º Johnny Cash – 112º Tom Araya - 113º Paul Baloff 114º King Diamond – 115º Paul Rodgers - 116º Sting 117º Dee Zinder – 118º Blackie Lawless - 119º P. Diddy 120º M.C. Hammer – 121º Jay Z - 122º Jon Anderson 123º Vanilla Ice – 124º B.J. Thomas - 125º Luís Gonzaga 126º Jon Secada – 127º Raul Seixas - 128º Billy Paul 129º Julio Iglesias - 130º Chris The Burg 131º John Mathis – 132º Sergio Endrigo 133º James Taylor - 134º John Denver 135º Carlos Gardel – 136º Bryan Adams 137º Charles Aznavour – 138º Tim Maia 139º Pepino Di Capri – 140º Carl Douglas

João (O Menos Instruído) em 24 de janeiro de 2015

141º David Byrne – 156º Cat Stevens 169º Andrea Bocelli 175º Ziggy Marley 188º Justin Timberlake - 193º Barry White – 203º Beck 251º Aaron Carter - 289º Sammy Davis Jr 335º Ricky Martin - 442º Enrique Iglesias 500º Erasmo Carlos - 1.000º Luis Miguel 3.965º Max Cavalera - 4.825º Tom Jobim 5.829º Caetano Veloso - 5.930º Chico Buarque 6.019º Vinícius de Moraes - 6.121º Milton Nascimento 6.525º Gilberto Gil - 7.033º João Gilberto 7.843º Dorival Caymmi - 8.245º Ney Matogrosso 8.851º Martinho da Vila - 9.052º Paulinho da Viola 9.353º Cartola - 9.855º Gonzaguinha 10.000º Agnaldo Timóteo - 10.062º Fagner 10.085º Zé Ramalho - 11.088º Jorge Ben Jor 11.094º João Bosco - 11.096º Ivan Lins 11.156º Edu Lobo - 11.388º Cazuza 11.559º Cauby Peixoto - 12.315º Toquinho 12.515º Belchior – 12.621º Danilo Caymmi 13.000º Dori Caymmi - 13.125º Alceu Valença 13.300º Renato Russo – 14.015º Emílio Santiago 14.689º Marcelo Nova – 15.215º Paulo Ricardo 15.729º Arnaldo Antunes – 16.632º Altemar Dutra 17.001º Jerry Adriani – 17.266º Antônio Marcos 17.561º Nelson Ned – 18.116º Morris Albert 18.722º Paulo Diniz - 19.454º Vanderley Cardoso 20.252º Wilson Simonal – 20.420º Jair Rodrigues 21.621º Tonico - 21.622º Tinoco – 22.623º Djavan 23.547º Marcio Greyck – 23.654º Agnaldo Rayol 24.155º Ronnie Von – 24.758º Ritchie 25.385º Sérgio Reis - 25.605º Tom Zé 26.420º Taiguara – 26.851º Tony Campello 27.343º Lobão – 27.454º Geraldo Vandré 28.589º Beto Guedes - 28.900º Lô Borges 29.545º Fábio Jr – 29.656º Peninha 30.000º Sidney Magal - 30.848º Ed Motta 31.959º Lenine - 31.991º Moraes Moreira 32.106º Nelson Gonçalves - 32.207º Odair José 33.328º Chico César - 33.712º Reginaldo Rossi 34.813º Luís Caldas - 34.921º Bel Marques 35.003º Durval Lelys - 35.177º Jerônimo - 36.277º Tatau 36.678º Pepeu Gomes – 37.478º Beto Jamaica 37.591º Édson Cordeiro - 38.498º Lulu Santos 38.582º Zeca Pagodinho – 40.685º Fernando Mendes 39.093º Édson Gomes - 39.273º Ângelo Máximo 40.484º Oswaldo Montenegro – 41.886º Herbert Vianna

João (O Menos Instruído) em 24 de janeiro de 2015

41.999º Zeca Baleiro - 42.121º Jorge Aragão 42.222º Nando Reis – 43.523º Seu Jorge 43.724º Eduardo Dusek – 44.825º Evandro Mesquita 44.856º João Gordo – 45.127º Roger 45.628º Rodolfo Abrantes - 46.129º Marcelo Camelo 46.130º Flávio Venturini - 47.245º Silvano Sales 47.446º José Augusto – 48.547º Silvinho 48.597º Luís Melodia – 49.034º Waldick Soriano 49.635º Lindomar Castilho – 50.253º Moreira da Silva 50.722º Sérgio Britto – 51.368º Benito Di Paula 51.451º Moacyr Franco – 52.584º Sílvio Caldas 52.702º Guilherme Arantes – 53.751º Roberto Frejat 53.845º Humberto Gessinger – 54.212º Jards Macalé 54.501º Samuel Rosa – 55.001º Kid Vinil 55.148º Geraldo Azevedo 56.242º Marcus Menna 56.349º Dinho Ouro Preto – 57.492º Rogério Flausino 57.649º Tico Santa Cruz – 58.449º Serguei 58.549º Fausto Fawcett – 59.349º Xangai 59.952º Jamelão - 63.457º Juca Chaves – 60.096º Dalto 61.125º Gilliard - 62.251º Kiko Zambianchi 64.553º Agepê – 65.754º Vinny - 66.855º Leo Jaime 67.901º Carlinhos Brown – 68.078º Byafra 69.357º Leandro – 70.358º Leonardo - 71.359º Luciano 72.360º Zezé DiCamargo – 73.361º Chitãozinho 74.362º Xororó – 75.363º Bruno - 76.364º Marrone 77.365º Gian - 81.369º Pedro – 78.366º Giovanni 79.367º Christian - 80.368º Ralf - 82.370º Thiago 83.575º Dicró – 84.089º Badauí 85.128º Gabriel o Pensador – 86.649º Supla 87.749º Alexandre Pires – 88.861º Kleiton 89.462º Kledir - 90.915º Luís Melodia 91.027º Hermes Aquino - 91.108º Marcelo D2 92.125º Amado Batista - 92.187º Bezerra da Silva 92.529º Wando - 93.140º Hermeto Pascoal 93.879º Falcão – 94.587º Chorão 94.772º Falcão (v. do Rappa) – 94.815º Michel Teló 94.871º Márcio Vitor – 94.871º Belo 95.182º Saulo Fernandes - 95.286º Netinho 95.369º Leo Santana - 95.492º Dudu Nobre 95.521º Daniel – 96.003º Markinhos Moura 96.126º Latino - 97.618º Maurício Manieri 97.900º Xanddy – 98.625º Toni Garrido 98.818º Netinho de Paula – 99.049º Luan Santana 99.158º Mc Serginho - 99.419º Tiririca 99.525º Sérgio Malandro - 99.841º Felipe Dylon 99.875º Thiaguinho - 99.953º Naldo 99.999º Padre Marcelo Rossi - 100.000º Dado Dolabella . Breve farei a lista das melhores cantoras e das melhores bandas

João (O Menos Instruído) em 23 de janeiro de 2015

... a quantidade de drogas que o Rei já consumia... . Pelamor de Deus senhor Ricardo Setti. Faça isso não. Não seriam drogas lícitas? Após sua morte seu médico foi muito criticado por receitar muitos remédios (drogas lícitas) para o Rei do Rock. Esse cara era muito religioso. Esse cara é meu ídolo. O maior cantor do mundo de todos os tempos. Quando se fala de roqueiros que usavam drogas só lembro-me de Jimi Hendrix, Janis Joplin, alguns membros dos The Rolling Stones (minha banda predileta), acredito que também o Eric Clapton e outros. Elvis Presley e Michael Jackson estão fora. Ah, aproveitando este post te peço licença para colocar aqui os maiores cantores de todos os tempos. Lista elaborada por este anônimo que vos escreve. E que O REI DO ROCK É O PRIMEIRÍSSIMO DA MINHA LISTA. Leia qualquer biografia de Elvis. O médico pessoal dele teve problemas com a Justiça por colaborar decisivamente para intoxicá-lo. Por que você acha que um cara morre do coração aos 42 anos?

JT em 23 de janeiro de 2015

Drogas são drogas, sejam elas ilícitas ou não. O fato é que Elvis não era viciado em cocaína, LSD ou heroína, mas em remédios de farmácia, que qualquer cidadão podia comprar na época. Ele alternava estimulantes com tranquilizantes e pílulas para emagrecer. Elvis não se considerava um "drogadaço" (e os caminhoneiros também não). O único encontro de Elvis com os Beatles foi uns cinco anos antes da foto com Nixon. A carreira do Elvis estava em baixa com filmes tipo B e os Beatles começavam a estourar nos EUA. Se Elvis tivesse o mesmo empresário astuto dos Beatles, e não um redneck xenófobo lhe conduzindo a carreira, ele seria ainda maior do que foi, várias vezes. Os Beatles excursionaram por todos os continentes e Elvis só fez shows nos EUA e Canadá.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI