Image
Nas Filipinas, continua vigorando a tradição bárbara de comemorar a Páscoa com crucificações (Foto: Reuters)

Por Tamara Fisch

Enquanto a Páscoa brasileira é regada a chocolate e orelhas de pelúcia, a tradição nas Filipinas trilha um caminho muito, muitíssimo diferente.

Muitos católicos no país mantêm o hábito de se oferecer para uma crucificação, exatamente como teria sido feito a Jesus. Sim, “se oferecer”: todos os crucificados são voluntários — este ano, foram cerca de vinte, inclusive um turista dinamarquês.

A preocupação dos organizadores do ritual com a autenticidade seria admirável se não fosse perturbadora. Homens vestidos de soldados romanos, os opressores de Jesus na verdadeira crucificação, martelam pregos sobre as mãos e pés dos voluntários, que ficam erguidos por quanto tempo aguentarem — cerca de dez minutos, normalmente. Após esse período, são tratados por médicos de plantão por perto.

Image
Conforme a história, os crucificados são perfurados por pregos e suspensos por quanto tempo resistirem à dor inimaginável. (Foto: Reuters)

Os fieis veem o ato como um sacrifício que deve refletir em benefícios para suas famílias. Um homem entrevistado pela Reuters disse que era sua 23ª crucificação, e que continuaria se voluntariando até quando seu corpo aguentasse.

E a Igreja nisso? O arcebispo de San Fernando, cidade onde acontece o evento anual, diz que a mutilação é algo errado, pois o corpo é um templo que abriga o espírito.

Em todo caso, o dinamarquês martirizado garantiu que a experiência foi “divertida”. Difícil é entender sob qual ponto de vista isso pode ser verdade.

O ritual acontece por todo o país desde a década de 1950. Todo ano, milhares de turistas e moradores se tornam espectadores do show de horrores na Sexta-Feira Santa.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + dezesseis =

17 Comentários

Toninho Malvadeza em 07 de maio de 2014

E nada do desenho do,Eduardo...

Toninho Malvadeza em 24 de abril de 2014

Aguardando o desenho do eduardo...

eduardo em 24 de abril de 2014

anelice:Ele morreu dessa forma para, entre outras coisas, fazer voce refletir sobre as injustiças, não desejar o mesmo para ninguem e lutar para que todos possam viver dignamente e não como animais irracionais. Toninho, seu malvado, quer que eu desenhe para voce??

Anelice em 23 de abril de 2014

Eu realmente não entendo o por que Ele teve de morrer dessa forma? Eu nao entendo nada , gostaria muito de um dia entender esses misterios ....

Toninho Malvadeza em 22 de abril de 2014

Pergunta sobre a páscoa :como é que alguém declarado oficialmente morto,pode ressuscitar ? Isso não vai contra as leis irrevogáveis de Deus ?

Teresa Maria Bispo em 22 de abril de 2014

É inadmissivel uma coisa dessas! Onde está a proibição pra vedar isso? Que horror!

Evandro Cordeiro em 22 de abril de 2014

Banalização e falta de conhecimento a respeito do verdadeiro e único sacrifício verdadeiro, pela humanidade inteira. Até hoje este sacrifício é válido e abriu para nós as portas para o céu, o caminho para a morada com Deus. Mas isto é uma questão de fé e para quem realmente acredita.

Jacques B. Gros em 22 de abril de 2014

As crucificações de verdade não tinham o apoio para os pés que estas tem. Aí é que está a diferença, o cara não morre sufocado...

Tocqueville em 22 de abril de 2014

O interessante, é que Nosso Senhor Jesus Cristo veio à terra, exatamente para ACABAR como sacrifícios desse tipo...

J.B.CRUZ em 22 de abril de 2014

De todos os fanatismos(Religioso,político,esportivo), sem dúvida o Religioso é o pior de todos...Mata-se em nome de DEUS...

Vera Scheidemann em 22 de abril de 2014

Assustadoras mesmo e, com toda certeza, Deus não nos pede isso. Vera

Joana B. Saldanha em 22 de abril de 2014

Voltei...."resp". ao colega leitor, Antonio, às 11:53. É verdade! Porém, QUALQUER fanatismo, não apenas o religioso, mas o político, o 'esportivo', por exemplo, é pernicioso, e fruto da ignorância! Mas não só da ignorância! Penso que, mais até, da fraqueza moral e de caráter das pessoas que se "deixam" engambelar por esse mal. É no equilíbrio que está a sabedoria, diz um ditado. Abraços.

Joana B. Saldanha em 22 de abril de 2014

Bom dia, Setti! Penso que enquanto for um ato voluntário, de um adulto, que goze das suas "faculdades mentais" (suspeita, é bem verdade!.. rss), e, se tratar de um rito, uma crença, um 'masoquismo', nada poderemos fazer! Cada doido com sua mania!! Existem coisas tão esdrúxulas acontecendo por esse planeta que até o diabo duvida!! O fato, para mim! - é que se o que a pessoa faz, de livre e espontânea vontade, (ainda que, culturalmente "imposto"!) atinge a ela, e somente a ela, então ela pode fazer o que quiser!! Já não é o caso quando se fala de "Drogas"! Sejam as pessoas usuárias de: cigarro, álcool, maconha, crack, cocaína etc, a verdade é que elas SEMPRE, de uma forma ou de outra, atingirão outras pessoas!! Se bebem e/ou usam drogas, além de toda a dor e dos inevitáveis problemas que causarão às suas familias, podem (e vão!!) sair por aí, "chapados", dirigindo, prontos a fazerem outras vítimas!! Por isso, sou RADICALMENTE contra a liberação ou legalização das drogas! E, pessoalmente, acho que o drogado, também deveria ser punido legalmente, de algum modo!! Enfim, sou contra, não porque pode matar o usuário, não porque o crime diminuiria (o que não concordo!), não pelos impostos, política etc, mas sim, pelos inocentes andando nas ruas, mortos por esses "doentes" irresponsáveis e egoístas!! ( desculpe por fugir do tema! :) ) O cara pendurado à cruz, pelo menos não está causando mal a ninguém! É, - para a nossa cultura!-, realmente perturbador, mas para eles ......E, afinal, vai lá assistir, quem quer!! Não é verdade? Abçs!

Antonio R. Melo Jr. em 22 de abril de 2014

O fanatismo religioso é puramente ignorante, seja a religião que for.

alexandre em 22 de abril de 2014

Que ritual horrível, deveria ser proibido por lei. Mas a ideia da Cleusa - 21/04/2014 às 22:05,é muito boa!

Lucya em 22 de abril de 2014

Palavras de Jesus registrada no evangelho de Mateus 9:13 - "Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas, os pecadores, ao arrependimento." Acho esta prática uma banalização do sacrifício que Jesus fez. Ser humano algum suportaria o que Jesus suportou antes e durante a crucificação.

Cleusa em 21 de abril de 2014

Uma ÓTIMA ideia, para punir os Petralhas , envolvido na compra da refinaria Passadena .

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI