Image
Gnus descendo o barranco até o rio Mara — de toda a migração, a travessia do rio é um dos momentos mais dramáticos

O vídeo que vocês vão ver, boa parte em time-lapse, parece versar sobre milhões de formigas — mas não, tratam-se de gnus, também conhecidos como bois-cavalos ou guelengues, que podem pesar mais de 250 quilos e medem em média 1,50 metro na altura dos ombros.

A migração deles é um dos espetáculos mais impressionantes da África. Todos os anos, mais de 1,5 milhão de gnus migram entre a região de Serengeti, na Tanzânia, e a de Masai Mara, no Quênia, atravessando o rio Mara em busca de pastagens frescas, no que é conhecido como o maior movimento em massa de mamíferos em qualquer parte do planeta.

Os gnus, chegam a correr até 80 quilômetros por hora para fugir dos predadores, mas o instinto materno chega ao ponto em que uma mãe gnu enfrenta guepardos, hienas e até leões, com seus chifres e coices.

Image
Na parte em destaque no mapa, a área de migração dos gnus. A linha preta é o rio Mara

Para fazer esse filme impressionante, os irmãos britânicos Will e Matt Burrard-Lucas chegaram na região em setembro, período em que os gnus iniciam sua viagem de volta para o sul do Serengeti, com um mapa da migração que abrange 3.000 quilômetros do traçado.

O documentário de curta-metragem resultante desta viagem é uma combinação de imagens impressionantes e tomadas em time-lapse, que mostram com fidelidade o drama desta incrível migração, como os gnus sendo puxados pela correnteza e pulando os bancos mais distantes do rio.

Quando os gnus alcançam as margens do rio Mara, eles se reúnem em grandes manadas, como que para criar coragem suficiente para fazer a travessia, e uma vez o primeiro animal no rio, todos os outros o acompanham em fila.

Os irmãos cineastas contam que em uma ocasião presenciaram mais de 10.000 gnus atravessando o rio em apenas meia hora. A travessia é perigosa, e não raro acontece de alguns se afogarem na travessia, ou quebrarem as pernas no salto para as falésias, ou ainda acabarem vítimas de crocodilos, como ocorre no final do vídeo.

Image
A chegada na outra margem: 10.000 gnus levam cerca de meia hora para atravessar o rio em busca de pastagens frescas

O afluxo de tamanha quantidade de gnus para a região é uma oportunidade valiosa para predadores e carniceiros. Lá os esperam, ansiosos, leopardos, leões, hienas e abutres.

LEIAM TAMBÉM:

Fotos deslumbrantes: Okavango, o rio que transforma o deserto num luxuriante oásis para milhares de animais selvagens

Encantador: vejam como a leoa se arrisca para resgatar o filhote

VÍDEO: O feroz guepardo estava ali, sendo observado — e de repente pula para cima do jipe

FOTOS PARA CELEBRAR: Algumas das melhores imagens dos 125 anos de National Geographic

Beleza pura: fotos de toda parte — e de encher os olhos

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + 5 =

1 comentário

Matheus em 25 de agosto de 2013

Nossa.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI