Já comentamos várias vezes no blog a tragédia que se abateu sobre o Japão em março deste ano.

Foram quatro dias de horror, nos quais os japoneses enfrentaram um terremoto, seguido de um tsunami e finalizado com explosões na usina nuclear de Fukushima Daiichi – com um saldo de cidades inteiras destruídas, 20 mil mortos ou desaparecidos, 70 mil “refugiados nucleares”, 800 mil casas total ou parcialmente destruídas, 400 mil pessoas deslocadas de seus lares, além de destruição de toda a infraestrutura de uma vasta área e a falência de milhares de empresas.

O terremoto e o tsunami ocorreram a 11 de março. No dia seguinte a população arrasada e assustada despertou com o alarme nuclear, para, nos dias 13 e 14, três gravíssimas explosões constituírem o acidente nuclear mais grave desde o de Chernobyl, na Ucrânia, em 1986.

Mas o Japão é um país sofrido, onde os terremotos ocorrem há séculos, e palco dos dois únicos ataques nucleares da história, os de Hiroshima e Nagasaki, no final da II Guerra Mundial, em 1945. Construir e reconstruir o país não é tarefa nova.

Passaram-se 10 meses após Fukushima, e, embora a radioatividade gerada então ainda produza efeitos, num tempo espetacularmente curto para desastre tão descomunal o país está voltando à rotina.

Grande parte do entulho foi limpo e organizado. Estradas, pontes, viadutos, torres de eletricidade e de microondas e edifícios públicos foram restaurados ou construídos. Na cidade portuária de Kesennuma, a maioria dos barcos deslocados foram removidos e reparados. A maior parte da população evacuada já deixou seu abrigo em escolas e ginásios.

Já aqui entre nós, a tragédia – de menores proporção, é verdade –da região serrana do Rio de Janeiro, afetada por fortes tempestades, devastada a 11 de janeiro passado, na qual 800 pessoas morreram e 500 ficaram desaparecidas, contou com a solidariedade de todo o Brasil: doações em mantimentos, roupas, dinheiro e trabalho voluntário. Mesmo assim, prestes a se completar um ano da tragédia, as estradas da região continuam em péssimo estado, grande parte da população não teve a vida normalizada e ocorreram até – não estivéssemos no Brasil – denúncias de desvios de recursos destinados à recuperação das áreas atingidas .

As fotos a seguir, da agência de Kyodo, mostram o antes (16 de março de 2011) e o depois (3 de setembro de 2011) do terremoto e tsunami. Acompanhem:

Image
Aeroporto Sendai, na província de Miyagi: o tsunami engoliu suas instalações imediatamente após o terremoto

Image
Seis meses depois, o aeroporto Sendai, restaurado e reaberto

Image
Wakabayashi-ala, em Sendai, província de Miyagi, no nordeste do Japão: massa de escombros de casas e veículos

Image
Estudantes voluntários no mesmo lugar: praticamente tudo limpo

02antes

Image
Os destroços sumiram, o terreno está limpo e cidadãos querem manter o navio como um monumento ao desastre

Image
Navios pesqueiros arremessados em terra pelo tsunami como se fossem de brinquedo

Image
A mesma área, quase em ordem, comtodos os barcos removidos, restaurados ou em restauração

Image
Em Natori, província de Miyagi, no norte do Japão: o tsunami começando a devorar uma área urbana inteira, imediatamente após o terremoto

Image
Mesma área depois que a imensa montanha de destroços foi removida

Image
Ishinomaki, província de Miyagi: destroços de  casas, navios e automóveis

Image
Os navios foram retirados e casas danificadas estão sendo reconstruídas

Image
Otsuchi, província de Iwate, nordeste do Japão: barco de turismo “Hamayuri” sobre uma pousada de dois andares após o tsunami

Image
Aqui os escombros foram quase todos removidos

Image
Iwanuma, província de Miyagi, no nordeste do Japão: aqui a região devastada pelo tsunami

Image
Mesma área com a grama crescendo no local antes inundado

Image
Otsuchicho, província de Iwate, norte do Japão: edifícios em meio a escombros

Image
A limpeza do local ainda está em andamento

Image
Kesennuma, em Miyagi, norte do Japão: rua coberta por destroços queimados por um incêndio

Image
Mesma área após os escombros terem sido removidos

Image
Ishinomaki, província de Miyagi: caminhão militar por uma estrada inundada pelo tsunami

Image
loja de carros usados ​​volta a funcionar após a remoção dos destroços

Image
Higashimatsushima, província de Miyagi: busca de vítimas perto de barcos de pesca encalhados e danos do tsunami

Image
Navio encalhado ainda na área após a remoção de destroços

Image
Matsukawaura, porto de pesca em Soma, província de Fukushima: barcos de pesca encalhados e danos do tsunami

Image
Mesma a área após a navios encalhados terem sido removidos

Image
Rikuzentakata, província de Iwate: veículos da polícia e combate a incêndios estacionados no meio dos escombros após o tsunami

Image
Homem pedalando na mesma área, agora coberta de grama

Image
Iwaki, na província de Fukushima: pessoas andando sobre escombros de casas devastadas cobrindo uma estrada após o tsunami

Image
Mesmo caminho com os restos totalmente removido
Veja também:
Terrível: vídeo impressionante do tsunami que arrasou o Japão. Prédios são arrastados como pedaços de isopor
Um depoimento impressionante sobre a tragédia nuclear no Japão e a solidariedade das pessoas
Vídeo: veja o momento da explosão de uma usina nuclear no Japão

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 7 =

Nenhum comentário

jose em 10 de junho de 2014

As regras para publicação de comentários no blog, conforme relembrei aos amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web. Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo? Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm Obrigado

herica em 12 de maio de 2014

Nós brasileiros temos algo precioso para usarmos contra a massa de políticos corruptos que assolam o nosso país, esse tesouro é o voto, eles podem nos obrigar a votar, mas não podem evitar que anulemos o voto.

Lidónio em 02 de abril de 2014

Os japoneses passaram por momentos dificis e conseguiram vencer e isso ja é uma vantagem...tamos sujeito a tudo, pos a dor é inevitavel e o sofrimento é opcional

arlan em 09 de dezembro de 2013

japoneses são vencedores grande desbravadores os verdadeiros guerreiros mas no brasil se acontecesse isso nois brasileiros estaríamos na pior por causa de nossos políticos corruptos que vergonha avesses da de ser brasileiro .....

luna em 02 de julho de 2013

nossa todo mundo fala que uma casa que cai é uma tragédia mas isso que aconteceu no Japão em 2011 que é uma pura tragédia

GLEDSON MORAIS em 17 de maio de 2013

Por isso que tenho orgulho do povo desse país maravilhoso

Alexander em 20 de março de 2013

O Brasil tem tudo pra ser um país de primeiro mundo igual ao Japão se naum fosse essa corrupção toda . Se eu fosse esses politicos eu ficaria com vergonha quando olhasse uma historia dessa . Um exemplo de superação e determinação.

Ruy em 03 de novembro de 2012

No Japão quando um politico corrupto é descoberto eles geralmente cometem suicídio. Eu vi um politico japonês dizer que sentia uma imensa vergonha de ser acusado de corrupção e logo em seguida ele cometeu suicídio para provar que não era corrupto.

jorge em 31 de outubro de 2012

Realmente eles são rapidos mesmo,e como um amigo abaixo disse,realmente tem corrupção no Japão sim,mas nem se compara com o Brasil,no japão os politicos roubam mas fazem ,mas com certeza a proporção é bem menor que no BRasil,aqui é geral,desde a classe baixa ate a classe alta,todos querem levar vantagem,no Japão o pensamento é diferente,ruas limpinhas vc não vê um papel de bala nem bituca de cigarro na rua,nem motorista inflingindo a lei,a educação do povo japonês é uma coisa impressionante

sérgio em 20 de janeiro de 2012

Que bom seria se o Brasil tivesse pelo menos 1 dos 5S que tem os japoneses. Fala sério, eles são incríveis.

Solange Gomes Vieira em 04 de janeiro de 2012

A reação dos japoneses diante das tragédias é histórica. Lembramos do que aconteceu com o país em 1945! Além da organização e do espírito de reconstrução, os japoneses procuram agir com honestidade, ao contrário do poder público em nosso país.

JSNeto em 19 de dezembro de 2011

Cil, acho que qq revista poderia fazer esta matéria. Quanto a vergonha, realmente o povo japonês nos deixa bem pra baixo, pois, não conseguimos restaurar áreas de deslizamentos no RJ, do ano retrasado, passado e deste ano...DILMA, OLHA ISSO!!!

marly morone maciel em 19 de dezembro de 2011

Ate' qdo. teremos que nos envergonhar.....Agora o negocio e' construir estadios pra uma copa que so' vai nos deixar rombos.....Meu Deus !!!ate' quando......

Cil em 18 de dezembro de 2011

Lendo os comentários abaixo, vi sua resposta a um deles. Seria uma matéria sensacional da Veja comparar o que está ocorrendo no Japão ao que ocorre no Brasil.

Cil em 18 de dezembro de 2011

Nossa! Até linkei este post maravilhoso lá no meu Twitter. Nunca tive tanta vergonha de ser brasileira como no momento em que vi estas fotos! - E olha que as fotos são de setembro. Enquanto isso, o Brazil não consegue finalizar boa parte das obras do PAC. Hell! Nem mesmo a copa, ganha 4 anos, tem obras nem perto de serem começadas. - Me emocionou.

Paulo em 17 de dezembro de 2011

Teresinha, os entulhos que foram coletados, estão sendo separados, reciclados e os que não foram reaproveitados, estão sendo utilizados em aterros, na região de Tóquio!

Elaine em 16 de dezembro de 2011

Os japoneses não param para reclamar, eles realmente arregaçam as mangas para lutar em tempos de dificuldades! Um japonês não vai fazer uma coisa para o seu próprio bem, ou seja (pelo menos ele faz a sua parte), não eles não agem assim! Eles se unem e lutam em comunidade, pelo bem de todos, é uma coisa que falta no brasileiro. Todo País tem corrupção, mas no Japão se um político é corrupto e quando é descoberto, muitos se suícidam, outros são presos de verdade!

Elaine em 16 de dezembro de 2011

O Japão é um País que leva as coisas muito a sério em todos os sentidos, só quem conhece o Japão, sabe do sistema deles, que dá em grandes obras e grandes resultados para o benefício de todos! Te amo Japão!!

Marcio em 16 de dezembro de 2011

Depois de ler os comentarios de Aloisio Mercadante sobre as chuvas de verao, li o post sobre o Japao. Me deu uma desesperanca enorme Ricardo....quando esse pesadelo de incompetencia vai acabar?

Samuel Alves Balieiro em 15 de dezembro de 2011

E os senhores da Nomenklatura denominada poder legislativo e poder judiciário lá na ilha da fantasia chamada Brasilia continuam como sempre: alheios a tudo e a todos; preocupados, única e exclusivamente com os próprios interesses. Lembrando Lincoln:"...não se pode enganar todos o tempo todo", o País tem de acordar, mais cedo ou mais tarde, oxalá não seja como ocorreu e continua a acontecer no norte da África e alhures.

Newman em 15 de dezembro de 2011

Ao contrário do que muitos estrangeiros pensam, o Japão é um país extremamente corrupto. Mas pelo menos lá eles se pautam pela eficácia nos serviços públicos. Roubam mas fazem... e direito.

Marcelo em 15 de dezembro de 2011

É esse povo japonês que é demais ou nós é que somos "de menos"?

Vera Scheidemann em 15 de dezembro de 2011

Nessas horas dá vontade de enterrar-se na areia que nem avestruz e morrer de vergonha de ser brasileira. Vera

glauco em 15 de dezembro de 2011

Poderíamos mostrar as fotos de Nova Friburgo e Resende, antes e depois. Teve até prefeito preso.

carlos mattos em 15 de dezembro de 2011

SETTI ENVIEI ONTEM UM COMENTARIO, ESTA ABAIXO, SO QUE FOI DEPOIS DAS 21,30, NAO SEI SE VOCE O RECEBEU, NESTE COMENTARIO TE FACO UM PEDIDO, PUBLIQUE AS FOTOS DO JAPAO E AS FOTOS DA REGIAO SERRANA , O ANTES E O DEPOIS, PARA QUE VEJAMOS, A DIFERENCA DA CATASTROFE( DO JAPAO) UM MILHAO DE VEZES PIOR QUE A CHUVINHA DA REGIAO SERRANA, PARA QUE COMPAREMOS AS DIFERENCAS DA RECUPERACAO Caro Carlos, recebi e respondi. Disse que você é um ótimo pauteiro para a imprensa, mas que a tarefa está além das possibilidades deste modesto blog. Vou, no entanto, sugerir o tema para a revista. Abração

Nino (SP) em 15 de dezembro de 2011

Ricardo, o pessoal da Região Serrana do Rio bem que poderia enviar fotos tiradas na época da tragédia e fotos atuais nos mesmos lugares para comparação. Não existe maneira melhor de registrar a incompetência do populismo demagógico que abunda no Rio de Janeiro e que, desde 2003 dá o tom da administração pública federal.

Teresinha em 15 de dezembro de 2011

A capacidade de trabalho (palavra de levam a sério principalmente no Japão) é admirável e invejável, não têm vergonha de realizar como aqui no Brasil que querem ganhar sem fazer. Fico questionando qual o fim que estão dando aos entulhos, pois se jogarem em alto mar correm o risco de terem tudo devolvido em outra tragédia.

Marcos Cesar Lins em 15 de dezembro de 2011

Prezado Setti, Não seria possível se fazer um estudo de fotos comparativas como esse da região serrana? Agregando ao estudo fotográfico as declarações da "ilustre presidenta" da república, junto com o "nobre governador" do RJ, entre outros, à época dos acontecimentos? Seria altamente pedagógico para os brasileiros que se deixam levar pelos discursos vazios desses políticos moralmente desclassificados, elegendo-os e reelegendo-os, que estão, infelizmente, dominando o Brasil nos últimos nove anos. Grato Você é um grande pauteiro para a imprensa, Marcos! Mas esse material está além dos modestos limites deste blog. Vou sugeri-lo para a revista. Um abração

Lapeno R em 15 de dezembro de 2011

Vale lembrar que a economia japonesa nao andava muito bem das pernas antes da tragedia. Enquanto no Brasil mesmo numa fase de Bonanca, a farra com o dinheiro e tanta que nao se executa nada, e se o fazem, e malfeito e demorado. Enquanto nem um Edital de concessao dos aeroportos escolhidos para licitarem eles consegem fazer a tempo, o que dira tirar obras do papel e pior ainda, em situacoes de emergencia como foi com a regiao serrana do rio. E um apagao tecnico no governo federal como se nunca viu. Nao tem uma obra do GF por minima que seja que nao apresenta problemas.

joao jose augusto em 15 de dezembro de 2011

Senhor Ricardo, É ótimo que nos ajudem a comparar as situações e olhar a capacidade de trabalho (publico e privado) de outros paises. Ha muito tempo (mais acentuadamente nos ultimos 6 a8 anos) tenho ficado apavorado com os custos das obras publicas no nosso país. Sem falar das obras chinesas na China. Poucos meses atras tive opotundiade de saber que os Estadios Nacionais de Angola, Moçambique e Togo foram construidos pelos chineses: eles levaram pra lá material e mão de obra. O de Moçambique, para 42.000 pessoas, disseram lá, que custou algo em torno de US$ 52 milhões. Mesmo que não tenha o conforto que os nossos novos estadios venham ter. Mas a disparidade é de assustar. Por isso, seria interessante que pudessemos sempre ter ideia de obras e valores em determinados paises para que possamnos criar uma massa critica dos valores das obras publicas no nosso país. Vejo obras que por causa de uns apetrechos de efeito visual passam a triplicar de valor. Como disse,não sou engenheiro mas tenho alguma noção de custo e preço relativo de materiais e mão de obra. Além da pesadissima carga tributária estamos pagando carissimo por obras publicas. No meu entender, estamos sendo surrupiados de todos os lados.

nei do mar em 15 de dezembro de 2011

Como é bom não termos essas tragédias no Brasil, causadas pela maldade humana, os maus pensamentos, e a corrupção dos governos japoneses.

Geraldo em 15 de dezembro de 2011

O que IMPRESSIONA não é a determinação do povo japonês e sim o nível de CORRUPÇÃO, SAFADEZA E CANALHICE dos POLÍTICOS brasileiros.

osmar em 15 de dezembro de 2011

ENQUANTO ISTO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SOMENTE DESVIARAM O DINHEIRO PUBLICO ENVIADO E OS ESCOMBROS CONTINUAM..EH O BRASIL ... NAO NECESSITA DE MAIS COMENTARIOS..

veiaco em 15 de dezembro de 2011

Mas o maior exemplo desse povo inacreditável, foi a devolução de milhões da ajuda humanitária que outros países enviaram ao Japão.

Atento. em 15 de dezembro de 2011

Eles têm de sobra tudo que nos falta: disciplina, planejamento, determinação, organização, boa gestão.

Observador100 em 15 de dezembro de 2011

Caro Setti Mais impressionante do que a recuperação em sí certamente deve ser o fato de que a verba gasta deve ter sido relativamente menor do que a "gasta" na região serrana do Rio. Falando no assunto, a prefeitura de Macaé (RJ) está gastando 277 milhões em uma obra para colocação de manilhões em um trecho da rodovia Amaral Peixoto, para evitar enchentes no local. Nada demais se este valor não fosse 1/3 do valor que esta sendo gasto na reforma do estádio do Maracanã. Um espanto! abraço

Antonio Correia em 14 de dezembro de 2011

As fotos não têm nada que ver com o acidente nuclear, o que vemos são tudo consequencia do terremoto e consequente tsunami estes sim causaram também os problemas na usina.

Lucas Cobain Martins em 14 de dezembro de 2011

se os brasileiros tomassem o exemplo dos japoneses, nao roubassem tanto de quem tanto precisa, o nosso pais seria uma maravilha, mas o olho gordo no dinheiro alheio é maior !

carlos mattos em 14 de dezembro de 2011

Setti Perto desta imensa tragedia , a regiao serrana do rio foi uma chuvinha , por favor, mostre a regia serrana junto com esta bela demonstracao de recuperacao, por favor mostre juntos

Tiago Dotto em 14 de dezembro de 2011

Impressionante a determinação deste povo. Incrível

Flavia Vicente em 14 de dezembro de 2011

Nossa, realmente increditável!

Edson Da Silva Paim em 14 de dezembro de 2011

Muito impressionismo

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI