Image
Exploradores encontraram e recuperaram motores usados no Apollo 11 em seu histórico pouso lunar (Foto: Bezos Expeditions)

O que poderiam ser os cinco motores F-1 que fizeram arrancar da Terra o projeto Apollo 11, no histórico voo que permanecerá para sempre na memória da Humanidade por haver levado o homem à lua, foram encontrados no fundo do Atlântico em março deste ano — e, como se sabe, justamente neste sábado, 20, um dia antes do 44º aniversário dos primeiros passos do astronautas Neil Armstrong na superfície do nosso satélite, eles foram confirmados como verdadeiros pela verificação de seus números de série.

Os motores estavam a mais de três quilômetros abaixo da superfície do oceano e foram encontrados em algum ponto do Oceano Atlântico por uma equipe financiada pela  Bezos Expeditions, empresa do bilionário norte-americano Jeff Bezos, dono da loja virtual Amazon e de uma série de outros empreendimentos.

Image
Restos do foguete Saturn V no fundo do Oceano Atlântico (Foto: Bezos Expeditions)

Este post se destina a mostrar fotos interessantes, mas é necessário alguma explicação.

Naquele 16 de junho de 1969, durante apenas pouco mais de dois minutos, mas consumindo nesse período mais de 2 toneladas de combustível, esses motores alimentaram o foguete Saturn V — o mais poderoso jamais construído –, sendo, em seguida, expelidos para bem longe do conjunto que rumava para lua, na costa da Flórida, nos EUA, e dando lugar a outros motores menores, dos diferentes módulos que dirigiram a missão Apollo a seu objetivo.

Image
O número de série 2044 dos motores do Saturn V foi encontrado usando luz negra no processo de varredura realizado no fundo do mar (Foto: Bezos Expeditions)

A confirmação foi feita por especialistas do Cosmosphere Kansas & Space Center — entidade ligada à famosa Smithsonian Institution, entidade científica que mantém uma série de museus fantásticos nos Estados Unidos –, após verificação da superfície do achado mediante um dispositivo denominado luz negra.

“2044 é o número de série da [empresa contratada] Rocketdyne que correlaciona à NASA o número 6044, que é o número de série do motor F-1 n º 5 de Apollo 11 “, explicou Jeff Bezos.

Image
Descoberta notável: mais de 43 anos de corrosão por permanecer no fundo do oceano não impediram a identificação dos motores encontrados (Foto: Bezos Expeditions)

Além disso, estudos minuciosos levaram a equipe a encontrar a inscrição “Unit º 2044” estampada na base da câmara de empuxo, fornecendo confirmação adicional.

A localização demorou quatro meses e recorreu a todo tipo de tecnologia de vasculhar o fundo do mar, começando por sonares de última geração. A recuperação foi feita com veículos altamente avançados, operados por controle remoto no fundo do mar e projetados para suportar as enormes pressões das profundidades extremas.

Image
Histórico: a confirmação de que os motores impulsionaram a Apollo 11 veio na véspera do 44º aniversário do passeio lunar de Neil Armstrong e Buzz Aldrin (Foto: Bezos Expeditions)

A equipe de resgate acredita ter em mãos componentes suficientes para montar, restaurando-os, dois motores completos da viagem histórica.

O célebre voo da Apollo 11 à lua demorou cerca de quatro dias a partir do lançamento. Pousando em 20 de julho de 1969 sobre a superfície da lua no que a NASA, a agência espacial americana, denominou Base da Tranquilidade, Neil Armstrong anunciou, em frase famosa, referindo-se ao módulo lunar:

— A águia pousou.

Image
Restaurar os motores é possível, mas vai dar um trabalhão (Foto: Bezos Expeditions)

Descendo cuidadosamente da nave, poucas horas depois, Armstrong proferiu a frase programada previamente mais famosa ainda: “É um pequeno passo para o homem, um salto gigante para a humanidade.”

O astronauta Buzz Aldrin logo se juntou a Armstrong em seu famoso passo lunar, com centenas de milhões de pessoas em todo o mundo assistindo com espanto e admiração.

O terceiro astronauta da missão, Michael Collins, permaneceu em órbita da lua a bordo do chamado módulo de comando, ao qual, finda a missão, o pequeno Águia se acoplaria depois de decolar.

Image
Decolagem: o Saturn V levando a Apollo 11 em seu lançamento, a partir do Kennedy Space Center, em 16 de julho de 1969 (Foto: Handout)

Menos de 24 horas após o desembarque, os astronautas começaram a sua viagem de volta à Terra, fazendo um pouso de emergência no Oceano Pacífico, no dia 24 de julho.

 

LEIAM TAMBÉM:

VÍDEO: Vejam em ação o novo motor dos foguetes da iniciativa privada que a NASA vai operar — e ouçam seu impressionante rugido

FIQUEM DE OLHO: em 2014 o espaço vai ficar mais feminino

VÍDEO PARA INEBRIAR: O encanto e a magia da Lua

FOTOS E VÍDEO ESPETACULARES: em busca das nossas origens cósmicas

VÍDEO DE ARREPIAR: em só 3 minutos, 3 anos de imagens inéditas e muito nítidas do Sol

VÍDEO ESPETACULAR em time-lapse: Uma nave espacial — do tamanho de 40 caminhões — circula pelas ruas de Los Angeles!

EM FOTOS tiradas do espaço, maravilhas e mistérios da Terra, o nosso planeta

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 5 =

TWITTER DO SETTI