Image
Montagem mostra nove das famílias consideradas “miscigenadas” que CYJO fotografou em Nova York e Pequim (Fotos: CYJO)

Como definir conceitos tão complexos como “raça” — algo que cientificamente não existe — ou “etnia”?

Tendo esta pergunta em mente, a artista CYJO passou o período entre 2010 e 2013 fotografando famílias de Nova York e Pequim consideradas “miscigenadas”, por serem formados por pais de diferentes origens e contarem com filhos resultantes da união.

O belo resultado é o livro Mixed Blood (“Sangue Misturado”). A autora, que se considera uma “ocidental de descendência coreana”, define a proposta: “o livro questiona e difunde o processo de categorização de raça/etnia e foca em experiências conectivas e de cruzamento entre culturas”. Ainda segundo ela, “esta unificação de raça e culturas dentro de uma unidade familiar continua a influenciar a evolução das identidades americana e global”.

Em Mixed Blood, CYJO clicou os núcleos familiares separando propositalmente as gerações, pais à esquerda, filhos à direita. O método, explica, “serve para que as identidades individuais e grupais de cada família sejam mais claramente observadas, facilitando a comparação e o contraste entre cada membro”.

Confiram:

Image
Os James em 2010. Cidadania: americana; descendentes de: índios americanos (cuja denominação politicamente correta,hoje em dia, é “americanos nativos”), indianos, chineses, holandeses, ingleses, filipinos, alemães, irlandeses, japoneses e prussianos; idiomas: inglês, francês, e inglês “pidgin”. Moram em Pequim
Image
Os Casarosa em 2010. Cidadanias: americana, italiana a coreana; descendentes de: italianos e coreanos; idiomas: inglês, italiano, coreano. Vivem em Nova York
Image
Os Kishimoto em 2013. Cidadanias: chinesa e japonesa; descendentes de: chineses, japoneses; idiomas: mandarim, japonês e inglês. Estabelecidos em Pequim
Image
Os Huang Rierson em 2013. Cidadanias: americana e belga; descendentes de: chineses e “toda a Europa Ocidental exceto a França”; idiomas: mandarim, francês e inglês. Moram em Pequim.
Image
Os Valter em 2010. Cidadanias: americana e alemã; descendentes de: africanos, nativos americanos, bahamenses, franceses e alemães; idiomas: inglês, alemão, francês, espanhol. Moram em Nova York
Image
Os Snodgrass em 2013. Cidadanias: americana e chinesa; descendentes de: alemães, chineses e irlandeses; idiomas: inglês e mandarim. Indo e vindo da China para os Estados Unidos desde 1999

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − um =

3 Comentários

Carlos, Amsterdam - HOL em 19 de julho de 2014

Belas fotos, mas não é novidade. EUA e maior parte da Europa Centro-Ocidental sempre houve "miscigenação" de raças com outros povos. Os Países Baixos estão repleto de holandeses de origem surinamesa e indonesia, inclusive, entre essas duas culturas também, desde dos anos 1970s quando cidadãos do Suriname, Indonésia e outros países chegaram de Eindhovem (extremo sul) à Groningen (norte), passando por Rotterdam, Amsterdam, Utrecht, etc. Na Grã-Bretanha, especificadamente em Birmingham (histórico polo industrial), Chineses chegaram há 60 anos: http://www.youtube.com/watch?v=mM8O95RTaE0

sonia m. mesquita em 19 de julho de 2014

Bonito eh ver o resultado da mistura. Tem cada uma. Eu gosto. Nao existe cotas pra isto ou aquilo. Nos seres vivemos eterna ebulicao.......

razumikhin em 19 de julho de 2014

Pode ser, sem dúvidas, um complicador para a pulítka daz cota. Sou favorável à aplicação do exame de DNA em todo candidato a uma vaga.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI