Image
Tanto guindastes quanto contêiners dos EUA e da OTAN ganham nova vida nas em mãos afegãs (Fotos: Anja Niedringhaus – AP)

As forças estrangeiras de ocupação do Afeganistão só terão deixado o país completamente no final de 2014 — havendo a possibilidade de permanecer um contingente dos Estados Unidos. De todo modo, até lá, ainda há um incomensurável trabalho logístico a fazer, sobretudo o de dar cabo à parafernália militar americana inutilizada ainda presente em território afegão.

De acordo com reportagem da agência Associated Press, somente em 2013 um total espantoso de 175 mil toneladas de veículos e estruturas usadas durante a guerra foram transformados em sucata e vendidos aos próprios afegãos por 46,5 milhões de dólares. Outro lote imenso no valor de 71 milhões de dólares foi doado ao governo afegão por países participantes das forças de coalizão.

E é neste meio que atuam cidadãos pobres do destroçado país que, sem melhor alternativa para ganhar a vida, vasculham montanhas de detritos bélicos em busca de algo que possa gerar algum dinheiro.

Figura carimbada do fotojornalismo especializado em guerras, a alemã Anja Niedringhaus registrou com suas câmeras este mercado negro em plena ebulição.

Um ensaio com algumas de suas imagens encomendadas pela AP, produzidas entre 28 de outubro e 3 de novembro deste ano em Kandahar, sul do Afeganistão, foram recentemente publicadas pela revista Time. Confiram:

Image
Estas barreiras, cuja finalidade era proteger as tropas de homens-bomba, viraram mercadoria
Image
Barris de petróleo são transportados por um afegão que batalha pela subsistência
Image
Aqui, pedaços de veículo destruído são colocados em um caminhão para transporte
Image
Mais restos de barreiras anti-homens-bomba
Image
Um ventilador solitário espera a sua hora
Image
Caminhões passam lotados de destroços variados
Image
O guindaste ajuda a inspecionar os contêiners sendo levados
Image
Qualquer porção de material pode valer algum dinheiro
Image
Rodas gigantes de veículos destruídos também aparecem em quantidade
Image
Homem armazena camas dobráveis para vendê-las

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 18 =

3 Comentários

Paulo Anjos em 29 de novembro de 2013

Os EUA invadiram o Afeganistão sob falsas alegações. Nosso pais é uma bagunça porque tenta copiar o que vem lá do norte, que parece organizado, mas só parece.

AlexRio em 24 de novembro de 2013

A necessidade é a mãe de todos os vicios e virtudes.

Marco em 24 de novembro de 2013

Don Setti, se continuar assim com esse comportamento econômico do atual Brasil, em breve, é só isso q estaremos registrando como vendas, ou seja, sucata. E o PT acha isso muito digno como relação comercial... Abs.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI