Image
Novo modelo da indiana Tata Motors: carro movido a ar

A Tata Motors, líder no mercado automobilístico indiano e gigante industrial que se encontra em constante expansão global, promete lançar já agora em agosto um modelo de carro que deve repercutir ainda mais que o Nano, que pôs à venda em 2009 com a alcunha de “O Carro do Povo” – por seu valor baixíssimo (o equivalente a  4,240 reais).

Batizada Mini CAT, a nova aposta do ousado fabricante asiático – que em 2008 adquiriu nada menos que a duas marcas extraordinárias e tradicionais, como Jaguar e a Land Rover, junto à Ford – é constituída por um chassi tubular e corpo de fibra de vidro, ao qual se agrega um revolucionário motor que dispensa gasolina, diesel, gás ou eletricidade. Funciona apenas com a ajuda do mais disponível dos propelentes: o ar.

A tecnologia, desenvolvida pelo inventor e ex-engenheiro de Fórmula 1 francês Guy Nègre e a empresa MDI, de Luxemburgo, emprega ar comprimido para empurrar os pistões do motor do carrinho. Todas as funções elétricas do automóvel são controladas por um microprocessador, enquanto um pequeno transmissor de rádio envia instruções a todos os outros (poucos) dispositivos.

Image
 A tecnologia do motor a ar comprimido foi criada pelo inventor e ex-engenheiro de Fórmula 1 francês Guy Nègre e pela empresa MDI, de Luxemburgo

No Mini Cat, tudo se (re)aproveita: com temperatura rondando os 15 graus abaixo de zero, o ar limpo expelido pelo tubo de escape é reutilizado pelo sistema interno de ar condicionado, o que evita o consumo de gases ou a perda de energia.

Não são necessárias chaves, apenas um cartão de acesso “lido” pelo veículo mesmo que esteja, por exemplo, dentro de uma bolsa. Segundo os engenheiros responsáveis, circular em um Mini Cat custa menos de 50 rúpias (a moeda indiana) por 100 quilômetros rodados, ou seja, cerca de um décimo do custo de um carro movido a gás natural aproximadamente 1 dólar para cada 100 quilômetros). O carro desempenha uma velocidade máxima de 105 quilômetros por hora rende algo como 300 km percorridos a cada reabastecimento.

Para recarregá-lo, basta ir a um dos postos de combustível que estejam munidos de compressores de ar especiais. O processo todo dura entre dois e três minutos, a um custo de cerca de 100 rúpias (3,60 reais). É possível também reabastecer em casa ou dispor de compressor elétrico a bordo. Neste caso, a carga demora de 3 a 4 horas para ser completa.

Image
O Mini CAT: chassis tubular com fibra de vidro

Por não efetuar combustão, o motor do Mini CAT consome, por meio de suas peças móveis, 1 litro de óleo vegetal a cada 50.000 km. Devido à sua estrutura simples, requer pouca manutenção.

A aposta ousada da Tata, que desafia muitos críticos sérios e céticos, pretende colocar nas ruas uma verdadeira revolução — um automóvel extraordinariamente econômico, “limpo” e, para os padrões internacionais, baratíssimo: seu preço na Índia será perto de 360 mil rúpias  (pouco mais de 13 mil reais no Brasil).

Bem, agosto está aí. Esperemos para ver. Se tudo se confirmar, estará sendo virada uma página na história do automóvel — nada menos do que isso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 4 =

64 Comentários

Eder em 29 de setembro de 2014

O povim chato aqui hein, Dr Roberto, até parece especialistas falando disso, alias, o futuro é esse, Ar! pelo jeito a metade que falan criticando voc~e, Roberto, não sabem nem trocar pneu!!!

Jhowberth em 21 de setembro de 2014

excelente invenção. A grande questão no Brasil é os chefões do petróleo iriam ser contra.

marcio maxlife em 13 de julho de 2014

Aqui no Brasil ele custa quase 30.000 (imposto)só seria viável se os caras fabricarem aqui, porém jamais seria igual o fabricado lá fora pois teria que se adequar tipo com redução de desempenho, potência etc...ou alguém ai acha que as montadoras, tubarões do petróleo, governo e outros mais vão permitir??????

Alvaro em 10 de julho de 2014

Um país que acaba de comprar uma refinaria no exterior, jamais deixará um carro desse entrar no mercado interno. Os empresários (internos e externos) têm muito a perder, se esse veículo viesse a circular no Brasil. Um motor movido a ar comprimido vai de encontro aos interesses daqueles cuja economia se funda na produção de petróleo. Mas, o povo brasileiro apreciaria muito poder desfrutar dessa nova tecnologia, que inclusive beneficia o meio ambiente.

Rosival em 25 de junho de 2014

Este veiculo pode ate chegar ao brasil, mas estou achando um pouco difícil, pois nosso pais é um pais onde os governantes a maioria deles são corruptos, so enxergam dinheiro e se uma coisa não da dinheiro eles simplismente não aprovam, e vivem dando desculpa, e a população que se ferre, esse negocio de meio ambiente eles não estão nem ai, e a população q se ferre.

Erivelto em 24 de maio de 2014

Gostaria de importar este carro qual procedimento

mehraldas em 23 de abril de 2014

Caro Setti. escusame per ritornare a questo forum, mas mesmo os técnicos mantém o homo ludens em si. Dentre todos os comentários, somente um foi digno de considerações,ou, ao menos , resposta Elvio Zanini - 20/12/2013 às 19:44 Está na hora de darmos um basta ao nosso combustível mais poluidor do planeta; alem de péssimo é muito caro. Gostaria de saber se há possibilidade de se instalar pequenas turbinas eólicas para estocar o ar comprimido por meio de compressores em reservatórios para depois transfer para o cilindro do carro.? Minha opinião. Pequenas turbinas eólicas serão, certamente - mas somente onde o vento é forte e constante - adjutórias na matriz energética. Com um bom ( e custoso) banco de baterias, poderão garantir , ao menos a iluminação da casa, mas nem o banho quente, que a gurizada de hoje usufrui durante meia hora, sem ter a mínima noção de donde provém aquela energia!

Edson em 25 de março de 2014

Olá. Ja possso comprar um desses na Índia e tem como trazer p/ o brasil. Aguardo retorno.

Manuel Grande Martins em 08 de março de 2014

Venho acompanhando esse carro movido a ar desde a muito tempo. O que seria necessário é fabricar esse carro em um estado do Brasil ou num país Latino para dar uma arrancada inicial. Para vencer certas barreiras precisa ousadia. Obrigado pelo projéto

luiz antonio sincos em 02 de fevereiro de 2014

Boa noite, gostaria de saber qual firma ira comercilizar no brasil. Obrigado.

André em 27 de janeiro de 2014

é lógico que esse carro já existe assim como a cura do cancer, só que as multinacionais não divulgam a massa mundial, pois eles lucram mais com a queima do petroleo bem como com as mortes por cancer e AIDS no mundo. Acordem!

Elvio Zanini em 20 de dezembro de 2013

Está na hora de darmos um basta ao nosso combustível mais poluidor do planeta; alem de péssimo é muito caro. Gostaria de saber se há possibilidade de se instalar pequenas turbinas eólicas para estocar o ar comprimido por meio de compressores em reservatórios para depois transfer para o cilindro do carro.?? Aguardo resposta

Marco Abramo em 13 de novembro de 2013

Estão falando em moto-perpétuo, mas esse motor não é moto-perpétuo. Ele funciona sim, sem problemas, só que não é viável. Uma coisa é ser funcional, outra é ser viável. Ocorre que para comprimir o ar será necessário um gasto de energia (elétrica) que acaba sendo maior do que usar diretamente um veículo com motor elétrico. Simplesmente cria-se mais uma etapa no processo, e nessa estapa há perdas. Além disso, um cilindro de ar comprimido tem baixíssima autonomia quando comparado ao mesmo volume de gasolina ou bateria. Simplesmente não é viável na prática, por melhor que funcione em demonstrações. A tecnologia de compressão de ar é conhecida há séculos e usada intensivamente pela indústria desde o século XIX, se fosse viável já estaria sendo usada há muito tempo.

Marco Abramo em 12 de novembro de 2013

Se eu preciso aprender física, você está em estágio anterior: precisa aprender um mínimo de bons modos e de respeito pelos outros.

Marco Abramo em 12 de novembro de 2013

Seu comentário é ofensivo e grosseiro, e portanto foi deletado.

Edson em 25 de outubro de 2013

Já posso comprar. esse Carro no Brasil... a que valor... Faz tempo que espero esse carro sair do papel. Qtos kg Posso Carregar. Ja temos modelo p pequenas gargas

Edson em 25 de outubro de 2013

Já posso comprar. esse Carro no Brasil... a que valor... Faz tempo que espero esse carro sair do papel.

daniel em 09 de setembro de 2013

E ai, como está esse projeto? Agosto passou e não há nada de noticias. Abril gostaria que investigassem mais a respeito, por favor. valeu...

Luis Carlos de Oliveira. em 04 de julho de 2013

Esse carro ja vinha a ser testado na frança, nos fins da decada de 80.Acho otimo e espero que chegue logo isto ė pra ontem pois o planeta voi adorar.

Nilso em 22 de março de 2013

se já tem por aqui quero 2 pode ser desde que não venha com queles decimo quarto e decimo quinto e mais ajuda de custo daquele pessoal la de brasília porque tudo que pode favorecer o povo sempre seda um jeito pra carregar de impostos to certo ou não!!!

Jose Maria em 16 de março de 2013

Só que aqui no Brasis tupiniquins de bananas o preço do ar, com margem de lucro, impostos e outras safadezas mais, deverá custar em torno de 2,00 Reais cada cheirada, um tanque por volta de 90,00 contos. Isso é que é país arretado da p...!!!!!

LEANDRO em 04 de março de 2013

poxa cadê o carrinho, estou esperando para comprar um desses ou mais, é só enrolação, pelo que eu me lembro já faz muito tempo que vi a reportagem sobre ele e nada de chegar aqui no brasil, por favor se tiverem uma noção de quando estará disponivel me avisem...

mehraldas em 19 de fevereiro de 2013

paulla dentro Como você está por fora.Não conseguiu escrever sequer uma palavra aproveitável. Desculpe minha sinceridade, mas informe-se melhor, e estude um pouco de Física.

paulla dentro em 09 de fevereiro de 2013

blz mas o O2(oxigenio)não deveria ser cobrado.todo mundo calibra os pneus sem pagar nada!pra que cobrar pra encher o reservatorio de ar comprimido?! seria ótimos pro bolso dos brasileiros que não aguentam mais ver os combustiveis tendo aumentos absurdos e abusivos 2 vezez por ano!!muita gente é obrigada á comprar esses "carrinhos"1.0 de merda que não aguentam subir serras e ladeiras por causa dos preços dos combustiveis!!até o GNV tá caro á beça!!!pior pra mim que gosto carros com motorzão(de 1.8 em diante)!as montadoras deveriam sim produzir carros movidos á ar comprimido!!e deveria tbm passar á existir oficinas especializadas em adaptações de ar comprimido pra carros mais antigos,assim como existem mts instaladoras de GNV!

Ricardo em 06 de fevereiro de 2013

E ai, cade o carro ??? 2013, cade o carro?

mehraldas em 17 de outubro de 2012

Somente para finalizar.Qualquer (bom) técnico, observando a foto do motor, apresentado nesse artigo, reparará , por exemplo, na correia-

mehraldas em 17 de outubro de 2012

Passou-se agosto. Passou-se setembro. Idem outubro . Cadê o fantástico motor a ar? Hein, caros Flávio,Maicon, et allii. Thanks, Think Tank.Algumas pertinentes perguntas fizestes, mas a Termodinâmica vai muito além disso,Abraço procê.

Maicon Fernandes em 15 de agosto de 2012

”limpo” e, para os parões , acho que é "Padrões", favor corrigir , Ótima matéria. Obrigado, caro Maicon

mehraldas em 25 de julho de 2012

Caro Flávio (13/7 às 20:47). Você acha sinceramente que o texto está bem escrito? Onde o Sr. leu que o ar é combustível? O Sr. tem alguma noção de termodinâmica (a propósito, é considerada uma disciplina pertencente às ciências exatas, embora dependa muito do empirismo). etc etc etc O Sr. já foi à India? Já andou em um automóvel (qualquer um - independentemente da carroceria que tenha - movido a "motor a ar"?

Flávio em 13 de julho de 2012

Sr. Setti o texto foi bem escrito, pode-se sim falar em ar como combustível. Uma reportagem não é "paper" acadêmico, todos entendemos o sentido. Não se pode falar em moto perpetuo já que a energia foi usada para comprimir o ar e quanto ele é usado para gerar torque há perda de energia. Algumas pessoas gostam de causar polêmica à toa. A informação foi passada o carro vai estar no mercado mÊs que vem e quem quiser criticar vá à Índia ande em um depois fale. Obrigado pela informação, todos em casa adoramos.

mehraldas em 04 de julho de 2012

Caro Ricardo, obrigado pelo retorno. Depois de enviado o comentário, fiquei um pouco chateado, por que eu queria comentar em particular contigo, mas não sei como fazê-lo.E só estou tentando ajudar.O fato é que isso aí é uma pulha virtual, já antiguinha. Mas agosto está aí, e veremos duas coisas interessantíssimas: o julgamento do mensalão e o lançamento do "motor" a ar.Na condição de técnico eu identifico uma porção de baboseiras no artigo, e também em todos os outros sobre o assunto publicados na net. Invariavelmente, todos mal escritos, muitos numa linguagem meio parecida com português. Abraço

Think tank em 04 de julho de 2012

Ótimo, quantas atmosferas de pressão? A mesma pressão de motor por ignição ou por compressão? Quantos litros de ar nesta pressão por Km rodado preciso? Qual é a reação do carro à medida que a pressão no reservatório cai? Ferramentas com ar comprimido existem há muito, mas a conta do consumo de eletricidade se for só para uma ferramenta fica muito mais cara que as ferramentas elétricas.

BETHS em 04 de julho de 2012

Se vier a ser vendido no Brasil, certamente, custará mais de 100 mil.

Tuco em 04 de julho de 2012

. Existem diversas tecnologias, algumas mais inteligentes e viáveis que outras. Para nós, enquanto a seita mandar nesta latrina, temos de engolir um motor que produz mais barulho e calor do que tração. Falar-se, aqui, por exemplo, no modelo elétrico talvez dê cadeia. Enfim, povo bunda merece isso. .

mehraldas em 04 de julho de 2012

Esse é um novo modelo de moto perpétuo. Na verdade, nem tão novo assim, pois essa notícia já circula há uns 5 anos. Agora foi atualizada com detalhes modernos de eletronica embarcada. Uma bela piada, para quem conhece um pouco de termodinâmica. Caro Mehraldas, publiquei porque a Tata Motors anuncia o lançamento do carro no mês que vem.

roberto cabron em 04 de julho de 2012

Alô amigos. Pela N.Senhora dos Bons Veículos. Que barrigada,hein?? www.vrcarros.com.br/noticia.php?nid=144 www.inovaunicamp.br/inventabrasil/ymecani.htm www.clubepaliotuning.com.br www.noticiasautomotivas.com.br/mecnico-brasileiro-inventa-motor-ar-comprimido pesn.com/2006/05/11/9500269_Engineair_Compressed-Air_Motor e por aí vai. Não sei se TODOS estes sites estão ativos,but..A ENERGIA que se pode acumular comprimindo o ar não retorna na totalidade.Imaginem balão de ar que se solta c/ bico aberto,é o que estão INVENTANDO!!!. abraços Antes de falar em "barrigada", Roberto, releia o post. Eu publiquei a matéria porque a Tata Motros anuncia que no mês que vem o carro estará no mercado. No mês que vem.

Yossim Thomas Niedhardt em 04 de julho de 2012

"VEÍCULOS QUE RESPIRAM", como todos os demais seres viventes,uma das Idéias Geniais, dentro da esfera em que vivemos = poluição com o CO e CO², lembrando-vos da "Nuvem Mortal", não passageira, que envolve o centro de São PAULO, poderiam sumir dos mapas e das imagens pulmonares de Raios -X... Porém,a maior doença humana permanece inacessível, tão profunda como o "Pré-sal!" Ao invés de "8", o homem prefere "6" Carbono, em vez d'Oxigênio.Tho+

Bruno Guerra em 04 de julho de 2012

Caro Setti . Vc sempre nos surpreende com coisas interessantes. . Este é um excelente exemplo. Parabéns. . Abr, BR Muito obrigado, caro Bruno. Minha colaboradora, Rita de Sousa, e eu sempre estamos procurando novidades. Abração!

Leo em 04 de julho de 2012

Que esse desenvolvedor desse projeto contrate logo muitos seguranças.

Carlão em 04 de julho de 2012

Ricardo, meu caro Só uma mínima correção: no primeiro parágrafo usou-se vírgula e não ponto para a separação do milhar, à maneira inglesa. Vi alguns comentários sobre a indústria petrolífera "não deixar". Acho que isso merece um pouco mais de atenção. Primeiro, porque todas ou quase todas as petrolíferas atuam também na distribuição e varejo de combustíveis. Em outras palavras, elas não têm apenas os poços, mas também os postos onde vamos abastecer. Em segundo lugar, carros ainda vão demandar muito petróleo para ser fabricados: plásticos em geral são feitos dele, só para citar o mais evidente. Terceiro, motor a ar comprimido não é moto-contínuo e necessita de uma fonte de energia externa para comprimir o ar utilizado como propelente. De onde vai vir esta energia? Aqui mesmo no Brasil, onde as hidrelétricas são extremamente importantes, temos de usar termelétricas (talvez o Paraguai possa usar 100% de eletricidade gerada por UHE, graças a Itaipu). Quarto, qualquer grande empresa que vê aparecer uma nova maneira de explorar seu próprio negócio tende a investir nessa nova maneira. Por último, as montadoras de automóveis também têm uma influência enorme na economia mundial e investirão em qualquer nova tecnologia que signifique manutenção e expansão das vendas. Os carros elétricos, híbridos e movidos a álcool estão aí para provar. Veja até o caso dos carros a gasolina: uma Variant II (motor 1.6) fazia 10 km/l se você fosse cuidadoso. Um Honda Fit (motor 1.6) faz simplesmente o dobro disso. Se as petrolíferas mandassem tanto assim, a evolução tecnológica dos motores também seria barrada, não? Abração do Carlão

José Antônio Fialho Valente em 04 de julho de 2012

Corrigindo: movimentar os pistões do motor

José Antônio Fialho Valente em 04 de julho de 2012

A idéia de usar a pressão do ar comprimido pra movimentar os cilindros do motor não é novidade. Já vi há muito tempo uma matéria que mostrava um chileno com uma bicicleta movida a ar comprimido. E já tivemos aqui no Brasil um mecânico que também fez um motor pra carro a ar comprimido. Mas como no Brasil inventor é sinônimo de maluco que não tem o que fazer, então acredito que a sua invenção caiu no esquecimento por falta de investimento e interesse das nossas autoridades.

JOVA em 04 de julho de 2012

Duvido que o projeto vá para frente...

Ranieri em 03 de julho de 2012

bom, sofrerá muitas mudanças com a chegada deste carro em nosso país, no que diz respeito ao preço do ar comprimido e do próprio carro, pois os impostos brasileiros é um dos maiores mundialmente. Olhando o lado precursor, esta nova invenção trará a substituirão do etanol, que se origina da cana de açucar, pelo ar comprimido. Quem sabe um momento bom para o mundo começar a pensar em se desenvolver sustentávelmente.

Ranieri em 03 de julho de 2012

bom, sofrerá muitas mudanças com a chegada deste carro em nosso país, no que diz respeito ao preço do ar comprimido e próprio preço do carro, pois o imposto brasileiro é um dos maiores mundialmente. Olhando o lado precursor, esta nova invenção trará daqui alguns anos tecnologias que substituirão o etanol, que se origina da cana de açucar, pelo ar comprimido, quem sabe um momento bom para o mundo começar a pensar em se desenvolver sustentávelmente.

Pedro Luiz Moreira Lima em 03 de julho de 2012

Setti: Não presta,horrível e contra a civilização - velocidade máxima 103km? Um carro anti machão! PS - o sentido irônico acho que bastante claro. Abraços Pedro Luiz

José Milton Menezes em 03 de julho de 2012

TATAISMO A Tata Motors,gigante da indústria automotiva indiana,persegue os mesmos objetivos do Fordismo,do toytismo e do taylorismo, ou seja:baratear o custo do produto para o consumidor. Entretanto,o Fordismo produziu automóveis em série, com seus únicos recursos mecânicos; o Toyotismo buscou a qualidade e eficiência; o taylorismo,a eficiência e rendimento com menos esforço. O Tataismo agregou algumas dessas estratégias de produção para, com suas indústrias no mundo, desenvolver produtos próprios que combinados com a construção do Nano, do Mine Cat movido a ar comprimido, reduza drasticamente o preço ao comprador, aquem dos concorrentes. São empresários assim que confortam o povo. merece um estudo mais apurado de sua visão produtova e comercial do mundo atual.

alcebiades em 03 de julho de 2012

Incrível !Fantástico!Extraordinário! Vai revolucionar o consumo desse tipo de carro!

silvio em 03 de julho de 2012

Bela notícia Ricardo. Agora, não vamos mais precisar da Petrobas. Eles vão ter que "inventar" a Petro-AR

Rmauro em 03 de julho de 2012

Vcs já imaginaram a explosão numa possível colisão???? rsrsrsrsrsr

Vera Lúcia em 03 de julho de 2012

Seu blog é sempre muito interessante, Ricardo. Não perco um dia! Obrigado, prezada Vera. É um prazer saber disso. Abração

Inácio Dantas em 03 de julho de 2012

Ricardo Qual a capacidade de passageiros ou carga? Acredito que seja altamente viável o carro. Em vez de "reabastecer" o cilindro de ar, será possível ter postos com o cilindro já recarregado para a troca ser mais rápida e mais barata. Abs. Prezado Inácio, não tenho esses dados. Mas via Google você acha muito material sobre o carro -- inclusive críticas, tanto é que fiz a ressalva, no texto, sobre críticos sérios e céticos.

Marcos em 03 de julho de 2012

Há muito tempo acompanho a odisseia do carro a ar, tanto o desenvolvido na França como o neo-zelandês. Fiquei estarrecido de que nem se comentou sobre ele na Rio +20. Porém, estou procurando qualquer referência ao carro Mini CAT ou ao motor de ar comprimido no site da Tata Motors e não estou encontrando. Será que desta vez vai mesmo? Será que finalmente teremos uma revolução em termos de motor, e os motores, tais como nós o conhecemos, jamais serão os mesmos?

Balanço Energético em 03 de julho de 2012

Não sei sei quanto custaria em energia elétrica aqui no Brasil para comprimir ar em quantidade suficiente para que o carro ande 300 km. Outra coisa é o peso do 'tanque' de ar do carro. Do que ele é feito para que seja capaz de suportar tamanha pressão? Será que o tanque é de plastico, para que seja leve?

marcos em 03 de julho de 2012

Olha, conhecendo o brasil como conhecemos, quando esse carro chegar aqui vão dar um jeitinho de o quilo ou volume de ar comprimido custar pouca coisa mais barato que o álcool, pois o loby das empresas e governo é muito forte e não vão deixar de ganhar milhões com a venda do ar e ainda perder com as vendas de combustíveis. Alguém duvida disso? Abram as apostas...

Titus Petronius em 03 de julho de 2012

Mas, para se produzir o ar comprimido, gasta-se energia elétrica. Enfim, não existe "combustível" grátis...

anônimo em 03 de julho de 2012

Muito boa a invençao, quem sabe que daqui alguns anos, nao vamos precisar mais de gasolina,etanol e diesel.

carlos nascimento em 03 de julho de 2012

Fico imaginando o tamanho do lobby que o setor petrolífero irá exercer sobre a credibilidade do modelo, anotem....um dos questionamentos será quanto ao processo de combustão, dirão que a combustão é baixa, portanto, o modelo não terá condições de desenvolver velocidades compatíveis com os atuais padrões. Mas a economia que irá gerar com a energia limpa, valerá qualquer sacrifício, até mesmo perdermos algumas horas no percurso dos caminhos.

Adelino em 03 de julho de 2012

Esse carro se vim para o Brasil vai ficar o seu preço final em torno de R$30.000,00 a carga tributaria mata e mais tem a parte de agio para sustentar a corrupção dos nossos governantes.

Clovis Lacerda em 03 de julho de 2012

Caro Ricardo, apenas tomo a liberdade de fazer uma breve correcao. O ar nao e' combustivel . A combustao demanda a existencia de um comburente. Acredito que, ao afirmar "Funciona apenas com a ajuda do mais disponível dos combustíveis: ar.", sua intencao era dizer que o ar comprimido, durante o processo de descompressao, gera a energia que o carro necessita, substituindo o metodo tradicional da combustao. Você tem absoluta razão, prezado Clovis. Mancada tenebrosa. Vou corrigir. Só faltava o ar ser combustível... Abração e muito obrigado.

Nando em 03 de julho de 2012

Se esse carro der certo, teremos uma revolução na economia global!

jaime ff em 03 de julho de 2012

Enquanto existir PTbras esses carros nao vao rodar no Brasil,vide pre sal ou grana petista.

jader pereira em 03 de julho de 2012

Que a força e influência dos interessados em manter os combustíveis tradicionais não atrapalhem!Para nossa alegriaaaa!!!!

julio em 03 de julho de 2012

Maravilhosa noticia. Abaixo os carros a gasolina, álcool e tal...

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI