Image
60 anos depois…

 

Por Rita de Sousa

As mudanças que o tempo impõem ao corpo — pele, cabelo, músculos e funções vitais, mas também sonhos, esperanças e crenças, vai marcando as pessoas aos poucos, lentamente, dia após dia. Em geral, não percebemos de pronto as rugas, o despontar de cabelos grisalhos, a experiência refletida no olhar.

Foi em busca destas sutilezas que a fotógrafa portuguesa Ana Oliveira, radicada em Londres, desenvolveu os projetos Identidades — Identities e Identities II — recriando fotos com os próprios “modelos”, num intervalo de 60 anos, com roupas, poses e cenários muito semelhantes.

O resultado final é uma inevitável e rica comparação entre duas fotos, um registro comovedor das progressões de vida e envelhecimento. Ainda que os fotografados  nas duas ocasiões sejam as mesmas pessoas, é às vezes um choque, mas também uma lição de vida, constatar como o tempo pode mudar, e muda, a aparência física.

É como se apenas duas fotos fossem capazes de contar, em cada caso, a história de uma vida.

LEIAM TAMBÉM:

Um trabalho belo, minucioso e comovente: quatro irmãs fotografadas, juntas, ano a ano, da juventude à maturidade

DIVIRTA-SE COM ESSAS FOTOS: Como se faz um bebê

Fotos muito originais: o fotógrafo escocês que sabe contar estórias — até com pedras

FOTOS MUITO ORIGINAIS: Pássaros como você nunca viu antes, clicados… em estúdio

Diversão para uma sexta-feira: personalidades e atitudes de cada cão, segundo o fotógrafo inglês Gerrard Gethings

Vídeo precioso: o pai filma a filha desde o nascimento, durante 12 anos — e produz um vídeo em que ela vai de bebê a adolescente em 2 minutos e 45 segundos

Fotos: os estranhos corpos humanos coloridos de Jim Mangan

Fotos que só ele faz no mundo: as flores impossíveis de Jack Long

Fotos surpreendentes: Os assustadores animais subaquáticos de Seth Casteel

Fotos: momentos que não precisam de palavras

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × um =

7 Comentários

Dulce Regina em 08 de outubro de 2013

Só o fato dessas pessoas deixarem-se fotografar para uma pauta como esta, já indica que eles estão muito bem, aceitando as modificações externas do seu corpo e, principalmente do rosto pois, este revela a história da vida de cada um. Bate uma nostalgia que é compensada, pela grandeza dos momentos felizes e, até mesmo dos tristes e dolorosos, qdo sabemos tirar proveito dos mesmos. Entretanto, não há nada como a juventude.... Rita de Sousa, parabéns pela excelente pauta.

J.B.CRUZ em 07 de outubro de 2013

O tempo é inexorável, não passa; é restrito a rotina diaria(24 horas),nós é que passamos..

Hamilton em 06 de outubro de 2013

Sensacional Ricardo. Como diz a autora do artigo , é interessante se notar , a experiência vivida, pelo olhar. Eu acrescentaria o seguinte : Dá para se perceber , a marca deixada por uma vida, difícil para alguns e nem tanto para outras . Emocionante !!! Parabéns pela sacada ...

ira em 05 de outubro de 2013

que bom ,assim tira a ilusão que muitos tem da juventude eterna.

Vaginophagus em 05 de outubro de 2013

Comovente!

Bruno Sampaio em 05 de outubro de 2013

UMa amiga me fotografou com um destes aplicativos que adicionam 40 anos ou mais à foto de um rosto. Tem que ser macho pra encarar. Mas sabe que eu gostei? Virei um velhinho simpático e ainda tomando uma com bons amigos. Se eu ficar daquele jeito, estou no lucro. E, como diz um outro amigo meu: envelhecer é uma m%$#da, mas considerando a alternativa...

Rone em 05 de outubro de 2013

Interesante! Dias desses assistindo CSINY tem um episodio em que para reconhecer um criminoso de guerra eles tem um programa que faz o rejuvenescimento de uma pessoa em instantes.....

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI