Image
Loucura, loucura, loucura: há 50 anos começava a Beatlemania (Fotos: Stan Wyman – Time & Life Pictures/Getty Images)

Em 11 de fevereiro de 1964 – há exatos 50 anos, portanto – os Beatles faziam, no Coliseum de Washington, o primeiro dos dois shows de sua inesquecível primeira turnê pelos Estados Unidos.

Iniciada quatro dias antes com uma recepção multitudinária no aeroporto JFK, a excursão, que incluiria também duas apresentações no Carnegie Hall de Nova York no dia 12 e um par de igualmente emblemáticas aparições no popularíssimo programa televisivo The Ed Sullivan Show, entrou para a história por “oficializar” a chamada Beatlemania.

Afinal, a partir do momento em que o quarteto de Liverpool – então já um verdadeiro fenômeno cultural no Reino Unido – conquistou o gigantesco mercado americano, a loucura ao redor das figuras de John, Paul, George e Ringo só iria aumentar exponencial e globalmente. A ponto de, apenas dois anos e meio depois, em 29 de agosto de 1966, eles se verem obrigados a abandonar os palcos enquanto banda.

Toda a histeria que um simples “yeah, yeah, yeah” cantado pelos rapazes causava nas fãs foi captada em grande estilo pelo fotógrafo americano Stan Wyman (1927-1973) no concerto inaugural em Washington.

E, para celebrar meio século do recital que mudaria o mundo, o site da Life divulgou uma série de imagens do show que nunca haviam saído na extinta versão impressa da revista. Cada uma vale por mil palavras. Divirtam-se:

16 15 14 1 Stan Wayman 13 12 11 10 9 8 7 6 Stan Wayman 5 Stan Wayman 4 Stan Wayman 3

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 Comentários

Dulce Regina em 17 de fevereiro de 2014

JT-11/02/14-22.03H- Fui conferir...matou a cobra e mostrou o pau. Sensacional ! Você deve ter ido ao delírio, com ele atendendo seu pedido, não ? Quando vou a shows que gosto, não tenho a menor parcimônia de demonstrar minha alegria. Brinco,canto, aplaudo, peço bis...isso se chama, SABER VIVER, ser feliz, deixar desabrochar o amor que existe dentro de nós. Bravoooo !!! Para você caríssimo.

LUIZ FERNANDO em 16 de fevereiro de 2014

Why BEETLES? Você sabe como os americanos são bem informados sobre o restante do mundo, não é mesmo? Para eles, àquela altura, os Beatles ainda estavam começando, e nem o nome do grupo muitos conseguiam escrever direito. Talvez, adicionalmente, por causa de um grupo de picaretas imitadores sem o menor talento que surgiu logo em seguida, os agora inteiramente esquecidos "The American Beetles".

Abelardo Silverinha em 13 de fevereiro de 2014

Na época criticavam e gozavam elas, como fazem agora com as fanzocas do tal Justin. Ninguém fala isto, acham lindo este delírio de libido reprimido.

Jorge Medeiros em 12 de fevereiro de 2014

Entenda-se as mulheres.

JT em 12 de fevereiro de 2014

Putz! Um cara que toca bateria na música "A day in the life" está muito acima dos batuqueiros de avenida. Na dúvida, basta ouvir: http://youtu.be/P-Q9D4dcYng

Cau Marques em 12 de fevereiro de 2014

Hey Jude é o máximo. É a cara do Paul McCartney, uma alma romântica e poética.

Cau Marques em 12 de fevereiro de 2014

Adoro o Paul McCartney. Não é um artista, é um gênio. Já o Ringo Starr seria reprovado no teste para bateria de uma escola de samba de SÃO PAULO.

wilson em 11 de fevereiro de 2014

Parece a Maria do Rosário assistindo Fidel a discursar.(brincadeirinha)

JT em 11 de fevereiro de 2014

Como tem gente azeda neste mundo. Tem comentarista deste post que consegue desprezar até os Beatles! Os Beatles serão lembrados como Bach, Beethoven, Verdi e Schubert do século 20. Infelizmente nasci depois da separação da banda e não gosto dessa história de ser considerado um fanático por Beatles, pois fanático é aquele que só tem um assunto na cabeça e eu também gosto muito de mulher, futebol, carros esporte e falar mal dos políticos. Não ser um fanático não me impediu de ficar paralisado quando vi o Ringo Starr pela primeira vez, ao vivo em São Paulo. No final do show ele pergunta para a platéia qual música ela quer ouvir, e eu gritei feito um feirante na bolsa de valores: - Photograph! Ele apontou o dedo para mim e atendeu o pedido. Está tudo relatado aqui, com um vídeo no final: http://www.jeantosetto.com/2011/11/ringo.html

Leitora em 11 de fevereiro de 2014

Todo êxtase coletivo, seja ele qual for, é cego, alienante, perigoso. Estamos colhendo os frutos podres das tão decantadas árvores do bem.

Justo em 11 de fevereiro de 2014

As fotos exibem a mesma naturalidade de uma fruta feita de plástico. Foi aí que começou a desgraça da música POPulacha.

Cau Marques em 11 de fevereiro de 2014

Nos concertos de música clássica que eu assisto não vejo nada disso.

Malu em 11 de fevereiro de 2014

Como gostaria de ter estado lá nessa época e poder colocar pra fora todo sentimento que como todos das fotos eu tambem nutria. Como sonhei em vê-los de perto na minha adolescência! So deu pra curtir Sír Paul McCartney nas suas apresentações no Rio e BH. Tambem foi muito bom!

Ismael Pescarini em 11 de fevereiro de 2014

Cara, demais esse universo emocional feminino.

Nilton em 11 de fevereiro de 2014

Fotos raras e imperdíveis? Podem ser essas. No entanto, o You Tube tá cheio de vídeos mostrando em movimento o êxtase da juventude americana com o Beatles. Mas as fotos são interessantes, sim.

Vera Scheidemann em 11 de fevereiro de 2014

Temos que admitir - foi uma época muito boa ! Embora eu ainda fosse quase uma criança me lembro muito bem da magia que o quarteto provocava. E as canções (a maioria simples e ingênua) eram sempre lindas ! Viva eles ! Vera

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI