Image
Thiago (no meio) com Villa, Mata e Iniesta na Seleção da Espanha: em má companhia ele não está (Foto: Rafa Rivas – AFP)

Mano Menezes tem menos um problema para resolver em sua ainda pouco confiável seleção. Thiago Alcântara, ótimo volante hispano-brasileiro do Barcelona cuja boa forma atual lhe credenciaria para pelo menos uma convocação, já não poderá mais vestir a camisa amarelinha.

Ao substituir Sérgio Ramos aos 9 minutos do segundo tempo da goleada de 6 a 0 que a seleção espanhola aplicou na cidade de Logroño na terça-feira passada, dia 6, em jogo por um torneio oficial – eliminatórias da Eurocopa 2012, ou seja, da copa européia de seleções –, o filho de Mazinho, de 20 anos, optou em caráter definitivo pelas cores da atual campeã do mundo. A Fifa estipula que a partir do momento em que um jogador defende qualquer seleção principal em uma partida oficial, não há mais possibilidade de “virar a casaca”.

Decisão deve ter sido difcíl

Curiosamente, em maio deste ano, em conversa com um colaborador deste blog, Thiago, que na verdade nasceu na Itália – quando Mazinho, lateral tetracampeão mundial pelo Brasil em 1994, pertencia ao Lecce – confidenciou: “Estou morrendo de vontade de jogar pelo Brasil”.

À época de sua primeira convocação espanhola, no mês passado para um amistoso contra a Itália (os espanhóis perderam por 2 a 1), o volante de dupla nacionalidade, residente na Espanha desde os 3 anos de idade, afirmou nunca ter sido procurado pela CBF para tratar de sua situação.

Um irmão de cada país?

Image
Thiago, o pai, Mazinho e o irmão Rafinha: família da bola (Foto: Blaugranas.com)

Agora a expectativa fica para o caso de outro rebento de Mazinho, Rafinha, meia de 18 anos que já faz das suas no Barcelona B, filial do Barça atualmente na Segunda Divisão espanhola. Nascido em São Paulo, ele também cresceu na Espanha e, como o irmão mais velho, formou-se nas categorias de base do clube azul-grená. De acordo com o pai tetracampeão, Rafinha ainda tem preferência pela amarelinha, algo que já chamou a atenção do coordenador das divisões de base da CBF, Ney Franco.

Image
Kevin-Prince (esq.) e Jérôme: duelo histórico entre 2 Boatengs

Se optar mesmo pelo Brasil e algum dia vir a merecer uma vaga na seleção brasileira principal, o cenário estará pronto para uma reedição do incrível caso dos irmãos Boateng. Para quem não se lembra, na Copa da África do Sul, no ano passado, Jérôme Boateng e Kevin-Prince Boateng, filhos alemães do mesmo pai ganense, estiveram em lados opostos no confronto Alemanha x Gana. O zagueiro Jérôme representando a esquadra alemã e o meio-campista Kevin-Prince a de Gana.

Mas ainda é cedo para pensar nisso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × um =

2 Comentários

Marco em 10 de setembro de 2011

Amigo Setti: Pronto, descobri é o Marcos Senna, tbm muito bom jogador ! Abs.

Marco em 10 de setembro de 2011

Amigo Setti: Nossa o pai dele jogava muito, mas não consigo me lembrar o nome de um centromédio tbm q jogou na Seleção da Espanha e é tbm muito bom jogador, vou arriscar acho q é Flávio Conceição ! Abs. Amigo Marco, é quase seu xará: Marcos Senna, ex-Corinthians, naturalizado espanhol. Jogou (acho que ainda joga) pelo Villareal. Abração

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI