FUTEBOL: O goleiro Casillas, ícone do Real Madrid — que chegou a ser considerado o melhor do mundo — volta a ser titular e capitão. Mas jogará à sombra de um dos arqueiros sensação da Copa, contratado pelo clube: Keylor Navas, da Costa Rica

Iker Casillas e o filho Martín após a conquista da terceira Champions League da carreira do goleiro, contra o Atlético de Madrid em Lisboa a 24 de maio deste ano: em busca da volta por cima (Foto: Facebook)

Iker Casillas e o filho Martín após a conquista da terceira Champions League da carreira do goleiro, contra o Atlético de Madrid em Lisboa a 24 de maio deste ano: em busca da volta por cima (Foto: Facebook)

As duas últimas temporadas foram as mais turbulentas da longa, brilhante e vitoriosa carreira do goleirão Casillas, para muitos na Europa o melhor goleiro do mundo até recentemente.

O vexame espanhol na Copa do Mundo do Brasil, ilustrado pela esmagadora goleada por 5 a 1 para os holandeses na estreia – com direito a falhas do célebre portero – foi só a ponta do iceberg.

Depois de reinar soberano por mais de uma década no gol do Real Madrid, que assumiu em 1999, no começo de 2013 o único capitão de seleção a erguer duas Eurocopas e uma Copa do Mundo na história do futebol virou motivo de implicância de José Mourinho.

O encrenqueiro técnico português, hoje à frente do Chelsea, aprovou a chegada do bom Diego López e colocou o até então ídolo intocável com frequência espantosa no banco de reservas.

Mantendo a compostura

Com Diego López, o preferido de José Mourinho (Foto: Efe)

Com Diego López, o preferido de José Mourinho (Foto: Efe)

Bom moço, politicamente correto e sempre disposto a representar mundialmente o clube blanco, ao qual chegou com dez anos anos de idade, Iker Casillas Fernández à época manteve a compostura, se recusando a tecer grandes críticas ao treinador e cumprindo seu papel de garoto-propaganda madridista.

Mas nos bastidores, é claro, não demoraram a pipocar rumores sobre seu abatimento e insatisfação com o status de suplente, e desde então seu nome vinha sendo citado como possível novo reforço em outros grandes clubes europeus, a exemplo de Arsenal e Paris St. Germain.

A chegada de Navas

Keylor Navas, goleiro que pegou tudo com a Costa Rica na Copa 2014: novidade no elenco (Foto: Directv)

Keylor Navas, goleiro que pegou tudo com a Costa Rica na Copa 2014: novidade no elenco (Foto: Directv)

Mas eis que, quando boa parte da torcida e imprensa dava por certa a saída de Iker –  como gostam de chamar o atleta de 33 anos -, Carlo Ancelotti, treinador italiano do Real desde o início da temporada 2013-2014, sinaliza não apenas que o manterá no elenco, mas que ele volta a ser o titular.

Era o que vinham garantindo os jornais esportivos madrilenhos Marca e As, após o italiano escalar o capitão no amistoso contra a Roma terminado em derrota por 1 a 0 no último dia 29, até que o próprio Ancelotti deu entrevista deixando tudo claro: o capitão volta com tudo.

É possível que isso tenha surpreendido o próprio jogador, já que está praticamente selada a contratação de Keylor Navas, goleiro da Costa Rica que foi um dos destaques da Copa do Mundo do Brasil. O homem que só não fez chover nas quartas de final contra a Holanda, até o momento filiado ao modesto Levante, da Espanha, deve aportar na capital espanhola no início da semana que vem.

Casillas beijando Ramos após o empate na final da Champions: ufa... (Foto: Stefan Wermuth - Reuters)

Casillas beijando Ramos após o empate na final da Champions (Foto: Stefan Wermuth – Reuters)

A situação sobrou, portanto, para Diego López, o queridinho de Mourinho e que o próprio Ancelotti, curiosamente, quis preservar como “semititular” na última temporada ótima para a equipe, que faturou a Copa do Rei e a sua décima Champions League. Mesmo com erro de Casillas no gol do uruguaio Godin na final contra o Atlético de Madrid.

O beijo afoito e de alívio dado pelo capitão no autor do tento de empate, o zagueiro Sergio Ramos, mostrou o quanto a sua falha lhe havia afetado.

López está sendo pretendido por equipes como o Monaco e o Napoli, e o Real, conforme fontes ligadas à direção do clube, pretende pagar-lhe os salários que corresponderiam até o final de seu contrato, em 2017, levando em conta seu “alto grau de profissionalismo”.

Revezamento e insatisfação

Repetindo uma pouco usual estratégia que Pep Guardiola chegou a empregar por algum tempo no arquirrival Barcelona, com Valdés e Pinto, Ancelotti promoveu o revezamento entre arqueiros. Casillas passou um ano jogando a Champions, enquanto López se encarregava do Campeonato Espanhol e da Copa do Rei.

A estratégia é como uma faca de dois gumes: pode servir tanto para estimular a concorrência e deixar os envolvidos em ponto de bala, como amplia as chances de que os participantes percam a segurança e até entrem em conflito.

Aos 19 anos, na final da Champions em Glasgow na qual o Real Madrid bateu o Valencia em Paris (Foto: Real Madrid)

Aos 19 anos, na final da Champions na qual o Real Madrid bateu o Valencia em Paris (Foto: Real Madrid)

No caso de Iker a questão é ainda mais delicada. Ao relegar tal ícone histórico do clube alvo ao banco, ou até mesmo à tal “titularidade parcial” um, Mourinho e Ancelotti contribuíram para abalar o estado de ânimo do craque.

Um repasso rápido em seu currículo ajuda a entender: pela Seleção Espanhola, da qual também é capitão e veterano de nada menos do que quatro mundiais como titular, ergueu uma  Copa (África do Sul 2010) e duas Eurocopas (2008 e 2012); pelo Madrid, venceu três Champions League, sendo que na primeira, a de 1999-2000, transformou-se no mais jovem goleiro a vencer o torneio (19 anos). Celebrou ainda cinco Campeonatos Espanhóis, duas Copas do Rei e dois Mundiais Interclubes.

Ainda assim, o choque com Mourinho fez com que durante os dois últimos anos a imprensa espanhola falasse mais da vida pessoal do goleiro – seu casamento com a escultural repórter esportiva Sara Carbonero, e o nascimento do filho do casal, Martín – do que de seu desempenho em campo.

Sara Carbonero cobre jogo do marido pela seleção na Copa de 2010 (Foto: A. Estévez - Efe)

A bela Sara Carbonero quando cobria jogo do marido pela seleção na Copa da África do Sul, em 2010 (Foto: A. Estévez – Efe)

Também foi bastante noticiada a queda de braço que travou nos bastidores para que se definisse o seu futuro no clube. Os mesmos diários de Madri garantem que um dos elementos que mais pesou na opção da entidade por Casillas foi evitar o pagamento de sua multa rescisória, cujo valor preciso não foi divulgado mas que uma das mais altas do mundo.

Sairia muito mais caro do que arcar com os cerca de 8 milhões de euros que López receberá ao deixar o clube.

Última chance

Por um motivo ou por outro, a decisão de Ancelotti em favor da dupla Casillas-Navas e o desligamento de López, com o capitão retomando o posto oficial sem ter que dividi-lo com ninguém, tendem a reverter consideravelmente a situação.

Saberemos mais como tudo isso influirá nas atuações de Casillas já a partir do próximo dia 12, quando ele será titular na disputa da Supercopa da Europa com o Sevilla, em Cardiff, no País de Gales, ao passo que avança a temporada do Real Madrid, que amanhã, sábado, às 17 horas do Brasil, enfrentará nos Estados Unidos o Manchester United.

O time está reforçado em grande estilo como sempre: o colombiano James Rodríguez e o alemão Toni Kroos, dois dos maiores nomes do último mundial, já estão contratadíssimos. E ainda se fala na vinda do grande goleador Falcao, também colombiano, hoje no Monaco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 Comentários

  • Lucas

    Prezado Setti, talvez você possa me tirar uma dúvida: o Mourinho é o Luxemburgo da Europa, ou o “sparring” do Guardiola?
    Saudações…

    Não sei bem o que você quer dizer com “o Luxemburgo da Europa”, mas que ele parece “sparring” do Guardiola, isto parece…
    Abraço

  • Vandergleyson

    James Rodríguez no Real Madrid é o novo Gio dos Santos no Barcelona: que nem dançar com irmã; não dá em nada.

  • norton

    PLANO DO PT PARA IMPLANTAR A DITADURA.
    ESCUTE E COMPARTILHE.
    https://www.youtube.com/watch?v=-Qu52lnMWzw

  • Guilherme Outeiro

    Infelizmente, alguns treinadores confundem o termo “preservar o jogador” com “expor o jogador”. Casillas vinha falhando desde a final da Champions League, mas tanto Ancelotti quanto Del Bosque (e eu estou a vontade pra falar porque sou fã dos dois treinadores) insistiram em mantê-lo no time titular do Real e Seleção espanhola, respectivamente. No caso do treinador italiano, a opção foi a pior possível pois deixar o goleiro titular somente na Champions, tira a possibilidade do jogador conseguir rítmo de jogo. Talvez a má fase passe e com uma boa sombra do Najas e o Ilker volte ser aquele goleiraço.

  • carlos nascimento

    Ricardo,
    Uma das posições no futebol de maior complexidade é a de GOLEIRO, por isso deve ser tratado com total respeito, o jogador que fica debaixo das traves só é lembrado quando defende pênaltis, isso em jogos eliminatórios, se falhar em algum lance, fica marcado pra sempre, que o diga o nosso querido Barbosa.
    Por isso é comum os Clubes manterem sempre um titular com alta taxa de longevidade, a necessidade de manterem os reflexos apurados, os obrigam a treinar quase que diariamente, jogando praticamente todos os jogos da temporada.
    A longevidade traz problemas, pois não é fácil manter o mesmo nível de performance com excelência por longo período, razão pela qual concordo plenamente com a estratégia do Real Madrid em contratar um segundo goleiro de alto nível, a competitividade faz com que o titular se motive e busque manter a regularidade.
    Casillas andou falhando bastante ao longo das duas últimas temporadas, as causas podem ter sido : acomodação, desmotivação, relacionamentos, enfim, é normal ocorrer, jogar o tempo todo sob pressão e manter o padrão no ápice não é fácil, mas o velho ditado diz… “o passado não garante o presente, muito menos futuro”, por isso Casillas terá de provar que ainda pode manter o padrão em alto nível, sabendo que no banco de reservas terá um concorrente à altura.
    Diferentemente do Real Madrid, o Tricolor Paulista mantém o glorioso Rogério Ceni com status de exclusivo, sem sombra, respeitosamente, acho que está na hora de rever esse procedimento, o São Paulo precisa trazer um nome de peso para sentar no banco, preparando a sucessão do posto.