Image
Felipe Melo: satisfeito com os poucos dias de preparação da Seleção Brasileira de Felipão (Fotos: AP :: Mowa Press)

Participanto hoje do excelente programa esportivo Arena SporTV, o volante Felipe Melo, que está voltando para o Juventus da Itália depois de ser emprestado ao Galatasaray da Turquia, manifestou sua satisfação pelo “bom tempo de treinamento” que a Seleção Brasileira terá antes da Copa das Confederações.

Felipe Melo já atuou diversas vezes pela Seleção, embora não esteja entre os atuais convocados de Felipão, e é um jogador experiente.

Mas Deus do céu! A Copa começa já no próximo dia 15, e ainda faltam jogadores para se apresentar.

Sabem quando foi o primeiro treino da seleção?

HOJE!

Sabem com quantos jogadores, dos 23 convocados, Felipão contou?

Só dezesseis!

Vamos comparar com a preparação ideal, a melhor de todos os tempos, feita com a Seleção de 1970, que levou o tri no México.

Claro que não é justo, ao pé da letra, comparar uma coisa e outra: a muito mais modesta Copa das Confederações é muito diferente de uma Copa do Mundo — sobretudo daquela, que o Brasil queria levar a qualquer custo, por ter sido bicampeão em 1958 e 1962, por ter perdido em 1966 com jogadores fabulosos mas péssimo preparo, e por ser a última Copa do inigualável Pelé.

Mas lembro 1970 só para tornar mais aguda a comparação.

Zagalo, que herdou terreno fértil do demitido João Saldanha — vencedor invicto, sem perder um ponto sequer, das eliminatórias com suas “Feras do Saldanha” — dispôs de TRÊS MESES para chegar ao time ideal.

A Seleção embarcou para o México, sede da Copa, com um mês de antecedência, para aclimatar os jogadores à questão da altitude.

Não por acaso, além dos craques extraordinários daquele time inesquecível, o Brasil apresentou, disparado, o melhor preparo físico naquela Copa — a cargo, é sempre bom lembrar, do hoje supervisor Carlos Alberto Parreira, e também do injustamente esquecido Cláudio Coutinho, que depois se tornou um brilhante técnico de futebol. (Morreu prematuramente aos 41 anos, num acidente de mergulho, em 1981).

Sabemos que é impossível para qualquer seleção dispor de um prazo desses no cada vez mais profissional e exigente futebol de hoje.

Felipe Melo deve estar elogiando esse período curtíssimo de tempo porque o calendário europeu, embora sempre elogiado perto da bagunça brasileira, é de extenuar jogadores e comissões técnicas: os melhores times da Europa em geral disputam três certames simultaneamente — o campeonato de seu país, a Liga de Campeões e a copa respectiva (Copa do Rei, na Espanha, FA Cup na Inglaterra, Copa da Itália e assim por diante).

Ainda assim, essas magras duas semanas para alcançar um time serão um desafio e tanto para Felipão.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + dois =

13 Comentários

Ronaldo Barra em 01 de junho de 2013

Tudo passa e Felipão ao meu ver passou! Estava na hora de técnicos mais novos e com acertos mais recentes como Tite e Muricy. Felipão quer repetir o que não ocorre duas vezes no mesmo lugar. É vaidade e ambição pessoal. Apesar de saber que futebol é uma coisa irrelevante que empobrece o país.

carlos nascimento em 01 de junho de 2013

Ricardo, Procuro quase sempre ler com bastante atenção suas observações sobre o tema futebol, temos divergências em algumas questões, a principal delas não preciso nem lembrar, todos que aqui frequentam sua Coluna já a conhecem, agora, vc continua apostando suas fichas em Scolari, vou registrar novamente - o tempo é o Senhor das soluções - será um fiasco total, o futebol moderno tem sua própria dinâmica, o antes torna-se rapidamente obsoleto, como aceitar um técnico que desde 2002 não ganha nenhum título expressivo, teve fracasso retumbante no Chelsea, recentemente foi o principal responsável pelo rebaixamento do Palmeiras, que não consegue definir elenco, tampouco esquema tático, aceitou o calendário, é conivente com as manobras de um marin e troupe, apenas para usufruir do prestígio e do baita salário de R$ 750.000,00 mês. O futebol brasileiro está sendo "suicidado", vários fatores estão gerando isso, os entrelaces de vários interesses e matizes, o espólio de rt gerou marin e agora os políticos já estão se arvorando para tomar posse do terreiro, Sanchéz - olha o seu TIMÃO aí de novo - será o instrumento da vez, a galinha dos ovos de ouro vai ficar estéril, os sinais estão claros, os principais times nacionais já foram eliminados da Libertadores, essa competição chinfrim de baixo nível técnico,além de péssimos exemplos disciplinares, só resta o Galo, que na quinta-feira foi salvo pelo milagre do goleiro Vítor. É com esse cenário que vamos disputar a Copa em 2014, vão tomar um susto quando perceberem in-loco que já não somos mais os melhores, até no futebol já estamos decadentes. Aproveito para dar uma palhinha sobre a saída do Murici Ramalho, dessa vez a diretoria do meu "PEIXE" agiu rápido, é preciso chacoalhar tudo, antecipar a reformulação, criar novos paradigmas, a saída de Neymar abreviou tudo, espero que o Conselho Administrativo aprove que 50% dos recursos obtidos com a venda do jogador sejam OBRIGATORIAMENTE investidos na BASE e na modernização do CT. É da base que irão surgir novos Neymar, Gansos, Rafael, etc.etc. Abração Carlos Nascimento. Meu amigo Carlos, Não sei de onde você tirou que eu estou "apostando todas as fichas" no Felipão. Mantenho o que escrevi sobre o tempo exíguo de treinamentos -- temo que a Seleção dê vexame no Maracanã contra os ingleses. Acho que Felipão, como a maioria dos técnicos do país, está defasado em relação aos grandes treinadores do futebol europeu. Mas, entre as possibilidades existentes, a opção por ele é razoável, devido a sua capacidade de mobilizar um grupo, muito maior do que a de outros treinadores. Tecnicamente, acho Mano Menezes melhor do que Felipão, para ficar em um exemplo. No geral, concordo com você sobre o atraso tático do nosso futebol. Embora continuemos fornecendo "ao mercado" a maior parte dos melhores jogadores que militam no futebol internacional. Abraço

Luiz Pereira em 31 de maio de 2013

Setti, boa tarde, Tomar a preparação de 70 como exemplo, não vale. Ela foi perfeita, ideal, mas completamente fora da realidade hj em dia. Nenhuma outra equipe teve o tempo que a nossa teve para treinar por uma simples razão: estávamos em uma ditadura militar. E, com um presidente que gostava de futebol e estava convicto de ganhar a Copa ajudaria a alavancar o "Brasil Grande". Os clubes cederam os jogadores (nem sei quem pagou os salários dos craques, se a CBD ou os clubes) sem dar um pio. Quem seria louco? Os treinos, muitos deles eram transmitidos pela TV. Realizados nos gramados do Gávea Golfe Clube, em São Conrado, pouca gente acompanhava, o que dava mais um aspecto de "militarização" da preparação. Parreira e Coutinho faziam parte da equipe de preparadores físicos, subordinados ao Chirol. havia ainda o major Raul Carlesso, preparador de goleiros. E o chefe da delegação foi o Brigadeiro Jeronimo Bastos. Hj em dia, impossível destinar 3 meses para preparar um selecionado. Ao menos em um regime democrático. Lembro que em 74 também houve um bom tempo de preparação. Nesse caso, com um toque de ridículo. Na Alemanha, mandaram fazer um muro para que os jogadores não tivessem contato com jornalistas e torcedores. Criamos o nosso Muro de Berlim, o que não impediu a derrota para a Holanda. abs

Reynaldo-BH em 30 de maio de 2013

Saudades de João Saldanha. De Zagalo. De um temo onde defender a seleção era o ápice de uma carreira e não a ida para clubes europeus à custa de multas de milhões de euros. E acima de tudo, saudade onde a inocência era regra no futebol. Hoje parece-me instrumento de demonstração de poder com as óbvias (vide Havelange (do tempo da inocência que tínhamos) e Ricardo Teixeira. A alternativa? Marco Del Polo e André Sanches. Culpar quem está dentro das 4 linhas pelo desastre anunciado é covardia. As prioridades são outras. De quem manda. E Felipão vai continuar sendo um técnico pródigo em explicações e econômico em resultados. Afinal um salário de R$ 700.000,00 deve bancar esta vergonha! No Brasil chegaremos à Copa de 2014 com falta de tudo. Até de time. Mas sobrando aproveitadores (em todos os níveis) risonhos pelo que conseguiram ganhar. Em dinheiro. A nós resta torcer por derrotas dignas. Se é que existem...

J.B.CRUZ em 30 de maio de 2013

FELIPÃO é o último técnico brigão e disciplinador..FELIPÃO esteve no CRUZEIRO em 2.001 e conseguiu a proeza de em quatro competições(campeonato mineiro,copa-brasil,sul-minas e campeonato brasileiro) ganhar apenas a sul-minas..Para mim técnico de segundo escalão, mas de extremo carisma junto ao torcedor...

João Augusto em 30 de maio de 2013

Caro Setti, um reparo ao seu sempre brilhante texto: O titular da preparação física da copa de 70 era o falecido Admildo Chirol,amigo pessoal de Zagalo com que já havia trabalhado em outros clubes.Entretanto, isso não tira o brilho do Parreira, pupilo de Claudio Coutinho, que teve participação importante naquela equipe, inclusive na recuperação física de Tostão. Você tem razão, acho. Mas Parreira e Coutinho estavam no time. Vou checar e corrigir, sendo o caso. Abração

Márcia Maria em 30 de maio de 2013

É q naquela época, Seleção Brasileira era a p´´atria de chuteiras, hj ninguém mais dá bola a não ser na Copa. Claudio Coutinho, na minha opinião foi maior professor Pardal do futebol Brasileiro. Overlapinpg e etc... Kkkkkk....

João Camarero em 30 de maio de 2013

Felipe Melo? Aquele que entregou o ouro?

Anderson Rodrigues em 30 de maio de 2013

"Participanto hoje do excelente programa esportivo Arena SporTV, o volante Felipe Melo..." EXCELENTE? pra que esse exagero?? Brasil, rumo ao hexa.. SQN! Escrevi "excelente" porque eu acho que é excelente. Infelizmente para você, este blog é meu, e não seu.

TADEU em 30 de maio de 2013

http://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/tj-aponta-ato-isolado-e-diz-que-juizes-estao-fora-de-trafico-de-influencias

Marco em 30 de maio de 2013

Don Setti, Sem dúvida! Mas Setti, Felipe Mello e Michael Bastos na seleção e o Dunga, depois dizendo q a culpa foi da imprensa. É melhor apagar isso da memória. Setti assisti o Coringão ontem pela Band, gosto muito do comentarista Neto. Mesmo com os exageros, ele simplesmente retrata o q vê e não tem medo de opinar, já q é pago para isso. Setti, matei a saudade no jogo de ontem, de uma gurizada legal do Inter, Renan q parece q já está superando sua tragédia pessoal. O Valter , mesmo q não consegue vencer a o seu problema de obesidade. E o grande Pato, q parece q ansiedade está atrapalhando a finalização. Outra coisa, o Douglas, deu uma aula de como se joga um meio armador no 2 tempo. Valeu apena, muito bom jogo, pena q o Juiz de novo não ajudou o espetáculo. Mas o melhor programa do Sportv, é o Redação com Rizek, q ainda está em dívida com o Blog, já q convidou o A. Nunes e ainda não te convidou. Para debater. Abs. Abs.

ze do matogrosso em 29 de maio de 2013

..marco presença, pelo vício. Futebol vai ser nosso arroz e feijão. Tá ai o aperitivo. Exarcebando nossas emoções, na copa das confederações.Felipão gozou antes das preliminares. Tinha que esperar o campeonato brasileiro para convocar. Aderiu ao partido dominante. Como a anta regurgitou o grande Nelson, somos a patria de chuteiras. Acho que nas chut..Coisa de somenos., para quem faz mais gols em inaugurações que o Vasco. Mas, voltando a vaca fria, que está a caminho do brejo.... e depois da copa???Já comprestes uma caxirola, preta e branca???No paraguai já tem...bços.

luiz em 29 de maio de 2013

Este Felipão é aquele mesmo que levou o Palmeiras para a segundona ? A imprensa é louca para ficar idolatrando estes picaretas.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI