A secretária de comunicação do governo do Distrito Federal, Samanta Sallum, enviou-me a nota abaixo, desmentindo uma séria de informações e afirmações do post-comentário que publiquei sob o título Estádio de Brasília para a Copa de 2014 estoura todos os orçamentos e se torna o mais caro do MUNDO.

Os comentários que fiz basearam-se, como esclareço no texto, em material publicado no blog do jornalista José Cruz, de cujas informações, pescadas em documentos oficiais, não tenho por que duvidar.

As opiniões de minha responsabilidade, mantenho-as.

Mas, seguindo norma deste blog, publico sem hesitar a nota, na íntegra. Eventuais comentários poderei fazer em futuros posts sobre o Estádio Nacional Mané Garrincha.

A nota:

“É inverídica a informação de que o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha será o mais caro do mundo, como afirma a coluna de Ricardo Setti, no site da revista VEJA. Os dois de Londres, por exemplo, foram muito mais caros. A arena não será sequer a mais cara do país. A estimativa do Governo do Distrito Federal é que a construção do Estádio Nacional custará, aproximadamente, R$ 1 bilhão. Mas só será possível fazer essa definição após o término da obra, com a aplicação total do Recopa.

A obra do Estádio Nacional começou em julho de 2010. A aplicação do Recopa se deu a partir de maio de 2012. Ou seja, existe um lapso de 20 meses sem esse crédito tributário. Foi nesse período que o Consórcio Brasília 2014, responsável pela obra, promoveu o maior avanço na construção, inclusive, com a compra antecipada de material para evitar excesso de demanda e aumento de preço no mercado. À época, outros 11 estádios estavam iniciando reformas ou construções.

O GDF conta com a aplicação retroativa do Recopa, e com isso haverá um abatimento substancial. Por esse motivo, não se pode dizer que o Estádio Nacional de Brasília será o mais caro da Copa do Mundo. Essa avaliação só poderá ser feita considerando as singularidades de cada uma das obras das cidades-sede, como a quantidade de metros cúbicos construídos, a capacidade de lugares e a tecnologia empregada.

Está errada a informação divulgada sobre o valor da obra. A matéria comete um grande equívoco ao considerar os R$ 360 milhões que se referem à revitalização da área central de Brasília e envolvem um conjunto de 10 obras de infraestrutura, como custo da obra do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

Deve-se também separar o que é reforma do que é construção. Algumas reformas serão mais caras do que a construção do Estádio Nacional de Brasília, que começou do zero. Não é possível comparar o Estádio Nacional com estádios que foram reformados. Então, o que dizer do que já foi investido no Maracanã, considerando as últimas reformas?

Com o orçamento de cada um dos estádios fechado, o GDF terá a oportunidade de mostrar que investiu adequadamente os recursos públicos. Levando em consideração as singularidades do Estádio Nacional de Brasília, a Ecoarena só poderá ser comparada às melhores do mundo.

A coluna afirma que a arena de Brasília será um elefante branco, o que também não procede. O projeto do Estádio Nacional foi concebido como arena multiuso a exemplo dos grandes estádios do mundo. Dessa forma, a arena foi projetada para a realização de eventos culturais e esportivos, entre outros, tanto nacionais quanto internacionais. Essa é uma necessidade imediata da capital federal já que os grandes shows que hoje chegam à cidade são realizados de forma improvisada em um estacionamento a céu aberto.

Isso porque apenas partidas de futebol não sustentam estádio nenhum no mundo. É o que se vê pela média de público dos torneios do Rio de Janeiro e de São Paulo. A arena de Brasília abrigará todos os tipos de eventos, e não dependerá exclusivamente do futebol para atuar adequadamente como instrumento de desenvolvimento econômico para a cidade.

A Ecoarena será um grande centro de lazer cultural para os moradores da capital federal e para os turistas. Contará com dois grandes restaurantes, 14 lanchonetes, 40 bares, centros comerciais e atividades culturais, além de um museu do futebol.

Antes da Copa do Mundo de 2014, o estádio passará por uma concessão de uso para que uma empresa (ou consórcio de empresas) especializada em entretenimento o administre, pague o aluguel e, principalmente, insira Brasília no calendário de grandes eventos.

Quanto à afirmação de que o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, não conseguiu se explicar na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira, a reportagem se esquece que o governador não apenas prestou esclarecimentos, abrindo seus sigilos fiscal, bancário e telefônico, como foi inocentado no relatório final.

A afirmação que o GDF tomou empréstimo de R$ 50 milhões junto ao Banco do Brasil é irreal. O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha está sendo construído pelo Governo do Distrito Federal com recursos da Terracap, provenientes da venda de terrenos de propriedade do GDF.

Por fim, apenas quem não tem conhecimento de gestão orçamentária estranha o remanejamento de R$ 100 milhões para a obra do Estádio Nacional, publicado na edição de 31 de janeiro de 2013 do Diário Oficial do Distrito Federal. O orçamento é uma peça dinâmica e é normal um aporte imediato de recursos para obras que estão em fase de conclusão.

A arena faz parte de um conjunto de projetos estratégicos do Governo do Distrito Federal (GDF), que inclui mais de 70 ações prioritárias. Em função disso, é possível remanejar recursos entre esses projetos, caso seja necessário.

Todos sabem que a obra do Estádio Nacional de Brasília precisa ser entregue nos primeiros meses de 2013, sendo necessário um aporte de recursos nessa reta final. Os recursos remanejados só serão utilizados no segundo semestre deste ano e, até lá, terão recomposição integral de seus valores. Nenhum projeto será interrompido ou prejudicado.

Agradecemos a atenção e contamos com os devidos esclarecimentos para a informação dos leitores.”

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 3 =

16 Comentários

Rafael em 21 de maio de 2014

E hoje já está em 1,9 bilhão de reais.

Gabriel em 17 de fevereiro de 2013

Achei engraçado que eu vi a nota oficial e ela não sitava o nome do Ricardo Setti. O texto que eles me enviaram citava, sim.

Gabriel em 17 de fevereiro de 2013

Seu comentário mentiroso, calhorda e ofensivo não será publicado. Você está convidado a sumir daqui, por falta de respeito a um profissional com uma longa e séria carreira.

iara em 15 de fevereiro de 2013

Setti, desta vez eu aceito as críticas porque até agora nenhum governo brasileiro gastou esse dinheiro que está a gastar na copa com a saúde. Quero aproveitar para jogar minhas pedras nos prefeitos brasileiros que chegam en Brasília, em viagem especial com a familia inteira, contas pagas pelas prefeituras, para buscarem a verba da saúde e lá na terrinha deles alugam uma kombi pra levar os pobres doentes até o hospital superlotado da capital mais próxima. Outra coisa: funcionários do GDF precisam enfrentar o SUS e Agnelo que não se fa¢a de salame. Mais: bilhões de verbas da educa¢ão brasileira são desviados para pagar ccs, obras duvidosas e futilidades, com o aval do judiciário que negocia as mutretas com aumento de saláriosvantagens. Falei tá falado. Quem duvidar, pega os voos da TAM, da Gol, da Web, da Azul e da Avianca lá pra Brasilia.

toninho malvadeza em 15 de fevereiro de 2013

José de Abreu não é *****,o Governador Cabral não é *******,o Tiririca não é palhaço,o Lula não sabe de nada,o Romario não tem razão,o senador Renan Calheiros não é ******,o povo do DF não está sendo roubado...

Mario sergio pacheco de sousa em 15 de fevereiro de 2013

Vamos guardar para desmascarar todos os argumentos dessa nota.

Gilberto Campos em 15 de fevereiro de 2013

Calma, olha o coração.....

zm em 15 de fevereiro de 2013

Setti, A notinha ridícula da "comunicação social" do desgoverno do DF - assaltado por um bando de petes e agregados oportunistas - não explica coisa alguma. Jogo primário de palavras e blábláblá vazios, tentando defender o indefensável. Essa cambada tenta nos medir pela régua dos que os elegeram os desprovidos de caráter e vergonha na cara (esse incompetente só se tornou "governador" pq Roriz - outro papa da ladroagem- não pode concorrer). Numa CPI séria, AgNULO sairia algemado e preso sem escalas para a papuda.Não explicou a corrupção por ele praticada na ANVISA, no Min Esportes e agora no GDF, em especial nesta arena sem sentido.Este elefante branco serve sim para a cambada meter a mão no meu, no seu, no nosso dinheito.Cade a PF, MPF, TCU, CGU etc..etc...Eita povinho! Setti, continue denunciando e conte com o apoio das pessoas de bem.

Gilberto Campos em 14 de fevereiro de 2013

Vá passear e não amole a paciência. Vá bajular os ladravazes do mensalão que, pelo visto, são seus ídolos.

Gilberto Campos em 14 de fevereiro de 2013

Você só entra aqui para aporrinhar, e não terá mais o gostinho de ver nada seu publicado. Também, para quem confere credibilidade a uma figura como o governador Agnelo Queiroz, não se poderia esperar muito, não é?

moacir em 14 de fevereiro de 2013

Setti, Mesmo deduzindo-se os 360 milhões,segundo a nota investidos em obras de infra estrutura logística,o Mané Garrincha hoje já teria custado mais a nossos bolsos,que o Allianz de Munique e o SoccerCity sul africano. Não vejo com sensato, esse volume de recursos ser investido num estádio,num lugar como Brasília, rodeado por cidades satélites cortiços.Quantas creches poderiam ser construídas com esse dinheiro,quantas escolas,quantos hospitais ou UPAs? Não somos ingleses ou alemães,somos brasileiros e seremos sempre pobres,enquanto quem devia vigiar gasta dessa forma nossos impostos. E,por favor,Setti,se não for pedir muito,gostaria que você agendasse,tão logo terminada a obra prima, novo post desta feita com os custos TOTAIS,já feita as devidas mágica e maquiagem,do Mané...

Edivaldo Souza em 14 de fevereiro de 2013

Tão clara e verdadeira quanto uma nota de R$ 3,00. Sera que temem que o povo alienado acorde???

ze do matogrosso em 14 de fevereiro de 2013

..as justificativas não procedem, por falta de qualquer credibilidade. Foi erguido para roubar, descaradamente. Só têm uma solução: PAPUDA II ou Papudão. E é bem capaz de não comportar os corruptos e seus asseclas, caso condenados. A capital é o espelho do Brasil atual. Vergonha.

marcelo cunha - rib preto/sp em 14 de fevereiro de 2013

Nota de DESCLARECIMENTO. A secretária de comunicação nada esclareceu.

Marcos F em 14 de fevereiro de 2013

Até a declaração é uma nota. Brasilia? Sou nêutrons!

Ixe em 14 de fevereiro de 2013

É o mais caro do mundo e bateria todas as categorias se fosse campeonato de corrupção. E para quê ? - Para DOIS jogos: um, na copa das confederações e o segundo, na Copa do mundo de 2014. A respostas para o absurdo é conhecida: dirão que "..não pé bem assim, blá, blá, blá, etc..." que irão aproveitar melhor o estádio campeão de desvios, etc. Ou seja, tudo o que já não o fazem hoje com o antigo estádio - o Mané Garrinhca.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI