Image
Os nazistas gregos ostentando suas bandeiras: símbolo copiado da suástica e ataques a imigrantes nas ruas (Foto: libcom.org)

Não apenas a França tem eleições neste domingo, 6, em que se decidirá, em segundo turno, quem será o presidente da República pelos próximos 5 anos.

Também a Grécia realiza eleições gerais para a escolha de um governo que substitua o do respeitado técnico Lucas Papademos, ex-vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), que aceitou em novembro passado formar um gabinete de transição para enfrentar a pavorosa crise financeira, econômica e social por que passa o país.

Como tem ocorrido em países da Europa em crise, a descrença e a desesperança, que alimentam o rancor, provocaram, entre outras consequências, o fortalecimento de agremiações de extrema direita, inclusive um partido – denominado Aurora Dourada –, de corte francamente nazista, a ponto de seu símbolo, ostentado em cartazes e bandeiras, ser inspirado na cruz suástica.

“Os imigrantes são parasitas e criminosos, vamos expulsá-los”

Os nazistas gregos, até então um grupelho insignificante, deverão chegar ao Parlamento. Eles são menos significativos pelos números que, segundo as pesquisas de opinião, poderão atingir nas eleições – 5% dos votos, ou um máximo de 15 deputados entre os 300 que compõem o Parlamento grego – e mais pela simbologia de adquirirem representação parlamentar.

Sem contar, é claro, a guarida que suas ideias e práticas encontram em parcelas da sociedade. Tal como os squadristi fascistas de Mussolini na Itália, eles “patrulham” as ruas das grandes cidades, agredindo militantes de esquerda, imigrantes e homossexuais, não raro sob aplausos de populares.

A ênfase dos nazistas dirige-se aos imigrantes – algo entre 6% e 7% da população de 10,5 milhões de habitantes, a maioria proveniente da Europa Oriental, especialmente da Albânia. “Os imigrantes são parasitas e criminosos”, disse recentemente Ilyas Panayotaros, porta-voz do partido. “Se chegarmos ao governo, vamos deportá-los e fecharemos nossas fronteiras com minas e cercas eletrificadas”, delira.

Image
Nikolaos Michaloliakos: partidário da “ditadura dos coronéis” o ex-militar expulso do Exército é o líder do partido

Seu líder, um produto da Guerra Fria que já foi financiado pela CIA

O líder desses alucinados é Nikolaos Michaloliakos, ex-integrante de comandos especiais gregos que foi expulso do Exército, cumpriu duas penas de prisão por violência, uma delas por posse de explosivos e armas de grosso calibre, e já chegou a declarar publicamente que teria “sido melhor” que a Alemanha de Hitler houvesse vencido a II Guerra Mundial.

Michaloliakos, um apreciador da feroz “ditadura dos coronéis” que oprimiu a Grécia entre 1967 e 1974, nunca deixa dúvidas sobre de que lado está: muitos de seus partidários barra pesada se alistaram como voluntários na guerra da Bósnia (1992-1995) para ajudar os sérvios bósnios, com apoio do então governo comunista ditadorial da Sérvia, em sua “limpeza étnica” contra os bósnios muçulmanos.

Segundo pesquisa realizsada por jornalistas gregos, eles teriam participado do tristemente famoso massacre de Srebenica, em julho de 1995, em que 8 mil homens e meninos muçulmanos foram mortos nessa cidade por tropas de sérvios bósnios comandadas pelo general Ratko Mladic, hoje sendo julgado como criminoso de guerra pelo Tribunal de Haia.

Michaloliakos é produto da Guerra Fria e, mais especificamente, da CIA americana, pois integrava os grupos da extrema direita financiados pela agência para espionar e sabotar grupos de esquerda e pró-soviéticos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 − 4 =

Nenhum comentário

Roberto em 06 de março de 2013

Peço desculpas, estava um pouco empolgado.Não quis defender o Nazismo e nada tenho a ver com ele. Apenas penso que em uma verdadeira democracia, cada um deveria ter o direito de defender sua ideologia. Fanaticos sempre exestirão em todas as ideologias e religiões. Basta saber diferenciar o joio do trigo. Saudações...

Roberto em 05 de março de 2013

Defender o nazismo e justificar o racismo? Não, meu caro, aqui, não. Suma!

Jae em 14 de novembro de 2012

Sei que esse post é antigo, mas achei um artigo interessante no site da BBC que parece corroborar com a minha opinião abaixo. O artigo é esse aqui:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/11/121112_hitler_carisma_mv.shtml

Diego em 16 de outubro de 2012

Desde os primórdios o homem busca uma forma (que ele mesmo julga) mais eficaz de governo e de sociedade, dai cria uns sistemas baseados em delírios utópicos. Basta um bando de desgovernado dando cabeçada um no outro para que um maluco qualquer cague uma solução delirante. Gente desgovernada adora um delírio!

Salomão Domingos em 10 de outubro de 2012

Sr. colunista, associar o nazismo com a direita é uma das atitudes mais comuns vindas de ideólogos de esquerda? Quando o Sr. escreve como um jornalista honesto, ou como o ideólogo que é? Eu, ideólogo? Você deve estar de brincadeira, Salomão. Associar o nazismo com a extrema direita é a única forma de defini-lo conhecida por 99,999% dos historiadores, sociólogos, cientistas políticos e todos os demais que se debruçaram sobre esse pavoroso fenômeno.

Direitista em 26 de setembro de 2012

Fiquei indignado com as coisas que os muçulmanos estão fazendo na Europa. É de embrulhar o estômago. Os imigrantes muçulmanos estão acabando com a cultura da Europa. Eles querem impor as leis de Sharia ao mundo, de longe, os muçulmanos são mais preconceituosos racista e selvagens do que Hitler. Partidos nazistas é a reação do povo que está querendo combater fogo com fogo antes que a Europa se afunde no mar podre do islâmismo. Os muçulmanos acreditam mesmo que vão dominar o mundo e o máximo que vão conseguir é uma grande guerra com muito sangue. Os muçulmanos estão pedindo por isso.

Espírita Kardecista em 13 de agosto de 2012

Não publico comentários racistas ou fazendo a apologia do racismo, da mesma forma como o nazismo.

Joacir Dal Sotto em 22 de junho de 2012

EU SOU COMPLETAMENTE CONTRA O NAZISMO OU QUALQUER TIPO DE MOVIMENTO RACISTA, MAS CREIO QUE A EVOLUÇÃO DE UMA NAÇÃO NÃO PASSA PELA REPRESSÃO DAS IDEIAS QUE JÁ EXISTEM,COM A REPRESSÃO TDO É FORMADO NA CLANDESTINIDADE, ENTÃO SE TORNA MAIS DIFICIL UM CONTROLE DA DITA "CLASSE DEMOCRÁTICA". joacirdalsotto.blogspot.com

Babaioff em 18 de junho de 2012

Europa ridícula como sempre, entrou crise - lá vem a xenofobia. O Brasil passou uma crise pior nos anos 80, não houve ajuda internacional, muito pelo contrario, o FMI parecia um agiota.

Anônimo em 16 de junho de 2012

Se seu comentário fosse educado e civilizado -- e adicionalmente não fosse, como é o caso, covarde e anônimo, com email falso --, eu responderia. Como não é, tchau e bênção.

Pedro Luiz Moreira Lima em 17 de maio de 2012

O POVO GREGO EXERCE SEU DIREITO DE SOBERANIA E NÂO DE UMA SOBERANIA EXTERNA QUE LEVA A GRECIA A SER UMA COLONIA. Pedro Luiz

Cris Rosa em 16 de maio de 2012

Acabando com o buraco da crise na Grécia, eu até pensava a respeito.

SidneyCWB em 15 de maio de 2012

Ok, Setti. Concordo com você mas acho que já passou da hora disso mudar. Eu tive uma avó que era descendente de alemães cujo pai veio de lá muito antes da guerra e teve de mudar de nome aqui no Brasil, pois apesar de ser brasileira nata, foi perseguida e ameaçada por aqui durante a guerra, apesar de que a família dela era radicalmente contra o nazismo. Eles todos eram de direita, então fico irritado quando chamam o nazismo de uma ideologia de direita, mesmo quando dizem de extrema-direita. Não tem nada de direita, ela nasceu de idéias originalmente de esquerda quando Hitler se apoderou delas e as moldou para que se encaixassem nas suas loucuras. Obrigado e desculpe pelo post um tanto irritado. Sei que vc nao pensa assim. Meus respeitos.

Lia C. Fischer em 14 de maio de 2012

Acho triste e acima de tudo muito perigoso que este tipo de idéia venha crescendo entre determinados grupos da Europa. Não é tão difícil, como se imagina, convencer as pessoas que essas idéias fazem algum sentido e derrepente, sem mais nem menos, teremos um monte de gente pensando e apoiando estes absurdos. Liberdade de expressão é um termo tão amplo que acolhe, até mesmo, o direito de alguns pensarem e expressarem esta insanidade. Sempre que um país vai mal economicamente, os extremistas ganham força, sejam eles da direita ou da esquerda. A única coisa que se pode fazer é instruir os jovens, principalmente sobre a história humana rescente e mostrar quantas atrocidades podem ser cometidas quando colocamos a culpa de nossos problemas em outras pessoas ou grupos etnicos que nada tem a ver com o fato de sermos incapazes de resolver os nossos problemas sociais e econômicos. As escolas deveriam dar mais enfase ao mostrar e explicar o que foi o nazismo, o fascismo e as ditaduras de direita e de esquerda na história do mundo. É conhecendo e discutindo o passado que se evita repertir, no futuro, os erros que distruiram tantas vidas humanas.

SidneyCWB em 14 de maio de 2012

Sabe o que me deixa muito irritado? Quando dizem que os porcos nazistas são de direita, ou de extrema direita. Ô Setti, até você? Sou de direita, acredito nas idéias da direita e simplesmente ODEIO tudo que o nazismo foi e continua sendo na cabeça de retardados pelo mundo afora. Sou branco de olhos azuis (passaria facilmente por um nazista) e acho ridículas as idéias torpes de um bandido chamado Hitler e seus ideais arianos, pois não existem raças humanas, só uma, que é o homo sapiens. Ignorância alguém ainda defender idéias como as nazistas. Isso não é coisa de direita, não, e sim de ignorantes, imbecis e doentes mentais... A direita, civilizada, liberal e democrática, é ator importante, respeitado e muito votado nos principais países do mundo, caro Sidney. Governa grandes países, como (até agora) a França, o Reino Unido, a Alemanha, a Espanha, o Canadá etc, e países de menos peso internacional, mas importantes, como o Chile ou a Colômbia, bem como já governou a Austrália, a Itália, a Holanda, a Dinamarca etc. Os rótulos sempre são precários e definem mal as situações mas, de todo modo, no mundo todo essa gente neonazista e neofascista é considerada de extrema-direita ou de ultradireita. Sem exceção, em todos os países sérios. Por todo mundo -- jornais, emissoras de TV, intelectuais, comentaristas, políticos de esquerda e de direita etc. Ninguém sério confunde a direita clássica -- como seria, por exemplo, a posição do grande patriota francês que foi o general Charles de Gaulle, ou daquele que talvez seja o maior estadista do século XX, "sir" Winston Churchill -- com extrema-direita ou ultradireita. Um abraço

Eduardo Rabassallo em 14 de maio de 2012

Você escreve muito bem Felipe Goltz, agora só falta estudar. Não se esqueça que, o Nacional Socialismo e o Fascismo, são regimes filhos da Esquerda e não partidos de extrema direita como tanto insistem até hoje, mesmo após extensivos estudos no sentido de esclarecer esse erro.

Jae em 14 de maio de 2012

Só corrigindo. Em 1928 os nazistas tinham apenas 2,6% dos votos, e na cidade de Neidenberg foram de 2,3% (1928) para 25,8 em 1930. É muito mais sério.

Jae em 14 de maio de 2012

Esse comentário: "Calma, Marcelo. Eles devem ter no máximo 5% dos votos, estão longíssimo do poder."(acho que do Ricardo Setti) é meio ingenuo. O partido nazista teve 5% dos votos em 1924 e nessa época era uma piada. Em 1933 chegaram ao poder. Assistam o documentario "Os nazistas Uma Advertencia Historica". As circunstâncias histórias são absolutamente diferentes, meu caro. É como comparar um grão de areia com a Lua.

Refer em 13 de maio de 2012

Acho que o seu leitor que reclamou dos 'erros' estava se referindo ao uso do particípio no título; verbo ter se estrutura com particípio regular: Hitler deveria ter ganhado.

Felipe Goltz em 09 de maio de 2012

Parabéns pela matéria, Ricardo. De fato, a "Aurora Dourada" grega seria de um ridículo atroz, senão fosse tão perigosa, como de fato é. Grupelhos de extrema-direita são como ervas daninhas em que, por mais que nos esforcemos em erradicar, sempre resistem às podas da democracia e do bom senso, vicejando com força ao se deitarem as tesouras. Infelizmente comprova-se que o melhor "adubo" a esta peste é a derrocada econômica e suas sempre desastrosas consequencias sociais. Foi assim na Alemanha e Itália no começo do século XX. Está sendo assim na semi-arruinada Grécia no começo deste século. Michaloliakos é um psicopata demente, ao pior estilo Ernest Roehm e Joseph Goebbels, cujo ideário de ódio semeia apenas a gramínea da destruição. Hoje, o berço da democracia assemelha-se ao serpentário do totalitarismo. Inclusive, com direito a suástica.

Pedro Luiz Moreira Lima em 09 de maio de 2012

Setti: Obrigado pelas informações - estou no lap top do meu filho e não sei como colocar a interrogação - ao invés de facilitar só complicam. Assista o "Entra Aspas" de ontem - Terça-Feira - Foi excelente pelos debatedores e UFA!pela pouca partcipação da jornalista,inda bem! Abração Pedro Luiz

Pedro Luiz Moreira Lima em 09 de maio de 2012

Amigos: O Partido de Esquerda vencedor na Grecia(foi maioria Setti é pergunta )não è de extrema esquerda.Ontem no programa "Entre Aspas" dois estudiosos da conjuntura europeia - faziam análise das derrotas dos governos França e Grecia - apesar de terem posições antagonicas aqui e ali - reconheceram que Partido de Esquerda vencedor não pode e não dev ser chamada de exrtema esquerda - e sim de esquerda tradicional.Em relação ao outro partido - seu símbolo a SuÁSTICA diz bem o que representa. Abraços a todos A coligação Syriza é considerada pela mídia europeia simplesmente como "de esquerda", mas não venceu as eleições na Grécia. Ninguém venceu, propriamente, porque ninguém chegou nem próximo a uma maioria minimamente estável. O partido mais voltado foi o conservador Nova Democracia, com 19% dos votos -- o mesmo que havia mentido à União Europeia sobre o real estado das finanças gregas. A coligação de esquerda obteve 16,6%. O outrora majoritário Partido Socialista (Pasok) ficou com 13,4%, porque a crise herdada arrebentou nas mãos do ex-primeiro-ministro Giorgos Papandreu. Abraços Pedro Luiz

claudio em 08 de maio de 2012

Meus caros, Esta suposta oposição esquerda x direita não tem sentido. O fascismo vencedor na segunda guerra demonizou o fascismo perdedor. Simple as that. Realmente, comunismo, fascismo, nazismo são ideologias revoltantes e que merecem o lixo da história. Tenho tanto medo de nazistas quanto de comunistas. A verdadeira discussão se dá entre libertários x estatizantes. Os primeiros não acreditam no estado (qualquer política pública, dada a incapacidade da sociedade em controlar o estado, é fruto da busca de beneficiar minorias em detrimento da maioria). O segundo grupo não acredita na sociedade livre (daí que esta deve ser ordenada a partir do estado). No caso nazista, este ordenamento se deu inclusive na questão étnica (o que é detestável). Estes são dois extremos (existem infinitas posições intermediárias), mas é basicamente isto. Saudações

Jason em 08 de maio de 2012

estão faltando editores nesse site da veja.. como publicam uma matéria com erros de português? Este não é o "site da VEJA", é um blog sob minha responsabilidade. Por que você não aponta os "erros" de português para que eu possa corrigi-los, como fazem outros leitores?

diego dreisch em 08 de maio de 2012

Procure outro lugar para defender o nazismo, e não este blog, Diego. Tchau.

Dark em 07 de maio de 2012

Nossa teve um cara delirando ai dizendoq ue o Nazismo é de esquerda e que Marx (um Judeu) era Anti-semita. A Europa esta indo atualmente ou para uma esqueda extrema ou uma direita ultra extrema. Espero que não exploda uma guerra lá, pois aspeças para um conflito mundial estão ai, falta só uma fagulha.

Marcio Andre Santanna em 07 de maio de 2012

Porque as pessoas (inclusive jornalistas) ainda acham que Fascismo e Comunismo são duas coisas diferentes?

ANTHONY KUDSI RODRIGUES em 06 de maio de 2012

Este extremista de direita grego, o Bin Laden e tantos outros elementos bizarros e violentos "largados" no mundo com diferentes orientações, foram "construídos" numa mesma "fábrica de monstros"- A CIA.

Mari Labbate *44 Milhões* em 05 de maio de 2012

Setti, que os franceses tenham Juízo e votem em Nicolas Sarkozy, visto que a União Europeia necessita vitalmente dele. Estou apoiando-o, espiritualmente. Há um equívoco-mundial: a Democracia somente configura-se na defesa da Liberdade-Para-Todos! Grupos que defendem, ou atacam minorias estão distantes da Verdade. Os europeus confundem Liberdade com libertinagem: a primeira liberta; a segunda provoca retrocessos, e escraviza, novamente. Alcançaram o outro extremo da reta, sem parar no centro. Caíram no desequilibrado círculo-vicioso. Conclusão: experiências negativas devem ser extirpadas da Humanidade. A Segunda Guerra mostrou ao Mundo que OS LOUCOS DEVEM SER MANTIDOS FORA DO PODER. O Brasil está aprendendo AGORA essa VERDADE! Maravilha: a Dona Ha-Vana, confiando no alto índice de audiência, mexeu na Caderneta de Poupança dos trabalhadores-simples e está ensaiando censurar a Imprensa-Séria. Com certeza, escorregará no próprio salto-alto e ganhará um belo tombo! Já estou começando a rir. Viva a Revista VEJA!

wilson em 05 de maio de 2012

Setti, o velho continente tem "n" desafios que soerguiram no fim da guerra fria e a gueda do muro, para os povos sob o tacão de Moscou, o lado ocidental era o sonho, mas ao reunir alguns e desmembrar outros foi surgindo velhas questões, (Bosnia), e novas - a imigração dos antigos povos colonizados. Não é solução digamos fácil, pois estes atendiam durante as vacas gordas as profissões que os nativos não mais se submetiam, mas com tanto direito e pouco dever e assolados pela decadencia industrial e falta de competição e muito socialismo(é bom enquanto tem $$)na França são 36 horas de trabalho por semana(deu errado as empresas fugiram)e assim tinham que procurar um scape goat os ex colonisados, e as suas indiciocrasias a mais reverberada é que não assimilavam o pais que os acolheram. Neste calderão burbulha os mitos do facismo, e também tipo corda e caçamba o do comunismo. Os europeus sempre desdenharam do presidencialismo a americana, como o nosso.

Geneuronios em 03 de maio de 2012

Setti, escrevestes "....genocídio é a tentativa ou a prática de eliminar um povo...". Portanto a palavra genocídio não se aplica aos judeus, pois não são um povo, mas sim pessoas pertencentes à uma religião. Sugiro a leitura do recente e excelente livro "A Invenção Do Povo Judeu", do escritor israelense Shlomo Sand.

Rodrigo em 03 de maio de 2012

Valendo-me das palavras de Boris Casoy: Nazismo, nunca mais!

Mari Labbate *44 Milhões* em 03 de maio de 2012

TODO EXTREMISMO É PREJUDICIAL E CONDENÁVEL!

zz em 03 de maio de 2012

Setti, novamente a culpa é dos americanos? Parece mais propaganda de repórter comunista grego. Calma aí, ZZ. A CIA fez e aconteceu pelo mundo afora, como parte da Guerra Fria, e não é necessário ser "repórter comunista grego" para saber disso. A Grécia foi palco de coisas pavorosas de um e outro lado. Que a CIA bancava esses grupos anticomunistas é um fato, caso contrário eu não teria colocado no post.

LUIZ CARLOS em 03 de maio de 2012

Os nazistas cometeram as maiores atrocidades quando invadiram a Grécia, com o fuzilamento de milhares de civis. Chegaram a matar todos os cidadãos do sexo masculino da cidade de Kalavryta, entre outras.Cerca de 40 mil gregos morreram de inanição e a pequena população do país perdeu 300 mil habitantes, mortos por crueldade depois que o exercito grego já estava derrotado. E tem maluco que apoia disso.

Pedro Luiz Moreira Lima em 03 de maio de 2012

Setti: A financeirizaçãolevou o mundo ao crime,escandalos e desespero.Levou o mundo numa concentração de renda de poucos em detrimento de muitos,desemprego e finalmente a destruição do Estado do Bem Estar Social. Esse criminosos,esses detruidores de vidas se colocam ainda como salvadores do mundo - o POVO GREGO,ESPANHOL,FRANCES,INGLÊS,AMERICANO...têm o Direito Legítimo da Rebeldia. Abraço Pedro Luiz

Wesley em 03 de maio de 2012

NAZISMO NUNCA FOI DIREITA A reportagem da veja sobre a assençao de um partido Nazista na Grécia cometeu um erro ao classificar o Nazismo com 'extrema direita". http://goo.gl/smd6R A esquerda quer lavar a sujeira para debaixo do tapete quando afirma que o Nazismo era um movimento de direita. O partido de Hitler se chamava 'National Socialist Nazi Party' Partido Nazista do Socialismo Nacional. Em primeiro lugar, a direita busca um governo limitado e Hitler não era exatamente um defensor de um governo limitado. A correta compreensão do nacionalismo envolve um amor geral ao seu país de origem se esse país é os Estados Unidos, Canadá, México, etc... A esquerda por outro lado, é hiper-nacionalista, em oposição ao nacionalismo mais conservador. Os pontos de vista de esquerda vêem o Estado como uma força redentora, que deve ter poderes para mudar a sociedade e para literalmente mudar a natureza humana através de programas que redistribuir a renda do assalariado privado e através de burocracias composta de "iluminados" especialistas que usaria a força da lei para estuprar o direito em todos os aspectos da vida privada do cidadão. Os nazistas estavam "a direita" quando comparado aos comunistas que buscavam o controle total do Estado sobre todos os aspectos da vida humana na sua busca para estabelecer uma colônia de formigas no mundo, o que eles chamavam de "coletivo". Os nazistas praticavam o socialismo de Estado, e toleravam até certo grau de propriedade pública dentro do seu super estado. Os comunistas praticavam o socialismo mundial, o que eufemisticamente chamado de internacionalismo e buscava participação total direta em todos os bens e negócios dentro do país. É por isso que o comunismo está a esquerda do nazismo e o nazismo está à direita do comunismo. Ambas as ideologias e os dois sistemas são, obviamente, esquerda comparados com o sistema americano de direitos individuais e a propriedade privada. O pai do comunismo, Karl Marx, era um vicioso anti-semita que se refere aos judeus em seu livro de 1843 "Sobre a Questão Judaica", como "auto-interessados vendedores ambulantes que devem ser aniquilados. Marx também influenciou profundamente Hitler que deu créditos a ele reconhecendo Marx na base de sua educação política em sua autobiografia Mein Kampf. Não me cabe censurar ideias, Wesley. Como seu comentário não contém agressões nem ofensas, aí está -- apesar de ser um delírio do começo ao fim. Abraços

Deacon em 03 de maio de 2012

Surreal. Ver todos esses grupos - que eram considerados sub raças por Hitler - aderindo ao nazismo é inacreditável!! . Os bósnios muçulmanos ainda em 1992 nutriam simpatia pelo nazismo. O famigerado Muslim National Council, liderado pelo sujeito de nome complicado do comentário abaixo, pregava o supremacismo religioso, violência contra civis e leis discriminatórias. O mesmo Izetbegovic, que depois viraria o líder da Bósnia muçulmana independente, foi membro da SS nazista... Não considero os muçulmanos bósnios vítimas de genocídio como foram os judeus, curdos e armênios. Eu os considero vitimas de guerra, já que eles eram um grupo hostil e violento, responsável pelas mortes de milhares de civis sérvios. Um famoso assassino em massa bósnio foi Naser Oric que foi condenado a 2 (DOIS!!!) anos. Você pode não considerá-los vítimas de genocídio, mas eles foram, pois a definição de genocídio é a tentativa ou a prática de eliminar um povo -- que é o que os sérvios pretendiam na Bósnia.

Wesley em 03 de maio de 2012

Erro na reportagem. O nazismo nunca foi de direita. Quem ja ouviu ou leu os discursos de Hitler não consegue o distinguir dos de Stalin. Nazismo é esquerda, crê na evolução, no seleção por eugenia, no estado forte e dominante sobre toda a sociedade. É ridiculo ver como podem classificar nazismo como direita. E que diferença há entre o Socialismo Nacional de Hitler do Socialismo aplicado hoje na Europa e no Brasil? A diferença que vejo é que no do Brasil e Europa não há matança por raça, mas haverá matança por fé.

Carlos Andrade em 03 de maio de 2012

Quando a situação fica preta economicamente em alguns países da Europa, o nacionalismo ferrenho de direita reaparece. Foi assim na Alemanha de Hitler, na Espanha de Franco, em Portugal de Salazar, etc, etc, etc... É um traço político comum europeu.

Luiz Pereira em 03 de maio de 2012

Setti, Pelo que sempre ouvi falar, a França ao invés de tentar integrar os imigrantes ao país, optou por respeitar seu modus vivendi. Essa política multiculturalista implicou em que, à falta de uma ação mais efetiva do estado os imigrantes passaram a viver em guetos, não se socializando. Acha que procede? abs A França procurou, sim, integrar os imigrantes, principalmente por meio da escola pública. A aglomeração em guetos é uma forma comum de agir, instintiva, de muitos imigrantes, como espécie de autoproteção.

Rodrigo em 02 de maio de 2012

Infelizmente, no conflito na Bosnia ha muito mais bandidos que mocinhos. Tinha uma ideia completamente diferente do conflito ate ler sobre Alija Izetbegovic.

MARCELO TUCHMAN em 02 de maio de 2012

UM PARTIDO NEONAZI TENTOU O PODER NA ÁUSTRIA NO INICIO DOS ANOS 2000, OU EM 99. A UNIÃO EUROPÉIA AMEAÇOU A ÁUSTRIA COM PESADÍSSIMAS SANÇÕES. MAS A GR´WCIA JÁ ESTÁ NA CACACA. COMO FAZER AGORA PARA IMPEDIR A ASCENÇÃO DOS NAZI GREGOS? ACABAR COM OS EMPRÉSTIMOS PODE SER UMA OPÇÃO. Calma, Marcelo. Eles devem ter no máximo 5% dos votos, estão longíssimo do poder.

Rodrigo em 02 de maio de 2012

Mais uma ironia da historia. Os bosnios muculmanos foram um dos primeiros nao-"arianos" a se alistar no exercito nazista, chegando ate a formar batalhoes inteiros, influenciados pelo entao mufti de Jerusalem e tio do Arafat, Haj Amin al-Husseini. Nao deixa de ser ironico que justo esses tenham sofrido nas maos de simpatizantes dos nazistas... E o governo títere croata lutou ao lado de Hitler e massacrou judeus durante a II Guerra Mundial... Os bósnios muçulmanos, muito depois da II Guerra, por sua vez, foram vítima de genocídio por parte de sérvios durante a Guerra da Bósnia (1992-1995).

BETHS em 02 de maio de 2012

E dizer que a Grécia foi o berço da civilização ocidental! A decadência não é só econômico-financeira, é também humana, social e moral...rumo ao fundo do poço.

Luiz em 02 de maio de 2012

Em cenários de crise, sempre aparecem malucos dos dois extremos para dar ideias exdruxulas e sempre acabam colhendo votos, inevitavel até que alguem ponha ordem na casa. (e sim, facismo e nazismo são extrema esquerda)

Reynaldo-BH em 02 de maio de 2012

Concordo em grande parte com o Ismael (17:15). Os miseráveis imigrantes não podem ser responsabilizados pela aceitação anterior (em alguns omentos, incentivo, pois os mesmos aceitavam os empregos/funções desprezados pelos europeus) e agora serem tratados como criminosos. Quando o são, que se aplique a lei de cada país. A xenofobia (que é aliada da extrema direita e mesmo em alguns casos, da extrema esquerda) já produziu Anders Behring Breivik, o assassino da Noruega. Que não era estrangeiro. É isto que a extrema direita representa. Sob uma aparência ideológica, se mostra radical e destrutiva. Sob o argumento de existirem em ambientes democráticos, trabalham para derrubar esta mesma democracia. Censurar? Impedir? Colocar na ilegalidade? Seria ao invés de combate-los, dar razão ao ideário dos mesmos. Por isso disse e insisto: a saída está - sempre - na democracia. Ela saberá dar fim a estas anomalias.

Angelo Losguardi em 02 de maio de 2012

Entendo e concordo com o comentário do Charles abaixo. O nazifascismo é movimento revolucionário esquerdista. É uma dissidência comunista. Os bolcheviques foram pra um lado e os fascistas para outro. Mussolini foi o diretor do Avanti, jornal do partido socialista italiano. Desafio quem pensa o contrário a provar que esses caras vieram de movimentos liberais ou conservadores, enfim, da "direita". O nazismo então foi fomentado num núcleo de boêmios socialistas, artistas, etc., que se desiludiram com a guinada Bolchevique do movimento comunista.

Mansilvas em 02 de maio de 2012

É POR ESSAS E OUTRAS QUE A GRÉCIA ESTÁ NUMA PINDAIBA DANADA E VAI PIORAR - DEVE PARA TODO MUNDO E NÃO VAI PAGAR..QUERO VER ESSE PARTIDO DO CAPETA FAZER ALGUMA COISA PARA LEVANTAR A GRÉCIA... VAI AFUNDAR AINDA MAIS ISSO SIM !!

Charles em 02 de maio de 2012

Eu acho interessante a associação do Nazismo com a direita. Coisa que não tem nada a ver com a outra. E a Europa está guinando para a direita ao ver a falha dos governos social-democratas no ponto de vista econômico e social principalmente. Nem toda a direita é próxima ao nazismo, claro. Mas não fiz associação, descrevi um fato que está ocorrendo na Grécia. Ali, sim, há uma extrema direita nazista.

Corinthians em 02 de maio de 2012

A situação não é fácil. Aqui os comunistas, lá os nazistas... haja pessoas que gostem de ditaduras...

Ronne em 02 de maio de 2012

Alguns países europeus estão entrando num caminho sem volta... É o fim dos tempos.

Ismael em 02 de maio de 2012

Os imigrantes que vem em sua maioria de países pobres da África e Ásia não podem ser responsabilizados por não se adequarem à cultura européia. Eles podem e devem ser criminalizados por agirem fora da Lei. Vejam que são pessoas absolutamente despreparadas profissionalmente e com baixíssima escolaridade. Se até ontem apenas sabiam pastorear cabras, como vão de uma hor apara outra se integrar numa sociedade tecnológica? Ocorre que os europeus erraram em admití-los sem restrições e agora tem de enfrentar sem racismo seus novos vizinhos.

ivan em 02 de maio de 2012

Essa guinada à direita era mais do que esperada. Quem conheceu a França cordial e hospitaleira de anos atrás se assusta ao ve-la recheada de africanos, muitos com as mesmas atitudes agressivas que vemos por aqui. Pessoas que morriam de fome em seus países de origem, buscaram refúgio na França de esquerda que as acolheu fornecendo moradia, alimentação, educação e uma perspectiva de futuro muito superior ao que tinham. E como essa corja retribuiu? Tornando bairros populares em verdadeiros ghetos inacessíveis, fazendo crescer o múmero de delitos (roubos, furtos, homicídios, danos ao patrimônio, vandalismo) e provocando levantes que levaram os franceses a repensarem a BESTEIRA que haviam feito. Daí se imaginar que a votação conseguida por Marine Lè Pen foi até pequena e só irá crescer à medida que a economia enfraquecer. Outros países como Espanha e Portugal, contaminados pela mesma escória, logo seguirão a mesma linha. Feliz ou infelizmente.

Reynaldo-BH em 02 de maio de 2012

Assustador o que ocorre na Europa (em parte dela). O movimento natural de pêndulo (da esquerda para direita) me parece agravado pelas circunstâncias. A gravidade do momento vivido leva países a procurarem não somente no oposto ao poder então dominante (esquerda) como na exacerbação do movimento. A nazista Lè Pen na França conseguiu inimagináveis 18% do eleitorado, em uma eleição como maciço comparecimento popular. Na Grécia, temos este quadro assustador e revoltante! Respeitar a decisão popular faz parte do jogo democrático. concordar com as mesmas, nunca é obrigatório. Vale para qualquer país. Brasil, Grécia ou França. E me angustia ver o Velho Mundo (berço mesmo da nossa civilização) caminhar a passos largos para a extrema-direita. Esquecendo o que ela própria viveu nos horrores do nazifascismo. Não se acuse o povo grego (e francês) de falta de maturidade política ou de falta de cultura. Longe disto! Mais que nunca a defesa da democracia e de seus valores deve ser ressaltada como ÚNICA forma de combater estes desvios. A iniquidade e a crise não justificam nunca e de nenhum modo, este retorno da barbárie. Sou otimista. Creio que haverá um reposicionamento, agora ou mais à frente. Usando de instrumentos democráticos, antes que estes grupos consigam destruí-los.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI