Ibama multa importadora de lixo hospitalar; ótimo, mas e a punição dos criminosos, como fica?

Lixo-hospitalar-Receita-Federal

Parte do lixo hospitalar apreendido (Foto: Receita Federal)

Amigos do blog, o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) multou em R$ 6 milhões a empresa Na Intimidade  – cujo nome fantasia é Império do Forro de Bolso- , de Santa Cruz do Capibaribe (PE) em decorrência de danos causados ao meio ambiente por material irregular, classificado como “potencialmente infectante” pela legislação sanitária brasileira. (Saiba mais aqui).

O negócio dirigido pelo empresário Altair Teixeira de Moura está sendo investigado pela importação de 46 toneladas de lixo hospitalar oriundos dos Estados Unidos, apreendidas entre os dias 11 e 13 de outubro no porto de Suape. O Ibama ainda multou a empresa de transportes marítimos encarregada, Hamburg Süd, e determinou também que a carga seja incinerada. Um laudo com análise do material – lençóis com manchas que aparentam ser sangue e outras secreções humanas, cateteres, seringas e luvas usadas – está previsto para ser divulgado.

Em se confirmando as suspeitas, eu pergunto sobre os seguintes passos: como fica a punição dos criminosos responsáveis por esta barbaridade?

LEIA TAMBÉM:

Perguntar não ofende

Uebaaaaa! Já acharam a culpa pela compra de lixo hospitalar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × quatro =

5 Comentários

  • Ismael

    Pelo que sei a importação de material potencialmente contaminado e sua exposição deliberada ao público configura crime ambiental e também crime pela Lei de proteção ao consumidor, que é uma Lei de ordem pública. Pelas duas leis, os responsáveis deveriam ser presos.

  • Jefff

    A punição fica com a justiça como vc deve estar cansado de saber

  • Silvinho

    Alguém faz idéia dos milhares de toneladas de lixo, de todas as origens, que chegam ao País? Nem eu; Mas o fato é que já vem de muito tempo. No Rio Grande do Sul, acho que nem faz um ano, foram ‘descobertos’ conteiners repletos de lixo doméstico. Fizeram devolução, ou prometeram. Mas nem 1% das cargas que por aqui aportam são fiscalizadas, no sentido de ver o que contém dentro do conteiner.
    A máfia brasileira está ‘quebrando o galho’ do lixo de outros países, e nossos idiotas ambientalistas e artistas enchendo o saco com o Projeto do Código Florestal.
    É claro que os ambientalistas de araques estão faturando bem com o que puderem complicar em a produção agrícola, que lhes alimenta. Mas talvês faturem bem menos do que essas empresas importadoras de lixo!!!

  • Carlos Reis USA

    Question: Se fosse “THE OTHER WAY AROUND”, o que faria o governo americano??? 6 milhoes e uma esmola, apenas um TIPS. Aqui teria sido no minimo uns 50 milhoes de dolares, um milhao para cada tonelada e mais despesas burocraticas. Alem, e claro, de no minimo 10 anos de CANA para todos envolvidos, em regime fechado. A diferenca entre LA e CA e enorme, imcomparavel. Isso ai e um PARAISO. O BRASIL TEM MUITO QUE APRENDER, MAS CHEGAREMOS LA.

  • Perguntar Não Ofende

    Bom dia Setti,
    As perguntas que não querem calar:
    1. A Receita Federal, o IBAMA e a ANVISA não deveriam inspecionar o conteúdo dessas cargas prá lá de suspeitas, quando chegam nos portos de entrada do país?
    2. Quem garante que, no meio desses lençóis infectos, não estivessem esconddas armas, drogas, outras porcarias que não podem ser importadas livremente?
    3. Será que os servidores desses órgãos são desidiosos, incompetentes ou corruptos?
    4. Será que a legislação é feita para favorecer o contrabando e as importações de lixo, protegendo as empresas bandidas que importam essas m*rdas?
    A Receita aparelhada chama essa porteira escancarda para o contrabando de “facilitação do comércio exterior”.
    Alguém deve estar comprando carrão importado de 250 mil dólares, ou investindo pesado em fundos de ações, e ninguém investiga.