Image
Vsévolod Chaplin, do Patriarcado de Moscou: guerra contra obras-primas da literatura e a canonização do czar (Foto: Alexander Zemlianichenk – AP)

Chega a ser tragicômica a notícia que vem circulando desde quarta-feira referente à intenção da Igreja Ortodoxa da Rússia de proibir dois dos maiores romances do século XX, duas obras-primas da literatura, Lolita, publicado pelo russo Vladimir Nabokov (1899-1977) em 1955 e Cem Anos de Solidão, de autoria do colombiano Gabriel García Marquez, cuja primeira edição chegou às livrarias em 1967.

Segundo o sacerdote Vsévolod Chaplin, assessor de comunicação do Patriarcado de Moscou, as obras “justificam a pedofilia” e “idealizam as paixões que fazem as pessoas infelizes”.

Além de pedir que os livros sejam banidos dos currículos literários escolares russos, Chaplin deu outras “recomendações”, divulgadas por diversos veículos do país. Entre as quais, que as mulheres observem o dress code ortodoxo – ou seja, utilizando saias mais compridas – e que exista um controle sobre os conteúdos de rádio e televisão.

Apenas ficção – e das boas

Ganhador do Prêmio Nobel de Literatura em 1982 e um dos maiores ícones do chamado Realismo Fantástico, Cem Anos de Solidão conta a saga da família Buendía, na qual não raramente os parentes casam-se ou relacionam-se afetiva e sexualmente. Mas sobre esse fio narrativo desfila todo um enorme rol de criatividade e beleza que encantou o mundo quando o livro saiu, e que ainda encanta.

Lolita, que Nabokov escreveu originalmente em inglês, só a traduzindo ao russo doze anos mais tarde, em 1967, relata a relação entre um professor adulto e uma adolescente. Obviamente, a obra transcende a sexo, sendo uma parábola riquíssima sobre a obsessão, a culpa, a solidão e a auto-depreciação.

E não custa lembrar que ambas são apenas ficção literária. Ou seja, histórias inventadas e contadas por craques da narrativa, a cujos personagens e suas ações não compete julgar se estão certos ou errados.

De acordo com a lógica delirante e repressora expressa por Vsévolod Chaplin, portanto, Romeu e Julieta, de Shakespeare, deveria ser proibida imediatamente para não incentivar o suicídio juvenil. Outra obra-prima da literatura mundial, Crime e Castigo, do russo Fiódor Dostoíewski, passaria a ser vedada para não sugerir o assassinato de velhinhas.

Se a “lição” do religioso fosse aplicada ao Brasil, então, não sobraria um leitor de Nelson Rodrigues, um dos maiores nomes de nossa literatura, com a sanidade mental ou a integridade física intactas. E assim por diante, os exemplos tendem ao infinito.

O fantasma da censura

Em ascensão desde a queda da União Soviética – bloco que oprimiu a religião – a Igreja Ortodoxa Russa, que já tem em seu currículo a canonização do czar Nicolau II e de toda a sua família. é seguida, de acordo com o mais recente censo, por cerca de 100 dos 142 milhões de russos.

Se, por pressão de seus maiores representantes, as grandes obras da farta e riquíssima literatura da Rússia ou de escritores internacionais passarem a ser censuradas, o antigo fantasma soviético voltará a assombrar a cultura russa: Lolita, por exemplo, foi proibido pela antiga ditadura comunista por seu conteúdo “pornográfico”.

Por sorte, as autoridades culturais russas já sinalizaram que não atenderão aos pedidos dos ortodoxos. Se bem que, num país em que o primeiro-ministro Vladimir Putin, um autocrata apelidado de Superman, manda no presidente da República, Dmitri Medvedev, deve voltar à Presidência — que já exerceu duas vezes — nas eleições do ano que vem e, como presidente, governou com poderes imperiais e zero de transparência, não é impossível que uma coisa dessas venha a acontecer.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 5 =

11 Comentários

Reynaldo-BH em 01 de outubro de 2011

Não publico o comentário em atenção a seu pedido, amigo Reynaldo. Acho que se trata de pessoa bem intencionada, mas com parafuso -- quiçá, toda uma engrenagem -- de menos. Abração

Jeremias-no-deserto em 01 de outubro de 2011

Com essa cara de idiota só podia dar lambança.

Elvio em 01 de outubro de 2011

Caro Setti Não resistí. Doktor Rasputin I presume?1? Parabens ao Daniel, nessa coisa toda, tá "um pinto no lixo" ciscando uma "catação de prima" Daniel, se você não der uma beiradinha prá Rita (aquela) te pego na saida... Bom, muito bom. Força e Avante... Elvio Obrigado, Elvio. Volte sempre! Um abraço Daniel

mané brasileiro em 01 de outubro de 2011

Setti Por favor,deixem o Tourgueniev fóra da encrenca!

veiaco em 01 de outubro de 2011

O Patriarca aí deveria se tivesse peito, primeiro proibir as Putinzetes, garotas de seio de fora que estão em campanha para a volta de Putin a presidência. Otoridade é pra isso.

*Mari Labbate*44milhões em 01 de outubro de 2011

E pensar que a Dona Dilulla possui fortes energias russas... Nessa viagem de volta à terra, ela encontrar-se-á com o seu destino. Uma vez búlgara, búlgara para sempre! Acrescenta-se, porém, que a "presidenta" foi um comunista búlgarO, na reencarnação anterior! Não ficou mais claro? Então! Meu Deus, o Brasil só merecia uma ditadura LUSO-BÚLGARA! Que a grande Betty Milan auxilie-nos nessas pesquisas, em nossos Inconscientes!

Wilson em 30 de setembro de 2011

Chaplin?! O cara se chama Chaplin?! Só pode ser piada. É verdade que de mau gosto, mas cada um faz o que pode. E depois ainda dizem que nome não é destino, tsc, tsc, tsc.

Vladimir em 30 de setembro de 2011

O sacerdote Vsévolod Chaplin é um petralha, com certeza ele deve ter passado por aqui pra fazer um cursinho sobre censura e tirania. Incrível! Quem diria que iríamos ser copiados um dia pela... Rússia. Melhor do que isso só Cuba querer nos copiar.

J.R.Monteiro em 30 de setembro de 2011

De um cara que acredita em contos de fadas, o que se pode esperar. Russo é assim mesmo, ortodoxo nos dois extremos.

Reynaldo-BH em 30 de setembro de 2011

Setti, tenho uma teoria maluca! Sei que é normal tê-las. Eu acredito que a tendência a censurar cresce na mesma proporção que a Internet dá espaço ao contraditório, à cultura e a opiniões. É impressionante este movimento - que somente um adepto de teorias da conspiração poderia supor - quase global de tentativa de retroceder aos anos dos controles do Estado sobre o cidadão. E vale para os organismos sociais que dependem de dogmas para manterem a fidelização dos afiliados. E aí a tendência de exercer a censura, em diversos níveis, aparece em todos estes segmentos. É o receio da falta de controle, do questionamento e da contraposição. Eu sinto nas atitudes e palavras deste novos censores, muito medo! Quase pânico. Seja aqui ou na Rússia. A saída que eles enxergam é condenar todos à ignorância. Que gera a cordial aceitação de parâmetros, de quaisquer ordens, impostos a todos em nome de valores questionáveis. E portanto, perigosamente frágeis. Lá foi Nabokov e Garcia Marquez. Aqui foi Monteiro Lobato, lembra-se? Vai ser sou um otimista incorrigível. Estas atitudes só demonstram que estamos no caminho certo... Acho que você tem toda razão, caro Reynaldo. Sem dúvida. A isso, no caso da Rússia, eu acrescentaria a circunstância extremamente infeliz de esse grande, fantástico país nunca ter conseguido respirar liberade e democracia por um período razoável de tempo. Saíram da autocracia do czar para o comunismo, e logo nos primeiros anos para o terror que foi o stalinismo. Quando desabou o regime, primeiro veio a bagunça e a roubalheira, com o Ieltsin, e uma liberdade muito grande, mas efêmera. Depois, com o Putin, e ainda com o Medvedev, que não manda no Putin, cada vez mais, uma "democradura" -- regime controlado, autoritário, onde o Parlamento tem pouca voz, o Judiciário pouca autonomia, os sindicatos pouca liberdade, a imprensa independente quase não existe mais, as TVs estão nas mãos do Estado ou de empresários por ele beneficiados -- e dele dependentes -- e por aí vai. Então, a tendência autoritária na história da Rússia é uma marca pesadíssima, dificílima de ser apagada. Um abração

Paulo Bento Bandarra em 30 de setembro de 2011

Aqui nos temos a deputada petista Iriny Lopes! Muito pior. E a Marina Silva defendendo o criacionismo como alternativa a ciência! Sem falar do casal Garotinho!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI