Image
Um dos cães-soldados da unidade de elite que matou Osama Bin Laden em treinamento: “fiéis, sem medo de nada e ferozes — incrivelmente assustadores e eficientes ao atacar” (Foto: U. S. Navy) 

A coisa não é brincadeira: quando o presidente Barack Obama fez uma visita à unidade militar de Fort Campbell, no Estado de Kentucky, para cumprimentar o comando especial da Marinha dos Estados Unidos que havia localizado e matado, a 2 de maio de 2011, o terrorista-mor Osama Bin Laden em Abbottabad, no Paquistão, apenas um dos 81 integrantes do supersecreto grupo das forças especiais SEAL foi identificado pelo nome.

Ele se chama Cairo e é um cã0-soldado.

Cairo, como a maioria dos outros cães que integram o grupo de elite SEAL (acrônimo, em inglês, para uma unidade que combate em mar, ar e terra) é um cão-pastor belga, da variedade Malinois (existem três outras). Os Malinois são muito semelhantes aos pastores alemães, os Schäferhund, mas menores, mais sólidos e compactos — um macho adulto pesa em média 30 quilos, ao passo que os pastores alemães podem passar dos 40.

Image
Semelhantes aos pastores alemães, mas menores, os pastores belgas Malinois são tido como ideais para trabalhar com a unidade SEAL por sua força, velocidade e capacidade de aprendizado (Foto: U. S. Navy)

Os pastores alemães continuam sendo muito utilizados como cães de guerra pelas Forças Armadas dos Estados Unidos — há 2.800 cães de diferentes raças em atividade, sendo que 600 estacionados no Afeganistão e no Iraque –, mas os belgas, por combinarem tamanho a agilidade, velocidade e força física, são considerados mais adequados para as dificílimas missões de que são encarregados os comandos do SEAL, que incluem desafios como saltos de paraquedas, descida por corredeiras de rios, escaladas em despenhadeiros, revista em cavernas e, naturalmente, perseguição a inimigos armados.

Os cães de guerra do SEAL, tidos como animais com grande capacidade de aprendizado, recebem intenso adestramento por especialistas, que inclui permanentes técnicas de motivação, e são tidos como coadjuvantes importantes do trabalho dos militares.

Com um olfato 40 vezes mais apurado do que o dos seres humanos e capazes de atingir uma velocidade duas vezes maior do que a de um militar em grande forma física, os pastores belgas são treinados para detectar e localizar itens como explosivos, materiais perigosos, alimentos envenenados e, claro, pessoas.

Image
Devidamente trajado, um dos cães-soldados se prepara para saltar de paraquedas com um dos militares do SEAL (Foto: U. S. Navy)

O treinamento inclui mergulhos e saltos de paraquedas. Quando em ação, os cães-soldados levam uma espécie de traje-colete flexível de kevlar, resistente a tiros de vários calibres, e equipado com artefatos para uso eventual dos soldados (como telefone portátil via satélite reserva) e também os próprios para os cães, como câmaras de vídeo que os tornam capazes de, entrando antes em zonas perigosas, mostrar aos comandos o que virá pela pela frente.

Outro equipamento dos cachorros são os doggles (mistura das palavras “cão” e “óculos” em inglês) – óculos especialmente feitos para eles, com visão noturna e tecnologia de raios infravermelhos que os permite distinguir e reconhecer, pelo calor, uma silhueta humana mesmo através de paredes de concreto.

Para os saltos de paraquedas, os cães-soldados usam máscara de oxigênio e um traje protetor especial. Um dos cães, Cara, detém junto com seu instrutor, Mike Forsythe, o recorde mundial de salto de paraquedas homem-cão: os dois pularam de uma altitude superior a 30.200 pés (9,2 quilômetros) — a mesma em que voam jatos de carreira (vejam a foto abaixo).

Image
O instrutor Mike Forsythe e seu cão, Cara: recorde mundial ao saltar de uma altitude de 9,2 quilômetros (Foto: Andy Anderson / K9 Storm Inc)

Um comentarista de assuntos militares que escreveu sobre os pastores belgas soldados afirmou que são “cães fiéis, sem medo de nada e ferozes — incrivelmente assustadores e eficientes ao atacar”. Quanto o comando do SEAL desceu de helicópteros Black Hawk invisíveis a radares dentro do terreno onde ficava a casa-fortaleza de Bin Laden no Paquistão, o cão Cairo foi um dos primeiros a sair.

São mantidas sob sigilo informações sobre o papel que teve o cão-soldado na operação, embora se saiba que ele utilizava o traje especial de kevlar superequipado, cujo custo por unidade é de 21.500 dólares (mais de 47 mil reais).

(O blog agradece ao leitor José Carlos Bolognese a preciosa dica deste material.)

Image
Treino conjunto de paraquedismo dos comandos SEAL, um deles com o seu cão (Foto: Andy Anderson / K9 Storm Inc)

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 2 =

30 Comentários

Mari em 14 de novembro de 2013

Pelo amor de Deus gente, a materia so esta falando sobre o cachorro e o homem como trabalho em equipe, e como cachorro desempenha bem o seu papel. Quem esta discutindo sobre certo ou errado, sobre politica internacional e etc... Facam comentarios sobre a materia em questao, nao sobre a politica americana ou Japonesa... (mas ja que tocaram no assunto em um dos comentarios, a Suica de boazinha nao tem nada, ela financiou e financia guerras contra Judeus, Alemaes e tanta outras racas, se liga. Nao existe ninguem/nada 100% mal ou bom.

lulalau em 09 de agosto de 2013

Caro amigo, infelizmente precisei deletar seu comentário. Compreendo sua irritação, mas definitivamente não vou colocar mais asteriscos em xingamentos, palavrões, ofensas, acusações sem provas ou coisas do tipo que violam as regras do blog e a ética, transformam este espaço em algo que não desejo e, além do mais, podem trazer consequências criminais para você, para mim e para a Editora Abril. Peço que leve isso em conta da próxima vez, porque não publicarei mais comentários com esse tipo de impropriedades de forma alguma. Conto com sua colaboração. Obrigado

Adilson Minossi em 08 de agosto de 2013

Por que será que parte dos brasileiros é contra os americanos e os Estados Unidos? Seriam Petralhas que vivem às custas de boquinhas? Só pode. Esses imbecilóides nunca se deram conta que se não fossem os americanos o mundo hoje estaria falando alemão ou japonês?? Se manquem, camaradas cumpanhêros !!!!

Pérola em 06 de agosto de 2013

Adorei a matéria.

Paulo Anjos em 05 de agosto de 2013

Desculpe se dei a entender algo nesse sentido. Se tiver curiosidade assista Os Illuminati e o 11 de Setembro - Da forma que ocorreu (filmagens raras). Um abraço.

Paulo Anjos em 04 de agosto de 2013

Seus comentários beiram o incompreensível, mas escondem, por razões que ignoro, grande agressividade para com o colunista. Sugiro buscar tratamento.

Paulo Anjos em 04 de agosto de 2013

Você está delirando. Eu SÓ expresso o que penso. Sou totalmente livre neste blog, nenhuma pessoa lê meus textos antes dos leitores.

Paulo Anjos em 02 de agosto de 2013

Essa é mais uma história falsa dos americanos. Quando a imprensa no Brasil vai divulgar a verdade sobre o 11/9?Porque temem contrariar a versão do governo americano se esta foi completamente desmontada?a maior parte do povo americano sabe não houve nenhum atentado terrorista e o tal Osama foi usado para deflagar gurras e ilegalidades. Amigo, você precisa de tratamento. Também acha que o homem não desceu na Lua em 1969?

Rogério em 30 de julho de 2013

"Um desses cães-soldados participou do comando da Marinha dos EUA que matou o terrorista Osama Bin Laden" . "Mataram" escondido e jogaram o corpo no mar... tá bom . Ainda mais os americanos ? Se de fato tivessem pego Osama, eles os colocariam em um zoológico em NY para todo mundo ver .

Santana*100 em 30 de julho de 2013

A séculos os homens utilizam dos cães para várias finalidades. Quer seja na paz ou na guerra!

Corinthians em 30 de julho de 2013

Preciso ir em um banco suíço ver essa ideologia de solidariedade...

Nilton em 29 de julho de 2013

Enquanto os suiços usam cães para salvar pessoas presas na neve, os americanos usam para matar. Se usaram para matar Bin Laden, podem usar para matar qualquer um que lhes convenha. É a diferença de ideologias: a da solidariedade, própria dos suiços; a da bordoada, própria dos americanos.

conspiracao em 29 de julho de 2013

Resumindo...Os caras primeiro poem os cães! depois que eles vão, depois de filmado e etc...sera que tem tanta eficiência esses americanos? ou somente em filmes? vejam que em filmes eles nunca perdem na GUERRA DO VIETNAM, e relembrando 10 anos para encontrar um homem(BIN LADEN)isso e! se encontraram realmente, essa estoria de 11 de SETEMBRO foi uma grande FARSA!

DOUTOR PALHOCI em 29 de julho de 2013

Esses caes poderiam substituir os politicos brasileiros que seriam embarcados e arremassados a 30 000 pes, sem paraquedas.

Emmanuel Almeida em 27 de julho de 2013

Trabalho em uma unidade de segurança e tenho contato com Belgas Malinois e Pastores Alemães, realmente os Belgas são mais afoitos e de resposta mais rápida.

Severo em 26 de julho de 2013

Caro Severo, me desculpe, mas não publico insinuações sobre ruptura da legalidade constitucional.

Santana*100 em 25 de julho de 2013

Setti será que mataram Osama Bin Lad mesmo? -Esta história de que jogaram seu corpo ao mar e fezeram um funeral seguindo os costumes mulçumanos nem brasileiros acredita. Note que: A grande maioria dos brasileiros acredita em todas as mentiras contadas como verdades! OS ESQUERDISTA SABE MUITO BEM DISSO!

Marcelo Oliveira em 25 de julho de 2013

Só a título de curiosidade: O próximo jogo da série Call of Duty, a ser lançado no início de novembro, tem como um de seus "personagens" este cão, o qual, dependendo da situação, pode ser controlado pelo jogador. No mais, como sempre, outra excelente matéria do Ricardo Setti.

Luiz C. em 25 de julho de 2013

Pelo menos DISSERAM que mataram o Bin Laden!!!

Ricardo em 25 de julho de 2013

Enquanto isso,aqui deve existir uma meia dúzia de farejadores de drogas,nada mais.Quando o Brasil partir para esse tipo de treinamento dos cães,certamente custará alguns milhões de reais as roupas dos bichos e todos os bandidos do mundo saberão onde vivem.

anselmo em 25 de julho de 2013

Acredito ser a raça mais completa para "trabalho". Em casa de adapta bem a qualquer local e só precisa de "comando". Não é uma raça para iniciantes. Grande matéria.

AlexRio em 25 de julho de 2013

Esses posts do Setti são o maior barato hehehe

maristela pereira dos santos em 25 de julho de 2013

Não fico surpresa com que eles são capazes e mais fácil adastrar um cachorro do que educar ser humano,o cachorro oque você ensinar ele faz, ser humano educado para fazer só o bem e oque agente ver nos jornais na TV.

edy em 25 de julho de 2013

concordo com todos os comentarios postados, são cães maravilhosos, precisam apenas de um treinamento para serem melhores ainda.

Carlos Correia em 24 de julho de 2013

Realmente impressionante!

Bruno em 24 de julho de 2013

Muito bom este artigo. Nunca pensei que para irem caçar o Bin Laden tivessem recorrido ao mais fiel amigo do homem. . Gosto de ver as forças policiais bem equipadas. Cães e cavalos podem ajudar em muito o seu trabalho. Nota: por (boa) regra, o trabalho das forças policiais é EM FAVOR dos cidadãos, NÃO CONTRA eles. . Os cães ajudam nas drogas, nas armas, nas buscas nos escombros e, como os cavalos, impõem respeito, que no fundo é o necessário para a atuação das forças policiais. . Os animais, quando em situação de perigo, assumem por inteiro o conceito de coragem que nos foi revelado por Nelson Mandela.

Tiago Herique em 24 de julho de 2013

bacana

Rodrigo Alves Lemes em 24 de julho de 2013

Como cinofilo só posso agradecer a matéria. Sempre eles nos surpreendendo, pena nem sempre fazemos o mesmo pelos bichos

Reynaldo-BH em 24 de julho de 2013

Não sei se é papo chato de cachorreiro (EU!) mas o Malinois são exemplares! São valentes, dedicados e absolutamente fiéis a seus donos. Territorialistas, não aceitam estranhos a menos que sejam antes apresentados! Defendem seus donos até, literalmente, a morte. Não atacam crianças NUNCA! (Como qualquer cão que respeitam (não atacam) fêmeas e filhotes. Só humanos fazem isto!) Confiam 100% em quem o protege. São os mais leais a esta dependência. Há diversos casos de malinois que se sacrificaram para salvar seus amigos humanos. Tem uma energia de 220! Na tomada! Não mordem pernas da "ameça". Naturalmente (por que? ninguém sabe) buscam o pescoço opositor. São seletivos ao cruzar (parece quererem preservar a linhagem). Sâo menores (metem menos medo) e mais ferozes que um pitt bul ou rotweiller. Só que sem nunca fugir ao controle. São lobos especiais!! Óbvio que na escala canina, estão depois dos SRD. (SEM RAÇA DEFINIDA = VIRA-LATAS!).

Rolland T. Flackphayser em 24 de julho de 2013

Um verdadeiro "cãopanheiro" de batalha. A partir de amanhã o Al-Qaeda vai começar a treinar gatos assassinos. Vai ser uma briga como cães & gatos... peraêh!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI