Image
Um caixa eletrônico que fornece ouro puro inaugurado em Londres (Foto: The Daily Telegraph)

Amigos do blog, já foi divulgada a notícia de que a China inaugurou o primeiro de seus caixas eletrônicos que permite a retirada de… ouro puro, em barras ou em moedas.

Só para recordar e acrescentar alguns detalhes à notícia, esse primeiro caixa automático, que evidentemente é dourado, tem sempre ao lado uma bela recepcionista para auxiliar os interessados e está instalado no oitavo andar do edifício da gigantesca companhia mineradora Gongmei Gold Trading, na avenida Wangfujing, no centro de Pequim.

O investidor pode comprar ouro no valor máximo de 1 milhão de yuans de cada vez (cerca de 288 mil reais).

Não é uma extraordinária novidade um caixa eletrônico que “despeja” ouro para quem pode pagar. Já existem alguns poucos no mundo – em Las Vegas, em Abu Dhabi, em Londres, em diferentes cidades da Alemanha, todos fabricados pela mesma empresa, a alemã Ex Oriente Lux, detentora da marca “Gold to Go” (“ouro para levar”, em tradução livre).

A diferença é que a empresa chinesa pretende espalhar nada menos do que 2 mil caixas eletrônicos com esse primeiro em bancos, clubes de luxo e outras instituições até 2014. Mais do que tudo o que existe no mundo, somado, e multiplicado várias vezes.

Isso dá mostra do colossal interesse dos chineses por ouro: o país é o segundo consumidor mundial, só superado pela Índia. A China é também o maior produtor mundial de ouro, com 350 toneladas anuais extraídas, mas ainda assim importa o produto de outros centros, como a África do Sul.

A compra de lingotes era proibida e agora não apenas foi liberada como o governo estimula sua aquisição, como forma de reduzir o papel-moeda circulante e, assim, auxiliar no combate à inflação.

Ah!, agora outro novidade: como é que um caixa eletrônico pode vender um produto cujo preço – a cotação por onça troy (equivalente a 31,103 gramas) – varia a cada momento nas principais praças financeiras?

Fácil: a tecnologia atual torna simples que a máquina esteja em contato on-line com os mercados — e o preço é atualizado automaticamente a cada 10 minutos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × quatro =

Nenhum comentário

Eduardo em 11 de outubro de 2011

O Vitor está certo! E ainda substituiriam tudo por lantejoulas em pó!

Vitor Farat em 11 de outubro de 2011

no Brasil isso seria um caos, roubariam tudo

Think tank em 11 de outubro de 2011

Gold to go, já pensou ouro para viagem no Brasil se nem nos cofres do Itaú estão seguros? Embora o assalto tenha sido de tamanho respeitável a policia só começou a se movimentar oficialmente após 15 dias, tempo suficiente para os larápios darem varias voltas ao mundo. Esta situação só é viável em países onde o estado faz a sua parte, oferece segurança publica que funciona, os bancos não precisam de portas com detectores e os caixas eletrônicos podem ficar espalhados pela cidade sem incorrer ao risco de serem detonados.

José Figueredo em 11 de outubro de 2011

quando a China tiver uma democracia plena(vai demorar),o mundo se curvará à potência que já é.Está sendo construída com trabalho duríssimo,rígida disciplina,treinamento incessante,inteligência, audácia e ousadia.Para quem tem mais de seis mil anos de existência "DEMORÔ".O Jango andou por lá estudando o sistema e acabou perdendo o que conquistara na democracia.

Tuco em 10 de outubro de 2011

>> ATENÇÃO: detentora da marca “Gold do Go” (“ouro para levar”, em tradução O correto é "GOLD to go" Já vamos corrigir, Tuco. Obrigado

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI