Image
A “Union Jack”, bandeira do Reino Unido há 213 anos, continuará tremulando em definitivo com a vitória, no plebiscito de ontem, dos escoceses que preferem continuar fazendo parte do Reino Unido

Entre os vários posts que venho publicando sobre o referendo a respeito da independência da Escócia, cuja votação está terminando de ser apurada e que, agora, 2h16 da manhã, mostra uma inequívoca vitória do “não” por 55% a 45% dos votos — ou seja, a Escócia continuará a fazer parte do Reino Unido como ocorre há mais de 300 anos –, um falava sobre como ficaria, provavelmente, a bandeira do Reino Unido caso o “sim” da separação tivesse prevalecido nas urnas.

Ou seja, como ficaria a famosa “Union Jack”, adotada em 1801 — uma das bandeiras mais conhecidas do planeta –, sem a contribuição da bandeira escocesa de listras brancas em diagonal sobre fundo azul. A Union Jack consiste na sobreposição das bandeiras, todas com cruzes, da Inglaterra (na época integrada também pelo País de Gales), da Escócia e da Irlanda do Norte.

Agora, que a questão está decidida, o caso fica sendo mais uma curiosidade, mas que vale a pena mostrar por ter sido muito discutido.

A versão mais logicamente aceita seria esta abaixo, que soma a Cruz de São Jorge, bandeira da Inglaterra, com a Cruz de São Patrício, representando a Irlanda do Norte, que integra o país:

Image
(Bandeiras deste post: The National Flag)

Mas o assunto deu muito pano para manga durante meses ao longo da campanha pelo “sim” ou pelo “não”. Em fevereiro deste ano, a instituição de caridade britânica The National Flag disponibilizou uma série de “atualizações” possíveis da bandeira, criada por designers convidados.

As doze propostas levaram em conta elementos e cores dos emblemas de não apenas dos três integrantes já representados na Union Jack, como também do País de Gales, que era parte integrante da Inglaterra quando a bandeira definitiva foi criada.

Boa parte dos projetos incluíram na fórmula fatores não presentes na atual e agora defiitiva bandeira, como o dragão vermelho e o fundo verde da insígnia galesa, e a cruz amarela com fundo negro da Cruz de São David, bandeira do País de Gales até 1959, quando entrou em cena a do dragão.

Image
A bandeira do País de Gales, adotada só em 1959
Image
A anterior bandeira galesa, com a Cruz de São David

O jornal The Guardian fez uma enquete para eleger a melhor, vencida, com 35% dos votos, pela bandeira que mostramos em seguida:

Image
A bandeira vencedora da enquete do “The Guardian” baseada em criações da entidade The National Flag: o negro representa a Cruz de São David, presente na antiga bandeira galesa

A seguir, a segunda e a terceira colocadas, com respectivos 20% e 15% da preferência. Abaixo, as outras 9 “candidatas” a uma bandeira que não mais será necessária:

Your second, choices, with a Welsh twist.

No 3 … a bit ravey?

Commonwealth-like 2

Royal 1

Tricolourish

UK black with plants

UK Commonwealth

UK gold

UK various

Union-like

Viewer

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 4 =

3 Comentários

Tuco em 19 de setembro de 2014

. . . Nunca vingaria. Como não vingou. Só não há bom senso nesta ***** de Brasil. . . .

carlos amendola em 19 de setembro de 2014

Bem que o Brasil poderia pertencer ao Reino Unido, ficaríamos livres do PT, PSOL,PSB etc e tal.

Alex Wie em 18 de setembro de 2014

òtimo, mas deu pra ficar zoró com este caleisdoscópio de bandeiras. E depois a escócia só tem a perder, com esta batatada

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI