Image
Integrante da tribo dos caigangues na sede do PT do Paraná ocupada (Foto: Henry Milléo / Gazeta do Povo / Futura Press)

Amigas e amigos do blog, vocês viram essa?

Começa assim a matéria do site de VEJA:

“Um grupo de aproximadamente trinta índios da tribo caingangue invadiu na manhã desta segunda-feira a sede do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) do Paraná, em Curitiba. O objetivo dos índios é protestar contra a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, que no início de maio determinou a suspensão da demarcação de terras indígenas no Estado.”

Beleza! Bem feito!

O PT, desde seus primórdios, estimulou esse tipo de “ação” — seja as invasões não raro violentas de propriedades rurais pelos baderneiros do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), ou “ocupações” de reitorias por estudantes baderneiros da UNE picareta, dominada bionicamente, sem eleições, por partidecos de esquerda, seja atos semelhantes praticados pelos diferentes movimentos de “sem-teto” em várias cidades.

O PT nunca condena — e vários de seus integrantes elogiam e até participam das “ações” — os diversos “movimentos sociais” que acham que ocupar prédios, danificar propriedade pública, invadir sedes do Legislativo (inclusive o Congresso), promover quebra-quebras e praticar outras ações violentas e antidemocráticas são formas legítimas de sua “luta”.

Quem não se lembra dos arruaceiros que ocuparam a pequena fazenda da família de um então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, sob o silêncio espesso da então oposição petista?

Quem não se lembra dos baderneiros de partidos “de esquerda” que agrediam participantes de leilões de privatização, durante o governo FHC?

(Agora, durante o governo Dilma, isso não vem acontecendo, até porque o governo, envergonhado, não usa a palavra “privatização” mesmo quando privatiza. Prefere “concessões” e outros eufemismos.)

A invasão em Curitiba foi pacífica. Não houve quebra-quebras e agressões tão comuns em fatos similares anteriores.

Melhor assim, claro. De todo modo, que ótima sensação ver o PT provar do próprio veneno!

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 4 =

Nenhum comentário

Ana Alice em 04 de junho de 2013

Por serem totalmente ignorados pela maioria da letargica população,os indios estao certissimos em lutar pela sua sobrevivencia. E bem feito sim pro governo que agora prova do seu veneno. E cade a punição pela morte do indio indefeso? Eles tem que receber o mesmo tratamento condescendente dos MST! Força bravos indigenas, vcs nao estao sozinhos!

Márcia Maria em 04 de junho de 2013

Eles devem estar adorando esses tipos de bandalheira selvagem! Tudo vivendo de concessões públicas. É um País da Bandalheira.E vagabundos SELVAGENS!

Rod em 04 de junho de 2013

Chupa PT !!!! hehehehehe

ricardo em 04 de junho de 2013

Putz..,e eles não meteram fogo?Não quebraram tudo?Não!Então não é invasão,é convite.Índio quando invade,quebra tudo e mete fogo.Pô..,eu queria ver fumaça,quem sabe na próxima,kkkk.

o desPeTetizador em 04 de junho de 2013

Quero ver esses 'índios' fazendo com o lullallau, a dillmamata e toda a 'intelligentsia petralha' [two words combined that can't make sense!] o q o MST fez na fazenda da família do FHC!!!!!!!!!!

Adriano em 04 de junho de 2013

A ideia de que os índios também são criaturas ingênuas, inocentes, crédulas, bondosas por natureza, possuidoras de uma dignidade quase beatíficada de alguma forma, esses credos equivalem a um inquestionável atestado de superioridade moral, lavrado com toda pompa e circunstância nos cartórios ideológicos (vulgo universidades) do Brasil –, é igualmente absurda. O mito do “bom selvagem” foi o impacto que o contato com tribos nativas no continente americano e na região do Pacífico causou no imaginário literário europeu da época, sobretudo nos séculos XVII e XVIII. Vistos literalmente como descendentes de Adão e Eva que pareciam não terem sido atingidos pelo pecado original, os povos indígenas eram idealizados como ajuntamentos de pessoas puras, inocentes, cujo isolamento da civilização as manteve à salvo de deturpações em sua conduta e deformações em sua alma. Sua vida seria marcada por uma perfeita integração com a natureza, venerada pelos povos nativos como algo tão sagrado que qualquer interferência humana era considerada sacrílega e abominável, dependendo unicamente da prodigalidade da Mãe Terra para tirarem seu sustento. Seria essa a visão "ingênua" desses senhores do poder??? Tenha santa paciência!

Zé da Ziza em 04 de junho de 2013

Não faça a seu vizinho, que o seu esta a caminho. Este grupo, de mais ou menos índios, foi bater na porta certa. São nos diretórios do pt, que estão as resoluções dos problemas dos pobres do Brasil. Ja que o partido esta no governo, e já da bolsa familia, cesta básica, casa para morar, tambem pode dar terra para índio, sem necessitar de tomar terra produtiva de agricultores. Índio gosta de mato, então levem-os para a amazonia e os deixem por la.

Bruno Sampaio em 03 de junho de 2013

Queria ver os indios invadindo o prédio e o apartamento do lula, zé dirceu, genoíno, marilena chauí, e de tantos outros, quebrando tudo lá dentro, detonando tudo que encontrassem na geladeira, inutilizando móveis e utensílios. AÌ SIM, eles estariam provando UM POUCO do próprio veneno, mas só um pouco, já que com tanto dinheiro público desviado, eles reparariam todos os danos em 48 horas.

alvaro em 03 de junho de 2013

Caro Setti Está na hora de desarmar também os índios – tomar arcos, flexas e tacapes. Se desarmaram a população civil, os fazendeiros, os proprietários de terras, por que os índios continuam com direito a portar e usar armas de guerra. Ou desarmados os índios vão marchar como pelotões militares? O país tem uma organização social, política e uma legislação meio destrambelhadas. Esquizofrênia pura, talvez. Veja como somos: brancos são racistas, negros e índios, não. Homossexuais podem propagandear e exibir com exaltação seu modo de vida. Heteros, não. Maconha pode ser liberada e incentivado o seu uso. Tabaco, não. Gente pode ser morta aos lotes, cachorros não. Crianças podem ser mortas dentro do útero mas jegues não podem carregar peso. O politicamente correto não é só uma praga do atraso é uma estratégia político-ideológica. Agradar minorias ativistas dá voto, atrai formadores de opinião que estão na mídia, beijando em público e chamando de esposa gente do mesmo gênero, todo dia, o dia inteiro.Quem não é militante tem que trabalhar para comer e para sustentar os parasitas carregando o país nas costas e não tem tempo para fazer política e ser socialmente ativo. Se todas essas associações de militância remunerada resolverem demarcar suas terras concretizando o apartaid como opção a hegemonia, o país some. Minha militância é insistir na resitência e praticar a desobediência civil contra o politicamente correto que é uma pagelância, uma boiolagem.E tem gosto de chá de maconha com sorvete de chuchu sem sal e sem açucar. Tem terra demais para pouco índio. Tem muito direito para índios que tem pouquíssimos deveres. Uma coisa é proteger índios que vivem como índios, isolados, imersos em sua cultura e vivendo da luta pela sua subsistência, caçando, plantando e estraindo da natureza de modo sustentável. Outra coisa muito diferente é oferecer privilégios a cidadãos brasileiros de origem indígena que desfruta de todos os avanços da tecnologia, que estuda onde o brasileiro não índio estuda, que usa hospitais como o resto do povo, que usa roupa de marca e tenis top de linha, que tem computador e acessa a internet e ainda compartilha em redes sociais. Basta do "duas bandas": uma de aparência indígena para abocanhar vantagens. Outra de aparência de cidadão comum, para usufruir da banda boa da cultura dos não índios, mas que continua a só ter direitos. Além de enfrentar a revolta da base alargada o PT, conforme li acima, está "provando do próprio veneno". Sinal dos tempos. Ciclos históricos. Dinâmica social. Se vai ser melhor ou pior eu não sei. Mas, que vem mudança por aí, não há dúvidas. Um Eduardo Campos incomoda muita gente Marina Silva incomoda muito mais. Um Aécio Neves incomoda muita gente Um Gedel incomoda muito mais ..................................................

Charles A. em 03 de junho de 2013

Esse caiguangue aí da foto é mais branco do que eu,tem as unhas aparadas,a barba cerrada e escanhoada e é bem gordinho para quem vive da caça,da pesca , de farinha de mandioca e frutas silvestres.O cocar é da 25 de Março,mas dá prá comprar pela internet:http://lista.mercadolivre.com.br/cocar-de-cacique-indigena-amazonico . Eu achei o preço meio salgado,mas vale o investimento!

miltonbsg em 03 de junho de 2013

Ainda bem que os Índios não são marginais, são cidadãos, cobrando direitos mais que justos.

Antonio em 03 de junho de 2013

Foi a segunda vez que ocuparam um latifúndio improdutivo. Na primeira vez, foi o instituto Lula.

Fernando em 03 de junho de 2013

Setti,concordo quase que integralmente com seu texto. Só acho que ficou implícito que a quase totalidade dos movimentos sociais é composta por arruaceiros,o que é um pouco injusto. Sei que esses movimentos são muitas vezes usados como massa de manobra por partidos e lideranças com pretensões políticas, mas não vamos generalizar. O Brasil é um país com uma concentração fundiária brutal,esses movimentos são na maioria das vezes a única voz a denunciar essa aberração.

Daniel B. Silva em 03 de junho de 2013

Esse cara da fotografia não é indio, não.

J.B.CRUZ em 03 de junho de 2013

--------------- bem feito!!!!!---- 2 -----

Tucson58SP em 03 de junho de 2013

PARABÉNS SETTI! Eu me lembro muito bem de tudo isso, e é muito importante que seja realçado para que os desinformados saibam quem e como pensam e agem esses espertos esquerdistas que querem o poder pelo poder, mesmo que o povo sifu.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI