Image
“Daqui não saio, daqui ninguém me tira”

Um casal de idosos de Veneza, Itália, solicitou à Associação de Consumidores da magnífica, estupenda cidade flutuante que enviasse ao seu filho uma carta pedindo que deixasse a casa da família em um período máximo de dez dias.

O rebento não é violento com os pais, tampouco usa drogas ou é prisioneiro de qualquer outro vício. É um filho “convencional”, tirando o fato de que se recusa terminantemente a deixar a casa dos pais, mesmo tendo 41 anos de idade — e emprego estável. De acordo com a queixa dos anciãos, o marmanjo não apenas bate o pé para permanecer na mordomia como sua postura é cada vez mais exigente e até agressiva.

O Incrível Exército dos Bamboccioni

O quarentão faz parte de um grupo conhecido na Itália como o dos bamboccioni — literalmente, “bebezões” –, homens adultos que, embora já ostentem idade mais do que suficiente para tocar suas próprias vidas em um endereço diferente do dos pais, não têm condições financeiras ou simplesmente não querem dar este passo adiante. Preferem viver com os agrados e cuidados da mamma. O caso, verídico, poderia servir de argumento pra uma boa comédia italiana.

Mas o lado sério da questão é que, segundo as últimas pesquisas sobre o assunto no país de Silvio Berslusconi, nada menos que 70% dos homens com entre 18 e 34 anos ainda não se emanciparam. Isto corresponde a uma inacreditável multidão de 7 milhões de pessoas. A coisa preocupa as autoridades, a ponto de já existir legislação que beneficia com empréstimos facilidados e outras vantagens para jovens — empregados — até 30 anos que não vivam na casa paterna.

2 milhões sem fazer nada, numa economia que periga

Por ter sete anos a mais do que a idade máxima considerada no estudo, o personagem que recebeu a cartinha intimidante da mamma e do babbo nem cabe na estatística. E, se coubesse, pertenceria ao grupo economicamente menos preocupante, já que se encontra empregado: de acordo com os mesmos levantamentos, destes 7 milhões, 2 milhões não estudam nem trabalham. É a versão italiana dos Ni Ni, como os quase vizinhos espanhóis chamam os jovens que não fazem nada.

Para um país como a Itália, cuja população economicamente ativa fica um pouco abaixo da faixa de 50%, algo próximo a 25 milhões de pessoas, saber que um décimo delas não está “nem aí” ajuda a explicar algumas coisas.

Sobretudo as teorias de alguns especialistas, para os quais o país, apesar da extraordinária qualidade de muitos de seus produtos que circulam mundo afora, da conhecida inventividade de seu povo e de outros pontos fortes de uma cultura milenar, está na lista dos ameaçados de desmantelamento financeiro com a crise europeia e mundial.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × um =

30 Comentários

Fúlvia Lima em 06 de janeiro de 2012

Eu já sabia dessa "realidade" vergonhosa nos tempos modernos... Os homens, deliberadamente, se curvaram diante da emancipação feminina e se acomodaram a não ir a "luta". Com toda classe o "homem das cavernas" dá um "banho" na "desclasse" do homem moderno. Para todos os outros milhões de homens não "Bamboccioni", não vai meu parabéns, vai sim: cumprem seu dever de sobrevivência!

Mari Labbate *44 Milhões* em 04 de janeiro de 2012

Os Bamboccioni sofrem da Síndrome de Peter Pan! Vamos presenteá-los com os ÓCULOS DA VERDADE! Receitemos o mesmo tratamento a muitos políticos brasileiros, que oferecem presentes ao Povo, para angariar votos! QUE VERGONHA! Pura chantagem...

alberto santo andre em 31 de dezembro de 2011

o qrande problema e que logo iremos viver tambem e que quando so se da direitos ,e em contrapartida nao cobramos obrigacoes caminha -se sempre para este tipo de coisa ,e isto nos ja comecamos,pois onde os pais ja nao podem siquer educar seus filhos a sua maneira e onde pseudos intelectuais incapazes de gerir a propria vida tanto mais que se locupletam das tetas do estados ,criam normas que os pais devem seguir ,porem fogem quando os pais tentam tranferir estes aos pseudo educadores ,pois se sentem semcondicoes de criar a maneira dos mesmos, ou seja querem que os outros tenham a obrigacao de fazerem com que futuros bandidos criados pelos pseudos ,sejam educados como homens ,so lunaticos sao capazes disto e portanto formam outros lunaticos.

Marcio Severo em 07 de outubro de 2011

É, eu tenho sempre essa sensação, de que as pessoas estão se recusando a amadurecer e a assumir suas responsabilidades. Saí de casa aos 21, não porque tivesse qualquer problema com minha família, nem porque não tivesse condições, graças aos céus eles têm, mas para ter minha própria vida e para crescer por minha conta e não me arrependo. Ser um Homem e não mais um garoto. Ver um homem de 40 anos agir como se fosse adolescente é, no mínimo, constrangedor. Para ele.

Luis Cesar em 03 de outubro de 2011

Em relação aos "seres superiores" que se emanciparam cedo, tem três classes: Aqueles que saem de casa cedo por que papai comprou um ap novinho, os recalcados que logo cedo tem que gastar com casa, mulher e filho e não aproveitaram p* nenhuma da vida e aqueles que não prestavam durante a adolescência, que só davam trabalho e os pais enxotam de casa e mandam de virar. Aí não tem o que fazer e ficam criticando aqueles que ainda estão com os pais, povo recalcado.

Tom Mayer em 29 de setembro de 2011

É uma questão de nível sociocultural. Tomemos como exemplo um rapaz bem pobre: Ele sempre viveu na miséria e sai cedo de casa para tentar melhorar de vida, para ele vale o 'slogan' do Tiririca "pior que tá não fica" ,ou seja, ele não tem nada a perder... Agora compare essa situação com a de um rapaz classe média de 40 anos: Ele mora numa boa casa situada em um bom bairro, tem seu quarto com TV LED, computador, Blu-ray e etc, mamãe cuida da roupa e da comidinha, usa o carro do papai e por aí vai. O sujeito até trabalha e ganha bem mas seu dinheiro é gasto com roupas e calçados "de marca", baladas, passeios, mulheres dentre outras atividades agradáveis. Agora me respondam: A troco de que esse cara vai sair do seu conforto e segurança ? Será que ele deveria arrumar mulher e três filhos e consequentemente um monte de dor de cabeça, despesa e chateação? É claro que o pessoal que foi obrigado pelas circunstâncias a sair de casa cedo MORRE DE INVEJA de quem por ter família com boas condições financeiras não precisou fazê-lo, como é possível constatar em alguns comentários.

Denise em 28 de setembro de 2011

Conheço muuuuuuuuitas mulheres na faixa dos 40 que não sai da casa dos pais. São profissionais e emancipadas, mas em pleno século XXI não saem da casa dos pais porque não se casaram. Por mais que se fale, acho que ainda rola um pouco do inconsciente coletivo no sentido de acreditar que pelo fato de não terem se casado não podem e não devem tocar suas vidas independentes e felizes. Fala sério ! Chega uma hora que as pessoas têm que crescer !!! Perdas ? Perdas existem em todos os caminhos e sentidos da trajetória.

EXTREMA DIREITA em 28 de setembro de 2011

CARO SETTI. MUITO INTERESSANTE ESSE POST. AQUI EM BRASÍLIA TEM UM GRANDE CONTINGENTE DESSES EXEMPLARES. TENHO UM AMIGO QUE TEM DOIS " NI NI" EM CASA. COMO O PAI GANHA MAIS DE R$ 30 MIL MENSAIS COMO EMPRESÁRIO BEM SUCEDIDO ELES ACHAM QUE TÊM TODO O DIREITO DE NÃO TRABALHAR E QUANDO A MÃE CRITICA E ATACA ELES SE DEFENDEM USANDO UM ARGUMENTO SACANA " QUEM MANDOU TER ME TIDO?". EM BRASÍLIA O APELIDO DESSA GALERA É MUITO CRIATIVO. SÃO CHAMADOS DE " OS 0800", UMA ALUSÃO AOS INTERURBANOS GRATUITOS.

ernani em 28 de setembro de 2011

Nos dias atuais, a maioria dos filhos, pensam que pai e mãe é pra toda a vida. Por esse motivo ficam sempre esperando ajuda do pai e da mãe. Podemos notar que até os animais e os pássaros depois de um certo tempo criados, são soltos para a vida. Acho nocivo, filhos ficarem sempre sob a proteção dos pais.

Nelson em 27 de setembro de 2011

A classe média de modo geral é igual aqui e lá. Há muitos atrativos para os(as) solteiros(as) viverem a vida de modo mais descompromissado e intenso do que décadas atrás. Conseguem com sua grana viver e experimentar em poucos anos o que os pais e avós levavam uma vida inteira e não experimentavam. Por que eles vão enfrentar o lado duro da vida se o mole está logo ali, junto da mamãe que lava, passa, cozinha e do papai que mantém tudo funcionando? Só aqueles que tem consciência e vergonha na cara resolvem sair do ninho e deixar os pais viverem as suas vidas.

Juca em 26 de setembro de 2011

Casei e saí de casa aos 27 anos. Achei que já era hora apesar de todos me dizerem que estava entrando numa roubada. Alguns anos depois voltei com uma leve depressão pra casa do papa e da mama. Estava desempregado, me separando e tinha perdido minha filhinha. Olha!, num tem fórmula mágica não. Minha história é verdadeira e muito mais triste, hoje estou bem de novo, a única coisa que me deixa put. é esse tanto de IR que pago todo ano.

Bebê Johnson em 26 de setembro de 2011

Qual é o problema de um filho ou filha morar na casa dos pais até os 40 anos ou mais? O que há de errado nisso? Pior são aqueles que arrumam marido/mulher e vão morar na casa dos pais e ainda por cima arrumam netos que os avós terão que cuidar e sustentar... Morei na casa da "mamma" até 0s 38 anos e só saí de lá porque fui sumariamente despejado...hahahahaha

patricia m. em 25 de setembro de 2011

Por isso gosto dos americanos: 18 anos e a menina ou menino sai de casa, as vezes com ajuda dos pais, mas de qualquer forma nao ha esse grude nojento, essa dependencia que so Freud explica... Eu sai com 21 anos e nao me arrependo, fiquei independente, trabalhei para me manter, virei uma pessoa responsavel. Quero o mesmo para os meus filhos.

Joao em 25 de setembro de 2011

Verdade @AntoniodaMatta - 24/09/2011 às 19:10, estamos levando no c. tanto lá qto cá. Sempre achei que nós brasileiros tinhamos uma queda pra bich.s, haja visto o número de gente que gosta da festa do orgulho gay. Nada contra, sem preconceitos, só estou dizendo que estão nos comentdo tanto aqui quanto lá, no mínimo deve estar rolando um dinheiro legal, né?

@AntoniodaMatta em 24 de setembro de 2011

Interessante que a Italia é o destino preferido dos travestis brasileiros, e o Brasil, o destino preferido dos bandidos italianos!!

Juca em 24 de setembro de 2011

Esses caras devem ter levado à sério o livro do italiano Domenico De Masi, "Ócio Criativo". No Brasil há figurões que têm até três ótimos empregos, put. salário, mas voce tem que arrumar um sr. QI pra te garantir essa boquinha. Na maioria das vezes são funcionários públicos concursados que além do emprego publ. dão aula em várias faculdades. Há muito sujeito com mestrado que não consegue uma vaga pra dar aula, vamos racionalizar o trabalho. É inacreditável tantas famílias com tantos gênios onde todos passam nos mesmos concursos públicos. Viva o liberalismo, abaixo a inveja dos comunistas. Vergonha é roubar o erário público e dizer que trabalha que nem um burro. Parece que ficamos mais revoltados com os quarentões acima do que com os mensaleiros.

marina silva em 24 de setembro de 2011

Isso é bem europeu,em Portugal conheci UM MONTAOOOOO de estudantes PROFISSIONAIS na Universidade de Coimbra,entram para lá com papá todo ano trocando o carro do miúdo(já bem graúdo...),pagando aluguel,baladas,comida e no final de semana levam TODA a roupa suja para mamá lavar e passar em 2 dias a roupa do "menino".Depois tomam gosto pela vidinha e NUNCA conseguem se formar porque também trabalho prá pagar isso tudo nao há,entao...Em Espanha a mesma coisa conheço marmanjo de 30 anos que la madressita leva café da manha na cama do "niño"!

wilson em 24 de setembro de 2011

Os malandros sabem tudo de sexo grupal, oral, escambau, mas se virar oh! nem pra fazer um ovo cosido, como no mercado não tem mais amélia sobra pro papi e mami ser os serviçais.

Sergio em 24 de setembro de 2011

Com o perdão da palavra...Latino é uma merda. Não generalize, Sergio. E, por favor, não me ofenda, porque sou latino com muito orgulho. Minha família paterna, de italianos, deu um duro danado, começando pelos meus dois bisavôs imigrantes, que saíram praticamente do nada para construir uma vida bonita e próspera. Meu pai, que só tinha sangue italiano, foi a pessoa mais trabalhadora que conheci na minha vida, sem contar sua correção pessoal, sua coragem e outras virtudes que até hoje me inspiram e a seus descendentes.

José Geraldo Coelho em 24 de setembro de 2011

Você quer coisa melhor do que cuequinha limpa e comida da mamãe na mesa. O Brasil tá cheio desses meninões que não estão nem aí. E ainda despejam netos na casa da mamãe. E a mamãezona se desmancha toda. E se o pai ou a mãe adoecem eles querem morrer juntos. "Como é que eu vou viver sem a comidinha da mamãe e o dinheirinho do papai".

JT em 24 de setembro de 2011

Nas periferias das grandes cidades, e nas pequenas comunidades rurais, é comum ver netos morando com pais e avós, tios e agregados. Qual é o problema? A sociedade consumista e secularizada adora indivíduos que moram sozinhos... Pessoalmente, trabalho desde que me formei aos 22 anos. Mas só saí de casa aos 33, casado e com casa própria. Não vai demorar muito e terei que, pelo menos, morar perto de meus pais de novo. Infelizmente o tempo passa para todos e lamento que pessoas tenham que se internar em asilos, pois seus filhos não se interessam mais por elas.

Liz em 24 de setembro de 2011

Affffffff, que ridículo!!

Think tank em 24 de setembro de 2011

Não entendo esses italianos, sempre deu a entender que o bambino ou bambina da mama eram criaturinhas congeladas no tempo, pouco importavam se estavam com 5 ou 50 anos.

*Mari Labbate*44milhões em 24 de setembro de 2011

BAMBOCCIONI são aqueles irmãos irresponsáveis, que aproveitam-se da irresponsabilidade dos pais, que não souberam cultivar a sua autoridade, desde o nascimento dos filhos. Espiritualmente, estão na mesma fase evolutiva. Por isso surgem essas dificuldades. Conhecemos um bamboccio, cuja fixação na figura materna é visível: tornou-se um "Reizinho Mandão", sendo um retirante nordestino. Não é incrível? Quando os filhos são mais evoluídos, saem espontaneamente. Quando os pais são mais evoluídos, usam a sua autoridade, porque existe Hierarquia, no Universo. Essas famílias estão totalmente desconectadas das Energias Cósmicas, visto que não recebem ajuda de seus Anjos de Guarda. Sabe por que o Estado não pode ser laico? Porque necessita de Deus para existir! Remeto-me à questão das cidades abençoadas com nomes de Santos! SÃO PAULO é o mais forte Ponto Energético do Brasil! O nosso irmão Cesare Battisti, representado pelo Pinóquio, no Universo, está tão distante de Deus, que nem percebeu que a Terranostra é o mais forte Ponto Energético do Mundo, em louvor e gratidão a Gesù Cristo. Imagine as dívidas que está criando, a cada dia! Tenho certeza de que descobrirá Jesus Cristo, em sua Vida, de maneira muito especial, SETTI! Se não fosse o Mentor de Luz que acompanha-me, teria perdido a minha FÉ, quando estudava na USP. Descobri, então, que Ciência e Religião não são incompatíveis. Complementam-se, nessa meravigliosa Estrada da VIDA! Essa é a grande Descoberta do Século XXI!

Paultx em 24 de setembro de 2011

Estamos aos poucos voltando ao básico, talvez até um comunismo inteligente, aquele que pode preservar os humanos? Sabe lá!

JCB/RJ em 23 de setembro de 2011

Dolce far niente http://youtu.be/c2RByfHY5AE Letra: mare bagnasciuga carezza che ti bagna fioco di neve cade come piuma sopra la montagna torrente d'acqua da bere con le mani parco cittadino bella ragazza che gioca con i caniospitalitа dolce benvenuto trasformare inmelodia lo strascioco di uno stranuto salute!niente medicine con il mio aeroplano sorvolare sulle tue colline atterrarti morbido sopra letue guance rubo da mogol quella metafora delledue arance ascoltare il padreterno che improvvisa jazz vento sulle foglie che frusciando caccian via lo stesso starsene cosi con in faccia un si fino a lunedi dolce fare niente solce rimandare stare con ipiedei penzoloni guardanso il mondo girareandare andare aspettare dolcemente lґora dimangiare guardare l'erba crescere e l'acqua evaporare tranquillamente all'ombra di unafresca brezza farsi accarezzare dare forma tonda a bolle di pensieri che scoppaiono nell'arianon appena si fan troppo seri o troppo pesistarsene leggeri trasformare le ore in mesicome foglia lungo il fiume dentro la correntedolcemente arresi siiii starsene cosi con infaccia un si fino a lunedi dolce fare niente dolce respirare con il bracciofuori dal finestrino farsi trasportare dalla riga bianca in mezzo al nero delle strade stare come un fiore nella pioggia di quello cheaccade sentir gli odori la merda dei porcili confondersi con il profumo dґerba di infiniti aprili e starsene cosм come non sta chi c'ha da fare con il volante tra le mani e il ritmo che tifa dondolare neinte male dondolare sentirsicome sale silenzioso dentro un grande mare sistarsene cosi con in faccia un si fino lunedi dolce fare niente dolce rimandare dolce far vacanza senza viaggi da organizzare agenzie turistiche suodri d'aeroplano dogane a pizzeriesemore piu uguali piu si va lontano vivere su marte cambiare l'atmosfera respirare ossigeno respirare ossigeno ed espirare pura primavera puraprimavera primavera un due tre giorno i

Quando a mamma fica doente ou já está colocando o pé no esbribo para ir à Estgância do Pedrão... como eles e elas choram... em 23 de setembro de 2011

Eu bem sei e sinto... Um, já consegui que casasse e fosse cuidar da vida em outra freguesia... E a minha merreca de pensão (INSS) cada vez é mais merreca... rsrsrs... (Rir é o melhor remédio!...)

Meirivone em 23 de setembro de 2011

E eu só queria um, libera aí mamma!

Beth Augusto em 23 de setembro de 2011

pareçe mentira

Marco em 23 de setembro de 2011

Amigo Setti: Como diria o filósofo " Não é na maneira q uma alma se aproxima d outra, mas na maneira pela qual se separa dela, q reconheço o parentesco e a homogeneidade com essa outra. Assim é a vida, meu amigo ! Abs.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI