Image
James Ellroy

Com seus quase metro e noventa escarrapachados numa poltrona no palco do Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura de São Paulo, cabeça raspada, óculos redondos, camisa florida, calças claras e tênis preto, o escritor norte-americano James Ellroy – considerado o grande mestre da ficção policial atual – falou a uma atenta plateia em evento mediado pelo jornalista Rodrigo Villela.

Ellroy, 63 anos, teve a infância marcada pelo divórcio dos pais e, principalmente, quando tinha 10 anos, pelo assassinato, nunca solucionado, da mãe – razão de ser de uma de suas melhores obras, Meus Lugares Escuros (1995). Depois de uma juventude turbulenta que incluiu drogas, prisões e muita vagabundagem, ele se se encontrou na literatura. Em São Paulo, explicou, em meio a gargalhadas:

— Sinto-me muito feliz por poder ser escritor, porque sou nervoso demais para roubar, preguiçoso demais para trabalhar e orgulhoso demais para viver encostado na previdência social.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − treze =

1 comentário

Marco em 15 de julho de 2011

Amigo Setti: Tbm estou passando por um sofrimento familiar, não dá para se anular a gente tem q crescer como indivíduo. Abs. Puxa vida, Marco, lamento muito. Espero que as coisas melhorem pra você. Não deixe de dizer como elas andam. Você é um leitor muito especial. Espero que tudo corra bem. Abraço

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI