Jobim deixa escapar que “não teve tempo” de decidir sobre os jatos da FAB por estar em campanha eleitoral por Dilma

Ser falastrão dá nisso.

Na (boa) entrevista que concedeu à Folha de S. Paulo no domingo, 9, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, acabou admitindo que o ex-presidente Lula fez no ano passado campanha eleitoral durante o horário de trabalho, o que é ilegal.

E mais — prejudicou uma importante decisão de governo com isso: a compra de 36 jatos supersônicos de combate para reequipar a obsoleta frota da Força Aérea Brasileira. Estão no páreo o sueco Gripen, o francês Rafale e o americano F-18.

Perguntado pela jornalista Eliane Cantanhêde por que a compra não se efetuou no governo Lula, Jobim não teve dúvidas em dizer:

— O presidente não teve tempo de se dedicar ao assunto, por causa da campanha da presidente Dilma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − cinco =

Nenhum comentário

  • Roberto

    Caro Ricardo, só isto já seria suficiente, em um país sério, para um impeachment e anulação das eleições passadas.
    Aonde estamos ?????

  • gaúcha indignada

    Pergunto: existe Tribunal Superior Eleitoral no Brasil???????????????????????????

  • Luiz Correa

    Admitiu o que todos nós ja sabíamos. Em um país um pouco mais decente do que o Brasil, nem Lula nem Dilma sobreviveriam, como presidente e ministra.

  • Pois é, Setti, se houvesse oposição competente neste pais, o Lula já teria sofrido um processo de impeachment no fim do primeiro mandato. Mas como não há, a gente não só teve que assistir aos abusos cometidos, impunemente, por Lula no exercício da presidência, como ainda continua deparar-se com afirmações despudoradas relativas ao “ex-todo-poderoso” Lula, como essa proferida pelo ministro Jobim.

  • Eduardo Velasco

    …e foi ministro da suprema corte neste país. O Jobim é o tipo de sujeito que a ‘vestimenta’ (política) do momento é a mesma do caráter.

  • Diocleciano

    O ideal seria o Brasil possuir tecnologia própria para fabricação de armamentos para nossa defesa. Mas se isso por enquanto não é possível então devemos agir com inteligência. No caso da escolha desses caças o mais correto a fazer seria optar por adquirir o caça sueco. E isso porque os EUA e a França, que são países fortes no cenário internacional, são nossos potenciais inimigos; e com certeza nos venderia tecnologia “meia boca”.

  • fpenin

    Inacreditável. A que ponto chegou a pobre democracia à brasileira…

  • fábio

    Na imagem o Rafale o gripen estão em locais invertidos…

  • SergioD

    Fábio, só se o Ricardo inverteu a fotos depois que eu entrei, pois o Gripen é realmente o da esquerda. Note que esse avião tem somente uma turbina, enquanto o Rafale tem duas.
    Um abraço

  • SergioD

    Ricardo, a disputa foi adiada mais uma vez. Passaremos para um FX-3. Sempre torci pelo Gripen, mas que dá uma inveja da Venezuela com aqueles Sukhoi SU-30… O Sukhoi SU-35 havia sido oferecido no FX-2, mas ficou pelo caminho no quesito transferência de tecnologia.
    O certo é que a FAB acabará tendo de comprar mais alguns caças usados, como já fez com os Mirage 2000C, para fechar o gap de vida útil de sua frota de interceptadores. Não há pecado nisso. Recentemente o Chile adquiriu um lote de F-16 usados da Holanda, há muito bom preço. Mas para um país com o nosso parque industrial, com uma empresa do porte da EMBRAER, ficar comprando aparelhos usados ou já desenvolvidos é muito ruim. Participar
    do desenvolvimento do Gripen NG permitiria ao nosso parque industrial poder desenvolver nosso próprio avião em futuro próximo como já fez a Índia. Lembre do desenvolvimento possibilitado a EMBRAER quando do projeto do caça-bombardeiro AMX.
    Um abraço

    Tenho procurado acompanhar esse processo desde o começo, caro SergioD, mas o que mais me impressiona em tudo isso é a demora inacreditável do governo em tomar uma decisão. O processo começou em 2001!

    Abraços

  • Silvio

    É fato o que o ministro da defesa alega em relação à demora na decisão sobre a compra dos aviões. Só,que o ministro esqueceu de dizer também, que o ex-presidente viveu nos palanques seus oito anos de mandato esquecendo-se de governar o país.Apesar de tudo isso o Brasil conseguiu crescer nas asas da demanda internacional e nos bons ventos da economia mundial, particularmente no período compreendido entre 2003/2008.

  • carlos nascimento

    Carissimo Ricardo,

    Existe algo de estranho nesse processo todo, isso é fato.
    Agora vamos testar um pouco o “feeling” do seu bom humor, é o seguinte:
    Imaginemos que vc Ricardo, fosse o Ministro da Defesa, depois de vários anos no COMANDO DA PASTA, apresentasse o seu parecer e levasse à Presidente Dilma, com argumentos e seriedade, crente que teria feito tudo certo e, após sua saida do Gabinete ela chamasse o FERNANDO PIMENTEL e desse a seguinte ordem, FERNANDO refaz tudo isso e me traz um relatório que possa me ajudar definir de verdade isso, pergunto ao suposto Ministro Setti:-
    – vc pediria demissão no ato e iria prá casa ?
    – vc ficava quieto e humilhado, esperando a boquinha da Embaixada em PARIS ?
    – vc pegaria o telefone e nessa altura do campeonato ligaria para o AUGUSTO NUNES ou para o molusco?
    Qual dessas respostas é correta.
    Abraços
    Carlos Nascimento.

    Pediria demissão no ato. Sem dúvida. E contaria para a imprensa o motivo.