JÚLIO CÉSAR, HERÓI DA PASSAGEM PARA AS QUARTAS. Mas precisamos jogar mais

Júlio César defende seu segundo pênalti, cobrado pelo artilheiro Alexis Sánchez (Foto: Manu Martinez/AFP)

Júlio César defende seu segundo pênalti, cobrado pelo artilheiro Alexis Sánchez: depois de quatro anos sendo patrulhado, tornou-se o herói indiscutível do embate contra o Chile (Foto: Manu Fernandez/AFP)

Dois pênaltis defendidos em um mata-mata terrível de oitavas-de-finais acabaram terminando de fazer justiça ao goleiro Júlio César, crucificado durante quatro anos como suposto responsável pela eliminação do Brasil da Copa de 2010 na derrota por 2 a 1 para a Holanda nas quartas.

De atuação praticamente sem falhas em quatro partidas na Copa, mostrando segurança, agilidade aos 34 anos e muita garra, Júlio César mereceu desde o início a confiança do técnico Felipão mesmo se encontrando exilado num time de terceira categoria no Canadá.

Ele salvou o Brasil de um vexame descomunal hoje — vexame que, além da má atuação em todo o segundo tempo da partida contra o Chile, e em boa parte da primeira etapa da prorrogação, culminaria com o desperdício infantil de dois pênaltis por Willian e Hulk na hora H.

Ufff…. Fomos salvos de uma eliminação precoce,mas a Seleção precisa voltar a jogar pelo menos o futebol que exibiu no primeiro tempo do 1 a 1 contra o forte, surpreendente Chile desta Copa.

A meta ideal seria atingir o ponto a que o time chegou na final contra a Espanha, na Copa das Confederações: um time que marca o adversário no território dele, dificultando seu jogo, que não rifa bolas para o ataque, e sim faz passes de pé para pé, que usa os laterais com inteligência para atacar mas dispõe de um esquema para proteger estes avanços — e por aí vai.

Um time que tem um esquema de jogo claro, e que sabe executá-lo em campo, enfim.

Esse time, por ora, só apresentou alguns lampejos de estar de volta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 1 =

Nenhum comentário

  • André

    Grande, Júlio César !

  • Antoninho

    Não publico comentários que, mesmo indiretamente, apoiem ou justifiquem o golpe militar de 1964. E, para seu governo, não tenho um milésimo de identificação ideológica com as figuras que você mencionou em seu comentário deletado.
    Não sei onde raios você foi buscar isso.

  • Laerte Concante

    Com certeza, se de um lado ajuda, pois expõe fragilidades a serem sanadas, por outro, o forte desgaste sofrido pode prejudicar fisicamente aos jogadores. Foi um teste muito bom e afirmar que o Brasil não pode superar equipes como a da Holanda, Alemanha, Argentina não encontra sustentação. O time precisa se convencer que é uma equipe e não um jogador assessorado por outros 10. Neymar precisa se entender como parte e não a equipe toda, ele não tem toda responsabilidade pelo resultado e não pode se deixar ser manipulado pela cobertura da mídia. Não se pode também esquecer que este jogo foi trabalhado pela reportagem chilena dias antes de acontecer com todos acontecimentos negativos sendo usados para pressionar a FIFA e a opinião pública contra a arbitragem nos jogos do Brasil, talvez isso tenha sido a OU NÃO, o motivo da arbitragem do Sir Howard Webb ter sido MANCHADA por vários erros prejudicando o bom andamento da partida e o time da Casa, prejudicando anos de bom trabalho e seu nome dentro da comunidade internacional. Uma arbitragem medíocre desta, não se esconde, nem se esquece rapidamente. O time chileno volta para casa derrotado no campo e na honra. Quanto a Júlio Cesar, o Brasil sempre contou com um leque de atletas respeitável o que até dificulta a escolha dos técnicos e Felipão sempre mostrou que escolhe não apenas pelas qualidades profissionais, como pela confiança e respeito que o atleta transmite a ele.

  • carlos nascimento

    Viva o travessão do Mineirão…………

  • Vaulber B. Pellegrini

    “Ele salvou o Brasil de um vexame descomunal hoje”…
    não é esse Brasil $eleção que eu quero que salve e sim o meu país!!!!! Mas parece que é mais importante a $eleção!!!

  • Antoninho

    Ok, desculpe entao, se nao faz sentido. Voltamos ao futebol. Jogo tipico do Felipao, feio e de resultado. Putz, q GOLACO do James Rodriguez. Agora, Q armador clássico…

  • Meia Verdade

    Não precisamos jogar mais….mas…MUITO MAIS.

  • Luiz Pereira

    Setti, boa noite,
    Jogar mais? Para tanto é preciso entrar em campo.
    Temos um time de chorões. O capitão é o reflexo de todo o time.
    abs

  • Sandro

    Ave Cesar!
    Julio Cesar: Veni, vidi, vici!
    Hoje foi Julio Cesar e mais dez!

  • Paulão

    Prezado Setti.
    Acho que nem o Felipão está levando muita fé de a seleção ser campeã;
    Em quase todas as vezes que a câmera da tevê focava nele, dava para notar seu desânimo e sua impaciência com o time, bem diferente de suas atitudes na copa de 2002 (penta!)
    …………….
    Ou talvez seja o peso da idade. E disso eu entendo, pois também já fui velho, hehe…
    (desculpe se sair repetido)

  • Debora

    Esta cada dia mais lindo! A idade cai bem para poucos homens. Aliás, muito poucos…

  • Debora

    Duas na trave. Luciano do Valle estava lá! Saudades demais daquela voz.

  • Debora

    kkkkkkk. Cartão vermelho para o comentário do Antoninho. Quase morri de rir!

  • jfaraujo

    Ta doido, que sofrimento, eu hein. Mas sou flamenguista sofredo, já to acostumado com isso…

  • Luiz

    Rara sorte,mas até quando?

  • JT

    A Copa da FIFA no Brasil está sendo uma festa bonita e bem jogada dentro de campo. A imprensa mundial está curtindo o campeonato em ritmo de férias num país exótico para eles.
    O grande porém, é que aqueles que superfaturaram os estádios – e aqueles que desejam colher dividendos políticos deste evento – apostavam nisso desde sempre. Então é preciso separar as coisas.
    O futebol, como esporte, é bonito e apaixonante por causa do apelo mitológico que algumas partidas imprimem nos torcedores. As vezes devemos nos permitir um desarme para curtir uma decisão, como foi Brasil e Chile.
    O grande herói do dia foi o goleiro Julio Cesar, com todos os méritos. Foi uma batalha redentora para ele, com defesas difíceis e dois pênaltis agarrados. Ele, mais do nunca, precisava disso depois da derrota do Brasil na Copa da África.
    Com vários jogadores de linha bajulados pela mídia em geral, Julio Cesar era o único com algum tipo de questionamento, por treinar num time do Canadá e por ter falhado contra a Holanda. Hoje ele calou a boca de muita gente. A minha, inclusive.
    O técnico Felipão parece ser um especialista em redimir jogadores. Ele fez isso com o também goleiro Marcos em 2002, depois de um frango que tirou um título mundial do Palmeiras em 1999, ao caçar borboletas num cruzamento.
    Scolari apostou em dois jogadores machucados e estropiados naquele ano, que foram cruciais para o Brasil conquistar o penta: Rivaldo e Ronaldo. Pessoalmente tenho restrições com o Fenômeno, mas ele foi um grande herói naquela Copa.
    Hoje porém, o time do Brasil mostrou muitos defeitos. Se tecnicamente eles são realmente os melhores que poderiam ser escalados – isso ninguém contesta – dentro de campo eles não rendem em função de fatores psicológicos.
    O esportista brasileiro precisa ter mais equilíbrio emocional e um pouco de frieza. Nossos jogadores alteram momentos de apatia com aquele nervosismo sem reação, e isso tira a liga e a confiança do grupo.
    O Felipão não é bobo. Ele escolheu David Luiz para bater o primeiro pênalti pois ele é um dos poucos homens da seleção com a cabeça no lugar. Na primeira cobrança o cara não pode tremer.
    Se o Brasil está classificado, não vejo o time com cara de campeão. Pode até acontecer, mas será nos trancos, barrancos e palafitas sobre a várzea alagada do rio. Para quem não pretendia mais escrever sobre futebol, paro por aqui.

  • Carlos Eduardo Krass

    Ah, aquela música o acaso vai nos proteger se aplicou ontem. Mas, não se iludam aqueles que pensam que tudo está bem. Como pode uma equipe almejar o campeonato, se todos, e principalmente o técnico, se abraçam e choram feitos crianças? Não pode ser essa emoção toda. Na sexta feira talvez passe; mas depois, com França, Holanda e qualquer outro, duvideodó, passa não.

  • danilo

    VIVA O FUTEBOL DA COLOMBIA, ALEMANHA COSTA RICA e HOLANDA.

  • Carlos Eduardo Krass

    Olhem o céu e o abismo de um dia para outro. Aquele mordedor uruguaio, foi endeusado pela mídia essa semana, esquecendo-nos todos que ele tem péssima reputação na Europa, por destempero mental. Pois, no jogo seguinte o destrambelhado morde um oponente e virá zumbi de um dia pro outro. Agora, Julio César: um pouco antes de se sagrar herói, o bicho tomou um frangaço daquele armador chileno; a bola passou ao lado dele. Em seguida, defendeu um balaço à queima-roupa e esquecemos da falha anterior. Se perdermos na próxima, tenham certeza, passará direto sem escalas para o ostracismo. Tudo é emocional para essa gente, incluindo-nos, todos nós brasileiros nisso.