Image
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, com Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central e novo filiado ao PSD (Foto: Prefeitura de SP/Divulgação)

Bobo não é, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Que barulheira está fazendo seu novo-velho partido, o PSD!

A possibilidade de o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, recém-filiado ao PSD, candidatar-se à Prefeitura de São Paulo é um golpe — no mínimo publicitário — formidável.

O prefeito, com sua cara desamparada de meninão grande, está conseguindo, com seu partido bionico, formado por trânsfugas de outras legendas, embaralhar a sucessão na maior cidade do Brasil.

Ele veio para confundir, não para esclarecer, como dizia o Chacrinha.

Vejam só: Kassab, sempre que pode, diz ser favorável à candidatura a prefeito em 2012 do ex-presidenciável José Serra (PSDB). Serra já cansou de repetir que não será candidato. Ainda ontem fez isso.

Quando não fala em Serra, diz que é “natural” uma aliança do PSD com os tucanos. (Se assim for, por que teria saído do DEM para fundar um novo partido? Ah, para “ajudar” a presidente Dilma, num partido que chegou a definir, com raro brilho, como “nem de esquerda, nem de direita, nem de centro”. Eu já tinha me esquecido…).

Ao mesmo tempo, chegou a declarar que “apoia” uma eventual candidatura do seu secretário do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge.

E, de repente, recebe de braços abertos a Meirelles, vindo do PMDB e, sem dúvida, um belo nome: ex-executivo de banco muito bem sucedido, respeitado presidente do Banco Central, ligado aos tucanos (foi eleito deputado pelo PSDB de Goiás antes de assumir ao BC, razão pela qual renunciou ao mandato)…

O fato de não ser de São Paulo e não estar radicado na cidade — onde, porém, já viveu por vários anos — não deve ser problema, caso Meirelles decida se candidatar.

Mas aí ele vai tirar votos, e não poucos votos, muito provavelmente do candidato tucano, seja ele quem for.

E ajudar o PT, que os tucanos pretendem manter o mais longe possível do Palácio Matarazzo, sede da Prefeitura.

Qual será a do prefeito?

Um doce a quem responder.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 10 =

Nenhum comentário

Betan em 11 de outubro de 2011

O PSDB vai segurar a prefeitura por mais essa eleição.

carlos nascimento em 10 de outubro de 2011

Ricardo, Dá para ganhar o "brigadeiro" ? Como vc analisa a posição de Serra no tabuleiro do xadrez ? Vc ainda acredita que Serra + Aécio irão jogar em mesmo time ? Dos candidatos abaixo, em quem vc aposta suas fichas para Prefeito de SP: - Afif - Meirelles - Marta - Hadadd - Paulo Pereira - Netinho - Um novo nome Vamos lá, ajude a aquecer o jogo. Abraços Carlos Nascimento.

*Mari Labbate* EMAS44 em 09 de outubro de 2011

PSDB + PSD = LIBERDADE! AGORA sem o /S/! O EMAS44, Movimento dos Eleitores Mais Atentos, afinal, somos 44 milhões de cidadãos indignados: possui como objetivo livrar o País das garras desse terrível comunismo, que luta apenas pelo poder, sem qualquer Respeito e Amor à Pátria. Queridos, descobri que JÁ podemos falar "comunistas" e "sou de DIREITA", apesar das intensas Forças Contrárias! Não é maravilhoso, caro Augusto Nunes! Devo essas conquistas a esses valorosos jornalistas da Revista VEJA, que abriram-me esse lindo espaço. O próximo passo é fortalecer o PSDB, sem o /S/, e o PSD, sem o /S/, porque o nosso objetivo é construir uma REAL DEMOCRACIA, sem comunistas, visto que qualquer extremismo conduz ao fracasso! Devemos confiar no Prefeito de SÃO PAULO, Gilberto Kassab, e em José Serra, cujo nome conduziu-nos ao nosso atual SUCESSO. Como todo Processo de LIBERTAÇÃO necessita de Tempo e Luta, podemos ficar esperançosos e certos de que a Justiça Divina será feita. Somente DEUS conhece os Caminhos da Vitória! Não adianta espernearmos, pois "ELE escreve certo por linhas tortas"! SETTI, o nosso próximo Prefeito é de SÃO PAULO! O Palácio Matarazzo assistirá, ainda nesse ano, as GLÓRIAS dessa Terra Bendita. O Partido de Kassab realmente surgiu, para embaralhar as cartas disponíveis, no Jogo da Vida, e apresentar NOVAS POSSIBILIDADES! Coincidência: PSD é tão biônico, quanto a "presidenta" da República! Concorda, que ela resultou de um GOLPE do "Senhor das Trevas"? E ainda chamam a Competente Imprensa Brasileira de PIG?

Corinthians em 08 de outubro de 2011

Setti, Acho que o Meirelles tiraria votos do candidato petista também, afinal foi Meirelles o cara do BC durante o governo de Lulla. Agora terei que concordar com Caps. Tivemos também a criação do PPL. O PPL é um partido com que representatividade ? Será ele de "direita, centro ou esquerda" ? As 500 mil assinaturas deste partido estão OK ? Realmente concordo, usando do que diz Reinaldo Azevedo, que foi dada muita importância para o PSD e esqueceram de reclamar com quem realmente cauisa problemas - partidos sem representação e irrelevantes como PHS, PPL, PCO, PMN, etc. O PSD nasceu com representação e se necessário, é dever dos eleitores avaliar sua atuação e votar em seus quadros ou não. Caso Não consiga votos, que seja mandado à irrelevância também.

carlos nascimento em 08 de outubro de 2011

Ricardo, Com a filiação de Meirelles o tabuleiro está posto, o PSD será o fiel da balança, seja em 2012, como em 2014, quem quiser pode anotar e conferir lá na frente, vai ficar mais ou menos assim: Kassab - É candidatíssimo ao pleito de 2014 ao cargo de Governador de SP, irá brigar com Geraldo, vai tentar trazer Serra para o PSD. Meirelles - É o ás que ficará na manga da camisa para qualquer eventualidade. Pode vir a ser candidato a Prefeito já em 2012, vai depender da posição que Afif tomar, se Afif continuar ao lado de Geraldo vai dançar, ai entra Meirelles na vaga, o jogo será parada dura, mas já antecipo o meu voto, votarei em Meirelles. Se Afif mudar de parceria e aceitar a combinação, a formação do jogo será apoiar Afif para Prefeito, ficando Meirelles no banco de reservas para 2014, como candidato a Presidente ou Vice-Presidente, ai já vai depender da outra peça do tabuleiro, no caso José Serra. Serra - Ou passa a ser "respeitado" pelos "cardeais vaselina" do PSDB, ou desembarca do ninho tucano, embarcando na nau do PSD, será uma decisão difícil, porém inevitável, não vejo jeito de Serra se reconciliar com Aécio+Tasso+Guerra. Serra é o mentor nos bastidores da movimentação de Kassab, não se enganem, isso foi planejado logo após o primeiro dia das eleições de 2010, lembre-se da frase enigmática do Serra, "um até breve". Kassab tem várias opções ao seu projeto, inclusive, se Serra não topar sair do ninho tucano, poderá coligar com o PT para 2014, não terá a menor vergonha em fazer isso. As eleições em SP para Prefeito serão emocionantes, como também decisivas para o xadrez de 2014. Agora é esperar para conferir. Carlos Nascimento.

Luis R N Ferreira em 08 de outubro de 2011

Vou tentar formular uma hipótese entre as inúmeras respostas possíveis. José Serra está por trás da criação do PSD. Depois da derrota na eleição presidencial, viu-se no pior dos mundos. Perdeu totalmente o espaço no partido a nível nacional e no âmbito estadual, a máquina partidária passou a ser controlada pelo grupo rival que fatalmente lhe restringiria os passos. Kassab lhe deve a alavancagem política e a importante posição de prefeito da capital e por aí se criou um caminho. Hoje a bancada do PSD na Câmara Federal é maior que a do PSDB e tornou-se um partido com força e de presença obrigatória em toda negociação política. Elementos que podem comprovar a hipótese seria a proximidade evidente do PSDB serrista inclusive os esforços de composição para a próxima eleição na Capital. Se comprovada a hipótese, Serra se coloca novamente no jogo para 2014 e Kassab ganha musculatura política.

Caps em 08 de outubro de 2011

Essa implicância com o PSD já passou do ridículo. Todos os novos partidos começam com "trânsfugas" de outras legendas. Que coisa óbvia! Foi assim com o PSDB, formado por "trânsfugas" do PMDB. Foi assim com o PFL, fundado por "trânsfugas" do PDS. Seriam estes partidos "biônicos"!? Dizer que o PSD só veio "para ajudar o governo Dilma" é uma outra crítica bobinha sua. Se há um partido que mais ajudou o lulalato foi o PSDB, com sua palermice, esquizofrenia ideológica e incapacidade de defender o próprio legado. Seu candidato em 2002 dizia representar a "continuidade sem continuísmo"... em 2010, pasmem, disse a mesma coisa: "continuidade sem continuísmo"! Levou até o Lula para lhe fazer companhia numa favela cenográfica. Como explicar isso para o eleitorado? Ah, isso ele não fez!

Luiz Alberto em 08 de outubro de 2011

Boi-de-piranha! Vai se prestar a isso, Meirelles? Bom, para quem foi eleito pelo PSDB e tornou-se presidente do Banco Central no governo de quem era opositor. Pensa em um homem de cheio de ideais: PSDB-PT/PMDB-PSD, mas poderá ser também PCdoB, PSTU...claro, desde haja tutú... Vote em Henrique Meirelles e eleja um petista... .

Diocleciano em 08 de outubro de 2011

Essa eleição será ganha pelo PT. Dilma e Lula não pouparão esforços para eleger o candidato petista. As pesquisas apontam nesse sentido. Basta que o PT lance o candidato certo. Com isso o caminho rumo os Palácio dos Bandeirantes ficará mais curto. E se isso acontecer, será o FIM DO TUCANATO.

José de Araújo Madeiro em 08 de outubro de 2011

Ricardo Setti, Repassando para você: O discurso de Dilma no exterior é simplesmente para atingir o público interno. Quer mostrar serviço e vender uma imagem do que não somos, nem temos. Financeira, tecnologica e socialmente, conforme os índices internacionais, estamos entre os piores. Tentando esbanjar dinheiro, ajudando financeira e politicamente países subdesenvolvidos, governados por ditadores, corruptos, populistas e sanguinários. Também tratando todos brasileiros de otários, sem solução para nos problemnas internos e procurando exercer uma liderança mundial. Onde e quando? Estamos aplicando dinheiro e apoiando ditaduras de países subdesenvolvidos e pobres. Para que? Para ocupar posições hegemônicas no contexto internacional? Aliados às ditaduras? Que inteligência são esses caras do PT e ainda pensam que o Brasil é país de idiotas, prontos para sustentar financeira e politicamente o terceiro mundo. Onde faltam os principais meios de desenvolvimento, tais como democracia, liberdade e escola. Assim são discursos, também os da Dilma, para consumo interno, para uma nação com elevado percentual formada por uma massa ignara e eleitora do PT. Essa copa do mundo vem como uma luva, para manutensão do pão-e-circo dos tempos do Nero, do império romano, cujos investivementos serão elevados, desviados e desnecessários, com fins e objetivos do Projeto do PT. Att. Madeiro

cleide bragliollo em 08 de outubro de 2011

Caro Ricardo Será que eu ganho esse doce? Rezo para estar errada, mas tenho a impressão de que Kassab pretende dominar São Paulo e, ao mesmo tempo - conseguindo o que nem mesmo Lula conseguiu – quer transformar capital e estado em aliados a um governo federal petista, junto ao qual, nesta circunstância, Kassab passará a ser uma figura fortíssima. Senão vejamos: - Ele deduz que Dilma, se estiver forte ao final de seu governo, se reelege. E que a opção a uma situação adversa a ela, seria Lula. Logo, o PT não largará o osso federal em 2014. - Para a prefeitura de São Paulo ele não usará Meirelles (até porque este sonha um pouco mais alto). Tentará se aliar a Alckmin (tão pragmático no seu sonho presidencial, que acabará por quebrar a cara) para eleger um nome de consenso, fortalecendo a posição do PSD na cidade. - Meirelles ficará reservado para concorrer ao Governo do Estado em 2014. Isso sim seria ter um nome forte e novidade ao mesmo tempo. Se uma parte disso der certo - e na chefia de uma bancada de deputados que caminha a passos largos para ser segunda – Kassab será um dos homens mais cortejados pela República lulista de resultados... QUANDO SERRA, PARA VENCER ALCKMIN EM 2008, ALÇOU KASSAB DO QUASE ANONIMATO À PREFEITURA DE SÃO PAULO,MAL PODIA PREVER QUE ESTAVA CHOCANDO O OVO DA SERPENTE. Hoje, Serra silencia, mas ele nos deve uma explicação: o que ele pensa do fato de seu pupilo ter se tornado numa das coisas mais lamentáveis surgidas na política nos últimos tempos? Não quero acreditar que ele se imagine candidato à presidência em 2014 pelo PSD...

Kitty em 08 de outubro de 2011

Olá caro Ricardo, Bem que eu queria ganhar o doce,mas,é muita areia para o meu camiãonzinho, para esta sagaz jogada política, do nada, sonso Kassab.No entanto, para não ir a dormir sentindo-me uma frouxa, vou arriscar um palpite:Sendo já a terceira maior bancada, o PSD do prefeito de São Paulo poderia-se tornar o fiel da balança entre PSDB e PT nas eleições 2012 para prefeito.Embora,que Meirelles deixou o PMDB e afiliou-se ao PSD de olho na Prefeitura paulista,e em um possível segundo turno, Kassab e seu novo-vetusto partido, a quem apoiariam Haddad ou Marta Suplecy do Pt ou Henrique Meirelles? Sendo que o PSD tem afinidade com os tucanos e, estes, a quem prefeririam Haddad ou Meirelles que já foi do PSDB? Ricardo,só foi um palpite meio louco,tá? Espero que outros leitores descubram e ganhem o doce que eu não conseguí, mas fiquei com água na boca,rsrsrs! Um abração/Kitty

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI