Image
Esta foto é de Lady Gaga em carne e osso. Veja abaixo o vídeo com a fabricação de um clone perfeito da estrela

Amigo do blog, o vídeo abaixo mostra a feitura de uma das estátuas de cera de Lady Gaga para o famoso museu de Madame Tussauds de Londres — há outros doze espalhados pelo mundo.

O vídeo é narrado em inglês, mas você não precisa se preocupar em prestar atenção ao áudio porque descrevemos agora o processo, por suas etapas. Baseando-se em fotos de corpo inteiro e tamanho natural da estrela, tudo começa com uma armação metálica. Um escultor preenche essa armação com argila e vai moldando o corpo, enquanto outro, em separado, trabalha na cabeça.

Da argila faz-se um molde de gesso. Este molde serve para fazer a figura em cera. Os olhos são de acrílico, polidos até o que se obtenha um brilho que os faz parecer verdadeiros. Os dentes, também de acrílico, são exatamente calcados nos dentes da foto grande.

Vários tipos de artistas trabalham na escultura, desde escultores e pintores até costureiras e sapateiros, além de maquiadoras. A roupa é feita sob medida para a estátua, os sapatos também. A estátua recebe também as taguagens que Lady Gaga leva no corpo, e é maquiada no estilo da estrela.

Os fios de cabelo, misturando naturais a artificiais, são colocados um por um.

O resultado final é incrível: a estátua parece uma pessoa viva. Confira:

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × dois =

7 Comentários

Teresinha em 25 de dezembro de 2011

Legal ver todo o trabalho, desde o início, precisa de uma boa equipe. Lady Gaga é um personagem interessante para esse tipo de escultura, além do tipo delgado é extravagante.

Gerson em 24 de dezembro de 2011

“Um dos interlocutores mais importantes nos debates sobre o destino do pensamento político de esquerda”, S. Zizek ("namorado de Lady Gaga"), atualmente o comum dos comuns, que habita as páginas do site do PCdoB, PT e de outros sites de comuns é autor de vários livros lançados no Brasil e que mantém “forte amizade” com a patricinha da classe alta de Nova York Lady Gaga, uma das 5 pessoas mais bem remuneradas do mundo. Em “Em defesa das causas perdidas” Zizek compara o arrastão no Rio de Janeiro há dez anos atrás com a Revolução Francêsa . O pânico que tomou o Rio quando uma muldidão desceu das favelas e começou a saquear e a queimar supermercados da cidade, ele chama de “violência divina” o outro nome da “ditadura do proletariado”. (Qual a origem desse ódio pelos cariocas? O Rio é por acaso uma Maria Antonieta da da história da humanidade?) Mas, esse é o sonhado projeto “inumano” ou “humano, demasiadamente humano” do terror revolucionário. Uma das principais estratégias dos comuns é dominar zonas de exclusão, territórios onde o Estado, não se intromete, vivendo às margens da lei, por exemplo o Morro do Alemão no Rio e a USP em São Paulo. Estudantes (”classe simbólica” progressista) e favelados (traficantes, elite dominante dos morros) são considerados o novo proletariado e alvo da “nova esquerda revolucionária”. O terror entende que os necessitados da sociedade de hoje não são mais os operários e que o capitalismo se encarregou de criar “locais de resistências” – as favelas – uma “nova forma de apartheid”. Cita o BRASIL, China, Índia e México, cidades em que a maioria da população urbana é favelada, “população fora do controle do Estado, que vive em condições meio fora da lei”, “o novo proletariado”, “as sementes do futuro”. Agentes em potencial para a revolução, pois não têm nada a perder, são “mortos-vivos”. (Favelas são uma massa homogênea de despossuídos de bens materiais? O materialismo, em si por si, salvará o homem? Bem!, deve ser para um novo rico acostumado a frequentar altas rodas e manter um relacionamento com uma burguesissíma da classe alta de Nova York. Atenção, “o poder do estado abre mão do direito de exercer disciplina e controle totais por achar mais apropriado deixá-lo viver numa zona crepuscular”, habitam “territórios liberados” onde o “domínio do Sistema é suspenso… é isso que torna as favelas tão interessantes… são domínios fora do Estado de direito”. (Percebam o perigo de certas verdade). A USP, o morro do Alemão, a IMPUNIDADE são territórios interessantes enquanto o estado, representado pela PM, estiver longe dos domínios desses fronts, onde o controle da lei se torna suspenso. O estado abrindo mão de um controle e coloca o mesmo à disposição de um grupo que não está legitimado a dispor do poder nem do uso da força física. Territórios ocupados pelas FARC, na Colômbia, são um exemplo onde não há nenhuma manifestação formal ou material do poder estatal, ou seja, o ordenamento jurídico colombiano encontra-se suspenso. ******************************************** PS: “Polícia da Colômbia está investigando as alegações de que o traficante brasileiro Fernandinho Beira-Mar tem ligações com os rebeldes de esquerda que atuam em território colombiano”. O terror mantem algum projeto político secreto com os traficantes brasilerios ou a coisa morre na grana? Na página do deputado Rui Falcão (PT) há um post que diz “Zizek: o casamento entre democracia e capitalismo acabou. O filósofo e escritor esloveno Slavoj Zizek visitou a acampamento do movimento Ocupar Wall Street, no parque Zuccotti, em Nova York e falou aos manifestantes. “Estamos testemunhando como o sistema está se autodestruindo””. Fico pensando se o deputado do PT tb é a favor das idéias escritas em “Em defesa das causas perdidas” ou ignora que o outro chama de “vingança divina” a violência que tomou conta das ruas do Rio há dez anos atrás? O poeta esloveno é o Outro do PCdoB? O que ele tem a nos dizer de São Paulo? O que dizer de “os “cidadãos globais” dessas áreas isoladas não seriam o verdadeiro contraponto dos que moram em favelas…? Na verdade, são os dois lados da mesma moeda,… A cidade que melhor personifica essa divisão [de classes] é SÃO PAULO, no Brasil, que ostenta 250 helipontos em sua área central. Para evitar o perigo de se misturar com gente comum, os ricos de São Paulo preferem usar helicópteros… temos a impressão de estar numa megalópole futurista do tipo em que se vê em filmes como Blade Runner ou O quinto elemento…”. (Será que Lady Gaga e Zizek frequentam lugares comuns de gente comum e viajam de ônibus ou de 2a classe quando vão para Ibisa ou Malorca, ou mesmo quando vem para lançar seus livros no Brasil? Há uma certa hipocresia no ar nessa preocupação pela igualdade da condição humana concorda?).

Pedro Otávio Rocha Marques em 22 de dezembro de 2011

Nossa,essa estátua feita em cera ficou perfeita,idêntica à Lady Gaga.É preciso ter muito talento para criar algo tão bem feito.

Lilika Bueno em 22 de dezembro de 2011

Lindo trabalho, fica assustadoramente perfeito!!! Já que não tenho oportunidade de tirar uma foto com Lady Gaga poderei tirar uma foto junto a estátua.

Gerson em 22 de dezembro de 2011

Quanto ao trabalho mostrado no vídeo é sensacional. O mundo está pelo menos uns 20 ou mais anos à frente do Brasil em produzir coisas com técnica e gosto pela perfeição e pelo belo. Estado da arte!

Rodrigo Faccio em 22 de dezembro de 2011

Eu não achei que ficou igual

Gerson em 22 de dezembro de 2011

A patricinha da classe alta de Nova York Lady Gaga, uma das 5 pessoas mais bem remuneradas do mundo, mantém “forte amizade” com o internacional Zizek "um dos interlocutores mais importantes nos debates sobre o destino do pensamento político de esquerda", atualmente o comum dos comuns do ideário terrorista brasileiro, que habita as páginas do site do PCdoB, PT e de outros sites de comuns, autor de vários livros lançados no Brasil. Traço esses comentários porque Zizek compara o arrastão no Rio de Janeiro há dez anos atrás com a Revolução Francêsa. Será que Lady Gaga tem a mesma opinião? Lastimável!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI