Leitor reclama que Receita confere tratamento humilhante ao contribuinte. Se você tem reclamação semelhante, envie seu comentário

"Na Receita Federal, o tratamento aos contribuintes é, sistematicamente, humilhante!" (Foto: Priscila Forone / Gazeta do Povo)

“Na Receita Federal, o tratamento aos contribuintes é, sistematicamente, humilhante!” (Foto: Priscila Forone / Gazeta do Povo)

É grande o número de leitores do blog que se queixam da forma pela qual a Receita Federal — impecável quando se trata de cobrar tributos e forrar os cofres do governo federal — trata o cidadão contribuinte.

As reclamações incluem falta de informações a quem tem algum tipo de processo em andamento na Receita, dificuldade em falar pessoalmente com funcionários, autoritarismo, descaso e demora inexplicável no pagamento ou na devolução de dinheiro nos casos em que o contribuinte tem ganho de causa em recursos administrativos e por aí vai.

O mais recente, um comentário curtinho e furioso do leitor Pierre, que vocês podem ler abaixo, resolvi transformar em Post do Leitor para que outros amigos do blogs inconformados façam o mesmo e encontrem um canal de expressão aqui no blog.

A identidade dos leitores interessados em narrar suas más experiências com a Receita será preservada.

Post do leitor Pierre

Post-do-leitor63Otários, mesmo, são os cidadãos contribuintes, que são obrigados a usar os serviços da “Republica Autônoma e Independente e prepotente da Receita Federal de Banânia”!

Que o digam aqueles que tentaram usar o site para agendar um atendimento nas refrigeradas e luxuosas agencias da Receita Federal.

Ou que, para poderem ser atendidos, enfrentam filas para conseguir uma mísera senha (limitadas por dia porque, enquanto todo mundo trabalha dez, doze, catorze horas por dia, os “otoridades” da Receita Federal, nas agências, atendem só até o meio-dia).

E o contribuinte que se dane com seus compromissos!

E a alegação, sempre, é por causa do sistema!

E tratamento aos contribuintes é, sistematicamente, humilhante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − doze =

Nenhum comentário

  • Marco

    D. Setti, desde da chegada dessa turma sindical do PT ao poder , fora ainda CF/88. Isso virou o pior atendimento possível, é uma das coisas mais anti-social q existe, ou melhor q não existe.Essa turma vive em mundos alternativos e ineficientes, tem pavor de fazerem qq tipo de processos. A verdade é essa, são incapazes e tem horrores em servir o público. E ainda te olham com cara de nojo e te mandam de volta no camburão pela lei 331. Essa ramificação de gente é controlada pela CUT e pelo PT. Mas Don Setti, vamos através do Blog, tentar alterar isso, exigindo um mecanismo de DIREITO DO CONTRIBUINTE. Conta comigo.
    Abs.

  • You Know Who I Am

    Parte do meu serviço é regularizar documentação de imóveis e por vezes eu precisava ir até um posto da Receita Federal. Contratei um senhor para me representar, pois o serviço é bom para ele e para mim.
    Pois bem, antes do Carnaval ele madrugou e foi até o posto da Receita da nossa região, para ser um dos primeiros na fila para retirada de senha. Naquele dia o atendimento ao público estava cancelado e uma funcionária explicou que o posto reabriria dias depois do Carnaval.
    Ele voltou no dia combinado, duas semanas depois, e não foi atendido: recebeu uma folha xerocada (mais cinza que fundo de churrasqueira, que poderia ter sido entregue duas semanas antes) com os procedimentos para agendamento via Internet.
    O senhor veio até o meu escritório e tivemos que decifrar o passo a passo para conseguir chegar no link de agendamento, o que só foi possível marcar para uma semana após. Ou seja: quase um mês de atraso para ser explicado ao cliente.
    Agora experimente atrasar em apenas um dia uma guia de pagamento do INSS da obra, para ver o que acontece…
    Verdade seja dita: muitos atendentes da Receita Federal são atenciosos e educados com o público, mas em compensação tem alguns que se sentem parte de uma casta superior, e de fato são.
    Cidadão de segunda classe é quem não passa em concurso e insiste em trabalhar na cadeia produtiva da sociedade, para alimentar os parasitar que dominam as repartições públicas, com as honrosas exceções.
    Se era um desabafo que a coluna queria, aqui está ele! Abraços!

    Obrigado por sua cooperação, caro amigo.
    Será considerada para Post ao leitor.
    Abração!

  • nena

    Estou 100% com o Pierre. O atendimento só se dá depois de uma via crucis interminável. Outra coisa: sei que estamos na era da informatização mas nem todos conseguem manejar bem os caminhos, principalmente os mais velhos, que neste caso enfrentam dificuldades ainda maiores. Só há atendimento até ao meio-dia e o telefone de atendimento ou não é atendido ou dá ocupado. O resultado é a espera, a impotência, a exclusão, humilhante. Mas são muito eficientes na avaliação da declaração, capazes de levar anos para checar um recibo de valor merreca.

    Obrigado por sua cooperação.
    Será considerada para Post ao leitor.
    Abração!

  • Marcos F

    Ricardo Setti, a Receita me deu um grande golpe esse ano. É o segundo, mas desta vez me estrepei.
    1º caso (que continuará no 2º
    Meu pai morreu em 2005. Em 2006 houve o inventário (rápido e bem feito). Em 2007 declaramos o espólio constando um aluguel até a data do sacramento do espólio (Abril), e o restante dividido entre eu e minha irmã (herdeiros). Em 2012 contestaram essa divisão. Levamos 3 meses para solucionar tudo – e tudo estava correto e em ordem.
    Depois de tudo bem explicado e aceito, quiseram inventar uma outra história. Não aceitavam sair sem nada. “- Mas e esses direitos autorais aqui meio …”. Juro, sai cantando minha música mais famosa, e no final muitos cantaram junto. Acabou em festa.
    2º caso
    Em Janeiro de 2014, para vender um imóvel, tivemos de fornecer uma negativa do IR nossa e dos meus pais. Não deram. Por quê? Porque meu pai devia 10.000 de multa por não ter pago o imposto referente àquele bendito aluguel (do 1º caso – tudo declarado, pago e revisado), e que o caso já havia passado do prazo porque não acharam meu pai!
    Eu e minha irmã fomos de-cá-pra-lá como loucos procurando com quem falar (sempre nos mandavam a outro lugar), até que minha irmã, inventariante foi terminar na Rua Augusta. Final: “- Ou paga ou não leva. Não daremos a negativa se não pagar. E olha aqui: nem tente reclamar porque não vai receber de volta. Quando passa do prazo, perdeu!”.
    Nós pagamos 10.000 roubados, por nada.
    Meu advogado disse que não precisávamos pagar, mas os compradores do imóvel tinham outras prioridades que nos aconselhavam a torrar nosso dinheiro.
    Bem: ainda não terminamos essa novela, mas … acho que a Dilma quer fabricar dinheiro.
    (qq. coisa, tudo documentado)

    Bah, que história! Só não entendi, caro Marcos, a história dos direitos autorais.
    Você poderia explicar melhor em outro comentário?
    Um abraço

  • João

    Setti boa noite, em 2009 cai na malha fina da Receita Federal,porque a empresa que pertenço cometeu um equivoco, com meu comprovante de rendimentos; eu declarei em princípio de abril de 2009, em novembro do mesmo ano fui intimado a pagar uma multa de quase 1.000 reais, sendo que a referida declaração não havia nem saído dos bancos de dados da Receita, fiquei assustado e ajustei um advogado que impetrou um recurso comprovando que a minha declaração estava correta e o que a aconteceu foi um erro de informação da empresa. Este ano faz 5 anos que aconteceu o fato, no entanto, a Receita debruçou em silêncio sobre meu processo ou recurso, nem si quer, deu uma satisfação para este contribuinte. Até porque, para cobrar multas a Receita é célere, mas para reconhecer um direito do cidadão eles cumprem o tempo de 5 anos e tudo isso embaso em lei do Governo Federal, lei essa, que não respeita,os direitos da pessoa física ou jurídica…


    Obrigado por sua cooperação.
    Será considerada para Post ao leitor.
    Abração!

  • Bruno Sampaio

    A única coisa que funciona no Brasil, funciona pela metade, só na hora de cobrar!
    Eita paizinho de mi*rda!

  • Leila T. Toutain

    Após muitos anos fazendo minhas declarações de imposto de renda, pela primeira vez, aos 63 anos, a restituição à qual tenho direito, ficou presa na malha fina porque em minha declaração constava gastos com plano de saúde e tratamento dentário, que deveria ser obrigação do governo oferecer a todos os cidadãos brasileiros, e com qualidade, diante da grande carga tributária que nos é cobrada. Fui convocada para “provar” se os gastos declarados eram reais.Precisei marcar hora para apresentar os recibos através do site da receita, que por sinal não é nada simples de se agendar, e consegui entrevista para um mês depois. No dia e horário marcados fui levar os recibos e encontrei no atendimento vários funcionários ociosos, alguns poucos contribuintes para serem atendidos e uns 4 ou 5 funcionários para atender somente no horário agendado anteriormente.Apesar dos vários funcionários ociosos, só éramos atendidos exatamente no horário, nem um minuto antes. E, vale observar, sem muita simpatia ou delicadeza para com o contribuinte. Nada de errado foi encontrado com meus recibos e quando, após longa e minuciosa análise por parte do funcionário, perguntei-lhe o resultado e recebi a informação, dada de má vontade, que aguardasse comunicação de outro setor da Receita pois a ele competia apenas analisar e dar o aval de que os recibos apresentados estavam em ordem. Bom, isso foi no início de fevereiro e até hoje não recebi a devolução a que tenho direito, que vale ressaltar, é um pouco (pouco mesmo) mais que o valor que é descontado mensalmente em meu hollerith de funcionária aposentada. E pelo que li nos diversos comentários, sabe-se lá quando a receberei.
    Grata por poder compartilhar através deste espaço minha indignação com o tratamento tão displicente que nos é dado por esse órgão público que deveria ser exemplo de eficiência e respeito para com o contribuinte.

  • ZE PEDRO

    E o pior de tudo isso é ver esse suado dinheiro ser distribuído às tais bolsas disso e daquilo, para a compra de votos. É muito pouco para quem recebe, não resolve problema nenhum, mas é muito grande o buraco nos cofres públicos, para quem ali deposita seus impostos.

  • Marcelo Soares

    Setti
    Reclamações como a do post podem ser multiplicadas pela esmagadora maioria dos contribuintes.
    O fato é que servidores da Receita fazem parte de uma casta privilegiada, corporativista, sindicalista, patrimonialista e enraizada no estado brasileiro de forma inexorável.
    Se julgam os senhores da verdade, os onipotentes,pairando sobre o próprio estado.
    O descalabro independe do partido da vez no poder. Seja qual for os donos do poder a casta permanece inviolável, indevassável, impenetrável.
    Recebendo salários acima da média do serviço público, tais servidores se esquecem da origem destes recursos. Os nossos impostos, cada vez “melhor” empregados, são destinados a manter esse estamento singular que trata seus verdadeiros patrões – NÕS – como um objeto.
    OS contribuintes deveriam ser recebidos em um tapete vermelho, com todas as deferências possíveis, pq somos nós a alimentamos essa máquina abjeta cuja única visão é depenar o que for possível do cidadão-contribuinte.
    Trata-se, enfim de mais uma vergonho exemplo de como não deve funcionar uma entidade governamental.A Receita, para mim, é o exemplo puro e acabado da falência dos direitos individuais perante uma categoria de servidores “públicos” que se querem acima da Lei.
    Reclamar para quem?

  • José Carlos da Silva

    Certa vez fui acertar o documento de um terreno de pessoa jurídica. Agendamos via site (2 meses para uma vaga) e fomos no dia e hora marcados. Levei todos os documentos exigidos e ao ser chamado a senhora leu cada detalhe e disse que estava tudo correto, mas que eu cliquei no motivo errado e não poderia me atender. EU, então perguntei, mas é outra pessoa? Ela me respondeu: não, é comigo mesmo, mas o senhor informou um motivo diferente. Então novamente perguntei: Mas já que estamos aqui, porque a senhora não resolve? é apenas um documento. Ela disse na maior cara de pau: volte, entre outra vez no site e faça novo agendamento. Fiquei com nojo do descaso. Simplesmente aquela senhora ficou 30 sentada aguardando o próximo “contribuinte” sem fazer absolutamente NADA.

  • Antoninho

    Infelizmente do q depender dessa gente,q cobra a peso de ouro para conseguir se exercer uma cidadania e melhor desistir, Eles gostam de te cansar ate q tu resolva abandonar o servico. Como missao.

  • Ayr de Moura Bello

    Sou idoso, declaro em conjunto com minha mulher, também idosa; temos elevados gastos com Plano de Saúde e outras despesas médicas. Em consequência temos sempre devolução a receber e o direito legal de a termos no primeiro lote. Como a todo-poderosa Receita não quer cumprir as normas, simplesmente nos coloca na Malha Fina. A prova de que o único objetivo é não fazer a devolução é não podermos apresentar os comprovantes de gastos no mesmo exercício. Teoricamente poderíamos agendar a antecipação a partir de janeiro do ano seguinte. Apenas teoricamente, pois o telefone e o site de Internet para o agendamento não o permitem sem o código da Intimação. Ora, se é para esperar a intimação, por que a mentirosa informação de que é possível o agendamento ? Já estamos no final de março e ainda não consegui regularizar a situação, mesmo indo pessoalmente ao Posto da Receita no antigo Ministério da Fazenda, onde enfrentei gigantesca fila para, ao final, um funcionário prepotente e mal educado dizer que não podia emitir a tal intimação e que eu ficasse esperando em casa por sua chegada.
    Esse tipo de tratamento é recorrente. Basta ir a qualquer dos postos da Receita para comprovar que a maioria dos que esperam atendimento é idosa e não consegue resolver suas falsas pendências.
    Isso é verdadeira tortura, crime hediondo, pelo qual a cúpula da Receita e seus péssimos atendentes deveriam ser responsabilizados e punidos.

  • ARTUR EMILIO DE REZENDE

    Pela Internet conseguimos agendamento para 3 meses ou mais e chegando lá apenas recebem os documentos, não tem orientação nenhuma, não falam nada. O resultado vem 3 meses depois ainda incompleto. Os ditos Auditores Fiscais não tem contato direto com os Contribuintes. Eles podem dar prazos normalmente exíguos.

  • DANIEL

    Concordo com o que se está sendo dito sobre a Receita Federal pois também estou sendo prejudicado.
    Somos pequena empresa importadora.
    O fiscal da Receita em Guarulhos resolveu embargar nosso segundo processo de importação.
    Tudo legal, com contrato de câmbio realizado via Banco do Brasil, impostos recolhidos e documento duplamente chancelado pelo Itamaraty.
    O fiscal alega que a assinatura do fornecedor precisa ser reconhecida na fatura comercial (invoice).
    Um burocrata que trava nosso negócio desde outubro de 2013.
    Aparentemente, por uro prazer e sem chance de mudar de ideia pos não temos como conversar. São soberanos. Para nós sobrou o dano moral e financeiro.

  • Carlos

    Recebi a intimação da malha fina, que informa os passos para o atendimento, sem agendamento, qual a minha surpresa ao chegar no posto de atendimento de Santa Maria RS, as atendente dizem que tem que agendar, informação em desacordo com a intimação.
    Pedi a identificação da funcionária e ela se recusou.
    Eu fui atendido por quem?
    Os contribuintes estão sendo humilhados para receber o que tem de direito.
    Chego a achar que estamos sendo usados como massa de manobra para reivindicações dessa categoria, que tem altos salários e querem sempre mais.

  • Douglas Sudario

    Precisamos da mídia para denunciar esse abuso das unidades de atendimento da Receita Federal do Brasil, pois é muito estranho a sala de espera estar vazia e a triagem desse órgão não lhe fornecer uma senha de atendimento, abaixo o agendamento obrigatório.

  • Carlos Soares

    Em 2013 a receita me solicitou comprovação de pensão alimentícia, então fiz um agendamento antecipatório e levei a decisão judicial junto com a declaração de renda de minha ex-esposa. Com isso minha restituição continua retida e não consigo ver o andamento do processo, o funcionário que me atendeu disse apenas para aguardar uma correspondência via correio à minha residência com a decisão, faz 2 meses e nada. Voltei na receita e questionei: se houver extravio deste documento por parte dos correios, se eu mudar de residência, tem algum meio eletrônico a seguir ou seja como faço para acompanhar. Não tem como, um absurdo, como podemos ter confiança no serviço publico ? lamentável.

  • dalva martins

    eles nos tratam como se tivessem fazendo um grande favor . e na maioria colocam atendentes terceirizados totalmente despreparados para te atender

  • Joana

    Estou a dias tentando fazer agendamento e não consigo,fui na receita 3 vezes e não consigo resolver meu problema,a única que eles sabem falar é que sem agendamento não podemos fazer nada,além de não saberem dar informação correta,tem um péssimo atendimento.

    Tratam os cidadãos como números. A Receita é ditatorial e precisamos protestar contra seus abusos.

  • GERSON D AMBROSIO

    Neste exato momento venho sofrendo humilhação por parte da Receita Federal por este mesmo motivo. A intolerância e prepotência imperam. Aqui no RJ a agência Laranjeiras trata os Contadores e contribuintes com total descaso, humilhando-os com a recusa no atendimento se insistirem muito em seus direitos.

  • Marcelo Junqueira

    Estou a duas horas esperando por atendimento, precário, desrespeitoso e fajuto, mas todos os dias a presidente do sindicato deles aparece na TV explicando as melhorias efetuadas em sua gestão. Gostaria que ela saísse do seu gabinete e fosse tentar ser atendido. Lixo de atendimento…