EUA: Levando seguidas bordoadas dos críticos, Obama tem boas sobre a economia para esgrimir: o menor índice de pedidos de seguro-desemprego desde 2006

O gráfico, divulgado pela Casa Branca, mostra uma constante queda na quantidade de pedidos de benefícios de desemprego nos Estados Unidos (Imagem: Casa Branca)

O gráfico, divulgado pelo governo americano, mostra uma constante queda na quantidade de pedidos de benefícios de desemprego nos Estados Unidos. O título diz: “Sob opresidente Obama, o número de americanos buscando seguro-desemprego é o mais baixo desde 2006”  (Imagem: Casa Branca)

Levando bordoada por todo lado, especialmente críticas por supostamente ser “hesitante” ou “confuso” em matéria de política externa e defesa, o presidente Barack Obama teve boas notícias para divulgar sobre algo que fala muito alto para os americanos: a economia que, embora ainda lute para se recuperar da brutal crise financeira mundial de 2008, têm mostrado sinais de que a ação do presidente produziu resultados.

Nesse sentido, a Casa Branca divulgou uma compilação de números que mostra o menor número de pedidos de seguro-desemprego feito pelos trabalhadores desde 2006.

De acordo com os dados divulgados, a criação de empregos em julho ultrapassou os 200 mil pelo sexto mês seguido, algo que não acontece desde 1997. Os pedidos de seguro-desemprego são registrados a cada quatro semanas, o que pode significar uma volatilidade maior nas estatísticas, mas o governo americano se mostrou otimista quanto ao crescimento econômico a longo prazo.

No primeiro semestre de 2009, no auge da recessão, o número de pessoas pedindo benefícios de desemprego chegou a 659 mil. Agora, o total baixou para menos da metade, 293, 5 mil.

É uma propaganda bem-vinda para o governo de Barack Obama, cuja aprovação está em torno de 42%, de acordo com as pesquisas mais recentes. Apesar de a situação não parecer tão preocupante, a média para presidentes americanos é de 53%, ou seja, Obama tem muito trabalho pela frente.

O informe da Casa Branca destaca que, apesar das boas notícias, ainda há muito a ser feito para que a segurança financeira seja garantida à classe média, e que o presidente está comprometido com a causa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 Comentários

  • Nelson Gurria

    Isso tudo apesar do Obama.

  • carlos nascimento

    Ricardo,
    Vc sempre apostou em Obama, as expectativas em torno da sua gestão eram enormes, está devendo bastante, a crise de 2008 o colocou no córner,a sua Política Externa é um fiasco, está quase sempre à reboque dos fatos, Iraque, Síria, Palestina, Israel, Ucrânia, Rússia, em todas as ocorrências ele tem chegado sempre atrasado, Angela Merkel é que tem salvo a sua pele, Putin tem feito estragos, até na AL ele ficou na defesa, Chávez e seus amestrados seguidores perturbaram bastante.
    O seu legado será pífio, a quebra de paradigmas – 1o. negro Presidente americano – deveria ter proporcionado maior ousadia, infelizmente, não gosta de quebrar cristais, ficou o tempo todo na defensiva, líderes de ponta não podem ser assim, ou fazem História, ou ficam no meio do caminho, uma PENA.

  • Carlos dePaula

    O governo dele é um completo desastre. A economia melhorou apesar dele, não por que ele tenha feito algo para que isso ocorresse.
    Ele ainda não conseguiu quebrar os USA. Deve estar se odiando por isso.

  • Apoc

    Só custou US$ 4 trilhões em ativos comprados pelo FED.

  • Erika

    Olha Dom Setti, o Obama nao e Tao bom como se pensa la no Brasil. Ele e muito fraco. O número de desempregados fora do beneficio e muito grande. Ou seja, aqueles que ja receberam o Unemployment Benefit e ainda nao estao trabalhando. Quando o Obama deixar a Casa Branca so sera lembrado como o primeiro presidente Americano negro.