Image
Entre 2.500 e 4.000 manifestantes ontem na Cinelândia: poderiam ser muito mais (Foto: Bia Alves – Fotoarena)

Amigos do blog, é bom saber que outra manifestação contra a corrupção ocorreu ontem, desta vez na Cinelândia, centro do Rio de Janeiro. Também, como tantos brasileiros, vejo com bons olhos o papel das redes sociais na convocação dos protestos, algo que pode contribuir para uma maior independência dos participantes em relação a partidos e outras organizações.

Mas ainda acho baixo, baixíssimo, próximo do insignificante o número de presentes – 2.500 segundo a Polícia Militar, 4.000 para os organizadores.

A começar pelo tamanho do problema — a corrupção é um câncer que destrói a moral pública, revolta e ao mesmo tempo desanima os cidadãos, constitui um péssimo exemplo para as novas gerações e, não bastasse tudo isso, representa um brutal custo econômico para o país.

O número também é mínimo pelo porte e a importância do Rio de Janeiro, ainda uma fortíssima caixa de ressonância na política do Brasil.

Nas queixas contra os políticos e a corrupção, a mesma apatia

A verdade, meus amigos, é que com os protestos de rua está ocorrendo algo semelhante ao que se dá com as eleições, especialmente para o Congresso e os demais legislativos — assembleias estaduais e câmaras municipais. Todo mundo reclama dos políticos, como se eles tivessem caído de pára-quedas em suas cadeiras, ou eleitos por extraterrestres. Mas, na campanha eleitoral, quase ninguém se informa direito sobre os candidatos e, hora de votar, poucos prestam atenção ao que fazem, escolhem-se de qualquer jeito os deputados e vereadores (no caso dos senadores é um pouquinho melhor) e, tempos depois, boa parte dos eleitores nem é capaz de dizer em quem votou.

Mesmo assim, reclama-se o tempo todo do Congresso, das assembleias e assim por diante. E quem foi, afinal, que votou no pessoal que ocupa os cargos? Nem paraguaios, nem suecos, nem sul-africanos: fomos nós mesmos, eleitores brasileiros.

Em relação à corrupção, milhões se dizem revoltados, reclamam em suas casas, vociferam em reuniões sociais, extravazam sua revolta nas redes sociais e nos incontáveis espaços para comentários disponíveis na web. Na hora de ir para a rua, porém, o que prevalece é o velho deixa-pra-lá. Em vez de irem a um protesto — não necessariamente os atuais, a qualquer um –, as pessoas ficam em casa, vão ao cinema, fazem qualquer coisa, menos expressar sua cidadania ao vivo e em cores.

Somos furiosos nas palavras, e um bando de carneiros apáticos nas ações.

Estou exagerando?

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × dois =

Nenhum comentário

Jonas Moura em 29 de junho de 2012

dizer que o movimento anti-corrupção é algo falido, é está esperando só o momento de morrer, é se acovarder. Acho que desde o decobrimento do brasil esta foi a iniciativa mais louvavel dos brasileiros, vamos em frente, tudo na vida tem um começo e esse começo nem sempre é fácil, tenho fé que assa idéia vai tomar corpo e com certesa fará parte da história do brasil. temos um fato novo mais, que já era de se esperar,que foi a aprovação pelo supremo tribunal eleitoral da permissão para os fichas suja poderem se candidatar nas próximas eleições municipais.precisamos protestar.

Jaque em 18 de maio de 2012

Excelente texto!

Davi em 27 de setembro de 2011

Estão dizendo que o movimento anti-corrupção é sem sentido, demagógico, etc. Dizem que não há debate, que é um movimento vazio, pois todos são contra a corrupção. http://cirandeiras.org/2011/09/22/o-problema-com-o-movimento-anti-corrupcao/ Bem, eu discordo que todos sejam contra a corrupção. Aposto que 90% dos políticos não são contra a corrupção, aliás, aposto que metade dos brasileiros não são contra a corrupção. Uma pesquisa feita na época do mensalão mostrou que 49% dos brasileiros também teriam aceito as propinas do mensalão, ou seja, no mínimo, 49% dos brasileiros são potencialmente corruptos. Além do mais, aposto que antes da democracia, todos eram a favor da liberdade. Aposto que na China, todos são a favor da liberdade. Dizer que um movimento anti-corrupção neste país é vazio é a mesma coisa que dizer que um movimento pró-liberdade na China é vazio.

Kitty em 23 de setembro de 2011

Olá Ricardo, Não meu caro, você não exagera nem um pouco! Ao contrario, este seu texto está demais!. Como sempre, por isso que eu lhe admiro muito, você escreve com sentimento, como se estivesse batendo um papo informal com a gente, “interchanging” idéias!!! Voltando ao assunto dos protestos populares contra a corrupção, posso estar errada, mas, o que acontece é que uma boa parte das pessoas vive em um estado letárgico, pouco se importando com corrupção ou com escândalos inerentes a malfeitos do governo e aliados. E, os que se importam, acham que não adianta perder tempo com protestos porque a corrupção esta arraigada em forma endêmica no País, e outros governos também a praticaram no passado. A nossa revolta é justamente esse apático conformismo, né Ricardo? Concordo com você que pouquíssimas pessoas foram para Cinelândia a marcar presença, mas, ao mesmo tempo, foi gratificante comprovar que a semente começou a germinar, agora é não esmorecer!! Outro aspecto a ser considerado é a economia, tá lembrado o que Bill Clinton disse a seu secretário? É a economia, estúpido!! Ricardo o povo está gastando, tem credito farto e viajam muito, os restaurantes estão cheios, compram carros e carrões do ano, e por aí vai. Os protestos dos indignados na Europa começaram acontecer quando a crise se fez sentir, em primeiro lugar, na economia com o desemprego e, como conseqüência imediata, perdida do poder aquisitivo, e mais tarde, cortes brutais nos benefícios adquiridos que os governos na época da bonança prodigaram fartamente, e, nós sabemos como as pessoas reagem quando os governos metem as mãos nas regalias ou direitos trabalhistas e etc. Isto que escrevi é a minha opinião, e estou aberta para o contraditório. Meu caro me despeço com um abraço/Kitty Como sempre, você está convidadíssima a expressar sua opinião, Kitty. Abraço

Lucia s. em 22 de setembro de 2011

Não, somos uma vergonha mesmo. Quem sabe , a maioria concorda com a poca vergonha e , talvez, gostaria de estar no lugar dos ladrões. Será que algum dia tomaremos vergonha na cara?

Pedro Luiz Moreira Lima em 22 de setembro de 2011

"A população brasileira é vagabunda! "A população brasileira é corrupta!" "A população brasileira é safada só quer saber de bolsa familia!" "A população brasileira só quer saber de cachaça!" Naturalmente voces não fazem parte dessa gente SUJA,BURRA,IGNORANTE,SAFADOS,BEBADOS,LADRÕES, MAIORIA DE NEGROS que não querem estudar só de COTAS. Realmente é um prazer ter uma ELITE como a de vcs tão NOBRES na avaliação e ao bem querer do POPVO BRASILEIRO - RAÇAS PURAS?

Ariel em 22 de setembro de 2011

Caro Setti, A coisa é muito simples: a maioria da população brasileira é pobre, e pobre é inculto, não lê, não assimila o o que se passa ao seu redor. Quem leva o país nas costas? A classe média que está trabalhando duro para pagar suas contas e impostos, e por isso não tem tempo de participar de atos cívicos num dia útil. Cito como exemplo a minha dentista: ela parou de trabalhar 14 dias antes de dar à luz, e 14 dias após o parto já estava de volta ao consultório. Resumo:o povão do 'bolsa esmola'< ,foi o Lula quem disse,não sabe de nada, a classe média,(a que não vive nas tetas do Estado)não tem tempo,e os ricos não estão nem aí.

Carlos Costa Aguiar em 22 de setembro de 2011

Ricardo, O Telejornal da TV5 na França deu destaque à manifestação anti-corrupçao na sua edição de ontem. Acompanho o jornal da TV5 ha anos e ja vi muito lulla, muita diuma mas é a primeira vez que vejo uma manifestação brasileira chamar atenção. Acho que é justamente o fato do povo começar a sair do letargismo que faz com que eventos semelhantes mereçam espaço na imprensa européia. Abraço

Observador100 em 22 de setembro de 2011

Caro Setti Alguns comentários soam como palavrões e insultos, principalmente à nossa inteligência, além de estarem fora do contexto. Sugiro que voce estenda a estes personagens exóticos, as regras de publicação do blog

Ed em 22 de setembro de 2011

Caro Jose: O Rio glorifica Lulla? A maior vaia que ele já tomou foi no Rio, no Pan de 2007. O PT NUNCA venceu eleições ara o governo do estado ou a prefeitura da capital do RJ. Caro zedomatogrosso: Lave sua boca (ou os seus dedos) antes de falar mal do Rio de Janeiro. O Rio não é um, é muitos.

ze domatogrosso em 21 de setembro de 2011

desculpam, realmente é meio pesado, apesar de ser verdade...deletem, idem o que faço, os comentários abaixo, erndosso, como brasileiro e dignoos comentarios proferidos...posso até ler, mas não mais comento..abços...

ze domatogrosso em 21 de setembro de 2011

é bom ficar antenado...agora descobri o porque(/) do carioca não ter ido na manifestação co0ntra a corrupção...85% tava na fila do rochinrio. 5% tentando comprar ingresso de camelo, 10% tentando chegar em casa sem ser apalpado e vistoriado pelas forças dominantes...ainda bem que a praia ´de graça, e o piscinão de ramos também... viva mengo, que peloresultado tá indo ladeira abaixo.. até o zico excomungou... coitado do carioca...

ze domatogrosso em 21 de setembro de 2011

desculpe setti...é pro joão da bahia... ulysses, na única vez em que foi estapeado, e mordido por cachorros?foi na bahia... a bem da verdade... adendo... jorge amado, irmã dulce.. afora isso o que tem a bahia? pt, ginga, carlinhos brow?, asa de aguia, acarajé, vatpá, descendentes do acm, pelourinho, roubatina, droga "in delivery", esmolambados tocando tambor, roubando turista, cidade fedendo, lavando igrejas, mas não lavam o que é importante...v0ocês acham que a bahia é salvador, mas se esquecem do interior, que representam 85 por cento deste povo, que sofrem, são humilhados, e são os verdadeiros bahianos...saiam da praia e vão tabalhar, vagabundos...

ze domatogrosso em 21 de setembro de 2011

a quantidade de participantes está de acordo com o espiríto e a alma carioca...se fosse pra evitar a segunda divisão do mengo, defesa da maconha, dos viados e outras espécies, construção do maraca, rock in rio, da droga, ipanema e deslumbrados, eike chupista, luma piranha, cv, ada, sergio cabral, pmdb, máfia, tráfico, rede globo, ibnrahim sued, jb,escolas de samba e de putaria, buteco sujo, chopp quente, isto sim, lavaria a alma deste povinho descendente de tupinambás e do beira mar... saudades do bussunda e do casseta, quando este povinho foi desnudado...existe duas misérias, a do maranhão é fisica, a do carioca é moral... dizem que tem vida inteligente e laboriosa por lá...sei não,... prá viver, respirar tão precisando de bope, marinha, exercito, upps...sei lá, o carnaval vem ai... estão em gozo de felicidade...

Gamal em 21 de setembro de 2011

Se prestarmos alguma atenção à Damatta e ao livro de Almeida denominado A Cabeça do Brasileiro, não vamos estranhar que a indignação contra a corrupção não contaria com o apoio da base social e cultural no Brasil. Ninguém diz, mas o que se constata de forma generalizada é que o brasileiro convive tranquilamente com a corrupção e, quase sempre, a justifica tratando-a com indulgência.

João da Bahia em 21 de setembro de 2011

Quem disse que o brasileiro não faria uma guerra? Engana-se quem pensa que foi o povo, a sociedade civil, 1 milhão de pessoas nas ruas, o PT, o PMDB, os movimentos de ruas, os intelectuais, Ulisses Guimarães ou a igreja que tiraram os militares do poder. Acho que não foi nada disto. Eles voltaram aos quartéis após já estarem desgastados como governantes. Talvez até perante a sociedade civil, mas não por pressão dela. Desgastaram-se com seus próprios erros e acharam que já estava na hora de entregar o poder aos civis. Governar não era o que eles sabiam fazer. Também outros generais de outras nações da América Latina já estavam entregando o poder aos civis. Lembro que a mais comemorada foi a saída dos militares da Argentina e a subida do Alfonsín ao poder. Também os generais não eram bem vistos pelo Jimmy Carter, presidente americano. Foi presidente pelo partido democrata. Começou a falar em direitos humanos para América Latina e colocou como meta democratizar os países desta região. O Carter até fez uma referência à ditadura militar do Brasil que deixou o Presidente Geisel zangado. Como o Carter dava atenção aos direitos humanos não viu com bons olhos os exageros praticados pelos militares. Acredito que poucos brasileiros sabem disto. Pensam que o povo derrubou a ditadura militar. Enganam-se quem pensa que foi o povo, ou melhor, os caras pintadas que tiraram o Presidente Collor do poder. Muitas pessoas imaginam que as caras pintadas através do impeachment derrubaram um presidente. O povo deste país é apenas um detalhe, quem tirou Collor do poder foram os próprios que lá o colocaram.

João da Bahia em 21 de setembro de 2011

MAS, NUMA BOA!!! VOCÊ QUER SABER QUANDO, COMO E PORQUE O POVO BRASILEIRO TERIA CORAGEM, E BOTE CORAGEM, DE FAZER UMA REVOLUÇÃO E DERRUBAR QUALQUER PRESIDENTE DO PODER?! VOCÊ CONHECERÁ QUAL O ÚNICO MOTIVO PELO QUAL O POVO BRASILEIRO PODE IR ÀS RUAS E AGIR COM FIRMEZA, DERRUBANDO PRESIDENTES COM SEUS EXÉRCITOS... CONHEÇA A BRAVURA DESTE POVO. Vocês querem ver o povo brasileiro se zangarem de verdade? Fazer uma revolução nunca vista na China, em Cuba, na Rússia, fazerem uma revolução de meter inveja à Revolução Francesa.... Querem ver? De verdade? Basta o presidente decretar O FIM DO CARNAVAL NO BRASIL. Já pensou? O brasileiro sem carnaval!?!?! Afffféééé Maria!!!!! Mesmo o Presidente tendo o apoio das 3 forças armadas com todos os aviões e tanques de guerra, todas as fragatas, o Porta-Aviãos que foi comprado de 2ª mão, ah! Nada disto ia conter o povão. Ia sobrar soldado e general pra todo lado. Se o governo importasse os marines americanos, os kamikazes japoneses, os terroristas islâmicos ... Não adiantaria, nada vai conter este povo. Bom, mas daí o Presidente teve uma idéia e passou para o ministro da guerra e todos os generais de todas as forças armadas. Teriam que construir 27 Bastilhas, uma em cada estado e uma no Distrito Federal. É mole?!!! A França precisou de uma e nós precisamos de 27. E para que serviria estas fortalezas? Para prender e isolar quem realmente produz, faz, contribui, promove e dá vida ao carnaval do Brasil. São eles: Os empresários do carnaval, donos de blocos, todos os trios elétricos, os palanques, camarotes, o Olodum, a Timbalada, Daniela Mercury, Chiclete com Banana, Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Babado Novo, o Araketu com Tatau, Durval Lélis, Luís Caldas e todos os cantores de blocos e Trios Elétricos. No Rio seriam confiscados e isolados o sambódromo, os camarotes, as escolas de samba com seus tambores, sambistas, mestre salas, porta-bandeira, bateria, diretor de bateria, rainha de bateria, intérprete de samba-enredo etc. Em Recife seria confiscado o maior bloco carnavalesco do mundo, o Galo da Madrugada. Na França os líderes da revolução francesa com o povo revoltado invadiram e derrubaram uma Bastilha. Aqui? Invadiriam e conquistariam 27 Bastilhas e salvariam os fazedores de carnaval. O presidente com todo seu poderio militar perderiam a guerra para os puladores de carnaval de todo o Brasil e perderia feio. Até o seu porta-aviões iria a pique. Aviões de guerra? Não sobraria um. Chegaria a hora de se render e aceitar as exigências dos carnavalescos. Sabemos que quem perde uma guerra tem que aceitar e perder direitos. Tinham que fazer um acordo e para o mesmo ser reconhecido internacionalmente teria que ser feito, fechado e assinado na ONU. E para lá viajariam o cabisbaixo presidente do Brasil, seu ministro das relações exteriores e alguns de seus assessores. Pelo lado vencedor da guerra iriam 1 empresário representando os donos de Trios elétricos, um dono de camarote, Bel do Chiclete, Daniela Mercury, 1 presidente de escola de samba, o presidente do bloco carnavalesco Galo da Madrugada e alguns carnavalescos que lideraram no campo as ferozes batalhas e heroicamente pegaram em armas para defender o direito ao carnaval.

João da Bahia em 21 de setembro de 2011

Bom, na ONU após toda a negociação é assinado e protocolado o acordo. E logo após são divulgadas para a imprensa mundial as exigências dos carnavalescos. Vejam quais foram: 1ª Continuarão votando no DEM, mas contanto que não bulam no nosso sagrado carnaval. 2ª Continuarão não se importando se a educação do país seja ruim, mas não bulam no seu sagrado carnaval 3ª Continuarão não se importando se a saúde pública do Brasil seja uma porcaria, mas não bulam no seu sagrado carnaval. 4ª Continuarão não se importando se político rouba ou não, só se importarão se bulirem no seu carnaval. 5ª Continuarão não se importando se segurança é importante ou não. Contanto que deixem nosso carnaval. 6ª Continuarão dando 56% de audiência às novelas da Globo, contanto que não bulam no nosso sagrado carnaval 7ª Continuarão a não saberem votar, mas contanto que não bulam no seu sagrado carnaval. 8ª Tendo carnaval aceitaremos os pacotes baixados pelo governo mesmo que só aperte o cinto do pobre. 9ª Continuarão a ter pouca comida na mesa, mas Carnaval em 1º lugar. 10ª Continuarão sendo uma nação pobre, mas não bulam no meu sagrado carnaval. 11ª A Petrobrás doará uma verba para construção e reformas dos Trios elétricos danificados 12ª Independente dos 3 dias de carnaval continuará a ter micaretas e carnafolias o ano inteiro. 13ª Destruam as estradas, mas não destruam nossos Trios elétricos. 14ª Bulam com minha comida, mas não bulam com meu carnaval. 15ª Este país continuará atrasado em troca do nosso carnaval. 16ª Se não bulirem em meu carnaval não buliremos com as elites. 17ª Continuaremos vivendo pra carnaval e pra votar nos mesmos Políticos. 18ª Não queremos pão queremos nosso circo carnaval. 19ª Para nós povão carnaval e para as elites nosso conformismo. 20ª Se não bulirem em nosso carnaval o político pode roubar e eu digo: Tô nem aí, Tô nem aí... E CONTINUAREMOS A SERMOS O PAÍS DO CARNAVAL. E se o governo para se vingar do povão tentar tirar do ar as novelas, o futebol e o samba? Acho que no meio do povo ia sair um Einstein, fazer uma bomba atômica e mandar jogar em Brasília. Ô COISA BOA PULAR CARNAVAL. É A MELHOR COISA DO MUNDO!!!

jose em 21 de setembro de 2011

manifestação no RJ! Esse teritório glorificou o Lulla. Eles gostam messsmo é da praia.....

Luciano em 21 de setembro de 2011

Vale lembrar que nem todos poderiam estar num dia útil as 17hrs no centro da cidade para participar da manifestação. Muitos pegam os filhos no colégio EXATAMENTE nesse horário, outros ainda estão em expediente, que não necessáriamente é no centro. Lembro também que é epoca de provas e muitos trabalham de dia e correm para a universidade neste mesmo horário. Nós não temos nossas faltas abonadas para ir reclamar na cinelândia. Ao invés de reclamar da apatia da população, poderia o sr. Setti também ir lá? Por que não foi? Desculpe, mas discordo de você ao taxar de apática a população indignada que não pôde comparacer. Não somos coniventes com a corrupção, sr. Setti. Mas não podemos estar em 2 lugares ao mesmo tempo e existem responsabilidades que não podem ser negligenciadas, mesmo que pela mais nobre das causas. Caro Luciano, não precisa me chamar de senhor, não. Aliás, peço que não o faça. Eu não estava na passeata porque julgo que minha forma de me manifestar, meu papel e meu dever, como jornalista de opinião, é fazê-lo aqui, neste espaço. Além disso, estou trabalhando fora do país por um tempo, embora linkado o tempo todo em informações sobre o Brasil. Abraços

Tuco em 21 de setembro de 2011

. Cabe a você, Grande RSetti, esclarecer os motivos pelos quais alterou sua resposta no comentário do senhor Osmar Costa (14h46). Se assim não fizer, minha incursão - 16h54 - torna-se sem sentido, não é mesmo? http://lc4.in/jhD3 by celeraman+ Eu alterei, amigo Tuco, porque na minha resposta àquele comentário havia implicita e arrogantemente uma crítica a colegas jornalistas que houveram por bem ir à passeata. Quanto a mim, julgo que meu papel e meu dever é me manifestar aqui, neste espaço. Um abração .

roberto em 21 de setembro de 2011

Caro Setti. Apesar de seu desencanto com o pequeno número de participantes na manifestação,não custa lembrar que,a famosa passeata dos 100 mil contra a ditadura,também começou com poucos manifestantes em suas primeiras manifestações. Aos poucos chegaremos lá com nossa luta quase inglória contra o governo mais corrupto de nossa história. Abraços e avante contra a corrupção.

veiaco em 21 de setembro de 2011

Não esta exagerando Setti, mas o que você viu é só a ponta do iceberg. A corrupção ou nós estamos com os dias contados. Quando o PIB de uma bolívia evapora perdido para a mesma e a saúde segundo o ministro precisa dos mesmos 42 bilhões, quem terá o peito de criar ainda mais impostos, quando nunca se arrecadou tanto como agora?

Corinthians em 21 de setembro de 2011

Setti, Discordo de você. Infelizmente não contamos mais com os grupos organizados, que hoje não são mais apartidários, como a UNE, os sindicatos, enfim, os "movimentos sociais". Estes estão, como diz Reinaldo Azevedo, muito ocupados contando o dinheiro de repasses federais. Sobrou ao cidadão comum se manifestar - porém o cidadão comum tem que trabalhar para pagar suas contas e impostos, além das singularidades que acontecem na vida, não pode ficar abandonar seu posto, ainda mais para participar de protesto em outros estados e cidades. Eu mesmo não posso ir devido à problemas de saúde que descobri recentemente. Concordo com o comentário de Juju - esses milhares na verdade representam milhões, e os protesto devem continuar, se posível sincronizados em várias cidades para aí sim demonstrar o quanto o Brasil está inconformado com a institucionalização da corrupção. Aliás seria melhor que estes protestos fossem formados durante fim de semanas comuns, e não em feriados, onde parte das pessoas resolvem viajar. Acredito que sábado seja o melhor dia. Também vou disordar sobre o fato de que jornalistas não devem participar de protestos - concordaria se os protestos tivessem caráter partidário, mas neste caso não tem - portanto a isenção não é algo que iria ser afetada.

Marcelo Meireles em 21 de setembro de 2011

Não concordo tanto assim. Ninguém tá acomodado. - Mas, um protesto num dia útil, na hora do rush, com jovens que ralam de dia e estudam à noite, fica complicado, né. - E tem ainda uma outra questão. A Mídia Oposicionista é que está com sôfrega e desesperada vontade de emendar um revival da "Marcha da Família com Deus, pela Liberdade". - Foram 25 mil em Brasília ? Sim. Mas a grande maioria desse público, veio do desfile oficial de 7 de Setembro. Já estavam na rua, aproveita o embalo e protesta também. - Garanto que se não fosse a "liturgia do cargo" até a Dilma iria, e mesmo sendo da classe política seria muito bem recebida na passeata. - Leve em conta tb, que tem muita gente de partido político e PRINCIPALMENTE da Mídia Oposicionista, querendo loucamente instrumentalizar essas marchas. - Não querem simplesmente varrer a corrupção. Querem varrer o atual governo. - Acho estranhíssimo não ter havida na Mídia de Oposição, indignação contra a soltura da Cacciolla, contra o STJ que acaba de inocentar Arruda, contra Roberto Jéferson que acaba praticamente de retirar a denúncia de Mensalão. - Acho estranhíssimo ainda esse desespero e indignação "tardia" ( oportuna melhor, né ), sendo que não houve toda essa fomentação da Mídia por Marchas contra Corrupção nos tempos de Juiz Lalau, Luiz Estevão, ACM fraudando painel do Senado, os favorecimentos à compra das Teles. - Quando a Sociedade perceber que essa "indignação" que a Mídia de Oposição tem fomentado, é extremamente "seletiva à esquerda", aí é que não vai ninguém mesmo. - Desculpe. Vai alguém sim. Uns 3 ou 4 colunistas raivosos. - Fico muito feliz em ver que vc está indignado contra a Corrupção, mas mantém seu bom senso e equilíbrio político e jornalístico. -

Reynaldo-BH em 21 de setembro de 2011

Amigo Reynaldo, a seu pedido, não publico o comentário. Mas o levei em conta, como você poderá constatar. Obrigado pelo toque. Abraço

Tuco em 21 de setembro de 2011

. Admirado por mim, Grande RSetti, tenho como péssima sua resposta ao senhor osmar costa - 21/09/2011 às 14:46. Vê-se que o Dileto Colunista não estava em bom momento. Entendo haver grandes diferenças entre o Jornalista e o Homem. E a este, em situações limite como a que enfrentamos hodiernamente, a Ética e a Isenção têm padrões bem definidos! Não fosse assim, haveríamos de ter um jornalista que acompanha a Ação de Repúdio como não ético. Desta feita, a se enveredar nesse terreno sinistro, caberia até tratar como sinônimo de isenção, tibieza. http://lc4.in/jhD3 by celeraman+ .

Renato em 21 de setembro de 2011

Sr. Setti. Cabe dizer: este não é um movimento popular. Esclareço: não nasceu da vontade da população, não tem um objetivo claro e nem apresenta propostas efetivas. Ao contrário das diretas já, que surgiu espontaneamente, mesmo contra a vontade de boa parte da imprensa, o movimento anticorrupção vem de cima, insuflado por nossas bravas empresas jornalísticas, que se pretendem organizadoras da vontade popular. Como explicar ao povão os motivos para se lutar contra os corruptos? Como pedir a estudantes e trabalhadores que enfrentem um inimigo disseminado por todas as esferas da sociedade? Como exigir atitude cívica de quem só pode se expressar através do voto, e depois nem se lembra mais em quem votou? Somos assim, um país despolitizado. Manter o povão afastado da política foi um investimento de longo prazo, feito em nome da segurança pátria e do respeito aos investimentos privados. Querer, como fazem agora a imprensa e setores da sociedade civil, que a população se mobilize para combater esse inimigo invisível é no mínimo hipocrisia. Parece mesmo tentativa, frustrada, de manipulação das vontades.

Wagner Ferraz em 21 de setembro de 2011

Caro Setti, talvez o povo não queira ir por causa das pessoas que conclamam as mesmas! Acho que o povo ta vacinado! Abraço.

Juju em 21 de setembro de 2011

Esses milhares, na verdade, representam milhões,Setti...todos sabemos disso, são milhões de cabeças pensantes indignadas...não se esqueça de que nosso país é composto, majoritariamente, por pessoas semianalfabetas e ignorantes, que não se indignam por não entenderem os meandros da política, ou o quanto a corrupção os afeta...diante disso, seria demais esperar alguma reação dessas pessoas...assim sendo, os atuais movimentos, surgidos das redes sociais, representam milhões de cabeças pensantes, pessoas estudadas, politizadas, com algum conhecimento... Quando visitei a Argentina, anos atrás, constatei que os panelaços lá, que são frequentes, também são compostos por poucas pessoas. Eu estou longe de ser otimista, Setti, mas neste caso acho que sua análise foi rigorosa demais...tudo tem de começar de alguma forma, e os movimentos atuais estão no início...

salomão em 21 de setembro de 2011

Ricardo concordo plenamente com o seu comentário. Na verdade o brasileiro parece que tem sangue de barata, não reage. Vejo porém, outro agravante: A MAIORIA DOS BRASILEIROS SÃO DESONESTOS.Essa desonestidade se manisfesta a partir de pequenos atos, como levar pra casa até um clips do escritorio em que trabalha. Pra prostetar contra a corrupção precisamos ser honestos, caso contrário...

José Américo C Medeiros em 21 de setembro de 2011

Como o leitor Saulo escreveu, todos os movimentos populares estão dominados... Ou seja, foram também corrompidos.

patricia m. em 21 de setembro de 2011

Agora, que a populacao brasileira eh BOVINA, diferentemente de los hermanos, isso nao deixa de ser verdade. Por muito menos os argentinos foram bater panela nas ruas. No Brasil o povo eh macunaimico, aiiii que preguiiiica. Enquanto o dinheiro esta pingando no bolso e da para pagar a proxima prestacao da geladeira comprada em 30 parcelas, esta tudo bem. Vamos ver o que esse mesmo Ze Povinho vai fazer quando o dinheirinho oficial parar de pingar e/ou ele perder o emprego. Aih, espero eu, o bicho vai pegar. . Por sinal, Setti, viu a quantas anda a inflacao? Nao eh magnifico? E o crescimento pifio, entao, que coisa maravilhosa. So mesmo a economia (eh a economia, estupido) para tirar o povo da modorra e consequentemente tirar esse partido larapio do poder.

patricia m. em 21 de setembro de 2011

Eu, como algumas pessoas abaixo, acho que voce exagerou. Sejam 2500 ou 4000, esta de bom tamanho para um dia de semana e para um moviment que nao conta absolutamente com nenhuma ajuda oficial, de nenhum partido e nem dos ditos "movimentos sociais" que ocmo o Reinaldo Azevedo bem diz estao contando o dinheiro ganho do governo.

Raul em 21 de setembro de 2011

A cidadania mais próxima que temos é no próprio prédio. E eu pergunto quantos participam das reuniões de seus próprios condomínios?

Jean em 21 de setembro de 2011

Se os mais de 1 milhão de eleitores que votaram "por protesto" no Tiririca participassem de fato de um protesto ao invés de colocar um despreparado no Congresso pra sugar dinheiro público, esse país seria muito melhor. Parabéns pelo texto.

osmar costa em 21 de setembro de 2011

O senhor mesmo mesmo quantas vêzez apareceu por lá? O que tenho a dizer digo aqui, por escrito. Meu papel é este e eu o cumpro.

Márcio em 21 de setembro de 2011

Humm, me sinto um tanto ofendido em ser chamado de carneiro apático por não ter ido nas manifestações. Até pq não é só apatia que me leva a não ir. Existem várias razões: 1) Não gosto muito de passeatas. De nenhuma. É sempre uma minoria (mesmo que fossem 100 mil nas ruas do RJ seriam uma minoria incrível) tentando impor sua voz. Ora, bolas. Vivemos numa democracia representativa, passeata é coisa de grupelhos de pressão. Que adianta ir numa passeata contra a corrupção e votar em políticos sabidamente corruptos como Lula, Sarney, Maluf? Exercer cidadania em democracia é se esforçar para votar direito. Eu até entendo que tem o lado do marketing, de colocar a questão na mesa, mas acho tudo isso tão chato... 2) O que essas passeatas querem? As passeatas na Espanha são um bom exemplo de bobagem. Estão lá todos os grupos da sociedade protestando contra tudo e contra todos, ninguém tem uma pauta, nem nada. Além de paralisar qualquer iniciativa do governo, isso ajuda em quê? E essas passeatas não estão longe disso. São "contra a corrupção". Tirando os corruptos, quem é a favor?!? Qual a medida concreta que eles estão propondo contra a corrupção? Porque em uma foto dessa passeata tinha um cara com um cartaz escrito: "Político e empresário corrupto apóiam as privatizações". Eu acho exatamente o contrário, corrupto gosta mesmo é de um estado grande para poder mamar. Então como vou marchar com esse cara?!? Quais são as pautas das passeatas? Não existem! Agora, algumas estão surgindo. Vejamos: a) Reforma política: assim, genérica mesmo. Sinceramente, com a reforma que está sendo apresentada (voto em lista, financiamento público, etc), prefiro que continue como está. b) Ficha limpa: ok, a idéia pode ser boa, mas isso já foi aprovado. Agora, querer que retroaja, é inconstitucional e sou contra. c) Fim do foro privilegiado: O nome pode fazer parecer ótimo para os políticos, mas eu sou a favor do foro privilegiado. Imagine se um presidente puder ser julgado por qualquer juizeco de 1º instância. Mesmo um honesto não conseguirá governar. Um corrupto se beneficiará das trocentas mil instâncias para não ser julgado nessa vida. d) Fim do voto secreto no plenário. Essa eu concordo, mas o Reinaldo Azevedo já apontou, por exemplo, alguns problemas que viriam disso. E mesmo que não houvesse esses problemas seria 1 pauta em 4 com a qual concordo. e) Finalmente, as passeatas me parecem ser convocadas contra o congresso, muito mais que contra o executivo. Algo como "o ético PT tem que aturar o nefasto PMDB para poder governar". Entre o PT e o PMDB, fico com o segundo a qualquer hora. Então, eu aguardo uma melhor definição das propostas para apoiar, porque, como está, acho que precisa de muito pouco spin para serem usadas para o mal. A única coisa boa das passeatas até agora é que os petistas ficaram irritados com elas. Mas, sinceramente, como expliquei, acho que elas podem muito bem servir para maus propósitos. Agora, se alguém fizer uma passeata a favor da redução de impostos, serei o primeiro (e único?) a aparecer lá!

Grace Olsson em 21 de setembro de 2011

Nao há ninguém nas ruas por que , talvez, quem deveria está lá puxando a carreata, faz dos demais, bobos da corte. Sao os formadores de opiniao, seguidos por milhares de pessoas via Twitter, Facebook e afins...com segundas intencoes. Nao falo de vc mas dos falsos jornalistas internet afora. De boas intencoes, o inferno está cheio.

Malur em 21 de setembro de 2011

Não podemos desanimar, mesmo lendo seu post sobre a PF, mesmo sabendo que a movimentação em Brasília teve a preocupação de eleger para o TCU uma pessoa "amiga", mesmo tendo lido que o Incomum emplacou mais um no Turismo, mesmo suspeitando que o STF - depois de votar artigo por artigo da Lei da Ficha Limpa - vai considerá-la inconstitucional. É difícil, mas não podemos desanimar.

marilia martone em 21 de setembro de 2011

Isto porque o brasileiro comum gostaria de estar no lugar do corrupto, fazendo as mesmas coisas, nomeando parentes, mamando nas tetas com dinheiro do povo, por isso não tem força, nao tem moral, nao tem coragem de fazer nada contra, É PORQUE SE PUDESSE ESTARIA LA FAZENDO O MESMO QUE OS CORRUPTOS DE QUEM RECLAMA...

Saulo em 21 de setembro de 2011

O QUE FAZER? - Acontece o seguinte, Setti. Nós sempre dependemos das articulações dos partidos de esquerda, dos Sindicatos, Centrais Sindicais, OAB, ABI, UNE etc. Hoje, essa cambada está dominada pelas verbas governamentais e por isso estão mudos e inválidos. Assim, somos como peixes fora dágua. Dependentes dessa maldita cambada, durante decadas, hoje não sabemos o que fazer.

João da Bahia em 21 de setembro de 2011

Manifestação de brasileiro deixa a desejar... BRASIL + CARAS PINTADAS É= A PIZZA Conheci aqui em Salvador um Cubano em Férias (Não, não foi Fidel que lhe deu férias), o mesmo através de um intercâmbio veio estudar economia na Unicamp. Tomando umas cervejinhas com esse gente boa ele me argumenta sobre a questão dos caras pintadas terem tirado o Collor do poder. Com uma piada desta quase me engasgo com a cerveja. Será que ele estava me gozando? Bom, tive que lhe dizer o seguinte: "Prezado, o povo deste país é apenas um detalhe, quem tirou Collor do poder foram os próprios que lá o colocaram. Aqui se colocou na cabeça de nós povão que os caras pintadas derrubaram um presidente..." Manifestação de Brasileiro nas ruas na maioria das vezes tem que: Ter Samba, carnaval, cantar o hino nacional, o líder ir ao Jô e depois se candidatar a deputado federal e a líder ser convidada para ir ao Jô e depois posar na Playboy e mais balelas e mais outros blás, blás, blás... O jornal do Brasil pesquisou sobre os Caras pintadas e descobriu que seus ídolos preferidos eram Xuxa, Ayrton Senna... só faltaram incluir Chapeuzinho Vermelho, o Lobo Mau, Cinderela... esse povo pensa? Um povo culto, politizado, que sabe pensar leva a sério e tem como ídolo a Xuxa? Segundo a ONU, o país da América do Sul onde o povo é mais politizado é o Chile. Puxei da Internet este texto sobre o Movimento popular na França em 1968: "O pretexto foi uma vulgar reforma do ensino, pensada pelos donos do poder. Mas as razões profundas eram tensões, tédios e insatisfações que se haviam acumulado na sociedade, particularmente entre os jovens; sem elas maio não teria sido possível e as ruas não se teriam enchido, nem o movimento ultrapassaria os muros das universidades, se espalhando como uma mancha de azeite pelas periferias operárias." Lá funciona. Numa entrevista dada ao Mário Kertész o Sebastião Nery diz: - O Collor achava que o apoio popular que ele tinha, os outros não tinham. “Eles não têm coragem de fazer nada con¬tra mim”. Eu disse: “Collor, esse apoio popular, o doutor Roberto Marinho tira com uma novela. E não é que ele fez a novela? Foi aquela ‘Anos Rebeldes’, cheia de sacanagens contra Collor. Aí a Globo começou a organi¬zar a derrubada do Collor. Por¬que o Collor falhou com o Roberto Marinho. Marinho tinha uma empresa que trabalhava com satélite e estava aliado aos alemães e canadenses para o primeiro satélite brasileiro. E evidente que o presidente da República não assinou”. E em outra ocasião o mesmo Sebastião Nery escreveu que uma das coisas onde o Collor falhou foi não ter recebido os donos das empresas de mídia do Brasil. Ele até cita que o Collor não aceitou receber em audiência o dono do grupo Abril. Não que eu ache que um presidente deva dar satisfações a Globo, revista Veja, Folha de S. Paulo... Mas como estamos no Brasil...

João da Bahia em 21 de setembro de 2011

Deu em que as Diretas Já? De que adiantou um milhão de pessoas em praças públicas pedindo por eleições diretas? Sabem o que aconteceu? Eu sei + ou menos, estudei pouco, mas este pouco serviu para desatrofiar boa parte dos meus neurônios e entender um pouco de como funciona a classe política deste país. O presidente da época era o Figueiredo. O Dante de Oliveira (Antes de morrer esse moço era filiado ao PSDB de FHC e que se aliou ao PFL) lançou para votação a emenda das "diretas já" pedindo eleição direta para presidente. Podem não acreditar, mas eu tinha certeza de que este projeto não passaria, pois já sabia há tempos como funcionava a política deste país. Pois bem, tinha um tal Gastone Righi que me parece ser o principal membro do PTB. Ele com seu PTB diziam ser oposição ao governo. E foram, até o dia que este mesmo governo lhes deu em troca do apoio de sua bancada, cargos de presidente e diretorias em estatais. Pronto, funcionou o toma lá e me dê cá. Daí a emenda das diretas foi pras cucuias. Ainda sobre as diretas Já. Algumas pessoas pensam que no Brasil só se encontram demagogos e picaretas dentro da política, antes fosse. Conheço (Claro, não pessoalmente) vários que não militam na política. Basta dizer que dentro de templos evangélicos têm picaretas imaginem em outras instituições. Vou citar um cara que não é picareta, mas deu uma de demagogo pra cima do povão. Nos seus bons anos de futebol ele aplicou a lei da demagogia pra cima dos bobos que acreditam em Papai Noel. Antes da data da votação das “Diretas Já” na Câmara Federal o jogador Sócrates estava sendo comprado por uma fortuna acho que pela Fiorentina da Itália. Pois bem, o jogador espalhou pela mídia que se a emenda das diretas passasse, digo, fosse aprovada o mesmo não sairia do Brasil para jogar no futebol estrangeiro. Ô Sócrates, você quis enganar a quem? Estás subestimando a inteligência das pessoas? Você acha que todo brasileiro acredita em historinhas da carochinha? Haja como seu xará da antiga Grécia, humildade meu caro. 2 coisas: 1º Sócrates abria mão de fazer sua independência financeira através de milhares de dólares em pro da sua pátria e seus amados súditos (que bonzinho, é a madre Teresa tupiniquim). 2º Eu um cara de pouca cultura sabia que o governo Figueiredo ia articular sua base de apoio para compra de políticos (o que é normal na política do Brasil), imaginem o Sócrates não saber, um homem letrado, um dos poucos jogadores a ter curso superior. + DEMOGOGIA: Quando estavam fechando o contrato do Sócrates em algum lugar lá pela Av. Paulista o jogador estava presente e segundo a imprensa o mesmo se aborreceu e ameaçou se retirar do local alegando que ele não era mercadoria para ser negociado daquela maneira. Tadinho, vendo seu contrato ser fechado e sentindo milhares de dólares entrando em seus bolsos um dos “heróis” das diretas dá chilique. Só faltou dizer: Olha eu não quero ser riquinho não, não quero, não quero, não quero, não quero e não quero. Será que não disse?

Kleyner Arley em 21 de setembro de 2011

Falou e disse!

Marco em 21 de setembro de 2011

Amigo Setti: Os politícos daqui sabem q seu povo é preguiçoso,estúpido,sem iniciativa e adptabilidade. O q importa é a cultura ilusória. Parabéns a esses manifestantes q provávelmente serão taxados de inimigos públicos. Abs.

Ixe em 21 de setembro de 2011

Foi decepcionante a quantidade de pessoas. Principalmente quando sabemos que o número de adesões ao movimento nas chamadas redes sociais foi mais de 10 vezes os que estiveram na Cinelândia. Ou seja, aderem e não se mexem. MAs também há o fato de que todas os donos de movimentos sociais - cut, unea, cgt, mst, pqp , etc - estão trabalhando CONTRA o movimento, a favor da corrupção. Estão ganhando e satisfeitos com a parte que lhes cabe. No dia 7 de setembro havia a OAB e CNBB, ao menos. Mas também creio que isso está apenas começando.

Reynaldo-BH em 21 de setembro de 2011

Nenhum exagero, caro Setti. Só uma triste constatação. Estive nas ruas em BH. Com banners e faixas. Eramos pouco mais de 1.000. Sem apoio de mídia e divulgação (exceto aqui e no AN). Desta vez, no Rio, até a CBN se mobilizou. Noticiado, temido pelos agora aliviados políticos, a manifestação ficou muito aquém do que era esperado. Não faço uma leitura de ser este movimento dissonante do sentimento coletivo. Ao contrário. è sim uma demanda social que só os ardorosos defensores do status quo se animam a defender. Sem entender que atacando o movimento necessariamente defendem a corrupção. Sempre disse que as redes sociais PODEM derrubar governos. Tem sido assim. Mas não colocam outro no lugar. Este papel não é virtual. Tem que ser real. Nosso descolamento daquilo que nos é obrigatoriamente de nossa responsabilidade, nossa história e nosso futuro, chega a ser desconcertante. E sempre temos a explicação de que não fui eu: foram os outros! Os outros, a quem chamamos de POVO como se dele não fizéssemos parte,são sempre os responsáveis pelas más escolhas de Tiriricas e Sarneys. Somos nós. Todos nós. O voto do maranhense em Sarney também é resultado da escolha que faço em MG ou SP. Minha má escolha - e em todos os estados do Brasil a oferta é ampla e variada! - influencia sim o clientelismo e a apatia que anestesia. Nunca vi ninguém reclamar de uma anestesia. Sempre vejo dores quando esta passa. O elogio da ignorância, a verdadeira herança maldita do lulopetismo, se reflete até nesta apatia agora acentuada. Nossas instituições de luta (CUT, UNE, etc) estão dóceis e compradas, sem exageros. Como você sempre salienta. Até onde estas ações de minorizar a participação da sociedade organizada reflete na maioria dita silenciosa? Se até eles, os eternos opositores, se renderam a aderiram ao esquema que se denuncia como alterar o rumo certo ao abismo? Não há saída sem a tal mobilização. A voz rouca das ruas, como dizia Ulisses. E esta voz, pelo que vimos, está afônica. Você está certo. Se escolhemos mal e sequer nos importamos com quem escolhemos, o que esperar agora de denúncias que fizermos contra quem, na maioria, nós mesmo escolhemos? O conforto de ter voz ao teclar no computador não substitui a necessidade de estar presente nas ruas. O desabafo não pode ser catarse. Não pode bastar o protestar nas redes sociais. Elas são instrumentos. Não solução. Um lobo sozinho é comida de onça. Uma alcateia é uma força incontrolável. Mas, ao contrário do que me pareceu ser um desabafo seu (com uma grande dose de desânimo), não perco a esperança. No meio dos carneiros apáticos ainda existem alguns que se recusam a ser carneiros. E menos ainda apáticos. Estes me parecem essenciais. Não sou um Dom Quixote (já disse que estou mais para Sancho Pança!). Mas creio que somos necessários, os carneiros inconformados. Foi ótimo você, meu amigo, ter dado esta sacudida em todos e em cada um. Esperar que alguém vá a luta por um direito seu é delegar a outro o seu próprio futuro. Esperar em casa, nas notícias da TV, o sucesso (ou não) da manifestação que você se comprometeu a apoiar é atitude de preguiçoso que acredita que a própria presença não é necessária. E esta preguiça é imoral. Afeta a todos. Prejudica seu futuro e das próximas gerações. Uma pena. "SUAS ATITUDES FALAM TÃO ALTO QUE EU NÃO ESCUTO SUAS PALAVRAS!"

Observador100 em 21 de setembro de 2011

Caro Setti Permita-me discordar mas penso que voce exagerou nas tintas. Vendo pelo lado positivo, foram 2500 pessoas que se dispuseram a interromper seus afazeres e ir à rua fazer o seu protesto. Como se trata de um movimento apartidário e sem nenhum "patrocinador" de peso, já que os sindicatos e a UNE estão "contando dinheiro", como diz o Augusto Nunes, temos que começar pequenos assim mesmo. O importante ao meu ver é que a imprensa não comprada se engage no movimento servindo de caixa de ressonância para estas iniciativas. Vamos aguardar 12 de outubro e vamos em frente. Uma coisa é certa: se nada for feito o Brasil corre sério risco. abraço

Tuco em 21 de setembro de 2011

. É um começo. O importante é não esmorecermos. Além disso, é praticamente zero a divulgação dos protestos. Há boa vontade dos colunistas da Veja, há algumas expressões sem muita penetração. E não se deve perder de vista que o povinho-unda é imperioso: não sabe o que é jornalismo, não imagina o quanto estão sendo espoliado e, se receber qualquer migalha do Estado, está no paraíso. Nunca devemos nos esquecer que estamos no Brasil - um país de tolos. http://lc4.in/jhD3 by celeraman+ .

Carla em 21 de setembro de 2011

Setti é o seguinte: Faz 10 anos que o povo está anestesiado e agora começa a acordar mesmo..Não está esperando por líderes...Sabe que pode e deve sair às ruas...Se são 500, 4 mil ou milhões, não importa..É preciso que saia! Ponto Ontem era terça-feira, dia de trabalho no Rio, a manifestação foi marcada para às 17 horas; portanto foi um sucessoooooooooooo! E, meu caro Setti, fique certo que aquelas pessoas da Cinelândia, representavam milhões de brasileiros de outros estados que não podiam estar lá de corpo presente, mas estava na energiaaaaaa! Calma que a Vossa Excelência, O POVO, está descobrindo sua autonomia e importância. Mas, principalmente, achou o caminho para se organizar sem precisar de partidos, sindicatos e outros mais... O maravilhoso desse movimento é que a bandeira que defendemos é a do BRASIL. Beijocas Carla

Paulo Bento Bandarra em 21 de setembro de 2011

Como eu disse, é muito mais fácil pedir diretas já, do que combater a corrupção, ou a violência urbana com passeatas. É preciso ter um horizonte claro a vista, como no caso das diretas, fora Collor, Fora FHC. Digamos que fossem 500 000 na manifestação. Quem faria o combate a corrupção a não ser os mesmos corruptos no poder? Acho que isto que inibe as manifestações. Como no texto sobre a PF, vemos que a coisa está entranhada na máquina pública profundamente.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI