Muito oportuna as críticas do líder do PT na Câmara, deputado Paulo Teixeira (SP), ao técnico da seleção, Mano Menezes, por fazer propaganda de cerveja (confira nos vídeos abaixo). A postura de Teixeira aparentemente levou seu xará Ricardo Teixeira, eterno presidente da CBF, a pressionar o técnico.

Ricardo Teixeira, Deus sabe, não é nenhum santo. Ocorre que ele tem pavor da ideia de alguma CPI que investigue a CBF, uma das entidades menos transparentes “deste país”.

Quanto a Teixeira, o deputado, ele poderia também, quem sabe, se preocupar com a hipocrisia da legislação que proíbe a divulgação de publicidade de bebidas alcoólicas na TV entre 6 horas da manhã e 9 horas da noite – mas a lei finge que a cerveja, a bebida alcoólica mais consumida no país, não tem álcool.

Para isso, bastaria ao deputado dar força ao projeto de lei de um colega de partido, Paulo Pimenta (RS), que propõe incluir na Lei 9.294, de 1996 (que dispõe sobre restrições à propaganda de cigarros e bebidas como cachaça, vodca e uísque) restrições para propagandas de bebidas com teor alcoólico inferior a 0,5 graus.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − onze =

Nenhum comentário

francisco penin em 04 de abril de 2011

Setti, Tens o mérito de abordar assuntos relevantes,como esse de Mano Menezes, de forma competente. Por esportista, julgo que o técnico da seleção não deveria fazer apologia de drogas, ainda que lícitas. Ponto. Fizeste uma enquete para saber a opinião dos leitores sobre o fato de Aécio Neves posar de garoto-propaganda de uma conhecida marca de cerveja; a maioria condenou a postura do senador mineiro. Outro ponto. O senador Suplicy foi ao CQC e fez um papelão. O decoro parlamentar foi ofendido? Isto não mereceria uma enquete? Caro Penin, o senador Suplicy, a quem prezo pessoalmente -- entre outras coisas, foi meu colega de redação há muitos anos na extinta revista "Visão" --, entra em tantas frias, pratica tantos atos descabidos e não raro ridículos que, de tão conhecidos, não merecem a meu ver uma enquete. Um abração

Fabricio em 31 de março de 2011

Parabéns ao parlamento e a sociedade brasileira que está cansada de ver as empresas de marketinhg e a industria de cerveja faturarem em cima de cadáveres no trânsito.

Carlos em 31 de março de 2011

Setti, este Mano Meneses é bandido e está pouco se importanto com o que qualquer um diz. Tem costas muito quentes. Ele representa os interesses de criminosos como Kia Jorabichiam e Zini. Conhecidos representantes do crime organizado no futebol.

André Dalmaschio em 31 de março de 2011

Vale a pena lembrar que muitos institutos de defesa à liberdade de imprensa suspeitam de governos que restringem excessivamente propagandas diversas, aumentando o peso da publicidade governamental. Seria uma maneira de tornar a imprensa independente refém das verbas públicas. Cigarro, bebida alcoólica, alimentos que engordam, medicações que não exigem prescrição...no futuro, carros que poluem...Sem dúvida a lei supracitada é contraditória, mas deve-se ter cuidado com a progressão das restrições.

Jean Tosetto em 31 de março de 2011

Acabo de voltar da Câmara de Vereadores de Paulínia (SP), onde a Campanha da Fraternidade da Igreja Católica, com o tema relacionado ao meio ambiente, foi lançada oficialmente, com a presença do prefeito da cidade, secretários, vereadores, líderes comunitários e religiosos. Tive a honra de compor a mesa, na qualidade de Presidente da Comunidade Evangélica Luterana de Nova Odessa e região, substituindo meu Pastor, que convalesce de uma cirurgia no quadril. Nos poucos minutos que me foram concedidos ao microfone, diante de um plenário com mais de 200 pessoas, mencionei justamente o fato de que a sociedade consumista em que vivemos, submetida à lógica de mercado, fabrica ídolos no esporte, no cinema, na TV e na música, com o intuito de promover a venda de produtos supérfluos, o que decididamente não contribui para o equilíbrio do meio ambiente. Sem ter lido este post, citei o fato de que, quando um craque do futebol atua numa propaganda de TV, não o faz para promover o feijão e o arroz, mas para vender cigarros, refrigerantes, bebidas alcoólicas e carros. Citei também o fato de que nossas comunidades dependem muito do uso do carro, o que é prejudicial à qualidade de vida de todos, devido à queima desnecessária de combustíveis e tempo perdido em engarrafamentos, inclusive nas cidades pequenas. Agora, a cereja do bolo, no tocante a este blog. Caro Setti, lembra daquele post em que o senhor comentou sobre as "catedrais" subterrâneas de Tóquio, que armazenavam água de chuva? Nos comentários escrevi sobre a construção artesanal de pequenas cisternas residenciais. Pois bem, me dirigi ao prefeito José Pavan, e relatei que no mandato anterior, havia encaminhado uma proposta neste sentido a um conselho municipal da cidade, não obtendo resposta. Para minha surpresa ele gostou da idéia e publicamente se comprometeu a encaminhar para o legislativo um projeto de lei para incentivo do aproveitamento de águas pluviais, bem como outras propostas neste sentido! Vamos ver o que vai acontecer. Quietos não vamos ficar. Não podemos pecar por omissão. Abraços!

J.B.CRUZ em 30 de março de 2011

CARO SETTI!! PERGUNTA INGÊNUA: Não seria melhor o governo que se mostra tão preocupado com a saúde e o bem estar social da sociedade, simplesmente mandar um projeto lei para o congresso nacional mandar fechar por tempo indefinido, fábricas de cervejas e cigarros??..Hipocrisia, pura !!

carlos em 30 de março de 2011

Melhor ainda seria reduzir o poder da canalha política que hipocritamente acha que tem condições morais de impôr regras de conduta à população. Que autoridade ética tem um deputado para proibir as pessoas de verem e fazerem propaganda de bebida? Não existe propaganda mais nociva à sociedade que o horário partidário gratuito e a publicidade governamental. Ambas são genuinamente aulas de deseducação política, estimulando doentiamente o paternalismo e o clientelismo, minando a capacidade das pessoas de buscar seus objetivos de maneira independente. Ajudam a disseminar esse câncer social que é a estatolatria. O que são bebidas alcólicas perto disso?

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI