Image
Controle cambial na argentina impede conterrâneos do papa virem ao Brasil em sua visita (Foto: Reuters)

Vejam só o altíssimo grau de liberdade de que os cidadãos argentinos desfrutam quando se trata de, legitimamente, comprar moeda estrangeira e viajar para o exterior.

Se com medidas como as que vocês terão oportunidade de ler na reportagem abaixo a economia argentina estivesse uma maravilha, mas, como sabemos, não: o governo bolivariano de Cristina Kirchner mascara a inflação, proíbe a divulgação de índices que não sejam os oficiais — como ocorre em ditaduras –, afugenta o capital estrangeiro, perde competitividade internacional e empurra para a frente uma crise que, um dia, explodirá.

Reportagem publicada no site de VEJA

ARGENTINOS NÃO CONSEGUEM COMPRAR REAL PARA VER O PAPA NO BRASIL

Restrição cambial dificulta a vida dos peregrinos; jovens não conseguem trocar pesos no banco porque muitos não trabalham e não podem comprovar salário

Nem mesmo a primeira viagem de um papa argentino à América Latina inspirou o governo da Argentina a aliviar o rígido controle cambial para os peregrinos que desejam ver o papa Francisco no Brasil, na semana que vem.

Milhares de jovens católicos argentinos, muitos de origem humilde, desejam viajar ao Rio de Janeiro para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) e encontrar o papa conterrâneo, que chega na segunda-feira na primeira viagem ao exterior de seu pontificado. Mas as restrições para a troca do peso argentino pelo real estão complicando os planos dos peregrinos.

Muitos afirmam que as regras deveriam ter sido aliviadas para uma ocasião especial. “O governo não está sendo razoável”, disse à Reuters o bispo Raúl Martín, de Buenos Aires. “Obviamente muitos argentinos iriam ao Brasil.”

Martín disse que cerca de 18.000 jovens se inscreveram para o evento no Rio. Muitos vão dormir em escolas pertencentes a organizações religiosas e faltarão ao trabalho. Ele disse estar recebendo ligações diárias de pessoas que não conseguem trocar dinheiro. A mídia local estima que 42 mil argentinos irão ao Brasil.

Antes de viajar para o exterior, os argentinos precisam solicitar uma permissão ao governo para trocar pesos. Eles precisam repassar detalhes da viagem e apresentar documentos, incluindo detalhes sobre seus salários. O problema é que muitos jovens que se inscreveram para a JMJ são muito novos para trabalhar, disse Martín, e não estão podendo trocar pesos por reais porque não têm como comprovar salário.

Sacar dinheiro em caixas-eletrônicos com um cartão de crédito, opção utilizada como último recurso, não funciona no Brasil, uma vez que a Argentina proíbe os saques em países vizinhos. A presidente argentina, Cristina Kirchner, estabeleceu novos controles sobre a compra de moeda estrangeira logo após ser reeleita, em outubro de 2011, para tentar reduzir a saída de capital.

A dificuldade em fazer transações de câmbio levou muitos argentinos ao mercado negro em busca de dólares. Em Buenos Aires, cambistas fazem fila nas principais ruas oferecendo “câmbio” aos pedestres. Líderes religiosos, no entanto, não querem encorajar a atividade ilegal e estão solicitando informação ao governo sobre como jovens podem comprar legalmente uma quantidade limitada de reais, disse Martín.

Um porta-voz do Banco Central da Argentina informou que as regras atuais autorizam instituições religiosas a trocar dinheiro diretamente com o banco, mas que os peregrinos que desejam viajar para ver o papa devem percorrer o caminho normal.

(Com Reuters)

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 18 =

18 Comentários

Santana*100 em 22 de julho de 2013

Santana*100 - 22/07/2013 às 15:17h Correção: É complicado INVERTER!

Santana*100 em 22 de julho de 2013

Charles A. - 22/07/2013 às 2:52h Caro Charles é complicado "inverte". - No Haiti deu-se a mesmíssima coisa, na Rodésia hoje Zimbabwe também.

Charles A. em 22 de julho de 2013

Vi um comentário bastante antiamericano,e por que não dizer,bastante imbecil, que fala sobre a falência de Detroit e a imensa pobreza em que vivem os irmãos do Norte.No Brasil, municípios não vão à falência ,e não é porque pagam suas contas em dia,é porque não pagam suas contas e fica por isso mesmo.Em Detroit, a falência é da Prefeitura que não consegue saldar a tempo um dívida de 19 bilhões de dólares,coisa pequena perto do que o PT rouba,doa a bilionários, e perdoa por aí. É que lá as leis funcionam.Não pagou,faliu;seja cidade,empresa ou cidadão.A derrocada de Detroit é fruto de uma guerra racial que espantou a população branca da cidade para os subúrbios ,que são ricos e prósperos. A cidade ficou parcialmente abandonada,com belos prédios totalmente jogados às traças, e dominada por gangs violentas(apesar de que a violência é menor do que no Rio) e é difícil para a administração trazer de volta a confiança de visitantes e investidores numa cidade com um histórico desses que ,de 2 milhões de habitantes, passou a ter cerca de 700 mil.Detroit não é fruto de crise nenhuma ;é fruto de uma história local de racismo invertido,de negros contra brancos.Saíram perdendo todos...Quanto a americanos viverem em "tend cities",qual a porcentagem da população que vive assim?Essa é uma situação provisória.Sem esquecer que foi o esquerdista Obama quem abriu as asas protetoras do governo a favor de empresas falidas aumentando enormemente a dívida americana,financiou guerras contra si mesmo, inaugurou a era da espionagem contra inimigos políticos . O comentarista de 19/07/2013 às 14:34,que como eu é de um país que banca o rico sendo pobre,com um governo arrogante,incompetente e invejoso do sucesso alheio,que perdoa dívidas de países corruptos ,ajoelha-se diante de ditadores com um currículo prá lá de ridículo,com uma dívida interna impagável e uma coleção de prêmios internacionais pela péssima qualidade de vida,falta de saneamento básico, saúde precária,grande parte da população vivendo em barracos de madeira de sobras de caixotes , papelão e plástico,favelas com esgoto a céu aberto, estradas esburacadas,portos lotados,cidades desorganizadas,caos na saúde, na segurança, nos transportes públicos,na política,na saúde, na educação,na aviação,na corrupção,no totalitarismo,na censura.Pois é,esse cidadão se acha no direito de criticar o modelo econômico norte-americano.Direito ele tem.Só não tem é razão...

Charles A. em 22 de julho de 2013

É ou não é uma nova Cuba?Para a viúva negra,importa mais o controle sobre os cidadãos,de não deixá-los sair do país, do que a economia.A coisa boa é que esses vagabundos e vagabundas vão cair em desgraça antes do que pensam.Com a Graça de Deus!

Corinthians em 20 de julho de 2013

Setti, Realmente, o bolivarianismo, lullopetismo e comunismo são ótimos. Temos que 1 em cada 6 americanos vivem abaixo da linha de pobreza. Já no Brasil a classe média vai de vento em popa. Não interessa que em Nova York é considerado pobre uma família composta por, no mínimo, dois adultos e dois dependentes cuja renda chegue até US$ 30.949 por ano, e que no Brasil R$ 300 per capita seja classe média (ou seja, R$ 1200 por família, que por 12 meses daria R$ 14400 por ano, e sendo conservador considerando o dólar no valor de dois reais, US$ 7200 por ano. Os números não interessam. Vale a crença. Vale o título. Vai dizer agora que é melhor ser pobre nos EUA, com aquela infra-estrutura ridícula, aquela educação fuleira, aquela saúde ruim, quando aqui podemos ser classe média com a escola pública que temos, o SUS tão bom mas tão bom que Lulla e Dillma se recusam a usar, com as estradas lisinhas, a malha ferroviária de dar inveja... Nuncaanteznahiztóriadeztepaíz a classe mérdia foi tão grande.

João Leopold em 20 de julho de 2013

A Argentina é o Brasil de amanhã! Tem algo errado nesta notícia, como para passar a fronteira só exige carteira de identidade o câmbio pode ser feito no lado brasileiro a não ser que aqui não se aceite mais o peso argentino.

Marilene L'Abbate - São Paulo em 20 de julho de 2013

O mofado-comunismo-latino-americano SUICIDOU-SE, politicamente!!! Finalmente, já podemos visualizar a Luz Divina! Que os geniais ANJOS auxiliem-nos na conclusão dessa terrível Guerra-Espiritual = Guerra-dos-Imigrantes, que está construindo a Verdadeira-Democracia, desde a Grande-Imigração dos Séculos XIX e XX.

JOSE OLIVEIRA - FORT/CE em 19 de julho de 2013

....Utilizem BITCOIN moeda digital utilizada por muitos.Não tem pátria é aceita nos países de boa-vontade.Fora do controle dos (Des)governantes.

Marilene L'Abbate - São Paulo em 19 de julho de 2013

Com certeza, um dia, essa terrível crise comunista latino-americana EXPLODIRÁ, pois a nossa geração merece ser feliz, querido Setti, depois de tanto sofrimento! TENHO FÉ!

Paulão em 19 de julho de 2013

Prezado Setti, Se a vinda do Papa ao Brasil fosse patrocinada pela FIFA, com certeza os governos bolivarianos mudariam as respectivas legislações internas para facilitar a viagem dos fiéis.

Observer em 19 de julho de 2013

Seria interessante saber se,os outros turistas internacionais estao encontrando a mesma dificuldade,se a resposta é negativa? Eu diria que estariam reprimindo a vinda dos nossos irmaos argentinos ao Brasil e desta forma contribuindo,descaradamente ao mescado negro. Mas isto nao seria um crime??? Sendo que a noticia da visita do Papa em territorio brasileiro nao é uma novidade,mas coisas estranhas,muito estranhas acontecem no Brasil repentinamente!!!

moacir 1 em 19 de julho de 2013

Setti, Diante da maravilhosa LIBERDADE usufruída pelos hermanos argentinos,não entendo como consegue o nosso prezado mascote bolivariano da seção K,viver longe desse Paraíso. Daqui a pouco ele aparece para dizer que é tudo mentira da mídia golpista,puro terrorismo midiático,pura maldade da quadrilha dos Papas mafiosos - iniciada pelos Bórgias espanhóis e hoje chefiada pelo simpático Chico peregrino. Camilo Castro,onde estás que não te lemos ? Abraço

Luiz Pereira em 19 de julho de 2013

Corinthians - 19/07/2013 às 16:09, Vamos incluir a Argentina "camilocastriana". hehehe abs

Corinthians em 19 de julho de 2013

Setti, Acho que uma enquete poderia ser: Imaginando que o Brasil seja destruído por uma hecatombe, e você precisa se mudar obrigatoriamente para um destes países, se tornando um cidadão comum e naturalizado, com todas as obrigações e direitos, qual você escolheria ? 1) Cuba 2) EUA Seria interessante ver as respostas...

J.B.CRUZ em 19 de julho de 2013

Isto é retaliação da Cristina..Parece que o PAPA, sempre foi contra linha do governo dos Kircchener..

Roberto Macedo Filho em 19 de julho de 2013

Prezado Colunista O senhor com certeza sabe que 1 em 6 americanos vivem hoje na linha da pobreza. E que 146 milhões de americanos estão com os bolsos vazios. Mas, é claro, na Argentina as coisas estão bem piores por causa do bolivarianismo. Obrigado por nos defender do bolivarianismo, do lulopetismo e, de quebra, do comunismo ateu..

Alexandre em 19 de julho de 2013

A copanheirada tralhando arduamente na internet pra proteger os vagabundos (Roberto Macedo Filho),não é mesmo Setti!!!

Roberto Macedo Filho em 19 de julho de 2013

Prezado Colunista Por que o senhor não aborda as 'maravilhas' do modelo americano? É oportuno: Detroit pediu falência esta semana. E milhões de americanos, como o senhor certamente sabem, vivem hoje em 'tent cities', ajuntamento de barracas, por terem perdido a casa. Fica a sugestão. Todos sabemos que as condições de vida e tudo o mais na Argentina são muito superiores às dos Estados Unidos, não é mesmo? Eu não abordo as maravilhas a que você se refere porque, como colunista de opinião, combato sempre que posso o totalitarismo, a demagogia e a corrupção do bolivarianismo. Para mim, isso é prioridade, e inclui o lulopetismo.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI