Image
A capa do livro “Misha & Suas Mamães vão às Olimpíadas”: iniciativa anti-homofobia russa (Foto: FCKH8)

Ativistas a favor dos direitos dos homossexuais não estão deixando barato a institucionalização da homofobia promovida por políticos russos. 

Conforme uma lei aprovada em junho deste ano, com 433 dos 434 integrantes da Duma, a Câmara dos Deputados, votando a favor – e apenas uma abstenção -, fazer “propaganda de orientação sexual não tradicional” a menores de 18 anos pode render multa de até cerca de R$ 68 mil aos infratores.

Sancionada em julho pelo presidente Valdimir Putin, a normativa esquentou mais ainda a polêmica sobre homofobia na Rússia, que vinha aumentando via a aprovação de leis anteriores, como a que proíbe a adoção de crianças russas por casais do mesmo sexo, e por declarações discriminatórias de celebridades como a superatleta Yelena Isinbayeva.

Image
Ysinbayeva: “Na Rússia, vivemos com homens ao lado de mulheres e mulheres ao lado de homens. Tudo deve ser assim, é histórico” (Foto: telegraph.co.uk)

A saltadora ganhou manchetes do mundo inteiro em agosto ao criticar os atletas que se manifestaram contra leis homofóbicas russas no último Mundial de Atletismo, realizado em Moscou. “Estamos com muito medo em relação à nossa nação”,  afirmou. “Nós nos consideramos pessoas normais, dentro do padrão. Vivemos com homens ao lado de mulheres e mulheres ao lado de homens. Tudo deve ser assim, é histórico. Nós nunca tivemos problemas assim na Rússia, e não queremos ter no futuro”.

Embora a supercampeã tenha, depois, amenizado duas declarações, o episódio contribuiu para que pipocassem diversos protestos e pedidos internacionais de boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno, previstos para o período entre 7 e 23 de fevereiro de 2014 na cidade russa de Sóchi. O grupo mais ativo pela causa é o americano All Out.

A marca de roupas FCKH8, com sede no Estado norte-americano da Flórida dedicada ao público LGTB, entrou na briga da seguinte forma: preparou um livro de colorir infantil com o título Misha & e His Moms Goes to the Olympics (“Misha e suas Mamães Vão às Olimpíadas”), com história em russo sobre um garotinho que tem duas mães e vai aos Jogos, e enviará a 10 mil famílias que possuem em seu mailing list.

“A Rússia transformou em crime qualquer declaração pró-gay e esta lei está prestes a ser quebrada”, disse Luke Montgomery, da FCKH8, em comunicado. “A mensagem deste livro de colorir é fazer com que as crianças na Rússia saibam que ser gay é normal. Agredir e prender pessoas só por saírem do armário ou aprisioná-las simplesmente por dizerem que alguém da família ser gay é normal constitui em um ataque aos diretios humanos e na ruína do espírito olímpico. Desrespeitaremos esta lei homofóbica e não há nada que o governo possa fazer para nos deter”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − treze =

11 Comentários

glauco em 26 de novembro de 2013

O problema maior não é a LEI. Ao mesmo tempo em que a controversa lei foi aprovada, inúmeros casos de violência homofóbica vieram à tona na Rússia, o que acendeu o alerta da comunidade internacional. O último informe da associação Ilga-Europa indicou que a Rússia é a nação europeia mais difícil para minorias sexuais. A pesquisa avaliou 49 países e durou cinco anos, acabando antes da aprovação da lei.Então isso incentiva crimes e perseguição. Em maio deste ano, um jovem da cidade de Volgogrado foi espancado, estuprado com uma garrafa de cerveja e em seguida teve o crânio esmagado. Na semana do crime, os suspeitos confessaram o ataque e contaram à polícia local que o ato foi cometido por causa da orientação sexual da vítima. CHEGA DE HOMOFOBIA!

Luis Pimentel em 23 de novembro de 2013

Se essa lei apenas pune quem fizer “propaganda de orientação sexual não tradicional” a menores de 18 anos, ela não tem nada de homofóbica. Apenas protege os menores do lobby pró-gay. Ou seja, quem é gay mas fica na sua, sem querer impor seu estilo de vida aos outros, como acontece muito hoje em dia, não é atingido pela lei. Onde está o "desrespeito" aos gays?

glauco em 22 de novembro de 2013

Absurdo esse comentários! Luiz: na Rússia mt coisa é diferente, mas devemos procurar mudar pra melhor aquilo que vemos ser errado pois está incentivando violência e discriminação! Robson, não achei mt claro seu comentário o que seria esse "caso escabroso"? Espero que seja esse caso sobre essa lei absurda da Rússia. Cau: NINGUÉM deixa de ser gay, NÃO É UMA ESCOLHA! Isso é científico, se fosse assim eu pergunto a todos os heteros que estão lendo esse post: QUANDO VC ESCOLHEU SER HETEROSSEXUAL? Ser hetero ou ser gay é algo normal, natural e já nascemos assim. Marcos vc é normal ao querer soltar com ela e eu sou normal tb não querendo soltar ou ficar com ela. O "normal" não é só o que a maioria faz ou pensa. Ze cricri: Respeito é bom e eu gosto, já diz o ditado, deve-se respeitar a Rússia e qq outro país, mas não deve-se "respeitar" leis que incentivam a opressão contra qualquer ser humano, inclusive uma minoria. Nilson: Os livros não são pederasta, mas educativos e vão chegar sim. E a arma que deve ser usada contra o preconceito é essa: LIVROS, EDUCAÇÃO E INFORMAÇÃO! Schumy: Que bom que pelo menos vc é contra essa lei absurda! Não existe essa de "ditadura gay" ou incentivar as pessoas a serem gays. Uma pessoa, criança ou não, não vai se tornar gay por ver um livro que mostra uma criança educada e amada por 2 mães. Ver a homossexualidade como algo normal não é brigar com a natureza, pois na natureza vários animais são homossexuais. A violência física vem de uma violência ideológica que deve ser condenada e criminalizada. Dizia-se, por exemplo, que negro não tinha alma e isso era usado pra justificar a escravidão. Espero que possamos ter um futuro melhor aqui no Brasil e na Rússia, onde todos possamos nos amar como irmãos e sem tantos preconceitos!

Schumy em 21 de novembro de 2013

Acho que essa lei aprovada na Rússia esbarra na liberdade de expressão,por isso sou contra ela.Mas fazer campanha contra a discriminação de pessoas é uma coisa,exaltar determinadas práticas é outra bem diferente.Essa empresa,com o pretexto de fazer campanha contra a discriminação de pessoas,está na verdade querendo apenas incentivar crianças à prática homossexual. E não adianta brigar com a natureza,dizendo que a homossexualidade é normal,porquê não é.Vai contra a natureza do indivíduo,que tem o corpo anatomicamente criado para ter relações com pessoas do sexo oposto ao dele,mas prefere ter relação com outra pessoa do mesmo sexo que o dele. Pode se dizer que a homossexualidade é normal,mas não pode-se tornar a homossexualidade algo normal.Não dá pra brigar com a natureza. PS: É uma estupidez tratar a aversão a uma prática sexual como homofobia.Homofobia não é condenar uma prática sexual,mas,sim,perseguir quem pratica. Seria como tratar quem imoral fazer sexo por dinheiro,como alguém que perseguisse as prostitutas. Essa confusão muitas vezes é feita justamente para criminalizar a opinião de quem acha imoral e ridículo a prática homossexual,e legitimar a sua perseguição com leis que a proíbam de dizer o que pensa.

Nilson em 21 de novembro de 2013

Apoio total a lei russa. Alguém acha mesmo que esses livrinhos pederastas vão chegar para alguém?

ZE CRICRI em 21 de novembro de 2013

O problema dos brasileiros é a falta de conhecimento. Nos achamos que em todos os lugares do mundo, é como no Brasil. As liberalidades excessivas que existem por aqui, não são toleradas em outros paises. Quere- mos apenas ser respeitados na nossa maneira de ser, mas não respeitamos os costumes de outros povos. Quem achar que a Russia não é um bom lugar, que não va para la. Isso vale para qualquer um, inclusive para os ecochatos do greenpeace.

Marcos F em 21 de novembro de 2013

Só sei que eu quero saltar com a Ysinbayeva. Ainda sou normal.

Paulo Suniga em 20 de novembro de 2013

Cada um com o seu cada um, se tivessem sem essa de "serem especiais" "sic", provavelmente viveriam sem incomodações

Cau Marques em 20 de novembro de 2013

Se eu fosse gay, e me mudasse para a Rússia, deixaria de ser! A mulher eslava é a mais linda do planeta! (depois da minha mulher, é claro...)

Robson em 20 de novembro de 2013

É ultrajante que o Comité Olímpico Internacional não mova uma palha sequer neste caso escabroso de violação dos direitos humanos. Uma lastima!

Luiz C. em 20 de novembro de 2013

Na Rússia, as coisas são resolvidas de outra maneira; a Ativista Ana Paula Maciel que o diga! Ou se enquadra, ou fica longe...

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI