Image
Gilmar Mendes: dando um empurrão importante para apressar o julgamento do mensalão (Foto: Nelson Junior/ STF)

O ministro Gilmar Mendes é, provavelmente, o ministro mais detestado do Supremo Tribunal Federal.

Falam mal dele por supostas decisões que teria proferido de forma interesseira, falam mal por ligações políticas de sua família em seu Mato Grosso natal, falam mal dele até – ou, vai ver, principalmente – por ter sido indicado para o Supremo pelo presidente Fernando Henrique Cardoso.

Não vem ao caso, agora, discutir tudo isso. Mas vale lembrar que a passagem do ministro pela presidência do Conselho Nacional de Justiça (2008-2010) foi elogiada até por adversários seus, tal o rigor que imprimiu na investigação de malfeitorias praticadas por magistrados e tribunais e pela contribuição que deu à modernização dos métodos de aferição da produtividade do Judiciário.

Por não ser oriundo da magistratura, mas do Ministério Público — e, antes de integrar-se ao Supremo, foi Advogado-Geral da União –, Gilmar não teve complacência diante de corporativismos, algo que não se pode dizer do atual presidente, Cezar Peluso, juiz de carreira.

Mas o de que se trata, hoje, é do importante empurrão que o ministro deu para acelerar o processo do mensalão, em curso desde 2006 no Supremo Tribunal Federal.

Na declaração mais terminante que um ministro do Supremo proferiu sobre o caso até agora, o ministro defendeu hoje, na Câmara dos Deputados, que a corte inicie o julgamento do mensalão ainda no primeiro semestre deste ano, para evitar o risco de prescrição de penas — se preciso for, suspendendo a pauta normal do Supremo. “Se se quiser votar até este ano, tem que ser no primeiro semestre”, disse.

Vejam bem: o ministro sugeriu suspender a sacrossanta pauta de julgamentos do Supremo. Nenhum colega chegou tão longe, até onde a vista alcança, na defesa da realização de qualquer julgamento importante.

Ele também admitiu — outra atitude importante tomada publicamente — que o Supremo já está atrasado: “De certa forma, sim. Precisa haver algum cuidado, mas tudo depende do relator (Joaquim Barbosa) e do revisor (Ricardo Lewandowski)”.

Sobre o ministro Lewandowski — aquele que, em célebre e infeliz declaração, chegou a aventar a possibilidade de se deixar o mensalão para 2013 –, não teve papas na língua, afirmando que o colega “está preocupado com o Tribunal Superior Eleitoral”. Lewandowski é presidente do TSE, mas deverá deixar o cargo no próximo dia 22, em favor da ministra Cármen Lúcia.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 4 =

Nenhum comentário

Leandro em 12 de abril de 2012

Matéria absurda do The Guardian: “Todos querem falar com a presidente Rousseff, menos Obama” sobre o tratamento destinado a Dilma pelo presidente americano. Se o que temos aqui: petralhismo, paternalismo, populismo, corrupção desenfreada, ensino deficiente, sistema de saúde anêmico, segurança pública calamitosa, sistema judiciário ineficiente, logística inqualificável, estruturas urbanas e viárias deploráveis, taxas de juros estratosféricas, taxa de crescimento minguada, etc, etc, etc… for modelo para os EUA, pode-se realmente dizer que ou mundo ou a credibilidade do The Guardian, ou ambos, estão acabando. Caro Leandro, há tempos acho o Guardian um jornal com viés ideológico que prejudica sua objetividade, sobretudo na cobertura do que antes se chamava Terceiro Mundo. Procurei acompanhar ao máximo o noticiário sobre a visita da presidente a Washington, e, além das informações que obtive de fontes, não vi absolutamente nada que confirmasse descaso de Obama para com Dilma. O que houve, sim, foram divergências, além de não terem sido tocados temas de interesse do governo brasileiro, conforme registrei em post. Mas nada que pudesse se aproximar disso: indiferença ou pouco caso com a presidente da República. Abraço

Arlindo Rebouças em 12 de abril de 2012

Ofensivas? Então vou dizer que ele é um exelente ministro, que não soltou o maior bandido do Brasil duas vezes em 48 horas! É um exemplo para a sociedade brasileira! Um paladino da moralidade! Um homem que não escuta a "VOZ ROUCA DAS RUAS" OU "O DIREITO DE ESQUINA".em suma: É mau visto perante a sociedade, porém o melhor do STF! KKKKKKKkkkkk. Criticar, como você faz agora, por meio da ironia, é uma coisa. Xingar e ofender é outra, caro Arlindo, e você mostra, com seu comentário de agora, que sabe perfeitamente diferenciar uma da outra. Um abração

relume romano em 11 de abril de 2012

Observamos as alternativas que melhor é para o Brasil''Hoje''pensar grande,ser criativo e não se alucinar por alguns momentos e depois ficar-mos prostrados durante horas ou dias ou anos.

Arlindo Rebouças em 11 de abril de 2012

Não publico insinuações ofensivas.

Sidnei Rodrigues em 11 de abril de 2012

REVOLTANTE..2) PUNIÇÃO SEVERA PARA POLÍTICOS CORRUPTOS: Fundamento: É estarrecedor saber que o Brasil tem o 2º maior índice de corrupção do mundo, perdendo apenas para a Nigéria, porém, comparando os dois países o Brasil está em uma situação bem pior, já que não pune nenhum político corrupto como deveria, o Brasil é o único país do mundo que não tem absolutamente nenhum político preso por corrupção, portanto, está clara a razão dessa praga (a corrupção) estar cada vez pior no país, já que nenhuma providência é tomada, na China, corrupção comprovada é punida com pena de morte ou prisão perpétua, além é óbvio, da imediata devolução aos cofres públicos dos valores roubados. O ministro chinês fez uma pequena citação que apenas nos últimos 5 anos, o Brasil já computou um desvio de verbas públicas de quase 100 bilhões de reais, o que permitiria investimentos de reflexo nacional. Ou seja, algo está errado e precisa ser mudado imediatamente.

marcia perim em 11 de abril de 2012

Parece que aqui as pessoas jogam muito pelo lado pessoal do que racional. O pessoal nem sempre é bom para uma análise. Quem é Gilmar Mendes? Ministro que foi aprovado com inúmeras ressalvas pelo senado, com muitas rejeições, bem como nomeado por FHC, que lidera partido de oposição ao governo. Pq ele está chamando a imprensa e querendo agilidade no julgamento do mensalão? O mínimo que uma pessoa com um pouco de bom senso deveria pensar é que alguma coisa está errada visto os acontecimentos que cercam/cercaram tal ministro do STF. Recetemente este ministro participou de um episódio no minimo curioso : os dois HC concedidos ao banqueiro Daniel Dantas em tempo recorde e onde houve supressão de instancias;Num outro processo normal, de um ser humano normal(estão lendo pessoal! - nós somos abaixo deles! Lembrem de seus processos na justiça comum...) isso seria fatalmente cancelado. Declarações pela imprensa sobre processos que iriam ser julgados pelo mesmo (juiz só faz declaração nos autos!); dentre muitos outros episódios "estranhos" como o grampo sem audio entre o Gilmar e o agora "falecido" amigo de bicheiro MAFIOSO (LEEM "GOMORRA" DE ROBERTO SALVIANO PARA COMPARAR SE NÃO É MAFIA IGUAL - a imprensa esconde os assassinatos ordenados pela mafia em Goiás - ninguém quer falar em mafia!) Demóstenes que a revista VEJA disse que tinha? Em uma das gravações da operação da PF descobre-se tb que tanto demóstenes quanto Cachoeira se encontraram com um "juiz mais importate do Brasil" na Alemanha - até agora só se sabe que na data estipulada pela gravação só era min. Gilmar Mendes que estava naquele país... Não podemos afirmar que seja ele, mas é no minimo suspeito devido ao seu "relacionamento íntimo" com o senador Demóstenes. O que acho sobre esse post? Claro que é, essa declaração de Gilmar na mídia no mínimo para desfocar a atenção do caso Demóstenes Torres em que Gilmar, no mínimo, deverá sair "sapecado". Setti, peço que não exclua meu comentário pois além de não agredir nunguém, é somente uma análise de fatos e direito de cidadania. Abs Você não precisaria pedir de forma alguma que eu não exclua seu comentário, prezada Marcia. Tem todo o direito de expor sua opinião, já que o faz de maneira civilizada. Jamais excluo um comentário por razão política ou ideológica. Publico 99% ou mais dos comentários enviados -- e já estão chegando perto de 70.000 em menos de dois anos de blog. Este é um blog democrático. Não tenho o hábito de excluir comentários, de forma alguma -- exceto os realmente ofensivos, ou grosseiros, ou que induzem ao descumprimento da lei ou contenham ameaças. Volte sempre. Um abraço

Mairalur em 11 de abril de 2012

Podem detestá-lo, execrá-lo (não se diz que não o mereça, às vezes), mas ele forma sem sombra de dúvida, com o ministro Celso de Melo, a dupla de juristas do STF. Os outros ...

Mari Labbate *44 Milhões* em 11 de abril de 2012

Espiritualmente, FHC auxiliará o Ministro Gilmar Mendes nessa maravilhosa Missão-de-Limpeza-Planetária! SIM: Suspendamos a pauta normal do STF, pois o momento EXIGE!

Elizabeth the best queen in town em 10 de abril de 2012

O povo brasileiro quer o julgamento do mensalão já! A arraia miúda brasileira que anda de trem e acorda às quatro da manhã para chegar no trabalho quer o julgamento do mensalão já. As mães brasileiras preocupadas com o futuro do país em que viverão os seus filhos querem o julgamento do mensalão já. Homens e mulheres que pagam os seus impostos e que carregam este país nas costas querem o julgamento do mensalão já. Avôs e avós que passaram uma vida inteira tentando repassar valores positivos a seus filhos e netos querem o julgamento do mensalão já. O mundo inteiro que se interessa pelo desenvolvimento e o progresso do Brasil como potência espera o julgamento do mensalão já. Quem é LEWANDOWSKI? De que ramo de familia portuguesa, indígena ou negra é este senhor para decidir o que se faz neste país? Este país quer o julgamento do mensalão já! Você pode dizer o que quiser sobre as credenciais ou intenções do ministro Lewandowski, mas perguntar "quem é este senhor para decidir o que se faz neste país" por sua origem é RACISMO. Todos que nascemos no Brasil somos brasileiros, igualmente. Achar que só descendentes de portugueses -- que, obviamente, vieram da Europa --, negros (que, como sabemos, vieram à força da África) e indígenas (estes sim, autóctones) são brasileiros é, além de um disparate sem tamanho, uma postura a-bo-mi-ná-vel.

Pedro Luiz Moreira Lima em 10 de abril de 2012

ReynaldoBH - suas observações duras ao Ministro Lewandowski podem até ser justas,no entanto seu silencio de criticas ao Min Gilmar Mendes me deixam em duvidas de suas "justezas" ao Ministro Lewandowski. Um abraço Pedro Luiz

JulioK em 10 de abril de 2012

A esposa do Levandowski é amiga da Mariza Leticia que indicou o advogado para o Supremo!! Daí a declaração de deixar para 2013. E vai mesmo!!!

ixe em 10 de abril de 2012

- O ministro Gilmar Mendes é um ministro à altura da Suprema Corte; honra o STF. As antipatias que tem espalhado por aí se devem muito à coisas menores, mesquinharinhas. Isso, sim, é histórico: uma espécie de despeito, sem maiores consequências, até natural, com pessoas de notável saber e, por isso mesmo, às vezes "convencidas". Ou seja, mesquinharias. Das encrencas grossas atribuidas ao ministro, c acho que tem tudo a ver mesmo com o fato da indicação de FHC e do inconformismo com o julgamento do caso Dantas x Satiagraha, em que somente agora se verifica o acerto da decisão do ministro Mendes, tendo em vista o desmonte do inquérito policial que acabou beneficiando o Dantas, por ter sido muito mal feito e recheado de ilegalidades. O resultado está aí, Dantas acabou de ser inocentado, pelas ilegalidades cometidas pelo delegado doido de olho na TV pra se lançar candidato. O ministro Gilmar Mendes, como o Ministro Celso, o Min. Marco Aurélio e outros honram a cadeira do Supremo e engrandecem o Judiciário. Já uns e outros, ainda não dá pra saber mas .... estamos de olho.

Reynaldo-BH em 10 de abril de 2012

Até onde irá a letargia criminosa do ministro Lewandowski? Não se pede em momento algum que o ministro-revisor condene ou absolva os réus do mensalão. Exige-se que julgue. Esta é a função de um juiz. Apelar para atitudes protelatórias - que não se sustentam - chega a ser ofensivo ao Judiciário. E tanto é verdade que o incômodo desta posição incompreensível já é externada pelos pares do STF, em uma atitude inédita. Será que o comprometimento de Lewandowski é tamanho que o torna imune à exigência de não procrastinar um julgamento, apostando em uma prescrição que se assemelha a uma absolvição, em termos práticos? A quem o ministro deve satisfações? Ao Judiciário ou aos réus? Será que o voto do relator Joaquim Barbosa é tão precário que a necessidade de revisão toma este tempo excessivo do ministro revisor? Nada justifica este comportamento, como agora dizem às claras os outros ministros. Ou, na verdade, o que pode justificar é impublicável. E inaceitável.

joao felipe em 10 de abril de 2012

Eu estava entre os que detestavam Gilmar Mendes, principalmente depois do caso daniel dantas. Convenhamos, o cara se acha a pessoa mais inteligente desde o rei salomão. Mas depois do Cezar Peluzo. Pelo amor de Deus! O Gilmar pelo menos não é corporativista

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI