Com a localização e morte do terrorista Bin Laden, os principais políticos da oposição republicana ao presidente Barack Obama, vários deles aspirantes a enfrentar o presidente nas eleições de novembro de 2012, demonstraram, uma vez mais, o consenso sobre o que se considera serem os interesses maiores do país e, deixando de lado as divergências e a não raro feroz briga partidária, elogiaram a operação e o próprio Obama.

Vejam só:

George W. Bush, ex-presidente republicano (a quem Obama telefonou para comunicar sobre a operação, como fez com os ex-presidentes Bush pai e Bill Clinton, antes de anunciar ao público): “Eu cumprimentei o presidente e os homens e mulheres de nossas comunidades militares e de informação que arriscaram suas vidas nesta missão. Eles têm nossa eterna gratidão”.(…) Os Estados Unidos enviaram uma mensagem inequívoca: a justiça será feita, não importa o quanto tempo demore”.

Mitt Romney, ex-governador de Massachusetts, ex- aspirante à indicação republicana em 2008 e um dos nomes que provavelmente lutarão para enfrentar Obama nas eleições de 2012: “Minhas congratulações para nossa comunidade de informações, nossos militares e o presidente”.

Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara de Representantes e principal ideólogo da “Revolução Conservadora” iniciada em 1994 com a vitória eleitoral dos republicanos no meio do primeiro mandato do presidente democrata Bill Clinton, crítico ácido de Obama e apontado como um dos aspirantes à indicação de seu partido para concorrer no ano que vem: “Eu elogio tanto o presidente George W. Bush, que liderou a campanha contra nossos inimigos ao longo de 7 anos, como o presidente Obama, que continuou e intensificou a campanha, tanto no Afeganistão como no Paquistão”.

Tim Pawlenty, ex-governador de Minnesota, talvez o aspirante à indicação republicana mais implacável em críticas ao presidente: “Desejo contratular-me com as Forças Armadas dos Estados Unidos e com o presidente Obama pelo trabalho bem feito”. (…) Os Estados Unidos nunca relutarão diante do combate, e, no final, aqueles que tentam nos atingir estão fadados somente à derrota”.

Donald Trump, bilionário e apresentador de TV que sonha em candidatar-se a presidente pelo Partido Republicano e que vem questionando a legitimidade de Obama como presidente e levantando dúvidas sobre sua nacionalidade americana: “Quero pessoalmente me congratular com o presidente Obama e com os homens e mulheres das Forças Armadas pelo trabalho bem feito”.

Buddy Roemer, ex-governador da Louisiana, possível aspirante à candidatura republicana: “Contratulo-me com o presidente Obama e agradeço ao presidente Bush. Devemos continuar focados em fazer a guerra ao terrorismo e proteger a liberdade do povo americano”.

As exceções nessa lista foram a ex-governadora do Alaska e ex-candidata à Vice-Presidência em 2008 Sarah Palin, nome sempre lembrado como possível adversária de Obama no ano que vem, que saudou e elogiou apenas os militares e os serviços de inteligência, e o ex-governador do Arkansas, ex-aspirante republicano em 2008 – que talvez volte à arena para 2012 — e atual apresentador da rede de TV Fox News Mike Huckabee, cuja declaração sobre o fato começa com um bombástico “Seja benvindo ao inferno, Bin Laden”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 4 =

5 Comentários

Pedro Luiz em 03 de maio de 2011

Amigo Setti: Obrigado e desculpa a insistencia - nosso´passado ainda é proibido para o povo brasileiro. Grande Abraço

Ariadno em 03 de maio de 2011

Caro Setti Se fosse no Brasil e o Lula tivesse realizado o feito, logo diriam que se trata de herança bendita do FHC! Forte abraço

Dawran Numida em 03 de maio de 2011

Mas, já começaram as teorias da conspiração.

Vera Scheidemann em 03 de maio de 2011

Gente civilizada é outro papo, né ? Até o Trump tem a sua dose de cortesia. Vera

Pedro Luiz Moreira Lima em 03 de maio de 2011

Caro Setti: O Globo de hoje: A entrevista hoje em Primeira Página do Alm Julio Biererenbach não merece um POST ?O Alm na época do Superior Tribunal Militar foi um dos votos ou único voto a favor da Abertura do Inquérito do Riocentro. Na entrevista acusa Figueiredo de omisso e protetor de altas autoridades inclusive, o I Exercito,o SNI e Gen Otavio Medeiros. Agora fica difícil o STF não reabrir o caso. Coloque a notícia para debate,são os nossos verdadeiros TERRORISTAS ainda protegidos. Abraços Pedro Luiz Obrigado pela sugestão, caro Pedro Luiz. Muitos de nós sabemos o quanto o ex-presidente Figueiredo foi omisso e poltrão no episódio, e a entrevista do digno almirante é de fato muito imortante. Muitas, muitíssimas coisas merecem um post. O pobre blogueiro tem limitações físicas, mas, claro, vou ver esse assunto. Abração

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI