Image
A modelo Jenna Talackova, ex-Walter: vai ou não concorrer a Miss Canadá? (Foto: inquirer.net)

Publicado originalmente em 9 de abril de 2012.

Tudo ia muito bem para a loura Jenna Talackova, modelo de passarela de medidas perfeitas e candidata, pela cidade de Vancouver, ao concurso de Miss Canadá, primeiro passaporte para a disputa do Miss Universo.

Para os que acompanhavam os bastidores do certame, ela era uma das favoritas – até que um dos integrantes da organização descobriu que ela passara por uma cirurgia de mudança de sexo. Aí a coisa complicou e lhe negaram inscrição.

“Ela se sente como uma mulher de verdade e é uma mulher de verdade”, disse o diretor do concurso, Denis Dávila, “mas as normas [do concurso] estabelecem que as aspirantes ao título devem ter nascido mulheres”.

Image
Jenna exibe suas formas à beira de uma piscina: “Sou mulher. Não desejo que nenhuma outra mulher sofra a discriminação por que passei”

A história de Jenna é como a de tantos outros transexuais. Aos 4 anos de idade, já exteriorizava aos pais que se sentia uma menina. Tratada por uma equipe de médicos e psicólogos, a partir dos 14 anos começou a passar por terapia hormonal e aos 19 – há quatro anos, portanto – finalmente realizou a operação de “reassignação de sexo”.

A recusa da direção do concurso – que integra o grupo de empresas do bilionário norte-americano Donald Trump – provocou um grande movimento de protesto. Jenna, para começo de conversa, é considerada mulher pelo Estado canadense – traz o sexo feminino em seu passaporte. “As leis do Canadá estão acima das normas de qualquer certame e elas proíbem de forma expressa que alguém seja discriminado por ser transexual”, disse seu advogado, Joseph Arvay.

A própria candidata afirmou: “Sou uma mulher. Fiquei devastada com a decisão e achei injusta a razão de minha exclusão”. E acrescentou: “Gostaria que o sr. Trump dissesse claramente que essa regra injusta será eliminada, porque não desejo que nenhuma outra mulher sofra a discriminação por que passei”.

Image
Jenna com a advogada Gloria Allred: “Minha cliente nunca pediu para o sr. Trump exibir seus genitais” (Foto: Reuters)

A supercombativa advogada feminista norte-americana Gloria Allred entrou na briga, a direção do concurso foi bombardeada pelas redes sociais, houve protestos de organizações de gays, lésbicas e transexuais, ONGs de direitos humanos reclamaram, um site de transgênero recolheu 50 mil assinaturas de protesto – e por aí vai.

A direção do concurso recuou, afirmando, em nota, que “permitirá a Jenna competir, desde que prove cumprir os requisitos legais de gênero existentes no Canadá e as normas estabelecidas por outras competições internacionais”.

A advogada Allred provocou Trump, dizendo que sua cliente jamais pediu para ver os órgãos genitais de Trump ou para provar que nasceu homem. O bilionário não deixou por menos, referindo-se, desbocadamente, a sua masculinidade: “Acho que Gloria ficaria muito, muito, mas muito mesmo impresssionada com minhas credenciais”. Mas assegurou, de todo modo, que o concurso “vai seguir a lei”. Jenna, portanto, poderá concorrer.

Ela, que recebeu o nome de “Walter” quando nasceu, mantém o suspense e não diz se vai ou não participar.

Jenna virou celebridade instantânea, e neste domingo concedeu entrevista à veterana e famosa jornalista americana Barbara Walters, da rede de TV ABC.

Veja o site do concurso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 5 =

38 Comentários

Samuel em 29 de abril de 2014

O concurso é para mulheres. Se ela quer participar de um concurso, que seja Miss Transexual. Da forma que está indo, logo logo teremos transexuais competindo em esportes, daí mulheres sempre perderão.

razumikhin em 29 de abril de 2014

Canadá, pensei que era um país sério! Isso é gozação.

Dulce Regina em 27 de abril de 2014

Caro Setti, o vídeo não está entrando, assisti o link sugerido pelo Sylvio Haas. Sinceramente ? De mulheirão, ela não tem nada... Coloquei o link do Sylvio, mas ele também foi retirado por questões de direitos autorais. Abraços

Dulce Regina em 27 de abril de 2014

Caro Setti, concordo em gênero, número e grau com o Caio F, Cassaro-27/04/14-16.42 H- ela está disputando num concurso errado. Acrescento que o Canadá, é um país que merece todo nosso respeito, e que a pessoa transsexual também. Mulher ela nunca será, sua constituição é masculina.

Sylvio Haas em 27 de abril de 2014

Grande Setti, o esteta da Veja! O vídeo não está mais disponível, mas a entrevista pode ser acessada com este link: https://www.youtube.com/watch?v=Wp5h_0puRCg Há um lapso na legenda, missa no lugar de miss. Mas é compreensível. Um mulherão desses é pra se olhar, cair de joelhos e rezar. Obrigado pelo toque, caro Sylvio. A legenda já foi corrigida. E o vídeo já está novamente ativo. Um abraço!

Caio Frascino Cassaro em 27 de abril de 2014

Prezado Setti: Alguém precisa avisar ao cromossoma XY dessa criatura que ele na verdade é um XX. Homem e mulher são definições biológicas. Por mais que se faça ou se deseje não há como escapar desse determinismo biológico. Essa criatura tem cara de mulher, deve se imaginar como mulher, mutilou-se para parecer uma mulher, mas a natureza está ali, na forma de um cromossoma que vai gritar a cada dia de sua vida a realidade: ele(a) é uma macho da espécie, em que pese lamentavelmente não se sentir assim. Para corroborar o que digo, preste atenção no que segue: " 78% de “transgêneros” pensaram em se suicidar e 44% tentaram-no pelo menos uma vez, revelou um estudo sobre saúde mental encomendado à “Transgender Equality Network” pela comunidade “trans” da Irlanda. A pesquisa analisou o caso de 164 participantes com o apoio da Iris O’Brien Foundation. Segundo o diário irlandês “Irish Times”, o estudo confirmou os resultados já obtidos em trabalhos análogos em nível internacional e com uma base de análise muito mais larga. Entre as causas das tendências suicidas apontadas pelo trabalho irlandês figura o “estresse extremo” ligado ao fato de o indivíduo ostentar um sexo que não é o natural." Há coisas que são tão óbvias que não deveriam ser surpresa para ninguém. A tensão existente entre o que se é na realidade e aquilo que se almeja gera uma depressão que muitas vezes leva a pessoa ao suicídio. O jogador de futebol que se imagina Pelé e não passa de um Luis Fabiano, o piloto que gostaria de ser Ayrton Senna mas é o Rubens Barrichello, enfim qualquer um que deseje ser algo que não poderá jamais alcançar pode sofrer uma pressão insuportável, levando ao suicídio ou pelo menos a flertar com a idéia de uma forma bastante frequente. Não há como prover essas criaturas de um clitóris, não há como obter um ponto "G", nunca atingirão um orgasmo na forma alcançada por uma mulher, jamais conseguirão reproduzir ou sequer amamentar, enfim, nunca saberão o que é SENTIR-SE como mulher. Por mais que uma junta de luminares - o que dá margem a uma outra discussão, face a uma palavrinha chata chamada EPISTEMOLOGIA, mas isso assunto para uma outra hora - diga que ele ou ela é uma mulher, sua natureza continuará gritando o contrário. Lamento, meu amigo Ricardo Setti, mas seu argumento e o de tantos que defendem a mesma causa não se sustenta. Para a pessoa que lamentavelmente nasceu com essa anomalia - imaginar-se mulher em um corpo de homem e vice-versa - restam duas alternativas: ou entrar em um delírio histérico e acreditar que é possível reverter a natureza das coisas, lembrando sempre que o histérico não percebe a realidade, mas aquilo que imagina e que um dia a ficha cai, ou conformar-se com aquilo que a vida lhe proporcionou e aceitar com serenidade o seu destino. Ambas as situações são difíceis, mas pelos dados apontados acima percebe-se que a mudança de sexo não traz para quem a ela se submeteu a paz de espirito que seria de se esperar, pois é claro que o objetivo desejado - TORNAR-SE MULHER - não foi e jamais será alcançado. Para finalizar, se é para levar a sério essa questão de gênero, primeiro deve-se levar em conta que é obviamente impossível ao macho SENTIR-SE como fêmea e vice-versa; podem, no máximo, IMAGINAR-SE como tal. Assim, que não se tomem por aquilo que não são. Uma pessoa que se mutilou para parecer uma mulher jamais será uma mulher, em que pese o fato de desejar isso com todas as forças de seu coração. Será sempre uma anomalia, um ponto fora da curva. Deve ser tratado com todo o respeito por sua escolha, porém tem que ser identificado como tal, até porque podem surgir problemas de toda ordem se essa identificação não for clara o suficiente. A essas pessoas então que se denominem como transgêneros, com direito a identificação na carteira de identidade e às correspondentes consequências legais e sociais acarretadas pelo fato. E, para quem se interessar, faça-se um concurso para descobrir qual o mais belo transgênero do mundo. Não podem concorrer com mulheres, posto que não são mulheres. Nunca serão. Abs

Leonardo em 27 de abril de 2014

Decepar o penis e se entupir de hormônios femininos não transforma ninguém em mulher. Pelo contrário , o ''novo ser'' está mais pra Frankenstein do que pra Eva,

Nico em 27 de abril de 2014

O governo do Canadá, ou de qualquer outro País, não possui "jurisdição" sobre a biologia. O gênero não é uma construção social, mas um fato biológico - sendo os genitais apenas a exteriorização dessa realidade. O cidadão em questão nasceu fisicamente homem e, sem prejuízo ao direito do indivíduo em escolher e exercer sua opção sexual, o governo não deve ser ridiculamente autoritário a ponto de redefinir o gênero de uma pessoa. É a noviliíngua com roupagem politicamente correta. E sobre o "argumentum ad verecundiam" de que ela é uma mulher de fato porque o Canadá não é uma "república da bananas", recomendo o documentário de Harald Eia que trata da farsa científica que embasava o Instituto de Gênero Nórdico - localizado na rica e desenvolvida Suécia.

Vera Scheidemann em 25 de abril de 2014

Uma vez que um país adota como legal a mudança de sexo, não vejo razão para rejeitá-la em qualquer circunstância. Ou é legal no dito país ou não é. O que não é compreensível é que seja aceita tal mudança apenas em alguns lugares ou eventos e em outros não. Vera

paolo em 18 de janeiro de 2013

kkkkkk...mulher de penca.kkkkkkk

eduardo em 16 de janeiro de 2013

macho é macho mesmo !!

juscelino em 15 de janeiro de 2013

a unica coisa a dizer.. o tinhoso tomou conta do mundo mesmo.. tem jeito mais não....

Miriam em 15 de abril de 2012

Com certeza é mulher! Castrada(eunuco), mas mulher... Só falta agora ele ter ovários, trompas,útero, vagina original de fábrica,menstruar, ovular e, se quiser gerar uma vida... Gerar!!

JMello em 14 de abril de 2012

Caro Setti, Como já comentei aqui antes, vivo no Canadá e uma das coisas que me fascinam neste país é o respeito ao direito individual. Essa questao causou uma ligeira discussao por aqui, entretanto, abafada pela greve ds estudantes que já dura mais de um mês. Mas, o que eu queria dizer é que nao interessa a identidade genética da moça, e sim a sua beleza exterior!

wilson em 14 de abril de 2012

Calma, Calma - Neste caso pode ser o que existe sim 0,0001% indivíduos com atrofia e duplo sistema, e portanto com o tempo uma das congenias se acentuam e não vai aqui cair no papo que "penso e sinto como x e/ou y ". E pra relaxar um pouco de brincadeira. - que homem lindo.

Laize Penaloza em 12 de abril de 2012

Concordo com o Esron Vieira. Genéticamente falando Jenna tem vantagens que as outras candidatas nascidas mulheres. Ela nunca sofrerá de TPM, retenção de líquidos, se matar na academia e nas clinicas de estetica para se livrar da celulite, enfim ela possui atributos que somente os homens possuem e que jamais uma nascida mulher tera. Ela e linda e nao precisava causar uma polemica dessa ao passar por mulher e querer concorrer de forma desleal num concurso tao prestigiado como este.

Camila Dorilêo em 11 de abril de 2012

Isabella, a ciência/genética não muda. Nascemos XX ou XY - nascemos Mulher ou Homem. Isso é fato. Isso não se relativiza. O mundo está renegando o conhecimento e a ciência!

Euclides Rodrigues de Moraes em 11 de abril de 2012

Camila Dorilêo - 10/04/2012 às 10:53 - Concordo com o seu posicionamento e discordo do comentário do Sr. Ricardo Setti, pois a mudança da identidade legal, não altera a identidade biológica, não importa se a República é de bananas ou de cranberry, nasceu homem e vai morrer homem, não há pode na Terra que mude essa condição.

Isabella Nascimento Pereira em 11 de abril de 2012

Fico feliz por essa decisão absurda tenha sido revertida. Sexo e gênero são coisas diferentes, e se uma pessoa nasceu num corpo com o qual não se identifica, nada mais justo que este seja adequado ao seu gênero, e que a pessoa seja reconhecida pela sociedade da maneira que deseje se apresentar, e que seja respeitada por isso. Muita sorte à candidata!

Marco Antonio (Curitiba - PR) em 11 de abril de 2012

Eis aí uma boa notícia pro cartunista Laertes. Afinal, porteira por onde passa um trans-veco pode passar um traveco, digo, crossdresser.

edson em 11 de abril de 2012

Amados,já dissera Parmênides em seu poema no 2º fragmento:Os únicos caminhos de investigação para pensar: um que é, que não seja para ser, é caminho de confiança(pois aconpanha a realidade) o outro que não é, que tem de não ser, esse te indici ser caminho em tudo ignoto, pois não poderás conhecer o que não é, não é possível nem indica-lo. Simplismente o amigo,fez uma maquiagem permanente, não muda o fato.obrigado.

Jéferson em 10 de abril de 2012

Não adianta os médicos e psicólocos lhe terem dado documentos atestando que és mulher, nasceu homem perante Deus e vai ser sempre um homem.

ELIZABETH CORREA em 10 de abril de 2012

Polemicas a parte, sou muito mais Lea T

Antônio em 10 de abril de 2012

O mundo está acabando.Isto é uma aberração.

Camila Dorilêo em 10 de abril de 2012

Tirar o pênis não muda a genética do cara! Nascemos XX ou XY...no caso o rapaz ai é um mutilado! Pq geneticamente ele é homem e pronto e acabou! NASCEMOS XX OU XY e fim. É. Todos os médicos e psicólogos canadenses que trataram do caso durante cinco anos não sabem nada e são inescrupulosos. As autoridades do Canadá, por sua vez -- país que é uma república de bananas, como se sabe --, concederam-lhe o documento de mulher porque aquilo lá é uma tremenda esculhambação.

Esron Vieira em 10 de abril de 2012

Daquí uns dias forçarão os organisadores dos jogos olimpicos aceitarem trans como meninas, já que psicologos e cirurgiões as fizeram.

JT em 10 de abril de 2012

Por isso que o futebol é apaixonante: tem cara que troca de mulher, de trabalho, de religião, de partido, DE SEXO, mas não troca de time.

Eduardo em 09 de abril de 2012

Ô menino, vai te catar. Que história é essa de extirpar o pingulim e querer enganar a galera? Olha aqui, nenhum macho de fato curte essa maquiagem transsexual. Procure seu bloco onde essa sua fantasia de mulher seja aceita, falou?

Luiz Antonio Segantini em 09 de abril de 2012

A identidade desta pessoa esta com o nome feminino ou masculino , se o concurso é feminino , a direção do concurso esta certa se a identidade constar o nome masculino.

Camila Dorilêo em 09 de abril de 2012

Mas é óbvio!!! o gênero é MACHO! se tratando de genética, isso é bem definido e não é relativoooo...nascemos XX ou XY querem relativar até a ciência/genética agora...mas que mundo perdido não?! O concurso de miss é para MULHER!!!

Marie Martins em 09 de abril de 2012

Terá de pedir agora ultra do útero. A dama que submeteu-se a sterectomia então como vai provar que é fêmea? Sei ñ, Gente é o fim do mundo mesmo... Deixa ele dar uma suadinha pra ver se as glâdulas sudoríparas dele são femininas.Ou pôs botox na fase do concurso pra entupí-las. Deveria existir a certidão de tranformação. Nasceu Do sexo femino ou masculino em dia 00 de 00 optando depois por trocar de sexo e passando-se a chamar "do nome escolhido" nada mais VERDADEIRO E REAL.

Luana em 09 de abril de 2012

Se na regra do concurso está estipulado que tem que ter nascido mulher, não o há que fazer. Sobre o comentário da Celinha "Ela foi moldada a hormônios, então não é natural". Porque as outras mulheres são super naturais né? Me poupe. Isso nada mais é do que um concurso de 'quem se transforma mais e consegue chegar mais perto do "perfeito"'. Logo, a trans é vencedora, pois, nascida HOMEM, é mais bela do que as "naturais".

Junior em 09 de abril de 2012

A organizacao do evento esta correta... uma operacao de ``mudanca de sexo``,nao faz com que ela se torne uma mulher e sim um transexual, que ele procure um outro concurso para participar !

Robert em 09 de abril de 2012

Concordo com a Celinha. Mesmo com uma certidão de sexo feminino (um absurdo), é alguém submetido a "doping", uma concorrência desleal. Veja o caso da Roberta Close (Wikipedia): Em 1989, na Inglaterra, fez uma cirurgia de redesignação sexual. Logo após a intervenção, começou sua luta pelo direito de trocar de nome. ... Em 10 de março de 2005, quinze anos depois de sua primeira tentativa legal, Roberta Close conseguiu, finalmente, ter garantido o direito da mudar o nome de Luís Roberto Gambine Moreira para Roberta Gambine Moreira. Uma nova certidão foi então emitida pelo cartório da 4ª Circunscrição do Rio de Janeiro. Nela, lavrou-se: "em 7 de dezembro de 1964, que uma criança do sexo feminino, nascida na Beneficência Portuguesa, recebeu o nome de Roberta Gambine Moreira." Essa certidão garante a modelo a retirada no Brasil de documentos, como carteira de identidade, CPF e passaporte, como sendo do sexo feminino.

Robert em 09 de abril de 2012

Essa matéria me lembra o sr. Luís Roberto Gambine Moreira na capa da Playboy e da Ele & Ela em 1984.

Netinho em 09 de abril de 2012

Creio que se as regras do concurso diz: tem ter nascido mulher,então não tem argumento nenhum a favor da transexual.

Carlos Almeida em 09 de abril de 2012

Está de parabéns a oranização do evento. O mundo não precisa se submeter a todos os caprichos do movimento gay - o grupo mais intolerante que existe, diga-se de passagem... Nâo tenho nada com isso, caro Carlos, mas não se trata de um gay, e sim de um transexual, tanto é que o seríssimo governo do Canadá lhe deu documentos como mulher após a transformação conduzida por médicos e psicólogos.

Celinha em 09 de abril de 2012

Ela deve se inscrever em concursos de beleza para transexuais, no Brasil já existe, pois ela tentaou enganar a todos. Ela foi moldada a hormônios, então não é natural.Não não é justo que ela entre num concurso onde só tenham mulheres legítimas. Daqui a pouco vão cassar os direitos da mulheres em prol dos transexuais e gays. Vide Laerte querendo usar nosso banheiro. É o fim do mundo.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI